OOI Egito português correto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

OOI Egito português correto

on

  • 1,145 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,145
Views on SlideShare
1,035
Embed Views
110

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

10 Embeds 110

http://comitepelarefundacaoiv.blogspot.com.br 61
http://comitepelarefundacaoiv.blogspot.com 21
http://www.comitepelarefundacaoiv.blogspot.com.br 12
http://www.comitepelarefundacaoiv.blogspot.com 7
http://www.blogger.com 3
http://comitepelarefundacaoiv.blogspot.com.ar 2
http://comitepelarefundacaoiv.blogspot.pt 1
http://www.comitepelarefundacaoiv.blogspot.com.ar 1
http://www.comitepelarefundacaoiv.blogspot.fr 1
http://comitepelarefundacaoiv.blogspot.gr 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

OOI Egito português correto Document Transcript

  • 1. 1 O Organizador Operário Internacional N° VI Porta-voz da Edição digital Fração Leninista Trotskista Internacional FEVEREIRO - Nova Época 2011 ÚLTIMO MOMENTO: Mubarak fugiu! As massas o sentem como um triunfo de seu combate e seus mártires caídos na luta. EUA que comanda o enclave fascista de Israel, a ocupação e aos regimes do protetorado no Iraque e Afeganistão, e que apoiou PELOS COMBATES DA TUNÍSIA E até o último momento ao DO EGITO, UM CHOQUE açougueiro Mubarak, hoje fala de ELÉTRICO PERCORRE O NORTE “democracia e liberdade”. DA ÁFRICA, ORIENTE MÉDIO E MENTIRA! São novos enganos para EUROPA¡ desviar e expropriar a revolução PARA QUE A CLASSE OPERÁRIA operária e socialista que começou. VIVA O IMPERIALISMO DEVE MORRER! (Ver página 2) (Ver Correspondência Internacional na página 23) A PRAÇA NÃO SE ABANDONA! AS ARMAS NÃO SE ENTREGAM! SÃO DA CLASSE OPERÁRIA E DOS EXPLORADOS O triunfo decisivo é conquistar o pão, o trabalho e a independência nacional Para isso combatemos a Mubarak e a seu odiado regime sanguinário, representante dos capitalistas e o imperialismo! (Ver Página 8) A revolução não terminou, recém começa e ainda deve triunfar Para conquistar o pão, o trabalho e a independência nacional, a única solução QUE EXPROPRIE AO IMPERIALISMO E AOS GRANDES CAPITALISTAS
  • 2. 2 ÚLTIMO MOMENTO! 12-02-2011 O GRANDIOSO COMBATE REVOLUCIONÁRIO DAS MASSAS FEZ FUGIR O ASSASSINO MUBARAK As massas comemoram, mas não se fizeram do poder.A casta de oficiais do exército, mercenária dos EUA,como último resguardo dos interesses do conjunto da burguesiae o imperialismo na região, tenta fechar a crise nas alturas FORA O GOVERNO MILITAR! TODO O PODER À CLASSE OPERÁRIA E AS MASSAS INSURRECTAS! As massas revolucionárias egípcias atiram a Mubarak e não abandonam a Praça pé uma milícia operária e estabelecer doces e promessas de chamados aMinutos antes do fechamento deste um verdadeiro regime de duplo poder, “eleições livres” para setembro. É queOrganizador Operário Internacional, a que prepare uma insurreição vitoriosa tão profundo foi o acionarimprensa imperialista anuncia a fuga de que leve às massas revolucionárias à revolucionário das massas, e tantoMubarak para Sharm o Sheik. Fugiu o conquista do poder. investiram contra as instituições dogrande repressor e quem esfomeara o A queda de Mubarak é um passo velho regime de Mubarak, que o novopovo do Egito. As massas se adiante que ansiavam as massas, mas governo dos oficiais das forçasentusiasmam porque vêem esta fuga sua luta tenta ser expropriada com a armadas precisa a todo custo apartar-como a conquista de sua própria luta. intervenção direta do exército e sua se das velhas instituições do regime deUm choque elétrico volta a impulsionar casta de oficiais, que representa os Mubarak para ser credível comoàs massas do Oriente Médio e do norte interesses do conjunto da burguesia e “democrático” ante as massas. Mas,da África a novas e superiores ações o imperialismo. ao mesmo tempo a burguesia precisade luta para derrotar os governos e A casta de oficiais do exército que, tirar de cena às massasregimes dos capitalistas e ocomo tal, defende os interesses do revolucionárias, e por isso sustenta aimperialismo, e assim conquistar o pão conjunto da burguesia e o imperialismo, “transição” pondo a frente à velha castae o trabalho digno. é a encarregada de organizar uma de oficiais do exército assassino,Como vimos anunciando e“transição ordenada” para sacar às mantendo assim o caráter bonapartistadenunciando desde a FLTI, um massas das ruas e restabelecer a e reacionário do regime de Mubarak.momento de esvaziamento do poder ordem burguesa. Isto é uma fraude e Disseram que anularão o estado deestendeu-se no tempo, com um duplo um roubo às massas. sitio e o toque de recolher. Isto é umapoder já surgido num processo de O generalato do exército de Mubarak, paródia. A este já o anularam asinsurreição das massas. As massas com 18 dias demassas derrotaram nas ruas à heróicos combates, barricadas,polícia assassina de Mubarak, “...A queda de Mubarak é um passo adiante que tomadas de praças e combatetomaram-se e incendiaram as ansiavam as massas, mas sua luta tenta ser em toda a nação.delegacias; deixando o estado expropriada com a intervenção direta do exército Com esta transição tentarãopendurando no ar. Mas esse e sua casta de oficiais, que representa os pôr em pé novas instituições eesvaziamento do poder não se interesses do conjunto da burguesia e o mediações que enganem aspodia prolongar por muito mais imperialismo...” massas, para que estastempo. Ou a classe operária cessem seu combate,fazia- se do poder, ou o depositem confiança em seusretomava a burguesia através de outras ao que sustentou durante décadas, é o próprios verdugos e, assim, sacá-las doinstituições do Estado burguês e do que sustenta o pacto com o Estado processo revolucionário.regime de Mubarak. sionista contrarevolucionário de Israel. O primeiro anúncio, já no poder, doA burguesia tenta fechar a seu favor É aquele que, quando começava a ministro de defesa e da junta militar é aesse esvaziamento do poder. Com a revolução, estava reunido em intimação às massas a que abandonemfuga de Mubarak e com a assunção do Washington, sob a direção do a praça da libertação. Esse é o objetivocontrole do governo por parte do pentágono, negociando os U$S 1.300 imediato deste governo pretoriano, queexército, a frente burguesa imperialista milhões de dólares que lhes outorga usurpou o poder para impedir que tometenta frear a crise revolucionária nas EUA para que os generais e oficiais a classe operária e as massas. Oalturas, e impedir que novos embates sob seu comando realizem suculentos argumento é que “já não está maisde massas varram não só com negócios. Mubarak”. Querem fazer-lhe crer àsMubarak, senão que comecem a A burguesia e o imperialismo precisam massas que sua luta terminou, quandoromper o exército, a incorporar cada ganhar tempo. O fará chamando toda a esta recém começou para conquistar ovez mais milhões ao combate, a burguesia “opositora”, tentando pão, o trabalho digno, a terra e aterminar por destruir a polícia e pôr em adormecer as massas com frases independência nacional.
  • 3. 3O segundo anúncio deste novo O Obama, o comandante chefe de mas agora sob formas “democráticas”.governo “democrático” dos generais milhares de cárceres da CIA onde são Fazer-lhe crer às massas que foi oassassinos é para ratificar todos os torturados milhares de combatentes da exército que o derrotou é tentaracordos internacionais assinados por classe operária mundial, só lhe ocorre expropriar-lhe o combate às massas. AEgito onde reconhece abertamente a falar de “democracia” e “liberdade”. queda de Mubarak é um subproduto deexistência do Estado sionista-fascista O cinismo do imperialismo e seu porta- grandes ações revolucionárias, quede Israel. Esta é toda a “democracia” voz Obama não têm limites. Este teve a ainda não conseguiram seu objetivoque pode dar a casta de oficiais desfaçatez de “saudar às massas que decisivo, que é conseguir o pão, oassassina!: Legitimar o genocídio e o conquistaram a liberdade e a trabalho e a liberdade, isto é, amassacre contra as martirizadas democracia”. É um sem vergonha. Está independência nacional.massas palestinas. falando o representante dos Já ficou claro, e ficará bem mais claro,Enquanto isso, preparam as melhores açougueiros imperialistas que que as tarefas democráticascondições para achatar as massas. A sustentam o Estado sionista fascista de revolucionárias pendentes no Egito nãonão duvidar que, se a burguesia Israel que massacrou num verdadeiro são mais do que a independênciaconsegue impor seu plano, - como na genocídio às massas palestinas, que nacional; a expulsão de todos osBolívia com a Média Lua fascista, ou mantêm presos aos milicianos embaixadores imperialistascomo na Honduras com a base norte- antiimperialistas de todo Oriente Médio (verdadeiros centuriões que dominam oamericana -, também virão novos em Guantánamo, que sustenta o Oriente Médio); a expropriação degolpes contrarevolucionários no Egito e governo do protetorado ianque no todos os bens do imperialismo queem todo o Oriente Médio. Iraque, que é um milhão de vezes mais saqueiam a nação; recuperar todas asEste governo de “transição” é uma repressor e autoritário do que Saddam empresas privatizadas que foramsaída extrema, onde a burguesia e o Hussein! entregadas por Mubarak ao saqueimperialismo devem jogar ao creme do Este “paladino da democracia e a imperialista em 90; expropriar semcreme (o melhor do melhor) da ditadura liberdade” é a máscara que se põem os pagamento às petroleiras; nacionalizardo capital, isto é, seu exército, para açougueiros imperialistas, de forma o comércio exterior.conter a revolução, jogando fora doce, para expropriar a revolução e Por isso é uma tarefa democráticaMubarak e seu vice-presidente para ter desviá-la a um beco sem saída. decisiva no Egito ignorar todos oslegitimidade. Isto é um indício de que a Obama e o imperialismo “saudaram a acordos contrarevolucionários querevolução proletária já tinha chegado revolução pacífica e democrática”. Isto Anwar El-Sadat assinou com o Estadomuito longe e as massas ameaçavam é de um cinismo atroz, já que Egito se sionista-fascista de Israel e ocom a tomada do poder. encheu de sangue dos combatentes imperialismo ianque, pelo qual EgitoNos últimos dias, cada discurso de operários e setores populares nas ruas. reconhece a esse enclave imperialistaMubarak era respondido com uma Teve mais de 5000 feridos, mais de e ignora os direitos democrático-enorme massificação da luta. Mas, 500 mortos e choques com os revolucionários das massas palestinassobretudo o proletariado com seus progroms contrarevolucionários, aos a recuperar sua nação como a capitalmétodos de luta, começava a impor que o exército do Egito lhes abria as em Jerusalém, sobre as ruínas douma marca decisiva no seu acionar portas da praça, para que estes Estado sionista.revolucionário. O último discurso de atacassem às massas revolucionárias. As tarefas democráticas pendentesMubarak foi respondido com a tomada Foram as massas as que conquistaram são: o chamado à derrota militar dasde todas as empresas petroleiras no estas liberdades democráticas, tropas ianques no Iraque ecanal de Suez por parte do proletariado inclusive com ocupação de território, de Afeganistão; o chamado a pôr a naçãoque, junto à entrada em cena do empresas do imperialismo e, ao serviço do levantamentopoderoso proletariado têxtil egípcio, sobretudo, de delegacias. A revolucionário das massas que seanunciava que era a classe operária conquistaram com mortos e com puseram de pé, como na Jordânia. Alique começava a impor sua direção na combates revolucionários, atacando as centenas e milhares de operáriosrevolução em curso. Assim, ao grito de mesmas delegacias onde durante palestinos se levantaram ao grito de“pão!” se incendiou o quartel da polícia. décadas o regime de Mubarak reprimiu “Mahmoud Abbas: você é o próximo!”,Cada dia que passava, a “oposição e torturou aos combatentes do enfrentando à burguesia palestina que,democrática” burguesa se desvanecia. proletariado com o apoio dos EUA e de junto a Hamas, os Irmãos Muçulmanos,A insurreição operária, com a chispa do todas as potências imperialistas. E por e Mubarak reconhecem o Estadomovimento estudantil, começava a isso a cabeça de Mubarak rodou: sionista contrarevolucionário de Israel.desmoronar toda a propaganda graças ao acionar revolucionário das Outra tarefa democrática pendente é aimperialista que pretendia fazer passar massas. Estes combates impediram expropriação sem pagamento de todasesta revolução como um “levante pela toda tentativa de perpetuar o regime de as terras altamente produtivas do Nilo,democracia” em geral. Mubarak mantendo-o a este no poder, que estão em mãos da grande As massas revolucionárias mantêm a ocupação da Praça da Libertação
  • 4. 4burguesia e empresas imperialistas, ataram as mãos das massas para que do poder, está-se dando. Este é opara pô-las a produzir pão e alimentos não se façam do poder. governo de generais e mercenários,para os explorados. Com isso, sobraria A “oposição burguesa”, rodeados pela “oposição democrática”comida para alimentar os 30 milhões verdadeiramente antidemocrática, que burguesa e o “democrata” Obama. Elesde famintos e dar trabalho ao mais do fez milhares de reuniões para pactuar chamarão a eleições para sacar às20% dos desempregados. com o Mubarak uma “saída ordenada”, massas do combate nas ruas paraEstá claro que nem o exército sipaio do agora rodeará ao exército para impor afastá-las da tomada do poder e paraEgito, verdadeiros mercenários pagos essa “saída ordenada”, controlada que mantenham o capitalismo e opelo imperialismo, nem a “oposição pelos tanques e as baionetas, para controle do imperialismo, tentandodemocrática” garantiram levar até o sacar às massas de cena. abortar uma magnífica e heróicafinal, e nem sequer iniciar, a resolução Surge assim um governo dos que revolução operária e socialista.destas tarefas democráticas conspiraram contra as massas Ficaram aos pés do Obama os teóricospendentes, já que para isso atacam a revolucionárias de uma casta de da “revolução democrática”,propriedade e os interesses não só do oficiais paga e mercenária sob o continuadores da “revolução porimperialismo senão também de toda a comando do pentágono e o exército etapas”, extraída da lixeira da históriaburguesia nativa, que é sócia e está dos EUA que hoje massacra no Iraque do stalinismo. Têm aqui o resultado deimbricada com o imperialismo em e no Afeganistão. O paradoxo é que os sua política e seu programa.milhares de negócios. que não puseram nem um morto, nem O chefe de toda esta esquerda doPor isso, da casta de oficiais chamaram a nenhuma ação Fórum Social Mundial é o imperialismomercenária do West Point que revolucionária, nem estiveram nos “democrático”. Quando Obamaarrebatou o poder, que está com sua combates na praça da libertação, nem expressa seus “felicitações” porque nãomão direita sustentando às velhas nas greves, nem suportaram os sucedeu o mesmo que no massacre deinstituições de Mubarak e com sua mão padecimentos inacreditáveis, nem Tiananmen de 1989, verte novamenteesquerda apoiada no fantoche da incendiaram as delegacias, nem se um grande engano e hipocrisia dosburguesia “democrática”, não virá tomaram os grandes supermercados açougueiros imperialistas, que todos osnenhuma solução das demandas para comer, hoje estão no poder. Este papagaios da esquerda mundialdemocráticas das massas, incluída foi arrebatado pelos generais repetem a cada passo. O massacre deentre elas a demolição e não deixar bonapartistas, gurkas dos EUA, que Tiananmen, cometida pelo exércitopedra sobre pedra de todas as com seus tanques nas ruas impediram assassino dos “mandarins vermelhos”,instituições contrarevolucionárias do que as massas chegassem ainda mais garantiu-a o imperialismo norte-regime autocrático, começando por sua longe na demolição do regime americano e mundial, sustentado napolícia assassina. autocrático de Mubarak. burocracia restauracionistaÉ que só o proletariado com sua contrarevolucionária chinesa,ditadura, baseada nos conselhos quem lhe entregou aooperários, o armamento das “...Surge assim um governo dos que imperialismo milhões demassas e na aliança com as conspiraram contra as massas revolucionárias operários escravos emcapas empobrecidas do campo e de uma casta de oficiais paga e mercenária sob maquiladoras para serda cidade, tomando o poder, o comando do pentágono e o exército dos EUA explorados de formapoderá resolver estas tarefas que hoje massacra no Iraque e no selvagem.democráticas, combinando-as O “democrático” Obama ecom tarefas socialistas de Afeganistão...” seu imperialismo estavam naexpropriação dos expropriadores barricada dos quepara conquistar o pão, o trabalho E o fizeram com toda perspicácia, justo massacravam as massas dee a terra. no momento em que a classe operária Tiananmen. Tanto é assim, que hojeAs revoluções que começaram ontem tomava a direção do combate, atacava sustentam à décadas o governona Tunísia e no Egito são diferentes a propriedade do imperialismo, assassino e repressor dos escravistasepisódios de uma mesma revolução queimava as delegacias e fazia de Hu Jintao e restantes imundícias dooperária e socialista no norte da África percorrer por todo Egito o fantasma da Partido Comunista dos “mandarinse Oriente Médio, que só triunfará com a revolução iraniana de 80, que partisse vermelhos” do Pequim, como o fizeramtomada do poder por parte dos o exército e pusesse em pé os com Mubarak e todos os regimes eexplorados, e sua extensão a nível conselhos de operários e soldados, e governos autocráticos e assassinos dointernacional. que depois fora desviada e Oriente Médio.Com este novo engano do governo de massacrada pelos Aiatolás iranianos, A “democracia” imperialista é a que“transição”, o imperialismo e a sob a direção do imperialismo alemão, sustenta as baionetas, fuzis e tanquesburguesia no Egito tentam fechar a francês e norte-americano. assassinos do Estado sionistacrise nas alturas e voltar a impor o Ante o último embate decisivo da contrarevolucionário de Israel, umcontrole das instituições do Estado classe operária, com os operários verdadeiro gendarme e enclaveburguês sobre as massas. Com isto têxteis e petroleiros à cabeça, a imperialista na região, que ocupou aprocuram impedir que a revolução alternativa de uma intervenção militar nação palestina e massacrou asavance aonde os explorados querem ir: direta para sustentar a Mubarak e a massas dessa nação.conquistar o pão e pôr em questão a sua tentativa de ser ele quem dirija a A democracia burguesa são os tanquespropriedade do imperialismo e da “abertura democrática”, ameaçava com do exército contrarevolucionário doburguesia no Egito. um choque direto com as massas. O Egito, mercenários e gurkas dos EUA.Eles sabem muito bem que a revolução resultado era incerto. O exército se O governo que precisam os monopóliosque começou pedia e pede a cabeça podia dividir e partir horizontalmente. e as multinacionais é o mais autoritáriode Mubarak para conquistar o pão, o Eles sabiam que a base de seus e ditatorial que tenham ao alcance datrabalho digno, terminar com a carestia soldados - filhos de operários, mão e que possam impor para saquearda vida e, portanto, continuaria com a estudantes, e setores empobrecidos do as nações oprimidas e super explorarexpropriação e choque direto com os campo e da cidade - poderia passar-se um milhão de vezes mais à classeverdadeiros donos do Egito, isto é, as às filas da insurreição. Isso já tinha sido operária.petroleiras, os banqueiros imperialistas percebido pelos oficiais quando mais O esvaziamento do poder que se tinhae a burguesia nativa, sócia e cúmplice de uma vez tiveram que disparar sobre aberto no Egito não podia durar pordo imperialismo. a cabeça dos soldados que se muito mais tempo. Durante dias asA burguesia tenta fechar a crise nas negavam a reprimir as massas. massas tiveram a possibilidade dealturas com o último resguardo de sua O regime de Mubarak já era uma fruta fazer-se do poder. Não só para atirar apropriedade: a casta de oficiais podre, carcomida por dentro, e devia Mubarak, senão também paraassassina do exército pró-imperialista cair-se da árvore. desmantelar a todas as instituições dodo Egito e isto é possível porque os Hoje, a “revolução democrática” que regime autocrático, sustentadas com asCavalos de Tróia dos Irmãos toda a esquerda mundial queria que se baionetas do imperialismo, oMuçulmanos, os democratas do último impusesse à saída de Mubarak, e sua esmagamento fascista as massasmomento como El Baradei e demanda de Assembléia Constituinte palestinas por parte do sionismo emovimentos pequeno burgueses para que a classe operária não se faça pelas tropas imperialistas ianques
  • 5. 5invasoras do Iraque. A luta pelo pão esta vez com outra roupa e outros Há que avançar na demolição de todolevava à revolução socialista, à trajes. dispositivo contrarevolucionário dedestruição do exército e à expropriação Esta é a tragédia das expropriações controle das massas no Oriente Médio!da burguesia e o imperialismo. Por isso que realiza a burguesia, apoiando-se No Egito se deu um primeiro passo. Háfoi entregue a cabeça de Mubarak: nas direções traidoras, dos processos que completá-lo e levá-lo até o final, epara salvar ao capitalismo de conjunto. revolucionários de massas para só o triunfo da revolução operária oAté último momento, toda a burguesia estrangulá-los e impedir a tomada do conquistará.e o imperialismo tentaram sustentar a poder por parte da classe operária. Revolução democrática sem liberar àsMubarak para que este faça uma No Egito, a revolução deve pôr-se de massas palestinas, sem esmagar o“transição ordenada”. Só o perigo de pé. Nenhum apoio ao governo Estado sionista fascista de Israel, semque as massas se fizessem do poder provisório da guarda pretoriana do demolir o muro de Rafah, sem fazerfez que arrojassem sua cabeça. exército, que está sob o comando do justiça com a assassina monarquia daA ruptura do exército estava ao alcance Obama e o Pentágono! O caminho não Jordânia - massacradora da naçãodas mãos. A centralização de é outro que aprofundar a revolução que palestina -, sem derrotar ao governo deorganismos das massas em luta já começou. A primeira tarefa é demolir unidade nacional de Hezbollah e acolocava o sério risco de pôr em pé um o muro de Rafah. burguesia pró imperialista no Líbano,verdadeiro poder dos explorados. As massas palestinas na faixa de Gaza sem romper com Hamas, que pactuavaIsto aterrorizou a burguesia, que se levantavam em apoio à revolução de com Mubarak e encarcera aos jovensentregou uma cabeça para assim operários e estudantes do Egito. que se rebelaram junto a seus irmãosmanter todas as cabeças de todas as Hamas os reprimiu e encarcerou. De do Egito? Jamais! Só em mãos doclasses dominantes, e sobretudo, sua costas as massas escravizadas, esta proletariado revolucionário e seu poder,propriedade privada, e garantir a burguesia “muçulmana” pactuava a sobre as ruínas dos regimescontinuidade do poder dos entrega da causa palestina com autocráticos, fascistas e ditatoriais ouexploradores. Mubarak, os Irmãos Muçulmanos e os “democráticos”, se poderá completar asCom estes combates das massas representantes do imperialismo francês tarefas democráticas pendentes, que oabria-se o caminho à tomada do poder, e norte-americano, aprestando-se a imperialismo e a burguesia já nãoa romper o exército, a tomar-se podem resolver no mundotodas as empresas dos colonial e semicolonial. Nãocapitalistas e o imperialismo, a “...só o proletariado com sua ditadura, baseada luta pela democraciaderrubar o muro de Rafah, a unir- nos conselhos operários, o armamento das conseqüentemente e até ose com a rebelião das massas do massas e na aliança com as capas final o que não luta pelaOriente Médio e do norte da empobrecidas do campo e da cidade, tomando o ditadura do proletariado.África. poder, poderá resolver estas tarefas Todos os demais é umaA “oposição burguesa”, que democráticas, combinando-as com tarefas traição à classe operária e aocomo verdadeiros Cavalos de socialistas de expropriação dos socialismo.Tróia continham as massas na expropriadores...” Nenhum apoio aospraça da libertação, como a gendarmes do imperialismoIrmandade Muçulmana, os do exército egípcio! Abaixo o reconhecer o Estado de Israel. E isto“militantes do Facebook”, os homens muro de Rafah! Desconhecimento dos sucede enquanto centenas de milharesdo imperialismo trazidos no último pactos da década de 70 de Anwar El- de operários palestinos ganham asmomento pelos ianques como El Sadat e o imperialismo de ruas para derrotar a AutoridadeBaradei, correrão rapidamente a reconhecimento do Estado sionista- Nacional Palestina também na Jordâniaestabelecer um governo de coligação e fascista de Israel! Pela destruição do e na Cisjordânia.um regime de acordo e unidade Estado sionista fascista de Israel! A A chispa do Egito agora deve incendiarnacional com os gerais mercenários a praça da libertação só deve reconhecer às martirizadas massas palestinas! Háconta dos EUA, que hoje se a uma só nação: a nação palestina, que demolir o muro de Rafah! Asapropriaram do poder. Insistimos o com sua capital Jerusalém! Ali se milícias operárias e camponesasobjetivo deles será limpar a praça, devem convocar a delegados devem romper com Hezbollah, quedesmobilizar as massas, voltar a pôr à palestinos a uma assembléia nacional, entrou ao governo do Líbano com opolícia nos mesmos quartéis que para que delegados da Jordânia, pró-imperialista Siniora!queimaram os operários. Cisjordânia, a martirizada faixa de As massas palestinas na Jordânia,As massas não podem dar sua vida Gaza, unifiquem-se e centralizem-se, Síria, Líbano, etc. tentam novamentepara que sigam no governo os mesmos junto aos explorados do Egito, numa só pôr-se de pé. Na praça do Cairo já têmque eles enfrentaram no combate, mas e única luta contra os opressores! Só a praça de sua libertação. assim a chispa da revolução que vem do norte da África e Tunísia se Os melhores combatentes da Praça da Libertação no Egito expandirá para incendiar o Oriente exigem a liberdade de todos os presos políticos: Médio. No Egito, todas as organizações de massas devem romper todo tipo de Liberdade já a todos os presos políticos nas masmorras do regime de apoio a este governo e desconhecê-lo Mubarak! imediatamente. Não é nosso governo! Este vem defender os mesmos Dissolução da polícia assassina de Mubarak e de todas as bandas interesses das classes possuidoras que parapoliciais! antes defendia Mubarak. Destituição da casta de juízes da autocracia e dos serventes do Não há que entregar as armas! Há que imperialismo! terminar de desarmar a polícia Tribunais operários e populares para julgar e castigar a todos os assassinos assassina. A Praça não se abandona e, desde ali, do povo! há que centralizar a todas as Há que centralizar já a nível nacional todas as organizações de luta da organizações em luta num grande classe operária! Congresso Nacional operário e das Nenhuma confiança no governo dos generais assassinos, serventes de massas exploradas! Os poços de petróleo, o ouro negro, devem ser Wall Street e do estado sionista assassino de Israel! expropriados pelos conselhos operários Por comitês de soldados! e jamais devem ser entregados as Ponhamos em pé a milícia operária e popular! potências imperialistas que saqueiam a Destruição da casta de oficiais do exército pago e sob o comando de nação. Segue sendo uma tarefa central Obama! das massas revolucionárias a luta por dividir o exército e fazer que os Só isso garantirá o caminho para conseguir o pão, o trabalho e a soldados rasos passem às filas da independência nacional, expropriando aos expropriadores. insurreição.
  • 6. 6A revolução se deve pôr de pé. Chegou Os novos levantamentos das massas Revolução Permanente, a resoluçãoa hora em que a revolução depende de palestinas, que enfrentam tanto à íntegra e efetiva das tarefaspartir o exército, que se mostrou burguesia de Abbas como Hamas na democráticas pendentes só cumprirá a“neutro” só para abrir-lhe as ruas aos Gaza, demonstram que o ditadura do proletariado; e assim oprogroms contrarevolucionários para “nacionalismo árabe” e o “movimento proletariado demonstrará ser o únicoque ataquem, e as fechava para as muçulmano” não são mais do que caudilho da nação oprimida, arrastandomassas que queriam combater. Esta frações da burguesia que estão sempre detrás dele às capas oprimidas doquestão define o futuro da revolução. dispostas a entregar a luta nacional em campo e da cidade.Há que pôr em pé já os comitês de troca de bons negócios com osoldados. Nenhum filho de operários ou imperialismo. A irrupção das massas A experiência da Tunísia é que acamponeses pobres pode estar um dia palestinas, enfrentando à mesma classe operária e as massas, em dias,mais no exército que sustentou e burguesia palestina, carcereiro de seu perceberam o engano: o governosustenta ao sionismo, ao imperialismo, próprio povo em campos de “democrático” de transição desse paísàs tropas invasoras no Iraque e que é o concentração, jogará o papel decisivo se apóia nas mesmas instituições, nosmaior inimigo de seu próprio povo. para sacar o véu e baixar a poeira que mesmos partidos, nas mesmas forçasO que surge não é o governo das se levantou, e definir que estamos de choque contrarevolucionárias quemassas insurrectas que combateram, frente a uma revolução operária e as massas tinham derrotado em seusenão dos que conspiraram contra elas socialista que ameaça com expropriar o combate. Disto se trata a fraude quee os que sustentaram durante décadas imperialismo e a toda a burguesia. agora procuram impor no Egito. Aindaa Mubarak. Esta vez, se a está por ver se o impõe.revolução é expropriada Esta armadilha e enganoprovisoriamente, serão os “...Estão se desenvolvendo episódios de uma podem voltar-se na contramãocantos doces da “oposição mesma revolução no norte da África, Oriente dos que os realizam, porque asdemocrática” os que chamarão Médio e a nível internacional...” massas vêem à queda deàs massas a ir-se a suas casas Mubarak como um triunfo dossem pão nem trabalho, sem a explorados de toda a região.ruptura com o imperialismo e o Só um governo provisório Vêem que se pode derrotar ossionismo. E se estas não o aceitam, revolucionário da classe operária e as governos que enfrentam. Já se estãoserá o exército quem, em nome da massas exploradas, numa luta armada, levantando as massas na Tunísia,democracia, chamará a achatar as expulsando o imperialismo, Argélia, Jordânia, etc. Que viva amassas revolucionárias. expropriando sem pagamento suas revolução!Novas tragédias, enganos e propriedades e bancos, desarmando a A situação revolucionária no Egito é umpunhaladas pelas costas preparam as casta de oficiais de West Point, elo de uma só e única revolução emforças da contrarevolução com os expropriando a terra e dando-lhe o pão todo o norte da África e Oriente Médio.“bonapartes”, com os progroms aos explorados, pode ser o único que Esse é o campo de batalha. No Egitocontrarevolucionários, com os inclusive garanta o chamado a uma se livra uma batalha da guerra deimpostores da burguesia “democrática”, assembléia nacional livre e soberana classes que se definirá no terrenopara derrotar o processo revolucionário do Egito. Todo o chamado a eleições e internacional.que se iniciou. a assembléia constituinte, com as Quando, mais cedo ou mais tarde,A revolução deve pôr-se de pé! A praça armas na mão do exército de volte-se a levantar a classe operárianão se dissolve! As barracas não se mercenários e assassinos, será uma européia e norte-americana virão oslevantam! Que todas as organizações paródia de assembléia nacional, que batalhões mais fortes da classeoperárias mandem ali os delegados! Os terá a “democracia” das baionetas dos operária mundial, que levarão estessoldados rasos terão um lugar nessa serventes de Wall Street sobre sua combates a Roma, Berlim, Grécia,praça. cabeça. Lisboa, Washington, etc. O combateTodo retrocesso da praça afastará as Um governo provisório revolucionário seguirá a folha de rota quemassas do pão, a terra e a liberdade. de operários e as massas exploradas encaminharam as massasAí está a ampla maioria do Egito: a do campo e da cidade, baseado em revolucionárias do Oriente Médio. Paraclasse operária e as massas sua milícia, será o único representativo conseguir pão há que fazer a revoluçãoexploradas do campo e da cidade. Ali da amplíssima maioria do Egito, e será e a insurreição de massas, derrotandoestão os únicos que têm legitimidade e um milhão de vezes mais democrático os regimes e governos dosautoridade para fazer-se do poder. do que assembléias constituintes exploradores. Mas para conquistar oFora a casta de oficiais do exército sustentadas nos fuzis dos mercenários pão firme e definitivamente, terá queassassino! Fora os mercenários dos de Wall Street e num punhado de tomar o poder e estabelecer a ditaduraianques do controle do Estado! Os parasitas que saqueiam a nação.soldados rasos, filhos de operários, não Os “paladinos da democracia”podem permitir nem um minuto mais se oporão firmemente àesta expropriação da luta da classe expulsão de todos osoperária e as massas exploradas. Os embaixadores imperialistas, atanques devem deixar de apontar às expropriar todos os negóciosmassas que querem tomar os prédios que açambarcam os parasitasdo partido contrarevolucionário de da casta de oficiais junto àMubarak, da polícia assassina e das burguesia do Egito e oempresas imperialistas. imperialismo. Se negarão aOs tanques e os fuzis devem começar demolir o muro de Rafah.a apontar aos entregadores da nação, Assim, mais cedo ou maisaos assassinos do povo, aos tarde, demonstrarão ser ossaqueadores das riquezas nacionais e continuadores de Mubarak eaos exploradores dos operários. sua obra contrarevolucionáriaPor comitês de soldados, que junto às na região.organizações da classe operária e as Só a classe operária e suamassas em luta imponham um governo ditadura, que constituirá umaprovisório revolucionário de operários, república um milhão de vezescamponeses pobres, comitês de mais democrática do quesoldados! qualquer república burguesa,As massas, que se sentem vitoriosas, será a encarregada de levaragora procurarão o pão. Novos ares de até o final e cumprir as tarefascombate e forças chegam da Tunísia, democráticas que ficaram semda rebelião no Marrocos, do combate resolver. E o fará com osque começou na Argélia, e dos métodos e o programa da Mubarak junto com o açougueiro Obamalevantamentos das valorosas massas revolução socialista. Isto é,de Iêmen e Jordânia. como o propusesse Trotsky na
  • 7. 7do proletariado. internacionalistas tinham reagrupado pelas ações de massas que não só nãoNessa luta estamos os combatentes da em Kienthal e Zimmerwald contra a prepararam, senão que tentaram eIV Internacional que lutamos por sua traição da socialdemocracia, e que tentam impedir a toda custa que serefundação. durante anos já tinham formado desenvolvam.O que lhe faltou e ainda continua quadros para a revolução nos períodos O Fórum Social Mundial se estáfaltando às massas é uma direção prévios, o proletariado chega a estes reunindo agora em Dakar, Senegal,revolucionária que esteja à altura dos acontecimentos revolucionários que chamando à “solidariedade com oscombates insurrecionais que estas não deixam de suceder-se desde 2007 povos árabes” e chama a umarealizam. - nesta verdadeira hecatombe do “mobilização mundial” para o dia 20 deAs forças para essa direção sistema capitalista mundial - com um março. Esta é a mesma política querevolucionária já estão: tomam-se os campo de batalha cheio de escombros impuseram na Europa quando, desde apoços de petróleo, desarmaram à da II, da III e da IV Internacional que foi Contra-Cume do Madri em maio depolícia, combatem na Tunísia, entregada pelos renegados do 2010, convocou-se a uma supostalevantam-se no Iêmen, voltam-se a trotskismo à burguesia e ao “greve geral européia”, depois quelevantar na Bolívia. Ali estão as forças imperialismo. passassem em toda a Europa ospara pôr em pé um partido da Esta vez, ainda que aos teóricos da ataques dos capitalistas e o combaterevolução socialista internacional: “revolução democrática” lhes doa, o de massas em Grécia ficasse cercadorefundar a IV Internacional para partido proletário da revolução por estas mesmas direções. Assimdevolver-lhe às massas a direção que socialista deverá surgir e pôr-se de pé levaram as energias revolucionárias dose merece. depois de que as massas dessem os proletariado europeu à políticaEstão se desenvolvendo episódios de primeiros golpes revolucionários, como impotente de pressionar aos governosuma mesma revolução no norte da propusesse Trotsky na Espanha imperialistas para que “retifiquem” eÁfrica, Oriente Médio e a nível revolucionária da década de 30, deve “morigerem” os ataques.internacional. A debilidade do surgir um partido jacobino do Estas mesmas direções do Fórummarxismo revolucionário é evidente. proletariado capaz de inclinar, no social Mundial são as que expropriaramMas os combates decisivos já estão momento decisivo, a balança a favor da a revolução latino americana pondo-aaqui. classe operária, levando-a à vitória aos pés das burguesias bolivarianas eSó colaborando com as massas a cada definitiva com a tomada do poder. o açougueiro Obama; e hoje todospasso, demonstrando-lhes quem são Mas não se trata de uma revolução, sustentam aos irmãos Castro queseus aliados e quem são seus inimigos; senão de um período de revoluções, comandam a restauração capitalista nachamando e colaborando com elas que darão mil e uma oportunidades. A Cuba. São os que sustentam aospara pôr em pé e centralizar os tarefa do momento é reagrupar as novos mandarins vermelhos chinesesorganismos de duplo poder, de auto- forças sãs do movimento trotskista, de Hu Jintao e sua V Internacional queorganização e armamento das massas para colaborar com as massas e suas escraviza em maquilas a milhões deem luta, que são os únicos que estarão ações revolucionárias, para dispersar operários chineses.a altura do combate que lhe declararam as forças das direções traidoras que se A luta da classe operária do norte daseus inimigos de classe, é que o concentraram sob o comando do África não pode ficar nas mãos dasmovimento revolucionário conseguirá capital. direções traidoras do Fórum socialrecuperar tempo e chegar aos As forças das direções traidoras, Mundial!momentos decisivos às grandes centralizadas no Fórum Social Mundial, As condições para uma nova ofensivadefinições que inevitavelmente devirão que a cada passo tentam desorganizar do movimento revolucionário já estãodos acontecimentos revolucionários e dispersar a forças dos aqui. A teoria e o programa da IVque estão em curso. revolucionários, foram dispersadas, Internacional é o único que passará aA diferença da revolução de outubro de debilitadas e o seguem sendo cada dia, prova. Há que refundar o partido1917, onde um punhado de pelos golpes da revolução proletária, mundial da revolução socialista mundial para derrotar as burocracias e aristocracias operárias, ao Fórum Social Mundial, à V Internacional e a sua ala esquerda, os renegados do trotskismo. Já faz tempo que a pseudo- teoria de “revoluções democráticas” e “por etapas”, e seu programa de submetimento bastardo do proletariado à burguesia ficaram na lixeira da história. Apresentamos nestas páginas, a minutos de ser impressas, o editorial que acompanha a este organizador e toda a correspondência e declarações que tirou nossa fração internacional, com o programa e estratégia para a tomada do poder. Secretariado de Coordenação Internacional da FLTI Os combatentes comemoram a queda de Mubarak
  • 8. 8 EDITORIALO seguinte editorial foi escrito o dia 10/02/2011, um dia antes da fuga de Mubarak.Depois de dezoito dias de irrupção de massas e esvaziamento do poder, o imperialismo se viu obrigado a entregar a cabeça deMubarak antes que o proletariado e as massas em luta avançassem um degrau decisivo com uma insurreição triunfante quedemole toda a maquinaria do Estado burguês. Assim definia Trotsky no seu trabalho História da Revolução Russa “Umlevantamento revolucionário que dure vários dias só se pode impor e triunfar tal como de elevar-se progressivamente de degrauem degrau, registrando todos os dias novos sucessos. Uma trégua no desenvolvimento dos sucessos é perigosa. Se omovimento se detém e patina, pode ser o fracasso. No entanto os êxitos por si bastam; é necessário que a massa se inteiredeles a sua devido ao tempo e aprecie antes que seja tarde sua importância para não deixar passar de longe o triunfo emmomentos em que lhe bastaria estender a mão para pegar-lhe”.O editorial que a seguir apresentamos conta com a validez de propor, prévio à fuga de Mubarak, a questão da tentativa doimperialismo e a burguesia de expropriar a revolução, bem como o programa e as tarefas para partir o exército e preparar eorganizar uma insurreição triunfante.Neste sentido, a apresentamos aos nossos leitores como parte da intensa correspondência internacional que percorre estaedição do Organizador Operário Internacional seguindo os acontecimentos da revolução no norte da África dia a dia. Tunísia, Egito: “É uma revolta, sire? É uma revolução democrática?” Não, é o início de uma revolução operária e socialista que deve pôr-se de pé e fazer-se do poder Desde o Secretariado de Coordenação Internacional da Fração Leninista Trotskista Internacional apresentamos o Organizador Operário Internacional N° 11. Fazemo-lo em momentos em que novos golpes revolucionários das massas, como os do Oriente Médio e o norte da África, estão atuando como um choque elétrico nas filas do proletariado mundial. Os processos revolucionários da Tunísia e do Egito que começaram marcar o caminho para reagrupar as filas da classe operária a nível internacional, a fim de organizar uma verdadeira contra-ofensiva revolucionária do proletariado mundial contra os mil e um ataques da frente burguesa imperialista. Trata-se de que os processos revolucionários que estão em curso estendam-se, desenvolvam-se, generalizem-se, sincronizem-se e centralizem-se a nível internacional. Essa é a tarefa imediata de toda organização operária revolucionária internacionalista As massas montam nos tanques do exército na Praça Tahrir que se aprecie de tal. A chispa da revolução que começou na Tunísia e agora no Egito não deixa de estender-se, como um rastro de pólvora, pelo norte da África e Oriente Médio. No Egito a burguesia, o regime da autocracia de Mubarak e Obama, concentra suas forças para deter este processo revolucionário que começou. É que estas revoluções enfrentam abertamente todos os mecanismos de controle contrarevolucionários (como o pacto do exército, a burguesia e o governo do Egito com o contrarevolucionário Estado sionista de Israel para massacrar às massas palestinas) que impuseram as potências imperialistas e as burguesias nativas sócias do mesmo. NA TUNÍSIA, NO EGITO, COMBATE-SE PELO PÃO CONTRA MUBARAK, BEN ALI, OBAMA E TODOS OS PARASITAS DE WALL STREET, BANQUEIROS E MULTINACIONAIS DE TODAS AS POTÊNCIAS IMPERIALISTAS. Estamos frente a ações revolucionárias mecanismo de controle petroleiras e bancos imperialistas. Ali, da classe operária e as massas contrarevolucionário atuou sob o terror as massas famintas vivem sobre um oprimidas de uma das zonas mais do sabre dos faraós, das autocracias, mar de ouro negro que se encontra sob castigadas pelo imperialismo. Este das teocracias que só defendem os seus pés. sustenta na região um dispositivo interesses da burguesia nativa e o Alguns escritores de editoriais contrarevolucionário que atuou imperialismo na região, e atuou burgueses surpreendem-se do que a implacavelmente nas últimas décadas também com invasões chispa que começou com uma em todo o Oriente Médio. Este contrarevolucionárias imperialistas revolução na Tunísia, que fez rodar a dispositivo atuou com as burguesias diretas como no Iraque, Afeganistão e cabeça de Ben Alí, e que com suas xiitas e sunitas expropriando os bombardeios do exército sionista novas ondas revolucionárias ameaça processos revolucionários fascista de Israel contra as massas com desmantelar e demolir a antiimperialistas das massas, como o palestinas. É que ali estão as maiores maquinaria do Estado semicolonial; vimos no Irã, na Palestina, no Líbano, reservas de petróleo do planeta, que hoje se expandiu e incendiou Egito, e no Iraque ocupado. Também este estão sob o controle das grandes em toda a região se desenvolvem
  • 9. 9ações de massas como na Argélia, dos EUA, onde deixam seus dólares européia, japonesa e norte-americana.Iêmen, Jordânia; pondo ao vermelho bem guardados, para investi-los na É que este combate só triunfa com avivo a questão do esmagamento do bolsa de valores de cereais, fazendo revolução socialista internacional,Estado sionista assassino de Israel, subir ficticiamente seu valor. expropriando a esse punhado deque mantém num campo de Desde o ano 2006 até 2008 o preço do parasitas do capital financeiro que vive,concentração a céu aberto às trigo subiu um 80%, o milho um 90% e lucra e parasita sobre milhões demartirizadas massas palestinas. o arroz um 320%. Desde então, não escravos famintos, desnutridos, e sobreA chispa da Tunísia chegou ao Egito, e deixaram de estourar revoltas pelo pão uma classe operária à qual lhe tentamfoi levando e propagando o brutal e contra a fome. Mais de 250 milhões descarregar todos os dias sua podridãoroubo do imperialismo e os parasitas de operários escravos passaram a e crise como sistema.do capital financeiro, que investindo viver em aberto estado de desnutrição. São estas penúrias inacreditáveis asenormes massas de capitais no E mais, a demanda de grãos e que empurram as massas às grandesmercado das commodities, alimentos retrocedeu 3% no planeta. O investidas revolucionárias que estamosaçambarcando toda a produção de próprio (hoje defunto) Lehmman presenciando. São padecimentosfarinha, azeites, açúcar, milho, fez subir Brothers, o chefe dos parasitas inacreditáveis que empurram revoltas,ficticiamente seus preços para, de imperialistas, especulando, saltou de insurreições, semi-insurreições emforma especulativa, com as grandes 13 mil milhões de dólares no mercado países chaves não produtores decerealíferas e os banqueiros “o futuro” do trigo de Chicago a 260 mil alimentos e, como já dissemos,imperialistas, recuperar de forma milhões em 2008. assentados num mar de ouro negro deparasitária seus lucros. Seus super Isto é parasitismo. Isto é o capitalismo petróleo, saqueado pelo imperialismo elucros. hoje. Este é o saque das nações as burguesias nativas. A fome eNo Egito, como na Tunísia, no Iêmen oprimidas. A estes parasitas defende o carestia da vida crônica já se voltaramou na Bolívia, combate-se contra a governo assassino de Mubarak. Os insuportável para as massas.carestia da vida e o aumento brutal dos representa fielmente Obama. E ao Estes parasitas do capital financeiro depreços dos alimentos que foi elevado mesmo tempo, todas as direções Londres, Wall Street, Berlim ou Paris,de forma fictícia por um punhado de contrarevolucionárias reagruparam não só especularam e fizeram subirbanqueiros, como Goldman Sachs, a suas forças para impedir que as ficticiamente os preços dasbanca Morgan, isto é, os parasitas de massas derrotem a estes parasitas no commodities a nível internacional,Wall Street. Estes fizeram subir até 200 mundo semicolonial e, especialmente, senão que são os mesmos que, paravezes o valor do trigo, a soja, o milho, em Londres, Nova York, Tóquio, recuperar sua perdas e sua bancarrotaetc. E isto não é porque falte produção, Berlim, Roma, Paris, etc. tem esvaziado, desfeito e deixadosenão tudo o contrário. Está a níveis As massas devem terminar de endividado a todos os Estadosrecorde no mundo. O parasitismo identificar com clareza a seus inimigos. imperialistas, como EUA, França,imperialista é, em última instância, o Estamos frente ao início de uma Espanha, Grécia, etc. Assim osinimigo que enfrentam as massas enorme revolução operária, já que governos das potências imperialistasfamintas que saem ao combate em ataca os interesses da burguesia e o esvaziaram seus estados, repuseram-todo mundo. imperialismo no Egito, na Tunísia, no lhe as perdas aos banqueiros e àsSim, falamos dos parasitas que estão Oriente Médio. Esta revolução merece multinacionais, enquanto largaram umnas 8 quadras de Wall Street. Falamos triunfar a nível internacional, com a feroz ataque para fazer-lhe pagar istodos “super bancos” que saquearam e entrada em cena da classe operária às massas.levaram à ruína ao planeta e asnações, fazendo quebrar osEstados e atirando-lhe toda suacrise às massas desde 2007,quando estourou o crash.Estes parasitas ontem inflaramficticiamente uma bolhaimobiliária, hipotecando 3 ou 4vezes o valor das propriedadesnos EUA, na Espanha, no Dubaie hoje na China. O mesmosucede hoje com estesespeculadores e parasitas queaçambarcam milhões detoneladas de trigo, milho,açúcar, cacau, arroz, soja erestantes commodities, fazendosubir de forma fictícia seu valorno mercado chamado “o futuro”.O capital financeiro, essa As massas tunisianas se mobilizam ate a cidadela do poderoligarquia de super bancos, usaa garantia dos bônus do tesouro A CHISPA DA TUNÍSIA INCENDIOU EGITO. PARA QUE A REVOLUÇÃO TRIUNFE DEVE INCENDIAR O ORIENTE MÉDIO E SUBLEVAR NOVAMENTE À CLASSE OPERÁRIA EUROPÉIA E NORTE-AMERICANALevamos já 17 dias de uma magnífica Israel, e colocaria à ordem do dia que a origem, inclusive sob o terror do fuzilrevolução e insurreição no Egito, que resistência antiimperialista volte a pôr burguês apontando a suas cabeças,põe à ordem do dia que a chispa em debandada as tropas invasoras como o fez EUA, Itália, Espanha etransformou-se numa chama de fogo imperialistas no Iraque e Afeganistão. restantes imperialismos chamadosque ameaça com incendiar todo o norte Milhões de operários argelinos, “democráticos”.da África, Oriente Médio, e novamente marroquinos, tunisianos, egípcios, do Isso multiplicou por 10 o desempregoEuropa. Magreb são imigrantes que realizam os crônico. Uma legião de desempregadosA queda de Mubarak produto da piores trabalhos nas potências se vê obrigado a percorrer então osofensiva revolucionária decidida das imperialistas. poços de petróleo das empresasmassas do Egito faria tremer desde Ante o crash e a crise, milhões destes imperialistas que saqueiam o Orienteseus alicerces ao Estado genocida de foram devolvidos para seus países de
  • 10. 10Médio, como párias e operários “As massas não têm consciência”, “são inevitável. Este só pode sair da criseescravos. atrasadas”, dizem os imbecis e com guerras e arrebentando à classeEssa é o paradoxo. Massas famintas, serventes da burguesia que jamais operária mundial, isto é, comoperários desempregados que são chamaram as massas a lutas parasitismo.expulsos da Europa, como escravos revolucionárias para derrocar aos As direções reformistas só chamaram,aos quais os escravistas já nem sequer governos dos exploradores e seus como na Europa, a lutas de pressãosão capazes de alimentar e fazê-los regimes para conseguir o pão e o para negociar a “retificação” do ataquetrabalhar, percorrem os poços de trabalho, começando a revolução selvagem dos capitalistas contra aspetróleo em Kuwait, Iraque, Dubai, proletária. massas. Exigiram à classe operária daEgito, Arábia Saudita. O paradoxo é É que esta onda revolucionária supera América Latina que deponha sua lutaoperários escravos em empresas a “espontaneidade” e a “falta de por derrubar os governosimperialistas que fazem lucros de 150 a consciência” que lhe impuseram as “progressistas” e bolivarianos, os quais200 bilhões de dólares ao ano como a direções traidoras aos heróicos “tinha que pressionar para queExxon, a Halliburton, e que levantam os levantamentos revolucionários da avancem ao socialismo”, como Chávez,edifícios fastuosos da burguesia como classe operária européia, questão que Morales, Kirchner, Lula etc. No entantono Dubai ou Arábia Saudita, e um apontava a impedir que os explorados estes são os que aplicam hoje planosextensíssimo etc. chegassem a propor-se o de austeridade iguais ou piores do que derrocamento de Papandreau, Ben Alí ou Mubarak.Como se estendeu esta chispa que Sarkozy, Berlusconi, a monarquia Os reformistas como serventes docomeçou na Tunísia? Esta se espanhola e inglesa, e a imundícia do capital, impuseram-lhes as massas nasdesenvolveu seguindo a rota dos Bundesbank e a Merkel na Alemanha. ondas de luta de Atenas, da Bélgica, de“operários nômades” dos poços Esta onda revolucionária retoma essa Portugal e de toda a Europa, de que sepetroleiros e os operários escravos das experiência, voltando a marcar um pode morigerar o ajuste e o brutalgrandes construtoras, que quiçá caminho à classe operária européia, ataque. Estão-lhes dizendo e lhestrabalharam juntos também na folha de que não é outro que: quem quer pão disseram que o leão não se comerá aorota dos piores trabalhos da Alemanha deve elevar sua luta econômica a luta veado.ou França. Ali eles se reconhecem. política e enfrentar decididamente os Enganaram as massas. VoltaramSabem de seus países e de suas governos e regimes que protegem os impotentes os combates da Gréciapenúrias. interesses do grande capital, e derrotá- revolucionária e do proletariadoOs imbecis antimarxistas falam de los. europeu. Eles temem, sobretudo, que“espontaneidade” e de “zero Nenhum estado maior do proletariado as lições das revoluções que estão emconsciência” das massas que se mundial disse que “para que tenha pão, curso no Oriente Médio e ao norte daencontram insurrectas. Elas vêm de há que derrotar e demolir o poder dos África, voltem a pôr à classe operáriauma enorme experiência de combate exploradores”; que para conseguir o européia num caminho revolucionáriosacrifício e traições sofridas. Eles mais mínimo há que lutar por tudo; que correto, tirando lições de seusdeixaram a seus filhos com as a classe operária segue mal porque combates.“madraças” da burguesia xiita, que ainda não se fez do poder.entregou toda a luta antiimperialista Nenhum estado maior dos que se Os processos revolucionários do Egito,das massas do Oriente Médio. dizem “anticapitalistas” ou “socialistas” da Tunísia, do Oriente Médio, como oA burguesia “islâmica” do Hezbollah da classe operária chamaram nem levantamento persistente dos operáriosentrou ao governo com Siniora, agente convocaram a nenhuma Praça, a tomar da Bolívia contra a fome e a carestia dado imperialismo no Líbano. Ao mesmo nenhuma delegacia, a fazer nenhum vida abriram um ângulo de 180° com astempo a burguesia, também “islâmica”, piquete armado, a incendiar quartéis receitas das direções traidoras dode Hamas está num verdadeiro pacto e nem palácios de governo. proletariado.negociação com o governo de Mubarak Aos que propomos isto, como os Como ontem no Madagáscar, noe o Estado sionista fascista de Israel trotskistas que lutamos por refundar a Guadalupe, no Quirguistão, ou napara impedir que irrompam novamente IV Internacional, nos acusam de Bolívia revolucionária, combate-se peloas massas da Palestina “loucos”, “atropelados”, “sectários”, poder e pelo derrocamento do poder do “que não conhecemos nada da luta da inimigo para conquistar o pão e parar oAs revoluções que estão em curso no classe operária”, “há que ir devagar”, ataque dos capitalistas.norte da África não são filhas de um “passo por passo”. Afirmam e se As revoluções que estão comovendo“reverdecer democrático” da pequena desgarram dizendo que “nunca há ao mundo no norte da África e Orienteburguesía do Oriente Médio, sempre condições” para preparar uma ofensiva Médio, mais cedo ou mais tarde,servil ao imperialismo e seus revolucionária das massas... como se voltarão a cruzar o Mediterrâneo. Éinteresses. Estas são produto desta as condições para vencer não se tarefa dos operários da Grécia, daenorme experiência de combates conquistaram. Inglaterra, da França, da Espanha, detraições, guerras nacionais, das Estamos vivendo o filme da covardia do Portugal e toda a Europa, levar esteexperiências que fizeram com as reformismo. Por que: Que condições combate ao triunfo. Só combatendodireções burguesas, sejam “islamitas” tinham para atacar os governos como na Tunísia e no Egito, derrotandoou “panárabes”, quem a cada passo burgueses do Egito, Tunísia, Iêmen, a monarquia inglesa e espanhola, a Ventregaram as lutas nacionais Jordânia, com regimes ditatoriais, república dos assassinos imperialistasantiimperialistas das massas do autocráticos, sustentados nas polícias franceses, a Itália dos Berlusconi e aOriente Médio, e submeteram, junto ao secretas assassinas e nos exércitos de Alemanha do capital financeiroimperialismo, à pior exploração à choque contrarevolucionários? assassino alemão e seus exércitos queclasse operária na região. As massas, por seus padecimentos estão massacrando igual ou pior doEsta é a preocupação do imperialismo, inacreditáveis, superaram toda a que os ianques no Afeganistão, é oque reconhece às forças da revolução estratégia reformista de submetimento caminho pelo qual conseguirão o pão eque enfrenta, e isto Mubarak o sabe rasteiro à burguesia; e localizaram seu recuperarão suas conquistas.muito bem. combate muito próximo do poder. Demolindo e não deixando pedra sobrePor isso, o que mantém hoje vivo o Demonstraram que as condições pedra dessa gruta de bandidos decombate das massas revolucionárias objetivas para a luta pela revolução Maastricht e do parlamento europeu,do Egito é que querem triunfar e dar estão mais do que maduras. Já se que nada tem que lhe invejar aosum primeiro passo para conquistar o estão decompondo. parlamentos fantoches, bonapartistas epão, derrocando a Mubarak tal qual o O surgimento do putsch fascista, novas autocráticos dos regimesfizeram seus irmãos de classe na invasões contrarevolucionárias, o contrarevolucionários do Oriente MédioTunísia com Ben Ali. aprofundamento e estabelecimento de contra os quais se levantam hoje as regimes bonapartistas já o antecipam. massas. A bancarrota do capitalismo é
  • 11. 11 “REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA” PORRA NENHUMA! NO NORTE DA ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO COMEÇOU UMA REVOLUÇÃO OPERÁRIA E SOCIALISTA, QUE ATACA O CORAÇÃO DO CAPITALISMO E O IMPERIALISMO MUNDIAL. É UMA REVOLUÇÃO OPERÁRIA E SOCIALISTA, QUE SÓ PODERÁ TRIUNFAR ESTENDENDO-SE A NÍVEL INTERNACIONAL E TRIUNFA A NÍVEL MUNDIALA burguesia se pergunta que do exército; ou bem, anome põe a revolução que contrarevolução massacrará ascomeçou na Tunísia e no Egito. massas revolucionárias ouManda a seus serventes a falar esta luta será expropriadade que há uma “revolução pelos cantos de sereia dasdemocrática” contra “ditaduras”. “frentes democráticas” doA vida e a realidade nua aos Baradei, a Irmandadeteóricos e papagaios da Muçulmana e todas as outras“revolução democrática”. Na patéticas instituições dasTunísia e no Egito hoje, as classes dominantes, queliberdades democráticas as sustentaram durante décadasestão conquistando as massas ao assassino Mubarak.com seus combates A revolução operária começarevolucionários nas ruas, ver a cara de frente com osenfrentando à polícia o exército exploradores. Milhões entrame as bandas Sharon e Mubarak agentes do imperialismo no ao combate, são, ao dizer dacontrarevolucionárias III Internacional, esses “pobresdefensoras dos interesses de norte da África e Oriente Médio diabos” que nunca são tidostodos os capitalistas. As massas Como chamar a uma revolução que, em conta pelas capas altas daconquistam liberdades democráticas para triunfar, ter pão e trabalho, deve aristocracia e a burocracia operária.pondo em pé a revolução proletária. derrotar aos parasitas de Wall Street, Eles são os que estão socavando,Aqui a mentira tem pernas curtas. Londres e Alemanha, deve expropriar como toupeiras, a cidadela do poder.Esse conglomerado de abate do às cerealíferas, às grandes petroleiras O fantasma da revolução iraniana e dastalinismo, social-democratas, partidos imperialistas, aos banqueiros e aos revolução palestina faz tremer à“anticapitalistas”, renegados do governos e Estados burguesia e a todos seus serventes etrotskismo variados, etc. sabem muito contrarevolucionários que cuidam seus lacaios no movimento de massas. Elesbem que a tarefa democrática não interesses… “democrático burguesa”? querem impedir que a revolução queresolvida no mundo semicolonial é a De repente, enquanto seguem começou termine de madurar e pôr-seindependência do imperialismo. E hoje mandando a seus serventes e lacaios de pé, questão que se consegue emsalta à vista, ante os olhos do conjunto no movimento operário a falar de horas e em dias de revolução.dos explorados, como Mubarak e todos “revoluções democráticas”, os teóricos O reformismo sustenta aos cavalos deos governos burgueses atuam sob as da burguesia falam de revolução Tróia, que hoje estão à frente dasordens abertas e diretas de Obama e “laranja”, “das tulipas”, “dos cravos”. massas do Egito que conspiram juntodas embaixadas de todas as potências Que se voltaram? Jardineiros talvez? com Mubarak contra a revolução.imperialistas. Salta à vista que não há Em momentos de revolução as classes A destruição do exército (comonem liberdade, nem independência possuidoras ficam momentaneamente sucedeu com o Sha Resza Pahlevi),nacional sem a expulsão do como um pintor com o pincel no teto pôr em pé comitês de soldados, tomarimperialismo das nações oprimidas. que lhe tiraram sua escada. Nesse as delegacias da burguesia como oAssuma o governo que assuma no momento duvida e procura fizeram as massas palestinas, está àEgito, não será democrático, senão que rapidamente um ponto de apoio. ordem do dia…. Se o processoserá eleito na embaixada ianque e com Putchs contrarevolucionários, governos revolucionário ainda não chegou a essea aprovação do sionismo, isto é, as de colaboração de classes, tiram degrau, não é por falta de tempo. É porforças contrarevolucionárias do Estado gerentes de Google “dos cárceres de crise de direção, isto é, pelo freio quede Israel; o contrario é que a classe Mubarak” para dar-lhe um perfil de põem os partidos da burguesia que,operária tome o poder conquistando a “revolução democrática da internet”… com a bandeira da “democracia”,liberdade, a independência nacional, o mas a classe operária e as massas atuam como verdadeiros cavalos depão e o trabalho para os famintos. disseram “Basta!” “Queremos pão!” Tróia ao interior das massas em luta…E para expulsar o imperialismo há que “Fora Mubarak!” “Lhes queimamos as e enquanto, a burguesia e seuso expropriar, derrotar a ele e seus delegacias e dissolvemos a polícia!” agentes sem vergonha no movimentosócios menores, as burguesias nativas. “Queremos tomar a crise e a resolução operário seguem procurando-lhe umEles têm seu Estado, sua banda de de nossos problemas em nossas nome à grandiosa revolução que sehomens armados, suas polícias mãos!” desatou.contrarevolucionárias. E quando isto A tendência é a alto-organização das Como diz Trotsky na história dafalha em seu controle e domínio contra massas e seu armamento. A rota para revolução Russa: “Um levantamentoo proletariado, invadem (como no que triunfe a revolução já se abriu com revolucionário que dure vários dias sóIraque e Afeganistão) ou massacram a heroicidade e a semi-insurreição de pode impor e triunfar tal como de(como na Palestina). massas que não deixa de desenvolver- elevar-se progressivamente de degrauAs burguesias nativas associadas ao se, apesar e na contramão de todas as em degrau, registrando todos os diasimperialismo - como sócios de segunda direções e diques de contenção que lhe novos êxitos. Uma trégua nomão - sabem muito bem que se, com o querem impor. desenvolvimento dos êxitos é perigosa.método da insurreição, triunfa a Se o movimento se detém e patina,revolução proletária que começou, No Egito, como ontem na Tunísia, pode ser o fracasso. No entanto ostambém atacará seus interesses e abriu-se um fenomenal esvaziamento êxitos por si bastam; é necessário quepropriedades que estão intimamente do poder. Ou o ocupam as massas a massa se inteire deles em seu devidounidas ao imperialismo. revolucionárias e suas organizações, tempo e aprecie antes que seja tardeA terra está em mãos das grandes derrotando as bandas armadas do sua importância para não deixar passarempresas imperialistas, que têm desde capital, ou vai ocupá-lo a burguesia. Ou de longe o triunfo em momentos emo trigo armazenado até a terra onde se os explorados se organizam e que lhe bastaria estender a mão paraproduz e as grandes correntes de centralizam, com delegados de todas pegar-lhe. Na história se deram casoscomercialização, como assim também as organizações operárias das massas destes”.está em mãos dos grandes bancos a em luta de todo o Egito, com as armasprodução de alimentos que, com seus que já lhe arrebataram à polícia, pondo As condições estão mais do quecerealíferas e bancos, o monopolizam em pé uma milícia operária coordenada maduras para que esta revoluçãoa nível mundial. e centralizada a nível nacional, e com avance vários degraus mais. Mas para estas forças luta por ganhar-se à base que isto não suceda, os agentes da
  • 12. 12burguesia no movimento operário a chave está na divisão do exército. A reeditam velhas charlataneias dogritam e gritam: “A revolução é burguesia isto sabe perfeitamente e, menchevismo e o stalinismo, e quedemocrática!”. Afirmam e envenenam a por isso, saem seus agentes como El- hoje repetem muito alegremente osconsciência dos operários Baradei a dizer que é urgente uma renegados do trotskismo, destruidoresrevolucionários exigindo-lhe as intervenção militar, supostamente para da IV Internacional.massas: “que lhe entreguem o poder evitar um “banho de sangue”. A “Que a classe operária e as massasque têm ao alcance das mãos a um burguesia duvida, mas se as massas exploradas não se façam do poder”.parlamento “super democrático”, ou não rompem com a política pacifista de Estão-lhes dizendo “Que as massasseja uma Assembléia Constituinte, para suas direções e avançam em destruir vão votar um só dia a todas as escolasque o poder fique em mãos da ao exército, será o imperialismo quem do Egito para resolver seusburguesia “democrática”, para que conquistará as condições para derrotar problemas”. Não querem que asassim “madurem as condições para a a revolução. massas terminem de completar suatomada do poder do proletariado”. Esta ofensiva revolucionária, partam à basementira e este engano à classe As massas cada vez compreendem do exército, termine de armar-se aoperária não vai ficar impune, porque mais que sem as armas não há milícia operária com as armas que lheas massas já estão dando conta que nenhuma possibilidade de democracia, arrebatam à polícia e ponham em pé osquem é incapaz de ficar no poder é a nem sequer de desmantelar até o final conselhos operários que se façam doburguesia, seu governo e seus o regime autocrático de Mubarak. Mais poder.partidos. cedo que tarde compreenderão -e O Fórum Social Mundial, os desfeitos esperemos que não seja tarde demais- do stalinismo, os sociais imperialistas eA crise revolucionária se mantém no que não há democracia burguesa, nem renegados do trotskismo variados,Egito. A tarefa urgente das massas sequer Assembléia Constituinte sacaram-se as máscaras. Suarevolucionárias é lutar por dividir o soberana, sem derrotar à casta de consigna é: “a classe operária emexército, por ganhar aos soldados oficiais assassina do exército do Egito, estado de insurreição não pode nemrasos e destruir a casta de oficiais servente do imperialismo. E que não merece tomar-se do poder, e sóassassina das Forças Armadas terá pão, nem liberdade nem trabalho, merece e pode fazê-lo a burguesia”…continuidade do Estado sionista sem as armas e o desarmamento da com todas suas instituições em crises!!!fascista de Israel. É que Egito é um burguesia. Ante isto, só fica para as massas dividirdispositivo militar contrarevolucionário o exército e ganhar os soldados rasoschave do imperialismo. Neste sentido Os renegados do trotskismo chamam a para dar a estocada final ao regimenão é o mesmo que Tunísia. As uma Assembléia Constituinte sem infame colonial de Mubarak, sob omassas, para destruir o Estado, devem destruir à casta de oficiais das Forças comando de Obama.fazer ações mil vezes mais poderosas. Armadas, isto é uma política que Basta de Mentiras! Os que estão emMas tudo se define em avançar para termina por dar-lhe tempo à burguesia crises são os de acima. Os de abaixo jádestruir a oficialidade genocida de para reorganizar sua estratégia para não querem, e já conquistaram asMubarak-Obama. A crise revolucionária derrotar a revolução. O próprio condições para varrer ao regimesustenta-se no tempo porque a imperialismo francês e sua V República burguês e sua banda de homensburguesia duvida, não está segura de imperialista, massacradora dos povos armados, e arrincoar até alançar o exército para achatar as da África, com seu porta-voz Sarkozy, expropriação aos parasitasmassas sem correr o risco que as sai a dizer que no Egito que “se precisa imperialistas.massas terminem por partir ao exército é ganhar tempo para formar instituições Com a heróica insurreição das massase avançar em sua insurreição vitoriosa firmes que garantam a democracia”. do Egito e da Tunísia caem asque termine por demolir o Estado Sabem muito bem que a burguesia máscaras, as falácias e se despem asburguês. É a casta de oficiais internacional no Egito está jogando o traições das direções reformistas, dagenocidas quem sustenta hoje a tudo por tudo e exigem tempo para que aristocracia e burocracia operária,Mubarak no poder. É que justamente a atue a “frente democrática” enquanto penduradas nas saias da burguesia.oficialidade, como pilar do Estado, fortalecem a oficialidade para achatar a Aqui levantaram-se novamente duasgarante o resguardo do conjunto da revolução. Em última instância a barricadas na luta de classes mundial:propriedade imperialista e da burguesia política pacifista dos reformistas e o reformismo e a revolução. Ounativa. renegados do trotskismo é funcional a submeter a heróicas revoluções à este plano burguês. burguesia, que as expropria ou asO imperialismo até o momento sustenta massacra; ou lutar por tomar o poder,unificada a casta de oficiais. Isso é o Da lixeira da história reaparecem pondo em pé partidos revolucionários,que mantém Mubarak no poder e o que teorias e programas já velhos, que sejam a pluma que permita emlhe dá tempo ao conjunto da burguesia derrotados pelo bolchevismo, que momentos decisivos, como estes dee o imperialismo para fazer atuar à esvaziamento do poder, de crise“frente democrática”, para que fenomenal dos de acima, defina adesgaste e adormeça as massas, balança em favor da classepara que depois a casta de oficiais operária, ganhando às massasdas Forças Armadas conquiste as para que o soldado, junto à milíciacondições para um esmagamento operária, faça que o tanquecontrarevolucionário. presente na praça aponte seus canhões ao palácio de Mubarak.Esta situação, de indecisão da É neste combate onde se joga oburguesia por um lado e das destino do pão para os exploradosmassas sem poder romper o que choca de frente com aexército pelo outro, gera maior propriedade dos exploradores. A As massas com suas barricadastensão e prepara choques mais questão central é que classe sejaagudos entre revolução e incendeiam El Cairo dona do poder.contrarevolução. Isto reafirma que AS GALIMATIAS DO REFORMISMODigamo-lo de uma vez. Em 1989, rublos em malas ao Citibank e à banca Isso era uma suposta “revoluçãoquando o stalinismo entregava os de Londres; e o partido assassino dos democrática”, e não o triunfo de umaEstados operários ao capitalismo, os “mandarins vermelhos” da China contrarevolução que massacrou comreformistas falavam de “revolução entregavam ao capitalismo como uma guerras contrarevolucionárias comodemocrática contra a burocracia”, grande maquila gigante aos milhões de nos Balcanes, impondo regimesenquanto esta se levava todos os operários chineses. bonapartistas contrarevolucionários
  • 13. 13como os de Putin – comparado com diferentes instituições e agentes que das tropas de ocupação ianques noele, Mubarak é um exemplo de utiliza a burguesia para manter-se no Iraque e sustentadoras do Estadodemocrata -, com os mandarins poder? sionista contrarevolucionário dechineses massacrando a milhões de Na assim chamada V Internacional está Israel.estudantes e operários em Tiananmen. Hu Jintao, que patrocina junto aos Vamos demonstrar que não só nemAgora, quando se levanta a classe irmãos Castro, as “frentes socialistas revolucionários, senão queoperária e as massas da Tunísia e do democráticas” de esquerda que nem sequer são democratasEgito ameaçam em destruir o Estado e sustentam a Obama e quanta frente de conseqüentes em sua “revoluçãoas bandas de homens armados do colaboração de classes há no planeta. democrática”, e tão só são serventesgrande capital e, em sua dinâmica e Eles administram a maquila na China, do capital. Estes “democratas” nempor seus métodos de luta, propõem a que é um verdadeiro campo de sequer lhe chegam ao calcanhar aexpropriação da burguesia e a tomada concentração de centenas de milhões Robespierre, que garantiu odo poder pela classe operária, também de operários. funcionamento democrático daa chamam “revolução democrática”. Todas essas forças foram rejuntadas Assembléia Nacional na França com o para salvar ao capitalismo em degolamento de todos os príncipes eA burguesia procura uma cor ou um bancarrota, já seja aplicando os piores nobres na guilhotinanome de uma flor para chamar a estas planos bonapartistas erevoluções e enganar assim melhor as contrarevolucionários contra as massas E seguem procurando um nome amassas. Quanto mais os ideólogos da em nome do “socialismo” ou o estas revoluções que começaram. Háburguesia discutem que nome lhe “socialismo de mercado”; ou bem, em que lhes responder como o servente apõem a revolução…mais assustados nome da “revolução democrática”, para Luis XVI na revolução burguesa naestão. Não a controlam. Perderam o expropriar aos operários sua revolução. França, que lhe perguntava “É umadomínio do submetimento das massas. Os sustentadores por esquerda revolta, sire? Não, é a revolução” e aA incerteza é deles. Por isso não há deste engendro da V Internacional cabeça do rei caía pela guilhotina. Enem flor nem fruta que lhe atinja para são os renegados do trotskismo, hoje, quando vivemos a época dedefinir-la. Só o farão quando a que ficam ao nu, porque nem putrefação e agonia mortal doestrangulem. sequer levantam um programa capitalismo, há que lhes dizer a seusTodos os dirigentes do Fórum Social democrático conseqüente até o final. sustentadores o mesmo: “é umaMundial e os porta-vozes e teóricos da Seus partidos “anticapitalistas” que revolução democrática, sire?” “não, é a“revolução democrática” desmascaram- não atacam ao capitalismo, de revolução proletária”, que deveráse como farsantes, pois todos “democratas radicais”, nem sequer mandar à guilhotina a Mubarak,sustentam à burocracia propõem a consigna de: “cada estendendo-se a Europa e aos EUArestauracionista castrista, que aplica homem um fuzil”, como era a deverá mandar à forca e pôr numa picaplanos de fome, demissões, sobre a consigna da revolução democrática as cabeças da monarquia inglesa,classe operária cubana, como o faz burguesa da França dirigida por espanhola e ao maiorMubarak, ou o fazia Ben Alí, ou hoje Robespierre em 1789. contrarevolucionário do planeta: domfaz Evo Morales. Isto significa que os mentores da Obama e todo seu sustentoNão será que o que há são suposta “revolução democrática” contrarevolucionário do Pentágono e ocontrarevoluções ou reações chamam a fazê-la e a que esta triunfe partido dos “Republicratas”, todos sobdemocráticas, que estão só para sem derrotar aos milicos, à polícia o comando do capital financeiroexpropriar a revolução proletária, e secreta e assassina de Mubarak, e à internacional e os parasitasque, como o fascismo ou o casta de oficiais assassina do imperialistas.bonapartismo, não são mais do que exército do Egito, sócia e extensão OS OPERÁRIOS REVOLUCIONÁRIOS DEVEM SEGUIR DIA A DIA AOS ACONTECIMENTOS INTERNACIONAIS DE SUA CLASSE E FORMAR-SE SOB O FOGO MESMO DA REVOLUÇÃO.Neste Organizador Operário salva a si mesmo recrutando direções Isto não deixa viver em paz aosInternacional vamos apresentar as compradas para que parem e traiam a enfermeiros do capitalismo.diferentes cartas com as quais os ofensiva de massas, para que a Um novo reagrupamento de forçastrotskistas internacionalistas dispersem e a desarticulem. Assim revolucionárias internacionalistas, quedebatemos e discutimos quais são as consegue manter-se e, por momentos, estejam por reagrupar as filas dacondições da vitória; quais são as sair de sua crise, fazendo-lhe pagar classe operária, sincronizar seutarefas e a preparação dos todo o preço desta às massas. combate, preparar e organizarrevolucionários que, aprendendo dos É que o capitalismo não se cai nem se revoluções socialistas triunfantes ecombates das massas, conquistem o cairá só. Revoluções como a do Egito e estendê-las a nível internacional seconhecimento da insurreição como da Tunísia demonstram qual é o voltou uma necessidade bem mais doarte; que prepare quadros caminho para derrubá-lo. que peremptória: imediata.internacionalistas que possam dirigir a Dia a dia o reformismo faz um Só sob as bandeiras da IVúnica tarefa nacional de um partido verdadeiro strip tease ante as massas. Internacional e o legado de seurevolucionário, que é a tomada do Iniciou-se um período histórico de congresso de fundação de 1938, epoder, centralizado sob as bandeiras contra-reformismo. Agonizou-se a procurando continuidade revolucionáriade uma organização revolucionária a época de crise, guerras e revoluções. com ele, poderá o movimento marxistanível mundial. reagrupar suas forças eApresentamos então a marchar a refundar a IVcorrespondência ao dia de nossa Internacional.fração internacional, onde damos Cada processo revolucionárioconta das tarefas e o programa nos dá mil e umafrente ao enorme processo oportunidades. Os fundadoresrevolucionário que está em curso. da IV Internacional viam eDesde a FLTI afirmamos que preparavam o movimentoestamos ante um novo momento revolucionário nos anos 40 parahistórico na luta de classes a todo um período de guerras,nível mundial que começou em revoluções e contrarevoluções.2007. Este se iniciou com o Esse período histórico se temderrube e a bancarrota do capital As massas revolucionárias na Tunísia exacerbado. O rastro dafinanceiro. A bancarrota desta desarmam à polícia revolução segue seu curso,empurra às massas a grandes além de que dezenas destasflagelos e sacrifícios; e esta se revoluções foram desviadas,
  • 14. 14cercadas, traídas por responsabilidade Numerosos aportes de todos os o pacifismo da “frente democrática” fazde sua direção. Mas o fazem a um militantes da nossa corrente e seus água. Massas revolucionárias já estãocusto altíssimo. Aqui e lá as massas grupos foram regulando a mira para queimando o quartel geral da polícia nodevem retroceder pela traição de sua conquistar um programa para a Cairo. Aparecem e entram em cena osdireção. Por momentos, o capitalismo revolução socialista, isto é, as verdadeiros heróis desta revolução: osrespira aliviado quando a maré condições da vitória. que puseram seus mortos, os que serevolucionária afrouxa e, por Nossa elaboração para conquistar o tomaram as delegacias, os quemomentos, treme quando novas programa marxista, ante enormes começavam a imolar-se comoinvestidas das massas o põem em eventos e acontecimentos, não ficarão Mohammed Bouazizi da Tunísia, aquestão. guardados em nenhum pendrive, classe operária com suas legiões deEste período histórico se abriu com arquivo ou delicadas escrivaninhas, desempregados ganham as ruas,Obama, o sionismo e sua operação senão que são, e propomos que sejam, tomam-se as petroleiras como em“Chumbo Fundido”, que massacrou a um instrumento de combate para Suez.sangue e fogo às massas palestinas, colaborar em formar revolucionários Um novo empuxo e uma nova ondaenquanto as direções traidoras que pensem com sua própria cabeça, expansiva de operários e exploradoscercavam os processos revolucionários procurando entre todos, epercorrem o Nilo profundo. O faraó, oda América Latina e submetiam à conquistando, um programa para a verdadeiro faraó que é Obama e oclasse operária norte-americana a revolução socialista. imperialismo que submete a Egito vêObama. Editamos assim então uma carta do perigar sua cabeça no cume dasMas a esta ofensiva 2/2, que define com precisão o caráter pirâmides. As de seus sócios e agentescontrarevolucionária lhe respondeu da revolução que começou no Egito, na diretos estão por rodar.com o que poderíamos chamar a Tunísia, do combate pela tomada do Uma nova mareia revolucionária vem“Operação Punho de Aço” que, com poder, as tarefas internacionais da da Tunísia, como o anunciamos nauma corrente de revoluções, tentou revolução e as tarefas internacionais docarta do 8/2. Enfrenta-se já ao governoaqui e lá apresentar batalha, nas piores proletariado mundial. que em semanas tentou expropriar,condições que lhe impôs a crise de Assim mesmo, publicamos uma carta com uma roupagem “democrática”, adireção. do 3/2, escrita no mesmo dia em que revolução dos operários e camponesesO capitalismo em bancarrota sobrevive se produzia o rendimento à “praça da pobres.exacerbando seu parasitismo, graças à libertação” de hordasPassam os dias. As revoluções setardança da revolução proletária. Se contrarevolucionárias, às que os aprofundam. Os verdadeiros atoresesta não chega a tempo, o capitalismo tanques do exército “neutro” davam ocupam seu lugar. Há que dizer-lhe asairá de sua crise com novas guerras e passos para achatar as massas verdade a toda a classe operáriafascismo. insurrectas; e depois cercavam às mundial, e isto tentamos fazer em todaA alternativa é de ferro. Comunismo ou massas para que estas não terminem a correspondência internacional quefascismo. Socialismo ou barbárie. Este de justiçar e achatar essa intentona aqui apresentamos: o que começou éé o apotegma do marxismo semi-fascista contrarevolucionária. uma fenomenal e extraordináriarevolucionário desta época imperialista. Na mesma estabelecemos a relação revolução operária e socialista, queDe um lado, os enfermeiros do entre a política contrarevolucionária e avança o que não pôde avançar ocapitalismo. Do outro, seus as tarefas das direções pequenas levantamento da classe operáriasepultureiros. burguesas e burguesas montadas nas européia contra o ataque dos massas, que tentam desarmar as monopólios e governos imperialistas.Então neste material de elaboração, massas com os cantos de sereia da A luta econômica contra os capitalistasreflexão, apresentamos –e nossos “luta pacífica e democrática”… quando e seu governo elevaram a luta políticaleitores poderão ver atenciosamente- o grande capital e o imperialismo arma pelo poder. O esvaziamento do poder eas primeiras declarações que o 25/1 e aos lumpens, a polícias sem uniforme, a crise revolucionária estão abertos noo 7/2 sobre Tunísia e Egito editadas a agentes pagos do aparelho Egito como o esteve ontem na Tunísia.pelos membros do Secretariado burocrático para massacrar as massas Esta situação não pode durar muitoAfricano da FLTI, que foram tomadas Publicamos uma carta do 4/2 que dá tempo mais. Ou se engana e secomo própria por toda nossa corrente conta de que apesar e na contramão expropria a revolução, como tentou ointernacional. de golpes e putchsimperialismo e a burguesia na Tunísia,Apresentamos também o chamamento contrarevolucionários, apesar de que apoiados na burocracia dos sindicatose o programa com o qual a LOI-CI de as correntes burguesas ee as direções reformistas das massas,Argentina que convocou e foi parte pequenoburguesas se montaram na às quais agora estas se enfrentam; ouativa de mobilizações em solidariedade mobilização, apesar e na contramão bem se preparam contra as massascom a revolução da classe operária da das conspirações a costas das massas revolucionárias do Egito novosTunísia e do Egito. de movimentos como o da Irmandade massacres contrarevolucionários queTambém publicamos o panfleto da LTI Muçulmana, “6 de abril”, igrejas lhe permitam à burguesia retomar oda Bolívia, chamando a unir o combate variadas e cibernéticos enfurecidos, as controle de seu Estado e o poder. Asno terreno internacional da classe massas empurram a mais e mais massas no Egito começam aoperária da Bolívia, Tunísia e Egito setores ao combate. compreender cada vez mais do que ocontra o mesmo inimigo: o imperialismo exército, pretensamente “neutro”, e suae seus governos, já sejam chamados Quando fechamos esta apresentação, casta de oficiais se abria para dar-lhe“nativos” ou “indigenistas” passo às bandasou “progressistas” ou fascistas para tentar“autocráticos e massacrar as massas,contrarevolucionários”, que e as resguardavaaplicam os mesmos planos quando as massas asde fome, demissões e faziam retroceder.miséria, como diferentes O soldado raso piscavaagentes do mesmo patrão o olho ao combatentedo sistema capitalista do proletariado damundial. revolução. Enquanto, oApresentamos as cartas do general e o oficialSCI da FLTI a todos seus sustentavam emilitantes e grupos, dando protegiam às bandasconta dos acontecimentos contrarevolucionáriasao dia da revolução na de Mubarak e Obama.Tunísia, no Egito e a nível Esta é a grande tarefainternacional. Muitas destas pendente. Partir essecartas foram escritas e Os explorados no Egito enfrentam à polícia exército, pôr em pé osdepois precisadas ao calor comitês de soldados assassina de Mubarakdos acontecimentos. para que a revolução
  • 15. 15se ponha de pé, e preparar as também a crise do reformismo e sua aos operários famintos, sofrendocondições da vitória. bancarrota. planos de ajuste iguais ou pior do queInsistimos, este período de O movimento revolucionário os de Mubarak.esvaziamento de poder não será muito internacional tem e terá mil e uma O que soa já, ante a bancarrota dolongo. Se a classe operária não se faz oportunidades. capitalismo, é a necessidade dado poder, a crise revolucionária fechará Toda a esquerda “socialista” dos EUA, revolução socialista.a burguesia, com a “frente servente do Obama, submeteu o Por isso não podemos menos do quedemocrática” isolando e desgastando melhor da classe operária norte- afirmar que desde o 4/1 que morreuas mobilizações das massas, impondo americana e seu combate Mohammed Bouazizi e começou asum governo “de transição”, ou inclusive antiimperialista aos pés do ações das massas tunisianas, e secom ações contrarevolucionárias e com “democrático” Obama contra o propagou ao Oriente Médio, o queprogroms semi-fascistas como no “fascista” Tea Party da ultra-direita estamos vendo são semanas e dias deQuirguistão, com massacres em praças norte-americana, já não pode explicar revolução que estão comovendo aoque ficam isoladas depois de desgastar sua política de sustentar por esquerda mundo.as enormes energias das massas, o democrático Obama. Já ficou claro Como poderão ver nossos leitores,como faz meses atrás na Tailândia ou que este é como ou pior do que Bush, nosso objetivo não é outro que o de,na Tiananmen em 89. já que sustenta aos governos tirando lições revolucionárias, preparar contrarevolucionários autocráticos quadros que, intervindo na revoluçãoUma corrida entre revolução e bonapartistas, assassinos, semi- mesma, possam propor-se já a enormecontrarevolução, entre o crash e fascistas, com os quais o imperialismo tarefa de pôr em pé um novobancarrota do capitalismo, e a resposta controla 90% do planeta, no mundo reagrupamento das forçasde massas, começou. Esta questão do colonial e semicolonial, nações as que revolucionárias internacionalistas dapoder não se define num só país. O saqueiam super explorando a limites classe operária mundial. Já não háprocesso da revolução e extremos à classe operária. tempo que perder. O combatecontrarevolução se definem no Cada vez que o imperialismo avança revolucionário das massas ainda noscombate internacional do proletariado, neste objetivo, pior trata à classe dá tempo.em devolver-lhe a este uma direção operária de seu país imperialista.que se mereça e que esteja à altura do Assim, o imperialismo corta a cada As massas estão iniciando revoluções.combate que está dando. passo a rama em onde está sentado, e A situação é como a que propunhaOs reformistas não vão poder viver em se cuida muito bem de que a rama seja Trotsky em seu trabalho de 1928paz. Os “anticapitalistas” que não sustentado pela aristocracia e a “Stalin, o grande organizador decombatem o capitalismo, cada vez se burocracia operária. derrotas”: “Não se trata de quedemonstram mais como enfermeiros do Os operários norte-americanos se estamos numa época em que se podecapitalismo. Os que falam de perguntarão - e o devem fazer - “Que tomar o poder em todos os lados osocialismo e a revolução nos dias de faz meu governo decidindo sobre outro mesmo dia. Essa não é a situação efesta, na revolução mesma pregam o país?” “Que fazem minhas tropas que seria impossível que assim o fosse.“triunfo da democracia” e a burguesia. ainda seguem massacrando no Iraque Estamos num momento de agoniaçãoAs massas avançam em processos e no Afeganistão?” A chispa deve da época de crise, guerras erevolucionários a pôr em pé aparecer-se já na classe operária dos revoluções, que significa, nem maisorganizações de combate, de alto- países imperialistas. O inimigo está em nem menos, que por momentosorganização e armamento. A classe casa! Os parasitas do capital financeiro pareceria ser que „não acontece nada‟,operária européia, com o mesmo dirigem, com poses e agentes diria o impressionista, mas de repente,padecimento que as massas do Oriente “democráticos” ou ditatoriais, a todos pelas condições internacionais, aqui eMédio e o norte de África, deverão, e o os governos contrarevolucionários que lá se lhe apresenta ao proletariado aestão fazendo já, tirar conclusões de massacram e submetem à classe necessidade de fazer-se do poder.”como avançar na luta por pão e operária mundial.trabalho, enfrentando abertamente aos A “democracia” que expandem as Uma direção preparada para isso é oregimes e estados das potências pandilhas imperialistas no mundo não é que se precisa. Só se formará naimperialistas. É que, para que a classe mais do que governos baseados em revolução.operária européia volte a dar uma luta genocídios, em ocupação, como o do As direções traidoras tentamminimamente séria, a demanda pelo protetorado do Iraque e Afeganistão; ou desorganizar o que as massaspão não pode ser outra que “Fora bem, a nova autocracia chinesa ou de construíram com sua luta e seusPapandreau! Abaixo a V República! Putin na Rússia, na África heróicos combates. Tentam impedir aFora Merkel, a rainha de Inglaterra e ensangüentada e martirizada sob a todo custo que a revolução no Egito eessa gruta de bandidos do parlamento bota de terríveis governos na Tunísia não suba cada dia umeuropeu e os parasitas de Maastricht!” bonapartistas. degrau a mais, jogue a Mubarak e seOs operários argelinos, tunisianos, Os operários bolivianos enfrentam às faça do poder. Essa é sua função.egípcios, da África e Oriente Médio na burguesias “progressistas” e Mas, a sua vez, a função dosEuropa são os que farão acender essa “bolivarianas”, e são a vanguarda revolucionários é garantir que isto nãochispa na classe operária européia. contra a carestia da vida e pelo pão em seja assim. A isso estão voltadas todasA classe operária boliviana ameaça toda a América Latina. Na Bolívia nossas forças.com ser a chispa, como Tunísia, para vimos muito bem este acionar dosvoltar a incendiar a luta antiimperialista agentes do imperialismo para frear a A crise de direção e a superabundânciae contra a fome das massas da revolução. Com o chamado “frente de direções traidoras se interpõemAmérica Latina. Os combates do norte popular” de colaboração de classes de entre o marxismo revolucionário e asda África, mais cedo ou mais tarde, Morales, impôs-se um governo que massas. Mas, como hoje demonstramvão-se a irradiar às martirizadas salvou os interesses do imperialismo e Egito e Tunísia, são as massasmassas do resto do continente, toda a burguesia nativa boliviana, revolucionárias as que, enfrentando aoreprimidas e submetidas por brutais desgastando as forças da revolução reformismo, facilitam-lhe o trabalho aogovernos contrarevolucionários, O agente fascista do imperialismo deu movimento revolucionário para chegaragentes das diferentes potências um golpe contrarevolucionário na a tempo a elas.imperialistas já sejam anglo ianque, Média Lua e, logo depois ambos, osfrancesa, ou alemã. “democratas” e os fascistas, com o Não há tempo que perder. auspicio da OEA imperialista, votaram Revolucionários a seus assuntos!Insistimos, nestas condições o em comum uma Assembléiareformismo já começou a boquear Constituinte, que fechou a crise SCI da FLTIcomo peixe fora da água. Agoniza-se a revolucionária nas alturas deixou 10/2/2011.crise de direção revolucionária, mas submetida Bolívia ao imperialismo igual ou pior do que sob o regime da rosca, e
  • 16. 16Apresentamos a seguir a declaração escrita o 07/02/2011 por nosso Secretariado Africano, que fora adotada por toda a Fração Leninista Trotskista Internacional. As massas egípcias ganham as ruas ao grito de “Fora Mubarak!” Para conseguir pão, trabalho e liberdade as massas empobrecidas devem de tomar o poder em suas próprias mãos!Pão, trabalho e liberdade são as média baixa à revolução. As massas achatando qualquer revolta das têm já posto em pé os “comitês massas simplesmente para comer. Ademandas centrais das massas de todo revolucionários populares”. Estes última fase da crise capitalista mundialmundo as massas da Tunísia e Egito (e comitês são de estruturas de tipo pré- esta baseada nas forças da fome eagora as de Jordânia e Iêmen) estão soviético que precisam ser fortalecidos temporã morte de milhões no mundo acomeçando a mostrar o caminho de e estendidos em toda a linha explicada uma grande escala nunca antes vista.como brigar por isto, principalmente mais acima, os quais devem ser A revolução na Tunísia e no Egito émediante a ação revolucionária das centrados em delegados operários. uma resposta das massas a um maiormassas contra os brutais regimes anti Cada esforço deve ser feito para brigar desespero e fome causada pelos altosoperários que são títeres do pela dominação da classe média. Isto preços dos alimentos e o altoimperialismo. O ataque fascista com pode ser feito com a adoção de um desemprego crônico causado peloparasitas armados do estado o 2 de programa revolucionário. imperialismo-capitalista mundial.Fevereiro do 2011 mostrou que asmassas precisam ter auto defesa Comida: grandes monopólios como a A produção de comida local foiarmada e precisa romper seu Cargill, Du Pont, Monsanto e os bancos colapsada ou feita dependente sobrepacifismo. O pacifismo foi norte-americanos, ingleses, alemães, as importações das empresas decuidadosamente proposto de diferentes franceses e japoneses compraram comidas imperialistas. No Egito háângulos pelo imperialismo. Pôr em pé milhões de toneladas de mercadorias cerca de 6000 granjas capitalistasmilícia operária armada como extensão do mundo: trigo, soja, milho e outros (muitas relacionadas à ditadura dedos comitês populares de base é uma produtos básicos. Assim, eles mantêm Mubarak e as empresas imperialistas)tarefa imediata. Isto requer um o açambarcado para criar um ajuste que produzem grande parte da comidachamado direto imediato à base dos (desabastecimento) artificial para local, enquanto 3 milhões de pequenassoldados para romper com a casta de incrementar os preços. Eles estão granjas (felayin) produzem para suaoficiais do regime de Mubarak-Obama, deliberadamente esfomeando não só própria subsistência e estão forçados ae para eles ir-se do lado da revolução. às massas do Norte da África e do procurar trabalho nas áreas urbanas Oriente Médio mas também as massas para sobreviver. As empresas norte-Ainda mais, a tarefa imediata da do mundo. Ao mesmo tempo, os americanas são as principaisrevolução é pôr em pé soviet, isto é, governos ianques, alemães e franceses provedoras para Egito em produtos decomitês de luta com delegados lhe pagam a muito dos granjeiros locais trigo, milho e soja a um preço muitooperários principalmente (mas não por NÃO produzir - este é outro inflado (elevado N de T).limitado a isso) das fábricas têxteis, gás mecanismo para que artificialmentee petróleo, hidrocarbonetos, metal e exista desabastecimento. Há suficiente Trabalho: Outro mecanismo que osarmamento, das grandes granjas comida para alimentar ao mundo grandes bancos norte-americanos ecapitalistas, incluindo delegados dos muitas vezes mais em todas partes os outros usam para incrementar seussoldados de base, delegados dos grandes bancos dos Estados Unidos, lucros é reduzindo o número dedesempregados, estudantes e setores França, Alemanha mantêm às massas operários. Faz 2 anos cerca de 100arruinados da classe média baixa e os com fome. O custo real do barril de milhões de operários do mundo foramcamponeses pobres (nas áreas rurais). petróleo está cerca dos 4 dólares por demitidos. Os operários que ficamTrabalhadores de cada lugar de barril mas, os mesmos grandes bancos estão obrigados a trabalhar como semitrabalho em luta deve enviar delegados do mundo controlam o petróleo do escravos, tendo seus salários ea estes soviets. A milícia operária, mundo e fazem super lucros com o pensões recortados. Milhões decomitês operários de auto defesa, preço mundial de petróleo inflado. BP, operários imigrantes na Europa edevem de ser parte desses soviets Exxon,Total, Shell, Texaco tiram o nível Estados Unidos foram demitidos econtra o brutal regime assassino. É mais alto de lucros do que eles nunca enviados a casa para morrer-se deque o regime de Mubarak (com as fizeram em sua história. fome. Já faz tempo que puseram eminstruções do imperialismo - eles usam pé prisões especiais para prender ea mesma tática que na Tunísia -) foi Os regimes capitalistas do mundo torturar operários imigrantes e jogarresponsável de enviar vermes a atacar atuam em nome dos grandes fora a quem sobra. Há pelo menoso museu Antigo e atacar as casas de monopólios que mantêm às massas 10% de desemprego (provavelmentealguns da classe média. Isto foi uma com fome, sem levantar um só dedo mais do que 20%) nos Estados Unidos,tentativa de sacar o apoio da classe contra os altos preços da comida e Inglaterra, França e Alemanha. Em
  • 17. 17nenhuma parte do mundo capitalista ditador, portanto a ditadura sem milhão de pessoas mortas peloeles puderam resolver a questão do Mubarak (fazendo só concessões imperialismo francês na Argélia emdesemprego. Cada ano, mais e mais superficiais para enganar às massas). 1956 quando as massas se estavamsão deixados como desempregados As reservas de gás foram entregadas levantando contra o controlepermanentes. Em todas partes, a por preços muito baixos pelas imperialista.percentagem de desempregados entre companhias imperialistas como Apacheos jovens operários e a classe média Oil, da qual Egito exporta gás aos O imperialismo ianque lhe dá uns 1.3baixa aumenta duplicando (se não é Estados Unidos, a União Européia e a bilhões de dólares à ditadura, portantoque triplica) a média da taxa de Israel. Enquanto o gás e a eletricidade sustentou esse governo brutal pordesemprego. A juventude não tem barata são exportadas, o imperialismo muitos anos. Realmente pode o regimefuturo sob o capitalismo. A imolação ianque quer importar gás (a um preço de Obama ser tomado seriamentedo tunisiano Mohamed Bouazizi, alto) para fazer turbinas de gás para a como que eles querem “democracia”desempregado graduado de 27 anos, é eletricidade no Egito. A sexta-feira 28 para as massas egípcias onde a brutalo grito da juventude mundial. de janeiro do 2011, logo depois da tortura e assassinato de ativistas era terça-feira 25 de janeiro as revoltas algo que eles apoiaram por váriosO imperialismo norte-americano tem generalizadas começaram, o exército anos?um acordo com o regime egípcio das foi imediatamente mandado a proteger“zonas industriais qualificadas” Apache Oil e o canal de Suez. A casta Uma assembléia Constituinte?(maquilas onde os operários são super de oficiais está claramente sob oexplorados e são brutalmente controle direto do imperialismo. Apesar Com o imperialismo ianque (e outrosreprimidos) que são livres de impostos disto Al Jazeera, El Baradei, a imperialismos), a ditadura militar e asobre a condição que um mínimo de Irmandade Muçulmana e algumas das classe capitalista egípcia tendo tais10,5% dos rendimentos de todos os forças de “esquerda” ainda mostram ao interesses em manter a mesma relaçãobens que produzem vem de Israel. Isto exército como um bloco uniforme que de exploração, podem eles realmentemostra que a classe capitalista e a apóia às massas. dirigir o caminho para terminara com aclasse média alta egípcia não estão ditadura por democracia?atadas ao regime de Mubarak mas são Um dos bancos maiores é o bancocompletamente dependentes do Americano Egípcio (o qual é mais É Suleiman, que era parte dasimperialismo ianque. O regime de americano do que egípcio em termos conversas com a Autoridade PalestinaMubarak e a classe capitalista egípcia do real controle). O banco Deutsche, que não lhe dava o direito ao regressovive como parasito do semi-escravismo Credit Lyonnaise, Paribas, Chase de 6-7 milhões de palestinos,das massas egípcias e palestinas. Os Manhattan todos operam no Egito, realmente ser confiável para dirigir ocapitalistas egípcios lhe dão cimento ao tendo controle sobre a economia processo pela “democracia”? Suleimanregime israelense para os muros e os egípcia. Estes bancos imperialistas é um açougueiro, recrutado pela CIA;postos de controle que mantêm aos todos fizeram super lucros nestes anos é quem supervisa a tortura de rendiçãopalestinos em campos de em base à classe operária egípcia. dos prisioneiros da CIA, inclusiveconcentração. Estes bancos, a companhia Apache Oil sendo parte pessoalmente na tortura e outras companhias capitalistas todas de inocentes. Supervisou a tortura deNão é um acidente que Egito se dependem de sua alta taxa de prisioneiros que foram forçados amanteve como produtor têxtil, exploração e grande extração de lucros confessar que Saddam tinha armasexportador de gás, eletricidade e um mediante a ditadura militar. A classe químicas. O imperialismo norte-destino turístico. Toda a África, todas média alta se desenvolveu como um americano usou estas “confissões”as colônias e semi colônias em todo resultado da brutal exploração e são a como prova para justificar a invasão aomundo foram mantidas como agência principal mediante a qual o Iraque em 2003. As mãos de Suleimanexportadores de colheita, matéria prima imperialismo ianque continua com estão manchadas com sangue de maissem processar e destinos turísticas controle sobre a economia egípcia. A de um milhão de iraquianos. Compara os centros imperialistas. O classe média alta e capitalista egípcias razão Hillary Clinton diz que ele é quemdesemprego em massa crônico é uma estão assim atados ao regime realmente está a cargo do Egito.característica estrutural do capitalismo ditatorial. Para permitir liberdades Suleiman foi atribuído à tarefa (porem todas as semi-colônias e colônias democráticas como a liberdade a parte do imperialismo norte-americano)em todo o mundo. Por desenho (plano organizar sindicatos, liberdade a reunir- de afogar a revolução egípcia emcapitalista, NdT) os trabalhos menos se em suas próprias organizações sangue. É em quem confia oqualificados estão concentrados nas políticas, liberdade de expressão, imperialismo norte-americano parasemi-colônias como um meio de democracia direta com o direito a assegurar uma transição pacífica.controle social e econômico do revogar ao instante, imediatamenteimperialismo. desafiaria as mesmas bases da São El Baradei e a Irmandade exploração capitalista no Egito e Muçulmana, que vivem das migalhasLiberdade: a ditadura de Mubarak foi o desafiaria o controle do imperialismo. que caem da mesa dos capitalistas,líder da OAU (Organização da Unidade realmente confiáveis para dirigir esteAfricana) e da AU (União Africana) o Quando um governo da frente popular processo para terminar com aque mostra que essas organizações ganhou as eleições no Chile em 1972, ditadura? A Irmandade Muçulmana seestão aí para assegurar ao eles se recusaram inclusive a mudar a uniu às “negociações” com o regimeimperialismo o controle sobre as direção da força armada, chamando ao açougueiro, inclusive chamaram aomassas da África. A supressão brutal “democrático” General Pinochet. assassino e massacrador Suleimandos trabalhadores independentes auto Quando os operários começaram a para que “dirija” este processo. Osorganizados é um selo do controle tomar-se as minas de cobre, Pepsi e dirigentes da Irmandade Muçulmana eimperialista na África. As ditaduras Chase Manhattan se juntaram para todos os que estão legitimando asmilitares e as republicas bonapartistas planejar derrubar ao governo. Em 1973 conversas com Suleiman e o regime desão freqüentemente sustentadas eles lançaram um golpe militar com Mubarak se passaram ao campo dadiretamente e indiretamente pelos Pinochet à cabeça, apoiado pelo contrarevolução. Estão mostrando quepartidos comunistas stalinistas ou imperialismo ianque o tempo todo. lhe darão as costas à revolução efragmentos destes. Os PCs da Tunísia Milhares de ativistas e dirigentes ajudarão a afogá-la em sangue. Sãoe do Egito e seus fragmentos têm operários foram cercados e matados. confiáveis algum dos partidos da classeabertamente colaborado com as Há muitos exemplos em todo mundo do média e as classes capitalistas queditaduras militares contra as massas, imperialismo ianque sustentando as estão no parlamento egípcio paraespecialmente através de sua direção ditaduras anti operárias mais brutais - terminar com a ditadura? Se aburocrática dos sindicatos. Israel, China e Arábia Saudita são só 3 contrarevolução ganha terreno então exemplos disto. Vejam como o podemos esperar que Al Jazeera eAs empresas imperialistas florescem imperialismo ianque defende seus outros médios capitalistas sigam semsob o brutal papel de Mubarak e seus “direitos” pára extrai lucros. Outros dizer nada dos campos depredecessores e têm muitos interesses imperialismos não são menos assassinatos, como mantiveram umque manter, senão é ao mesmo sangrentos. Todos recordaram o longo silêncio sobre os 6 milhões
  • 18. 18assassinados na RDC (Republica os manifestantes para achatar as obviamente vendo suas armas e elesDemocrática do Congo) enquanto o aspirações democráticas das massas. não fizeram nenhuma tentativa deimperialismo norte-americano e outros Há alguma dúvida que o presidente advertir às massas desarmadas nasaqueiam às massas e seus recursos. israelense Peres e Wisner o ex enviado Praça Tahrir sobre isto. ianque, agora baseado no Egito, esteO parlamento mais democrático chamando para que Mubarak fique! Os fatos em Alexandria, Suez ecapitalista deve de ser baseado em Que pode ser mais democrático que Mahalla onde as massas eram bemrepresentantes direto das massas, milhões querendo jogar fora ao ditador mais militantes, foram minimizados. Alivremente eleger seus próprios e imediatamente eleger uma nova classe operária em Mahalla tem umadelegados, sem nenhuma condição de direção? O imperialismo não pode história de brigar militantemente, deproteger aqueles que ganharam permitir democracia. Eles querem tomar as companhias têxteis e pô-lasprivilégios sob a ditadura como os manter a ditadura militar sobre as sob controle operário. Essa direção dacapitalistas e imperialistas. Pode massas. classe operária de tomar os meios deObama, Suleiman, Shafiq, El Baradei, a produção está sem dúvida emergindoIrmandade Muçulmana, ou qualquer O reacionário papel de mas, Al Jazeera prefere promover asgeneral ou qualquer burocracia ou Al Jazeera análises burguesas e suprimir a visãopartidos capitalistas realmente permitir dos operários. Isso é censura daque as massas votem dessa forma revolução e ajuda a desarmarpara que possa sacar-lhe seus Al Jazeera foi formado pelos ex chefes politicamente às massas.privilégios? da BBC. Eles o formaram quando a Obama chama à liberdade dos BBC e os meios mundiais se moviam jornalistas de Al Jazeera como se oO imperialismo já deu sua resposta: o agudamente para a direita, começando não sabe o papel valioso que joga emdia 2 de fevereiro de 2011 eles a ser mais conservadores. Assim, é promover a visão capitalista. Osjuntaram aos vermes e gangster de verdade que os tele espectadores têm contínuos ataques sobre Al Jazeeratodo o país (muitos tinham sido uma visão mais ampla dos eventos em mostra que quando o imperialismo osliberados da prisão) e os Al Jazeera do que em outro meios deseja, eles atuarão contra aquelesimpulsionaram para atacar as massas principais como a CNN e Skynews. mesmos que são parcialmentedesarmadas na Praça Tahrir. Os Esta visão mais ampla permite (ver, democráticos.generais do exército junto com El NdT) um pouco mais dos eventos nas bases de onde emergem e assim estaBaradei, o movimento 6 de Abril e junto grande expressão democrática deve de A necessidade de um partidocom a Irmandade Muçulmana e as revolucionário daONG financiadas pelo imperialismo e ser defendida dos ataques do mundoos movimentos sociais se uniram para imperialista. Isto não significa que Al classe operáriadesarmar a milhares de manifestantes. Jazeera não é capitalista e que nãoOs generais do exército instruíram aos esta unida a uma auto censura. Eles O Fórum Social Mundial e seussoldados a desarmar as massas mas, são capitalistas, eles seletivamente movimentos sociais durante muitosquando os vermes atacaram eles informam sobre as questões e eles se anos impulsionaram o veneno “anti-instruíram aos soldados a não fazer restringem a eles mesmos, só que partido”. Em outras palavras, eles senada. Em outras palavras, os de acima menos do que os outros médios montam sobre o ódio legítimo dasdo exercito atuaram por aqueles com monopólios principais. Mediante a massas para todos os partidosos mesmos interesse para tratar de revolução tunisiana e egípcia (e outros capitalistas e sacam a conclusão dedispersar às massas. Os generais eventos) eles promoveram o regime que a classe operária não precisa umestão com Mubarak, o imperialismo ianque de alguma forma como partido. Esta visão também estáianque, com os capitalistas egípcios. A defensores da democracia. Durante os influenciando às massas no Egito parabase do exército precisa optar. Em ataque por parte da polícia, dirigidos não formar um partido revolucionáriomuitos casos a base do exército já pelos vermes na Praça Tahrir o 2 de da classe operária. Mas quais são asoptou quando faz uns dias atrás eles Fevereiro, os atacantes foram bases de um partido revolucionário dadispararam à odiada polícia. Mas o apresentados por Al Jazeera e outros classe operária? Seguramente éimperialismo ianque e os generais médios capitalistas como os que necessário que os ativistas da classetrabalham dia e noite para assegurar o “apoiavam a Mubarak” e a briga foi operária e quem os apóiam coordenemapoio da base do exército. Não é por apresentada como sendo entre os que suas atividades a nível regional eacaso que 1.3 bilhões de dólares de apóiam ao governo e os que estão nacional, tirando as lições dosapoio do imperialismo ianque cada ano contra. Durante as brigas de Al combates de todo o país, sabendo queé dado aos militares Jazeera deliberadamente encheram o estado assassino, suas forças de divisão entre as massas promovendo inteligência, o imperialismo norte-O uso de resíduos da sociedade um mito que a gente agora “não sabia americano, os capitalistas egípcios(marca deshumaniçada que venderiam em quem confiar”. A participação das estão todos alinhados contra eles.a sua mãe por 1 dólar) é uma massas em subseqüentes Seguramente é necessário tirar ascaracterística comum no mundo demonstrações foi uma completa lições de como o imperialismo achatouimperialista quando seus governos refutação do mito que Al Jazeera outras revoluções; tirar as lições de aliestão sendo aterrorizados pela promovia. Seus jornalistas/repórteres onde as revoluções puderam triunfar,revolução da classe operária. O marcharam com os vermes, apesar de ser por tempo limitado, doimperialismo usou papel dirigente da classemétodos fascistas na operária organizadaEspanha 1936, na independentemente emFrança, na Grécia, na sua própria alto-Bolívia em 2008, na organização, de como oÁfrica do Sul entre imperialismo está1985-1994, na Cuba tratando de estrangularantes de 1959, na as revoluções tunisiana,Argentina, no Brasil e jordaniana e Iemenita.em toda Sul América Sem dúvida há quenos 70, nas Filipinas, na desenvolver umIndonésia, etc. etc. programa de demandasO uso desses vermes sobre as quais asnão é único do Egito - é massas se possam uniruma ferramenta comum não só contra o regimeque financia usos senão também contra ocapitalistas contra as sistema que sustenta amassas. O imperialismo Os oficiais assassinos defendem o prédio ditadura contra asianque ordenou o uso do canal de televisão de Mubarak massas egípcias.desses vermes contra Seguramente se
  • 19. 19reconhecerá que os problemas das revolucionários, não somente nas semi- trabalho e da produção. Asmassas egípcias são similares aos das colônias, como Egito, mas também no exportações de algodão ainda erammassas de todo o mundo. Uma rede coração das terras imperialistas como vendidas aos capitalistas britânicos porbem entrelaçada de lutadores e Grécia, Reino Unido, França, nada, enquanto o canal de Suez seativistas a nível nacional e Alemanha, Espanha, Portugal, Itália, mantinha aberto para todos osinternacional, que realmente queira EUA e Japão. Estas demandas carregamentos do imperialismo.prover de uma direção e aprender também lhe dariam direção às massastodos os dias das massas, nada mais é de todo mundo, não somente na A classe operária egípcia, tomandodo que um partido revolucionário da região, que para poder ter pão, trabalho controle de seus meios de produção,classe operária. A posta em pé de um e liberdade, a classe operária precisa das granjas capitalistas, do gás, dapartido revolucionário internacionalista tomar o poder por meios eletricidade, dos bancos e outras firmasda classe operária é uma pré-condição revolucionários. capitalistas, dá um importante passopara o triunfo da revolução egípcia. adiante. Mas a melhor tecnologia, o Há que expandir os comitês populares desenvolvimento mais avançado, tudoO imperialismo norte-americano, os para incluir aos delegados operários de isso reside nos centros imperialistas.movimentos sociais, Mubarak, o todas as fábricas. Os soldados de base Que a classe operária tome o poder nomovimento 6 de abril, El Baradei, a devem romper imediatamente com Egito seria um magnífico passoIrmandade Muçulmana exploram a seus generais e a casta de oficiais adiante, mas para atingir o socialismoausência de um partido revolucionário assassina, eleger a seus próprios se requer a revolução operária nosda classe operária e trabalharam para delegados e mandá-los aos comitês centros imperialistas, como EUA, Reinodesarmar as marchas. Portanto, ainda populares ampliados. Os Unido, França, Alemanha e Japão. É,que milhões saíram às ruas, a desempregados, os estudantes, os por esta razão, que a revoluçãopossibilidade de que a classe operária camponeses pobres (fellayin) devem tunisiana e egípcia não são revoluçõese as massas empobrecidas tomem o eleger seus delegados desde seus “árabes” senão parte da luta mundialpoder se excluiu desde o começo. As próprios conselhos. Os trabalhadores contra o capitalismo-imperialismo.massas combativas foram reduzidas a rurais devem eleger seus própriosmendigas, rogando-lhe ao imperialismo conselhos. Todos os setores em luta Por que deve brigar onorte-americano que “por favor” tire a devem enviar delegados a um conselho programa do governoMubarak. Tal é o resultado traidor da regional e nacional, que ponha em pépassividade forçada das massas. um governo provisório revolucionário, provisório revolucionário em oposição ao denominado governo baseado nos comitêsO imperialismo tirou a lição da de “unidade” dos fantoches populares revolucionáriosTailândia, onde por vários meses, as imperialistas. ampliados?massas tomaram o centro de Bangkok.O imperialismo simplesmente esperou 1. O primeiro é chamar a derrocar aa que as massas se cansem antes do Socialismo internacional todo o regime de Mubarak, com aque avance com a ofensiva para baseado no controle operário, casta de oficiais e toda adispersar aos manifestantes numasangrenta batalha. não no socialismo nacional do burocracia que sustentou os ataques brutais contras as massas, tipo “nasserista” a conta do imperialismo, durantePão, trabalho e liberdade são todos estes anos. É importante ir O stalinismo impulsionou o socialismo as demandas centrais nacional de um tipo especial para além de somente “abaixo do momento Mubarak”. Abaixo todo governo justificar que a classe média local tome interino do Baradei, os Irmãos o poder político, enquanto atuava como Muçulmanos e os fragmentos doO partido revolucionário da classe lacaia do imperialismo. Nasser foioperária deve estar centrado no regime de Mubarak! Este “governo simplesmente um capitalista africano, interino” é simplesmente outra caraseguinte programa: A proposta das como Mugabe de Zimbábue quedemandas de pão, trabalho e liberdade para perpetuar o domínio do desfilam como “socialistas africanos”. imperialismo norte-americano.são imediatamente locais e Levaram-se a cabo a nacionalizaçãointernacionais. Dar-lhe direção às 2. Precisamos levantar as demandas das têxteis, de Suez e de outras da Tunísia (e em realidade de todamassas egípcias, expondo que todas indústrias, mas estas indústrias foramas forças capitalistas e das classes a classe operária mundial) de pão colocadas ao serviço do imperialismo trabalho e liberdade.médias são incapazes de atingir estas mundial. Em todas essase sentar as bases para que a classe Nacionalização da terra. Isto “nacionalizações” os operários não significa que os operários devemoperária tome o poder com meios tinham controle de seus postos de 2008. Os explorados palestinos da Gaza derribam o muro de Rafah
  • 20. 20 tomar as granjas capitalistas, pô- 3. Expulsão de todas as bases em outras partes. las sob controle dos operários militares norte-americanas do 13. Pelo imediato direito à volta de agrícolas, tomar toda a produção e Egito. Os comitês populares todos os palestinos e por que todos distribuição de alimentos revolucionários devem tomá-las. os muros e postos de controle que capitalista, pondo-as também sob 4. Por acabar com todos os centros mantêm às massas palestinas em controle operário, sem pagamento de tortura da CIA no Egito (e em campos de concentração sejam aos capitalistas Esta é a forma de todos os lados) e todos os centros derrubados. alimentar às massas de inteligência imperialistas 14. Pelo derrocamento imediato de imediatamente. Pôr em pé granjas 5. Dissolução total da burocracia do todos os regimes repressores da coletivas operárias modelo; regime de Mubarak, incluindo os região. créditos baratos e toda a juízes. 15. Chamamento aos operários do assistência para equipamento de 6. Por tribunais das massas mundo a levar a luta contra o cultivo devem dar-se aos revolucionárias para julgar aos capitalismo-imperialismo mundial, camponeses mais pobres. A açougueiros Mubarak, Suleiman e para importar a revolução egípcia e redistribuição da terra deve ser a casta de oficiais atada ao tunisiana a seu próprio solo; isto é, conjuntamente determinada por imperialismo. por que a luta revolucionária da comitês de operários agrícolas e 7. Pelo fim do estado de emergência; classe operária tome o poder a comitês que representem aos pela liberdade para a classe nível mundial. Que a classe camponeses mais pobres. A classe operária a organizar-se e liberdade operária dos EUA rompa com capitalista engordou sobre os de associação; pela imediata Obama, bloqueie todas as ossos das massas, estando toda libertação de todos os presos provisões militares e relacionadas a ela estreitamente unida à ditadura políticos e econômicos. Egito e Israel. de Mubarak. As empresas 8. Por direito a revocatória imediata a 16. Por uma conferência imediata de imperialistas e os bancos que qualquer representante; pela todas as organizações operárias operam no Egito durante muito eleição direta de representantes revolucionárias e os trotskistas tempo sustentaram à ditadura de todos os representantes não internacionalistas no Egito para pôr Mubarak. Tiveram às massas sob devem ganhar mais do que o em pé uma internacional desemprego e fome na terra da salário médio de um trabalhador revolucionária, que para nós abundância. Para conquistar o qualificado. significa refundar a Quarta trabalho, devem-se expropriar sem 9. Derrubar o muro de Rafah. O fim Internacional. pagamento a todos os capitalistas do bloqueio a Gaza é uma tarefa e os bens do imperialismo, democrática imediata. Em Por uma federação socialista do norte incluindo aos bancos, e pô-los sob 2008/2009 as massas de Egito da África e Oriente Médio. Abaixo controle operário. Não deve ter ajudaram a derrubar o muro de Maastricht! Adiante para uma propriedade privada dos meios de Rafah. Agora, as massas federação socialista de estados produção, isto é, as grandes palestinas podem unir suas mãos extensões de terra, as grandes com seus irmãos egípcios para operários na Europa! Por uma indústrias têxteis, as empresas desfazer-se do regime de Mubarak federação socialista de estados produtoras de armas, os bancos, a inteiro. operários nas Américas! Adiante para hidroelétricas, as empresas de gás 10. Os pobres nômades devem ter uma Federação de estados operários e petróleo, as grandes satisfeitas suas demandas de socialistas da África! Adiante para uma distribuidoras de alimentos, todas trabalho, terra e serviços. federação socialista de estados as grandes empresas devem ser 11. Eliminar as dívidas das massas operários da Ásia e Austrália! postas sob controle operário. Isto com os bancos capitalistas. sentaria as bases para uma 12. Imediata devolução de todos os WIVL da África do Sul redução imediata da jornada tesouros do país que foram Integrante da FLTI trabalhista, repartindo o trabalho roubados e que hoje estão nas 07-02-2011 entre todos os que podem coleções do palácio de trabalhar, sem perda de salário. Só Buckingham, nos EUA, França e um governo revolucionário provisório baseado na extensão dos “comitês populares”, que estejam centrados nos delegados operários e dos soldados de base, com delegados dos trabalhadores rurais e os camponeses pobres, os desempregados, estudantes em luta, pode cumprir com as aspirações das massas por pão, trabalho e liberdade. Unicamente um governo revolucionário provisório baseado na extensão dos comitês populares é quem pode chamar (se as massas o desejam) uma Assembléia Constituinte que não esteja atada por nenhum laço ao imperialismo. O imperialismo norte-americano, seu “governo interino” e seus generais só podem lembrar uma casca vazia, uma assembléia estreitamente atada ao imperialismo e aos interesses capitalistas. Pode o governo de “unidade” romper com o velho regime e com os interesses capitalistas e do imperialismo norte-americano? Isto é como pedir-lhe a um lobo que deixe de ser lobo. Ao final do dia, o punhado de lobos tem uma só meta em mente: comer-se à ovelha Reprodução da capa do Organizador Operário Africano de janeiro de 2011 “A REVOLUÇÃO EGÍPCIA MOSTRA COMO BRIGAR CONTRA A CARESTIA DA VIDA E A DESOCUPAÇÃO”
  • 21. 21Apresentamos o panfleto publicado pela Liga Trotskista Internacionalista da Bolívia, integrante da FLTI, ante osacontecimentos na Tunísia e o norte da África. Este foi trabalhado por milhares nas mobilizações dos operários fabris emineiros que vêm de derrotar o “gasolinaço” do governo bolivariano e antioperário de Evo Morales. O combate das massasbolivianas é o mesmo combate que o dos explorados do norte da África, porque enfrenta ao mesmo punhado de parasitas emonopólios que está açambarcam o alimento do mundo para impor inflação e fome à classe operária e os explorados. Háque lutar como na Bolívia, Tunísia e Egito contra o ataque dos capitalistas! Por uma contra-ofensiva unificada da classeoperária mundial para que a crise a paguem os capitalistas com a revolução socialista! VIVA A REVOLUÇÃO NA TUNÍSIA QUE COMEÇOU!! Vivam as mobilizações e ações de luta e solidariedade em Líbia, Egito, Jordânia, Iêmen, Gaza: Viva a unidade internacional do proletariado!! NA BOLÍVIA E TUNÍSIA: UMA SÓ CLASSE, UM MESMO INIMIGO, UMA SÓ REVOLUÇÃO CONTRA OS MONOPÓLIOS IMPERIALISTAS! Na Tunísia como na Bolívia a classe operária e as massas oprimidas vivem sobre enormes riquezas saqueadas pelas transnacionais imperialistas como a Total, a British Petroleum, as multinacionais alimentícias como Cargill e Dreyfus, submetendo às massas exploradas à pior das misérias, com desemprego, inflação de até um 200% -produzido pelos parasitas imperialistas- e salários miseráveis; enquanto, Morales, Chávez e todas as burguesias nativas sócias menores do imperialismo lhes garantem o saque de nossas nações!! A revolução tunisiana e a da classe operária na Bolívia que volta a pôr-se de pé, marcam-lhe um caminho ao proletariado mundial: para derrotar aos capitalistas e seus ataques, para conquistar o pão, trabalho, a saúde e aposentadoria dignas e para acabar com a carestia da vida e obter a terra para os camponeses pobres: Há que expropriar às multinacionais imperialistas!! Há que romper com os governos das burguesias nativas sócias do imperialismo! Os neoliberais e a burguesia bolivariana do Fórum Social Mundial são todos serventes do imperialismo e inimigos da classe operária! Há que expulsar ás direções traidoras de nossas organizações de luta! Para derrotar o plano do imperialismo: Há que combater como a classe operária boliviana que para derrotar o “gasolinaço” pôs nas ruas o grito de: «Evo e Goni, a mesma porcaria! Fora as direções traidoras das organizações operárias!» E como a classe operária na Tunísia que, ao grito de « Fora o governo de Ben Ali!», E «Não nos iremos de aqui até que caia o governo», dava início à revolução tunisiana. DE PÉ JUNTO ÁS MASSAS REVOLUCIONÁRIAS DA BOLÍVIA E DA TUNÍSIA! Há que preparar uma verdadeira contra-ofensiva de massas! Para que a crise a paguem os que a geraram, os parasitas capitalistas! São eles ou nós! Novamente, na Bolívia como na Tunísia se define reforma ou revolução: de um lado os reformistas serventes das burguesias nacionais e sustentando às burocracias sindicais nas organizações operárias; e do outro, os trotskistas internacionalistas junto às heróicas massas que antes na França, Grécia, Guadalupe, Martinica, Madagáscar, Quirguistão; e hoje na Tunísia e Bolívia respondem ao ataque do imperialismo com a revolução demonstrando com sua espontaneidade ser mil vezes superior à política das direções que têm a sua frente. Para levar o combate da classe operária ao triunfo faz falta um partido mundial para a revolução As massas da Bolívia enfrentam e derrotam o socialista que não é outro que a IV Internacional refundada sob o programa de 1938. gasolinaço de Evo Morales
  • 22. 22 29-01-2011. Chamamento de emergência a todas as organizações de luta da classe operária e dos estudantes combativos, e todas as organizações que falam em nome da classe operária: A luta da classe operária e os explorados no Magreb e Oriente Médio é nossa luta! MARCHEMOS À EMBAIXADA DO EGITO E DO ESTADO SIONISTA-FASCISTA DE ISRAEL!As massas do Egito, como unir sua luta com asontem na Tunísia, martirizadas massaslevantaram-se num enorme palestinas da Gaza. Pelacombate revolucionário pelo destruição do estadopão e pelo trabalho contra a sionista-fascista de Israel!ditadura pró-imperialista de Para que a Tunísia, Egito, oMubarak. Assim ao grito de norte da África e todo“Viva Tunísia!” e “Fora Oriente Médio sejam aMubarak!” a classe operária tumba do imperialismoe os explorados egípcios ianque, europeu, japonês eentram em manobras 04/02/2011. Mobilização à embaixada de Israel das burguesias sipaias:revolucionárias na Argentina em apoio à revolução egípcia Viva a revolução operária edemonstrando que para socialista!conseguir até a mais mínima de nossas demandas há que Contra o Fórum Social Mundial e a V Internacional queentrar em luta política de massas contra os governos e chamam á classe operária a pressionar á burguesia, asregimes capitalistas. A chispa da Tunísia incendiou Egito massas revolucionárias do Magreb e tudo Oriente Médioonde as massas se sublevam e rodeiam a cidadela do poder põem uma moção para todo o proletariado mundial: Queno El Cairo e com seu combate estão perfurando o morra o capitalismo, seus governos, regimes e estados!oprobrioso muro de Rafah para unir-se com as martirizadas Para que tenha pão e trabalho: A classe operáriamassas palestinas da Gaza, enfrentando ao regime de acaudilhando aos explorados deve tomar o poder! PelaMubarak que com sua repressão sangrenta deixou dezenas expropriação sem pagamento e sob controle operário dede mortos, feridos e milhares de detentos. Assim se luta! todas as multinacionais que monopolizam os alimentos, queAbaixo Mubarak e todo o regime pró-imperialista da espalham fome a milhões de explorados para obter seusburguesia egípcia! Abaixo a conspiração do imperialismo super lucros! Pela derrota militar de todos os imperialistas noianque para impor um pacto com El-Baradei e os Irmãos Iraque, Afeganistão e na região!Muçulmanos para expropriar a revolução egípcia que se pôs Que volte a chispa de Atenas para que se incendeiem Paris,de pé! Por um governo provisório revolucionário das Madri, Londres, Lisboa, Berlim! Abaixo o Maastricht dosorganizações da classe operária e as organizações em luta açougueiros imperialistas europeus! Que volte a arder abaseado na sua alto-organização e armamento Rússia dos novos czares Putín e Medvedev! Abaixo a OTANgeneralizado! e todos os tratados políticos, econômicos e militares doO combate da classe operária e os explorados do Egito imperialismo para espoliar aos povos coloniais echegou muito próximo do oprobrioso muro de Rafah para semicoloniais do mundo! Fora o FMI! As massas de Egito, Tunísia, o Magreb e Oriente Médio marcam-lhe o caminho a todo o proletariado mundial de como derrotar o ataque dos capitalistas!Os olhos do proletariado mundial hoje estão olhando o os regimes assassinos de Oriente Médio, contra os quaiscombate das massas do Egito e toda a região. É que hoje se levantam as massas revolucionárias da região!milhões de explorados sofrem os mesmos padecimentos Chamamos de forma urgente a todas as organizaçõesque as massas do Magreb e Oriente Médio, que são operárias combativas, aos corpos de delegados esuper exploradas e suas nações oprimidas pelos mesmos comissões internas arrancadas à burocracia, aospiratas imperialistas que comandam um brutal ataque em operários ferroviários, aos trabalhadores que brigamtodo o mundo. pela terra e a moradia, a todas as organizações queNa Argentina a classe operária e as massas exploradas falam em nome da classe operária e ás federações esuportam as mesmas condições: fome, desemprego, centros de estudantes combativos A MOBILIZAR-NOSmassacre, repressão e morte de parte dos parasitas ÁS EMBAIXADAS DO EGITO E DO ESTADOimperialistas, o governo da Kirchner, a oposição gorila e SIONISTA-FASCISTA DE ISRAEL porque, a luta daos traidores da burocracia sindical. Os trabalhadores de classe operária e os explorados no Magreb e OrienteSoldati que sublevaram-se no parque Indoamericano, os Médio é nossa luta! Ganhemos as ruas em apóio aotercerizados do trem Roca que brigam pelo passe a combate e pelo triunfo das massas da Tunísia, Egito,planta permanente, todos os setores em luta e o conjunto Palestina e toda a região!do movimento operário, devem-se por de pé junto a seus Paremos a repressão do assassino Mubarak e demaisirmãos de classe do norte da África e Oriente Médio. governos serventes do imperialismo na região! LiberdadeComo vem de faze-lho os heróis piqueteiros do norte de aos presos políticos do Egito! Liberdade aos combatentesSalta no Tartagal que com sua luta pelo trabalho digno da resistência palestina nos cárceres do Estado sionista-enfrentam as mesmas petroleiras imperialistas fascista de Israel! Liberdade a Roberto Martino, refém dossaqueadoras do norte da África e Oriente Médio. sionistas nos cárceres da Kirchner! Liberdade aos 12Tem que convocar de imediato a Terceira Assembléia piqueteros de Tartagal, a Olivera do Sitraic (Sindicato deNacional Piquetera de trabalhadores empregados e Trabalhadores da Indústria da Construção), Villalba edesempregados pára derrotar á burocracia da CGT e da restantes presos políticos! Desprocesamento dos mais deCTA e preparar a greve geral! Tem que seguir o caminho 5000 lutadores operários e populares perseguidos!da classe operária boliviana que derrotou o “gasolinaço” Aparição com vida de Julio López e Luciano Arruga! Porde Evo Morales, enfrentando á burocracia da COB! Para tribunais operários e populares para julgar aos assassinosderrotar o ataque anti operário da Kirchner e da dos operários de Soldati, Mariano Ferreyra e de todos os“oposição” gorila, tem que retomar o combate mártires da classe operária! Dissolução de todas asrevolucionário de 20 de dezembro de 2001, para “que se forças repressivas do estado patronal! Por um comitê devão todos e não fique nem um só!” Isso é o que se autodefesa único de todas as organizações operáriasmerece o governo assassino da Kirchner que comanda o para defender-nos da repressão estatal, das bandasataque contra a classe operária e vem de fazer fascistas e dos pistoleiros da burocracia sindical!suculentos negócios em favor do imperialismo com todos
  • 23. 23 A REVOLUÇÃO NO NORTE DA ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO DIA A DIA02-02-2011 CARTA DO SCI À WIVL DA ÁFRICA DO SUL A propósito dos soviets, a insurreição, a ditadura do proletariado e as tarefas internacionais da revolução na Tunísia e no EgitoApresentamos a seguir uma carta que sintetiza o rico debate que, ao calor da histórica revolução aberta pela classe operáriae os explorados no norte da África, veio desenvolvendo a FLTI. A carta expressa a reflexão comum que vimos realizando,desde a teoria marxista, a respeito do caráter dos soviets, as consignas de poder, a insurreição operária, a ditadura doproletariado e o caráter e as conseqüências internacionais que têm para a luta de classes mundial os enormesacontecimentos revolucionários do norte da África que fazem vibrar a todo o proletariado mundial.Camaradas da WIVL Como dizia Trotsky, não há que fazer e contra a carestia da vida e controle fetichismo dos soviets, isto é dos de preços dos bairros operários eQuisesse fazer algumas apreciações e conselhos operários. Às vezes podem populares, e embora que pareçaresumir a enorme elaboração coletiva ser os sindicatos os que adquiram este mentira, todos os sindicatos também.que de conjunto vimos realizando, que caráter político e permitam o ingresso a Justamente por isso se levantou comonos permitiu dar enormes passos para eles das grandes massas em luta, a alternativa de poder da ampla maioriaadiante. como sucedesse com a COB na Bolívia de a população armado e acaudilhada em 1952. Isto é, as massas lhes pela classe operária no soviet. Assim O combate pela ditadura do mudam o conteúdo aos diferentes tipos surge um regime de duplo poder. proletariado e o perigo do de organizações. Assim fizeram os A particularidade russa é que os fetichismo soviético operários com a Cúria operária do Czar camponeses entraram no soviet como na Rússia quando o czarismo chamou comitês de soldados, já que eles eramNosso programa ante os enormes a eleger delegados de fábrica para a a base fundamental do exército czaristaacontecimentos que sacodem Egito, mesma. Tão é assim, que a primeira na primeira guerra mundial, porque osTunísia, o norte da África e todo fase do soviet de 1905 foi constituída operários estavam nas fábricasOriente Médio é a ditadura do pelos comitês de fábrica da Cúria produzindo armas, roupa, alimentos,proletariado contra a ditadura da operária da autocracia russa, e foi etc. para a maquinaria de guerraburguesia e o domínio burguês dirigida, em seus primeiros momentos, imperialista do czarismo.imperialista, ao que há que derrotar e pelo Padre Gapon e sua corrente da Este caráter da aliança de classes dodemolir. A formulação do governo, isto igreja ortodoxa. soviet de Petrogrado de Fevereiro é oé do poder operário e das massas Isto significa que não podemos fazer que levou ao Lenine e ao Trotsky aexploradas, deve expressar de forma fetichismo dos soviets nem definir que uma mareia camponesa nopedagógica -como diz o programa de normativismo a respeito dos mesmos. soviet imbuía ao proletariado com suatransição - o combate pela ditadura do Isto é, os soviets ou seus embriões são ideologia, atraso e preconceitos. Issoproletariado. “Governo operário e dos organismos que surgem para eram os “soldados”, isto é camponêscamponeses pobres baseado nos coordenar a luta política de massas por sob armas, que levaram aos primeirossoviets armados” é uma excelente localidade, por região ou a nível postos no soviets aos “socialistas” queformulação que expressa á ditadura do nacional, quando entram ao combate melhor falavam, professores,proletariado. milhões de explorados que não estão socialdemocratas, mencheviques, SR,Não temos que fazer nenhum nos organismos da classe operária das etc.fetichismo soviético. A diferença dos épocas de paz. Surgem quando as Mas insistimos, aos soviets entramsindicatos, que discutem o valor da massas vêem que têm que tomar a todas as massas em luta -como diziaforça de trabalho na época de paz, nas resolução da crise e de seus problemas Trotsky- que estejam dispostas aépocas onde a luta econômica se torna em suas mãos, e não delegar mais. armar-se e a resolver seus problemasimpotente e esta se deve elevar a luta por fora das instituições da burguesia,política de massas -enfrentar A respeito da formulação da porque esta está em franca bancarrotaabertamente à polícia, os governos e ditadura do proletariado e demonstrou não resolver osregimes burgueses, já que estas problemas das massas.compreendem que sem isto não se Vocês definiram com clareza que os O soviet já maduro e armado põe empode conseguir nem a mais mínima organismos soviéticos embrionários pé um regime de duplo poderdas demandas- as massas põem em das massas em luta no Egito são os irreconciliável com o estadopé organismos para essa luta política. “comitês populares revolucionários”, burguês. Por isso são os órgãos daEsses organismos não são outros que como as próprias massas em luta o insurreição. E por isso a burguesia,os soviets, organismos de denominam, que começam a o imperialismo e todas as direçõesautodeterminação e democracia direta centralizar aos combatentes nas ruas. traidoras aprenderam muito bem quedas massas em luta. Excelente. nunca mais pode ter soviets.Estes, em suas etapas embrionárias e Nos soviets estão todas as massas em Tão duplo poder é o soviet, que emquando se desenvolvem, rompem a luta e se fortalecem decisivamente suas etapas embrionárias, como obarreira entre as diferentes profissões quando o proletariado consegue dividir comitê de fábrica, estabelece um duploentre a classe operária pela disposição às classes médias e arrasta a seus poder dentro da fábrica com osde esta em diferentes ramos de setores pauperizados ao combate. Às patrões. Se esses comitês se armam, eprodução. O soviet, como o diziam vezes está desde seus inícios o desarmam à polícia, o soviet em suaLenine e Trotsky, organiza a todas as proletariado homogeneizando-os como fase de piquete de greve, estabelecemassas em luta, para dar-lhe um seus conselhos operários. Mas aos um duplo poder com a banda deconteúdo de luta política, quando as soviets, quando se estendem e se homens armados do estado burguês. Econdições assim se o impõem. desenvolvem, entram todas as massas se este se desenvolve, impõe umDali que o reformismo tem a estratégia em luta. regime de duplo poder que cumprede que antes, durante e depois dos Aos soviets de fevereiro entravam os funções legislativas, judiciais eprocessos revolucionários, estes soldados, que não eram outra coisa executivas numa só democracia diretaorganismos de duplo poder não surjam; que os camponeses pobres que por das massas em luta.e quando surgem que estes não se milhões estavam no campo de batalha Por isso, lutamos para que antes,armem. da primeira guerra inter-imperialista. durante e depois da revolução se Entravam os comitês de abastecimento generalizem e madurem os organismos de duplo poder das massas.
  • 24. 24Por exemplo, as massas do soviet de Algumas experiências históricas esquerda (a corrente representante dosPetrogrado, antes de tomar o poder, onde a classe operária, no meio camponeses pobres).desconheciam aos juízes do czarismo de processos revolucionários, Não há “soviets populares” em general.e os pleitos legais se resolviam em pôs em pé seus organismos Falhar sobre Isso sim seria uma grandetribunais operários e populares votados capitulação. Mas não podemospelos soviets, que exerciam um soviéticos. esquecer que devem armar-se osverdadeiro poder soviets dejudicial Soviets de operários, camponeses e soldados na revolução russa de 1917 operários,reconhecido pelos camponesesexplorados, e que pobres e dasatacava outrasessencialmente á classesburguesia. oprimidas eO soviet definia o arruinadosque havia que do campo efazer, legislava. a cidade.Isto é, definia o Efetivamenteque faziam as , grandemassas para parte daabordar a base doprodução, exército sãocontrolar preços, destesprocurar o setores dealimento camponesesdesbaratando aos pobres ouarmazenadores e usurários, etc. Era classe média arruinada da cidade, áum organismo das massas em luta. Por exemplo, na revolução portuguesa que o proletariado deve atrair aosPor isso a formulação de poder não é de 1975, tendiam a surgir os soviets com demandas audazes, comonem “governo operário”, nem “governo organismos reais de comitês de a expropriação do usurário e ooperário e popular” nem “governo camponeses, comitês de soldados, banqueiro para dar-lhe crédito baratooperário e camponês” como comitês de fábrica e comitês de ao comerciante ou camponêsformulações isoladas. Toda acepção ou inquilinos. Justamente o papel das arruinado. Esta é a essência daconsigna de governo para que direções reformistas é impedir que questão. A arte está em definir quaisrealmente expresse a educação esses organismos se centralizem e se são os organismos que as massaspedagógica da ditadura do proletariado coordenem. E se surgem e não estão se dão para a luta política em cadadeve chamar a estes tipos de governo armados, seu objetivo é que não se processo revolucionário, sema estar apoiadas nas massas auto- armem. nenhum tipo de fetichismo.organizadas e armadas que estão em Na revolução portuguesa, o PC se Por exemplo, na Bolívia revolucionárialuta contra os opressores e seu estado, dedicou a romper desde adentro, de 1952, na central operária, estavamjá que pode haver governos operário- inclusive aos paus, os comitês de os camponeses pobres, os operários eburgueses, ou governos operários e fábrica e de inquilinos. Dissolveu os como parte deles os mineiros, quecamponeses-burgueses. O que dá o comitês de soldados, chamando a eram sua vanguarda. A tarefa de “Todocaráter de classe, isto é de ditadura do apoiar á oficialidade “jovem e o poder á COB!” esteve ao alcance daproletariado, é o organismo de duplo progressista” das forças armadas. mão, e foi traída pelos renegados dopoder no qual está assentado. Enquanto, o PS, chamou a uma trotskismo.Às vezes os soviets surgem por assembléia constituinte para impor uma Na Bolívia em 1971, os organismoslocalidade, província ou fábricas… saída “democrática” á crise do derrube soviéticos eram a assembléia popular,Nossa política é chamar a generalizá- da ditadura militar de Portugal. Assim que organizava a operários elos e a que se massifiquem. Como dizia abortaram e desviaram a revolução camponeses. Justamente, o POR deTrotsky, é impensável uma insurreição portuguesa. Lora, em aras de seu “frente únicose a classe operária e todas as capas Efetivamente, há soviets antiimperialista”, impediu que estaexploradas e oprimidas do campo e a colaboracionistas. A clave é então que assembléia popular de operários ecidade -com seus destacamentos os soviets tenham a sua frente uma camponeses (onde estes lhe puseramarmados- não se independetizar de direção revolucionária. Isto garantirá esse nome, não nós) se ganhara aosforma absoluta do estado da burguesia. que sejam organismos de duplo poder soldados de base, já que o PC e oA isso apontam as formulações sobre o e instrumentos chaves para a POR de Lora dissolveram estagoverno; a que chamamos a que insurreição. assembléia popular e constituíram oestejam baseados nos organismos de Se os camponeses pobres ou FRA (Frente Revolucionáriademocracia direta das massas em luta, pequenos comerciantes arruinados vão Antiimperialista) com a “burguesiaauto-organizadas e armadas. ao soviet, é um triunfo do proletariado progressista”, encabeçada pelo generalA definição de “governo operário e que os arrasta ao combate e á mareia Torres, sustentada pelo PC de Pequim,das capas empobrecidas do campo revolucionária. Se não vão ao soviet, a o PC de Moscou e os renegados doe a cidade, apoiado nos organismos classe operária fica isolada, e a trotskismo.armados de democracia direta das burguesia pode massacrar, como aos No Chile, os organismos de podermassas em luta” é uma excelente soviets de 1905. operário que começavam a armar-se eformulação pedagógica da luta pela Os soviets são os que agrupam e controlar a produção foram os cordõesditadura do proletariado. organizam á classe operária e ás industriais de 1973. Justamente aQuando os soviets não surgiram ainda, massas em luta, ás que o proletariado política do stalinismo e o castrismo foiou seu desenvolvimento é lento, a deve ganhar, se são capas sinistra, porque se volcou a debilitá-lostarefa dos revolucionários é precisar empobrecidas do campo e a cidade, desde dois flancos.quais são seus elementos embrionários sob sua direção. Por um lado, o MIR com uma políticapara desenvolvê-los e estendê-los a Por isso a definição que levantamos ultra-esquerdista chamou a formarnível nacional. E isso dependerá dos hoje no Egito é “governo de operários e “comitês de camponeses e deorganismos reais que se dêem as camponeses pobres baseados nas povoadores” (isto é, “populares”massas em luta. Podem ser os organizações de democracia direta e segundo eles), por fora dos cordõesconselhos operários que organizam á armamento das massas”, isto é os industriais. E por outro lado, o PCgrande maioria das massas que estão soviets. Na Rússia, era “todo o poder chamava a dissolver os cordõesem luta, o que é diferente nos aos soviets”, que primeiro se explicou industriais em “eleições dos sindicatos”.sindicatos que não agrupam mais de pacientemente e depois se executou no É por este pérfido papel do stalinismoum 15% ou 5% da classe operária. momento da insurreição sob a direção que o proletariado não pôde ganhar-se dos bolcheviques que ganharam a nem organizar sob sua direção aos maioria nos soviets com os SR de camponeses pobres e os cordões
  • 25. 25industriais não conseguiram As direções traidoras são tão inimigas domínio do Estado burguês sedesenvolver-se até o final, dirigindo a dos soviets que o primeiro “trabalho restabeleça plenamente.luta contra o desabastecimento de sujo” contrarevolucionário do Esse é o papel da frente popular:alimentos. Muito menos puderam stalinismo, a favor do imperialismo, foi liquidar tudo processo soviético e deganhar-se á base do exército, onde o liquidar o regime soviético ao interior da ação revolucionária das massas,MIR castrista tinia comitês de soldados URSS. Isto é, a burocracia stalinista justamente para que depois, uma veze marinheiros que se rebelavam contra dissolveu o regime de democracia molhada a pólvora da revolução,o golpe militar, organizados como seus revolucionária dos soviets e instaurou o “Kornilov” ou o fascismo achatem acolaterais, aos que dividiam e regime de partido único bonapartista da revolução.separavam dos cordões industriais e burocracia. E ali onde se viramsuas milícias. obrigados a expropriar á burguesia O proletariado, desde os soviets, dedicaram-se a cuidar-se muito bem de deve acaudilhar detrás dele aoSobre a luta dos revolucionários que não surgisse nenhum organismo conjunto das massas oprimidas por estender, desenvolver, de democracia direta das massas, e para avançar à tomada do poder centralizar e armar os instauraram regimes bonapartistas da organismos soviéticos das burocracia desde seus inícios, como no Esta é nossa posição sobre os soviets. Leste Europeu, China, Cuba, Vietnã,massas em luta. Por uma direção etc. Nós chamamos a entrar aos soviets a revolucionária para que os Dali que toda corrente da aristocracia e todas as massas em luta empobrecidassoviets triunfem como órgãos da do campo e a cidade, para que o a burocracia operária seja inimiga de proletariado se as dispute á burguesia insurreição! pôr em pé, antes durante e depois da e as acaudilhe nos soviets. No caso do insurreição, organismos soviéticos e de Egito as consignas motoras, como naDaqui devemos tirar a conclusão de democracia operária. Em isso jogamque nossa luta é pela ditadura do Tunísia, que empurram ás massas à sua vida. E os revolucionários jogamos revolução, isto é, ao derrocamentoproletariado, e quando começa uma nossa vida na luta de pôr em pé essessituação revolucionária ou pré- revolucionário dos governos e a colocar organismos. Frente a esta questão se em grave crise aos Estadosrevolucionária, como a que está-se define quem está pela ditadura dodesenvolvendo no Egito, a tarefa semicoloniais são as consignas de pão proletariado, como o faz a FLTI, e e trabalho. Estas são as consignascentral dos revolucionários é estender quem é inimigo dela, como todas ase desenvolver os organismos de duplo motoras da revolução operária e correntes dos renegados do trotskismo socialista que começou que, “depoder, centralizá-los, coordená-los e e demais direciones traidoras da Varmá-los a nível nacional. A eles consignas mínimas” se voltam Internacional. transitórias; é que a burguesia e odevem entrar todas as massas em luta, É que, insistimos, não há nenhumaque estejam dispostas a combater com imperialismo não o podem conceder; e possibilidade de pôr em pé um partido empurram às massas ao derrocamentoo proletariado sob sua direção, com as revolucionário com influência dearmas na mão e dividindo a base do revolucionário dos da acima, empurram massas sem ajudar às massas a á expropriação aos banqueiros, eexército como tarefa para preparar uma derrotar ás direções traidoras einsurreição vitoriosa dirigida por um principalmente a romper com o conquistar seus organismos para a imperialismo e os capitalistas, para quepartido revolucionário. Este é o eixo revolução. Tudo o demais, como fazemque articula todo programa de quem se o Egito deixe de ser uma semicolônia todos os renegados do trotskismo, é do imperialismo ianque.considere revolucionário numa situação ideologia barata de pôr em pé partidosrevolucionário ou pré-revolucionária. Estas demandas empurram ás massas socialdemocratas, reformistas, aos soviets, ao armamento, a demolir oNão fazemos nenhum fetichismo “anticapitalistas”; questão que tão estado burguês. Esse é o caráter de“soviético”, isto é com o nome “soviet”. duramente combatemos todos desde aNossa grande tarefa é precisar quais classe dos soviets que há que pôr em FLTI. pé e fazer madurar na revolução quesão os organismos de auto-determinação e democracia direta começou no Egito. Inclusive ante a Efetivamente, para que os soviets não pauperização das amplas capas daque as massas põem em pé quando se desenvolvam há enormes perigos. Aentram á luta política, para estendê- classe média, a demanda de trabalho e aristocracia e a burocracia operária não de salário digno as agrupa, como álos, desenvolvê-los, coordená-los e desaparecem. É mais, se os sovietsarmá-los. classe média de “colho branco” surgem, pese a eles entram nos (funcionários administrativos oE isto é decisivo, porque os soviets, mesmos para transformá-los emembora que se desenvolvam funcionários públicos, NdT), que colaboracionistas, com o fizeram os inclusive quebraram e está emenormemente, como na Rússia em mencheviques e os SR na Rússia, osfevereiro de 1917, podem voltar-se bancarrota, e vão junto ao proletariado kautskistas na Alemanha, o PS e o PC em sua luta pelo pão.conservadores e colaboracionistas, no Chile e na revolução portuguesa… A demanda de pão, paz e terra dacomo os sindicatos ou qualquer há milhares de exemplos. Ou comoorganização operário dirigida pela revolução russa, como demandas muitas vezes o fizera o stalinismo com mínimas e democráticas significavam -aristocracia operária e o reformismo. É sua quinta coluna, rompendo cabeçasclave uma direção revolucionária para como explica extensamente Trotsky em e assassinando a mancheias pelas seu trabalho “A onde vai a França?”seu desenvolvimento e para que estes costas aos combatentes dotriunfem como órgãos da insurreição. contra o stalinismo que queria dar-lhe a proletariado como na Espanha, na estas consignas um caráter reformista-:Mas também afirmamos com absoluta revolução portuguesa, etc.clareza que não há nenhuma para obter a paz, enfrentar a guerra Outras vezes, como Hilferding na interimperialista, dar volta a fuzil,possibilidade de que se construam Alemanha, propõem a política dedireções revolucionárias e que enfrentar abertamente ao imperialismo soviets combinados com assembléia mundial e confraternizar com oderrotem ao reformismo se não é constituinte. Justamente esta é alutando com as massas por pôr em pé proletariado europeu; para obter a política traidora da esquerda nos terra, significava expropriar a toda aseus organismos soviéticos para a processos revolucionários. Primeiro,revolução. Com democracia direta e dia autocracia e os latifundiários e com submetem ás massas á democraciapor dia, em horas, as massas eles a toda a burguesia; para obter o burguesa para expropriar a revolução pão, expropriar aos grandesselecionam suas direções. As vem proletária. E se os soviets surgem,atuar e as podem mudar. monopolizadores dos alimentos, aos procuram transformá-los em banqueiro e a todas as correntes deSó ali, nos soviets, o partido organismos desarmados e “de comercialização que no meio da guerrarevolucionário poderá conquistar consulta” da constituinte. fizeram fabulosos negócios sobre ainfluência de massas. Por isso a tarefa Todas estas situações pré-de todas as direções traidoras é fome do proletariado. revolucionárias ou revolucionárias, A demanda de terra e paz punia aoimpedir que surjam os soviets. É que onde tendem a surgir os organismos deeles têm um claro instinto de que se proletariado como caudilho da duplo poder, devem definir-se. Aestes surgem e se desenvolvem, seu revolução e arrastar aos camponeses burguesia procurará liquidar tudodestino estará gravemente pobres para estabelecer uma aliança embrião de duplo poder, para que ocomprometido. de classe, é que acaudilhando ao camponês lhe permita fazer-se do
  • 26. 26poder, ganhando para a revolução a autodeterminação e democracia direta armadilhas das direçõesamplas capas dos camponeses pobres. das massas em luta ao início de toda colaboracionistas!Lenine afirmava que estas consignas situação revolucionária ou pré-como a de paz e terra foram as que revolucionária. Para que o proletariado As velhas direções colaboracionistasdissolveram e desarticularam ás tropas com um programa revolucionário dos sindicatos e o movimento pequenoque, da frente de batalha da primeira acaudilhe ao resto das capas e setores burguês “6 de abril” chamam a umaguerra interimperialista, trazia Kornilov das massas oprimidos da sociedade. marcha de um milhão de pessoas e aa achatar ao proletariado Em última instância colocar ao uma greve geral para o primeiro derevolucionário. Isto permitiu a proletariado como caudilho da fevereiro.debandada das tropas de Kornilov (de revolução proletária, única forma de As massas foram mais lá que umabase camponesa) antes de sua liberar á nação oprimida. marcha de um milhão de pessoas echegada ao Petrogrado. Insistimos, por exemplo, hoje no Egito, uma greve geral. Paralisaram o país.Em isto não há nem podemos ter vocês detectaram que setores das Já faz momento estão ante as portasnenhuma diferença, os trotskistas massas estão constituindo “comitês de poder. Têm começado a desarmar ásomos inimigos das revoluções populares revolucionários”. Adiante! Há polícia.“populares” dos “soviets populares” que que estendê-los e desenvolvê-los. Há As direções colaboracionistas e ofalam de povo em general sem classes, que formar comitês populares movimento “6 de abril” querem legitimarcomo fala o stalinismo para submeter revolucionários de fábrica, de a uma direção burocrática e pequenoao proletariado á burguesia, que a operários, de desempregados, de burguesa que não jogou nenhum papelconsidera parte do povo. Mas também soldados; comitês de abastecimento, decisivo na luta revolucionária que jánão vamos ser “obreiristas” e propor comitês pela moradia, comitês de leva dias e semanas.que o proletariado só, por mais vigilância de preços, etc. Trata-se de Mas assim mesmo não podemos sernumeroso que seja não precisa ganhar- organizar a todas as massas que estão abstencionistas frente a esta armadilha.se às classes médias para tomar o entrando na mareia revolucionária, Dizem greve geral? Então; Tomemospoder e conquistar uma revolução para que elas tomem a resolução da todas as fábricas, e pôr-las a produzirvitoriosa. crise em suas mãos e não deleguem já sob controle dos trabalhadores!No Egito a demanda, como já dizemos nada de nada nos partidos burgueses e Greve geral? Sim, pelo pão.e afirmamos, de expropriação do na casta de oficiais, que agora tenta Expropriação de todos os bancos, quebanqueiro sem pagamento e sob posar de “democrática” e “nacional”. são os donos de Cargill, Bunge econtrole operário, significa dar-lhe Justamente, esses organismos,demais cerealíferas, que têm em suascrédito barato ao pequeno camponês instituições e programa são os que lhe mãos e açambarcam o trigo e o azeite!ou ao pequeno burguês arruinado da contrapomos ao pacto e a conspiração Comitês de abastecimento, paracidade, como a expropriação dos de costas das massas entre a expropriar aos grandes supermercadoscapitalistas significa dar-lhe um salário Irmandade Muçulmana nesse El- e á grande burguesia comercial edigno aos trabalhadores de “colho Baradei, que baixo a direção dos agrária!branco” e os profissionais (isto é a Clinton e a casta de oficiais hoje Propõem Marcha de um milhão? Poismoderna classe média ao dizer de intentam arrebatar-lhe às massas sua bem, organizemos nessa marcha naTrotsky) que trabalham por salários luta pelo pão, o trabalho e o praça central, o símbolo das massasmiseráveis no aparelho estatal. Isto é derrocamento revolucionário de em luta, um grande congresso declave, já que esta pequeno burguesia Mubarak. Não o podemos permitir. delegados de base de todo oarruinada é base fundamental desse Disso se trata o plano do reformismo e movimento operário, os soldadosmovimento pequeno burguês “6 de a burguesia para fechar a crise rasos, as milícias que já se armaram,abril”, que tentará a cada passo, trocar revolucionária que há no Egito. para que ali se ponha em pé umo pão e o trabalho por “liberdade e grande parlamento operário e dosdemocracia”. O proletariado a deve setores empobrecidos do campo edividir, partir ou neutralizar, já que a cidade que se faça do poder.se não é assim presenciaremos Que autoridade tem El-Baradei nomais cedo que tarde o aborto Egito, mandado pela Clinton, acima“democrático” da revolução dos milhões que combateramoperária, como o preparam em contra Mubarak? Que autoridadeúltima instância Obama, El-Baradei têm os Irmãos Muçulmanos parae os Irmãos Muçulmanos. pactuar um governo com Clinton e Mubarak em nome daJustamente organizar ás amplas “democracia”, quando junto commassas em luta com o proletariado, Hamas, Mubarak, o imperialismonas ruas, é o que permite, como já Kamenev, Lenine e Trotsky francês e norte-americano, e odissemos, partir á base do exército, estado assassino de Israel queremlegitimar o acionar da milícia Dizem que vão outorgar-lhe garantir um plano de “Dois Estados” eoperária, debilitar e deixar pendurado “democracia” às massas e “terminar de reconhecimento do Estado sionistado ar ao Estado burguês, e criar as com a ditadura de Mubarak”. Mentira. de ocupação? Que autoridade tem asmelhores condições para uma Isto é um engano. As liberdades forças armadas e sua casta de oficiaisinsurreição operária vitoriosa que democráticas e a caía de Mubarak assassina, servente e sócia doconquiste o poder soviético no Egito, que se esta vinda já foi conquistadas imperialismo ianque, para “defender acomo parte da luta por uma Federação pelas massas em sua luta, com democracia”? Os filhos dos operários ede Republicas Operárias Socialistas e centenas de mortos e milhares de dos setores empobrecidos do campo esoviéticas no Oriente Médio e o Norte feridos. Só aprofundando esse a cidade têm que passar-se do lado dada África. combate e tomando o poder revolução e pôr em pé comitês deEm definitiva, para nós os soviets são poderemos ter a terra, o pão e o soldados.grandes organismos da frente única da trabalho.classe operária e as capas exploradas Isto é, a luta do partido As tarefas internacionalistas dada pequena burguesia do campo e a revolucionário pelos soviets está revolução operária do Egito ecidade, ás que o proletariado deve intimamente ligada com umganhar com um programa de Tunísia. Pela destruição do programa de ação revolucionáriaexpropriação dos capitalistas para que lhe permita ás massas e sua estado sionista-fascista depreparar, com suas milícias operárias e vanguarda superar ás direções Israel! Por uma só revoluçãoseu comitê de soldados, a tomada do liquidacionistas dos soviets e da luta operária e socialista do norte dapoder. revolucionária das massas. África e todo Oriente Médio!Nossa posição não é levantar “sovietsoperários e populares” em geral. Nossa Por um programa de ação Os trotskistas, estrategistas daposição é pôr em pé, estender, revolucionário para conquistar a revolução proletária, devemos dizer-lhedesenvolver, centralizar e armar a a verdade à classe operária mundial, e unidade da classe operária e ostodos os organismos de de Oriente Médio em particular: o explorados e derrotar as
  • 27. 27 terminará com o regime de opróbrio, de fome, miséria e entrega nacional dos aiatolás. As tarefas internacionais da classe operária de Egito são enormes, como também as tarefas internacionalistas do proletariado mundial com a revolução que ali começou. Apoiado no regime sipaio do Egito e do gendarme Estado sionista do Israel, o imperialismo massacro no Iraque. Todas as frações da burguesia xiita e sunita entraram ao regime do protetorado ianque no Iraque, entregando a resistência para que seja massacrada. Que se estenda a Iraque o levantamento do Egito! Pela derrota militar do imperialismo ianque no Iraque! Que volte a pôr-se em pé a 2001. Milícias operárias na revolução palestina de 2001 marcha do milhão de operários contra a guerra nos EUA! Que voltem a parar osexército sionista fascista de Israel é ou se a crise revolucionária se fecha portos de Oakland, para que não váparte da mesma casta de oficiais em favor dos exploradores com um nem uma espingarda, nenhum tanquecontrarevolucionária do Egito, sob o governo burguês não eleito por mais ao estado assassino do Israel, áscomando de Obama e o imperialismo. ninguém e que não tem legitimidade burguesias de tudo Oriente MédioSão os Irmãos Muçulmanos e Hamas nem autoridade alguma, salvo para ser serventes do imperialismo; e que seos que sustentam ao muro de Rafah. outro colarinho do mesmo cachorro que embarquem armas e alimentos para asVai-lhe a vida à classe operária do era Mubarak. A esse governo de massas insurretas!Egito em forjar sua unidade com a transição, expropriador da revolução, Visto desde aqui se compreende oclasse operária palestina. É que, se a os renegados do trotskismo lhe terror do imperialismo e a burguesiarevolução no Egito avança, e é propõem que se legitime com uma mundial ante a revolução que começoudemolida essa casta de oficiais assembléia constituinte Propõem-lhe no Egito. A burguesia percebeassassina do exército do Egito, uma forma mais edulcorada para perfeitamente o caráter de “bombaservente do imperialismo, entrará o manter a ditadura do capital ante o atômica” para seus interesses que temexército sionista para massacrar às embate da revolução. o avanço duma revolução vitoriosa domassas egípcias e sua heróica Na Tunísia ante a queda de Ben Alí, Egito para tudo Oriente Médio, Europarevolução que começou. E o fará sendo tentaram fazer isto, não já com um e EUA.chamado pela burguesia do Egito e o governo de transição de unidadeimperialismo, como ontem o fez no nacional, senão tentando incorporar ao A revolução do norte da África eLíbano ou massacrando a dezenas de governo e ao gabinete aos ministros Oriente Médio é um novo testemilhes de operários palestinos na operários dos sindicatos da UGTT, ácido que revela a bancarrotaJordânia. De ali que o combate pela questão que foi recusada rotundamente dos renegados do trotskismo,revolução operária e o derrocamento pelas massas, que não querem deixar devindos em conselheiros dado Mubarak no Egito é inseparável dá a pedra sobre pedra não só do regime burguesia “democrática”.luta por: ditatorial e policial, senão também de todas as direções que colaboraram As direções traidoras impedem noPela derrota militar do Estado com ele. Norte da África e Oriente Médio sesionista contrarevolucionário de Por isso, no Egito também a revolução concentrem as forças do proletariadoIsrael! se define em que tão cedo as massas mundial. A tarefa dos trotskistas éAbaixo o plano “de paz” e dos “dois palestinas da Gaza, Cisjordânia, propor valentemente, a nívelestados”! Líbano, Síria, e Jordânia mesma internacional, ante os olhos de todo oAbaixo a política de colaboração de empurrem o processo revolucionário proletariado mundial e de OrienteHamas e Al Fatah com o que estallou na Tunísia e que ameaça Médio e Egito em particular, o enormeimperialismo e o sionismo para com incendiar tudo Oriente Médio. Isto combate e possibilidades de triunfo quedividir á nação palestino! é o único que vai impedir o plano estão por diante.Por uma assembléia nacional das contrarevolucionário que propõe cercar A burguesia e seus regimes não estãomassas palestinas da Jordânia, do a revolução que começou. Como fortes. As cabeças de seus ditadoresLíbano, e todo o território histórico fizeram com a revolução boliviana, sou rodam no Norte da África e Orienteda Palestina ocupada! plano é cercá-la, com Hamas e os Médio. La predisposição ao combateIsto é parte inseparável da luta pelo Irmãos Muçulmanos rodeando o muro das massas da Europa é enorme.triunfo da revolução no Egito, que só de Rafah para que não seja derrubado Sua fortaleza hoje reside só nopoderá triunfar como revolução pelas massas e pelo início da sustento das direções traidoras dosocialista em tudo Oriente Médio. Já o revolução em tudo Oriente Médio. proletariado no meio de suamesmo imperialismo se aterroriza já É que a revolução no Egito somente bancarrota.que a revolução que começou no Egito poderá avançar e aprofundar-se não só Nesta perspectiva é que a alternativa jáé uma revolução bisagra, entre o conquistando um regime de duplo é de ferro. Ou destruição do Estadolevantamento das massas e os povos poder que prepare uma insurreição burguês, desmantelamento de suaoprimidos do Norte da África e o vitoriosa no Egito, senão que triunfará maquinaria contra-revolucionária decombate pela revolução no Oriente também estendendo a chispa da homens armados serventes doMédio que, depois da derrota do Iraque Tunísia que incendiou toda África, e imperialismo e avançar á revoluçãoe os massacres imperialistas na agora com Egito ameaça a incendiar para que tenha pão, trabalho, terra,Palestina, pode voltar a pôr de pé e á tudo Oriente Médio. liberdade e independência nacional; ouofensiva a todas as massas do Oriente No caráter do combate internacionalista segue o mesmo cachorro com diferenteMédio. das massas do Egito, Oriente Médio e colarinho, enfeitado com as tachas do a Europa se definirá a dinâmica e o reformismo.No Egito, a questão é para onde se curso da revolução que começou.define a crise revolucionária que há nas Chegou à hora de que volte a É muito bom, desde meu ponto dealturas; se é em favor das massas, revolução iraniana. Porque esse é o vista, que novos acontecimentos eorganizando-se em organismos de Egito insurrecto de hoje. Que voltem os novas revoluções nos proponham osautodeterminação, soviéticos, armados, conselhos operários (Shoras) no Irã! Só debates chaves do marxismo sobre aque se plantem como um duplo poder; assim se conseguirá democracia e se
  • 28. 28 centristas respeito de organizar já a insurreição, Lenine propunha, já com maioria bolchevique nos soviets, tomar o poder inclusive com a guarda militar do partido. Mencheviques e SR incitavam com o chamado a uma constituinte e Lenine afirmava: “Sim, quanto antes, se a chamam a utilizaremos para explicar que somente tomando o poder pelos soviets se resolveram os problemas das massas”. E afirmava que uma república operária é um milhão de vezes mais democrática que até a mais democrática das repúblicas burguesas parlamentares. No soviet está a ampla 2001. Milícias internacionais dirigem-se a combater ao Afeganistão. maioria de a população que decide democraticamente dia por dia seusditadura do proletariado. Aproveitemos política sinistra do reformismo e os assuntos, com democracia direta ea oportunidade que nos dá esta onda renegados do trotskismo de dar-lhe sobretudo com armas nas mãos parade revoluções que começou no Norte conselhos á burguesia e seu Estado fazer cumprir tudo o que resolve. Éda África. Ali, os organismos de luta sobre como sair de sua crise. “Façam más, ainda depois de tomar o poder, ospolítica de massas ainda são uma assembléia constituinte nacional e bolcheviques chamaram a umaembrionários. Prima à espontaneidade dêem muita democracia” lhes dizem. assembléia constituinte para explicar edas massas, em suas ações. Assim o reformismo utiliza as demonstrar que não dava nem a paz,Os reformistas e a burguesia se tem demandas de democracia extrema não nem a terra, nem o pão, terminoudedicado totalmente para que não como um degrau na luta da classe sendo uma assembléia constituintesurjam nem se desenvolvam os operária senão como uma armadilha com o porteiro do edifício golpeando assoviets, os organismos de duplo poder, em sua luta para estrangulá-la. Porque mãos dizendo, “bom se vão todos, porde autodeterminação das massas, de somente um governo provisório favor”.democracia direta; como o são as revolucionário de operários e setores Tudo, inclusive constituinte quantomilícias que surgem pelo empobrecidos da cidade e o campo, antes, era para explicar e fortalecer adesarmamento das delegacias, ou sustentado nos organismos de luta por todo o poder aos soviets. Oscomo o são os comitês de operários e autodeterminação e armamento das reformistas, os renegados docomitês de fábricas que estão massas poderá chamar a uma trotskismo, estão num ângulo de 180arrastando ao proletariado ao combate assembléia constituinte realmente graus da política leninista, seunas ruas. soberana e democrática, para garantir, programa é todo o poder à assembléiaMuito inteligentemente, a burguesia com armas nas mãos, que se rompa constituinte, aos parlamentostirou ao exército ás ruas e o tenta fazer com o imperialismo. Sem armamento democráticos burgueses, para salvarpassar como “neutral”. O exército não é não há pão, nem sequer democracia ao Estado burguês da revoluçãoneutral. A banda de homens armados e nem liberdade e nem que falar de proletária. Não estamos frente desua casta de oficiais fazem parte da conseguir a independência nacional. parteiros da revolução senão frente deconspiração, junto a Obama, os Clinton aborteiros da mesma.e Mubarak, contra a revolução operária Desde a FLTI, então, fugimos de toda Camaradas, os soviets são um médioque começou. posição normativista sobre os soviets e para a insurreição, como os sindicatosÉ de vida ou morte que as massas de mistificação dos mesmos. São são um médio para a luta econômica.exploradas vejam não só como inimigo organismos de luta política, que há que Os soviets som os organismos para aá assassina polícia segreda e á polícia, armá-los para tomar o poder. insurreição, e nos passos prévios, parasenão também á casta de oficiais que Quando Lenine e Trotsky alertavam que as massas tomem todos ossustentou durante 30 anos ao que entravam oportunistas e problemas em suas mãos,assassino Mubarak. Isso há que dizer- carreiristas (Kerensky, os independetizar-se do estado burguês.lhes aos soldados rasos, que têm que mencheviques, os charlatães Creio que a discussão sobre os sovietsoptar: Com os operários e os setores socialdemocratas, etc.), o ponto do é estratégica, porque ali madurará oempobrecidos do campo e a cidade combate esteve centrado no programa partido revolucionário capaz de dirigir apelo pão e o trabalho, contra o Estado dos bolcheviques de “todo o poder aos tomada do poder. Sem este partido, ossionista fascista de Israel, junto às soviets” como única forma de conseguir soviets, como qualquer organização demartirizadas massas palestinas; ou o pão, a paz e a terra. luta da classe operária, voltam-secom a casta de oficiais sustentando a Primeiro, foi uma explicação paciente. totalmente impotentes em mãos dasMubarak e seus sustentadores de Depois, com tácticas como a de direções colaboracionistas eontem -como os Irmãos Muçulmanos- e “Abaixo os ministros capitalistas!”, com reformistas.de hoje, como El-Baradei. a que demonstraram à ampla maioriaPor isso, que à “marcha do milhão de de os explorados que os charlatães, Chegou a hora de aprofundar ahomens” a encabece os tanques com oportunistas e carreiristas preferiam luta por reagrupar, ao calor daos soldados rasos, os operários, e as fazer um acordo com o partido kadete revolução da Tunísia e o Egito,milícias dos explorados. Assim se antes de tomar eles o poder e governaracabariam em um segundo Mubarak e em favor dos operários e os ás forças sãs do movimentoseu odiado regime. camponeses. trotskista internacional, asAos soldados rasos lhes propomos: Logo depois veio a derrota de Kornilov, organizações operárias“Com as massas do Iraque e do ao que os bolcheviques se enfrentaram revolucionárias a no caminho deAfeganistão, invadidas pelas tropas com uma tática de frente única nas refundar a IV Internacionalimperialistas; ou com a casta de oficiais ruas, sustentando a Kerensky como agurka servente do Bush, Obama e o corda sustenta ao enforcado. Mas Como vemos a situação do Egito, comosionismo para massacrar às massas de depois, quando seguem os soviets ontem na Tunísia, e como se prepara aOriente Médio.” colaboracionistas e em setembro o estourar hoje na Jordânia, Síria, Iêmen,A luta por comitês de soldados e por partido bolchevique dúvida em tomar o Argélia, devem concentrar -e jádestruir á casta de oficiais fecha poder, e as condições começam a concentram- a atenção de todos ostambém a outra alternativa de saída descompor-se, Lenine não tem nenhum revolucionários internacionalistas. Oque tem a burguesia, que é a de impor problema em propor “tomemos o poder reformismo ficou pintando um teto semum governo militar “nacionalista” para com os comitês de fábrica e a guarda a escada. Só balbucia.desviar a investida revolucionária das vermelha do soviet”. A burguesia, aterrorizada, vê que semassas. Não o podemos permitir. Quando a direção do partido roda a cabeça de Mubarak se levantaComo também não podemos permitir a bolchevique tinha posições mais e mais novamente a revolução palestina, mas
  • 29. 29esta vez junto a seus irmãos palestinos “bolivarianas” na America Latina ou ao mesmo nível que as massas doda Jordânia, Líbano e Síria. A “nacionalistas” na África e Oriente mundo semicolonial, e avançamos aoburguesia e o imperialismo vêm Médio. triunfo da revolução socialistaderrubar-se dia trais dia seus Os reformistas estão num sério aperto. internacional.dispositivos contrarevolucionários do Hoje, as ações revolucionárias de Estas condições não deixaram viver emEstado egípcio sob as ordens de massas já começam a utilizar a paz ao reformismo. Não viverão emMubarak, aliado indestrutível do Estado linguagem do programa do trotskismo. paz esses partidos “anticapitalistas”sionista contrarevolucionário do Israel. Ontem dissemos “estamos e que sustentam ao capitalismo. NãoIsto ameaça com desbaratar o controle continuamos mal porque não tomamos viverão em paz os que falam deimperialista de toda a região. o poder nem na Grécia, nem na Bolívia, “socialismo” e só lhe dão receitas aosEstamos presenciando, assim mesmo, nem na França, nem na Guadalupe, regimes decrépitos dos Estadoso desmascaramento das burguesias nem no Madagáscar”. Hoje, as massas semicoloniais para que, com umanativas como serventes e sócias do da África do norte propõem essa passada de pintura “democrática”,imperialismo, como na Bolívia, onde os perspectiva para triunfar. estes se mantenham.“bolivarianos” impuseram um brutal O reformismo ficou abertamente do Estas condições não deixaram viver emaumento da nafta. lado da burguesia. Todos seus partidos paz ao reformismo. Não viveram emNo Oriente Médio, Hamas, junto aos conspiram contra as massas para paz esses partidos “anticapitalistas”Irmãos Muçulmanos do Egito, impede impedir o início e o triunfo da que sustentam ao capitalismo. Nãoque se derrube o muro de Rafah. revolução. Calham que se fazem viveram em paz os que falam deInclusive fazem um “cordão humano” “gasolinaços”, como na Bolívia, e se “socialismo” e só lhe dão receitas aospara que isto não suceda. largam pacotes de aumento da carestia regimes decrépitos dos EstadosOs Irmãos Muçulmanos eram irmãos da vida e um desemprego crônico -que semicoloniais para que, com umade Mubarak, com o que pactuavam, significam padecimentos inacreditáveis passada de pintura “democrática”,junto a Hamas e sob a direção de das massas- porque um punhado de estes se mantenham.Obama e o imperialismo ianque, a cerealíferas, para fazer suculentos Não poderá viver em paz -e estouraramrendição das massas palestinas. lucros, tem monopolizado todos os em vinte mil pedaços- quem tem dito áFrente á fome e os padecimentos “commoditties” do planeta. classe operária espanhola, grega,inacreditáveis das massas, o strip Calam e silenciam que em Wall Street, francesa, inglesa, etc. que havia quetease do inimigo já é evidente. no Bundesbank, na city de Tóquio e de fazer “um Maastricht mais social” e nãoAs massas do norte da África estão Londres figuram valores que estão 10 o derrocar, como tentam faze-lho asdemonstrando que somente derrotando vezes acima do valor de cada bem massas do norte da África e Orientenas ruas aos governos e regimes da produzido pelo trabalho humano, o que Médio com seus regimes e governos.burguesia e o imperialismo se pode indica que o capitalismo já se estáavançar a dar uma luta minimamente comendo os bens e riquezas que nem A inflação e a recessão nos paísesséria pelo pão e o trabalho. São a sequer produziu, e isto é a causa capitalistas centrais, e as super lucrosverdadeira chama que pode voltar a fundamental da inflação. do capital financeiro parasitário,incendiar á classe operária européia, Negam-se a explicar ás massas que os assentadas na decadência das forçasque para conseguir pão e trabalho EUA emitem dólares falsos, sem produtivas e nas misérias das massas,deverá derrocar revolucionariamente á respaldo, para cobrir seus déficits e chocam hoje como revolução eV república francesa, á monarquia entregar-los a seus bancos, para que contrarevolução a nível mundial.espanhola e inglesa, ao regime do estes os prestem com interesses O capitalismo promete “novasBundesbank e os das demais potências usurários ao mundo colonial e revoluções tecnológicas” e com seusimperialistas, junto ao parlamento e a semicolonial, e inclusive aos próprios golpes contra as massas, só manda áEuropa imperialista de Maastricht. países imperialistas afundados, que idade média à absoluta maioria doMas, o que é mais importante ainda, é devem aplicar mais e mais ataques planeta. Nenhum dos estados maioresque os combates revolucionários do contra a classe operária. do reformismo nem a V Internacionalnorte da África já demonstram que foi Somente o trotskismo explicou que (a tem chamado ás massas nem sequer adeslocado também o dispositivo do classe operária, NdT) não terá pão, realizar um 0,1% das açõesreformismo, que chamou á classe trabalho nem terra se não revolucionárias do que estas realizaramoperária na Europa e a nível mundial “a expropriamos aos banqueiros do Wall na Tunísia e no Egito.regular os ajustes”, a pedir “retificação” Street, da city de Londres, e se não Chegou a hora de romper o cerco dodos mais brutais ataques contra a coordenamos e centralizamos o movimento revolucionário e dar umclasse operária da Europa e dos EUA, combate da classe operária do mundo salto para adiante para refundar a IVenquanto chamou a submeter á classe colonial e semicolonial e os povos Internacional. Pão e terra, e todo ooperária aos imperialismos oprimidos do mundo com o proletariado poder aos soviets! Para comer:“democráticos” e as burguesias dos países imperialistas, que é atacado revolução socialista, expropriar aos banqueiros de Wall Street e o Bundesbank; centralizar as forças internacionais da classe operária para preparar uma ofensiva revolucionária que jogue fora a Mubarak, Obama, Sarkozy, aos assassinos da Rússia Branca de Putin-Medvedev, às miseráveis burguesias negras da África, serventes do imperialismo, e as burguesias nativas do Oriente Médio e America Latina. Chegou a hora de convocar novamente a uma nova conferência internacional das organizações operárias revolucionárias e das forças sãs do movimento trotskista internacional, para sentar as bases para refundar a IV Internacional sob o programa de 1938. Um forte abraço Secretariado de Coordenação Enfrentamentos entre a polícia e os operários no Egito Internacional
  • 30. 30 03-02-2011 CARTA DO POI-CI DO CHILE À FLTI Revolução e contrarevolução cara a cara no EgitoAs grandiosas ações das massas que sitiavam a cidadelado poder, insurrecionavam-se e abriam a revolução no Egito,hoje tentam ser desviadas com a política traidora dasdireções pequeno burguesas e burguesas como omovimento “6 de abril” e El Baradei e os IrmãosMuçulmanos.Mas Por que apesar da heróica ação das massas egípciasainda não caiu o governo e o regime e, pelo contrário, asforças da reação se reagrupam e lançam um ataquecontrarevolucionário?É que depois de que as massas abrissem uma verdadeirainsurreição, desarmassem á polícia e saíssem ás ruas pormilhões, combatendo contra o regime de Mubarak, questãoque abriu uma crise revolucionária e deixou pendurado no ar As heróicas massas do Egito enfrentam às bandasao governo e o regime bonapartista de Mubarak, lacaio doimperialismo ianque, as massas não tomaram o poder. fascistas de Mubarak e o imperialismoO terror que lhes produz a revolução egípcia aos pacifista de las direcciones burguesas y pequeño burguesasestados maiores da burguesia imperialista mundial se que intentan abortar y cercar la grandiosa revolución quedeve a que o combate das massas egípcias choca de abrieron los explotados egipcios, poniéndola a los pies de lafrente contra o dispositivo contrarevolucionário do transición burguesa “democrática” impulsada por Obama,imperialismo na região que é o estado de Egito junto ao política que permite que el estado se envalentone y saque aassassino estado sionista fascista de Israel. las calles sus bandas contrarrevolucionarias para aplastar alA burguesia precisa impedir a toda costa que triunfe a proletariado.revolução no Egito, isto é, precisa fechar a crise Esta política es la que impide, por el momento, que larevolucionária que abriram as massas em luta pelo pão, o movilización de millones de explotados en Egipto establezcatrabalho e contra o saque imperialista, e é vital para eles ya un verdadero Congreso que aglutine a todos losimpedir que estoure pelos ares o dispositivo organismos que las masas en lucha han puesto en pie, ycontrarevolucionário para conter ás massas da região, que é que comience a funcionar como un gran parlamento obrero yo estado de Egito, já que de suceder isto, se abriria o de los sectores empobrecidos del campo y la ciudad, quecaminho para que se levantem os explorados de todo destruya al régimen burgués y se haga del poder.Oriente Médio contra o imperialismo. Por isto Obama, El Es decir el problema central de la revolución en Egipto esBaradei, Os Irmãos Muçulmanos e o Movimento 6 de abril que, pese a la insurrección protagonizada por las masastentam transformar esta grandiosa insurreição que egipcias, aún no se destruyó el régimen ni se tomó el poder.protagonizam as massas egípcias -com a “marcha do milhão Esto agudiza a grados extremos la crisis de direcciónde pessoas” totalmente desarmadas- numa luta pacífica por revolucionaria y demuestra el límite de la espontaneidad de“a democracia e a liberdade em geral”, isto é uma “revolução las masas que, por más grandiosa que esta sea, como lode terciopelo” oposta à revolução proletária. muestran las masas de Egipto, no es suficiente paraO grande problema que concentra hoje a grandiosa organizar la insurrección triunfante y tomar el poder. Lasrevolução que se abriu no Egito é que as massas não masas egipcias precisan hoy más que nunca derrotar a lasconseguiram generalizar o armamento para enfrentar à direcciones reformistas y poner una dirección revolucionariaoficialidade do exército, dividindo-o e ganhando aos a su frente.soldados rasos para as filas da revolução; única forma de Pedro y Joaquín por la dirección del POI-CI de Chileenfrentar e achatar definitivamente às bandas fascistas Mas as massas demonstraram que não está dita a últimacontrarevolucionárias de polícias, lúmpenes e servidores palavra. Apesar e na contramão das direçõespúblicos pagados pelo estado assassino quem, armadas até reformistas que tentam desviar a revolução com grevesos dentes, ingressavam com o apoio da oficialidade do de pressão e marchas pacifistas, os explorados egípciosexército, á praça principal para tentar massacrar ás massas estão longe de render-se e combatem valentemente àsdesarmadas. Só conquistando o armamento generalizado hordas contrarevolucionárias.das massas, estas poderão avançar já na tarefa do Por isto é que hoje mais do que nunca está proposto retomarmomento, que não é outra que a tomada do poder e o triunfo e redobrar a ofensiva que as massas abriram com ada revolução. revolução. Para isso é necessário romper com a políticaAs massas não se fizeram do poder e hoje no Egito pacifista das direções burguesas e pequeno burguesas querevolução e contrarevolução se vêem a cara: Por um lado, o tentam abortar e cercar a grandiosa revolução que abriramproletariado começa a confraternizar com a base do exército os explorados egípcios, pondo-a aos pés da transiçãoe ameaça com parti-lo, ganha-se às classes médias burguesa “democrática” impulsionada por Obama, políticaempobrecidas e empurra cada vez mais a ações superiores que permite que o estado tome valor e saque as ruas suas(questão que mostra que já faz tempo as massas insurrectas bandas contrarevolucionárias para achatar ao proletariado.estão muito próximo do poder). Por outro lado, as direções Esta política é a que impede, pelo momento, que aburguesas e pequeno burguesas tentam adormecer ás mobilização de milhões de explorados no Egito estabeleça jámassas com a sinistra política de democracia e “mudança um verdadeiro Congresso que aglutine a todos osdemocrática”, atuando como verdadeiros cavalos de Tróia, organismos que as massas em luta puseram em pé, e quedesarmando ás massas para que atuem as bandas comece a funcionar como um grande parlamento operário econtrarevolucionária do estado burguês, agente do dos setores empobrecidos do campo e a cidade, que destruaimperialismo. Esta é a mesma política da frente democrática ao regime burguês e se faça do poder.que o imperialismo e seus governos lacaios aplicaram para É que o problema central da revolução no Egito é que, peseachatar ás massas na Palestina, Honduras e Bolívia. á insurreição protagonizada pelas massas egípcias, aindaPero las masas han demostrado que no está dicha la não se destruiu o regime nem se tomou o poder. Istoúltima palabra. A pesar y en contra de las direcciones agudiza a graus extremos a crise de direção revolucionária erefor mistas que intentan desviar la revolución con demonstra o limite da espontaneidade das massas que, porhuelgas de presión y marchas pacifistas, los explotados mais grandiosa que esta seja, como o mostram as massasegipcios están lejos de rendirse y combaten do Egito, não é suficiente para organizar a insurreiçãovalientemente a las hordas contrarrevolucionarias. triunfante e tomar o poder. As massas egípcias precisamPor esto es que hoy más que nunca está planteado retomar hoje mais do que nunca derrotar ás direções reformistas ey redoblar la ofensiva que las masas abrieron con la pôr uma direção revolucionária a sua frente.revolución. Para ello es necesario romper con la política Direção do POI-CI do Chile
  • 31. 31 04/2/2011 CARTA DO SCI PARA TUDA A FLTI Enquanto o exército abria às ruas para que golpeiem as forças contrarevolucionárias, os explorados na “Praça da Libertação” lhes infringiam uma dura derrota No Egito a revolução segue viva Há que pôr em pé já os comitês armados de operários e soldados rasos para achatar ao regime infame e que a classe operária se faça do poder! e conspirar contra ela. Assim o vimos hoje no Egito começa a rodar a cabeçaNeste momento, as notícias que nos em dezenas e dezenas de revoluções e de Mubarak.chegam é que Mubarak estaria pedindo levantamentos antiimperialistas Estamos presenciando um dispositivoasilo político. Cada vez que são estrangulados e expropriados, como na contrarevolucionário onde cada agentederrotadas suas intentonas Bolívia, Honduras, etc. O resultado está do imperialismo joga seu papel, comcontrarevolucionárias, Mubarak por ver-se. A queda de Mubarak seria Mubarak fugindo, a “frenteanuncia seu retiro. Cada vez que as um triunfo das massas e um estímulo a democrática” impedindo o armamentodireções das massas impedem que aprofundar seu combate. Mas também, das massas e sustentando à casta deestas tomem o poder, Mubarak e seu o pérfido acionar da “frente oficiais do exército, que a sua vezregime infame voltam a respirar e a democrática” não só permitiria garante o desarmamento das massastentar manter-se. expropriar a revolução, senão também para que estas não possam fazer-se doAs massas, por crises de direção, contê-la com cantos de sereia, o que poder quando foge Mubarak.deixaram já muitos mortos na luta por não seria mais que uma transição para O armamento generalizado dasachatar às bandas novas azoadas contrarevolucionárias. massas, o esmagamento das hordascontrarevolucionárias, que seguem contrarevolucionárias, o chamado aosmassacrando, enquanto o imperialismo Não obstante a burguesia teme que a soldados a romper com a casta deprocura uma transição ordenado à queda de Mubarak possa desenvolver oficiais de Mubarak - que encobriu àssaída de Mubarak. a confiança das massas em suas bandas assassinas -, a um congressoHeroicamente as massas defenderam próprias forças. Sabe-se muito bem de delegados de toda a classe operáriaos postos de luta. que isto poderia romper, em sua e os explorados que combateram nas dinâmica, como está sucedendo na ruas e que se tomaram as delegaciasÉ o exército o que garante o acionar Tunísia, este novo dispositivo que lhe policiais e as fábricas na Praça Tahrirdas bandas fascistas, já que está nas puseram às massas à frente de sua (“a praça da revolução”) do Cairo e emruas, controlando o acesso ao território luta, como um verdadeiro cavalo de cada região ou cidade devem realizar-das cidades, para impedir o armamento Tróia, para impedir o triunfo da se já. Os comitês popularesdo proletariado. Disso se trata a revolução, e para que os explorados revolucionários devem convocar a este“neutralidade do exército”, que não é não avancem à tomada do poder, que congresso já! Esse congresso dasoutra coisa que garantir que as massas é a única forma de conquistar a massas armadas em luta, sob anão se armem para permitir a ação das independência nacional, o pão e o direção da classe operária não devehordas contrarevolucionárias. Isto trabalho. reconhecer a nenhum governo eleitotambém fazem os “paladinos da Ademais a burguesia sabe que a queda desde as embaixadas e desde Novademocracia” do El-Baradei e os Irmãos de Mubarak seria um acicate para o York e Berlim, de costas das massasMuçulmanos. Todos eles revisam as levantamento revolucionário das em luta! Quem são eles para mandarbolsas dos que entram à Praça Tahrir, massas palestinas no Líbano, na no Egito? Os que lutam realmente pelopara controlar que as massas não Jordânia, na Gaza e em toda a pão, o trabalho e a independêncialevem armas. Palestina ocupada. nacional são os que devem tomar oPorque as massas armadas poder em suas mãos!rapidamente tomariam as fábricas, os Mubarak, sustentado por Obama, O GRITO DE GUERRA DEVE SER:bancos e os poços de petróleo. Isto é mandou às bandas HÁ QUE DERROTAR MUBARAKporque lutam por liberdade… mas contrarevolucionárias. O outro agente PARA CONQUISTAR O PÃO Etambém por PÃO E TRABALHO. Essa do imperialismo, a casta de oficiais do TRABALHO DIGNO PARA TODOS!é a liberdade que querem as massas, a exército, garantiu que as massas não EXPROPRIEMOS SEM PAGAMENTOde comer; e para isso estão se armassem, ou bem que não E SOB CONTROLE OPERÁRIO OSderrocando, com uma magnífica usassem as armas que tem as massas BANCOS, AS TERRAS, ASrevolução, ao assassino Mubarak. para achatar às hordas PETROLEIRAS IMPERIALISTAS E OSO imperialismo joga sua vida para que contrarevolucionária da polícia secreta, GRANDES SUPERMERCADOS! PÃOnão generalize o armamento das a polícia sem uniforme e lúmpens E TRABALHO PARA TODOS! QUEmassas, já que com a fugida de pagos. Enquanto isso, El-Baradei e os VIVA A REVOLUÇÃO OPERÁRIA!Mubarak, e se o proletariado conquista Irmãos Muçulmanos se preparam para Os embates revolucionários do Egitosuas milícias operárias e divide fazer um governo de unidade nacional, têm dono. É a classe operária e ashorizontalmente sua base ao exército, inclusive com o vice-presidente massas exploradas do campo e dapode garantir a tomada do poder por nomeado ontem por Mubarak. cidade. Obama, El Baradei, os Irmãosparte dos explorados. Este é o plano para fechar a crise Muçulmanos são os que pactuaram eA chave das direções burguesas e revolucionária que se abriu nas alturas, sustentaram durante décadas apequeno burguesas, organizadas em para que as massas não se façam do Mubarak como também o fizeram comuma “frente democrática”, é impedir o poder, em momentos em que Mubarak o sionismo contrarevolucionário.armamento das massas e a destruição já prepara sua fugida a Montenegro Os aliados das massas do Egito são osda casta de oficiais do exército. Isso é (Lugoslávia), impondo-se isso como um explorados da Tunísia, os que seguemassim, pois com a queda de Mubarak, primeiro triunfo parcial dos explorados. seu caminho no Iêmen, Argélia,seriam eles os fiadores da propriedade Jordânia. São os explorados que com oprivada do conjunto das frações da O momento é crítico. A crise de direção avanço da revolução no Oriente Médioburguesia e o imperialismo no Egito. tem se exacerbado. Mas a ação das e no Norte da África levantaram-seEsta é a garantia que dá esta fração da massas é exemplar, apesar e na como chispas e que esta cruze oburguesia a Obama, a Mubarak, ao contramão da direção que têm a sua Mediterrâneo para incendiar França,sionismo e à burguesia mundial: que a frente. Grécia, Irlanda, e pôr novamente em péclasse operária não tomara o poder. Os centros de concentração das a luta antiimperialista da classeComeçou a jogar todo o seu papel massas não puderam ser tomados. operária norte americana.contrarevolucionário a “frente Combate-se em todas as cidades. A luta pelo pão e o trabalho é a pólvorademocrática” para abortar a revolução Como sucedeu na Tunísia com Ben Ali, por onde corre a chispa que incendeia
  • 32. 32Oriente Médio e que deve incendiar Obama, que não foi eleito por ninguém. massas, votado nas embaixadas, notodo o planeta. Essa é a tarefa dos Os trotskistas afirmamos que nem Wall Street, na City de Londres ou detrotskistas e os que lutamos por sequer pode ter uma Assembléia Berlim, e com a bênção do sionismo,refundar a IV Internacional. Nacional, isto é democracia burguesa não tem nenhuma legitimidade para até o final, nem liberdades públicas, assumir nenhum poder no Egito. SóNo Egito, há que romper o dispositivo que são achatadas pelas hordas pára manter a propriedade dosque pôs a burguesia para impedir que fascistas, sem o armamento exploradores e garantir o submetimentoas massas se façam do poder com a generalizado das massas e se estas do Egito ao imperialismo.caída de Mubarak, com milícias e auto- não fazem-se do poder. O governo dos A burguesia e o imperialismo procuramorganização das massas para tomar o operários e os explorados em luta é o manter a continuidade de seu domíniopoder! único que tem legitimidade para contra as massas insurretas, impondo-O momento da crise revolucionária e assumir o poder. lhes um adoçante ao veneno dode vazio do poder está chegando a seu A classe operária e as massas são a controle capitalista imperialista do Egitoponto culminante. Ou as massas que maioria do Egito. São as que e de todo o Oriente Médio. No Iêmen,combateram fazem-se do poder, ou o defenderam nas ruas e nas praças na Jordânia, na Argélia já se antecipa afará a burguesia e estrangulará a contra Mubarak, sua polícia assassina queda dos primeiros ministros, eleiçõesrevolução. e a casta de oficiais. Um governo de antecipadas, etc.“Frente democrática” desarmando às unidade nacional, surgido de costas às Basta! Todo o poder à classe operáriamassas e bandas fascistas que e os explorados! Viva a unidade daseguem seqüestrando e classe operária do Oriente Médio eassassinando aos melhores do norte da África!dirigentes das massas em luta… há Que se volte a incendiar Atenas!que o impedi-lo já! Que se levante Mazar-i-Shariff eOs militantes do Fórum Social Fallujah e sejam achatadas as tropasMundial, os serventes de esquerda invasoras do Iraque e Afeganistão!do imperialismo, como os Por uma Federação de Repúblicasalquimistas, recorrem com suas socialistas do Oriente Médio!receitas à burguesia para dizer-lhes Pela unidade da classe operáriaque façam já uma Assembléia mundial! Que viva a revoluçãoConstituinte que legitime ao governo proletária!de unidade nacional dos ministros deMubarak, El-Baradei e os Irmãos As massas no Egito confraternizam com Um forte abraçoMuçulmanos, sob o comando de a base do exército SCI da FLTI 09/2/2011 CARTA DO SCI PARA TUDA A FLTI DUAS ESTRATÉGIAS PARA A INSURREIÇÃO QUE COMEÇOU: REFORMA DO ESTADO BURGUÊS SEMICOLONIAL PUTREFATO OU REVOLUÇÃO OPERÁRIA E SOCIALISTAA todos os grupos e militantes da FLTI: programa e a intervenção de nossa da praça e dar-lhe um caráter corrente nas massas. “bondoso” e “pacífico” à revolução queRecebemos a notícia da saída do O que propomos nesta carta é base da começou (enquanto deixa a dezenasAfrica Workers Organizer (Organizador elaboração dos documentos oficiais de de milhares de presos torturados nosOperário Africano). Não podemos nossa fração internacional. cárceres desse regime infame). Mas omenos do que saudar a saída de um O ajuste e as críticas a pontos único que conseguiu foi que entrassemporta-voz revolucionário dos trotskistas concretos destas cartas e aos ao combate novos setores ativos dainternacionalistas da FLTI. rascunhos de documentos servem para classe média. Isto tonificou a luta. E que juntos conquistemos uma agora ingressou o movimento operárioO primeiro que queremos esclarecer é homogeneização política, no meio de com as demandas de “salário já!” eque esta correspondência que estamos dificilíssimos acontecimentos. As cartas “trabalho para todos!”publicando para todos nossos são como intervenções orais, em voz No momento em que escrevemos estamilitantes são cartas de elaboração e alta, numa reunião, onde todos nos carta, colunas operárias se estãodebate político. Permitem que todos podemos corrigir e ajudar, para poder dirigindo à Praça da Libertação,nossos militantes e influência possam chegar às melhores posições e nas tomam-se os poços de petróleo noseguir ao dia a elaboração de nossa melhores condições aos Canal de Suez e 3000 combatentes dacorrente internacional sobre um acontecimentos. revolução estão incendiando a centralprocesso de revoluções que se da polícia no El Cairo. Isto é, como diriasucedem dia a dia no norte da África e Se vocês olham na carta do 4/2 damos Lenine, “os de acima não podem e osOriente Médio. Não são declarações como muito provável a saída de de abaixo não querem” e persistem empúblicas no sentido de documentos Mubarak. É que as massas vinham a não querer, já que exigem a saída dooficiais. Insistimos, é a tentativa de derrotar a intentona Mubarak. Os explorados entendem queseguir e sacar conclusões ao dia, sobre contrarevolucionária nas ruas e havia somente assim se avançará aos processos revolucionários da possibilidade de mudar-lhe o conteúdo conquistar o pão.Tunísia e do Egito quando os fatos à “marcha do milhão” e à greve geral Uma revolução operária e socialistamesmos estão sucedendo, e dar conta de pressão que chamava a direção começou e mantém viva toda suadas rápidas mudanças que há na reformista da luta. Isso não se deu. O potencialidade. Somente triunfará comosituação. processo revolucionário não subiu um insurreição, demolindo até o últimoA esta correspondência a faremos degrau mais nas tarefas imediatas que tijolo do regime infame e todas suaspública no Organizador Operário estavam e estão propostas, como a de instituições sustentadas pela burguesiaInternacional. É que o vemos de suma partir o exército, pôr em pé os comitês e o imperialismo. Só triunfará se autilidade para que possam intervir na de soldados e um verdadeiro classe operária e as massas em luta,elaboração todos os militantes parlamento operário de todas as neste vazio de poder, se o tomam. Masrevolucionários internacionalistas do organizações das massas em luta. para isso, há que romper ao exércitomundo. Indubitavelmente, por agora isso que, insistimos, não é nem “neutral”Não deixam de chegar dezenas e impediu a derrota de Mubarak. Mas o nem “democrático”. Sua casta dedezenas de aportes e contribuições. A processo, longe de estar derrotado, oficiais e seus tanques são a últimademocracia revolucionária é não deixa de massificar-se. reserva do estado burguês parafundamental para poder elaborar O governo sacou do cárcere a um massacrar às massas, como veremosteóricamente e politicamente o “democrata” gerente de Google para mais adiante. pôr à pequenoburguesia alta à cabeça
  • 33. 33A situação no Egito que combina uma estudantes, preparava um massacre na Como dizíamos, uma ação decrise revolucionária nas alturas e uma praça, com tropas trazidas da China vanguarda tomou o parlamento e impôsinsurreição de massas que tende a profunda . a ilegalização do RCD. Osmassificar-se deve definir-se num curto desempregados ganham as ruas porperíodo. Todos os olhos da classe A revolução na Tunísia não trabalho. Nas províncias e nas cidadesoperária mundial devem estar postos parou de investir contra o há novos choques armados com aali. governo provisional polícia; a mesma polícia de Ben Alí,É que Mubarak segue resistindo graças “democrático”, que não é mais agora sob o comando do governoao nefasto papel das direções da do que a continuidade do mesmo transitório “democrático”, que segue“frente democrática” e porque Egito regime contrarevolucionário do massacrando às massas. Todas asevidentemente, para o imperialismo, Ben Alí, mas sem ele. frações da burguesia e o imperialismonão é o mesmo que a Tunísia. Um estavam atrás de Ben Alí, saqueando àprocesso que derrube essa verdadeira Parece ser que estas são as variantes nação e super-explorando à classeautocracia do Egito e seu regime, onde que maneja o imperialismo, enquanto operária.se assenta o imperialismo para faz todo o possível por manter uma A burguesia sabe muito bem que tantodominar Oriente Médio, seria uma saída ordenada de Mubarak e todo o na Tunísia como no Egito, está frente agravíssima derrota para este. Estamos seu regime despótico. Quer impedir uma revolução operária e socialista.falando do dispositivo que Mubarak seja derrocado pela Por isso o governo “de transição”contrarevolucionário mais importante, magnífica revolução operária e popular tunisiano está chamando a todos osjunto ao Estado sionista-fascista de que começou, que a não duvidar, reservistas a voltar ao exército, já queIsrael, do imperialismo na região. desmantelaria não só todas as estão ficando sem polícias paraAs massas querem derrotar Mubarak. instituições do governo de Mubarak, reprimir às massas. Acusa de serMas suas direções e a burguesia senão ao Estado semicolonial do Egito. “ações de seguidores de Ben Alí”, mas“democrática” que manipula esta luta O símbolo disto é a central de polícia na realidade são ações das massasreúnem-se de costas às massas para ardendo no El Cairo. revolucionárias pelo pão.conspirar contra a revolução, junto com Mubarak e o imperialismo se esforçam A burguesia aprende das lições daMubarak e seu vice-presidente. para que o Egito não chegue tão longe Tunísia, e lhe aterroriza esse enormeAté o momento, o combate das massas como chegou Tunísia, onde o Estado processo revolucionário no Egito. Issofoi levado a uma luta de pressão in ficou totalmente debilitado e em crise. é o que diz Mubarak quando propõeextremis. Perigosamente se está Ali as massas já perceberam que sua “Eu, ou o caos”, enquanto buscademorando em partir o exército, que só revolução está sendo expropriada desgastar as massas, apoiado nadeixa entrar à praça às forças de pelos “amigos” de Ben Alí, e começam política impotente que as direçõeschoque contrarevolucionárias armadas a ver que todas as instituições sobre as traidoras e a “frente democrática”até os dentes, e revisa completamente que se assenta o governo provisório querem impor aos explorados em luta.aquele que entra para lutar, como já o não são mais do que a continuidade Justamente porque a “frentecomeçam a denunciar publicamente os das instituições ditatoriais do deposto democrática” não permite à revoluçãocombatentes da Praça Tahrir. Ben Alí, enquanto o pão segue sem egípcia subir todos os dias um novoAs massas, por não partir o exército e chegar. Com certeza, uma nova degrau, o imperialismo tentará criar aspor não centralizar e desenvolver seus investida das massas está se condições para que seja Mubarakorganismos soviéticos, devido à traição produzindo na Tunísia, e como quem fechará a crise revolucionária e ode suas direções, não pode aproveitar veremos depois, não faz mais do que vazio do poder que hoje existe,o vazio do poder que existe no Egito, reforçar o rendimento cada vez mais ornamentado com vice-presidentes efechando a crise revolucionária a seu massivo e revolucionário dos operários mesas de pacto e conciliação com osfavor com a tomada do poder. e das massas exploradas ao combate Irmãos Muçulmanos e a direçãoSobre esta situação atua o no Egito. pequenoburguesa das massas.imperialismo, a burguesia, o regime e o Mas olhemos como as forças Isto demonstra não é suficiente. Asgoverno de Mubarak e também a “democráticas” na Tunísia e seu massas apesar de tudo, dia a dia“frente democrática” que, como governo provisório de Ghannouchi desbaratam de forma persistente todasverdadeiros Cavalos de Tróia, estão na assentam-se no mesmo parlamento estas tentativas.Praça da Libertação amarrando-lhe as arqui-reacionário - cuja maioria de Mas esta política imperialista empalmamãos das massas, para que não vão deputados é do Reagrupamento perfeitamente com a política daaté o final e se façam do poder. Constitucional Democrático -, na burguesia da “frente democrática”, queNão podemos esquecer - embora hoje mesma casta de oficiais do exército e está na praça como cavalo de Tróia,vejamos que circunstancialmente na mesma polícia assassina. Esta querendo impedir a todo custo aestende-se, desenvolve-se com uma armadilha não passou na Tunísia, e insurreição que começou faz já 15 diasnova energia e se massifica a luta novos capítulos de uma mesma - com tomadas de delegacias policiais,revolucionária das massas - da revolução se seguem desenvolvendo, tomas de fábricas, revoltas, grevesexperiência da Tailândia em 2010. Ali a por pão, pela destruição da polícia e do gerais revolucionárias, enfrentamentosdireção pequenoburguesa e burguesa parlamento de Ben Alí e seus “40 de barricadas, etc. - barra edo movimento desgastaram o ladrões”. desmantele o aparelho estatal e esselevantamento revolucionário das As massas que derrotaram o governo e regime de opróbrio de Mubarak emassas durante 2 meses, sem dar-lhe o regime lutando pelo pão e pelo Obama.uma saída, isolando-o e cercando-o trabalho, agora querem ir por tudo. Diacada vez mais numa praça, até que a dia desmascara-se a “frente Egito: vazio do poder e criseatuaram as forças do exército e a democrática” que governa e está revolucionária. Ou a classedireção burguesa e pequenoburguesa assentada nas instituições operária toma o poder com umaterminou pactuando com o contrarevolucionárias de Ben Alí, já que insurreição triunfante, ou aimperialismo e seu regime, deixando os seguem “os 40 ladrões”, que só estão burguesia retoma o poder comcombatentes submetidos à mais um banho de sangue e comsangrenta repressão por parte do armadilhas e cavalos de Tróiaexército, que durante todo o “democráticos” quelevantamento permanecia “neutro”. expropriam a revoluçãoInclusive, devemos alertar sobre aexperiência de Tiananmen, onde um Não se falou a última palavra. Osmovimento pequenoburgués novos combates e jornadasencabeçou uma revolta operária revolucionárias complementares dacontra a burocracia restauracionista Tunísia voltam a espalhar ar e fogochinesa em 1989; e enquanto esta revolucionário à revolução do Egito,mandava a seus agentes El Baradei junto com o açougueiro Toni Blair que tenta ser apagada por todas as“democráticos” a negociar com os ali para tentar expropriar a heróica direções reformistas do proletariado revolução que começou. mundial.
  • 34. 34Também não se pode falar que possam de “Fora Sarkozy! Viva a revolução na O governo ficou pendurado por um fio,levar à heróica revolução que Tunísia! Uma só classe, uma só luta como também todo o seu regime decomeçou, com centenas de mortos e por pão e trabalho para todos!” domínio. As instituições de opressão jámilhares de feridos, a uma luta de A situação é muito delicada. Por não são criveis nem têm nenhumapressão. momentos parecia abrir um impasse na legitimidade ante as massas. Estas jáA central da polícia ardendo e as ação das massas. Por outros lhes perderam o medo.greves revolucionárias e combates nas momentos, as massas voltam a Os de acima já não podem, como diriaruas do proletariado que se seguem investir. Por momentos as intentonas Lenine, e os de abaixo já não querem;desenvolvendo, indicam que preparam- contrarevolucionárias se voltam e com ações independentes dese novos saltos para adiante das agudas. Mas as energias das massas massas, estas propõem o problema domassas. não se esgotaram, apesar das mil poder. A crise é que, por enquanto, nãoParece que a classe operária se afirma tentativas das direções de desorganizar há nenhuma direção revolucionária quenas cidades do interior, desde onde a luta das massas. o proponha com clareza no meio doschegam cotidianamente destacamentos Ante cada reunião que se realiza de combates.de troca à Praça Tahrir. El Cairo ainda costas às massas entre o vice- Em momentos chaves como estes, anão se rendeu. A tragédia, insistimos, é presidente de Mubarak - general do crise de direção se volta aguda, já queque as condições para tomar o exército - e os partidos burgueses falta uma pluma para que a balança sepoder estão mais que maduras, mas “democráticos” “opositores” inclusos os incline a favor da revolução e a tomadaa direção tem impedido o Irmãos Muçulmanos, a situação gira à do poder. Essa pluma que falta é umdesenvolvimento e a centralização das direita. Nesses momentos parece ser partido revolucionário, que semorganizações de luta das massas, a que são a burguesia e o imperialismo nenhuma dúvida se desenvolvera egeneralização do armamento e a os que fecham o vazio do poder e a forjará ao calor dos acontecimentospartição do exército para consegui-lo. crise nas alturas. As forças revolucionários que se sucedem noEssa é a “imaturidade” do processo contrarevolucionárias entram à praça planeta.insurrecional que começou, a de sua tentando tomá-la, levantam-se os Por enquanto as ações revolucionáriasdireção, e da sobreabundância de donos dos hotéis denunciando que “por das massas dão tempo. Mas nãodireções traidoras e serventes da culpa da praça não há turismo, e há podemos perder nem um dia mais.burguesia no Egito, no Magreb e a fome”. Mais e mais com os tanques do Insistimos, a crise revolucionária estánível mundial, que chamam às massas exército cercam-se os combatentes da aberta e não podem manter-se pora não tomar o poder. Praça Tahrir. muito mais tempo. A burguesia e oAinda a predisposição à luta das Em outros momentos, com a irrupção imperialismo compreendemmassas, nas piores condições que lhe de milhões no combate, com a perfeitamente esta situação. Por issoimpõe sua direção, é heróica. aprofundação dos métodos de luta da ontem mandaram seus hordasToda a esquerda mundial que aplaude revolução proletária, o pendulo gira contrarevolucionárias, e o exército lhesesta política de “frente democrática”, de para a esquerda ficando Mubarak, todo abriu passo, enquanto lhes fechava“revolução democrática”, não faz mais o regime e o Estado burguês toda tentativa às massas de entrarque sustentar, ante os olhos do pendurado por um fio. armadas à praça.proletariado mundial, à direção A revolução está viva. Mas deve A burguesia compreendeu estaburguesa que se montou na praça da triunfar não só atirando a Mubarak, situação, negocia com uma fraçãolibertação. São um obstáculo para que também dissolvendo a polícia, burguesa “democrática” na praça, ea crise revolucionária resolva-se em formando destacamentos armados de pelo outro lado Mubarak diz “não mefavor das massas. operários, camponeses pobres e vou”, enquanto intenta levar aoO reformismo e os partidos social setores populares arruinados das desgaste e ao isolamento às massasimperialistas com a mentira de sua classes médias, pondo em pé comitês revolucionárias.“revolução democrática”, o único que de soldados e destruindo a casta de O regime procura nova base social. Afazem é impedir que o proletariado oficiais. As massas realizam burguesia joga a culpa às massas damundial veja que nos acontecimentos semelhante sacrifício e heroísmo no ruína financeira aberta “pelo desastreda Tunísia e Egito é a classe operária combate porque viram e compreendem do turismo”, dá aumentos parciais deque está protagonizando uma que somente derrocando o governo e salário à burocracia estatal, preparandoverdadeira revolução socialista, que ao regime conseguem o pão e o assim uma base social para novasjustamente enfrenta toda a burguesia, trabalho, as mesmas demandas pelas ações contrarevolucionárias. Mas issocom sua demanda de pão e trabalho quais se incendiou Tunísia, o norte da provoca a saída ao combate depara todos, atacando todas as África e agora Egito. milhões de operários que saem às ruasinstituições do Estado burguês e do A burguesia não pode permitir que como uma verdadeira coluna central dadomínio imperialista da nação. perdure durante muito tempo mais um revolução que começou.Insistimos, Egito não é Tunísia, já que, vazio do poder, mais ainda com um A burguesia conspira. O poder burguêsjunto ao Estado sionista de Israel, Egito duplo poder territorial e de auto- assenta-se na casta de oficiais doé o dispositivo contrarevolucionário organização embrionária das massas, exército, insistimos, e nas mesas demais importante do imperialismo no como o que existe já faz quinze dias e diálogos aonde vão os ministros, osOriente Médio; como o era o Sha Reza o que concentrou a atenção de todo o Irmãos Muçulmanos, o “Movimento 6Pahlevi antes da heróica revolução proletariado mundial. de abril”, e os “democratas” inseridosiraniana no começo da década de 80. A persistência das massas volta ao desde afora no combate.No Egito concentraram-se todas as governo de Mubarak não só cada vez Cada vez que há uma investida dasforças do imperialismo mundial não só mais débil, senão que fica atirando massas, anuncia-se que essa noite sepor isto, mas também porque em algum nafta ao fogo da situação. retira Mubarak. E no outro dia, tudolado têm que parar semelhante embate Também está no plano pôr o vice- segue igual. As massas perceberamrevolucionário das massas, que se está presidente de Mubarak com o apoio do esta situação. Apesar dos cavalos degeneralizando em todo o Oriente Médio exército e baseado num pacto com as Tróia e às direções reformistas doe, através dos operários do Magreb, forças “democráticas”, para impedir que movimento operário e as massas, aspode transformar-se na revolução do as massas tomem o poder. Isto está energias da revolução se fortalecemMediterrâneo e impactar toda a Europa. proposto também no imediato. AAli está o ódio das massas tunisianas situação seguiria altamentecontra o Chanceler do governo instável, profundamenteassassino da V República de Sarkozy. revolucionária.É que estes açougueiros imperialistas No Egito se joga nos próximos diassustentaram publicamente, até o final, o futuro imediato do proletariadoo odiado governo de Ben Alí. mundial. A classe operária no EgitoEsta é a tragédia das massas: tem ao alcance de suas mãos acorrentes sociais imperialistas sem tomada do poder. É que há umvergonha, inimigos de propor na vazio do poder, aberto por umaFrança que “o inimigo está em casa” e semi-insurreição e ação A polícia assassina de Mubarak reprime ásmarchar contra a V República ao grito independente colossal das massas. massas revolucionárias
  • 35. 35dia a dia. operários armados e os comitês de fascistas, como sucedeu na Bolívia; ouÉ por esta luta, que segue viva, que os desempregados, que controlam a no Quirguistão, onde no mesmoIrmãos Muçulmanos (irmãos também segurança nos bairros operários, onde momento do ponto culminante da crisede Mubarak, ao que sustentam desde já não há nem um só roubo, como revolucionária, com progroms inter-faz quase 20 anos e que têm 80 anuncia a imprensa imperialista, étnicos contrarevolucionários, rompeuparlamentares nessa duma da porque está presente a disciplina da as filas operárias.autocracia de Mubarak e Obama) não classe operária sob armas. Os comitês Pela energia e a ofensiva das massaspodem terminar de entrar ao governo de abastecimento e de controle sobram condições para centralizarde transição, a risco de perder toda sua inclusive garantem recolher o lixo de delegados operários, de estudantes ebase. Isso indica que a revolução ainda todos os bairros das cidades mais de camponeses pobres, num grandesegue viva e se estão por livrar as importantes da Tunísia. Isto significa congresso na “Praça da Libertação”,batalhas decisivas. que as massas decidiram tomar a para organizar a todas as massas emOs Irmãos Muçulmanos preparam-se resolução da crise em suas próprias luta de todo o Egito. Esse organismopara entrar em um governo com o vice- mãos. teria altíssima autoridade para pôr empresidente de Mubarak, e tentar dar-lhe Disso dá conta o diário espanhol “El pé uma milícia com as armaslegitimidade, junto com outros País” de hoje, demonstrando a arrebatadas à polícia assassina; e teriamovimentos “democráticos”, ao regime desespero e a histeria de toda a garantido o caminho à rupturadespótico de Mubarak, assentado nas burguesia mundial sobre este horizontal do exército.forças do imperialismo que saqueiam o desenvolvimento dos organismos de Embora isto não suceda, todos osEgito e todo o Oriente Médio. De duplo poder na Tunísia. olhos da classe operária combatentequalquer jeito, as chaves que temos Trotsky, na História da Revolução do Egito, do Oriente Médio e do mundoque explicar os revolucionários é que Russa dizia: “Um alçamento estão olhando essa praça. Ali estão ospor crises de direção, e por revolucionário que dure vários dias só que achataram as hordascentralização de direções que querem se pode impor e triunfar se consegue contrarevolucionárias de Mubarak. Elesimpedir que surjam e madurem os elevar-se progressivamente de degrau ainda têm a fortaleza e legitimidadesoviets, a classe operária ainda não em degrau, registrando todos os dias para chamar os soldados paratem conseguido resolver a situação a novos êxitos.” Isso é o que hoje sucede colocarem o canhão dos tanquesseu favor tomando-se o poder, sobre a na Tunísia. apontando contra o castelo de Mubarakbase de deixar em ruínas e achatar ao No Egito, o imperialismo olha de e não contra as massasregime infame de Obama e Mubarak, esguelha os processos revolucionários revolucionárias. As direções pequenoavançando decididamente ao triunfo de na Tunísia, e procura antecipar-se burguesas e burguesas estão ali parauma insurreição operária. justamente para que isto não aconteça. impedir justamente isto.Os reformistas depois falaram que “não Mas a revolução não se para, busca Os mesmos combatentes da praçahavia condições” para fazer-se do degraus para subir adiante dia a dia. como dissemos, hoje denunciam que opoder, que “não se podia romper ao Marrocos está no vermelho vivo. Ali se exército anda todos os dias um metro aexército”, “as massas são imaturas”, e prepara uma greve geral para 20 de mais com seus tanques para iro que tem para fazer é uma fevereiro. cercando-os e deixando-lhes cada vezAssembléia Constituinte, ou seja, As massas jordanianas, e com elas as com menos lugar. Esse é um símboloburguesa, chamada por um governo de massas palestinas, ameaçam entrar de como se prepara o Estado burguês,transição do vice-presidente de com manobras de revolução contra a com sua casta de oficiais, para afogar aMubarak e a casta de oficiais assassina monarquia assassina da Jordânia. revolução num banho de sangue.do exército. São traidores do As condições internacionais dão novas Destacamentos de operários e jovenssocialismo e da revolução operária. oportunidades às massas perspicazes já dão conta destaEstão dizendo que a saída é votar revolucionárias do Egito para que, situação.numa urna, dissolvendo assim as inflamadas de ódio, consigam dar um No Egito os generais de um estadoorganizações e a revolução de massas novo golpe certeiro derrotando a maior revolucionário já estão. Elesque começou que é o mais Mubarak, à casta de oficiais assassina reconhecem-se. Organizam-se nasdemocrático e legitimo de todo o Egito. e abrindo definitivamente a revolução praças, armam as barricadas,A força democrático-revolucionária é a operária. controlam a segurança em seusclasse operária, que tomando o poder bairros, organizam a comida, oresolverá não só a liberdades Insistimos, quando há vazio do abastecimento, atendem aos feridos,democráticas senão também a ruptura poder e crise revolucionária nas centralizam as armas arrebatadas àcom o imperialismo, e conquistará o alturas, a classe operária e as polícia nas cidades mais importantespão expropriando sem pagamento e massas que entram no combate do Egito.sob controle operário aos grandes devem tomar o poder. Toda Como dizia Trotsky em “Aonde vai abanqueiros, ao imperialismo, às revolução define-se em qual classe França?”, já existem as forçasempresas cerealíferas e demais toma o poder. materiais para pôr em pé um Estadosaqueadoras que deixam na fome aos O reformismo, o Fórum Social maior da revolução. O que falta são aspovos oprimidos do mundo. Mundial e todos os renegados do forças de um Estado maior trotskismo querem que o faça a revolucionário internacional capaz de Novamente a propósito de burguesia. Os trotskistas brigamos derrubar a favor dos combatentes Tunísia: porque triunfe a revolução operária e revolucionários egípcios o conjunto da Contra a fraude do governo socialista. situação, derrotando às direções “democrático” transitório, a Duas estratégias para a traidoras a nível internacional, classe operária e os explorados insurreição que começou: expondo-lhas ante o proletariado começam a pôr em pé os reforma do Estado burguês mundial, sublevando à classe operária organismos de duplo poder e de semicolonial putrefato ou francesa, espanhola e grega. armamento das massas revolução operária e socialista Muitos dos sem vergonhas dos renegados do trotskismo dirão depois,Insistimos, em ajuda das massas do A crise de direção agoniza. Há que se a revolução não triunfa ou éEgito, os operários da Tunísia alertar às massas dos perigos, definirprotagonizam novos levantes quem são seus aliados e quem sãorevolucionários. Ali está claro que ainda seus inimigos, e propor-lhes asdepois da saída do Bem Alí, as massas condições da vitória.estão dispostas a não deixar nem Quando há vazio do poder propõem-serastos do regime de opróbrio. duas alternativas: ou o poder toma aEstas novas jornadas revolucionárias classe operária; ou o retoma acomplementares na Tunísia estão burguesia, expropriando a revolução eimpulsionadas pelos comitês de fábrica preparando as condições para achatare de base dos sindicatos, que às massas. É quando consegue apagardespejaram e sobrepuseram à o fogo da revolução com a frente As massas revolucionárias na Praça da Libertaçãoburocracia sindical, e pelos comitês de popular, manda depois as bandas
  • 36. 36achatada ou expropriada, “que as Estes “revolucionários socialistas” lhemassas não tinha direção”, que “não dizem às massas que não há quehavia condições”, que teve um “baixo fazer o que fez a burguesia enível de consciência” e demais Robespierre em sua revolução noimundícias típicas dos traidores do século XVIII com Luis XVI, pondo suaproletariado. cabeça na guilhotina. Nem sequer são democratas A farsa da “revolução conseqüentes. São uns farsantes. democrática” das direções Porque, como pode ter uma traidoras do proletariado Assembléia Constituinte livre e Obama e à armadilha de substituir ao soberana, quando se toma uma governo de Mubarak pela democracia resolução na contramão do imperialismoAs condições para que a classe burguesa, que seria o aborto da não a poderá cumprir porque a burguesiaoperária e os explorados no Egito se revolução proletária. Por outro lado está a chamará ao exército e à casta de oficiaisfaçam do poder, isto é, o caminho mais teoria-programa da revolução para garantir sua propriedade com armascerteiro para derrotar a Mubarak e ao permanente, que propõe que só tomando na mão! Como será possível umaimperialismo que o sustenta, estão o poder, desenvolvendo os organismos Assembléia Nacional democrática emais que maduras. armados de centralização das massas soberana sem cortar-lhe a cabeça a LuisInsistimos, é uma “frente democrática” em luta, se pode comer, ter trabalho e XVI e sem ter cada homem um fuzil?! Osque vai desde El-Baradei e os Irmãos conquistar a liberdade e a independência teóricos da “revolução democrática”,Muçulmanos, até os partidos nacional. como dizia Trotsky, nem sequer são“anticapitalistas”, o que impede esta Isto é o que propôs e propõem os conseqüentes como democratasperspectiva. Eles, como Obama, todo o acontecimentos de todo o Oriente revolucionários. São uns farsantes. Sãoimperialismo e a burguesia mundial, Médio em geral e do Egito em correntes pequenas burguesas serventesestão dizendo o que há no Oriente particular. Cremos que esta conclusão do grande capital; nem socialistas, nemMédio e o norte da África é uma é chave para chamar a uma democratas.“revolução democrática”. Conferencia Internacional de todas as Não há nenhuma possibilidade,Cremos que devemos responder a esta forças sãs do movimento trotskista inclusive de que tenha uma Assembléiaquestão de forma decisiva. O que há no internacional e das organizações Constituinte livre e soberana, se nãoEgito, na Tunísia e no Oriente Médio é operárias revolucionárias. desarma à burguesia, arma-se ouma revolução operária e socialista que São duas barricadas. De um lado, o proletariado e se toma o poder.tem começado pelo pão e o trabalho. menchevismo, o stalinismo e os O grupo dos iranianos que romperamPara consegui-lo há que expropriar, com renegados do trotskismo. Do outro lado, com a tendência de Alan Woodsos métodos da revolução, os bancos, as os trotskistas e a IV Internacional. propõe que “não se pode avançar acerealíferas, os poços de petróleo, a Estamos lendo as declarações da LIT, do derrotar a Mubarak e tomar o poderterra; e a sua vez há que começar por PTS, do NPA e do grupo iraniano que porque não há partido revolucionário”.derrotar a todos os governos e regimes rompeu com a IMT – Tendência Marxista Parece mentira que esta gente falesustentados por toda a burguesia e o Internacional- de Alan Woods, propõem para a classe operária do Egito queimperialismo mundial. que “o proletariado ainda não está não façam o que fizeram as heróicas“Revolução democrática”? MENTIRA. maduro para tomar o poder”, “não háComeçou uma revolução operária e massas iranianas na revolução a condições para que surjam os soviets” e principio dos 80, que tomaram todossocialista, a única que, se triunfa, poderá que “há que chamar a uma Assembléiaresolver as tarefas democráticas dos os quartéis, romperam o exército, Constituinte livre e soberana”, oupaíses atrasados, como a questão armaram-se até os dentes, puseram “revolucionária” como chamam alguns.agrária e a ruptura com o imperialismo. em pé os comitês de operários (os Isto é uma traição à revolução queAinda mais, só com os métodos da começou. Isso significa apoiar a posição Shoras) e não deixaram pedra sobrerevolução proletária, isto é, o dos Irmãos Muçulmanos, do Baradei e o pedra da monarquia assassina doarmamento do proletariado, os soviets movimento pequeno burguês “6 de abril”, Sha Reza Pahlevi.e a insurreição, pode-se levar até o de que há que fazer um governo de A esta gente há que responder-lhe quefinal o desmantelamento e transição chamando a eleições livres. E não chegam nem aos calcanhares àsesmagamento dos regimes para estes traidores, estas eleições livres massas revolucionárias do Irã dos 80.autocráticos contrarevolucionários, tenderiam que ser… para uma Suas afirmações saem do esgoto doaqueles que o imperialismo exerce seu “Assembléia Constituinte”. Isto é, quando menchevismo. É como se osdomínio sobre a absoluta maioria do há vazio do poder, quando o estado bolcheviques lhes dissessem àsplaneta. burguês está fendendo-se, dizem ao massas que não se pode fazer aIsso também é o que demonstra a proletariado que não tome o poder, para revolução de fevereiro de 1917, partir oheróica revolução das massas da que o retome a burguesia. Chegou a hora exército e pôr em pé soviets, porque oTunísia, que hoje segue no Egito e se de definir com clareza ao proletariado partido bolchevique ainda era minoriaespalha pelo Oriente Médio. mundial quem está pela revolução nos soviets em fevereiro. socialista e quem são seus entregadores. Estamos frente a uma falácia. Esta éA esquerda de Obama nos quer dizer, Estamos frente a uma falácia e uma gente que levanta “pão, paz e terra” ecomo fazem o PTS (Partido Irmão da traição aberta ao proletariado. “que tome o poder uma instituiçãoLER-QI), a LIT-QI, os “anticapitalistas,” No Egito, no resto do Oriente Médio, naetc., que o imperialismo “expande burguesa, e não os soviets, para África e em todo o planeta as conquistar estas demandas”.democracia” e “civilização condições estão mais do que madurasdemocrática”, quando na realidade para a revolução socialista. O que faltaexpande é barbárie, fascismo, Há que dizer a verdade. As condições é uma direção que proponha o caminho ótimas para construir o partidoautocracia e governos à tomada do poder. Quem está “emcontrarevolucionários em 90% do revolucionário são na luta pelos soviets crise” e se pôs “imatura” é a burguesia, e a tomada do poder. Somente nesseplaneta. Como propunha Trotsky, a que está encurralada por uma brutaldemocracia é um luxo somente dos processo poderá madurar o fator investida de massas, como no Egito e subjetivo, como o fez o partidopaíses ricos, que agora já não se pode todo o Oriente Médio.sustentar porque na terra do bolchevique, sobre as ruínas do regime Estas correntes lhe estão dizendo à czarista, de fevereiro a outubro de“democrático” Obama os xerifes classe operária que não se faça dofascistas matam como o coiote os 1917. poder, para que o tome a burguesia Mas a condição para que isso sejaoperários imigrantes que procuram “democrática”. Uma verdadeira infâmiaentrar nos EUA. assim, para terminar com a época das porque as liberdades que existem já as adaptações nacionais dos movimentos conquistaram as massas com seu revolucionários a sua própriaOs trotskistas devemos denunciar que no combate, com sua luta revolucionária e burguesia, há que pôr em pé um centroEgito enfrentam-se duas teorias e doisprogramas no campo de batalha. De um com seus mortos. Porque não há internacional que, derrotando aslado está a teoria-programa da “revolução “democracia” se as massas não se direções traidoras, avance em refundardemocrática” e “a revolução por etapas”, armam, destroem ao exército, sacam a IV Internacional de 1938.sustentada por todos os renegados do de cena aos fascistas e penduram na Esperamos que estas reflexões lhestrotskismo, que encobrem por esquerda a Praça da Libertação a cabeça de sejam de utilidade para que, entre Mubarak.
  • 37. 37todos, possamos fortalecer o melhor O confronto, então, não é entreprograma e estratégia para que democracia e fascismo, como diz atriunfem as massas revolucionárias, e esquerda reformista mundial. Não éavançar a um novo salto e entre laicismo versus islamismo. Noreagrupamento superior das forças sãs Egito como na Tunísia se demonstrado movimento trotskista internacional. que a burguesia islamita, laica eEstamos enviando a toda a FLTI as “democrática” e os chefes das bandasdeclarações já traduzidas do fascistas, são todos agentes diferentessecretariado africano sobre a Tunísia e Os explorados enfrentam a repressão no El Cairo do mesmo patrão, do imperialismo queo Egito, que a FLTI as tomou como controla o planeta e a economiapróprias. enterrou em fossas comuns a 300.000 mundial.Devemos focar todas nossas forças em operários martirizados no Haiti. Cada vez mais, a alternativa éexplicar de forma cada vez mais simples, Digamos a verdade: são a esquerda de comunismo ou fascismo. A revoluçãoque os processos revolucionários que Obama, são social imperialistas. Contra socialista ou a guerra. Essa é acomeçaram são os primeiros passos de o 10% de semelhante traição se alternativa histórica e nos combates dauma verdadeira revolução operária e juntaram os revolucionários em Tunísia e do Egito a revolução lhe vê asocialista, porque, junto a tudo o que Kienthal e Zimmerwald, na Oposição cara à burguesia e ao imperialismo. Sedemonstramos mais acima, a revolta e as de Esquerda, e depois no Congresso a vê frente a frente.revoluções no Oriente Médio e o norte da de fundação da IV Internacional, A covardia das direções traidoras e seuÁfrica atacam ao plexo e à têmpora do continuador da III Internacional submetimento ao imperialismogrande capital financeiro, que com suas revolucionária de Trotsky e Lenine. impedem às massas tomar-se o poderempresas cerealíferas, de commodities e Fora as mãos do social imperialismomatérias primas fizeram subir os preços de forma decisiva.artificialmente, para obter lucros das aguerridas massas revolucionárias A “democracia” e seus diferentes do Magreb e Oriente Médio! instrumentos de colaboração de classes,parasitários, matando de fome e Devemos denunciar implacavelmente, como a frente popular, não são mais doafundando mais e mais na miséria a ante os olhos da classe operária mundial, que a forma com a qual se tentamilhões de explorados do mundo. Isto que sua revolução, que nossa revolução, desorganizar e desmobilizar as massasinda não o compreendeu até o final as a dos explorados, começou no Oriente desde adentro, para que a oficialidademassas revolucionárias. Há que dizer-se- Médio e no norte da África. Esta deve assassina do exército e as bandaslho. À classe operária do norte da África, estender-se a Europa; deve voltar a contrarevolucionárias achatem depois àsdo Egito e todo o Oriente Médio há que Grécia revolucionária; deve voltar a massas já desarmadas e com suasdizer-lhe a verdade: seu combate não ofensiva revolucionária da classe forças esgotadas.somente é contra Mubarak e seu regime, operária européia. Há que derrotar a Estas ações contrarevolucionárias sãoé contra todo o dispositivo Obama-Mubarak, aos assassinos da as que se estão preparando contra ascontrarevolucionário montado por eles classe operária internacional e os povos massas revolucionárias do Egito e opara achatar a todas as massas da oprimidos do mundo. Há que unir-se, no mundo. Chegou a hora de golpear aregião, começando pelo massacre ao combate contra a carestia da vida, com a mesa. Ou por pão, trabalho, e ditadurapovo palestino. Há que explicar revolução boliviana que novamente tenta do proletariado; ou por “liberdade” epacientemente que nessa luta pelo pão pôr-se de pé, já que para que tenha pão,se enfrenta o grande capital financeiro da “democracia”, com fome e miséria, que como o demonstrou Madagáscar, há quecity de Londres, Berlim, Paris e Wall traz aparelhada a mão do fascismo. se armar, e como em 1917 na Rússia, háStreet, onde o capital parasitário se Menchevismo e Bolchevismo são cada que tomar o poder.voltou a inflar artificialmente os preços vez mais irreconciliáveis na história.das commodities para obter super lucros, Novamente volta a agitaçãoenquanto levam à fome generalizada, à revolucionária das massas na Bolívia. A burguesia “bolivariana” e Que viva então o combate da FLTIcarestia da vida, à desesperação, por refundar a IV Internacional!desnutrição e barbárie à ampla maioria “antiimperialista” está aplicando, assimdo planeta. como Mubarak, um novo ajuste generalizado no transporte e nos Faz apenas 2 anos conseguimos pôrComo vai ser “revoluções em pé um ponto de apoio parademocráticas”, insistimos, as alimentos. Aumentaram um 100% os produtos de primeira necessidade. As concentrar as forças dosrevoluções que atacam ao coração de revolucionários e dispersar as dosWall Street, ao imperialismo mundial, e massas exploradas da Bolívia estão comendo pão uma vez por dia. reformistas.ao parasitismo brutal desse monstro O levante revolucionário do Egito echamado capital financeiro? A classe operária e as massas oprimidas do mundo são atacadas no Oriente Médio nos dá e nos dará novasIsto devemos explicar-lhe às massas que Oriente Médio, na China, etc. por possibilidades e oportunidades.estão em estado de revolta e revolução, e governos ditatoriais, bonapartistas, etc. Devemos emitir um chamado audaz deà classe operária mundial. Na Praça daLibertação do El Cairo se combate contra e na America Latina por os governos forma imediata, que separe comWall Street, contra os parasitas da City “nacionalistas” bolivarianos, supostos clareza quem é reformista e quem éde Londres e do Bundesbank, e contra “antiimperialistas” e demais governos revolucionário no movimento marxistatoda a burguesia mundial. É o combate capitalistas, sustentados por esse mundial.de toda a classe operária, que não pode rejunte de direções traidoras da V Este chamamento completará acentralizar suas forças porque suas Internacional. É o mesmo plano que declaração sobre a situação mundial edireções delegam nos imperialismos aplicam os irmãos Castro na Cuba a revolução no Egito, no norte da África“democráticos” a solução do pão, do demitindo a um milhão e meio de e Oriente Médio que estamostrabalho e da independência nacional. É trabalhadores da produção para salvar escrevendo.a mesma burguesia “democrática” Insistimos, tomem as cartas diárias, a essa lacra da burocraciaimperialista que submete 90% do planeta como esta nota, como aportes, como restauracionista.como a China, Índia, todo o Oriente pontos de reflexão. Desde o centroMédio, África, o leste da Europa e a O ataque do capital não dá nem poderá dar sossego. O grande capital temos a obrigação de dar nossamaioria da America Latina, com regimes opinião, inclusive para ser corrigidos editatoriais, autocráticos, monárquicos, financeiro em bancarrota criou uma nova bolha, açambarcando os cereais, colaborar com a elaboração coletivabonapartistas, fascistas, e com regimes e que todos realizamos.estados de ocupação como o commodities e minerais para aumentar ficticiamente seus preços. Isso Juntos temos que passar este novocontrarevolucionário Estado sionista de provocou carestia da vida, inflação, teste ácido, e o estamos fazendo.Israel, e as tropas ianques que fome, desemprego, que se tornam Temos uma bagagem de lições dosmassacram e invadem Iraque eAfeganistão. insuportável para as massas em todo o processos revolucionários anterioresÀ democracia burguesa imperialista de planeta. Esta vez, no Egito e no como para passar indemnes estaObama, Sarkozy e demais lixos Magreb, como ontem na Europa, prova.assassinos das massas, a chamam de Madagáscar, Guadalupe, Tailândia ou“progressista”, quando é a mesma que Quirguistão, está proposto reagrupar as Um forte abraçomandou a Palestina, Iraque e o filas da classe operária mundial para Secretariado de CoordenaçãoAfeganistão à idade média e a que lançar uma contra-ofensiva das Internacional da FLTI massas.
  • 38. 38 29/01/2011 Primeiras Lições da revolução tunisiana pobres a todas as partes da Tunísia, que incluam delegadosA situação na Tunísia reflete um fato do Programa de dos soldados rasos; pela extensão da milícia operária comoTransição: “Nos períodos agudos de luta de classes, os parte desses comitês a toda a Tunísia.aparelhos dirigentes dos sindicatos se esforçam p or - Pela formação de um conselho nacional de delegados deconverter-se em amos do movimento de massas para base de comitês operários e de camponeses pobres, comdomesticá-lo... Em tempo de guerra ou de revolução, delegados dos desempregados e os soldados rasos.quando a situação da burguesia se faz particularmente - Todo o poder aos comitês de base de operários edifícil, os chefes dos sindicatos se transformam camponeses pobres.ordinariamente em ministros burgueses”. Os dirigentes da - Abaixo o governo interino do regime de Ben Ali e a UGTT.UGTT se viram obrigados a posar como combativos, de Ruptura com os capitalistas; expropriação de Ben Ali, todosestar do lado das massas, para desde dentro do movimento os capitalistas tunisianos e todos os bens capitalistas e osoperário cumprir os desejos do imperialismo de tentar de bancos sem indenização, centralizados e sob controledescabeçar a revolução e levar a luta das massas ao operário (isto é que os operários tomem o poder de todos osterreno burguês. Agora que o agente do imperialismo norte- meios de produção); expropriação de todas as granjasamericano, Ghannouchi, atribuiu mais postos à “oposição” capitalistas e joint ventures com o imperialismo, semburguesa, incluindo a UGTT, os dirigentes da UGTT agora o indenização para os capitalistas, sob controle dos operáriosaceitam. Estávamos no correto quando expúnhamos que o agrícolas; nacionalização da terra e redistribuição da terragoverno de “salvação” como o tinha proposto a UGTT para os comitês de camponeses pobres baseados naincluía parte do velho regime e que manteria o aparelho decisão conjunta dos comitês de operários rurais e osrepressivo intacto. Os dirigentes da CSI (Confederação comitês de camponeses pobres. Só um governoSindical Internacional) revolucionário baseado nosenviaram delegados para comitês de operários eTunísia para apoiar á camponeses pobres, unindoUGTT e ajudar a impor os às massas em luta desdeplanos do imperialismo. suas bases pode expropriarO chamado dos dirigentes aos capitalistas, todos os bensda CSI foi o mesmo que o imperialistas e os bancos.do NPA e a falsa - Expulsão dos dirigentes daesquerda: por uma UGTT do movimento operário.“Tunísia Democrática e Pela ruptura da UGTT com asSocial”. Por “social” a CSI sobras do regime capitalistaqueria dizer que as de Ben Ali (títeres doreformas econômicas imperialismo norte-americanodeveriam ser e francês).implementadas, mas sob o - Pelo imediato controlemesmo regime capitalista operário da distribuição deque estava antes. Isto dá As massas na Tunísia não reconhecem ao comida para que as massasuma cobertura á traição da governo e rodeiam a cidadela do poder possam comer.revolução tunisiana, em - Distribuição do trabalho entreessência: tirar os olhos dos operários da tomada do poder as mãos disponíveis para trabalhar.por uma promessa de “reformas econômicas”. Esta é a - Por salário indexado ao aumento dos preços.mesma política de Ben Ali, o seja do imperialismo norte- - A igual trabalho igual salário no Norte da África e aamericano e francês, mas sem Ben Ali. Como pode a classe Europa.operária tunisiana conseguir a comida e o trabalho sem - Expropriação nos centros imperialistas das empresasexpropriar aos capitalistas tunisianos e os ativos imperialistas que saqueiam Tunísia, o norte da África eimperialistas e pô-las sob controle operário? Como podem Oriente Médio. Isto só pode fazer-se se a classe operáriaos operários comer se o poder está ainda em mãos dos toma o poder por meios revolucionários nos centroscapitalistas (o regime de Ben Ali e o imperialismo)? Como imperialistas.pode o governo interino trazer alguma mudança - Precisamos um partido revolucionário da classe operáriademocrática se tem restos do regime de Ben Ali? na Tunísia como parte da refundação da IV Internacional.¡Ghannouchi e toda a burocracia de Ben Ali devem ir-se! Por uma conferência internacional no Egito dasOs primeiros planos deste novo “governo interino” é organizações operárias revolucionárias e os trotskistasimplementar “leis anti-terroristas”, em outras palavras internacionalistas para preparar a refundação da IVimplementar o mesmo programa que o regime títere pró- Internacional.norte-americano de Ben Ali. Estas leis “anti-terroristas” são Uma revolução “tunisiana” pode explodir em qualquersó o fortalecimento do regime capitalista para tomar duras lugar do planetamedidas contra a classe operária agora.Uma falha crucial da classe operária tunisiana foi o fracasso Um rasgo fundamental da dominação capitalista-imperialistade que a revolução ocupe e tome os meios de produção (as hoje é a supressão dos direitos básicos democráticos nasmineradoras, transportes, granjas capitalistas, indústria colônias e semi-colônias. Conceder direitos democráticoscapitalista, etc.) e os bancos e pô-los sob controle operário. completos significa abrir o caminho a competidoresOu mas precisamente a direção da UGTT alentou aos imperialistas a que desenvolvam sua dominação. Numoperários a que renunciem a seu controle e participem da mundo dominado pelo imperialismo, o desenvolvimento“Caravana pela libertação” para atuar como um instrumento capitalista nas semi-colônias se baseia desta forma nade pressão para a direção pequeno burguesa da UGTT e repressão da classe capitalista nativa e a classe média. Apara evitar que a classe operária construa e fortaleça seus classe capitalista nativa e as classes médias altas, do modoorganismos de poder alternativos (soviets). A frente popular que se lhes permite desenvolver-se, não têm existênciados dirigentes sindicais com os burgueses lacaios do independente do imperialismo -são o produto de uma guerraimperialismo é o que tenta trair a revolução tunisiana. de classe de quando as massas nativas se levantaramO isolamento da revolução tunisiana (e do norte da África) contra décadas e séculos de dominação colonial. A chegadados centros imperialistas devido ás forças do Fórum Social ao poder de uma seção da classe média nativa, como umMundial, os stalinistas, a classe média de esquerda, é um meio de desviar e evitar que a classe operária tome o poderfator fundamental que dificulta a atual contra-ofensiva do (graças ao stalinismo) deu-lhe uma nova forma ao controleproletariado mundial. do imperialismo. Todos os “movimentos de libertação” foramNosso programa para Tunísia se mantém em essência - bonapartistas, posando como figuras paternas ou tomandoExtensão dos comitês de base de operários e camponeses a forma de ditaduras militares; todas elas geralmente se
  • 39. 39elevavam acima dos conflitos de classes, mas em última imperialismo com as semi-colônias é que geralmente asinstância atuando a favor dos interesses imperialistas, semi-colônias são plantas ensambladoras, depósitos egarantindo sua dominação das massas. exportadores de matérias primas para o imperialismo.Depois de décadas de experiência com estes regimes Portanto, por exemplo, uma revolução operária numa semi-bonapartistas nas semi-colônias, estão-se expondo como colônia deve estar diretamente relacionada com a tomadaanti-operários e como correia de transmissão para atirar do poder pela classe operária em vários centroscrise capitalista mundial sobre a classe operária e os imperialistas para poder conseguir o pão e o trabalho. É porpobres. Com uma destruição a grande escala dos isso que a heróica revolução na Tunísia e Egito deve sercamponeses e aumento do proletariado, o capitalismo estendida pela tomada do poder da classe operária atravésengendrou a seus sepultureiros. O maior peso do da revolução na Europa imperialista e nos EUA, porproletariado a escala mundial, especialmente nas semi- exemplo, para conquistar o socialismo. Esta tarefa propõe acolônias, é o que lhe dá ás revoluções “tunisianas” uma posta em pé de uma Internacional revolucionária combase sólida e assim a tendência a ir até o final nas lutas seções nas semi-colônias e os centros imperialistas comoatuais. tarefa imediata.Revoluções são possíveis na Arábia Saudita e os Emirados A última fase da crise imperialista mundial que começou emÁrabes, Chinesa, Zimbábue, Coréia, Rússia, Jordânia, 2008 está atravessada pela monopolização da comida doIêmen, Líbia, contra Israel, etc. mundo, como o trigo, soja, etc. para fazer subir os preços;Por outro lado a profundidade da crise capitalista também está novamente marcada pelo aumento artificial do preço dosignifica que a classe operária nos centros imperialistas petróleo. Estes são as medidas desesperadas doestão sob um ataque sem precedentes. Na medida em que imperialismo para aumentar seus lucros, sem importar quea disputa interimperialista se agudiza, alguns dos milhares de milhões no mundo sejam empurrados á fome eimperialismos menores como Grécia estão sendo a morte. Estas são as condições objetivas para a revoluçãoempurrados a converter-se em semi-colônias. O partido de socialista a escala mundial.Ben Ali (até que foi tardiamente expulsado) era parte da Enquanto os capitalistas começam sua ofensivaInternacional “Socialista” como o PASOK (Partido contrarevolucionária mundial, Tunísia e agora Egito,Socialdemocrata da Grécia), o partido que atualmente marcam o caminho para a classe operária mundial paragoverna na Grécia que está largando a mesma ofensiva do uma ofensiva revolucionária. O fantasma do socialismoFMI contra as massas (o mesmo que o Partido Socialista da novamente sobrevoa as cabeças das forças capitalistas.França, o Partido Laborista na Grã-Bretanha lançaramontem, e que hoje é levada adiante por Sarkozy e Cameron- WIVL da África do SulBrown). As massas tunisianas mostram o caminho para o Integrante da Fração Leninista Trotskistaproletariado grego, francês, britânico e de Europa em geral. InternacionalA questão é que para que as massas consigam o pão e otrabalho, a classe operária deve tomar o poder através deformas revolucionárias. Mais ainda, a relação entre o Vem da Contracapa tivesse posto ante um tribunal em 1956. O manejo da economia foi DECLARAÇÃO DA FLTI DO operário. O governo de “unidade” dado a uma elite local enquanto em não pode nem sequer tomar estes realidade o imperialismo manteve o 25-01-2011 passos básicos porque seu objetivo controle do mais importante da real é estrangular a revolução. O economia. Este processo foi Sobre o suposto período de duelo objetivo real do estado de sitio é replicado em toda a África onde a de três dias impedir que as massas se reúnam e classe média local usurpou a luta se organizem para tomar o poder revolucionária das massas.O governo de “unidade” ilegítimo em suas próprias mãos. Não teveesta desesperado por começar a estado de sitio para a família de Ben O papel do stalinismo (e daganhar credibilidade e esconder Ali quando se foram com uma “esquerda” que capitula ante eles)sua falta de apoio entre as massas. tonelada e meia de ouro. O governo apoiando a dominação imperialistaÉ por isto que o imperialismo lhe de “unidade” foi cúmplice nestedeu instruções de chamar a 3 dias roubo das massas tunisianas. É por Os Partidos Comunistas Stalinistasde “luto”. Estão-se reunindo com isto que a demanda central deve (PCs) jogaram um importante papelseus aliados neste período incluindo ser: Fora o governo de “unidade” contra-revolucionário recusando-seaos dirigentes da UGTT para dos lacaios imperialistas! a chamar à classe operária a queplanificar seus próximos passos no Expropriação de Ben Ali e todos os tome o poder em suas própriasestrangulamento da revolução da capitalistas tunisianos! mãos e apoiando á pequenoTunísia. Imaginem, os assassinos de Expropriação de todas as burguesia local (dirigindo osuns 200 tunisianos estão levando propriedades imperialistas! Por um movimentos revolucionáriosadiante o chamado a duelo pelos governo operário e dos nacionais) para converter-se emque eles massacraram! Quem pode camponeses pobres! novos gerentes do imperialismo. Osrealmente tomá-los em sério? Só os pan-africanos que tomaram ostraidores da revolução. O primeiro O regime tunisiano do RCD é um países, montando-se sobre aspasso, que qualquer regime lacaio do imperialismo costas das massas da África,democrático deveria ter tomado, também foram sustentados pelativesse sido o levantamento do São o imperialismo francês e dos “esquerda” de todo o mundo que osestado de sito para que as massas EUA os principais responsáveis da etiquetavam como líderespossam exercer sua nova ganhada fome das massas tunisianas. “socialistas”. Inclusive Mugabe,liberdade a associar-se e a reunir- Quando a dominação colonial direta Nasser e Bourguiba (o primeirose com quem queira que elejam. do imperialismo francês já não era presidente do governo tunisiano doTambém tivessem posto em mais possível, sob a ameaça da RCD) foram também etiquetadosdebandada à polícia, a mesma que revolução por parte das massas como “socialistas” nesse então pelaperpetrou os assassinatos, e a tunisianas, a Tunísia se lhe outorgou “esquerda”. uma independência política limitada
  • 40. 40O que era central para o desprestigia ante oscontrole das massas era olhos das massas,a visão de “socialismo trabalham paranacional”, em outras retomar o controlepalavras, a possibilidade através de outrosde conseguir o agentes que têmsocialismo numa semi- estado preparandocolônia sem a classe desde faz tempo.operária tendo quetomar o poder nos A revolução tunisianacentros imperialistas. está sendo levada aAinda mais, o caminho cabo pela classeao socialismo (assim os operária tunisianaPCs argumentavam) que sendo reprimidarequeria da dominação durante muitos anos,durante muitos anos da rompeu com seuclasse media Africana. regime, todos osAssim, a política do partidos políticosstalinismo e a burgueses e com acapitulação da direção da UGTT.“esquerda” mundial ao Contra as massasstalinismo é o que tunisianas está osustentou o saque imperialismo mundial, Mobilização das massas revolucionárias tunisianasimperialista na África todos os partidosdurante os últimos 60 burgueses, osanos. Especificamente, enquanto o delegados dos comitês regionais e stalinistas e a falsa esquerda, todosRCD se mantinha com uma brutal locais, com delegados de todos os eles estão centralizados a níveldominação policial desde 1956 (há lugares de trabalho, delegados de mundial. Com as massas tunisianas150.000 polícias na Tunísia), o desempregados, dos camponeses está a classe operária mundial e aimperialismo também sustentava ao pobres, dos soldados de base. possibilidade real de que aregime tunisiano através do apoio Como parte destes comitês deve de revolução tunisiana seja exportadado movimento dos sindicatos, a generalizar-se a milícia operária não só ao Norte da África, o restoUGTT, e principalmente do apoio do armada que dirigirá ás massas para da África e Oriente Médio, senãostalinismo (através do PC - o derrotar aos bandidos armados do também, aos centros imperialistas.Ettajdid) e os maoístas (PCOT) e a regime de Ben Ali e porá em É por isto que o imperialismo“esquerda”, todos eles dirigem em debandada e deslocará francês e de EUA aconselharam adiferentes graus estes movimentos completamente todas as Ben Ali a que se tome o primeiro vôosindicais. Os dirigentes da UGTT delegacias, o bastão de Ben Ali e do a Arábia Saudita. A própria imagemtêm consistentemente apoiado o terror imperialista durante anos. das massas diretamenteregime do RCD através dos É este Conselho Central de derrocando ao regime de Ben Ali emassacres das massas por anos; delegados dos Comitês Regionais e submetendo-o a este e a seusapoiaram os programas estruturais Locais de Proteção e Supervisão da secuaces à justiça operária é o quede ajuste do FMI, o colapso da Revolução o que deve tomar o o imperialismo queria evitar aagricultura auto-suficiente como poder em suas próprias mãos e qualquer custo- isto tivesse dado àparte das demandas da imperialista constituir o governo operário e de classe operária mundial um claroOMC (Organização Mundial do camponeses pobres. Isto pode ser exemplo de como combater aComercio) e ao princípio, só baseado na expropriação da ofensiva capitalista imperialistaabertamente se opuseram a esta classe capitalista tunisiana e todos mundial. Isto é o que osrevolução das massas tunisianas. os bens imperialistas. imperialistas e seus agentesConcordaram enviar 3 dirigentes a A isto lhe segue como uma tarefa escondem e o que queremser parte do governo de “unidade” democrática imediata a expulsão da minimizar. Trabalham dia e noitedo RCD, até que as massas direção pró-imperialista da UGTT, para tampar que a revoluçãorodearam seus quartéis (locais) e começando por Abdessalem Jared, operária, trabalhadores formandoameaçaram com derrocar a toda a e purgar a estrutura estalinista da seus próprios órgãos de luta edireção da UGTT. Ainda quando as UGTT que está baseada num ações de massas revolucionáriasmassas estavam nas ruas atirando o controle burocrático de uma para derrocar aos regimes lacaiosregime do RCD (depois o pequena camarilha. do imperialismo, é o único caminhoimperialismo lhe disse a Abedine Ghannouchi é um verdadeiro para que a classe operária freie aBen Ali que tome o próximo vôo a Principe Lyvov (uma ferramenta do ofensiva capitalista mundial.Arábia Saudita), os dirigentes da imperialismo para tentar e dar-lhe De repente, os que tinhamUGTT estavam ainda dizendo que um final à crise capitalista do sustentado a ofensiva imperialistaestavam preparados a aceitar a regime e evitar que a classe contra a classe operária, agoraGhannouchi “Premiê”, sendo ele operária tome o poder). Ele e seu posam como os maismesmo um ministro do RCD desde governo de “unidade” devem ir-se “democráticos”, tratam de cobrir1999. (Ghannouchi é um ex diretor agora! seu apoio à ditadura de Ben Ali. Elesdo FMI imperialista - Fundo Apesar das ações das massas o ex prometem o mundo, em tanto eMonetário Internacional). A direção Partido Comunista de Tunísia, o quanto as massas não tomem emda UGTT é um dos principais pilares Ettajdid, é ainda parte do governo suas próprias mãos os bens dodo imperialismo para controlar às de unidade, aclamando que imperialismo e as tarefas de auto-massas. Ghannouchi não tem laços com o governo.A isto lhe segue que a tarefa mais RCD- um melhor sustentador do Repentinamente, toda classe deimediata das massas imperialismo dentro do movimento oportunistas estão saindo à luz-revolucionárias é estender as operário é difícil de encontrar. Por todos agentes do imperialismo-estruturas em luta dos Comitês para isto, Ghannouchi, Mebazaa, Jared e Raschid Ghannouchi do partidoa Proteção e Supervisão da todos os dirigentes do RCD e Islâmico quer postular-se aRevolução a todos os lugares de Ettajdid deveriam enfrentar um presidente, Moncef Marzouki quertrabalho, granjas, minas, de fato em tribunal operário por seus crimes ser presidente. Abdessalem Jared,todos os cantos da Tunísia, estes contra as massas tunisianas. dirigente da UGTT chama a umcomitês precisam estar O imperialismo sempre sustenta a “governo de salvação nacional”. Ocentralizados num conselho muitos agentes (diferentes partidos “Secretário Unificado” da IVnacional dos Comitês de Proteção e políticos e/ou diferentes dirigentes), Internacional (USFI-UnitedSupervisão da Revolução, com então, quando um agente se Secretariat of the Fourth
  • 41. 41International) que teve trabalho na governo deUGTT apóia o chamado a este “salvação” contra o“governo de salvação nacional”. imperialismo-Quando lhe serve ao imperialismo, capitalismo. Isto éusam dirigentes laicos como Ben Ali como que uma ovelhapara controlar às massas; em lhe peça ao zorro queoutros casos não duvidam em usar a ajude a planificardirigentes religiosos para achatar uma política contraàs massas; por exemplo, o regime ele.Saudí, Osama Bin Laden e O verdadeiro caráterMujahideen em Afeganistão contra a capitalista doinvasão estalinista, etc. O governo de “unidade”imperialismo enviou a Khomeini a e do “governoinfiltrar e decapitar a revolução nacional de salvação” Com suas barricadas e seus piquetes as massasoperária iraniana de 1979 desde é desmascarado na Tunísia abrem a revoluçãoadentro (30.000 militantes foram mediante a tarefaexecutados em 2/3 anos de central: romper com a burguesia, a e o RCD. É o imperialismo o queKhomeini tomando as rédeas do qual toma a forma de Expropriação regula o tamanho da classe médiapoder político). Em outros casos, a Ben Ali, de todos os capitalistas tunisiana e suprime o crescimentousam dirigentes sindicais como de Tunísia e de toda a propriedade de qualquer classe capitalistaLech Walesa que foi usado pelo imperialista e os bancos, sem independente tunisiana. É oimperialismo para estrangular a compensação aos capitalistas, e imperialismo o que foi direta erevolução operária polaca. sob controle operário! Esta é a indiretamente responsável da fomeO que une a R. Ghannouchi e única base sobre a qual um governo de Mohamed Bouazizi e os centosMarzouki é seu chamado à “paz” e o dos trabalhadores e camponeses de milhares, milhões de Bouazizis“fim à violência” que no contexto pobres pode ser formado. O que se na região, em toda África, em todoatual significa manter intacto o precisa é uma Republica Soviética, mundo. Agora que seu lacayo foiaparelho repressivo do assassino não que volte ao desprestigiado, trabalham dia eregime e evitar que as massas “parlamentarismo”, o qual é outra noite para instalar um novo regimearmadas façam justiça operária. forma de ditadura da classe capitalista que o imperialismo vaiEstão competindo para converter- capitalista e assim do imperialismo. seguir controlando. Argélia, depoisse nos novos gerentes do de 48 anos de “independência”,imperialismo para controlar às O imperialismo controlava a ainda só tem um produto paramassas tunisianas. Deram-se conta economia de Tunísia, controlam a exportar, o petróleo cru. Todaque eles não jogaram nenhum papel economia do Norte de África, a África, e as semi-colônias e colôniasno atual estadío da revolução e são produção de petróleo mundial e são exportadoras de matériasos que estão propondo que as efetivamente todo mundo semi- primas, produtos não-processadoseleições se posponham por 6 meses colonial ou se converteram em plantaspara dar-lhes tempo a eles a ensambladoras e depósitos para aconstruir alguma credibilidade nas Enquanto Tunísia produz 92.000 produção controlada domassas assim podem trair melhor. barris de petróleo por dia, só refina imperialismo. Arábia Saudita não éOs dirigentes da central UGTT estão 32.000 destes e deve importar a nada mais que um campo dechamando a um “governo de maioria de seu requerimento diário escravos do imperialismo de EEUUSalvação” com aqueles do estilo de de combustível. Ainda Irão que é um que controla a produção deR. Ghannouchi e Marzouki. Em dos líderes em produção de petróleo, sustenta o regime brutaloutras palavras, também apóiam petróleo deve importar seus diretamente através das basesmanter à polícia assassina e a todo requerimentos de petróleo. Por isto, militares ianques e indiretamenteo aparelho repressivo. O USFI, com é um mito que os países da OPEP através do regime fascista de Israel.o apoio à direção nacional e controlam a produção mundial de Chegou a hora de sacar-se de emregional da UGTT, também apóiam a petróleo. A produção mundial de cima todos os regimes brutaispolítica de manter o aparelho petróleo é controlada por aqueles lacaios que controlam às massasrepressivo do estado, dos que controlam as refinarias de em nome do imperialismo.trabalhadores sendo uma minoria petróleo mundiais; estão em sua O imperialismo está tremendo. Asnos comitês que lidem com os maioria em mãos do imperialismo. massas tunisianas lhes estãocrimes do regime de Ben Ali, da Através do controle das refinarias mostrando o caminho aos operáriosnacionalização da propriedade de petróleo, o imperialismo francês de China, Japão, Coréia, Arábiaburguesa do regime de Ben Ali-isto através da Total ainda controla a Saudita, Argélia, Bolívia, México,é- não sob controle operário (o USFI economia tunisiana. O regime Congo, EE.UU., França, Rumania,não vem em apoio da expropriação capitalista de EEUU também tem Rússia, Zimbabué, etc, de comoda propriedade capitalista sem uma grande fatia no controle dos brigar e derrotar a ofensivacompensação e sob controle hidrocarbonetos de Tunísia. O capitalista mundial, isto é, com umaoperário). regime de EEUU teve vínculos com revolução operária e oO USFI aceita a definição da o regime tunisiano por 200 anos. O derrocamiento revolucionário doburocracia da UGTT de “democracia”, imperialismo de EEUU e francês regime capitalista.isto é, que o governo seja eleito pelo competem entre eles pelo controle É mais, a relação do imperialismo“povo” e controlado pelo “povo”. O das forças repressivas tunisianas com as semi colônias e colônias“povo” inclui à classe média alta do estado. O imperialismo de EEUU mostra que para que as revoluçõestunisiana e à burguesia, que foram o e francês sustentaram desde 1956 o mundiais “tunisianas” avancem aosuporte do saque imperialista pelos regime brutal do RCD. A socialismo, têm que ser estendidaspassados 55 anos. A definição da privatização das propriedades do aos centros imperialistas, senão aUGTT de democracia de jeito nenhum estado, manter a Tunísia como um contrarrevolución imperialista tardedifere da burguesia radical da campo de escravos para os ou cedo estrangula a revolução.revolução francesa de 1789. O USFInão contra-põe os comitês de base de imperialismos de EEUU, francês, Com a recente onda de revoltas emproteção e defesa da revolução ao italiano, alemão e espanhol; o Europa, em Grécia, em França,atual governo de “unidade” ou ao tratado de livre comércio com a UE Rumania, Irlanda, Espanha,proposto governo de “salvação”. Em que deveria ter sido efetivo no 2011 Portugal não há nada que assusteoutras palavras, o USFI ignora os enquanto Tunísia já tem um tratado mais ao imperialismo do que apassados 55 anos das lutas tunisianas de livre comércio com o perspectiva da classe operáriae os passados 100 anos de lutas da imperialismo de EEUU, tudo nestes países rompendo com asclasse operária mundial, e põe fé na demonstra que o imperialismo direções traidoras no movimentoburguesia tunisiana e classe média estava realmente controlando operário, achatando o regimepara acaudillar o processo através do Tunísia através do regime de Ben Ali capitalista e tomando o poder em
  • 42. 42suas próprias mãos. Uma França de granjas de 20 hectares cada um desempregados e delegados dosSoviética, por exemplo, e produzem 62.5% do total da soldados de base que apóiem aimediatamente acenderia a revolução produção agrícola. O 85% dos revolução. Em áreas rurais e deoperária em todas as colônias e semi- granjeiros tem uma média de 6 granjas deveria ter conselhos decolônias francesas. Para que os hectares e se ganham a proteção e supervisão da revoluçãooperários que morrem de fome no subsistência a duras penas, composta de trabalhadores rurais epátio traseiro das potências produzindo 37.5% do total da separar estes conselhos para osimperialistas européias vivam, produção agrícola. Várias das camponeses empobrecidos. DeveriaMaastricht precisa morrer. A classe ter um chamado a uma reunião grandes granjas são joint venturesoperária no Norte de África, Europa nacional de delegados de todos os com companhias imperialistas. Odo Leste e Oriente Médio precisa unir- comitês de proteção e supervisãose com seus irmãos e irmãs de classe imperialismo tem re-localizado várias de suas fábricas têxteis e do da revolução, para coordenar a lutanos centros imperialistas europeus - contra o regime de Ben Ali e osomos uma só classe- uma revolução. metal na Tunísia tirando vantagem da mão de obra barata e as governo de “unidade” e contra oPor uma Federação de Estados imperialismo.Operários Socialistas da Europa. Um condições repressivas.Estados Unidos soviético O resto da força de trabalho está constituída pelo setor público Resume de demandas democráticasimpulsionaria um salto gigantescopara o socialismo já que todos os (maioria turismo) e trabalhadores imediatas:regimes capitalistas ao redor do industriais. Esta revolução foimundo imediatamente estariam sob a dirigida pelos trabalhadores 1- Abaixo o regime de Ben Ali, queameaça da revolução proletária. industriais e os trabalhadores agora posa como um governo deQualquer revolução operária num país desempregados e setores da classe “unidade” sem Ben Ali.imperialista faria tremer o regime média arruinada (na realidade semi- 2- Ruptura com o imperialismo e acapitalista mundial e abriria o proletária). Tunísia ilustra que o burguesia. Isto significa a imediatacaminho ao Socialismo. Esta é a visão controle imperialista da semi- expropriação de todos os bens deque faz que o imperialismo apesar de colônia não pode outorgar plenos Ben Ali, o resto dos capitalistassuas diferenças entre eles, trabalhem direitos democráticos básicos; tunisianos e os bens imperialistas ejuntos na contramão da revolução os bancos, sem indenização para os também mostra que a briga dastunisiana e de fato de qualquer capitalistas, sob controle operário. massas por direitos democráticosrevolução “tunisiana” no mundo. Por uma banca estatal única sob plenos deve significar que só osO NPA, o USFI e outros reformistas controle operário. operários podem acaudilhar tal lutachamam pela confiscação da 3- Todo o poder aos Comitês até o final e estes direitos só podemriqueza de Ben Ali, mas não Operários de Proteção e Supervisão ser atingidos pela classe operáriachamam pela expropriação da da Revolução. Todos os dirigentes tomando o poder.propriedade imperialista. Eles não devem ser eletivos, sujeitos a Desde o 4 de janeiro, em váriaslevantam na França, onde eles revocatória imediata e deverão cidades como Kasserin, as massasestão assentados que “O inimigo derrotaram à polícia nas ruas, receber o salário de um operárioestá na casa!” e que a clave para a desarmou-a, destruiu as delegacias e qualificado médio. Por um governorevolução tunisiana é que a classe pôs em pé seus organismos de auto- operário e dos camponeses pobresoperária na França tome o poder. governo, chamaram aos comitês para baseado nesses comitês (os quaisAssim, eles jogam o mesmo papel a proteção e supervisão da revolução. devem de ser independentes dade classe que os stalinistas que Estes comitês tomaram os escritórios classe média alta, a casta de oficiaisisolam as revoluções nas semi- da regional local da UGTT e as e os capitalistas).colônias da revolução nos centros usaram como centros de organização. 4- Levantamento imediato do toqueimperialista. O NPA levanta Pareceria ter confusão nas bases da de recolher para que as massasdemandas econômicas quando a classe operária (ativamente possam organizar-se e reunir-setarefa central neste momento é que promovidas por Ettajdid, PCOT, USFI livremente.a classe operária, organizada e o Comitê de Enlace de “Trotskistas”) 5- Liberdade a todos os presosindependentemente, tome o poder apoiando o chamado a um governo de políticos e econômicos.em suas próprias mãos. A clave “salvação nacional”, em outras 6- Desmantelamento imediato dapara a revolução no Norte da África palavras, que eles não deveriam polícia e o aparelho repressivo eé que a classe operária tome o tomar o poder em suas próprias mãos senão que deveriam abandoná-lo todas as instituições do regime,poder na Europa, destruindo incluindo a burocracia, partindo o (dar-se NT) a um novo governoMaastricht e formando uma exército. Armamento imediato das burguês em tanto e quanto este nãoFederação de Estados Socialistas massas e posta em pé de milícias esteja unido ao regime de Ben Ali.Soviéticos da Europa. É uma tarefa imediata pôr em pé operárias armadas como parte dos comitês de proteção e supervisão da Comitês de Proteção e Supervisão O caráter da revolução tunisiana e revolução, em cada região da classe da Revolução (a tentativa da polícia quem a acaudilha operária e em cada posto de trabalho de formar seu próprio sindicato é baseados numa representação unicamente para impedir que osOs camponeses de granjas proporcional com uma maioria matem as massas. Se querem -osconstituem menos de 20% da força operária em cada estrutura, com o polícias- jogar um papelde trabalho enquanto faz 30 anos direito de revogar ao instante, com progressivo, devem entregar suasatrás constituíam quase o 50%. delegados operários de cada lugar de armas às milícias operárias).Hoje, 15% dos granjeiros são donos trabalho, representantes dos 7- Que os soldados rasos elejam delegados desde suas filas, rompam com a casta de oficiais que está atada ao regime de Ben Ali. 8- Reduzir a jornada laborar e dividi- la entre todos os que podem trabalhar (sem perdida de salário), aumento do salário quando os preços sobem. 9- Cancelar toda a dívida contraída ao imperialismo sob o regime do RCD. 10- Nacionalização da terra. Expropriação de todas as granjas capitalistas sem indenização para os capitalistas. Pela posta em pé de Argélia: A juventude explorada vanguarda da revolução granjas operárias/coletivas modelos para os operários rurais, de acordo
  • 43. 43a um plano nacional sob controle pela força, pela ação revolucionária atualmente excluída, façam parte,operário. Por créditos baratos e de massas. tomando todo os suculentosassistência ao camponês pobre. Por Inclusive, se o imperialismo lembra negócios de ser parte do governo).conselhos conjuntos de que todo o regime de um passo ao Sem arrancar a pressão sobre otrabalhadores rurais e camponeses custado e que todos os membros de regime por nenhum momento,pobres para adjudicar a terra para o seu governo de salvação nacional precisa-se generalizar os Comitêsuso dos camponeses pobres. podem pôr em pé uma Assembléia de Proteção e Supervisão da11- Cancelamento de todos os Constituinte, Como se realizaria? Já Revolução em todos os lugares deacordos secretos e públicos com o R. Ghannouchi e Marzouki querem trabalho, granjas e em toda aimperialismo que mantém Tunísia, que as massas esperem outros 6 Tunísia, realizando um Conselhocomo seu campo de escravos e sua meses. As massas estão famintas Central de todos estes comitês comferramenta política contra as agora. Seu “governo de salvação delegados dos trabalhadores ruraismassas na região, nem que dizer nacional” será protegido pela e urbanos, dos camponeses pobres,aos palestinos. polícia assassina e, por seu próprio e de todos os demais setores em12- Que o regime de Ben Ali, a casta programa, não expropriará ao luta, dos desempregados, dosde oficiais e os dirigentes da UGTT imperialismo. O imperialismo exige soldados rasos. É este Conselhoenfrentem tribunais operários por seus lucros e só obterão a Central armado ou Soviet o queseus crimes contra a classe quantidade necessária se deve constituir-se em si mesmo emoperária tunisiana. aumentam o nível de fome das Tunísia e dispersar ao regime13- Que a UGTT se re-estruture em massas. Seu governo de salvação, capitalista do governo de “unidade”toda a linha com o controle com seu polícia e aparelho ou “salvação”. O chamado centraldemocrático dos operários. repressivo do velho regime, se verá novamente deve ser romper com a14- Publicação de todos os acordos forçado a achatar ás massas, uma burguesia, isto é, expropriar toda asecretos entre o regime de Ben Ali vez mais estará salvando aos propriedade do regime de Ben Ali,com o imperialismo. Expulsão de imperialistas e não à classe dos capitalistas tunisianos e detodos os agentes e agências operária. todos os imperialistas, semimperialistas de Tunísia. Adiante! Organizem sua Assembléia indenização aos capitalistas e pô-15- Estabelecer comitês de preços Constituinte já! As massas los sob controle operário.dos operários, dos urbanos e rurais imediatamente votarão pelo final dopobres, denunciar quem se regime de Ben Ali, pela Para a refundação da IVbeneficia dos altos preços da expropriação do imperialismo, pelo Internacionalcomida e o petróleo. desmantelamento da polícia. É por16- Igual trabalho, igual salário para isto que o imperialismo e os Que o regime assassino do RCDtodos os trabalhadores do Norte da partidos burgueses estão fazendo fora um membro da InternacionalÁfrica e Europa! tudo o possível para pospor Socialista durante muitos anos inclusive estas eleições burguesas. demonstra que a InternacionalSobre o chamado do USFI e o PCOT Não podem dar-se o luxo nem Socialista não tem nada a ver com o a que se convoque a uma sequer de uma democracia socialismo, mas tudo a ver com a Assembléia Constituinte burguesa completa para Tunísia manutenção do domínio imperialista Aqueles que fazem o chamado por nem para nenhuma semi-colônia do no mundo. O apoio dos Stalinistas, uma Assembléia Constituinte planeta. os PCs, aos membros da querem estrangular a revolução As massas estão chamando a Internacional Socialista, como por tunisiana. derrocar o regime de “unidade” de exemplo, ao ANC e ao Partido Ben Ali agora. Este é o caminho para Laborista Britânico demonstra queComo é possível que este governo conquistar as condições para não se pode confiar nos estalinistas;de “unidade”, que está atado por convocar uma Assembléia a capitulação do NPA, o USFI e amilhares de laços ao imperialismo Constituinte. Mas, uma vez que os “esquerda” a seu própriopossa convocar a uma Assembléia operários tenham tomado o poder em imperialismo, tudo demonstra queConstituinte soberana que esteja suas mãos, por que devem dar-lho a uma nova internacional é uma estrutura que contenha partidoslivre da influência do imperialismo? necessária. A International burgueses, partidos que querem serEste regime é o mesmo que Committee of the Fourth gerentes do imperialismo, que nãomassacrou durante os últimos 55 podem cumprir nem uma só demanda International (ICFI) apresenta umaanos e que ainda dispara aos democrática das massas. Quanto caricatura de uma internacional,manifestantes. Este regime está mais brigam por um governo de chamando em geral à “revoluçãorespaldado por 150.000 polícias e o “salvação” que contenha partidos permanente”, sem oferecer nenhumimperialismo mundial. Pensam que burgueses e do que pretensamente programa para o proletariadopodem só sentar-se numa mesa e prepare a Assembléia Constituinte, mundial sobre Tunísia, e sópersuadi-lo de que entreguem o mais e mais as massas se darão conta proclamando que os operárioscontrole a uma Assembléia que precisam suas próprias devem unir-se e o espírito santo daConstituinte? estruturas, como os Comitês de salvação baixará a eles.Este mesmo imperialismo não pode Proteção e Supervisão da Revolução, Precisamos unir à vanguarda nanem sequer garantir o direito dos 6 estruturas soviéticas, para tomar o Grécia, na França, na Tunísia, namilhões de palestinos a retornar poder em suas mãos. Argélia, na Bolívia, no México, nosdesde sua expulsão em 1948; este EUA, na China, na África do Sul, nomesmo imperialismo é responsável a O perigo da “Caravana pela Congo, etc. numa internacional.mais de 6 milhões de mortes no libertação” Essa é a forma para levar a heróicaCongo, enquanto os minerais são batalha da classe operária à vitória.saqueados inclusive até o dia de hoje; Marchar sobre as instituições É tempo de refundar a IVeste mesmo imperialismo não pode centrais na Tunísia é excelente, mas Internacional.nem sequer garantir aos iraquianos e os dirigentes da UGTT e o USFI têm Adiante para o poder operário naafegãos o livre direito a eleger a seus outras idéias, eles usurpam ospróprios dirigentes, muito menos ter Tunísia! passos audazes que as massas Que a chispa na Tunísia incendeiecontrole sobre suas próprias querem tomar, isto é, mediante toda Europa, África, Ásia, Orienteeconomias; este mesmo imperialismoorganizou o golpe na Honduras faz ações de massas revolucionárias Médio, América, Austrália!uns meses atrás; eles invadiram Haiti derrocar todos os refugos do Por um Comitê Organizador pelapor envelope os corpos dos mortos no governo de “unidade” de Ben Ali. refundação da Quartarecente terremoto, e Vocês crêem Enviam às massas, desarmadas a Internacional!que eles permitirão uma expulsão desafogar-se, a pressionar ao Pelo socialismo!pacífica do imperialismo da Tunísia, e regime para que seu governo de FRAÇÃO LENINISTAisto ante as portas de Europa? Estão “Salvação” tome o poder (em outras TROTSKISTA INTERNACIONALenganando ás massas. Este regime palavras para que estes setores darepressivo precisa ser removido classe média e a classe média alta
  • 44. 44 significado se é baseado na polícia odiada. O general não O imperialismo está manobrando expropriação de todos os expropriará os capitalistas para neutralizar os comitês de capitalistas na Tunísia e todos os tunisianos nem os bensproteção e supervisão da revolução bens imperialistas, sem indenização imperialistas. Estando atado ao aos capitalistas, e sob controle capital, o geral continuará aDurante a primeira etapa da atual operário. ofensiva com os altos preços e orevolução das massas da Tunísia maior desemprego contra asque puseram em pé seus próprios A ameaça do golpe militar massas –não uma “defesa” daorganismo de auto-governo, os revolução, senão derrotando-a.chamados Comitês de Proteção e A direção da UGTT (União Geral de Mais do que nunca os comitês deSupervisão da Revolução. Estes Trabalhadores de Tunísia) está base em Kasserin e outras áreascomitês estão formados, vinculada à perigosa tarefa de dar precisam incorporar soldados rasosprincipalmente pelos trabalhadores, apoio aberto à direção do exército, em suas filas, treinando e armandodesempregados, os camponeses ao General Rashid Ammar só às massas, preparando-se encurtarpobres e se basearam na destruição porque ele deu ordens ao exército e impedir uma possível contra-das delegacias, desarmando a de não disparar aos manifestantes. revolução pelo imperialismo.polícia e armando às massas. O O imperialismo foi o que lhe sugeriu O imperialismo esta preparando diaimperialismo mediante suas ONGs ao general que não dispare aos e noite atacar e derrotar ana Tunísia está mostrando que eles manifestantes porque o exército revolução. Chamamos à classequerem pôr em pé um conselho conscrito tivesse desobedecido e operária nos países vizinhos:dirigente de “proteção” da ido do lado da revolução. Os Argélia, Líbia, França, Itália, Grécia,revolução. Isto é uma tentativa de soldados não tivessem disparado a Espanha e além no Marrocos, Egito,hackear a revolução e neutralizá-la suas próprias famílias. O Turquia, Alemanha, Inglaterra,e sacá-la de sua essência. Qualquer imperialismo dá conta disto e Portugal, Arábia Saudita, Iraque,conselho que se proclame manobra para manter o controle do România, Rússia, EUA, para“salvador” da revolução deve ser exército. A direção da UGTT (e a preparar o levantamento em defesabaseado em delegados de todos os esquerda que os apóia) joga o papel da Revolução da Tunísia, contracomitês de base, baseados no de traidores, impulsionando a seus próprios regimes. Fora todosdesarmamento da polícia, postura de um agente do os ditadores, já sejam militares oudebandando ao exército e armar às imperialismo, o Geral Ammar. Se o posicionando-se comomassas. A composição de todos imperialismo não pode controlar às “constitucional democrático”.esses comitês e conselhos, desde massas, o imperialismo deveria Obama e Sarkozy têm sangue emacima para abaixo, deve de excluir à resolvê-lo com um golpe militar. Mas suas mãos.classe média alta, qualquer isto só pode passar com um banhocapitalista, qualquer membro da de sangue das massas já que ocasta de oficiais do exército, domínio do General seria baseado, Continua na página 39qualquer carreirista. Esses não só no exército, senão que naconselhos podem só ter um