• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Culinaria brasil
 

Culinaria brasil

on

  • 1,323 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,323
Views on SlideShare
1,323
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
55
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Culinaria brasil Culinaria brasil Document Transcript

    • Culinária BrasilA receita original do Barreado ParanaensePor ser um prato muito requisitado, o Barreado passou a ser servido comercialmente por um grandenúmero de restaurantes espalhados pelo Brasil e até no exterior. Se por um lado isto ajudou a difundiresta delícia da culinária popular brasileira, por outro fez surgir algumas variações da receita originalcujo sabor final ficou aquém do legítimo Barreado. É o prato tradicional do Estado do Paraná.É feito só de carne, que fica a cozinhar durante mais de 12 horas, dentro de um panelão de barro,hermeticamente fechado, que se enterra e sobre o qual se acende uma fogueira.O cozimento se faz com o próprio vapor, sem que seja adicionada água alguma.A carne fica tão cozida que se desfia à toa, tomando o aspecto de um pirão.Conta-se que no litoral, os caboclos que se alimentavam somente de peixe, abusam do barreado noCarnaval e morrem de estupor, com o ventre inchado e empedrado.Manda a tradição que não se beba água, nem durante a ingestão do barreado nem mesmo até duas horasdepois da refeição. A única bebida permitida é a cachaça.O barreado é comido com acompanhamento de banana e farinha de goma (mandioca).A receita do barreado, que segue, foi cedida à Mariza Lira (autora do texto) pelo professor Luís Heitor,que a conseguiu em Curitiba, de um especialista, o Pajoaba, que lhe assegurou que o segredo dobarreado está em saber graduar o fogo.“Coloca-se no fundo de uma panela de barro tiras de toucinho, pondo-se a carne gorda e magra emseguida, acompanhada dos temperos: cominho, cebola, salsa, cebolinha, alho, tomates, pimenta decheiro e limão.Calafetam-se as bordas da panela com uma goma de farinha de mandioca, prendendo-se a tampa pormeio de tiras de papel. Além de tudo isso, ainda se amarra para evitar que o vapor escape.Algumas vezes o barreado se faz, colocando a panela sobre a chapa do fogão, e a fogo lento, durantetoda a noite e indo pela manhã adentro até o almoço para se processar o cozimento.É servido com a colher, garfo de pau, a cuia de farinha de goma e o garrafão de cachaça de Morretes.”Felizmente, a autenticidade deste prato foi resgatada e isto pode ser comprovado por aqueles quesaborearem a receita abaixo:
    • Ingredientes para 15 pessoas5 quilos de carne magra sem osso (paleta ou maminha de alcatra);500 gramas de toucinho ou bacon fatiado;1 quilo de tomates maduros, rijos, sem pele, sem sementes e picados;1 quilo de cebolas de tamanho médio , sem cascas, cortadas em quatro pedaços;3 folhas de salsão ou aipo picadas;3 pés de alho-porro picados;1 colher de sopa de cominho em pó;1 colher de sopa de orégano em pó;3 maços de cheiro verde picados;3 colheres de sopa de extrato de tomate;5 folhas de louro;5 colheres de sopa sal;1 colher de sopa de pimenta-do-reino, mais ou menos;1 cabeça de alho descascada e moída;1 noz-moscada ralada;4 colheres de sopa de vinagre de vinho;3 folhas verdes e pequenas de bananeira para sobrepor ao conteúdo da panela;2 quilos de farinha de mandioca fina para o lacre e para a mesa;3 quilos de banana-caturra maduras e frescas;1 vidro de pimenta malagueta para a mesa.Recipientes utilizados:1 panela de barro esmaltada grande com tampa;1 bacia para os cubos de verduras;1 bacia para os tabletes de carne;1 bacia para preparação do lacre da panela;15 cumbucas pequenas de barro com tampa para servir porções individuais de Barreado;1 cumbuca média para servir a farinha de mandioca;15 pratos rasos e talheres (garfos, facas, colheres, guardanapos, etc.).Dicas importantes para se fazer um bom BarreadoCompra da carne Compra da verduraAs tradicionais cozinheiras de Antonina e Morretes fazem o Barreado com qualquer carne de segunda,desde que as mesmas sejam magras, sem ossos e bastante fibrosas. A paleta magra ou maminha dealcatra têm estas características e podem ser encontradas ou encomendadas em qualquer distribuidor decarne. Combine paleta e maminha caso não encontre uma ou outra em quantidade suficiente. Atentepara que a carne não contenha gordura ou sebo, esteja fresca, bastante fibrosa e venha cortada em umaou duas peças, no máximo. Procure adquirir as verduras antecipadamente e de preferência sobencomenda junto ao seu fornecedor de confiança. Acontece que produtos indispensáveis como alho-porro, salsão ou aipo são difíceis de ser encontrados em supermercados. Na compra antecipada,mantenha as verduras de molho numa vasilha com água até a hora da preparação do Barreado.Folha de bananeira: Barreando a tampa:Encontre duas ou três folhas novas e verdes de bananeira, que servirão para forrar todo o conteúdo dapanela antes da mesma ser tampada e lacrada. Lave-as demoradamente e recorte-as em forma de
    • circunferência (maior que a boca da panela) nas suas parte mais largas. Estas folhas, além de darem umgosto especial ao Barreado, ajudam a abafar a fervura de forma que o lacre da tampa da panela se tornemais resistente ao vapor. Um dos segredos do autêntico Barreado está no lacre da tampa da panela. Este lacre é feito comfarinha de mandioca fina solvida em água fria e serve para evitar a saída de vapor durante todo operíodo de cozimento em fogo baixo. É muito importante que este lacre não se rompa. Como oBarreado não leva água, mas apenas o líquido da carne e da verdura, manter a panela hermeticamentefechada é vital para se obter o melhor sabor do prato. Um quilo de farinha é suficiente para lacrar atampa de uma panela grande de barro. Despeje um pacote de farinha numa bacia, adicione água fria emexa o angu com as duas mãos até ele se transformar numa argamassa, nem muito mole e nem muitodura. Para barrear, enrole a massa até formar um cubo gosso e calafete a tampa ao corpo da panela.Molhe as mãos em água fria e passe seguidamente sobre a argamassa até o anel de vedação ficar bemliso e aderente.Modo de preparar o BarreadoCortando a carne: Cortando o toucinho:Observe o sentido da fibra da carne antes de iniciar a retalhação da peça. Corte a carne em tableteslongos em forma de retângulos com cerca de 12 cm de comprimento, 4 cm de largura e 2 cm de altura.As fibras devem estar dispostas no sentido longitudinal, ou seja, no sentido do comprimento do tablete.Isto fará com que a carne se transforme em fios longos após o Barreado estar no ponto. Coloque ostabletes em uma bacia e deixe repousar alguns minutos. Fatie o toucinho em forma de lâminasretangulares finas. O bacon fatiado substitui com vantagem o toucinho, por já se apresentar defumado,o que proporciona um sabor mais leve ao Barreado.Picando as verduras: Preparando a panela:Para descascar os tomates, coloque todos numa bandeja e leve-os ao forno quente por alguns minutos.Depois de bem lavadas, corte as verduras (tomate, cebola, salsão ou aipo, cheiro verde, alho-porro) empequenos cubos de dois ou 3 centímetros e deixe tudo repousando numa bacia. Inicialmente, forre ofundo da panela com uma camada de toucinho ou bacon fatiado. Sobreponha o toucinho ou bacon comoutra camada de cubos de tempero. Faça uma terceira camada com tabletes de carne. Repita estas trêscamadas até o conteúdo ocupar mais ou menos 3/4 (três quartos) da panela. Adicione os caldos dasbacias de carne e de tempero. Acrescente uma colher de sopa de cominho em pó, uma de orégano, umade pimenta-do-reino, três de extrato de tomate, cinco de sal, quatro de vinagre de vinho, cinco folhas delouro, uma cabeça de alho ralada e a noz-moscada ralada. Finalmente, forre o conteúdo com as folhasde bananeira em forma de circunferência, tampe a panela e leve ao fogo. Levando ao fogo: Cuidados com o cozimento:Tradicionalmente, o Barreado é feito em fogão a lenha, mas nada impede que seu cozimento se dê emfogão a gás. Para isto, são necessárias algumas providências: a chama tem que estar no ponto mínimo ea panela deve ser colocada sobre uma chapa de ferro ou alumínio para que não fique em contato diretocom o fogo. Após colocar a panela sobre a chapa, inicie o processo de barreamento, que consiste emlacrar a tampa com a argamassa (angu) de farinha de mandiocas. Após uma hora sobre a chapa sobrefogo brando, o Barreado entra em processo de cozimento, que deve ser acompanhado atentamente.Observe que o anel de argamassa se torna seco e à vezes se rompe devido à força do vapor. Mantenha abacia com a argamassa de farinha sempre à mão e restaure o lacre toda vez que notar a saída de vapor.Para reparar o lacre, enrole um pequeno cubo de argamassa e aplique no local do vazamento paraestancar o escape de vapor. Umedeça a mão em água fria e alise seguidamente até o remendo se fundircom o anel de argamassa seco.
    • No ponto:Servindo o Barreado:O Barreado deve ser levado ao fogo com pelo menos 24 horas de antecedência do momento de serservido. Sendo assim, o Barreado que será servido no almoço precisa ir ao fogo por volta da meia-noitedo dia anterior. Como a panela está lacrada, o aroma forte exalado pela tampa após 18 horas decozimento é a única forma de saber que o Barreado está quase no ponto. Dependendo do fogo, oBarreado estará pronto para ser consumido de 16 a 24 horas de cozimento. Apague o fogo após abrir olacre da panela, mas não esqueça de manter a chapa sempre quente. Coloque as porções em cumbucasde barro e leve à mesa, se possível sobre fogareiros com fogo fraco. Em mesa coletiva, pode-se levar apanela grande sobre fogareiro. Coloque na mesa, preferencialmente, uma cachaça fina feita de bananapara aperitivo. Na falta, caipirinha ou conhaque para abrir o apetite e cerveja ou vinho paraacompanhamento.Compondo a mesa:Originalmente, o Barreado é servido com arroz, farinha de mandioca, banana-caturra ou nanica epimenta malagueta. Pode-se acrescentar a isto porções de couve refogada, salada mista e banana-caturra madura., pirão feito com o próprio caldo, farofa e laranja-pêra, salada mista e banana-caturramadura. Requente o Barreado quantas vezes for necessário, sem necessidade de "barrear".CHURRASCO GAÚCHOINGREDIENTES: Um bom pedaço de carne bovina, que pode ser costela, picanha ou etc ... Sal grosso a vontade Um ou vários espetos (conforme a fome ou os trocos do vivente) Fogo de lenha, de gás, carvão Paciência, por que até ficar pronto, o índio é capaz de morder os beiçosMODO DE PREPARO:1. Espetar de pedaço a pedaço no espeto, passar o sal e colocar no fogo.2. Mais ou menos a uma distancia de 25 cm.3. Se houver pressa ou muita fome, come-se somente chamuscada, meio a meio, correndo sangue (como eu gosto).4. Mas se não houver pressa e, tiver gente de muita frescura, assa-se até ficar esturicada.
    • CHURRASCO - LOMBO DE PORCOTempero : 15 cravos2 lascas de canela1 colher de sopa de alecrim4 dentes de alho picado½ noz moscada picada2 limões espremidos3 três colheres (sopa) de óleo ou azeiteModo de preparar :Fatie o lombo ( cerca de 1k ).Coloque sobre ele todos os temperos citados acima, bem misturados, deixando em descanso por 6 horasantes de ir ao fogo. Receita - Arroz Carreteiro Ingredientes 2 xícaras de arroz 600 gramas carne de charque, sem gordura, de molho na água desde a noite anterior 2 paios cortados em cubinhos 100 gramas de bacon cortado em cubinhos 4 tomates maduros 2 pimentões verdes Sal a gostoPreparoFrite o bacon no óleo e quando estiver bem frito coloque a carne de charque cortada em cubospequenos. Frite até que ela fique bem dourada. Coloque o arroz e frite-o junto com a carne.
    • Quando estiver frito, coloque os tomates e os pimentões cortados em cubos pequenos, o paio emisture. Jogue a água fervendo e cozinhe o arroz até que fique macio.FEIJOADA COMPLETAA feijoada, sem dúvida, é um dos pratos mais populares do Brasil. Pudera, não há como resistir aosabor do feijão mais bem temperado e repleto de ingredientes como: orelha, pé, costelinha, rabo deporco, pimenta, louro... Para acompanhar: farofinha, laranja e muita couve refogada. E tudo isso regadoà caipirinha, outro ícone da culinária brasileira.Ingredientes2 kg de feijão preto1 kg de carne-seca1 kg de carne de porco salgada1 kg de paio1 kg de lingüiça1 kg de lombo de porco salgado3 pé de porco2 orelha de porco3 rabinhos de porco1 kg de bucho de boi½ de bacon2 cabeças (grandes) de alho3 maços de cebolinha verde3 maços de salsaóleo (o quanto baste)salModo de PrepararEscolha e lave o feijão. Deixe-o de molho em água fria de véspera. Lave bem as carnes salgadas para aretirada do excesso de sal. Deixe-as também de molho em água fria de véspera, porém em vasilhasseparadas, procedendo a troca da água de quando em quando. No dia seguinte, fervente as carnes para aretirada total do sal. Após ter aferventado as carnes salgadas, junte todas - carnes salgadas e as não-salgadas - ponha numa grande panela e frite-as por pouco tempo*. Na panela-de-pressão ponha ofeijão, o bucho, a carne-seca e demais carnes que necessitem de mais tempo de cozimento. Em outrapanela leve a cozinhar as carnes mais macias. Quando o feijão já estiver macio e as carnes da outrapanela também, faça,à parte, o seguinte refogado: óleo - o quanto baste -, as três cabeças de alhosocadas (amassadas) e despeje dentro de uma grande panela todos os ingredientes: feijão ecarnes. Prove o ponto de sal - lembrando sempre que, em função das carnes salgadas, o uso do sal deveser extremamente observado, pois, do contrário, facilmente o sabor da iguaria ficará comprometido,porque poderá ficar salgado por demais... Deixe ferver por 15 a 20 minutos, para tudo tomar gosto.Molho Essencial...A alma brasileira aprendeu, ao longo dos cinco séculos de simbiose irrestrita com etnias várias que,para se saber o necessário tom de vida bem vivida é vital que se aprenda, e com características próprias
    • dos seres que vivem "abaixo da Linha do Equador, a arte de fazer dar cores e cheiros especiais a tudoque cria e tem existência por aqui, nesta parte ensolaradamente tropical do Atlântico. Por isto mesmocompreendeu, simultaneamente ao seu descobrimento que, o jeito de suas gentes e os sabores de seusquitutes precisavam inovar, surpreender e apaixonar por "carregar em sons e cheiros" especiais. E o serbrasileiro criou - a partir do que lhe presenteou a Mãe-África e a Metrópole Central (Portugal)o seuexotismo!!! Nada pode ser comparado ao seu Carnaval - festa de poesia com poetas marotos! -, à suaculinária misturada e de misturas, às suas bebidas - busca incessante pelo frescor total do corpo e doespírito, e, finalmente, à sua oculta ciência de criar sons musicais e molhos sobrenaturalmenteenlouquecedores... neste quesito, com certeza absoluta,o Brasil é a maior potência mundial!!! Amaestria com que confecciona seus cantos e culinárias - que nunca pode ser concebida sem umainteragir com a outra - provoca um estado embriagador aos "nativos" e uma condição de refém aqualquer incauto de outras "bandas do mundo" que, por desaviso, se aventure, uma única vez que seja,a provar o jeito moreno de viver...é bom que se avise: Quem se arriscar a "lamber os beiços" nos"manjares da brasileiridade" não vai impunemente esquecê-la jamais!!! Assim, antes da preparação domolho da feijoada, ponha a tocar, na voz da Simone: "...Pode ir preparando aquele feijão preto eu tô voltando... põe meia dúzia de Brahma pra gelar... manda a criançada pra casa da vó... eu tô voltando... põe pra tocar aquele som... põe a camisola nova... troca a roupa de cama... dá folga pra empregada... eu tô voltando... faz um cabelo bonito pra eu olhar, que eu só quero é mesmo despentear... pode se perfumar... porque eu tô voltando..." ...Daí sim, junte:Ingredientes para o Molho Essencial1 copo de caldo de limão3 colheres de sopa de salsacebolinha verde picadinhas1 colher de sopa de pimenta malagueta picadinha1 pitada de pimenta-do-reino sal a gostoModo de Preparar o Molho EssencialAmasse um pouco as pimentas e junte os outros ingredientes. Se preferir um molho menos forte, podeacrescentar uma colher de água ou menor quantidade de pimentas. O acompanhamento deste prato é oarroz branco, rodelas de laranja salpicadas com sal, e uma boa couve à mineira - que nada mais é doque: Cortar as folhas em tirinhas finíssimas e refogar com alho, sal e cebola cortada miúda.
    • ALGUNS QUITUTES E BEBIDAS DAS FESTAS JUNINASDas festas religiosas brasileiras de tradição européia, aquelas que mais se caracterizam por apresentarquitutes e bebidas típicas, são as dos mês de junho: Santo Antônio, São João e São Pedro,especialmente as duas primeiras.Esta verificação nos levou a realizar pesquisas, no sentido de comprovar, com documentário autêntico,o que se come e se bebe, ainda nos dias de hoje, por ocasião dessas festas, em diferentes regiões doestado de São Paulo.Concluímos, então, que a nossa tradição manda que se sirva, nas festas juninas, certos pratos típicos,salgados e doces, como por exemplo: leitão, frango cheio, bolinhos de carne, arroz-doce, canjica,mandioca em calda, bolo de fubá, de milho, broa de milho, doce de batata-doce, de abóbora, de cidracom rapadura ("furundum"), de mamão em pedaços, pão de cará, pão-de-ló cortado, paçoca, pé-de-moleque, batata-doce, mandioca e cará assados, amendoim torrado, pipoca. As bebidas acompanhantessão: "rosa-sol", "roxo-forte", "cabreúva", licor de aniz, quentão, além da pinga pura e do café.Do nosso material a título de curiosidade, divulgaremos aqui algumas das receitas desses quitutes ebebidas juninas, que se seguem:QuitutesBolo de fubáPonha numa panela meio quilo de fubá mimoso, juntando meio litro de leite cru, açúcar a gosto e umacolher de banha. Misture bem e leve ao fogo mexendo até formar um angu bem grosso. Retire do fogoe coloque numa tigela. Acrescente quatro ovos, sal, erva-doce, fermento e mais um pouco de leite. Batabem e leve para assar em forno quente. Forma untada.Broa de fubáLeve meia garrafa de leite ao fogo e quando levantar fervura ponha fubá mimoso, mexendo sempre atéficar um angu. Deixe esfriar. Junte uma colher de banha e uma de manteiga, sal, uma xícara de açúcar equatro ovos. Amasse bem. Em mesa polvilhada, com fubá, enrole a massa fazendo as broas. Leve numtabuleiro para assar em forno regular.Doce de cidra (furundum ou furrundu)Rale as cidras. Deixe de molho na água durante três dias, trocando-a diariamente. No quarto dia, emágua nova, dê uma fervura. Coe. Em calda grossa, feita com açúcar cristal, cozinhe até dar ponto bemapurado. Pingue em tabuleiro e seque ao sol. Quando este doce de cidra é feito com açúcar mascavo ourapadura, chama-se furundum ou furrundu.Pé-de-molequeFaça uma calda com um quilo de açúcar. Quando estiver grossa acrescente meio quilo de amendoimtorrado, sem as peles e moído. Deixe ao fogo mexendo sempre até dar ponto de rapadura. Despeje numtabuleiro, deixe esfriar e corte em quadrados. Pode-se fazer com rapadura, substituindo o açúcar.Algumas usam o amendoim apenas torrado e descascado.Doce de abóbora secaA um quilo de abóbora madura, cozida e passada na peneira, ajunte um quilo de açúcar e leve ao fogo,
    • mexendo sempre, até que se veja, o fundo da panela. Retire do fogo, pingue em tabuleiro e leve ao solpara secar.Bolo de farinha de milhoEscalde duas xícaras de farinha de milho com leite fervendo, adicione erva-doce, sal, dois ovos batidos,uma colher de banha, um pouco de açúcar e uma pitada de fermento. Misture bem e leve, em formauntada, ao fogo.Paçoca de amendoimTorre os amendoim. Tire as peles. Soque, em pilão, com um pouco de fubá e açúcar, até ficar bempilado.Pipoca de milho vermelhoDebulhe as espigas e coloque os grãos numa peneira de abanar café. Jogue salmoura por cima e fiquepeneirando na fogueira até arrebentar. Também pode ser feita com o chamado milho-pipoca.BebidasQuentãoCom meio quilo de açúcar e gengibre ralado, ou em pedaçinhos, faça uma calda regular, nem rala nemgrossa. Quando esta estiver pronta retire do fogo e adicione um litro de pinga. Leve-a depois ao fogoaté levantar fervura. Costumam fazer o quentão com açúcar queimado, juntando-lhe, além do gengibre,canela e às vezes pimenta do reino.Licor de anizPrepare uma calda grossa com meio quilo de açúcar e dois copos de água. Quando pronta, ponha gotasde essência de aniz, ao gosto. Retire do fogo, ajunte meio litro de pinga. Coe. Engarrafe.Rosa solFaça uma calda rala com água, açúcar, canela e cravo. Ao retirá-la do fogo, junte pinga e deixe esfriar.CabreúvaBata uma gemada. Adicione-lhe pinga. Misture muito bem e sirva.Roxo-forteÉ o café quente com pinga.Pinhão Cozido Pinhão cozidoIngredientes:
    • 1 kg de pinhões escolhidos1 litro de água4 colheres (sopa) de sal Modo de Preparo:Lave muito bem os pinhões. Coloque em uma panela de pressão a água e o sal. Misture e acrescente ospinhões, tampe e leve ao fogo. Tão logo consiga pressão na panela, abaixe o fogo e cozinhe por 40minutos. Desligue o fogo e aguarde abaixar a pressão da panela. Escorra os pinhões e sirva.Categoria: AcompanhamentosCozinha: BrasileiraTemperatura: QuenteDificuldade: FácilAperitivo de Pinhão (pinhão em conserva)Ingredientes:2 Kg de pinhão crú 1 litro de vinagre de vinho branco 1 vidro de molho de alho 04 dentes descascadosde alho pimenta calabresa seca 02 folhas de louro 02 colheres de sobremesa/ café de sal manjericão emfolhas 02 (500 grs cada) higienizadosModo de prepararCozinhe o pinhão (bem cozido).Após, descasque-os inteiros e coloque nos vidros. Complete com vinagre e o molho de alho. Temperecom sal, pimenta, folhas de louro e o manjericão. Tampe bem e deixe marinado por alguns dias.É um apetitoso aperitivo. (cozinha paranaense).
    • Quentão a Ribeiro Categoria: Bebidas Cozinha: Brasileira Temperatura: Quente Dificuldade: FácilQuentão a Ribeiro Modo de Preparo:Ingredientes: Coloque o açúcar em uma panela funda (2 litros1 litro de cachaça de capacidade). Leve ao fogo e caramelize1 e 1/2 xícaras de açúcar levemente. Com cuidado, acrescente a água2 paus de canela médios fervente, os cravos-da-índia, gengibre, canela,2 limões médios cortados em rodelas fatias de limão e casca da laranja. Ferva em fogocasca de uma laranja baixo por cerca de 10 minutos para que o4 cravos-da-índia caramelo dissolva. Acrescente a cachaça e ferva2 gotas de pimenta vermelha novamente por cinco minutos. Coe e sirva em60 g de gengibre cortado em fatias pequenas canecas.2 xícaras de águaQuentão Paranaense (vinho quente) Categoria: Bebidas Temperatura: Quente Dificuldade: FácilQuentão Paranaense (vinho quente)Ingredientes: Modo de Preparo:açúcar a gosto Em uma panela grande, coloque o vinho, a casca ecasca de 1 laranja média o suco de laranja, o suco de limão, a canela e os3 colheres (sopa) de suco de limão cravos e leve ao fogo. Assim que levantar fervura,1 xícara (chá) de suco de laranja acrescente o açúcar; deixe por mais 5 minutos e5 cravos-da-índia retire do fogo. Deixe o vinho quente descansar
    • 1 litro de vinho tinto seco por 1 hora em um recipiente tampado. No2 pedaços de canela em pau momento de servir, esquente-o novamente.Arroz-doce Categoria: Sobremesas: Doces Cozinha: Brasileira Temperatura: Frio Dificuldade: Fácil Ingredientes:1 xícara de arroz lavado e escorrido4 xícaras de leite1 xícara de açúcar2 colheres de sopa de água de rosas ou flor de laranjeira1 colher de sopa de canela em pó Modo de Preparo:Numa panela, coloque o arroz e o leite, misture, leve ao fogo alto e deixe ferver. Reduza o fogo parabrando e cozinhe, mexendo sempre com uma colher de pau para a mistura não grudar no fundo dapanela, por cerca de 50 minutos ou até o arroz ficar macio. Acrescente o açúcar e a água de rosas ouflor de laranjeira, misture bem e tire do fogo. Coloque o arroz-doce numa travessa, polvilhe com canelae sirva.Pipoca Categoria: Lanches Cozinha: Brasileira Temperatura: Quente Dificuldade: FácilIngredientes:4 colheres (sopa) de óleo vegetal1 xícara de milho para pipoca½ colher (chá) de glutamato monossódicosalModo de Preparo:Coloque o óleo em uma panela e leve ao fogo para aquecer bem. Acrescente o milho e misture.Salpique com o glutamato e tampe a panela. Assim que o milho começar a estourar comece a balançar
    • a panela sobre a chama para que as pipocas não queimem. Espere que todas estourem. Coloque em umatigela e salpique com sal.Maçã do Amor Dicas: ATENÇÃO: Esta receita não deve ser preparada por crianças menores de 14, mesmo acompanhadas por um adulto. Queimaduras com caramelo são perigosas deixando seqüelas em 90% dos casos. Antes de preparar a receita, coloque gelo e água em uma tigela funda e coloque-a ao lado do fogão, caso respingue caldaCategoria: Sobremesas: Doces nas mãos, mergulhe-as imediatamente na águaTemperatura: Frio gelada. Lave com sabão neutro e procureDificuldade: Fácil atendimento médico.Ingredientes:8 maçãs firmes4 xícaras de açúcar1 xícara de água2 colheres (sopa) de glucose de milho1 colher (sopa) de corante vermelho para alimentospalitos para sorvete Modo de Preparo:Lave e seque muito bem as maçãs. Espete os palitos na parte superior das maçãs, ao lado do talinho.Unte uma pedra de mármore ou granito com óleo vegetal. Prepare a calda misturando bem o açúcar,água e glucose. Coloque em uma panela funda e pequena (pode ser em uma leiteira), tampe e levar aofogo, fervendo tampada por 3 minutos. Retire a tampa e ferva por aproximadamente 10 minutos ou atéatingir a temperatura de 130 graus (ou ponto de vidro, pode-se testar colocando algumas gotas da caldaem um copo com água gelada). Retire do fogo e acrescente o corante e balance levemente a panela paracolorir todo a calda. Coloque a panela com a calda em banho-maria e mergulhe as maçãs, uma a umasegurando-as pelos palitos. Levante e deixe escorrer o excesso, coloque para esfriar sobre uma pia demármore untada. Deixe esfriar completamente.Mãe-Benta
    • Categoria: Sobremesas: Bolos Cozinha: Brasileira Temperatura: Morno Dificuldade: Fácil Tempo de preparo: 20 min + tempo de forno Rendimento: 24 unidadesIngredientes:2 xícaras de açúcar1 tablete (200 g) de manteiga2 xícaras (chá) de fubá de arroz1/2 xícara (chá) de leite de coco6 gemas3 claras Modo de Preparo:Ligue o forno à temperatura média. Coloque na batedeira o açúcar, a manteiga (reserve 1 colher desopa) e o fubá de arroz e bata por 5 minutos. Sem parar de bater, junte as gemas uma a uma. Adicione oleite de coco e bata por mais de 3 minutos. Reserve. Em uma tigela, bata as claras com um batedormanual até obter picos firmes e incorpore à massa. Misture delicadamente até ficar homogêneo. Com amanteiga reservada, unte 24 fôrmas para empadinha, com capacidade para 150 ml cada uma, eenfarinhe. Em seguida, despeje a massa e leve ao forno por 30 minutos, ou até que enfiando um palitoele saia limpo. Retire do forno e desenforme as mães-bentas ainda mornas.Kibe de Bandeja AssadoIngredientes: · 500 gr de patinho moído · 1 unidade de cebola picada · quanto baste de hortelã · 1500 gr de trigo para kibe · quanto baste de água mornaPara o recheio · 500 gr de patinho moído · 1 unidade de cebola picada · quanto baste de sal
    • Confecção:MassaDeixe o trigo de molho na água por 30 minutos.Após, esprema bem o trigo para tirar o excesso de água.Misture todos os ingredientes e reserve.RecheioColoque um pouco de óleo numa panela e junte a cebola, deixe fritar a cebola e coloque a carne moída,deixe cozinhar.Montagem: Pegue um recipiente de vidro e unte com óleo e coloque uma camada de massa, uma derecheio e outra camada de massa, corte em quadradinhos e regue com azeite de oliva para ficar húmidoe leve ao forno aproximadamente por 30 ou 40 minutos.Bolinho de mandioca com queijo e ervas Bolinho de mandioca com queijo e ervas Ingredientes:1 kg de mandioca descascada e picada3 xícaras (chá) de leite1 colher (sopa) de manteiga2 ovos1 colher (sobremesa) de fermento em pó1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo200 g de mussarela moída2 colheres (sopa) de sálvia picada2 colheres (sopa) de tomilho fresco picadoóleo para friturasal Modo de Preparo:Coloque em uma panela a mandioca e o leite e cozinhe, em fogo baixo, por 35 minutos, ou até o leiteevaporar e a mandioca se desfazer. Retire, passe a mandioca, ainda quente, no espremedor e transfira amassa obtida para uma tigela. Misture a manteiga, os ovos, o fermento e o sal. Reserve. À parte,peneire a farinha de trigo e, aos poucos, acrescente a massa de mandioca mexendo sempre com umacolher. Se necessário, junte mais farinha de trigo. A massa deve ficar unida e desprender das mãos.Reserve. Em uma tigela, misture a mussarela, a sálvia e o tomilho e reserve. Para fazer os bolinhos,estenda um pouco de massa na palma da mão enfarinhada, coloque um pouco da mistura de mussarelae enrole sem deixar aberturas ou dobras. Frite os bolinhos em uma panela com óleo bem quente atédourarem. Retire e coloque-os sobre papel toalha para eliminar o excesso de gordura. Sirva os bolinhoscom salada verde. Se preferir, salpique mussarela ralada no momento de servir.
    • Categoria: AcompanhamentosEsta receita: é vegetarianaCozinha: BrasileiraTemperatura: QuenteDificuldade: FácilTempo de preparo: 1 hora e 10 minRendimento: 60 bolinhos pequenosBiscoito de Polvilho Azedo - Vó LindaIngredientes:500 gramas de polvilho azedo1 - xícara de água fria1 - xícara de leite1 – xícara de óleopitada de sal1 – ovoModo de PreparoDesmanche o polvilho em água fria.Ferva o leite e o óleo misturando ao polvilho acrescentando o ovo.Misture bem e enrole como “bananinhas”.Prepare em uma bandeja para assar e leve ao forno pré-aquecido. Forno bem quente.Perceba quando o biscoito ficar dourado. Estará no ponto.O biscoito será um acompanhante delicioso no café ou mesmo no aperitivo!Pão de Queijo - Vó LindaIngredientes desta Receita:• 1 colher (chá) de sal• 1 colher (chá) de fermento em pó• ½ xícara (chá) de óleo vegetal• ½ xícara (chá) de água• ½ xícara (chá) de leite• 1 ovo graúdo• 1¼ xícara de amido de milho (maisena)• 1¼ xícara de polvilho azedo• 1 xícara de queijo mineiro meia curaPreparo da ReceitaPeneire junto o polvilho, amido, sal e fermento. Reserve. Rale o queijo e adicione à mistura depolvilho. Misture. Misture o leite com a água e o óleo, adicione o ovo e misture bem. Despeje a misturalíquido sobre a mistura de queijo e amasse bem para obter uma massa homogênea e lisa. Forre uma
    • assadeira com papel manteiga levemente untado. Aqueça o forno a 190 graus (média/alta). Unte asmãos com um pouco de óleo e com a massa faça bolas um pouco menores do que as de pingue ponguee arrume na assadeira deixando espaço entre uma e outra. Leve ao forno e asse por aproximadamente25 minutos. Sirva quente com manteiga ou requeijão.Categoria da Receita:lanchesCozinha da Receita:brasileiraDificuldade de Preparo da Receita:fácilTemperatura da Receita:frioBolo Caipira de Rapadura Bolo caipira de rapaduraIngredientes: para untar e enfarinharmargarina, farinha de trigomeio quilo de rapadura picada1 xícara (chá) de água4 gemas1 xícara (chá) de margarina2 xícaras (chá) de farinha de trigo4 claras em neve1 colher (sopa) de fermento em pó Modo de Preparo:1-Unte e enfarinhe uma fôrma de furo central grande (24 cm de diâmetro) e reserve.2-Em uma panela, coloque a rapadura e a água. Leve ao fogo médio, mexendo sempre, até derreter.Deixe esfriar.3-Preaqueça o forno em temperatura média (180ºC).4-Bata na batedeira as gemas e a margarina cremosa, até formar um creme fofo e claro.5-Sem parar de bater, junte, aos poucos, a rapadura derretida e bata até formar uma massa homogênea.6-Retire da batedeira e misture a farinha peneirada, as claras e o fermento.7-Coloque a massa na fôrma reservada, cubra com papel-alumínio e leve ao forno por cerca de 30minutos. Retire o papel-alumínio e deixe por mais 15 minutos ou até que, enfiando um palito, este saialimpo. Desenforme ainda morno, deixe esfriar e sirva em seguida.
    • Categoria: Sobremesas: BolosTemperatura: FrioRendimento: 10 porçõesBolo de Abóbora Bolo de abóbora Ingredientes:1 colher (sopa) de óleo1 xícara (chá) de açúcar1 xícara (chá) de farinha de trigo1 colher (sopa) de fermento em pó1 xícara (chá) de leite de coco500 g de abóbora madura picada1/2 xícara (chá) de margarina light2 colheres (sopa) de açúcar cristal1/2 xícara (chá) de amido de milho Modo de Preparo:Coloque em uma panela, a abóbora, o leite de coco e o açúcar. Deixe cozinhar, em fogo baixo, por 40minutos, ou até a abóbora estar bem macia. Mexa bem para ficar cremosa. Retire e, assim que esfriar,misture a margarina. Peneire em uma tigela a farinha de trigo, a maisena e o fermento. Despeje o cremede abóbora e misture bem, mas sem bater. Unte uma fôrma para pudim, com capacidade para 1,5 litro,com o óleo e polvilhe com o açúcar cristal. Despeje a massa e coloque para assar em forno médio,preaquecido, por 45 minutos, ou até que enfiando um palito ele saia limpo.Categoria: Sobremesas: BolosCozinha: BrasileiraTemperatura: FrioDificuldade: Fácil
    • Tempo de preparo: 1 hora e 40 minRendimento: 8 porçõesBolo de Amendoim Bolo de amendoimIngredientes: Para untarmargarina farinha de trigo2 ovos1 xícara (chá) de açúcar1 xícara (chá) de margarina1 xícara (chá) de amendoim torrado sem casca moído2 xícaras (chá) de farinha de trigo1 xícara (chá) de leite desnatado1 colher (sopa) de fermento em pó Modo de Preparo:1- Preaqueça o forno em temperatura média (180°C).2- Unte e enfarinhe uma fôrma de furo central (24 cm de diâmetro) e reserve.3- Bata as claras em neve e reserve. Na batedeira, coloque o açúcar, a margarina, as gemas e bata atéobter um creme.4- Junte o amendoim e a farinha, alternando com o leite. Acrescente o fermento, as claras reservadas emisture delicadamente.5- Coloque a massa na fôrma reservada e leve ao forno por cerca de 40 minutos. Deixe amornar,desenforme e sirva em seguida.
    • Categoria: Sobremesas: BolosTemperatura: MornoRendimento: 16 porções.Bolo de Batata-Doce e Coco Bolo de batata-doce e cocoIngredientes:1 xícara (chá) de açúcar1 tablete de manteiga (200 g)1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo3 ovos1 colher (sopa) de fermento em pó2 vidros pequenos de leite de coco2 vidros pequenos de leite de coco (400 g)2 colheres (sopa) de raspas de limão370 g de batata-doce roxa cozida e amassada1 xícara (chá) de coco em flocos Modo de Preparo:Bata na batedeira a manteiga (reserve 1 colher de sopa), o açúcar e as raspas de limão por 3 minutos, ouaté obter um creme homogêneo. Sem parar de bater, junte as gemas uma a uma. Adicione a batata-doce, a farinha de trigo, o coco e o leite de coco e bata mais um pouco. Por fim, incorpore as clarasbatidas em neve e o fermento em pó, misturando delicadamente.Com a manteiga reservada, unte uma fôrma redonda, de 25 cm de diâmetro, e polvilhe com farinha detrigo. Despeje a massa e leve para assar em forno médio, preaquecido, por 45 minutos, ou até queenfiando um palito, ele saia limpo. Se preferir, salpique coco na superfície para decorar.
    • Categoria: Sobremesas: BolosTemperatura: FrioDificuldade: FácilBolo de Fubá Bolo de fubáIngredientes:1 e 1/3 xícaras de farinha de trigo1 colher (sopa) de fermento em pó2/3 de xícara de fubá fino2 ovos ligeiramente batidos2/3 de xícara de leite1/3 de xícara de mel1/3 de xícara de manteiga Modo de Preparo:Misture a farinha de trigo com o fermento em pó. Reserve. À parte, coloque em uma vasilha o fubá evá juntando o leite, o mel, os ovos e a manteiga e bata bem. Acrescente a mistura de farinha de trigocom a de fubá e misture bem. Asse em fôrma untada e enfarinhada, em forno quente, por 30 minutos.Categoria: Sobremesas: BolosTemperatura: FrioDificuldade: Fácil
    • Bolo de Milho Bolo de milho Ingredientes:1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de milho pré-cozida1/2 xícara (chá) de farinha de mandioca10 colheres (sopa) de açúcar2 xícaras (chá) de leite desnatado5 colheres (sopa) de manteiga1/2 xícara (chá) de coco fresco ralado Modo de Preparo:Coloque no processador as farinhas de milho e a de mandioca e o açúcar. Bata por 2 minutos, ou atéobter uma farinha mais fina. Retire e passe a mistura por uma peneira. Reserve. Coloque o leite, amanteiga e o coco em uma panela. Leve ao fogo por 3 minutos, ou até ferver. Retire do fogo e despeje,aos poucos, e sem parar de mexer, sobre os ingredientes secos peneirados. Mexa vigorosamente atéficar homogêneo. Forre com um pedaço de pano fino, de preferência musseline, a parte de cima de umacuscuzeira, com 20 cm de diâmetro. Coloque a massa e reserve. Coloque 500 ml de água na parte debaixo da cuscuzeira e leve ao fgo por 3 minutos, pu até ferver. Encaixe a cuscuzeira, tampe a panela ereduza o fogo. Cozinhe em fogo baixo por 50 minutos, ou até a massa ficar macia. Retire do fogo edesenforme com cuidado. Se preferir, polvilhe com canela em pó ou sementes de erva-doce. Sirva commel ou melado.
    • Categoria: Sobremesas: BolosEsta receita: é lightCozinha: BrasileiraTemperatura: FrioDificuldade: FácilTempo de preparo: 20 min + 50 min de cozimentoRendimento: 10 fatiasCalorias: 200 cal por fatiasBolo de Pinhão Bolo de pinhãoIngredientes: Glacê1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro1 colher (sopa) de suco de limão1 xícara (chá) de manteiga1 lata de leite condensado4 gemas1 pitada de sal1 xícara (chá) de pinhão cozido, descascado e moído1 xícara (chá) de farinha de trigo1 colher (sopa) de fermento em pó4 claras em neve Modo de Preparo:Massa:Bata a manteiga até ficar macia. Aos poucos, despeje o leite condensado até obter um creme. Sem pararde bater, junte as gemas, uma a uma, o sal, o pinhão, a farinha, o fermento e, por último, misturedelicadamente as claras em neve. Coloque a massa em uma assadeira untada e leve ao forno por 30minutos, ou até dourar. Retire do forno e deixe esfriar.Glacê:
    • Em uma panela, coloque o açúcar, o suco de limão e 2 colheres (sopa) de água quente. Leve ao fogo emexa até obter uma mistura homogênea. Desenforme o bolo e cubra com o glacê.Categoria: Sobremesas: BolosTemperatura: FrioDificuldade: FácilCanjica com Coco Canjica com coco Ingredientes:1 xícara de canjica1 xícara de leite de coco3 xícaras de leite1 xícara de açúcar1 canela em pau Modo de Preparo:Coloque a canjica de molho em água fria por 8 horas. Escorra e coloque em uma panela juntamentecom o leite e metade do açúcar. Adicione o pau de canela e leve à fervura em fogo baixo para que osgrãos fiquem macios. Teste e se estiver no ponto adicione à panela o açúcar restante e o leite de coco.Ferva novamente para encorpar o líquido. Sirva quente salpicando com canela em pó.Categoria: Sobremesas: DocesCozinha: BrasileiraTemperatura: FrioDificuldade: Fácil
    • Curau de Milho Curau de milhoIngredientes:12 espigas de milho verde8 xícaras de leite2 e 1/2 xícaras de açúcarpitada de sal Modo de Preparo:Lave muito bem as espigas de milho, rale-as cuidadosamente em um ralador e raspe bem os sabugoscom a ajuda de uma colher. Coloque em uma tigela e acrescente o leite, misture bem e deixe a massadescansar por 10 minutos, coloque em um pano bem limpo ou peneira fina e esprema muito bem. Untecom um pouco de óleo de canola uma forma de bolo (furo no meio). Coloque em uma panela o caldode milho e acrescente o açúcar, misture bem e leve ao fogo cozinhando lentamente até que o curau
    • engrosse, cerca de 40 minutos. Despeje a mistura na forma untada e deixe esfriar. Leva à geladeira esirva salpicando com um pouco de canela.Categoria: Sobremesas: DocesTemperatura: GeladoDificuldade: FácilCajuzinho Cajuzinho Ingredientes:500 g de amendoim se casca torrado e triturado1 coco ralado médio2 xícaras (chá) de açúcar refinado2 ovos Modo de Preparo:Coloque todos os ingredientes em uma panela (reserve alguns amendoins para decorar) e leve ao fogo.Deixe cozinhar, mexendo sempre, até desprender da panela. Retire do fogo, coloque em um refratário edeixe esfriar. Enrole os cajuzinhos e passe-os no açúcar. Coloque-os em cestinhas de papel e decorecom o amendoim.Categoria: Sobremesas: DocesEsta receita: é para criançasCozinha: BrasileiraTemperatura: FrioDificuldade: FácilRendimento: 90 unidadesDoces do convento
    • Pediram que eu procurasse alguma coisa sobre açúcar em Portugal, mas o tempo era escasso parapesquisa. Logo achei uma receita de sopa de pedras ensinada por tia Gertrudes, uma sábia velhota dailha Terceira, mas era salgada, não servia. Foi daí que me apareceu essa rapariga a se lamuriar, acheiinteressante o seu modo de falar e fui parando pelo caminho.Era mulher, ainda jovem, quase uma miúda. Vinha vestida de freira ou assim parecia. Largou o cestode laranjas que tinha enfiado no braço e deixou-se cair sentada à beira do riacho.“Não se me dava de sentar um poucochinho”, murmurou, enquanto desamarrava suas botas decordovão preto. Olhou para os lados, como que medrosa, e persignou-se. “Ai, que louco alívio!”.Enfiou os pés na água e espichou bem as pernas. Sentiu que a alma se lhe esfriava toda.Monjas! Boa lhe tinham aprontado. Queria é estar ao pé da mãe, a fazer a açorda dos hómes commigalhas e coivinhas e não a morar ali, a última das criadas de 80 freiras, a mais escrava, a ouvirsermões e matinas e vésperas que não tinham fim.Se fosse só ir à missa louvar o Senhorzinho... mas era o trabalho pesado da doçaria que a matava aospoucos.Gostava da cozinha, mas é que ali havia que se deitar açúcar em tudo, parece que as monjas nas suasfidalguias desconheciam o sarrabulho, a linguiça, o toicinho de fumo. Exageradas é o que eram. Ai, eucá me benzo. São lambareiras, Vossas servas!Trouxe de volta à terra um dos pés e o massageou com furor enquanto rezava pela alma do tio que atrouxera p’ó convento.“É que não sabia o tio das modas, imaginava ele que as monjas passavam o dia a rezar e fazer doces ecaridades. Será que o modo de nomear os doces não bastara para alertar o tio? Bolinhos do amor,orelhas-de-abade, beijos, foguetes, lérias, velhotes, papos-de-anjo, barrigas-de-freira!!! Ah, deixa-merir. Frioleiras e mais frioleiras era do que gostavam as freiras, a polvilhar canela e açúcar em tudo.”E a ela, pois, tocava-lhe avivar o lume, arear as panelas, arrancar-lhes do fundo a grossa calda deaçúcar queimado. E mexer ovos, mexer ovos, mexer ovos. Ai dela se não mexesse as pastas d’ovosantes que arrefecessem, enchiam-se de gafanhotos, estragavam-se.Com os braços doídos, à noitinha, nem rezar a Deus conseguia. Exausta, sonhava com o bater dascascas nas paredes da vasilha, separando a clara das gemas. E a madre despenseira sempre a vigiar e aralhar por “dá lá aquela palha”, a suspeitar que lhe surrupiavam o açúcar. Ralava-se sem razão, poisnão lhe ocorreria fazê-lo, jamais. Só de pensar em doces tinha náusea.Pôs os olhos lá longe, o céu firme, as parreiras de uvas pretas e suspirou com um pouco de angústia ede gozo a esfregar o outro pé molhado e dolorido.Pândegas eram as monjas, a se entupirem de doces nos dias magros, a convidarem gente todos os dias,a saírem p’á fora do convento quando bem se lhes dava na telha, a palrar das janelas com quem passavacom seus cabelos empoados. A ela, à camponesa, cortaram-lhe as madeixas no primeiro dia, nada maiscomia do que uma ração ordinária, um pão com marmelada na merenda, um pouco de guisado quesobejara do almoço, uma bolacha a trincar. E lá a priora e suas engraçadinhas arranjavam muito e dobom com que lamber os beiços.E quem é que ia à horta, ao pomar, ao moinho? Quem carregava às costas os caixotes de doce quepartiam para todo o reino como mimos? Mimos daqui, mimos pra lá. Quem descascava as castanhas
    • para o leite com castanhas que davam aos pobres?Começou a cantarolar baixinho, absorta. Vedes o maio, maio, mocinhas, vamos à caixa, dascastanhinhas. Respirou fundo e sentiu o cheiro da lenha e do caldo que estava a apurar desde muitocedo. Tinha ainda de varrer o forno bem varrido, botar-lhe as brasas ao borralho para os biscoitos.Começou a enxugar os pés na barra da saia de baetilha e a folgar os cordões das botinas para calçar semdificuldades.“Macacos me trinquem, Senhor, se não é fingimento dessas monjas afidalgadas, a quem tudo assusta,fricoteiras, que só sabem suspirar e meter doçaria goela abaixo, a dizer que são elas a fazer os docesdos conventos.Olhe, Senhor, sempre lhe quero dizer se não faço mais virtude a me esfalfar do que elas a darem decomer ao bispo. E a enrolar alfenins com mãos de fada, a recortar rendas de papel e a dispor doces emcaixinhas...Às vezes, Senhor, fico dando tratos à bola, caracolando idéias nessa minha cachimônia, que chego aperder o sono. Aí rezo. Sei que a Deus Nosso Senhor o devo, não me faltes. E um dia desses queriaoferecer p’ó Deus Menino uma sopa dourada que a avó me ensinou. E lhe apeteceria comê-la inteira,tão boa é, e iria a ela como São Tiago aos moiros... Uma sopinha do Jesus se babar, achar de truz,d’arromba, regalar-se e premiar-me com um sitiozinho aos céus!”Levantou-se, pegou a cesta. Com a mão vaga começou a desfiar o rosário um pouco melado de caldadoce e, refrescada, foi andando em direção aos sinos.INVENTORA DA MÃE BENTANem sempre foi monótona a vida do antigo high-life carioca. Divertia-se de conformidade com os recursos da época. Houve também saraus, reuniões, partidas e convescotes. Entre os primeiros tornaram-se afamados os da casa do doutor Antônio Francisco Leal, em cuja família era hereditário o gosto pela música. Ele e seus dez filhos eram eminentes virtuosi, não fazendo exceção às senhoritas, bem-educadas e perfeitas damas de salão.Conta-se até: para obsequiar o almirante Sidney Smith, a família Leal dirigiu-se a bordo no navio Frodouyant e ali, em presença de muitos convidados de distinção, efetuou-se verdadeira matinêcantante, sendo pelo velho Leal, médico distinto, e seus descendentes, executada por inteiro uma ópera italiana. Passava-se isto no tempo do príncipe regente dom João, e às recepções da família Leal não faltavam os próprios ministros do futuro rei.Era freqüentador constante o conde de Anadia, João Rodrigues de Sá e Menezes, que até a morte,
    • 30 de dezembro de 1809, residiu na grande casa da rua das Marrecas em frente ao chafarizdemolido. No convento de Santo Antônio foram sepultados os despojos deste fidalgo, cujo pouco apreço às cousas do Brasil, o levou à cometer imprudências e quiçá atos de má educação. Diz a crônica: de uma feita o conde, por ocasião do chá, provara de um bolo – verdadeiranovidade. Achou-o saboroso. Uma das filhas do dono da casa perguntou-lhe se conhecia a matéria de que era feito o referido bolo, que sua excelência estava comendo. – Naturalmente de farinhade trigo e ovos. – Pois saiba que é ele indústria brasileira e feito por fórmula especial, e chama-se bolo de mãe benta. Tanto bastou para que o Anadia lançasse pela janela o pedaço do bolo que tinha na mão, e mostrando repugnância e arrependimento de o haver provado começasse acuspinhar como que enjoado. Não pensam felizmente assim os senhores Doumer, Turot e Ferrero, que acharam supimpas os bolinhos de mãe benta. Há um inglês que todos os anos vem ao Rio para comer esses bolinhos e as empadas do Pascoal. Sou também apaixonado pelos bolos de mãe benta. Não há dia em que não coma um, acompanhado de uma bela xícara de café do Cascata. No dia 17 houve sessão extraordinária e a ela compareceu o meu velho amigo doutor Xavier daSilveira. Ao despedir-se, convidei-o para se demorar e apreciar uma mãe-bentinha. – Não posso, e desde já o emprazo para escrever alguma coisa sobre a verdadeira inventora desse bombom,cuja fama vai passando à posteridade, apesar de todas as nossas modernices. Fiquei embatucado com a pergunta de algibeira e arrependi-me até da minha gentileza. Sabia que nas despensas de muitas casas antigas se guardavam as forminhas próprias para selevar ao forno os saborosos bolinhos. Tinha lido até antigos cadernos de receitas, onde as nossasvelhas donas de casa registravam as receitas das desmamadas, dos pudins de laranja das viúvas,pastéis de Santa Clara, canudos desfolhados, suspiros, babas-de-moça, doces de calda, empadas de palmito e camarão, bons-bocados e outras tantas guloseimas, infelizmente destronadas pelos bombons, savarins, et reliqua. Conhecia por experiência própria que as freiras da Ajuda tinham guardado o segredo da fabricação das mães-bentas, que por elas fabricadas: é comer e pedir mais. Que eram essas religiosas que forneciam em tempos antigos o cardápio das "lautas" mesas de doces por ocasião de casamentos e batizados. Nos copos-de-água, doces que não viessem da Ajuda não tinham valor algum. E isso se dava quando ainda não havia confeitarias no Rio deJaneiro. Não tinham aparecido o Carceller, o Guimarães, o Francioni, o Neves do largo do Capim, a viúva Castagnier do Braço de Ouro (rua dos Ourives), o Castelões, o Deroche, o Camarinha, oJustina da rua da Cadeia, etc. Hoje quem encomendasse um serviço às freiras da Ajuda passaria por grande retrógrado, indigno do título de smart e desertado das vias do progresso! Os meus conhecimentos de folclore sobre o assunto limitavam-se somente aos seguintes versos cantados pela arraia miúda: Mãe Benta, me fia um bolo? Não posso, senhor tenente Os bolos são de iaiá Não se fia a toda genteAndava eu em perfeita labuta de espírito, quando, providencialmente, me aparece o comendador José Luiz Alves. Recordava ele as glórias de Mont’Alverne no célebre sermão de São Pedro de Alcântara, pregado na Capela Imperial, em 19 de outubro de 1854, ao qual ele comendador assistira com seu irmão, o falecido doutor Tomás Alves. No meio dos arroubos de entusiasmo, engatilhei-lhe, à queima-roupa, a seguinte pergunta: o senhor, que sabe tanta coisa, não é capaz de dizer quem foi a mãe Benta? - Pois não. Era mulher de cor preta, que vivia de fazer doces. Sua casa foi sempre freqüentada pelos mais importantes vultos do tempo da Regência. À sua mesa sentou-se, por várias vezes, o
    • regente Feijó, que ia apreciar os petiscos feitos pela velha, e saborear, depois do café, osapetitosos bolinhos, que se tornaram moda. Olhe, a mãe Benta foi progenitora do cônego GeraldoLeite Bastos, que morreu oficial-maior da Secretaria do Senado, tipo de lealdade, de dedicação a amigos, de amor filial, caridoso, humanitário, modesto e grande patriota, sem ambições!Estava salva a pátria. Tratei de verificar as asserções do amável comendador. Com efeito, a mãe do cônego Geraldo chamava-se Benta Maria da Conceição Torres. Faleceu em 30 de agosto de 1851 e foi, no dia seguinte, sepultada no carneiro nº 2804, do cemitério de São Francisco de Paula. Quem de ora avante saborear um bolo da mãe-benta sempre se lembrará da mulher honesta e amante do trabalho, que com o produto de suas mãos pode e soube educar um filho, grande patriota, perfeito homem de bem, de caráter imaculado. Nele sempre encontrou Feijó verdadeiro amigo ou antes dedicado irmão. Foi Geraldo quem escreveu a melhor biografia do antigo Ministro da Justiça de 1831 e depois regente do Império, tipo de verdadeira abnegação, de largo nome e eterna memória. [1907] (José Vieira Fazenda. In BANDEIRA, Manuel; ANDRADE, Carlos Drummond deDUAS RECEITASI500g de açúcar refinado500g de fubá de arroz500g de manteiga1 coco ralado9 gemas4 clarasBata o açúcar com as gemas, junte a manteiga e em seguida o fubá, colher por colher. Misture ococo e por último as claras que devem ser batidas separadamente. Leve ao forno em forminhasforradas com papel e untadas com manteiga.II2 xícaras de fubá de arroz2 xícaras de açúcar1 xícara de manteiga6 ovos (sendo somente 3 com as claras)leite de 1 cocoMisture bem o açúcar com a manteiga, depois as gemas, o fubá, o leite de coco e por último asclaras como para suspiro. Ponha em forminhas de papel apropriadas e asse em forno quente.
    • Natal Brasileiro - Bobó de camarão Bobó de camarãoIngredientes:1 kg de camarão médio4 colheres (sopa) de suco de limão1 colher (sopa) de alho amassado1 kg de mandioca1 cebola grande partida ao meio1 cenoura grande picada½ maço médio de coentro amarrado½ xícara (chá) de cebola ralada4 colheres (sopa) de azeite de dendê1 colher (sopa) de gengibre ralado1 colher (chá) de pimenta malagueta amassada1 xícara (chá) de leite de cocosal a gosto Modo de Preparo:Limpe os camarões, retire as cascas e as cabeças (reserve) e lave bem. Coloque os camarões em umatigela e tempere com o suco de limão, o alho e o sal. Descasque a mandioca, corte em pedaços de maisou menos 7cm e retire a fibra central. Lave-a, coloque em uma panela, junte as cascas e as cabeças doscamarões, a cebola, a cenoura e o coentro. Cubra com 2,5 litros de água, leve ao fogo e cozinhe companela tampada por 35 minutos, ou até a mandioca ficar bem macia. Retire a mandioca, e coe o caldo
    • que se formou na panela. Transfira a metade da mandioca para o liquidificador, junte 2 xícaras (chá) docaldo morno, e bata até obter um mingau grosso. Se necessário, junte mais caldo. Pique a outra metadeda mandioca e reserve. Pique a metade do maço do coentro e reserve. Transfira a mandioca batida parauma panela, junte a mandioca picada, os camarões, o azeite de dendê, o gengibre, a pimenta malagueta,o leite de coco, o coentro reservado e o sal. Misture e cozinhe, mexendo de vez em quando, até oscamarões ficarem rosados. Sirva com arroz branco e molho de pimenta.Fonte: Revista Água na BocaCategoria: Frutos do marCozinha: BahiaTemperatura: QuenteDificuldade: MédiaTempo de preparo: 1h e 20 minRendimento: 12 porçõesNatal Brasileiro - Brevidade BrevidadeIngredientes:1 xícara (chá) de açúcar7 gemas5 colheres (sopa) de manteiga2 xícaras (chá) de polvilho doce Modo de Preparo:Aqueça o forno à temperatura média. Bata por 10 minutos na batedeira o açúcar, as gemas e a manteiga(reserve 1 colher de sopa). Acrescente, aos poucos, o polvilho sem parar de bater. Continue a bater pormais 5 minutos, ou até obter uma mistura clara e homogênea. Com a manteiga reservada, unte 8 fôrmasde empada com capacidade para 90 ml cada uma e despeje a massa, não enchendo as fôrmas demais.
    • Leve ao forno e deixe por 40 minutos, ou até as brevidades dourarem. Retire do forno e desenformedepois de frias. Sirva com leite adoçado com melado.Fonte: Revista Água na BocaCategoria: LanchesCozinha: Minas GeraisTemperatura: FrioDificuldade: FácilTempo de preparo: 20 min + o tempo de fornoRendimento: 8 unidadesNatal Brasileiro - Cobu de roça Cobu de roçaIngredientes:1kg de fubá mimoso ou de moinho1 pitada de sal1 colher (chá) de canela em pó2 xícaras (chá) de leite1 e 1/2 xícara (chá) de banha de porco ou manteiga2 xícaras (chá) de açúcar2 colheres (chá) de sementes de erva-doce2 ovos300g de queijo de minas semicurado picadofolhas de bananeira Modo de Preparo:Ligue o forno à temperatura média. Peneire em uma tigela o fubá, o sal e a canela em pó e reserve.Leve ao fogo uma panela com o leite e banha até ferver. Retire do fogo e despeje, aos poucos, sobre ofubá para escaldá-lo. Misture bem até ficar homogêneo. Adicione o açúcar, a erva-doce e os ovos emexa até obter uma massa bem consistente. Se necessário, adicione mais ovos. A massa deve ter
    • consistência para ser modelada como um pão. Reserve. Corte as folhas de bananeira em 17 pedaços de25cmx20cm. Ferva em uma panela 3 litros de água e escalde as folhas de bananeira por 3 minutos, ouaté ficarem macias. Seque as folhas em toalha de papel. Modele a massa no formato de pequenos pãesovais e em cada um coloque uma porção de queijo. Disponha nas folhas de bananeira e enrole. Coloqueos rolinhos em uma assadeira e leve ao forno por 30 minutos, ou até o pão ficar firme. Retire do forno esirva quente.Dicas:Típico do interior de Minas Gerais, o cobu da roça pode ser feito com antecedência e assado no últimomomento.Fonte: Revista Água na BocaCategoria: Sobremesas: DocesCozinha: BrasileiraTemperatura: QuenteDificuldade: MédiaTempo de preparo: 40 min + o tempo de fornoRendimento: 17 unidadesNatal Brasileiro - Doce de Caju Doce de cajuIngredientes:32 cajus médios2 xícaras (chá) de açúcar2 pedaços pequenos de canela em pau5 cravos-da-índiaModo de Preparo:
    • Lave os cajus e coloque-os em uma tigela, sem retirar as castanhas. Com um palito ou um espeto fino,fure o caju em toda a sua extensão. Faça cerca de 15 furos em cada caju e transfira-os para uma panela.Junte o açúcar, a canela e os cravos. Tampe a panela e leve ao fogo bem baixo. Deixe cozinhar,mexendo de vez em quando com muito cuidado, até os cajus ficarem macios e a calda levementeencorpada. Retire do fogo, deixe esfriar e coloque em uma compoteira. Se preferir, sirva com creme deleite.Fonte: Revista Água na BocaCategoria: Sobremesas: DocesCozinha: BrasileiraTemperatura: FrioDificuldade: FácilTempo de preparo: 1 h e 10 minRendimento: 15 porçõesNatal Brasileiro - Farofa com bacon e ameixas Farofa com bacon e ameixas Ingredientes:60 g de bacon cortado em cubos2 colheres (sopa) de cebola picada¼ xícara de ameixas pretas (secas) picadas2 xícaras (chá) de farinha de mandioca crua1 colher (sopa) de salsinha picada (opcional)sal e pimenta-do-reino Modo de Preparo:Corte o bacon em cubos e coloque em uma panela, leve ao fogo e doure os cubos de bacon. Semeliminar a gordura que se formou na panela, adicione a cebola e refogue até que fique bem macia.Adicione aos poucos a farinha de mandioca, misturando bem. Doure a farinha sem parar de mexer.Acrescente os pedaços de ameixa e a salsinha (opcional). Tempere com sal e pimenta-do-reino.
    • Categoria: AcompanhamentosCozinha: BrasileiraTemperatura: QuenteDificuldade: FácilNatal Brasileiro - Sorvete de graviola Sorvete de GraviolaIngredientes:1 graviola pequena1 colher (sopa) de casca de limão ralada1 xícara (chá) de açúcar1 colher (sopa) de suco de limão
    • 2 caixinhas de creme de leite Modo de Preparo:Abra a graviola e retire as sementes. Reserve algumas sementes para decorar. Coloque a polpa noliquidificador, aos poucos, e junte a casca de limão. Bata até ficar homogêneo. Reserve. Coloque emuma panela o açúcar e ½ xícara (chá) de água. Leve ao fogo, sem parar de mexer, até o açúcar derreter.Deixe no fogo por mais 8 minutos, sem mexer, ou até obter uma calda em ponto de fio médio. Retiredo fogo, transfira para uma tigela e deixe esfriar completamente. A seguir, junte o purê de graviola, osuco de limão e misture delicadamente. Cubra a tigela com um filme plástico e leve ao freezer por 4horas, ou até ficar firme. Retire a mistura do freezer, raspe e coloque na tigela da batedeira. Acrescenteo creme de leite e bata por mais 2 horas, ou até ficar firme. No momento de servir, distribua o sorvetenas taças e decore com as sementes de graviola ou com raspas de limão.Fonte: Revista Água na BocaCategoria: Sobremesas: DocesCozinha: BrasileiraTemperatura: GeladoDificuldade: FácilTempo de preparo: 35 min + o tempo de geladeiraRendimento: 8 porçõesNORTE E NORDESTE USAM TÉCNICAS PRÉ-CABRALINASA maneira de cultivar mandioca no Brasil não difere radicalmente da utilizada pelos índios na época doDescobrimento. A opinião é do pesquisador Alfredo Augusto Cunha Alves, do Centro Nacional dePesquisa em Mandioca e Fruticultura, da Embrapa, em Cruz das Almas (BA). “Embora não haja muitosregistros de como era na época de Cabral, imagina-se que, no Norte e Nordeste, não tenha mudadomuita coisa”, diz ele.Fácil propagação, elevada tolerância a estiagens, rendimento satisfatório mesmo em solos de baixafertilidade, pouca exigência de insumos modernos e potencial resistência a pragas e doenças são fatorestradicionalmente relacionados ao cultivo da mandioca.“O baixo custo de produção em baixa tecnologia permite seu cultivo onde a população é mais pobre”,diz Marcos Silveira Bernardes, professor do departamento de produção vegetal da Esalq (EscolaSuperior de Agricultura Luiz de Queiroz), da USP.Para o sustento de uma pessoa, é necessária uma área cultivada de 400 m2. Na cultura do trigo, elaseria cinco vezes maior.Isso ajuda a explicar a “exportação” da mandioca para a África, que hoje responde por 50% das 160milhões de toneladas colhidas anualmente. Atualmente, é a Nigéria quem mais produz mandioca: 30milhões de toneladas/ano. A mandioca pode ser plantada usando-se sementes, mas seu cultivocomercial se faz pelo plantio de pedaços da rama. O maior problema é a temperatura, que, no ciclovegetativo (seis a oito meses após o plantio), tem de ser superior a 20 C. A produtividade média noBrasil é de 11,5 toneladas por hectare (em São Paulo, chega a 23).“Em São Paulo, Paraná e Minas Gerais, o cultivo é feito em áreas grandes, com mecanização eherbicidas”, explica Cunha Alves. E produz-se, além da farinha, o amido, com aplicação industrial.
    • Nas regiões Norte e Nordeste, cujos pequenos produtores respondem por mais de 50% da produçãobrasileira, a planta é, quase sempre, cultivada associada a pés de milho, feijão ou amendoim.“O desafio é fazer o uso da mandioca ser diversificado”, diz Cunha Alves. Entre as utilizações menosdifundidas, ele destaca o emprego da farinha de folha na alimentação humana. “Ela é rica em vitaminaA e C _da última, contém mais do que o limão.”Tinta de Urucum: coloque numa panela 2 xícaras (chá) de azeite de oliva e 1/2 xícara(chá) de sementes de urucum. Leve ao fogo baixo por 5 minutos, ou até o azeite ficarbem vermelho, mas tome cuidado para o azeite não fritar.Paçoquinha Rápida Paçoquinha rápidaIngredientes:1 pacote de biscoito Maria cortado em pedaçosmeia xícara (chá) de açúcar300 g de amendoim sem pele, torrado e moídomeia xícara (chá) de margarina meia xícara (chá) de leite Modo de Preparo:1- Coloque os biscoitos aos poucos no liqüidificador ou processador de alimentos, até formar umafarinha.2- Passe para uma tigela, junte o açúcar, o amendoim, a margarina e o leite. Amasse com a ponta dosdedos até formar uma massa homogênea.3- Enrole pequenas porções no formato de bolinhas e coloque em forminhas de papel. Sirva emseguida.Dicas:Conserve em potes bem tampados por até 3 dias, fora da geladeira.
    • Categoria: Sobremesas: DocesTemperatura: FrioRendimento: 60 unidadesPãO DE ALHO E ERVASINGREDIENTES:2 dentes de alho1 colher (sopa) de salsinha1 colher (sopa) de cebolinha2 colheres (sopa) de manteiga amolecida1 bagueteMODO DE PREPARO:Passe o alho no espremedor de alho. Lave e pique a salsinha e a cebolinha. Depois, junte amanteiga e misture tudo numa tigela.Ligue o forno por 15 minutos em temperatura média (180ºC).
    • Corte a baguete em fatias, mas sem separá-las completamente, e passe a manteigatemperada nos dois lados de cada fatia.Embrulhe a baguete fatiada em papel-alumínio e coloque no forno médio por 10 a 15minutos. Sirva quentinho.Rendimento: 16 fatiasMOQUECA DE ROBALOINGREDIENTES:5 dentes de alho amassados4 colheres (sopa) de suco de limão2 kg de postas de robalo5 colheres (sopa) de azeite de oliva2 cebolas médias picadas4 tomates picados1 maço de cebolinha picada1 maço de coentro picado5 colheres (sopa) de tinta de urucum ou uma colher de sopa de colorau
    • sal a gostoMODO DE PREPARO:Descasque e corte os tomates e cebolas Após lavar bem as postas do peixe, coloque emuma bacia com ½ litro de água, 2 colheres de sopa de sal e suco de um limão. Deixe por ½hora. Em uma panela comum, unte com a metade do azeite, e coloque a metade do alho esal, tomate,urucum ou colorau, ½ da cebola,cebolinha e coentro. Misture tudo e tampe poruns 3 minutos.Unte uma panela de barro, com capacidade para 3 litros, com a metade do azeite de olivae o restante do alho.Deixe esquentar e em seguida coloque as postas escorridas. Tentevirá-las do outro lado após 30 segundos. O objetivo é dar um sabor especial do alho eazeite como se fossem grelhados. Em seguida coloque o molho por cima que estavacozinhando na outra panela e tampe.Durante o cozimento em fogo médio, dê umas mexidas na panela, sacudindo-a para opeixe não grudar, mas não mexa com colher. Retire do fogo, após 10 minutos e esprema ½banda de limão, coloque o resto do coentro e regue com azeite. Sirva na própria panela com arroz branco e molho de pimenta vermelha. Se quiser façaum pirão de farinha de mandioca para acompanhar.Receita - Acarajé Acarajé Ingredientes 1/2 Kg de feijão fradinho 1 cebola grande 3 dentes de alho óleo de dendê salPreparoColoca-se o feijão fradinho de molho em água fria, durante 2 horas.Quando o feijão começar a inchar, lava-se com água fria, até soltar toda a casca. Mói-se o feijão semcasca num moinho especial, ou em processador até formar uma massa branca e espessa, à qualacrescenta-se cebola, alho e sal, que antes foram passados no liquidificador.Põe-se um tacho ou frigideira funda óleo e azeite-de-dendê no fogo, e quando este começar a fervercolocam-se pequenas porções de massa retiradas com colher.Depois de frito, o acarajé fica com uma tonalidade avermelhada por fora e branca por dentro.
    • Este bolinho deve ser servido com molho de pimenta, molho de camarão seco, vatapá e salada (tomatee cebola picados).AcarajéIngredientes:ACARAJÉ:1 quilo de feijão fradinho4 cebolassal a gostoágua azeite de dendê para fritarMOLHO:1 cebola 200gramas de camarão secoazeite de dendêsal e pimenta a gostoModo de preparar:ACARAJÉ: Deixe o feijão fradinho de molho na água até amolecer (aproximadamente durante 6horas). Escorra a água e parta o feijão na pedra com o rolo. Em seguida tire as cascas e os pontospretos. Passe no liquidificador com a cebola e um pouco de água. Retire do liquidificador e coloque emuma tigela batendo com uma colher de pau. Tempere com sal e frite às colheradas em azeite de dendêbem quente.MOLHO: Bata no liquidificador a pimenta, a cebola e um pouco de água, depois acrescente o camarãoseco ligando o liquidificador só para misturar, sem dissolver o camarão totalmente. Leve ao fogo paracozinhar e secar. Por último, acrescente o azeite de dendê. Corte os acarajés ao meio sem separar asduas metades, recheie e sirva quente, logo após retirar do fogo.MAIS RECEITAS ESPECIAIS PARA PASCOA..Colomba Pascoal
    • É uma receita especial para a PáscoaRendimento:Mais de 4 pessoasIngredientes:Fermentação: - 45g de fermento biológico - 1/2 xícara de chá de água morna - 1/2 xícara de chá de açúcar - 1xícara de farinha de trigo Massa: - 150g de manteiga sem sal - 1 xícara de chá de açúcar - 1 pitada de sal - 1colher de sobremesa de óleo emulsificante para pães - essência de panetone a gosto - 1 cálice de conhaque - 1ovo - 3 gemas - 300g de farinha de trigo Recheio: - 150g de frutas cristalizadas - 150g de passas brancas epretas - 100g de chocolate meio-amargo picado Cobertura: - 2 claras - 250g de açúcar de confeiteiroModo de Preparo:Fermentação: misturar com as mãos os ingredientes (colocar a farinha aos poucos) e deixar dobrar de volume.Massa e Recheio: bater a manteiga, os ovos, as gemas e o açúcar até dobrar de volume. Juntar a fermentação,acrescentar os demais ingredientes da massa, por último a farinha e bater na batedeira com o garfo de massasaté a mistura se desprender do recipiente. Deixar dobrar de volume. Juntar o recheio de modo uniforme, colocarem duas formas próprias apra colomba, aplicar a cobertura e deixar crescer novamente. Levar ao forno médio(180º) até que estejam douradas. Cobertura: misturar todos os ingredientes e empregar.Coxinha de BacalhauRendimento:Mais de 4 pessoasIngredientes:MASSA DE BACALHAU: - 1 colher (sopa) de azeite de dendê - 100g de manteiga sem sal - 2 dentes de alhosocados - 1 cebola média ralada ou picada - 1 colher (sopa) de pimentão vermelho picado - 4 colheres (sopa)
    • de molho de tomate pronto - 1 folha de louro - 400g de bacalhau demolhado e refogado em tempero a gosto -1/3 de xícara (chá) de azeitonas verdes picadas - 400ml de água filtrada - 200ml de leite frio - Sal - Molho depimenta e temperos a gosto - 350g de farinha de trigo - 1/3 xícara (chá) de salsinha verde picada RECHEIO: -400g de requeijão cremoso ou 200g de requeijão cremoso misturado com 250g de bacalhau demolhado erefogado a gosto PARA EMPANAR: - 1 ovo ligeiramente batido - 400g de farinha de roscaModo de Preparo:Coloque numa panela o azeite de dendê e parte da manteiga (aproximadamente 40g), dourando o alho e acebola. Em seguida, junte os tomates, o pimentão, a folha de louro, o bacalhau, as azeitonas e refogue poralguns minutos. Junte o restante da manteiga, a água, o leite, prove os temperos e deixe em fogo alto atélevantar fervura. Abaixe o fogo e junte de uma só vez, a farinha de trigo, mexendo rapidamente até obter umamassa que solte da panela. Desligue o fogo e acrescente a salsinha picada. Espalhe a massa sobre a bancadae deixe amornar. Quando estiver morna, trabalhe a massa para evitar a formação de crosta na superfície eenrole as coxinhas ou croquetes. Passe pelo ovo batido e pela farinha de rosca, fritando-as em óleo quente.Receita Bacalhau da Noruega à Brasileira Posta de Lombo de Bacalhau da Noruega ao leite, com batata baroa e vinho tinto.Porção para 6 PessoasIngredientesPara o Peixe
    • INGREDIENTES E QUANTIDADESBacalhau da Noruega 1200 gramasLeite 2000 mlCaldo de Peixe 50 mlBacon 250 gramasAlho 4 gramasTomilho 1 gramaLouro 1 folhaZimbro 3 gramaCardamono 3 gramaCoentro 3 gramaPara o MolhoINGREDIENTES QUANTIDADESEchalotte ou Cebola 150 gramasShiitaki 150 gramasManteiga 150 gramasAnis 1 gramaCoentro 1 gramaCardamono 1 gramaVinho Tinto 500 mlDemi Glace de Vitela 250 gramasTomilho 1 gramaLouro 1 folhaSal - Pimenta 10 gramaPara GuarniçãoINGREDIENTES E QUANTIDADESBatata Baroa 1200 gramasManteiga 80 gramasCominho 5 gramasCebolinha 10 gramasSal - Pimenta 30 gramas
    • PreparoPreparo do MolhoCortar em julienne a cebola ou echalotte e o cogumelo. Cozinhe com trinta gramas de manteiga aespeciaria até a água evaporar. Adicionar o vinho tinto e quando ferver deixe pegar fogo. Reduza a ¾.Acrescente a demi-glace de vitela, tomilho e o louro. Reduzir pela metade e acrescente o restante damanteiga. Acertar o sal com paladar.Preparo do PeixeAqueça o leite com o bacon defumado, sal e especiaria. Cozinhe o Bacalhau da Noruega até que fiqueno ponto.Preparo da Batata BaroaDescascar a batata baroa e corta-la em rodela. Refogar em uma frigideira a batata baroa com manteiga,sal, pimenta e cominho. Acrescentar um pouco de caldo e deixe cozinhar por 10 minutos. Salpicar coma cebolinha picada.MontagemCoar o Bacalhau da Noruega e limpa-lo das especiarias e das ervas. Fazer com a batata baroa umacoroa e pô-la no prato em cima do Bacalhau da Noruega. Regar a volta com o molho.Bacalhau a Zé do Pipo
    • E por que Zé do Pipo? De onde surgiu esse nome. Zé do Pipo foi um dos proprietários de um famoso restaurante do Porto,em Portugal, lugar onde criou essa receita diferente de bacalhau: postas do peixe que, depois de cobertas com maionese, sãolevadas ao forno para gratinar.Ingredientes1 kg de bacalhau em postas 1 litro de leite 2 cebolas médias picadas 4 colher (sopa) de azeite 1 folha delouro sal e pimenta do reinoPara a maionese1 vidro de 500 g de maionese suco de 1 limão 2 colher (sopa) de azeite 1 colher (sopa) de oréganoPara o Purê de Batatas1 kg de batatas cozidas e passadas no espremedor ½ xícara (chá) de leite ¼ de xícara (chá) de manteigaModo de fazerColoque o bacalhau de molho em água fria, com 1 xícara (chá) de leite. O suficiente para cobri-lo, com24 h de antecedência. Troque de água umas 4 vezes. Leve ao fogo, numa panela alta, o bacalhau e oleite. Quando levantar fervura, cozinhe por uns 10 minutos, em fogo baixo com a panela semitampada.Escorra o bacalhau e reserve de xícara (chá) de leite. Retire as espinhas. Reserve. Frite a cebola noazeite, junto com o louro, tempere com sal (pouco) e pimenta do reino, até ficar transparente. Retire afolha de louro e reserve as cebolas.Tempere a maioneseUse os ingredientes citados. Reserve.Para o PurêMisture bem a batata já cozida e espremida, o leite, a manteiga e sal à gosto e mexa bem num panela.Reserve.Montagem do prato
    • Coloque os pedaços de bacalhau num refratário, espalhando por cima a cebola. Cubra com a maionesee contorne com o purê de Batata. Leve ao Forno pré-aquecido até dourar. Sirva imediato apenas comuma salada de folhas e arroz branco.Dica: Na 1ª água do bacalhau, coloque 1 pitada de fermento em pó. A pele do bacalhau incha e se soltacom mais facilidade.Bacalhau à Zé do PipoIngredientes:Para 6 pessoas600 grs. de bacalhau Zarbo ( dessalgado em água fria)2 cebolas medias picadas finas1 litro de leite4 colheres de sopa de óleo de milho1 folha de louro250 grs. de maionese750 grs. de puré de batata ( misturado com manteiga, leite, creme e sal)2 colheres de sopa de farinha de rosca2 colheres de sopa de queijo ralado fino4 azeitonas pretas descaroçadas cortadas em lascas ( decoração)salsinha picada (enfeite)Confecção:
    • Coloque numa tigela o bacalhau junte o leite e ferva ate ficar cozido, escorra, desfie e reserve.Leve uma frigideira ao fogo, agregue o óleo de milho a cebola e 3 colheres de sopa de leite dofervor do bacalhau, refogue a fogo baixo ate a cebola ficar transparente.Coloque numa travessa refractaria uma capa de puré de batata, espalhe por cima bacalhau,cebola e cubra com maionese, repita a operação ate completar a travessa, finalize espalhando oqueijo ralado a farinha de rosca e as azeitonas.Leve no forno forte por 5 minutos ate gratinar, retire enfeite com salsinha e sirva bem quente.Obs: o puré de batatas pode ser colocado em um saco para espalhar, o bacalhau pode ser empostas e de outro tipo, vai depender do custo da receita.Suflê de Bacalhau Rendimento:4 pessoasIngredientes:1/2 kg de bacalhau 300gr de batatas 1/2 xícara (chá) de leite 5 ovos (claras em neve) queijo ralado manteiga oumargarina farinha de roscaModo de Preparo:Limpe o bacalhau, tire-lhe a pele e as espinhas, cozinhe-o e desfie-o bem miudinho. Cozinhe também asbatatas, descaque-as e esprema-as. Junte a massa de batatas ao bacalhau, com a meia xícara de leite, asgemas, as claras batidas em neve, duas colheres (sopa) de queijo ralado e uma colher (sopa) manteiga oumargarina. Misture tudo muito bem; despeje numa fôrma untada com manteiga e polvilhada com farinha derosca; polvilhe com queijo e asse em forno quente. (Se quiser pode misturarà massa algumas azeitonaspicadas) Ao servir, tire o suflê da fôrma e sirva-o simples ou com um molho da sua preferência.Receita - Bobó de Camarão
    • Bobó de CamarãoIngredientes2 kg de camarão, com casca6 xícaras de água (1,5 litro)1 kg de mandioca4 colheres (sopa) de óleo2 cebolas médias, picadas500g de tomate maduro, sempele e sem sementes, picado1 colher (chá) de pimenta-do-reino2 colheres (sopa) de coentro picado1 xícara de leite de coco (240ml)1/4 de xícara de azeite-de-dendêSal e pimenta malagueta oudedo-de-moça a gostoPreparoDescasque os camarões.Coloque as cascas numa panela com água e leve ao fogo para ferver por 5 minutos. Escorra e reserve ocaldo.Corte a mandioca em pedaços, descasque e cozinhe no caldo das cascas de camarão até ficar bemmacia. Retire a mandioca da panela e reserve 2 1/2 xícaras de caldo.No liquidificador, coloque um pouco do caldo e acrescente aos poucos alguns pedaços de mandioca.Bata e repita a operação, sempre colocando primeiro o caldo e batendo a mandioca aos poucos. Reserveo creme obtido.Numa panela com o óleo, frite a cebola até começar a dourar. Junte o tomate e refogue bem, mexendo.Acrescente o camarão, tempere com o sal, a pimenta-do-reino e o coentro. Abaixe o fogo, tampe a
    • panela e deixe cozinhar por 3 minutos.Acrescente o creme de mandioca, o leite de coco e o azeite-de-dendê.Verifique o sal, tempere com a pimenta malagueta e cozinhe, mexendo sempre, até começar a ferver.Retire do fogo e sirva com arroz branco.Rendimento: 10 porções de 402 calorias cada.Receita - Osso -Buco com Puré de Mandioquinha OSSO-BUCO COM PURÊ DE MANDIOQUINHA Ingredientes 1.300g osso-buco sal e pimenta-do-reino a gosto ½ xícara (chá) vinho tinto ½ xícara (chá) óleo 4 dentes de alho amassados 1 folha louro 1 cebola grande picada 4 tomates (sem peles e sementes) picados ½ litro caldo de carne cheiro-verde picado Purê: 1 kg mandioquinha cozida 2 colheres (sopa) manteiga 1 xícara (chá) creme de leite sal a gostoModo de PreparoLimpe a carne com um pano de cozinha úmido.Tempere com sal, pimenta e o vinho.
    • Doure o alho no óleo, em uma panela grande e coloque o osso-buco, virando de vez em quando paradourar por igual.Acrescente o louro e a cebola e deixe refogar.Junte os tomates fervidos com o caldo de carne, polvilhe cheiro-verde e cozinhe até que a carne fiquemacia e o molho apurado.Faça o purê: amasse as mandioquinhas ainda quentes e misture a manteiga.Leve ao fogo brando, junte o creme de leite e salgue a gosto, misturando sempre, até desprender dapanela.Passe o osso-buco para uma travessa, guarneça com o purê e sirva. Carne à Moda Dona Fádua. Carne à Moda Dona Fádua. Ingredientes – 1 Kg de Lagarto (Posta Branca). 800 Grs Carne de Porco (Pernil). 1 Kg Tomate Vermelho. 1 Kg Pimentão Verde, Vermelho e Amarelo. 1 Kg Cebola 1 Colher das de Sopa de Cominho 1 Copo Tipo Americano de Vinagre Branco. 1 Cabeça de Alho picado. Cheiro Verde e Hortelã. 1 Lata de Molho de Tomate. Sal e Pimenta à gosto. Modo de Preparo – Cozinhe as carnes com água e a metade do copo de vinagre. Em seguida desfie a carne cozida e reserve.Refogue: cebola, pimentão e tomate, acrescentando o molho de tomate (lata), medida em lata água e o restante do vinagre, cominho, sal e pimenta, deixando ferver. Acrescente a carne cozida ao molho. Sugestão: Sirva o molho de carne a “Moda Dona Fádua” com pão. Ótima idéia para festas e recepções. Rudiane Aparecida Ribeiro GuiraudSALADA DE BATATA E LARANJA
    • INGREDIENTES:1 laranja2 xícaras de chá de água3 xícaras de chá de batata picada1 xícara de chá de tomate picado2 colheres de sopa de cebola picada2 colheres de sopa de azeite1 colher de sobremesa de orégano5 azeitonas pretas1 colher de sopa de salsasal a gostoMODO DE PREPARO:Descasque a laranja, esprema o suco e reserve. Corte as cascas da laranja em tiras finas.Afervente-as com água por aproximadamente 20 minutos. Coe e reserve. Cozinhe asbatatas, escorra e deixe esfriar. Acrescente os demais ingredientes à batata. Adicione osuco de laranja e misture bem. Sirva fria.Salada de frango com milho verde Salada de frango com milho verdeIngredientes:
    • 1/2 kg de filé de frango1 cebola roxa em fatias finas10 tomates-cereja partidos ao meio2 palmitos em rodelas finas300 g de milho verde em conserva1 colher (sopa) de ervas aromáticas (manjericão, tomilho, salsinha) picadasalguns ramos de cebolinha verde picados2 cebola pequenas picadas6 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem5 colheres (sopa) de cerveja1 colher (sopa) de suco de limãofolhas verdes para saladasal e pimenta-do-reino a gosto Modo de Preparo:Misture em uma tigela a cebola roxa, os tomates-cereja, o palmito, o milho verde escorrido, as ervas e acebolinha verde. Coloque na geladeira. Coloque as cebolas para cozinhar, em fogo alto, em uma panelacom 2 colheres (sopa) de azeite e a cerveja, até o líquido evaporar. Junte o frango, o sal e a pimenta-do-reino e cozinhe por 5 minutos de cada lado. Retire do fogo, deixe esfriar e corte em fatias grossas. Emseguida, misture com os legumes. Reserve. Com um batedor manual, misture em uma tigela pequena oazeite restante, o suco de limão, sal e pimenta-do-reino. Tempere a salada com esse molho e sirva comverduras de sua preferência.Fonte: Revista Água na BocaCategoria: SaladasCozinha: BrasileiraTemperatura: FrioDificuldade: FácilTempo de preparo: 40 minRendimento: 4 porçõesTORTA CAPIXABA
    • INGREDIENTES:Cebola, alho, pimenta, azeite de oliva, azeitona, limão, coentro, cebolinha verde, tomate6 ovos (3 crus e 3 cozidos)1/2kg de palmito natural, previamente cozido200 g de siri desfiado e cozido200 g de camarão cozido200 g de ostra cozida200 g de sururu cozido200 g de badejo desfiado e cozido500 g de bacalhau desfiado e cozidoMODO DE PREPARO:Para cozinhar o siri, o caranguejo, o camarão, a ostra, o sururu e o badejo, faz-serefogados com cada um deles separadamente e retira-se todo o caldo, deixando-os omais seco possível. Prepare um novo refogado com cebolas, alho, pimenta, azeite de oliva,azeitonas, limão e o palmito, deixando secar e ganhar consistência. Juntam-se os diversosrefogados, mexendo até evaporar a água. Adiciona-se então o bacalhau desfiado para darliga à massa. Deixa-se esfriar um pouco e mistura-se à massa 3 claras batidas em neve,às quais foram misturadas as gemas. Coloca-se a massa em uma panela de barro, leva-seao forno, retirando-se quando estiver dourada. Enfeita-se com rodelas de cebola, fatiasde ovos cozidos e azeitonas inteiras.VatapáIngredientes:1 kg de camarão seco sem as cabeças15 pães francês
    • 200 g de amendoim torrado e sem a pele300 g de castanha de caju3 vidros de leite de coco (600 ml)2 colheres (sopa) de gengibre ralada1 maço de coentro4 cebolas picadas1 xícara de azeite de dendêSalPreparo:Coloque o pão de molho no leite de coco por alguns minutos.Passar pelo liqüidificador ou processador o pão já umedecido com um pouco do camarão.Colocar tudo em uma panela grande.Quando começar a desprender da panela esta pronto.Cuidado com o sal.Dica:Tem quem goste de usar o pão seco, já de 3 dias e não o fresco.Molho de Pimenta:Ingredientes:1/2 kg de pimenta malagueta2 cebolas100 g de gengibre ralada100 g de camarão descascado1 xícara de azeite de dendê1 colher (sopa) de salPreparo:Bater tudo no liqüidificador e levar ao fogo.Para deixar mais ralo acrescente um pouco mais de azeite de dendê.Pode deixar alguns pedaços inteiros da pimenta, fica muito bonito.Viradinho de Banana - Vó Linda(4 porções)Ingredientes:4 – Bananas Nanicas1 – Xícara de farinha de milho
    • ½ - Xícara de açúcar - Pitadinha de sal 50 gramas de queijo minas 1 – Colher das de sopa de óleoModo de PreparoEsquente o óleo em uma frigideira e coloque bananas em rodelas e derreta o queijo.Acrescente o açúcar na medida em que as bananas estiverem derretendo.Em seguida acrescente a farinha com uma “pitadinha”de sal.Sirva como sobremesa em pequenas cumbucas de barro.