Your SlideShare is downloading. ×

Fisica exercicios resolvidos 002

15,467

Published on

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
15,467
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
181
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA FÍSICA a) v0 ⎛ ⎜1 + qE ⎞ sen 2θ ⎟ b) 2 v0 ⎛ senθ ⎜ cosθ + qE ⎞ senθ ⎟ 2g ⎝ m ⎠ 2g ⎝ m ⎠ QUESTÃO 01 v0 ⎛ qE ⎞ 2 v0 ⎛ qE ⎞Os valores do potencial elétrico V em cada vértice de um quadrado c) ⎜ sen2θ + ⎟ d) sen2θ ⎜ 1 + tgθ ⎟ g ⎝ mg ⎠ g ⎝ mg ⎠estão indicados na figura abaixo. Resolução Alternativa D Para avaliarmos a distância horizontal percorrida, devemos analisar o movimento da partícula tanto na direção horizontal quanto na vertical. Assim, temos: Direção Vertical Nesta direção, a partícula é submetida à ação do campo gravitacional de intensidade g considerada constante. Assim, o movimento vertical da partícula é um MUV (lançamento vertical para cima sob a ação da gravidade). Desprezando o efeito de forças dissipativas, o tempo de retorno da partícula ao nível de lançamento corresponde ao dobro do tempo deOs valores desses potenciais condizem com o fato de que o quadrado subida (tS), ou seja:estar situado num campo eletrostáticoa) uniforme, na direção bissetriz do 1° quadranteb) criado por duas cargas puntiformes situadas no eixo y tRETORNO = 2 ⋅ tSc) criado por duas cargas puntiformes situadas nas bissetrizes dosquadrantes impares O tempo de subida é dado por:d) uniforme, na direção do eixo x Resolução Alternativa D vY = v0Y − g ⋅ tS = 0 ⇒ tS = v0Y v ⋅ senθ = 0Pode-se ver que se dividirmos a diferença de potencial entre dois g gpontos quaisquer pela distância horizontal que os separa, obtemos Assim:sempre o mesmo valor: 2 ⋅ v0 ⋅ senθ 5−0 5 10 − 0 5 tRETORNO = 2 ⋅ tS = B → A: = C → A: = g a a 2a a 10 − 5 5 10 − 5 5 C →B: = C →D: = Direção Horizontal 2a − a a 2a − a a Nesta direção, a partícula é submetida a um campo elétrico uniformePara um campo elétrico uniforme na direção x, este é justamente oresultado esperado, já que: dirigido para a direita que produzirá uma força elétrica (FE ) sobre a U partícula. A intensidade de FE é dada por: E.d x = U (C.E.U na direção x): = E (cte.) dx FE = q ⋅ E 0V 5V 10V Sendo esta a única força atuante nesta direção, ela será a força E resultante na horizontal. Pelo princípio fundamental da Dinâmica, temos: q⋅ E FR = m ⋅ aX ⇒ q ⋅ E = m ⋅ aX ⇒ aX = 5 X m E = a Como o campo elétrico é uniforme, aX é constante e o movimento horizontal da partícula é um MUV. Desta forma, a distância horizontal (Δx ) percorrida pela partícula pode ser obtida a partir da equação: aX Δx = vOX ⋅ t + ⋅ t2 2 QUESTÃO 02Na figura abaixo, uma partícula com carga elétrica positiva q e massa 2 ⋅ v0 ⋅ senθ Sendo v0 X = v0 ⋅ cos θ e t = tRETORNO = , temos:m é lançada obliquamente de uma superfície plana, com velocidade ginicial de módulo v0 , no vácuo, inclinada de um ângulo θ em relação q⋅ E 2 2 ⋅ v0 ⋅ senθ ⎛ 2 ⋅ v0 ⋅ senθ ⎞à horizontal. Δx = v0 ⋅ cos θ ⋅ + ⋅⎜ ⎟ g 2m ⎜⎝ g ⎟ ⎠ 2 2 ⋅ v0 ⋅ senθ q⋅ E 4 ⋅ v0 ⋅ sen2θ Δx = v0 ⋅ cos θ ⋅ + ⋅ g 2m g2 Utilizando a identidade trigonométrica do arco duplo, sen(2θ ) = 2 ⋅ senθ ⋅ cos θ , vem que:Considere que, além do campo gravitacional de intensidade g, atua 2 2também um campo elétrico uniforme de módulo E. Pode-se afirmar v0 ⋅ sen(2θ ) v0 2 ⋅ q ⋅ E ⋅ sen2θque a partícula voltará à altura inicial de lançamento após percorrer, Δx = + ⋅horizontalmente, uma distância igual a g g mg2 1
  • 2. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA 2 v0 ⋅ sen(2θ ) v0 2 2 ⋅ q ⋅ E ⋅ senθ ⋅ senθ ⋅ cos θ QUESTÃO 04 Δx = + ⋅ Parte de um circuito elétrico é constituída por seis resistores ôhmicos g g mg cos θ cujas resistências elétricas estão indicadas ao lado de cada resistor, v0 ⋅ sen(2θ ) ⎛ q ⋅ E ⋅ senθ ⎞ 2 2 v0 ⋅ sen(2θ ) na figura abaixo. Δx = + ⎜ ⎟ g g ⎜ mg cos θ ⎟ ⎝ ⎠ senθLembrando que tgθ = , temos: cos θ v0 ⋅ sen(2θ ) ⎛ ⎞ 2 q ⋅ E ⋅ tgθ Δx = ⎜1 + ⎟ g ⎜ mg ⎟ ⎝ ⎠ QUESTÃO 03O elemento de aquecimento de uma torneira elétrica é constituído de Se a d.d.p. entre os pontos A e B é igual a U , pode-se afirmar que adois resistores e de uma chave C conforme ilustra a figura abaixo. potência dissipada pelo resistor R3 é igual a 2 2 2 2 2 ⎛U ⎞ 1 ⎛U ⎞ 2 ⎛U ⎞ 1 ⎛U ⎞ a) ⎜ ⎟ b) ⎜ ⎟ c) ⎜ ⎟ d) ⎜ ⎟ R ⎝3⎠ 2R ⎝ 3 ⎠ 3 ⎝R⎠ 2R ⎝ 6 ⎠ Resolução Alternativa B Marcamos os pontos C e D na figura:Com a chave C aberta, a temperatura da água na saída da torneiraaumenta em 10° C. Mantendo-se a mesma vazão d’água e fechandoC , pode-se afirmar que a elevação de temperatura da água, em grausCelsius, será dea) 20b) 5,0c) 15 Cd) 2,5 Resolução Alternativa ACom a chave aberta, ambos os resistores de resistência R/2 estão Dassociados em série. Desta forma, a resistência equivalente entre ospontos A e B vale R e a potência elétrica (P0) da torneira elétrica é Sendo a d.d.p. entre A e B igual a U, o circuito equivale a:dada por : C U2 U2 P0 = = R2=R R4=2R REQ RCom a chave fechada, notamos que um dos resistores encontra-se em A R6=R Bparalelo com um fio (considerado ideal) caracterizando assim umcurto-circuito. Assim, a nova resistência equivalente entre os pontos Ae B assume o valor R/2. A nova potência elétrica (P1) da torneira R3=2R R5=4Relétrica pode ser assim determinada: U2 U 2 2U 2 D P1 = = = REQ R R 2 R1=2RComparando P1 e P0 notamos que P1 = 2 P0.A variação de temperatura sofrida pela água em função da potência Uelétrica da torneira é expressa por: 2 Como R2 ⋅ R5 = R3 ⋅ R4 = 4R , trata-se de uma ponte de Wheatstone Q m ⋅ c ⋅ Δθ P P= = ⇒ Δθ = em equilíbrio, de modo que no trecho CD, onde está alojado o resistor Δt Δt m ⋅c R6 , não há passagem de corrente. Assim, esse resistor pode ser Δt m removido do circuito, e conseqüentemente, os resistores R2 e R4Notamos que a razão é a vazão de água (Z) do chuveiro. Assim, Δt estão associados em série, bem como os resistores R3 e R5 .temos: Redesenhando, temos: P Δθ = R2=R R4=2R Z ⋅cConsiderando a vazão constante, temos que o resultado obtido mostraque a variação de temperatura Δθ é diretamente proporcional à R3=2R R5=4Rpotência elétrica.Como P1 é o dobro de P0, concluímos que, ao fechar a chave, avariação de temperatura da água dobrará, ou seja, Δθ1 = 2 ⋅ Δθ0 = 20o C R1=2R U 2
  • 3. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICAA corrente i3 que atravessa o trecho onde estão os resistores R3 e QUESTÃO 06R5 é dada por: Uma bateria de f.e.m. igual a ε e resistência interna de valor igual a r (constante) alimenta o circuito formado por uma lâmpada L e um U U = (2R + 4R) ⋅ i3 ⇒ i3 = reostato R , conforme ilustra a figura abaixo. 6RAssim, calculamos a d.d.p a que o resistor R3 está submetido: U U U3 = R3 ⋅ i3 = 2R ⋅ ⇒ U3 = 6R 3Portanto, a potência dissipada nesse resistor é: 2 ⎛U ⎞ (U3 ) ⎜3⎟ 2 2 1 ⎛U ⎞ P3 = = ⎝ ⎠ ⇒ P3 = ⋅⎜ ⎟ R3 2R 2R ⎝ 3 ⎠ Considerando constante a resistência da lâmpada, o gráfico que melhor representa a potencia por ela dissipada quando o cursor do reostato move-se de A para B é QUESTÃO 05 a) b)O trecho AB, de comprimento 30 cm, do circuito elétrico abaixo, estáimerso num campo magnético uniforme de intensidade 4 T e direçãoperpendicular ao plano da folha. Quando a chave CH é fechada e ocapacitor completamente carregado, atua sobre o trecho AB uma forçamagnética de intensidade 3 N, deformando-o, conforme a figura. c) d)Sabe-se que os fios são ideais. A intensidade da corrente elétrica, emampères, e a diferença de potencial elétrico entre os pontos C e D, em Resolução Alternativa Bvolts, são, respectivamente Considere a seguinte representação:a) 2,5 e 5 b) 5 e 10 c) 25 e 50 d) 1,25 e 2,5 i C Resolução Alternativa ADe acordo com o enunciado da proposta, após fecharmos a chave CH,o capacitor é plenamente carregado. Neste estado, o capacitor fica emaberto não mais recebendo carga elétrica. Assim, a corrente elétricacirculará apenas pela malha DCAB.Vamos agora determinar a intensidade desta corrente. Utilizando aregra da mão, a força magnética sobre o condutor AB é horizontal edirigida para a direita.Sua intensidade é dada por: D FMAG = B ⋅ i ⋅ L ⋅ senθ Chamando de L a resistência da lâmpada e de U a d.d.p. entre ostal que: pontos C e D, e i a corrente indicada no esquema acima, a potênciaθ é ângulo entre a direção do vetor indução magnética B e a direção U2do fio condutor. dissipada pela lâmpada é: P = . LNeste caso, θ = 90o e consequentemente, a intensidade da força Por Kirchhoff: ε = ri + U ⇒ U = ε − rimagnética passa a ser expressa por: (ε − ri ) 2 FMAG = B ⋅ i ⋅ L Logo, P = . LDe acordo com o enunciado da proposta, temos: 1▪ a intensidade da força magnética, FMAG = 3N , Req = r + ; onde Rr é a resistência do reostato. 1 1 +▪ a intensidade do vetor indução magnética, B = 4T Rr LNa figura dada, notamos que o comprimento L do fio condutor vale 30 Observe que se Rr aumentar, Req .cm = 0,3 m. Substituindo esses valores na equação acima, obtemos aintensidade da corrente elétrica: Como a corrente i depende da resistência equivalente do circuito FMAG ( ε = Req ⋅ i = cte ), temos que se Rr aumentar i diminui. Voltando à 3 FMAG = B ⋅ i ⋅ L ⇒ i = = = 2,5 A fórmula da potência: B ⋅L 4 ⋅ 0,3 (ε − ri ) 2Entre os pontos C e D, notamos que ambos os resistores de P=resistência 4Ω encontram-se em curto-circuito, por estarem ligados Lem paralelo com um fio ideal. Desta forma, entre os pontos C e D, a Se i diminui, P aumenta, já que ε > ri sempre.corrente elétrica circulará apenas pelo resistor de resistência 2Ω .Assim, a ddp entre os pontos C e D é representada pela ddp sobre A conclusão final é que se Rr aumentar, P aumenta, num gráfico P xeste resistor. Como a corrente é a mesma que passa por AB, pela Lei R, isto corresponde a uma função estritamente crescente, quede Ohm temos: corresponde à Alternativa B. U = R ⋅ i ⇒ U = 2 ⋅ 2,5 = 5V 3
  • 4. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA QUESTÃO 07 Afastando-se horizontalmente o par de blocos de sua posição de equilíbrio, o sistema passa a oscilar em movimento harmônico simplesConsidere dois pássaros A e B em repouso sobre um fio homogêneo com energia mecânica igual a 50 J.de densidade linear μ , que se encontra tensionado, como mostra afigura abaixo. Suponha que a extremidade do fio que não aparece Considerando g = 10 m/s2 , o mínimo coeficiente de atrito estáticoesteja muito distante da situação apresentada. que deve existir entre os dois blocos para que o bloco A não escorregue sobre o bloco B é a) 1/10 b) 5/12 c) 1 d) 5/6 Resolução Alternativa D A montagem da figura corresponde a uma associação em paralelo das duas molas, cuja constante elástica equivalente é dada pela soma das constantes elásticas de cada mola (2K = 100 N/m):Subitamente o pássaro A faz um movimento para alçar vôo, emitindoum pulso que percorre o fio e atinge o pássaro B Δt segundos depois.Despreze os efeitos que o peso dos pássaros possa exercer sobre o 2Kfio. O valor da força tensora para que o pulso retorne à posição ondese encontrava o pássaro A, em um tempo igual a 3Δt , é 4μd 2 9μd 2a) b) ( Δt ) ( Δt ) 2 2 μd 2 μd 2c) d) Sendo a energia mecânica transferida para o sistema EM = 50 J , a ( Δt ) 9 ( Δt ) 2 2 amplitude (elongação máxima) de oscilação do sistema se dará quando toda essa energia estiver armazenada sob a forma potencial Resolução Alternativa A elástica na mola.De acordo com o enunciado da proposta, quando o pássaro A faz o (2K )x 2 100 ⋅ x 2 EM = ⇒ 50 = ⇒ x = 1,0 mmovimento de vôo, um pulso é emitido de A para B em Δt segundos. 2 2Como a onda apresenta velocidade constante, para que o pulsoretorne ao ponto inicial A em 3 Δt segundos, ele deverá percorrer as Nesse caso, a força elástica, que age como força resultante noseguintes etapas nos respectivos intervalos de tempo: sistema formado pelos dois blocos, será máxima, de modo que: FEL = FRES ⇒ kEQ ⋅ xMÁX = (mA + mB )⋅ | aMÁX |⇒▪ de A para B : gastando Δt segundos, 25▪ de B até o poste : gastando Δt segundos, 100 ⋅ 1, 0 = (2, 0 + 10)⋅ | aMÁX |⇒| aMÁX |= m/s2 2 3▪ o retorno do poste até B : gastando Δt segundos e, 2 Agora, isolando o corpo A, representamos, num instante qualquer, as▪ finalmente de B até A gastando Δt segundos. forças que atuam sobre ele:Assim, entre B e o poste, o pulso emitido percorre uma distância d emΔt segundos. Sua velocidade de propagação no fio será: NA 2 Δs 2d v= = (1) ( Δt 2 ) ΔtEntretanto, a velocidade de propagação do pulso no fio também é A FATexpresso pela fórmula de Taylor: T v= (2) μtal que: μ é a densidade linear do fio e, PAT é a intensidade da força tensora.Igualando (1) e (2), temos: ⎧| PA |=| N A | ⎪ Nesse caso, temos: ⎨ . 2d T 4d 2 T 4μd 2 = ⇒ = ⇒T = ⎪FAT = FRES ⎩ Δt μ ( Δt ) μ ( Δt ) 2 2 Assim: μe ⋅ | N A |= mA ⋅ | a |⇒ μe ⋅ m⋅ | g |= mA ⋅ | a |⇒ QUESTÃO 08 | a |= μe ⋅ | g |Um par de blocos A e B, de massas mA = 2 kg e mB = 10 kg ,apoiados em um plano sem atrito, é acoplado a duas molas ideais demesma constante elástica K = 50 N/m, como mostra a figura abaixo. 25 No caso da aceleração máxima de m/s2 , temos: 3 25 5 = μe ⋅ 10 ⇒ μe = 3 6 4
  • 5. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA QUESTÃO 09 A partir da formação do “A” invertido, e continuando a afastar oA figura I representa uma lente delgada convergente com uma de suas anteparo, teríamos uma região do espaço onde veríamos um borrãofaces escurecidas por tinta opaca, de forma que a luz só passa pela (ainda muito pequeno e talvez não visível a olho nu), e haveria umaletra F impressa. certa distância onde teríamos um “F” invertido vertical e lateralmente, projetado no anteparo. Isso se deve ao fato de considerarmos a aproximação de raios praticamente paralelos chegando à lente, passando pela pequena região de convergência (aproxima pelo ponto focal) e invertendo sua posições em relação ao eixo principal (os raios que estavam acima do eixo agora estão abaixo e vice-versa, e os que estavam à direita agora estão à esquerda e vice-versa).Um objeto, considerado muito distante da lente, é disposto ao longo do A figura abaixo ilustra com maior facilidade a situação da imagemeixo óptico dessa lente, como mostra a figura II. invertida projetada no anteparo após o foco. Note que o raio que atinge a parte mais alta da lente se torna o mais baixo na projeção no anteparo, e vice-versa (imaginando um objeto qualquer, não necessariamente o “A”): Anteparo Região opaca (em vermelho) EixoNessas condições, a imagem fornecida pela lente e projetada no Focoanteparo poderá ser principala) b) Região de sombra (emc) d) Lente azul) Resolução Alternativa B É importante perceber, na figura acima, que a inversão se deu em torno do eixo principal, assim, supondo-se que a lente é esférica aHipótese inicial: Supondo que o objeto em forma de “A” esteja inversão ocorre em qualquer direção que tomarmos (paralela ao planodisposto de frente à lente da figura 1, de forma que os raios luminosos da lente delgada), e por isso a imagem se inverte em todos osde “A” cheguem entrando no plano do papel, temos as seguintes sentidos.situações acontecendo: E a figura abaixo mostra a situação da imagem projetada no anteparo(1) A formação de uma imagem de “A” invertida, tão menor e tão mais antes do foco, menor e direita.próxima do foco (e após este) quanto maior for a distância de “A” até alente. Região opaca Anteparo (em vermelho)(2) A possibilidade de se ver um “F” direito (sem inversão), dado que adistância de “A” à lente é muito grande e os raios cheguempraticamente paralelos, desde que o anteparo seja colocado entre o Eixofoco e a lente (se o anteparo for “grudado” à lente, um “F” será visto de Foco principalqualquer maneira, não importando as outras distâncias envolvidas noproblema). Entretanto, o “F” visto não pode ser considerado Região defisicamente uma imagem, pois a definição física de imagem implica em sombra (emconvergência de raios, enquanto o “F” é apenas uma combinação de azul)regiões com luz difusa e outras com sombra. Lente(3) A possibilidade de se ver um “F” invertido de cima para baixo e daesquerda para a direita, dada uma distância p do objeto à lente muito Observe que a figura projetada no anteparo é justamente umagrande (o suficiente para considerar que os raios chegam paralelos) e inversão daquilo que está na lente quando os raios chegam paralelosdado que o anteparo seja colocado a certa distância (não ou praticamente paralelos.necessariamente grande) após o foco, que também não éfisicamente uma imagem. NOTA: Embora esta questão possua uma alternativa correta, consideramos que a mesma é inadequada para o contexto em que foiA possibilidade de se ver um “F” existe considerando-se que os raios aplicada, uma vez que o tempo necessário à sua correta resoluçãochegam praticamente paralelos, e que sua convergência se dá extrapola em muito o tempo médio destinado a cada questão dapraticamente através do foco, o “F” projetado no anteparo seria prova.idêntico ao “F” da lente se o anteparo fosse “grudado” à mesma, eteria suas linhas afinadas e seu tamanho diminuído conformeafastássemos o anteparo da lente. QUESTÃO 10 A imagem de um ponto P, posicionado a uma distância d de umConforme aproximássemos o anteparo do foco, veríamos um borrão espelho plano E, pode ser visualizada por dois observadores A e B,(muito pequeno e talvez não visível a olho nu). Depois do foco, mas como mostra a figura abaixo.ainda assim muito próximo do mesmo, teríamos a formação do “A”invertido, pois para p muito grande os raios chegam aproximadamenteparalelos, mas ainda assim não paralelos (situação possível apenasmatematicamente, tomando o limite quando p → ∞ ), e aaproximação Gaussiana torna-se ainda mais válida, não deixando devaler suas famosas equações: 1/f = 1/p + 1/p’ A = –p’/p = i/oque nos retorna valores reais para todas as variáveis, o que mostraque há formação de imagem. 5
  • 6. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICAA respeito da imagem P’ do ponto P vista pelos observadores, écorreto afirmar que QUESTÃO 13 O gás contido no balão A de volume V e pressão p é suavementea) ambos os observadores visualizam P’ a uma distância 2d do ponto escoado através de dutos rígidos e de volumes desprezíveis, para osP balões B, C, D e E, idênticos e inicialmente vazios, após a aberturab) o observador A visualiza P’ a uma distância d/2 do espelho simultânea das válvulas 1, 2, 3 e 4, como mostra a figura abaixo.c) o observador B visualiza P’ a uma distância d/4 do espelhod) o observador A visualiza P’ a uma distância 3d/2 do espelho e oobservador B à distância 5d/4 do espelho. Resolução Alternativa AA imagem do ponto P é formada a uma distância d, simétrica aoespelho plano. Desta forma, tanto o observador A quanto o observadorB visualizarão o ponto imagem P´a uma distância 2d do ponto P. Após atingido o equilíbrio, a pressão no sistema de balões assume o p valor . Considerando que não ocorre variação de temperatura, o 3 QUESTÃO 11 volume de dois dos balões menores éO diagrama a seguir representa o ciclo percorrido por 3 mols de umgás perfeito. a) 1,0 V b) 0,5 V c) 1,5 V d) 2,0 V Resolução Alternativa A Pela equação de Clapeyron, o número de mols é dado por: p ⋅V p ⋅V = n ⋅ R ⋅ T ⇒ n = R ⋅T O número total de mols contido inicialmente no balão A será distribuído dentre os cinco balões após serem abertas as quatro válvulas. Assim: nTOTAL = nA + nB + nC + nD + nESabendo-se que no estado A a temperatura é –23°C e considerando R Sendo p’ a pressão do sistema após as válvulas serem abertas, V0 o= 8 J/mol.K, o trabalho, em joules, realizado pelo gás no ciclo é volume de cada um dos quatro balões menores, e T a temperatura,a) –6000 b) 12000 c) 1104 d) –552 que se mantém constante durante o processo, temos: Resolução Alternativa A pV p V p V0 p V0 p V0 p V0Pela equação de Clapeyron, no estado A, temos: = + + + + ⇒ ( p − p )V = 4 p V0 RT RT RT RT RT RT pA ⋅ VA = n ⋅ R ⋅ TA ⇒ p ⋅ v = 3 ⋅ 8 ⋅ (273 − 23) ⇒ p ⋅ v = 6000 pO módulo do trabalho no ciclo representado é numericamente igual à Como p = , temos: 3área dentro do triângulo. Assim: ⎛ p⎞ p 2p 4p (3v − v ) ⋅ (2 p − p ) ⎜ p − ⎟V = 4 V0 ⇒ V= V0 ⇒ 2V0 = V |τ |= = p ⋅ V = 6000 J ⎝ 3⎠ 3 3 3 2Como o ciclo é percorrido no sentido anti-horário, o trabalho é Logo o volume de dois balões menores (2 V0) é igual a V.recebido pelo gás e, portanto, τ < 0 .Logo, τ = −6000 J . QUESTÃO 14 Um paciente, após ser medicado às 10 h, apresentou o seguinte QUESTÃO 12 quadro de temperatura:Um estudante, querendo determinar o equivalente em água de umcalorímetro, colocou em seu interior 250 g de água fria e, aguardandoum certo tempo, verificou que o conjunto alcançou o equilíbrio térmicoa uma temperatura de 20 °C. Em seguida, acrescentou ao mesmo 300g de água morna, a 45 °C. Fechando rapidamente o aparelho, esperouaté que o equilíbrio térmico fosse refeito; verificando, então, que atemperatura final era de 30 °C. Baseando-se nesses dados, oequivalente em água do calorímetro vale, em gramas,a) 400 b) 300 c) 100 d) 200 A temperatura desse paciente às 11 h 30 min, em °F, é Resolução Alternativa DSeja m a massa equivalente em água do calorímetro. Após o primeiro a) 104 b) 54,0 c) 98,6 d) 42,8equilíbrio térmico, temos uma massa total equivalente de água igual a(m+250) gramas, à temperatura de 20 °C.Fazendo a mistura com a outra massa de água (300 gramas), Resolução Alternativa Ccolocada à temperatura de 45 °C, e impondo que a soma de todos os Observe que no intervalo das 10 h até as 12 h, a temperatura caiucalores trocados pelo sistema é zero até ser atingido o segundo uniformemente de 4 °C em 2 h, isto é,equilíbrio térmico (30 °C), temos: 1 °C a cada 0,5 h. Assim, sendo a temperatura às 11 h igual a 38 °C, a temperatura às 11 h e 30 min (0,5 h depois) será 37 °C. ∑ Q = 0 ⇒ m1 ⋅ c1 ⋅ Δθ1 + m2 ⋅ c2 ⋅ Δθ2 = 0 ⇒ Convertendo essa temperatura de °C para °F, temos: (m + 250) ⋅ 1,0 ⋅ (30 − 20) + 300 ⋅ 1,0 ⋅ (30 − 45) = 0 ⇒ TC T − 32 37 TF − 32 10m + 2500 − 4500 = 0 ⇒ = F ⇒ = ⇒ TF = 98, 6 °F 5 9 5 9 m = 200 g 6
  • 7. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA QUESTÃO 15 QUESTÃO 17Um frasco de vidro, cujo volume é 2000 cm3 a 0 °C, está A figura abaixo representa um vagão em repouso, no interior do qualcompletamente cheio de mercúrio a esta temperatura. Sabe-se que o se encontram um pêndulo simples e um recipiente fixo no piso, cheiocoeficiente de dilatação volumétrica do mercúrio é 1,8 x 10–4 °C–1 e o de água. O pêndulo simples é composto de uma bolinha de ferro presacoeficiente de dilatação linear do vidro de que é feito o frasco é 1,0 x ao teto do vagão por um fio ideal e, dentro do recipiente, existe uma10–5 °C–1. O volume de mercúrio que irá entornar, em cm3, quando o bolinha de isopor, totalmente imersa na água e presa no seu fundoconjunto for aquecido até 100 °C, será também por um fio ideal.a) 6,0 b) 18 c) 36 d) 30 Resolução Alternativa DSendo o coeficiente de dilatação linear do vidro αV = 1, 0 ⋅ 10−5 °C−1 ,então γ V = 3αV = 3, 0 ⋅ 10−5 °C−1 .Como os volumes iniciais do vidro e do mercúrio são ambos iguais aV0 = 2000 cm3 , o volume de mercúrio que irá entornar representa a Assinale a alternativa que melhor representa a situação física nodilatação aparente do líquido, que corresponde à diferença entre a interior do vagão, se este começar a se mover com aceleraçãodilatação real do líquido (mercúrio) e a dilatação do frasco (vidro) que constante para a direita.o contém. ΔVAP = ΔVM − ΔVV = V0 ⋅ γ M ⋅ Δθ − V0 ⋅ γ V ⋅ Δθ ⇒ a) b) ΔVAP = 2000 ⋅ 1, 8 ⋅ 10−4 ⋅ 100 − 2000 ⋅ 3, 0 ⋅ 10−5 ⋅ 100 ⇒ ΔVAP = 30 cm3 QUESTÃO 16Na situação de equilíbrio abaixo, os fios e as polias são ideais e a c) d)aceleração da gravidade é g. Considere μe o coeficiente de atritoestático entre o bloco A, de massa mA , e o plano horizontal em quese apóia. Resolução Alternativa C Para a bolinha de ferro presa no teto do vagão, temos o seguinte esquema, quando o vagão está sujeito a uma aceleração a para a direita: aA maior massa que o bloco B pode ter, de modo que o equilíbrio se Tmantenha, éa) 2μemA b) 3μemA c) μemA d) 4μe mA Resolução Alternativa A PAs forças que atuam em cada bloco são representadas na figura aseguir: O polígono de forças para este corpo pode ser representado, considerando T a tração, P o peso e R a força resultante em relação a N T T um referencial inercial como: R FAT T B P θ ou T A T θ P R PB É importante notarmos que a direção e sentido da resultante são os PA mesmos da direção e sentido da aceleração da massa (igual à aceleração do vagão). Note ainda que o ângulo de inclinação pode serPara que o sistema fique em equilíbrio estático, a força resultante em calculado por:cada bloco deve ser nula. Assim, no corpo A, devemos exigir que: R m⋅a ⎛ a⎞ tgθ = = ⇒ θ = arctg ⎜ ⎟ ⎧| PA |=| N | ⎪ P m⋅g ⎝g⎠ ⎨ Para a bolinha de isopor presa no chão do vagão, dentro da água, ⎪| T |=| FAT | ⎩ temos o seguinte esquema, quando o vagão está sujeito a umaA máxima massa de B implica na máxima tração e portanto na aceleração a para a direita:máxima força de atrito. Portanto: | T |=| FAT |= μe ⋅ | N |= μe ⋅ mA ⋅ | g | E1 a θ E1Observe que o corpo B está submetido ao dobro da tração que o E2 E2corpo A, uma de cada lado do fio. Nesse caso, exigimos que: θ | PB |= 2 | T |Substituindo a tração, vem que: T P θ mB ⋅ | g |= 2 ⋅ (μe ⋅ mA ⋅ | g |) ⇒ mB = 2 ⋅ μe ⋅ mA 7
  • 8. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICANote que a aceleração implica em dois efeitos:1) Aparecimento de uma diferença de pressões também no eixo da Resolução Alternativa C Para completar os loopings sem que haja descolamento dos trilhos, aaceleração, implicando numa força também na direção da aceleração, normal não pode se anular. Sabe-se que quanto menor a velocidade,que chamamos de E2 . Esta força tem módulo calculado por menor deve ser a força normal necessária para contribuir com aE2 = ρ ⋅ V ⋅ a com ρ = densidade do líquido, V = volume do corpo e a = resultante centrípeta. Logo, devemos nos preocupar com a velocidade mínima, que ocorre em cada looping no ponto de altura máxima. Aindaaceleração do líquido (igual à aceleração do corpo). neste ponto, temos que o peso ajuda integralmente na composição da2) Devido à composição dos dois gradientes de pressão (no eixo x resultante centrípeta, o que contribui na minimização da reaçãodevido à presença de aceleração e no eixo y devido ao peso crescente normal.da coluna d’água com a profundidade) o líquido se inclina com umângulo: Como os dois primeiros loopins apresentam menor raio, caso a E2 ρ ⋅ a ⋅V ⎛ a⎞ partícula tenha velocidade suficiente para completar o terceiro (de tgθ = ⇒ tgθ = ⇒ θ = arctg ⎜ ⎟ E1 ρ ⋅ g ⋅V ⎝g⎠ maior raio) sem descolamento, completará também os dois primeiros.Este ângulo pode ser explicado pela força aplicada pelo restante do Observe o esquema abaixo do terceiro looping:líquido sobre uma lâmina de água na superfície (com a composiçãodas pressões em x e em y) de forma normal à superfície. AO polígono de forças para este corpo pode ser representado, vconsiderando T a tração, P o peso e R a força resultante em relação a Num referencial inercial como: P E2 3R θ T T R R O E1 ou θ E1 P P E2É importante notarmos que também a direção e sentido da resultantesão os mesmos da direção e sentido da aceleração da massa (igual à Baceleração do vagão). Note ainda que o ângulo de inclinação pode sercalculado por: O sistema não apresenta forças dissipativas e portanto a energia E −R ρ.V .a − ma a ⎛ ρ.V − m ⎞ a mecânica se conserva. Assim, o corpo terá mínima velocidade em B tgθ = 2 = = .⎜ ⎟= ⇒ caso tenha mínima velocidade em A. A mínima velocidade em A E1 − P ρ.V .g − mg g ⎝ ρ.V − m ⎠ g implica em uma resultante centrípeta de baixa intensidade, que ocorre ⎛ a⎞ quando N → 0 (limite sem o descolamento) neste ponto, ou seja θ = arctg ⎜ ⎟ ⎝g⎠ FcpA = N + P = PLogo a situação no interior do vagão pode ser representada como na v A2 FcpA = P ⇒ m ⋅ = mg ⇒ v A 2 = 3Rg ⎛ a⎞ 3Ralternativa (c), considerando θ = arctg ⎜ ⎟ , onde a = aceleração ⎝g⎠ Utilizando um referencial no solo e igualando as energias mecânicashorizontal do vagão e g = aceleração da gravidade. nos pontos A e B: mv A 2 mv B 2 EMA = EMB ⇒ + mg (6R ) = ⇒ v A 2 + 12 ⋅ R ⋅ g = v B 2 2 2 θ Mas v A 2 = 3 ⋅ R ⋅ g e portanto: θ 3 ⋅ R ⋅ g + 12 ⋅ R ⋅ g = v B 2 ⇒ v B = 15 ⋅ R ⋅ g θ QUESTÃO 19 Um planeta Alpha descreve uma trajetória elíptica em torno do seu sol como mostra a figura abaixo. QUESTÃO 18Uma partícula é abandonada de uma determinada altura e percorre otrilho esquematizado na figura abaixo, sem perder contato com ele.Considere que não há atrito entre a partícula e o trilho, que a Considere que as áreas A1 , A2 e A3 são varridas pelo raio vetor queresistência do ar seja desprezível e que a aceleração a gravidade sejag. Nessas condições, a menor velocidade possível da partícula ao une o centro do planeta ao centro do sol quando Alpha se moveterminar de executar o terceiro looping é respectivamente das posições de 1 a 2, de 2 a 3 e de 4 a 5. Os trajetos de 1 a 2 e de 2 a 3 são realizados no mesmo intervalo dea) 3Rg tempo Δt e o trajeto de 4 a 5 num intervalo Δt < Δt . Nessasb) 7Rg condições é correto afirmar quec) 15Rg a) A3 < A2 b) A2 < A3 c) A1 > A2 d) A1 < A3d) 11Rg 8
  • 9. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA Resolução Alternativa A QUESTÃO 21Pela 2ª Lei de Kepler, para planetas em órbita ao redor de uma Uma bola de basquete descreve a trajetória mostrada na figura apósmesma estrela, vale a seguinte relação: ser arremessada por um jovem atleta que tenta bater um recorde de A arremesso. v AREOLAR = = cons tan te Δtonde A é a área varrida pelo vetor r que une a estrela a um planetaqualquer, num tempo Δt .Nos caminhos 1 → 2 e 2 → 3 , o tempo de deslocamento é o mesmo.Logo: A1 A2 = ⇒ A1 = A2 Δt Δt A bola é lançada com uma velocidade de 10 m/s e, ao cair na cesta, sua componente horizontal vale 6,0 m/s. Despreze a resistência do arPor outro lado, comparando os caminhos 4 → 5 e 1 → 2 , temos: e considere g = 10 m/s2. Pode-se afirmar que a distância horizontal (x) A3 A1 A3 Δt percorrida pela bola desde o lançamento até cair na cesta, em metros, = ⇒ Δt = < Δt ⇒ A3 < A1 = 2 Δt Δt A1 vale a) 3,0 b) 6,0 c) 4,8 d) 3,6 QUESTÃO 20 Resolução Alternativa BDois corpos A e B, esféricos, inicialmente estacionários no espaço, Considere o seguinte sistema de coordenadas:com massas respectivamente iguais a mA e mB , encontram-se yseparados, centro a centro, de uma distância x muito maior que seusraios, conforme figura abaixo. x Na direção horizontal, temos um movimento uniforme, com a componente v x da velocidade constante e igual a 6,0 m/s.Na ausência de outras forças de interação, existe um ponto P do Na direção vertical, temos um movimento uniformemente variado, comespaço que se localiza a uma distância d do centro do corpo A. Nesse espaço inicial y0 = 2, 0 m , aceleração a = − g = −10 m/s2 , eponto P é nula a intensidade da força gravitacional resultante, devido à velocidade inicial dada por:ação dos corpos A e B sobre um corpo de prova de massa m, alicolocado. v02 = v0 x 2 + v0 y 2 ⇒ 102 = 6, 02 + v0y 2 ⇒ v0 y = 8, 0 m/sConsidere que os corpos A e B passem a se afastar com umavelocidade constante ao longo de uma trajetória retilínea que une os Assim, a equação horária dos espaços na direção vertical é dada por:seus centros e que mA = 16mB . Nessas condições, o gráfico que at 2 10t 2melhor representa d em função de x é y = y0 + v0 y t + ⇒ y = 2 + 8t − ⇒ y = 2 + 8t − 5t 2 2 2a) b) Para atingir a altura y = 5, 0 m , os instantes de tempo correspondentes são: 5 = 2 + 8t − 5t 2 ⇒ 5t 2 − 8t + 3 = 0 ⇒ t = 0, 6 s ou t = 1, 0 sc) d) No caso, o primeiro instante (0,6 s) corresponde ao momento anterior ao de altura máxima, quando a bola está subindo, e o segundo instante (1,0 s) corresponde ao momento em que a bola está descendo e cai na cesta. O espaço percorrido na direção horizontal (x) até a bola cair na cesta, depois de 1,0 s, é dado por: Δs x vx = ⇒ 6, 0 = ⇒ x = 6, 0 m Resolução Alternativa D Δt 1, 0No ponto P, distante d da massa A, temos que o corpo apresentaresultante nula e, portanto: GmA m GmB m G(16mB )m GmB m QUESTÃO 22 | FAP |=| FBP |⇒ = ⇒ = Uma pessoa, brincando em uma roda-gigante, ao passar pelo ponto d2 ( x − d )2 d2 ( x − d )2 mais alto, arremessa uma pequena bola (Figura 1), de forma que esta 16 1 1 4 descreve, em relação ao solo, a trajetória de um lançamento vertical = ⇒ =± para cima. d 2 ( x − d )2 (x − d ) dComo x − d > 0 , descartamos o sinal negativo, e ficamos com: 4x d= 5Assim, a função d(x) é uma reta crescente. 9
  • 10. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICAA velocidade de lançamento da bola na direção vertical tem o mesmomódulo de velocidade escalar (v) da roda-gigante, que executa um QUESTÃO 23movimento circular uniforme. Despreze a resistência do ar, considere R Dispôe-se de quarto polias ideais de raios RA = R , RB = 3R , RC =a aceleração da gravidade igual a g e π = 3 . Se a pessoa consegue 2pegar a bola no ponto mais próximo do solo (Figura 2), o período de R e RD = que podem ser combinadas e acopladas a um motor cujarotação da roda-gigante pode ser igual a 10 20v 10v v v freqüência de funcionamento tem valor f.a) b) c) d) 12 3g 7g g g As polias podem ser ligadas por correias ideais ou unidas por eixos rígidos e, nos acoplamentos, não ocorre escorregamento. Considere Resolução Alternativa A que a combinação dessa polias com o motor deve acionar uma serraAnalisando o movimento circular, com R o raio da roda gigante e T o circular (S) para que ela tenha uma freqüência de rotação igual a 5/3período de rotação: da freqüência do motor. Sendo assim, marque a alternativa que 2 ⋅π ⋅ R 2 ⋅ 3 ⋅ R v ⋅T representa essa combinação de polias. v= = ⇒R = (I) a) b) T T 6Analisando o lançamento vertical da bola:Adotamos o referencial abaixo, positivo para cima (movimento dabola): y V 2R c) d) R g ⋅t 2 y = 2⋅R +v ⋅t − 2 x Resolução Alternativa B As polias unidas por correias têm mesma velocidade tangencial da extremidade (e portanto mesmo produto da freqüência de rotação peloComo a roda gira pelo menos meia volta, podendo completar mais um raio) e as polias presas por eixos rígidos ou acopladas têm mesmanúmero inteiro n de voltas, temos que y=0 quando freqüência de rotação. Chamando de 1 a polia presa ao motor, de 2 a ⎛T ⎞ ⎛ 1⎞ presa à polia 1 pela correia, de 3 a presa à polia 2 pelo eixo e 4 at = ⎜ + n.T ⎟ ⇒ t = T ⎜ n + ⎟ ⎝2 ⎠ ⎝ 2⎠ presa à polia 3 pela correia temos: ⎡ ⎛ 1 ⎞⎤ g ⎡ ⎛ 1 ⎞⎤ 2 ⎧fMOTOR = f1Logo, 0 = 2 ⋅ R + v ⋅ ⎢T ⎜ n + ⎟ ⎥ − ⋅ ⎢T ⎜ n + ⎟ ⎥ (II) ⎪ ⎣ ⎝ 2 ⎠⎦ 2 ⎣ ⎝ 2 ⎠⎦ ⎪f1R1 = f2R2 ⎪ R R ⎨f2 = f3 ⇒ fs = 1 ⋅ 3 ⋅ fmotor ⎪f R = f R R2 R4Substituindo os valores de (I) em (II): ⎪3 3 4 4 ⎛ v ⋅T ⎞ ⎡ ⎛ 1 ⎞⎤ g ⎡ ⎛ 1 ⎞⎤ 2 ⎪f4 = fSERRA ⎩ 0 = 2⋅⎜ ⎟ + V ⎢T ⎜ n + ⎟ ⎥ − ⋅ ⎢T ⎜ n + ⎟ ⎥ ⎝ 6 ⎠ ⎣ ⎝ 2 ⎠⎦ 2 ⎣ ⎝ 2 ⎠⎦ Como a freqüência da serra deve ser 5/3 da freqüência do motor, R ⋅R 5 ⎡ ⎛ 5 ⎞ g ⋅T ⎛ 1⎞ ⎤ 2 temos que 1 3 = . Analisemos as alternativas: 0 = T ⎢v ⎜ n + ⎟ − ⋅⎜n + ⎟ ⎥ R2 ⋅ R4 3 ⎢ ⎝ ⎣ 6⎠ 2 ⎝ 2⎠ ⎥⎦ ⎧ RComo T ≠ 0 temos: ⎪R1 = RC = 2 v 4 ( 6n + 5 ) ⎪ 2 R R g ⋅T ⎛ 1⎞ ⎛ 5⎞ ⋅ ⋅ n + ⎟ = v ⎜n + ⎟ ⇒T = ⋅ ⎪R2 = RB = 3R R1 ⋅ R3 1 5 2 ⎜ ⎝ 2⎠ ⎝ 6⎠ g 3 ( 2n + 1)2 a) Falsa. ⎨ ⇒ = 2 10 = ≠ ⎪R = R = R R2 ⋅ R4 3R ⋅ R 60 3Avaliando as alternativas, lembrando que n é natural: ⎪ 3 D 10 4 ( 6n + 5 ) 20 ⎪ 20v ⎩ R4 = R A = Ra) Correta: T = ⇒ = 3 ( 2n + 1) 2 3g 3 ⎧R1 = RA = R ⎪6n + 5 = 5 ( 4n 2 + 4n + 1) ⇒ n (10n + 7 ) = 0 ⇒ n = 0 ou n = − 7 ⎪R2 = RB = 3R R⋅ R 10 ⎪ R ⇒ R1 ⋅ R3 = 2 = 10 = 5 b) Correta. ⎨R3 = RC = 4 ( 6n + 5 ) 10 ⎪ 2 R2 ⋅ R4 3R ⋅ R 6 3 10vb) Incorreta: T = ⇒ = ⎪ R 10 3 ( 2n + 1) 2 7g 7 ⎪R4 = RD = ⎩ 107 ⋅ (12n + 10 ) = 15 ( 4n 2 + 4n + 1) ⇒ 60n 2 − 24n − 55 = 0 ⎧R1 = RB = 3REquação cujo delta não é um quadrado perfeito. ⎪ ⎪R = R = R v 4 ( 6n + 5 ) ⎪ 2 C 2 R ⋅R 3R ⋅ R 5c) Incorreta: T = ⇒ =1 c) Falsa. ⎨ ⇒ 1 3 = = 60 ≠ 3 ( 2n + 1) 2 g ⎪ R3 = RA = R R2 ⋅ R4 R ⋅ R 3 ⎪ 2 104 ⋅ ( 6n + 5 ) = 3 ⋅ ( 4n 2 + 4n + 1) ⇒ 12n 2 − 12n − 17 = 0 R ⎪R4 = RD = ⎩ 10Equação cujo delta não é um quadrado perfeito. ⎧ R v 4 ( 6n + 5 ) ⎪R1 = RD = 10d) Incorreta: T = 12 ⇒ = 12 g 3 ( 2n + 1) 2 ⎪ R R ⋅ ⎪R2 = RA = R R1 ⋅ R3 10 2 1 5 d) Falsa. ⎨ ⇒ = = ≠( 6n + 5 ) = 9 ⋅ ( 4n 2 + 4n + 1) ⇒ 36n 2 + 30n + 4 = 0 ⇒ 18n 2 + 15n + 2 = 0 ⎪R = R = R R2 ⋅ R4 R ⋅ 3R 60 3 ⎪ 3 C 2 −15 ± 225 − 4 ⋅ 18 ⋅ 2 −15 ± 9 ⎪n= = <0 ⎩R4 = RB = 3R 2 ⋅ 18 2 ⋅ 18 10
  • 11. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – FÍSICA QUESTÃO 24 v = vxO diagrama abaixo representa as posições de dois corpos A e B em Como a altura éfunção do tempo. mediana, o triângulo é isósceles e os ângulos Sombra da base são iguais. Trecho 1 h Trecho 2 Δy α α Δx d dPor este diagrama, afirma-se que o corpo A iniciou o seu movimento, Como o plano inclinado é retilíneo, podemos aplicar tgα da seguinteem relação ao corpo B, depois de maneira:a) 2,5 s b) 7,5 s c) 5,0 s d) 10 s Δy tgα = Resolução Alternativa C ΔxConsiderando t1 como o tempo onde os corpos se encontram: Além disso, do movimento da bola, Δx = v Δt Δy Logo, tgα = ⇒ Δy = (v .tgα ).Δt = k Δt ; k constante. v Δt Como Δy = k Δt , o movimento da sombra em y é uniforme, assim como o de x, logo o movimento da sombra é uniforme, e no trecho 1: v1 = v x 2 + v y 2 > v t0A t1 De forma análoga, note que v 2 = v x 2 + v y 2 = v1 > vCálculo das funções horárias do espaço: Assim temos v1 = v 2 > v .Corpo B: SB = S0B + v B ⋅ t 0 − 40Pelo gráfico: v B = = −4 m / s 10 − 0Logo, SB = 40 − 4tPara SB = 10 m (ponto de encontro), temos 10 = 40 − 4t ⇒ t1 = 7,5 sCorpo A: SA = S0 A + v A (t − t0 A ) Δs s(10) − s(7,5) 20 − 10Pelo gráfico: v A = = = =4 m/s Δt 10 − 7,5 10 − 7,5Logo, SA = 0 + 4(t − t0 A ) = 4(t − t0 A )Para t = 10s, SA = 20m . Portanto:20 = 4(10 − t0 A ) ⇒ t0 A = 5sLogo o corpo A partiu 5 segundos após o corpo B QUESTÃO 25Uma bola rola com velocidade v , constante, sobre uma superfície devidro plana e horizontal, descrevendo uma trajetória retilínea.Enquanto a bola se desloca, a sua sombra percorre os planosrepresentados pelos trechos 1 e 2 da figura abaixo, com velocidadesescalares médias v1 e v 2 , respectivamente.Considerando que a sombra está sendo gerada por uma projeçãoortogonal à superfície de vidro, pode-se afirmar que o seu movimentoéa) acelerado no trecho 1 e retardado no trecho 2, sendo v1 > v > v 2b) acelerado nos dois trechos, sendo v1 = v 2 > vc) uniforme nos dois trechos, sendo v1 = v 2 = vd) uniforme nos dois trechos, sendo v1 = v 2 > v Resolução Alternativa DÉ fácil notar que a velocidade horizontal Vx da sombra é constante eigual a V .Observe a figura depois de um tempo Δt do início da subida: 11
  • 12. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊS LÍNGUA PORTUGUESA “morreu”. A forma carinhosa como o rio é conhecido no Brasil trata-se de uma Perífrase, que é uma outra expressão usada para referir-se a algo, por exemplo, leão é “o rei dos animais”; “Velho Chico” é o rio São TEXTO I Francisco. Preces por São Francisco c) Incorreta. O pronome “esse” retoma “jejum”, não religioso. O jejum Por meio de uma greve de fome de 23 dias, o bispo dom é que é a “manifestação” citada no trecho.Cappio voltou a chamar a atenção para os problemas inerentes à d) Incorreta. Não há qualquer referência, no texto, a uma delegação, transposição das águas do Velho Chico para o semi-árido por parte da Igreja, do problema do rio São Francisco para o Estado. nordestino. Em dezembro de 2007, um re ligioso fez jejum de 23 dias QUESTÃO 28 por São Francisco. Esse, que poderia ser uma manifestação Assinale (V) verdadeiro ou (F) falso nas afirmativas abaixo, retiradas qualquer de algum dos milhões de católicos brasileiros, de trechos do Texto I. ultrapassou os limites da Igreja e virou um problema de5 Estado. Afinal, não era um São Francisco qualquer, mas o rio ( ) A expressão “ Por meio de uma greve de fome de 23 dias...”, brasileiro que atravessa cinco estados; tampouco se tratava mantém uma relação de causa com o resto do período. de um re ligioso qualquer, mas de dom Luís Flávio Cappio, ( ) A palavra sublinhada em “O Velho Chico, como o rio é conhecido bispo de Barra, histórico ambientalist a, defe nsor e Brasil afora...” estabelece uma relação comparativa. conhecedor das populações pobre s do sertão nordestino. A ( ) O termo destacado em “...ultrapassou os limites da Igreja e virou10 greve de fome foi amplame nte divulgada pela imprensa um problema de Estado.” é um complemento direto da forma nacional e esquentou o debate sobre as obras no Velho verbal virou. Chico. ( ) Do trecho “...no vale do rio São Francisco – onde vivem (..) aproximadamente 15 milhões de pessoas...” depreende-se que o O Velho Chico, como o rio é conhecido Bra sil afora, nasce15 e m João de Roque de Minas, na serra da Canastra, e lança número de pessoas que vivem no vale do rio pode ser inferior a 15 milhões. suas águas entre Alagoas e Sergipe no oceano Atlântico. O São Francisco foi de scoberto por Américo Vespúcio e m 4 de A seqüência correta é outubro de 1501, quando o navegador mape ava o litoral a) V, F, F, V. b) F, V, V, F. c) V, V, V, F. d) F, F, F, V. brasileiro. Sua bacia hidrográfica re presenta 8% do território20 nacional e 57% da área do se mi-árido. São 32 sub-bacias, 168 Resolução Alternativa D afluentes e envolve 505 municípios – 101 no vale do rio – Item 1 – Falso. A expressão indicada representa o instrumento ou onde vivem aproximadamente 15 milhões de pessoas. meio utilizado para obter a finalidade. (Revista Discutindo Geografia, Ano 3 – adapta do.) Item 2 – Falso. A conjunção “como” está empregada com o valor circunstancial de conformidade, não de comparação. Item 3 – Falso. O verbo “virar”, neste caso empregado com o sentido QUESTÃO 26 de “tornar”, caracteriza o predicado nominal, exigindo, portanto, um“Esse, que poderia ser uma manifestação qualquer de algum dos termo predicativo (o jejum virou um problema de Estado) e não ummilhões de católicos brasileiros, ultrapassou os limites da Igreja e virou complemento verbal.um problema de Estado”. ( 2 a 5) Item 4 – Verdadeiro. O advérbio aproximadamente significa algo não exato, apesar de próximo, vizinho, podendo se referir a um valor umDessa passagem pode-se inferir a/o pouco inferior ou um pouco superior ao número exato.a) grande dimensão do problema com a transposiçãob) devoção dos brasileiros a São Francisco de Assis QUESTÃO 29c) jejum como prática corriqueira entre muitos brasileiros Assinale a opção cujo termo grifado NÃO está coerente com o sentidod) estreita relação entre Igreja e Estado no Brasil original do texto I. Resolução Alternativa A a) Não era, pois, um São Francisco qualquer, mas o rio brasileiro quea) Correta. Embora o trecho não faça referência direta à transposição atravessa cinco estados(...) ( . 5 e 6)do rio, considerando o excerto “ultrapassou os limites da Igreja e virou b) Dom Cappio voltou a chamar a atenção para os problemasum problema de Estado” nota-se que o problema da transposição contrários à transposição das águas do Velho Chico(...) (lide)tomou grandes proporções.b) Incorreta. No trecho, entrevê-se a questão do Rio São Francisco, c) O Velho Chico, como o rio é conhecido ao longo do Brasil(...) ( .de maneira ainda indireta, e não um apego religioso ao santo São 14)Francisco de Assis. d) Muito menos se tratava de um religioso qualquer, mas de Dom Luisc) Incorreta. O elemento coesivo “esse” refere-se a “jejum”, o qual, Flavio Cappio, bispo de Barra, histórico ambientalista(...) ( .6 a 8)segundo o trecho apresentado, seria uma manifestação isolada dealgum dos milhões de católicos brasileiros. Resolução Alternativa Bd) Incorreta. Justamente pelas palavras “ultrapassou os limites da Em a, mantém-se a relação conclusiva entre as orações, da mesmaIgreja e virou um problema de Estado” é que se vê, segundo o texto, a forma que o trecho original “Afinal, não era um São Franciscorelação distante entre Igreja e Estado no Brasil. qualquer”. Em c e d, as expressões “ao longo do Brasil” e “ muito menos”, respectivamente, mantêm a mesma relação semântica de “Brasil QUESTÃO 27 afora” e “tampouco”.Sobre o texto acima, é correto afirmar que o/a Em b, contudo, a expressão inerente significa “constitutivo”, “que faza) descoberta do rio São Francisco está condicionada a uma situação parte de”, e não “contrário”, conforme alteração sugerida naexploratória alternativa.b) forma carinhosa como o rio São Francisco é conhecido caracterizauma figura de linguagem conhecida como eufemismo QUESTÃO 30c) pronome esse ( . 2) funciona como um elemento de coesão textual Dentre as preposições abaixo grifadas, assinale aquela cujae substitui o termo religioso. classificação entre parênteses está de acordo com o sentido utilizadod) repercussão da atitude do frei não era esperada pela Igreja Católica no texto.que delegou o problema para o Estado. a) “Em dezembro de 2007, um religioso fez jejum de 23 dias por São Resolução Alternativa A Francisco...” (CAUSA)a) Correta. A “situação exploratória”, no texto, é a expedição de b) “Por meio de uma greve de fome de 23 dias, o bispo Dom CappioAmérico Vespúcio para mapear o litoral brasileiro, a qual foi voltou a chamar a atenção para os problemas...” (INSTRUMENTO)responsável pela descoberta do rio São Francisco. c) “A greve de fome foi amplamente divulgada pela imprensab) Incorreta. Eufemismo é usar palavras suaves para atenuar uma nacional…” (LUGAR)idéia negativa, por exemplo, “foi dessa para melhor” ao invés de d) “... e esquentou o debate sobre as obras no Velho Chico.” (MEIO) 1
  • 13. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊS Resolução Alternativa A Resolução Alternativa Ba) Correta. Expressa a relação de causa, equivalente à expressão a) Incorreta. A expressão destacada exerce a função sintática de“em favor de” complemento nominal do adjetivo “imputado”. O agente da ação verbalb) Incorreta. Expressa um sentido de perspectiva em relação a é o sujeito “O problema”, sendo o termo sublinhado o alvo desta ação.alguma coisa (os problemas). b) Correta. Em “O São Francisco se encontra em estágio avançadoc) Incorreta. A imprensa foi o meio pelo qual a greve foi divulgada, de degradação. O problema é imputado às ações humanas”, o termonão o local. “O problema” refere-se a “estágio avançado de degradação”,d) Incorreta. Expressa o sentido de a respeito de alguma coisa e não retomando sua significação.meio para um fim. c) Incorreta. “de suas águas” é expressão que completa o sentido do termo “utilização” (complemento nominal); “de degradação” é adjunto TEXTO II adnominal do predicativo “avançado”. d) Incorreta. As palavras degradação e irrigada são formadas por Degradação derivação sufixal (radical degrad + sufixo ação e radical irrig + sufixo O rio São Francisco tem enorme importância ada). Já consumo é formada por derivação regressiva, a partir do socioeconômica atribuída à utilização de suas águas. Dentre verbo consumir e piscicultura, por justaposição do elemento de os diversos usos, destacam-se: o consumo humano, a composição latino (radical) pisci com o radical cultura. produção de energia elétrica distribuída para 5 aproximadamente 97% da região Nordeste, a agricultura irrigada – praticada em diversas agrovilas espalhadas ao QUESTÃO 33 De acordo com o Texto II, é correto afirmar que a/o(s) longo das margens – a piscicultura – como a criação de tilápias no cânion do rio, no município baiano de Paulo Afonso a) impactos ambientais na região acentuaram-se sobremaneira nos – a navegação e o turismo, entre outras funções. últimos anos em decorrência da industrialização. 10 O São Francisco se encontra em estágio avançado de b) degradação do rio São Francisco e seus afluentes causa muita degradação. O problema é imputado às ações humanas preocupação prioritariamente aos ribeirinhos. como, por exemplo, devastação das nascentes e matas c) processo de povoamento desordenado da região foi responsável ciliares, despejo de esgoto e lixo – doméstico e industrial - ; pela degradação do rio. às atividades agropecuárias, mineradoras e de garimpo; às d) rio São Francisco tem uma importância capital pra o 15 queimadas etc. desenvolvimento do Nordeste brasileiro. (...) Esses impactos ambientais na região drenada pelo Velho Resolução Alternativa D Chico e seus afluentes começaram a ocorrer por volta de 500 a) Incorreta. O texto nada diz sobre os impactos ambientais estarem anos atrás, época em que se iniciou o povoamento no vale do se acentuando nos últimos anos. O último parágrafo, a propósito, diz 20 São Francisco. Hoje, o rio está debilitado e em diversos que “esses impactos (...) começaram a ocorrer por volta de 500 anos setores da bacia hidrográfica a degradação preocupa, aflige e atrás”. entristece. b) Incorreta. Nada há, no texto, em referência aos “ribeirinhos”. No final do texto a preocupação causada pela degradação é citada, mas (Revista Discutindo Geografia, Ano 3 – adaptado.) não é discutido se um grupo específico de pessoas demonstra prioritariamente esta preocupação. c) Incorreta. Nada há sobre “povoamento desordenado” no texto. A QUESTÃO 31 única referência a povoamento ocorre no último parágrafo, segundo oSobre o 2° parágrafo é correto afirmar que qual os problemas no rio começaram a ocorrer há cerca de 500 anos,a) a expressão por exemplo ( . 12) poderia ficar sem as vírgulas, quando se iniciou o povoamento no vale do São Francisco.uma vez que é explicativa. d) Correta. O texto enumera, no primeiro parágrafo, os diferentesb) o verbo do 1° período está flexionado na voz passiva. usos das águas do rio no Nordeste brasileiro, afirmando que “o rio Sãoc) em “O São Francisco se encontra em estágio avançado de Francisco tem enorme importância socioeconômica”, o que comprovadegradação” há um termo elíptico e um predicativo do sujeito. sua “importância capital”.d) as ações humanas, as atividades agropecuárias e as queimadassão, dentre outras, as conseqüências da degradação do rio. QUESTÃO 34 Resolução Alternativa C Leia atentamente o excerto e analise as proposições a seguira) Incorreta: A expressão “por exemplo” poderia ficar sem as vírgulaspelo fato de, apesar de estar deslocada de sua ordem habitual, não “O problema é imputado às ações humanas como, por exemplo,ser considerada longa. A ausência de vírgulas não poderia acontecer devastação das nascentes e matas ciliares, despejo de esgoto e lixo –pela expressão ter valor explicativo. doméstico e industrial – às atividades agropecuárias, mineradoras eb) Incorreta: Neste caso, a partícula “se”, neste caso, representa o de garimpo; às queimadas etc...”pronome reflexivo. Assim, não tem o valor de apassivadora e portanto I. O vocábulo imputar pertence ao campo semântico denão indica a voz passiva. responsabilizar.c) Correta: O São Francisco se encontra em estágio de degradação e II. Às atividades agropecuárias (...), às queimadas complementam umesse estágio “é” ou “está” avançado. Temos o verbo ser ou estar como termo que exerce a função de predicativo.um termo elíptico e avançado é o predicativo do sujeito (estágio). III. Observa-se que o período é simples e nele há sujeito,d) Incorreta: todas as indicações correspondem às causas da complemento nominal e aposto.degradação, não às conseqüências. IV. Ciliares, doméstico e garimpo são vocábulos que caracterizam um termo imediatamente anterior. QUESTÃO 32 Estão corretas apenasAssinale a alternativa correta. a) II e IV. b) I e III. c) I e II. d) III e IV.a) Em “O problema é imputado às ações humanas”, o termodestacado exerce a função de agente da ação verbal. Resolução Alternativa B I. Correta: Imputar significa atribuir responsabilidade a algo oub) O vocábulo problema ( . 11) é um item de coesão lexical que alguém. Assim, a responsabilidade do problema (degradação) éretoma a expressão “estágio avançado de degradação”. colocada sobre as ações humanas.c) O sintagma “de suas águas” ( .2) exerce a mesma função sintática II. Incorreta: Os termos destacados complementam o adjetivoque o termo destacado em “o São Francisco se encontra em estágio predicativo “imputado”.avançado de degradação”. ( . 10 e 11) III. Correta: O período é simples, constituído de sujeito (o problema),d) Os vocábulos degradação, irrigada, consumo, e piscicultura foram verbo de estado (é), predicativo (imputado), complemento nominal (àsformados pelo mesmo processo de formação de palavras. ações humanas, às atividades..., às queimadas) e aposto (devastação das nascentes, etc.). 2
  • 14. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊSIV. Incorreta: O termo “garimpo” não caracteriza o termoimediatamente anterior, mas o substantivo “atividades”,qualificando-o Resolução Alternativa C I. Correta. Tanto o pronome uns (observar que “uns” não é artigo porpela locução “de garimpo”; os outros termos sublinhados modificam os estar precedendo um verbo e não um substantivo) quanto outrosantecedentes diretos (matas ciliares e lixo doméstico) indeterminam os falantes que discordam entre si relativamente à transposição do rio São Francisco. QUESTÃO 35 II. Correta. O primeiro parágrafo traz dados históricos (fim do séculoAssinale, entre as expressões sublinhadas abaixo, aquela cujo valor XIX) e o segundo pontos de vista antagônicos (Uns dizem; Outrossemântico NÃO foi corretamente indicado. defendem; Argumenta-se ainda). III. Incorreta. As funções sintáticas são distintas, respectivamente,a) “... a produção de energia elétrica distribuída para objeto indireto e adjunto adnominal.aproximadamente 97% da região Nordeste...” ( . 3 a 5) – Valor IV. Incorreta. O debate é acalorado, segundo o texto, por váriosrestritivo. motivos, todos os citados no segundo parágrafo, não só por causa dasb) “...enorme importância socioeconômica atribuída à utilização de incertezas sobre a viabilidade técnica e os impactos da distribuição desuas águas... ( . 1 e 2) – Valor conclusivo renda. Há, também, geração de empregos, redução de migraçãoc) “a agricultura irrigada – praticada em diversas agrovilas espalhadas populacional, necessidade de revitalização do rio, impactos socioambientais e incerteza sobre a viabilidade econômica.ao longo das margens – a piscicultura...” ( .5 a 7) – Valor explicativo.d) “O problema é imputado às ações humanas...” ( .11) – Valor dedecorrência. QUESTÃO 37 Pode-se inferir da leitura global do texto acima que o/a Resolução Alternativa B/D a) número de pessoas que serão prejudicadas com a mudança dea) Correta. O advérbio aproximadamente delimita, ou restringe, a curso do rio é relativamente pequeno.parcela da região Nordeste beneficiada pelo produção de energia b) idéia de transposição, desde o século XIX, sempre ocupou lugar deelétrica do São Francisco. destaque nas discussões públicas.b) Incorreta. O trecho sublinhado possui valor causa, uma vez que a c) transposição do rio São Francisco trará mais benefícios do que“enorme importância socioeconômica” do Rio São Francisco é devida prejuízos.“à utilização de suas águas”. d) viabilidade do projeto depende de muita discussão relacionando osc) Correta. O termo sublinhado é um aposto, cuja função é explicar prejuízos e benefícios da transposição.seu antecedente “a agricultura irrigada”.d) Incorreta. Decorrente significa o resultado de alguma coisa, ou Resolução Alternativa Dseja, a conseqüência; neste caso, os termos sublinhados a) Incorreta. O texto não fala em pessoas prejudicadas, mas emcorrespondem à causa do problema. pessoas beneficiadas e o número citado é grandioso (12 milhões), ao contrário do que diz a alternativa. b) Incorreta. Segundo o texto, “a idéia de transferir parte das águas TEXTO III do São Francisco remonta ao século XIX”, mas somente “veio à Prós e contras tona” agora, no início do século XXI, ou seja, ela não ocupou sempre um lugar de destaque. A idéia de transfe rir parte das á guas do São Francisco c) Incorreta. Não é possível concluir nada de forma tão unilateral remonta aos finais do século XIX e vem à tona, neste início relativamente à transposição do São Francisco pela leitura desse de século XXI, como uma das a ções prioritárias de governo texto, que pondera, no segundo parágrafo, aspectos positivos e na gestão do presidente Lula. 5 O debate em torno da obra de transposição segue cada negativos de uma complexa questão. vez mais acalorado. Uns dizem que a obra de engenharia é d) Correta. Tal assertiva comprova-se no último parágrafo do texto, viável tecnicamente e deve trazer geração de empregos, onde ponderam-se as diferentes visões acerca da transposição: “uns aumento de renda e redução da migração populacional, com dizem que (...) Outros defendem (...) Argumenta-se ainda (...)”, o que a implantação de agronegócios. Propaga-se que 12 milhões comprova a complexidade da questão, portanto, a discussão 10 de pessoas serão beneficiadas. Outros defendem a necessária até que se decida pela viabilização (ou não) do projeto. necessidade de revitalização do rio, por causa do quadro avançado de degradação do São Francisco, além da QUESTÃO 38 urgência de estudos técnicos com fins de se prever os Sobre o Texto III, assinale a alternativa INCORRETA. possíveis impactos socioambientais. Argumenta-se ainda a 15 incerteza da viabilidade econômica do projeto e a falta de a) Prioritárias ( .3), populacional ( .8) são vocábulos adjetivos que clareza quanto aos benefícios sociais e à distribuição de caracterizam sintaticamente um termo nominal. renda que poderá trazer. (Revista Discutindo Geografia, Ano 3 – adaptado). b) Em “O debate em torno da obra de transposição segue cada vez mais acalorado”, houve intercalação de um termo adverbial entre o sujeito e a ação verbal. QUESTÃO 36 c) Em propaga-se ( .9), há ocorrência de passividade verbal.Leia as assertivas abaixo sobre o Texto III. d) Um forte argumento em favor da transposição das águas do rio é oI. No segundo parágrafo, usam-se os pronomes uns ( .6) e outros elevado número de pessoas beneficiadas por essa ação. ( .10) para indefinir os falantes que estão em lados opostos da Resolução Alternativa B divergência. a) Correta. “Prioritárias” caracteriza o núcleo ações, exercendo aII. O texto apresenta, entre seus recursos argumentativos, pontos de função de adjunto adnominal deste; “populacional”, igualmente, vista antagônicos e contextualização histórica. caracteriza o substantivo migração. b) Incorreta. A expressão “em torno da obra de transposição” nãoIII. Em “... remonta aos finais do século XIX...” ( .2) e em “... a pode exercer função adverbial, uma vez que advérbios complementam incerteza da inviabilidade econômica do projeto” ( .14 e 15) os necessariamente verbos, adjetivos ou outros advérbios e o núcleo do termos grifados exercem a mesma função sintática. sujeito (“debate”), modificado pela referida expressão, é substantivo.IV. O debate sobre a transposição segue cada vez mais acalorado por c) Correta. O termo “propaga-se” está na voz passiva sintética, sendo causa das incertezas em relação à viabilidade técnica e os impactos “que 12 milhões de pessoas serão beneficiadas.” uma oração da distribuição de renda. subordinada substantiva subjetiva, exercendo a função de sujeito paciente. Reescrevendo-a na voz passiva analítica temos: “ÉEstão corretas apenas propagado que 12 milhões de pessoas serão beneficiadas.”, o que evidencia a passividade do termo destacado.a) II e IV. d) Correta. Nas linhas 9 e 10 encontramos o trecho: “Propaga-se queb) I e III. 12 milhões de pessoas serão beneficiadas.”, o qual é, sem dúvida, umc) I e II. forte argumento dada a grandiosidade do número de pessoasd) III e IV. beneficiadas. 3
  • 15. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊS TEXTO IV c) no último período do primeiro parágrafo, a oração principal encontra-se na voz reflexiva. Desenvolvimento nocivo d) a expressão em vez de ( .13) poderia ser substituída por ao invés O objetivo do projeto de transposição, tutelado pelo de, mantendo-se a correção gramatical e o sentido original. Ministério da Integração Nacional, é levar água para o interior seco e abastecer açudes e rios intermitentes dos estados de Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Resolução Alternativa A5 Ceará, no semi-árido setentrional e oriental, a partir da a) Correta. “Sendo assim” é um elemento usado para a retomada de represa de Sobradinho, na Bahia. O volume de água tudo o que foi dito no texto (coesivo) e inicia o último parágrafo do transferido para “integrar outras bacias” será de 26 metros texto, em que se enuncia a conclusão. cúbicos por segundo (Revista Ciência Hoje, julho de 2005). Para o b) Incorreta. A oração destacada no enunciado desta opção não é eixo Norte está prevista a construção de 400 quilômetros de substantiva, mas uma subordinada adjetiva, na modalidade reduzida10 canais e, para o eixo Leste, um pouco mais de 200 de particípio. quilômetros. A obra, estimada em 2 bilhões de dólares, c) Incorreta. No último período, a oração principal (A obra deverá ser deverá ser executada em 20 anos. Esse valor, em vez de ser investido em uma obra executada em 20 anos) está na voz passiva analítica. faraônica, poderia ser utilizado de outra maneira, como na d) Incorreta. A expressão “em vez de” significa “em lugar de” e “ao15 ampliação da construção de cisternas e na revitalização invés de”, “ao contrário de”, razão por que tal substituição alterará o permanente do próprio rio. sentido original do texto. Considerando-se que, em épocas de chuvas torrenciais, as quais chegam todo ano até os vários sertões do semi- árido, as cisternas funcionariam como estoque de água para QUESTÃO 4120 o longo período de estiagem, aumentar a quantidade de Assinale a alternativa em que a palavra sublinhada pode ser poços proveria um maior número de famílias sertanejas, substituída pela palavra entre parênteses, mantendo-se o sentido amenizaria impactos socioambientais e reduziria o atual original. custo estimado para a obra de transposição. a) “(…) é levar água para o interior seco e abastecer açudes e rios (...) intermitentes dos estados de Pernambuco ( . 2 a 4) – (intermediários)25 Sendo assim, toda cautela, destreza e preparo técnico b) “(…) na execução de uma obra com a magnitude da transposição.” serão convenientes na execução de uma obra com a ( .26 e 27) – (magnanimidade) magnitude da transposição. Todos os setores da sociedade c) “O objetivo do projeto de transposição, tutelado pelo Ministério da deverão opinar sobre qual o melhor projeto hídrico para o bravo e dócil povo dos sertões, a fim de evitar equívocos e Integração Nacional...” ( .1 e 2) – (reportado)30 agravar ainda mais a delicada situação de vida no semi- d) “Esse valor (...) numa obra faraônica, poderia ser utilizado de outra árido nordestino. maneira...” ( .13 e 14) – (suntuosa) (Revista Discutindo Geografia, Ano 3 – adaptado). Resolução Alternativa D QUESTÃO 39 a) Incorreta. “Intermitente” é descontínuo; “intermediário” é estarColoque (V) verdadeiro ou (F) falso e, a seguir, assinale a seqüência entre.correta, em relação ao Texto IV. b) Incorreta. “Magnitude” é substantivo e significa grandeza; importância. Já “magnanimidade” é adjetivo e significa generosidade.( ) No primeiro parágrafo do texto, a presença do futuro do presente c) Incorreta. “Tutelado” é protegido; defendido. “Reportado”, por suado indicativo enuncia a certeza da transposição do rio, apesar dos vez, significa moderado.esforços daqueles que são contra. d) Correta. “Faraônico” remete a “suntuoso”, luxuoso.( ) A presença constante do futuro do pretérito do indicativo noterceiro e quarto parágrafos indica outras possibilidades viáveis para a TEXTO Vsolução do problema da seca. Sobradinho( ) Da análise dos argumentos apresentados, infere-se que o emissor,apesar dos custos exorbitantes, acredita na transposição como forma O homem chega e já desfaz a naturezade resolver o problema da seca no sertão nordestino. Tira gente põe repre sa, diz que t udo vai mudar( ) A expressão “para o bravo e dócil povo dos sertões” constrói sua O São Francisco lá pra cima da Bahiacarga semântica através do paradoxo dos atributos do sertanejo. Diz que dia menos dia vai subir bem devaga r 5 E passo a pa sso vai cumprindo a profeciaa) F – F – F – V b) F – V – V – F Do beato que dizia que o sertão ia alagarc) V – V – F – F d) V – F – V – V O sertão vai virar mar Dá no coração Resolução Alternativa A O medo que algum diaI. Falsa. O primeiro parágrafo é concluído com uma dúvida sobre a 10 O mar também vire sert ãotransposição do rio, não uma certeza: “A obra (...) deverá ser Adeus Remanso, Casa Nov a, Sento Séexecutada em 20 anos”, ou seja, o verbo “dever” anuncia apenas Adeus Pilão Arcado, vem o rio te engoliruma hipótese. - Debaixo d’água lá se vai a vida inteiraII. Falsa. Há futuro do pretérito constante no segundo e no terceiro Por cima da cachoeira o Gaiola vai subir 15 Vai ter barragem no Salto do Dobradinhoparágrafos, mas não no quarto, em que predomina o futuro do E o povo vai se embora com medo de se afogarpresente (serão convenientes; deverão opinar).III. Falsa. O emissor não acredita que a transposição resolverá os (http://letras.terra.com.br/sa guarabyra/487321 - Acesso emproblemas no sertão. No segundo parágrafo, aliás, ele sugere outra 15/05/08 às 14h)alternativa: com tal valor de 2 bilhões de dólares, ampliar a construçãode cisternas e revitalizar o rio.IV. Verdadeira. As expressões “bravo” e “dócil” são antagônicas, QUESTÃO 42instaurando um paradoxo ao conferir tais características, ao mesmo Assinale a alternativa INCORRETA.tempo, ao povo dos sertões. a) O Texto V apresenta como recursos estilísticos hipérbato e paradoxo QUESTÃO 40 b) No enunciado “o medo que algum dia o mar também vire sertão”, oPode-se afirmar do texto acima que pronome relativo que introduz uma oração restritivaa) a expressão sendo assim ( . 25) é um elemento de coesão e c) Enquanto o advérbio lá, no verso 3, veicula idéia de lugar; no versoestabelece com o texto uma relação de conclusão. 13, ele traz idéia de modo. d) O advérbio já (v. 1), acrescenta ao texto uma idéia de prepotência àb) a oração “tutelado pelo Ministério da Integração Nacional” ( .1 e ação humana.2) possui valor substantivo. 4
  • 16. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊS Resolução Alternativa B QUESTÃO 45a) Correta. Hipérbato é inversão da ordem sintática direta da língua Sobre o Texto V, assinale a alternativa correta.(sujeito+verbo+complementos). No verso “Por cima da cachoeira oGaiola vai subir”, a ordem direta seria “O Gaiola vai subir por cima da a) O eu-lírico personifica todos os lugarejos e estabelece umacachoeira”. Paradoxo pode ser considerado uma aparente falta de interlocução com cada um deles.nexo ou de lógica, o que se observa em “O sertão vai virar mar” e “O b) O nível lingüístico utilizado é a norma padrão da língua.mar também vire sertão”. c) Há o predomínio da função poética da linguagem.b) Incorreta. O “que” do trecho em questão é uma conjunção d) Em “... a profecia do beato que dizia que o sertão ia alagar”, háintegrante, que introduz uma oração subordinada substantiva ambigüidade, que não poderá ser evitada pela simples substituição docompletiva nominal, e não um pronome relativo, pois não retoma pronome relativo.termos anteriores.c) Correta. A primeira ocorrência de “lá” refere-se ao lugar “pra cima Resolução Alternativa C a) Incorreta. Embora nos versos 11 e 12, o eu-lírico personifique (ouda Bahia”; a segunda ocorrência denota o modo como se vai a vida seja, transforme em “seres animados”) os lugarejos Remanso, Casainteira. Nova, Sento Sé e Pilão Arcado ao dizer-lhes “adeus” e referir-se a elesd) Correta. Logo no primeiro verso, a atitude do homem de chegar e como segunda pessoa do singular (tu): “vem o rio te engolir”, adesfazer a natureza é construída como prepotente; ele chega e “já alternativa fala em personificação de todos os vilarejos, o que a tornadesfaz” a natureza. incorreta, uma vez que o lugarejo Salto do Dobradinho não aparece personificado. QUESTÃO 43 b) Incorreta. Há desvios em relação à norma padrão, o que pode serLeia as assertivas abaixo relativas ao texto Sobradinho. exemplificado pela falta de pontuação ou elementos de coesão no verso “tira gente põe represa” ou pela oralidade que ocorre no versoI. As formas verbais põe (v. 2), vai mudar (v. 2), diz (v. 4) têm como “dá no coração” e no verso “Diz que dia menos dia...”.sujeito a expressão o homem. c) Correta. Como toda poesia, a função poética está presente no textoII. Na expressão o homem (v. 1), o artigo o define o substantivo V. Neste também está presente de forma marcante a funçãoIII. A enumeração de nomes de localidades (v. 11 e 12) demonstra a referencial da linguagem, uma vez que o texto apresenta de formapouca importância desses vilarejos. “objetiva” uma realidade social. Como não é possível determinar deIV. As expressões debaixo d’água (v. 13) e por cima (v. 14) denotam forma categórica o predomínio de nenhuma das funções, dentre asas transformações no cotidiano provocadas pela construção da alternativas apresentadas esta é a mais plausível.barragem. d) Incorreta. Realmente há ambigüidade no trecho em questão (oEstão corretas apenas pronome relativo “que” pode referir-se a “profecia” ou “beato”), mas tal fenômeno seria evitado pela simples substituição do pronome (“o qual”a) I e III b) III e IV para referir-se a “beato” ou “a qual” para referir-se a “profecia”).c) II e III d) II e IV Resolução Alternativa D QUESTÃO 46I. Incorreta. “homem” é sujeito de põe; “tudo” é sujeito de vai mudar; Assinale a opção cuja análise morfossintática está correta.diz, na construção poética, equivale a diz-se e possui sujeito a) A palavra mar nos versos “O sertão vai virar mar” e “O mar tambémindeterminado. vire sertão” é, respectivamente, predicativo e sujeito.II. Correta. O artigo definido “o” individualiza o substantivo “homem”. b) Todos os verbos presentes nos versos “O homem chega e já desfazIII. Incorreta. A enumeração, considerado esse termo propriamente, a natureza/Tira gente põe represa” necessitam de complementaçãonada afirma com relação à importância dos referidos vilarejos; a direta.citação de cada um deles, ao contrário, destaca a importância (isto é, c) Em “Adeus Remanso, Casa Nova, Sento Sé, Adeus Pilão Arcado,a falta que farão ou a saudade que causarão) se inundados. vem o rio te engolir”, o pronome pessoal, além de resgatar osIV. Correta. As expressões debaixo d’água e por cima referem-se às nomes próprios citados, funciona como complemento direto doconseqüências da inundação, causada pela construção da barragem verbo vir.no rio São Francisco. d) Em “O povo vai se embora com medo de se afogar” as duas ocorrências do pronome se servem de realce, podendo ser retiradas QUESTÃO 44 sem prejuízo semântico.Pode-se inferir do texto acima que Resolução Alternativa A a) Correta. Em “O sertão vai virar mar”, porque a locução verbal “vaia) o povo se retira do sertão quando o beato prediz o que vai ocorrer virar” constitui verbo de ligação, mar é predicativo do sujeito. Já em “Opor lá. mar também vire sertão”, com a inversão, “mar” torna-se sujeito.b) o homem quando chega anuncia que o sertão vai virar mar em b) Incorreta. O verbo chegar é intransitivo (não exige complementodetrimento do mar virar sertão. algum). Os demais realmente são transitivos diretos.c) a barragem do Salto do Sobradinho é a causa do êxodo dos c) Incorreta. O pronome oblíquo átono “te” retoma os nomes própriossertanejos. que se referem a lugares personificados, entretanto, é objeto direto dod) tudo no sertão vai mudar conquanto o povo compreenda a verbo “engolir”.necessidade de colocar represa no lugar onde moram ribeirinhos. d) Incorreta. Na primeira ocorrência do “se”, realmente há partícula de realce (“O povo vai embora” não acarreta mudança de sentido), Resolução Alternativa C contudo, na segundo ocorrência, o “se” é parte integrante do verboa) Incorreta. O beato fez a profecia, mas somente agora ela está se “afogar-se”, não podendo ser retirado.cumprindo, fazendo o povo se retirar do sertão. Portanto, não é corretoafirmar que se retirou do sertão quando ocorreu profecia. TEXTO VIb) Incorreta. O beato é quem profetizou que o sertão ia virar mar, e o Oração do rio São Francisco em tempos de poucos rioscoração (do sertanejo, pelo efeito de sentido do texto), é que sente o Onde houver a dúvida dos que fraquejam, que eu leve a fémedo de o mar virar sertão. Além disso, uma a hipótese de o sertão dos que constroem seu tempo. Na adversidade, meio aovirar mar não ocorre em detrimento de o mar virar sertão, mas leva a deserto e ao clima árido, a fé dos que colhem uvas e mangas em minhas margens. Dos que colhem arroz em minhascrer que esta última hipótese possa ocorrer. 5 várzeas, dos que criam peixes com minhas águas em açudesc) Correta. No contexto específico desse texto, tal afirmação é feitos. A fé dos xocós lá em Poço Redondo. A fé que criaverdadeira pelos dois últimos versos: “Vai ter barragem no Salto do cabras nos Escuriais. Dos que colhem cajus e criam gado emSobradinho / E o povo vai se embora com medo de se afogar”. Barreiras e outros cafundós.d) Incorreta. O povo não compreende a necessidade de represarsuas terras, ao contrário, o poema é uma reação a essa decisão de Onde houver o erro dos governantes que eu leve a verdade dedesfazer a natureza. 10 Canudos. O bom senso dos conselheiros de encontro à insanidade dos totalitários. Os canhões abrindo fendas na cidade sitiada e a verdade expondo cada vez mais a ferida da 5
  • 17. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊS loucura na criatura da História. O confisco da poupança e o c) Correta. Como toda poesia, a função poética está presente no texto rombo na previdência. O fim da inflação e o pão escasso, o V. Neste também está presente de forma marcante a função 15 emprego rarefeito, a dignidade estuprada em cada lar de referencial da linguagem, uma vez que o texto apresenta de forma nordestinos. “objetiva” uma realidade social. Como não é possível determinar de Onde houver a tristeza dos solitários que eu leve a alegria das forma categórica o predomínio de nenhuma das funções, dentre as festas de São João. Solitário eu banho muitas terras e em alternativas apresentadas esta é a mais plausível. todas, das Gerais, do Pernambuco, das Alagoas e do Sergipe, d) Incorreta. Realmente há ambigüidade no trecho em questão (o 20 não há tristeza ao pé da fogueira, nas núpcias entre a pronome relativo “que” pode referir-se a “profecia” ou “beato”), mas tal concertina e o repente, entre a catira e o baião. Das festas do fenômeno seria evitado pela simples substituição do pronome (“o qual” Divino ao maior São João do mundo, deixai-me levar, Senhor para referir-se a “beato” ou “a qual” para referir-se a “profecia”). o sabor de minhas águas juninas e seus fogos de artifício. (http://adercego.blogsome.com/2006/12/04/oracao-do-rio-sao- francisco-em-tempos-de-poucos-rios - Acesso em 15/05/08 às 14h) QUESTÃO 49 Sobre o 3° fragmento do texto acima, é correto afirmar que as/o(s) QUESTÃO 47 a) pronome em destaque no sintagma “deixai-me levar” ( . 22) exerceAssinale (V) verdadeiro e (F) falso e, a seguir, assinale a alternativa a função sintática de sujeito da ação verbal “levar”.correta em relação ao 1° fragmento do Texto VI. b) sintagma “nas núpcias entre a concertina e o repente, entre a catira e o baião” ( .20 e 21) exerce uma função adverbial e apresenta uma( ) Os sintagmas “que constroem o seu tempo” (l. 2) e “que cria catacrese como recurso expressivo. cabras” (l. 6 e 7) exercem a mesma função restritiva em relação c) termos enumerados das linhas 19 a 21 referem-se à palavra todas ao vocábulo fé.( ) No último período do fragmento, há um expediente de coesão, a ( .19), exercendo a função de adjunto adnominal desse vocábulo. elipse, que retoma um termo facilmente depreendido do contexto. d) expressões destacadas em “o sabor de minhas águas, juninas e( ) Em “...a fé dos que colhem uvas e mangas em minhas margens” (l. seus fogos de artifícios” ( .23) exercem a mesma função sintática. 3 e 4) o vocábulo que tem como referente “os” e introduz uma oração com função adjetiva. Resolução Alternativa A( ) Em “...a fé dos que constroem...” (l. 1 e 2) o vocábulo fé possui um a) Correta. No sintagma deixai-me levar, o pronome átono “me” sentido passivo e em “...a fé que cria cabras...”, (l. 6 e 7) um exerce a função de sujeito do verbo levar, entendendo-se que o sujeito sentido ativo. de deixai é vós e que o sujeito de levar é me (eu).( ) Há, na linha 1, o uso da antítese que se repete em todos os outros b) Incorreta. Os termos sublinhados nesta opção exercem uma períodos. função circunstancial, mas o recurso expressivo não é a catacrese ea) F – F – V – F – V b) V – F – V – F – F sim a metáfora, uma vez que o trecho é de tal forma construído quec) V – V – F – V – F d) F – V – V – V – F “núpcias entre concertina [um tipo de sanfona] e o repente [estilo musical baseado no improviso] e entre a catira e o baião [dois ritmos Resolução Alternativa D musicais]” não podem ser considerados lugar-comum.I. Falsa. O segundo sintagma tem função restritiva em relação ao c) Incorreta. Os termos enumerados especificam o valor semântico dovocábulo fé (que é pronome relativo o qual retoma fé e a oração é termo todas, portanto aposto.subordinada adjetiva restritiva), contudo o primeiro tem função d) Incorreta. A expressão “de minhas águas” exerce a função derestritiva em relação a “os”, contraído com a preposição de (dos). complemento nominal do termo “sabor”; a expressão “de artifícios”, deII. Verdadeira. Em “Dos que colhem cajus e criam gado em Barreiras adjunto adnominal do núcleo fogos.e outros cafundós.” está implícito o sujeito “A fé”, facilmentedepreendido pelo recurso de repetição, utilizado em todo o fragmento.III. Verdadeira. O pronome relativo “que” retoma o “os” que está QUESTÃO 50contraído com a preposição “de” em “dos” e tem função adjetiva por No segundo fragmento do texto, é INCORRETO afirmar queintroduzir uma oração subordinada adjetiva restritiva. a) a expressão “os canhões abrindo fendas...” (l. 11) constitui umaIV. Verdadeira. Na primeira ocorrência, fé tem valor passivo pois a metonímia e a expressão “ferida da loucura” (l. 12 e 13), umaoração “dos que constroem” explicita que o sujeito indeterminado é o metáfora.agente da ação “construir”, e não a fé. Já na segunda ocorrência, fé b) o conectivo e nas linhas 12 e 13 tem valor adversativo e na linha 14,tem valor ativo pois o pronome relativo “que”, com função de sujeito da valor aditivo.oração “que cria cabras”, retoma o vocábulo “fé”, portanto, é ela a c) do enunciado “O bom senso dos conselheiros de encontro àagente do verbo “criar”. sanidade dos totalitários” (l. 10 e 11), pode-se inferir que o bom sensoV. Falsa. Define-se o período em cada ponto final do texto, e não há se contrapõe à insanidade.antítese (junção de termos opostos) nos últimos períodos do 1º d) nas expressões “emprego rarefeito” e “dignidade estuprada” (l. 15),fragmento. o uso de formas nominais possui valor passivo, no entanto, o agente da ação verbal é entrevisto no contexto. QUESTÃO 48Considerando o 2° fragmento do Texto VI, é correto afirmar que Resolução Alternativa Ba) refere-se apenas às questões históricas ocorridas em Canudos. a) Correta. A metonímia (relação de contigüidade entre doisb) o fragmento faz uma crítica social, política e histórica aos problemas elementos) de “os canhões abrindo fendas” se deve ao fato de nãovividos pela comunidade nordestina. serem os canhões os responsáveis diretos pela abertura das fendas,c) a responsabilidade de todos os problemas nele citados é mas as balas que saem de dentro dele. Já “ferida da loucura” é umaexclusivamente dos governantes. metáfora pois a loucura não possui, denotativamente (em sentidod) os pontos empregados poderiam ser substituídos por vírgulas e isso literal), feridas, mas tal expressão está empregada no sentidonão acarretaria nenhum prejuízo sintático ou semântico. conotativo (figurado). b) Incorreta. Em suas ocorrências nas linhas citadas, o “e” tem valor Resolução Alternativa B aditivo, ou seja, indica adição de idéias, e não oposição, como seriaa) Incorreta. Embora nos versos 11 e 12, o eu-lírico personifique (ou se tivesse valor adversativo. À idéia do canhão abrindo fendaseja, transforme em “seres animados”) os lugarejos Remanso, Casa acrescenta-se a da verdade expondo a ferida; ao confisco naNova, Sento Sé e Pilão Arcado ao dizer-lhes “adeus” e referir-se a eles poupança acrescenta-se o rombo na previdência; ao fim da inflação,como segunda pessoa do singular (tu): “vem o rio te engolir”, a acrescenta-se o fim do pão escasso.alternativa fala em personificação de todos os vilarejos, o que a torna c) Correta. A expressão “de encontro a” indica conflito, portanto, “bomincorreta, uma vez que o lugarejo Salto do Dobradinho não aparece senso” e “insanidade” contrapõem-se.personificado. Observação: É importante não confundir a expressão “de encontro a”,b) Incorreta. Há desvios em relação à norma padrão, o que pode ser que expressa idéias opostas, com a expressão “ao encontro de”, queexemplificado pela falta de pontuação ou elementos de coesão no indicaria uma relação de semelhança, por exemplo, “As idéias da mãeverso “tira gente põe represa” ou pela oralidade que ocorre no verso iam ao encontro das idéias da filha”, indicando que as idéias de ambas“dá no coração” e no verso “Diz que dia menos dia...”. são semelhantes. 6
  • 18. (19) 3251-1012 www.elitecampinas.com.br O ELITE RESOLVE AFA 2009 – PORTUGUÊSd) Correta. A forma nominal, nos dois casos, é o particípio, indicandopassividade (o agente da suposta ação não é “emprego” ou“dignidade”, ao contrário, tais elementos são depositários da ação). Oagente da ação verbal é percebido, embora elíptico por todo ofragmento, graças ao recurso da repetição, sendo o rio, eu-lírico daoração-poema, como se pode perceber pela leitura do período queintroduz o fragmento “(...) que eu leve a verdade de Canudos.”. Aexpressão “que eu leve” fica implícita na introdução dos períodossubseqüentes:Que eu leve “O bom senso dos conselheiros”; Que eu leve “Oscanhões abrindo fendas”; Que eu leve “O fim da inflação”. Com efeito,o rio levaria o fim do pão escasso, do emprego rarefeito e da“dignidade estuprada em cada lar de nordestinos.” 7

×