Jornal do

Coletivo Sindical da Copel
Senge-PR - Siemcel - Sindel - Sinefi - Sinel - Steem - Stiecp




ACT 2009/10: propo...
apenas uma parcela dos
                                                                                      copelianos.
 ...
CLÁUSULA 15.ª                           moral, com 3 representantes do em-       como argumento da empresa nas dis-
Políti...
Distribuição de reajustes salariais do Setor Elétrico,
                            em comparação com INPC-IBGE, em 2005 e ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Jornal Coletivo 9

961

Published on

Published in: Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
961
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Jornal Coletivo 9

  1. 1. Jornal do Coletivo Sindical da Copel Senge-PR - Siemcel - Sindel - Sinefi - Sinel - Steem - Stiecp ACT 2009/10: proposta da Copel deixa a desejar Além de trazer aumento e abono insuficientes, oferta da empresa também é discriminatória, pois concede reajuste de faixa apenas a alguns copelianos Os representantes do Co- letivo Sindical da Copel dis- cutiram com a empresa nos últimos dias 6 e 7 a pauta de reivindicações dos copelianos para o Acordo Coletivo de Trabalho 2009/ 10. Ao final das discussões, a Copel manteve a mesma proposta que havia formu- lado aos outros sindicatos. Na mesa de negociação, o Coletivo foi firme e dei- xou claro que a proposta da Copel não é condizente com as reivindicações e ne- cessidades dos copelianos, quinta-feira (8). Apesar das O Coletivo Sindical sem- e menos ainda com o resul- inúmeras sugestões do Cole- pre defendeu a implantação de tado das negociações de em- tivo, a direção da empresa se um plano de carreira adequa- presas do setor elétrico em manteve irredutível, alegando, do e devidamente aplicado. outros estados brasileiros. como sempre, ser a sua única No entanto, enquanto ele não Insatisfeito com a decisão “proposta possível”, e que a estiver em vigor, temos o de- da empresa, o Coletivo Sindi- solução para quase todos pro- ver de duvidar da sua eficá- cal exigiu reunião com o dire- blemas dos copelianos virá cia. Afinal, muitos PCCS tor de administração, Antonio com o novo PCCS - Plano de “maravilhosos” já passaram e Rycheta Arten, realizada na Carreira, Cargos e Salários. até hoje os problemas persis- Conheça o blog do Coletivo www.coletivocopel.org.br. Acesse e participe do nosso blog com suas opiniões. Jornal do Coletivo Sindical da Copel N.° 9 / 2009 - Senge-PR - Siemcel - Sindel - Sinefi - Sinel - Steem - Stiecp
  2. 2. apenas uma parcela dos copelianos. Os copelianos poderão opinar e avaliar a proposta nas assembleias que o Co- letivo Sindical irá realizar nos próximos dias. Confi- ra com seu Sindicato as datas e locais da votação. Compareça, faça-se ouvir, exija o que é seu direito! Nas páginas a seguir, veja detalhes do que foi discutido tem, por falta de vontade ad- tada pela Copel ruim, pois ofe- na mesa de negociação que ministrativa da empresa para rece valores de reajuste e abo- reuniu o Coletivo Sindical e a segui-los à risca. no aquém do esperado. Além Copel, além de análise eco- Assim, o Coletivo Sindical disso, é discriminatória, pois nômica da proposta a ser ava- considera a proposta apresen- concede reajuste de faixa a liada pelos copelianos. NEGOCIAÇÃO Comentários sobre alguns itens da pauta de reivindicações do Coletivo CLÁUSULA 2.ª INPC, são de 8,87%. O governo do metida para “até o final deste ano”. Garantia de emprego estado tem zerado perdas de diversas Apesar das ponderações dos sin- categorias de trabalhadores. Por que CLÁUSULA 7.ª na Copel é diferente? dicalistas de que o atual procedimento Indenização da empresa não permite ampla defesa compensatória (Abono) do trabalhador punido, o que ficou evi- CLÁUSULA 9.ª Em relação ao ano passado, o dente na recente questão da demissão Readequação salarial abono oferecido representa um re- do dirigente do Sindel, Paulo Ferreira ao mercado trocesso. No último acordo, foi de 1 Nunes, a Copel se recusou a revê-lo. CLÁUSULA 32.ª remuneração mais R$800,00. No que se refere à demissão de Reavaliação do PCCS aposentados e aposentáveis, a mudan- CLÁUSULA 10.ª ça de procedimento da empresa fica para os profissionais CLÁUSULA 35.ª Auxílio alimentação só no discurso, recusando-se a incluir Copel se nega a fornecer uma par- em acordo coletivo uma cláusula que Plano de carreira cela adicional – 13º – tal qual se prati- garanta emprego de quem está em vias CLÁUSULA 39ª ca em diversas empresas que inclusive de se aposentar. Tratamento de praticam valores mensais maiores. dirigentes sindicais CLÁUSULA 3.ª CLÁUSULA 11.ª quanto ao PCCS Reposição de perdas Copel remete todas essas questões Auxílio creche inflacionárias ao novo Plano de Carreira, compro- A empresa mantém a posição As perdas inflacionárias no perío- metendo-se a discuti-lo com os Sindi- discriminatória de não oferecer o benefí- do de 1995 a 2008, baseadas no catos antes de sua implantação, pro- cio aos empregados do sexo masculino. 2 N.° 9 / 2009 - Senge-PR - Siemcel - Sindel - Sinefi - Sinel - Steem - Stiecp
  3. 3. CLÁUSULA 15.ª moral, com 3 representantes do em- como argumento da empresa nas dis- Política educacional pregador, 3 dos empregados e 1 da cussões de 2008, a empresa não volta Copel informou em mesa que irá sociedade civil. atrás e continua a desrespeitar a lei rever toda a norma do Auxílio-Educa- 4950-A do piso dos engenheiros. ção, mas não garantiu um prazo. CLÁUSULA 36.ª Salário normativo CLÁUSULA 41.ª CLÁUSULA 33.ª dos engenheiros Desconto para custeio Combate ao Apesar de reconhecer a decisão ju- da campanha salarial assédio moral dicial que o salário mínimo pode ser A empresa repassará aos sindi- Copel informou que está em vias utilizado como indexador no caso do catos 1/30 do salário nominal dos de criar uma comissão paritária para adicional de insalubridade, se sobre- empregados representados por cada análise de denúncias sobre assédio pondo à decisão anterior utilizada um deles. ANÁLISE ECONÔMICA Para Dieese, proposta da Copel é insuficiente e empresa tem condições de avançar Veja a análise do economista Fabiano Camargo, da subseção do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Senge-PR texto das negociações entre traba- Proposta apresentada pela Copel para o ACT 2009/10 lhadores e empresas do setor elé- trico em anos anteriores. Em 2006 - Reajuste Salarial: INPC mais 0,50% de aumento real, e 2007, por exemplo, o aumento totalizando 4,97% e um estágio (1%) a mais para os empre- real médio situou-se no patamar de gados com salários de até R$ 2.500,00; 1,01% a 2,00%, enquanto a Copel - Indenização compensatória – abono: 1 remuneração concedeu reajustes reais abaixo de 1% nos dois anos. mais R$ 420,00; Este ano, a novidade da propos- - Benefícios (aux. alimentação, creche, educação, etc): ta é um estágio de 1% a mais no reajuste pelo INPC de 4,45%; reajuste salarial dos empregados - Adicional de férias: 1 remuneração do empregado, ga- com salários de até R$ 2.500. Por rantindo como pisos o valor de R$ 1.530,00, reajuste de 4,36%. outro lado, reduziu-se a parcela fixa do abono, que era de R$ 800 em 2008 e passou a R$ 420 este ano. O reajuste oferecido pela Copel Além disso, 43,8% das negociações Além disso, não é possível es- é inferior ao conseguido por traba- resultaram em ganhos reais que va- quecer que os trabalhadores da lhadores de seis empresas do setor riaram entre 0,01% e 1%, e 37,5% Copel acumulam uma perda sala- elétrico no Brasil. O balanço das ne- geram aumento real de 1,01% a 2%. rial histórica de 8,87%, além da gociações realizadas no Brasil no Por outro lado, 18,8% das ne- perda de quase nove remunerações primeiro semestre de 2009, estudo gociações no setor elétrico não pelo congelamento do Adicional elaborado pelo Dieese, mostra uma conseguiram repor a inflação. por Tempo de Serviço no ACT tendência onde a maioria (92,7%) Como curiosidade, em nenhuma 1998/1999. dos reajustes salariais conseguiram das negociações os trabalhadores Mesmo que tenha havido uma ao menos repor a inflação. obtiveram exatamente a reposição queda no lucro da Copel no 1.° No setor elétrico, em 2009 da inflação. semestre de 2009, os R$ 562 milhões 81,3% das negociações renderam Vale lembrar que é preciso co- são o terceiro maior dos últimos anos. ganhos reais aos trabalhadores. locar a proposta da Copel no con- Deve-se destacar que indicadores Jornal do Coletivo Sindical da Copel 3
  4. 4. Distribuição de reajustes salariais do Setor Elétrico, em comparação com INPC-IBGE, em 2005 e 2009 (até julho) Elaboração: DIEESE/ER-PR como ativo, patrimônio líquido e receita Entre outros fatores que poderiam to do consumo de energia no estado, operacional líquida tiveram aumento. favorecer positivamente a negociação além de a realização da negociação com Estimativas da própria empresa de- este ano, podemos citar o cenário eco- um menor patamar inflacionário, em monstram que o lucro de 2009 irá ficar nômico com perspectiva de aceleração 2008 o INPC foi de 7,04%, ante ape- novamente na casa de R$ 1 bilhão. do crescimento, favorecendo o aumen- nas 4,45% em 2009. ASSEMBLEIA GERAL Confira com seu sindicato as datas e locais das assembleias. Faça-se ouvir, exija seus direitos. Compareça! Vote! 4 N.° 9 / 2009 - Senge-PR - Siemcel - Sindel - Sinefi - Sinel - Steem - Stiecp

×