Microbacias Hidrográficas e sua Importância no Desenvolvimento Regional

2,173 views

Published on

I Conferência Estadual de Desenvolvimento Regional

Microbacias Hidrográficas e sua Importância no Desenvolvimento Regional

Eng. Agr. José Carlos Rossetti
Coordenador da CATI - SAA

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,173
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
91
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Microbacias Hidrográficas e sua Importância no Desenvolvimento Regional

  1. 1. I Conferência Estadual de Desenvolvimento Regional Microbacias Hidrográficas e suaImportância no Desenvolvimento Regional Eng. Agr. José Carlos Rossetti Coordenador da CATI - SAAGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  2. 2. Estamos sempre preocupados com o quevai acontecer, porque estamos quasesempre errados sobre o futuro. Alex Trotman Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  3. 3. MUDANÇAS CLIMÁTICAS Monte Kilimanjaro-Tanzânia-Àfrica Foto: AP – Março 2005Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  4. 4. SINAIS DE ALERTA Clique para editar o texto mestre Segundo nível Terceiro nível Quarto nível Quinto nívelGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  5. 5. que para editar o texto mestreundo nívelceiro nívelto nível Indaiatuba - SP – Maio 2005to nível Furacão Catarina Março 2004 Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento Seca – RS
  6. 6. Qual país da América Latina tem maior proporção depessoas sem acesso a água potável na zona rural?O Brasil. Em 1990, o índice brasileiro estava em55%, no mesmo patamar do mexicano (54%) edo equatoriano (54%). Mas nos 12 anosseguintes a taxa do Brasil subiu discretos trêspontos percentuais e chegou a 58% em 2002, apior da América Latina. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  7. 7. Município - Marinópolis Sítio Bom Retiro – poço semi-artesiano Sítio Três Barras – poço semi-artesiano Sítio Três Irmãos – poço cisterna Sítio Santa Luzia – poço cisterna Sítio Sato – poço semi-artesiano Sítio São José – poço cisternaO resultado das análises indica presença de coliformes totais eEscherichia coli, sendo esta água imprópria para o consumohumano sem prévia desinfecção. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  8. 8. Governo do Estado de São Paulo Lançamento de efluentes urbanos no Córrego das Três Barras - Marinópolis Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  9. 9. Depósito de lixo a céu aberto na microbacia do Rio da Onça – Monte Alto.Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  10. 10. No centro do desenvolvimento está a mudança domodo de pensar, e os indivíduos não podem serforçados a mudar sua maneira de pensar. Elespodem ser forçados a empreender determinadasações. Podem até mesmo ser forçados a proferiremdeterminadas palavras. Mas não podem serforçados a mudar suas mentes nem suas emoções.Louco e o cão Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  11. 11. MUNDO SEM FRONTEIRAS CIÊNCIA E TECNOLOGIAVida social de caráter autodestrutivo;Graves mudanças no meio ambiente em tempocurto, rápidas e violentas que spp não conseguem seadaptar e desaparecem.Mercado globalizado acelera produção de bens emprogressão geométrica transformando o planeta emum enorme depósito de lixo quente barulhento efedorento. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  12. 12. SOLUÇÕESNão são apenas de educação ambiental:São problemas econômicos, financeiros, políticos, sociais,culturais, de comunicação. Mas que, confinados numa suposta"área ambiental", criam a ilusão de que são apartados dorestante e podem ser resolvidos sem questionamentos naquelasoutras áreas.Mas exige também que o empresariado e a sociedade tratemessas questões com mais profundidade, num nível muito alémda simples preocupação.Produtor no vermelho não respeita o verde. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  13. 13. Um quilo de café precisa em todas as etapas, para serproduzido, de 20 mil litros de água; um hambúrguer, 11 millitros; uma camiseta de algodão, 7 mil litros; um quilo deaçúcar, 3 mil litros; um litro de leite, 2 mil; um quilo de trigo,mil litros.Muitos países reduzem sua produção e transferem paraoutros países abundantes em recursos hídricos (frutas, carne,grãos, papel...). “Comércio virtual de água” Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  14. 14. ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAISAs ameaças à sobrevivência da espécie humana estão nas mudançasclimáticas em curso e na insustentabilidade dos padrões globais de produçãoe consumo, já além da capacidade de reposição da biosfera terrestre.Índia - 21 milhões de agricultores dobraram em 20 anos a produção dealimentos para 200 milhões de pessoas, mas triplicaram o uso de águasubterrânea na irrigação.Água – 50 anos a 10m profundidade, hoje 400m.Índia, China e Paquistão, juntos, utilizam anualmente 400 quilômetroscúbicos de água subterrânea - o dobro do que é reposto por chuvas.(Washigton Novaes) Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  15. 15. O desenvolvimento representa uma transformação dasociedade. Não se restringe a ajustes técnicos.(aumento PIB, juros, fiscais...)Economias DUAIS, mais avançados coexistem comtecnologias PRIMITIVAS.Ex.: Sul da Itália - negocia com o Norte livremente –benefício políticas econômicas específicas. Norteprospera e o Sul permanece estagnado. Tem algo mais.Vale do Ribeira, Pontal Paranapanema/SP;Jequitinhonha/MG... Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  16. 16. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  17. 17. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  18. 18. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  19. 19. GRANDES TRANSFORMAÇÕESABERTURA COMERCIAL AMPLAESTABILIZAÇÃO MACROECONÔMICAREDUÇÃO DO PAPEL DO ESTADO NAAGRICULTURA (CIP, SUNAB,CFP...) Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  20. 20. QUANTOS ANIMAIS? Clique para editar o texto mestre Segundo nível Terceiro nível Quarto nível Quinto nívelGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  21. 21. DESAFIOSCOMO, QUE, QUANDO, ONDE PRODUZIR – DECISÃO DOMERCADO E NÃO DO PRODUTOR.Mundo econômico mudou, continuamos com modelos caducos,produtivistas e assistencialista.Mudar processos gerenciais, financeiros, pesquisa, assistência técnicae extensão rural,comunicação, comercialização...Treinamento e aprendizado contínuo é dever num mundo sobconstantes mudanças.Se você produzir o que quiser, o mercado pagará o que quisertambém. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  22. 22. ESTRATÉGIAEstratégia é definir um caminho a partir de onde estou, paraonde vou, definindo também como chegar lá com segurança.Paradigmas são limites ou limitações que nos impomos, a partirde crenças acerca daquilo que acreditamos ser absolutamentecerto, quando nos julgarmos mais ou menos “donos daverdade”.Grande revolução: produtores perderam o amor ao produto ecomeçaram a ter amor ao negócio, ao mercado e aos clientes.Vamos sair do “MUNDO DO CUSTO E DO PREÇO” e vamospassar para o “MUNDO DO VALOR”.Sucesso fora da fazenda para obter sucesso na fazenda. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  23. 23. Diagnóstico O Estado conta com uma área ocupada com pastagens: • 40% do total de terras cultiváveis; perto de 7,8 milhões de hectares; • Cerca de 20% delas (1,5 milhão de hectares) encontram-se fora do sistema produtivo; • Outras 60% (4,6 milhões de hectares) em estágios iniciais de degradação, com perspectivas de se ver agravada a situação, caso não sejam adotadas ações para a correção desta tendência. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  24. 24. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  25. 25. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  26. 26. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  27. 27. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  28. 28. Empobrecimento do Setor Rural Baixa rentabilidade das explorações:- Alto custo de produção ? Degradação dos Recursos Naturais: - Menor cobertura do solo- Baixa produtividade - Menos matéria orgânica - Erosão Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  29. 29. Microbacia Hidrográfica como Unidade de Planejamento Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  30. 30. Família Machado - Microbacia Hidrográfica Água do Caçador – Município de Itararé Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  31. 31. Diagnóstico e planejamento participativo AssistênciaBaixa rentabilidade técnica Extensão rural Degradação ambiental Alfabetizaçã Analfabetismo o de adultos Infra- Estradas intransitáveis estrutura de transporte Saneamento Roubo de equipamentos, básico animais, etc. Atendimento Dificuldade de acesso a serviços básico de saúde públicos: saúde, comunicação, transporte, lazer Estado de São Paulo Governo do Policiamento Secretaria de Agricultura e Abastecimento comunitário
  32. 32. Microbacia Hidrográficado Córrego do CavaloMunicípioSanta Albertina Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  33. 33. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento Fossa séptica – Mogi Mirim
  34. 34. EQUIPAMENTOS DE PLANTIO DIRETOGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  35. 35. Plantio Direto na Palha = conservação do soloGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  36. 36. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  37. 37. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  38. 38. Controle de Voçorocas Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  39. 39. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  40. 40. “Aprendendo com a Natureza” = conscientizando a futura geração Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento Escola Municipal Rural - Taquarituba
  41. 41. VIABILIDADE DA PECUÁRIA LEITEIRA EM PEQUENAS PROPRIEDADES1 – As práticas de manejo adotadas pelos produtores,permitiram aumentar em 130% a produtividade poranimal e um aumento espantoso na lotação dos pastos,passando de 0,8 para 8,5 animais/ha, refletindo numaaltíssima produtividade de 46,7 l/ha.2 – As técnicas utilizadas no manejo da pastagempermitiram a otimização da área das propriedades,facilitando a adoção das práticas de preservação dosrecursos naturais, como recuperação de matas ciliares. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  42. 42. Clique para editar o formato do texto da estrutura de tópicos 2.º Nível da estrutura de tópicos 3.º Nível da estrutura de tópicos 4.º Nível da estrutura de tópicos 5.º Nível da estrutura de tópicos 6.º Nível da estrutura de tópicos 7.º Nível da estrutura de tópicosGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  43. 43. Sítio Boa Vista - ElisiárioGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  44. 44. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  45. 45. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  46. 46. PARCERIAS¬ Aplicação de recursos do Fehidro em ações de recuperação e conservação dos recursos hídricos;¬ CONSEMA - aplicação eficiente de recursos de compensação ambiental da Usina Hidrelétrica de Três Irmãos (CESP);¬ Secretaria de Segurança Pública – Patrulha Comunitária Rural;¬ Sabesp - melhoria da qualidade do sistema de tratamento de esgoto municipal;¬ Secretaria de Meio Ambiente:¬ execução de ações de implantação de agricultura sustentável nas cabeceiras da Bacia do Rio Tietê, co-financiado pelo Ministério do Meio Ambiente/PNMA II;¬ parceiro na captação de US$ 7 milhões de recursos de doação do Fundo Mundial de Meio Ambiente (GEF), para o projeto de recuperação de matas ciliares no Estado. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  47. 47. Integração de Políticas Públicas Agricultura e Abastecimento Educação Meio Segurança Ambiente Pública Recursos Hídricos Transporte s Sabesp Saúde Itesp Comitês de CESP Baciasdo Estado de São Paulo Governo Secretaria de Agricultura e PrefeiturasHidrográficas Abastecimento Municipais
  48. 48. Planejamento Recuperação deÁreas Degradadas Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  49. 49. Objetivos Propor alternativas econômicas: • Reordenamento espacial em função da substituição de áreas marginais ocupadas pela cana e pela reinserção de áreas degradadas ao processo produtivo. Promover o desenvolvimento sustentável das cadeias produtivas: • Ações de boas práticas agrícolas, assistência técnica e extensão rural e de estratégias adequadas ao mercado. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  50. 50. JustificativaPotencialidades Limitações•Demanda crescente no consumo de •desconhecimento dasalimentos (classes emergentes) e demandas do mercadosurgimento de novos mercados; consumidor; •necessidade de suprir a• Alternância do interesse do produtorpara cadeias mais rentáveis; demanda no estado em detrimento da importação;•Eliminação de elos na cadeia de •deficiência de MO qualificada.comercialização, com reflexos naremuneração;•Criação de atrativos para estimular ovinculo do jovem à atividade rural;•Cenário de grande oferta de áreasdevolvidas pela cana. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  51. 51. RESULTADOS ESPERADOS Promover a reinserção de áreas degradadas no sistema produtivo; Atender as demandas crescentes e específicas do mercado consumidor e de Programas Governamentais; Permanência do produtor rural e seus descendentes no campo; Estimular o consumo local dos produtos; Promover a segurança alimentar e potencializar a produtividade, pela aplicação de Boas Práticas Agrícolas Melhoria da rentabilidade do negócio e da qualidade de vida do produtor rural. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  52. 52. CONCLUSÕES- Conservação dos recursos naturais é uma condição paraa vida;- Agricultura ocupa a maior extensão de área ondeencontram-se os recursos naturais;- Certificação de processos produtivos ecologicamentecorretos; Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  53. 53. CONCLUSÕES: - AGRICULTURA - setor que pode contribuir de forma efetiva para a produção de água com qualidade: • controle da erosão e proteção dos recursos hídricos; • permite a infiltração da água no solo; • abastecimento do lençol freático; • regularização das vazões das nascentes e rios; • redução da poluição do solo e água.Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  54. 54. CONCLUSÕES: - Agricultor que maneja corretamente sua propriedade contribui para a conservação dos recursos naturais; - Cumpre a função de provedor de água para toda a sociedade - Merece compensação pelo seu trabalho. - Participação efetivaGoverno do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  55. 55. “Muitas vezes um país percorre um longocaminho para voltar, cansado e ferido, ao ponto donde partiu.” Joaquim Nabuco Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  56. 56. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  57. 57. OBRIGADO EnGº AGRº JOsé CARlOs ROssEttI CAtI – COORDEnADOR COORDENADORIA@CATI.SP.GOV.BR (19)3743 3701Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Agricultura e Abastecimento

×