Your SlideShare is downloading. ×
0
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar

2,516

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,516
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas
  • 2. A Avaliação da BE: pressupostos <ul><li>Devemos questionar que impacto qualitativo tem a biblioteca nas atitudes, nos valores e no conhecimento dos nossos utilizadores. </li></ul><ul><li>Mais do que os serviços e o funcionamento, a biblioteca deve procurar desempenhar um papel estruturante na formação do conhecimento do aluno. </li></ul><ul><ul><li>O que somos? </li></ul></ul><ul><ul><li>O que queremos ser? </li></ul></ul>2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar
  • 3. O conceito de avaliação <ul><li>Abordagem essencialmente qualitativa </li></ul><ul><li>Entendida como processo e não algo ocasional/acidental </li></ul><ul><li>Indicadores de performance </li></ul><ul><ul><li>Envolve os utilizadores </li></ul></ul><ul><ul><li>Analisa processos e identifica os impactos </li></ul></ul><ul><ul><li>Permite ver o que está a ser bem feito e o que é preciso melhorar </li></ul></ul>2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar
  • 4. <ul><li>Não é uma ameaça, mas uma sim uma oportunidade </li></ul><ul><li>Instrumento de regulação e de melhoria contínua </li></ul><ul><li>Aliança entre prática e análise reflexiva </li></ul><ul><li>Processo de auto-responsabilização – Direcção da Escola/ Professores/ BE </li></ul><ul><li>Conduz à reflexão e origina a mudança; </li></ul><ul><li>Contribui para a afirmação e reconhecimento da BE </li></ul>O Modelo de Avaliação 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar
  • 5. Estrutura do Modelo: Domínios/ Subdomínios 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar Domínios/Subdomínios A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular B. Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade D. Gestão da BE A1. Articulação curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes C1. Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular D1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE A2. Desenvolvimento da Literacia da Informação C2. Projectos e Parcerias D2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D3. Gestão da Colecção
  • 6. Estrutura do Modelo: Subdomínios/ Indicadores 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar A1. Articulação curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento. A.1.2. Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas novas áreas curriculares não disciplinares (NAC). A.1.3. Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos Apoios Educativos. A.1.4. Integração da BE no Plano de Ocupação Plena dos Tempos Escolares (OPTE). A.1.5. Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo por base os seus recursos.
  • 7. Estrutura do Modelo: Indicadores, Factores Críticos, Evidências, Acções 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar Indicadores Factores Críticos de Sucesso Recolha de Evidências Acções para melhoria/Exemplos A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento. <ul><li>A BE colabora com os Departamentos Curriculares/Grupos Disciplinares no sentido de conhecer os diferentes currículos e programas de estudo e de se integrar nas suas planificações. </li></ul><ul><li>A BE colabora com os Conselhos de Docentes/Ano/Núcleo e/ou Turma com o objectivo de conhecer os diferentes projectos curriculares das turmas e de se envolver no planeamento das respectivas actividades, estratégias e recursos. </li></ul><ul><li>A utilização da BE é rentabilizada pelos docentes no âmbito da actividade lectiva. </li></ul><ul><li>Planificações dos Departamentos Curriculares/Grupos Disciplinares </li></ul><ul><li>Planificações dos Conselhos de Docentes/Ano/Núcleo </li></ul><ul><li>Projectos Curriculares das Turmas </li></ul><ul><li>Registos de reuniões/contactos </li></ul><ul><li>Promover a participação periódica da BE nas reuniões de planificação dos diferentes órgãos pedagógicos da Escola/Agrupamento. </li></ul><ul><li>Organizar acções informais de formação sobre a BE junto dos docentes. </li></ul><ul><li>Melhorar a comunicação entre a BE e os órgãos pedagógicos da Escola/Agrupamento no sentido de facilitar a actualização e adequação dos recursos às necessidades. </li></ul><ul><li>Apresentar aos docentes sugestões de trabalho conjunto em torno do tratamento de diferentes unidades de ensino ou temas. </li></ul><ul><li>Promover a integração de novos docentes no trabalho da BE. </li></ul>
  • 8. Estrutura do Modelo: Instrumentos de recolha de evidências <ul><li>Registos de Observação. </li></ul><ul><li>Questionários aos professores, alunos, pais/EEs. </li></ul><ul><li>Checklists. </li></ul><ul><li>Registos estatísticos. </li></ul><ul><li>Informação contida em documentação que rege e estrutura a vida da escola e da BE. </li></ul><ul><li>Planificações. </li></ul><ul><li>Análise de trabalhos dos alunos. </li></ul><ul><li>Registos de reuniões/ contactos. </li></ul><ul><li>Materiais de apoio produzidos e editados. </li></ul>2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar
  • 9. Estrutura do Modelo: Perfis de Desempenho 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar N í veis A.1. Articula ç ão Curricular da BE com as Estruturas Pedag ó gicas e os Docentes 4 Excelente <ul><li>A BE desenvolve um trabalho sistem á tico de coopera ç ão com todos os ó rgãos pedag ó gicos de gestão interm é dia da escola/agrupamento: </li></ul><ul><li>Departamentos/Grupos disciplinares; Conselhos de Docentes/de Ano ou de Turma.. </li></ul><ul><li>A BE colabora activamente com todos os docentes respons á veis pelas novas á reas curriculares não disciplinares: Á reas de Projecto; Estudo Acompanhado/ </li></ul><ul><li>Apoio ao Estudo e Forma ç ão C í vica. </li></ul><ul><li>A BE assegura uma importante actividade de suporte junto dos docentes respons á veis pelos Apoios Educativos. </li></ul><ul><li>A BE est á plenamente integrada, atrav é s da disponibiliza ç ão permanente de espa ç os, recursos e actividades, no Plano de Ocupa ç ão dos Tempos Escolares. </li></ul><ul><li>A BE apoia eficazmente a maioria dos docentes na concretiza ç ão das actividades curriculares desenvolvidas no seu espa ç o ou tendo por base os seus recursos. </li></ul><ul><li>A ocupa ç ão e utiliza ç ão de recursos da BE são fortemente rentabilizadas pelos docentes no âmbito da actividade lectiva. </li></ul><ul><li>A BE produz e difunde uma s é rie de bons materiais de apoio para as diferentes actividades. </li></ul>3 Bom <ul><li>A BE articula com alguma regularidade com diversos ó rgãos pedag ó gicos de gestão interm é dia da escola/agrupamento, com destaque dos Departamentos/ </li></ul><ul><li>Conselhos de Docentes. </li></ul><ul><li>A BE apoia os docentes respons á veis pelas novas á reas curriculares não disciplinares, sobretudo ao n í vel das Á reas de Projecto. </li></ul><ul><li>A BE apoia com alguma consistência os docentes respons á veis pelos Apoios Educativos. </li></ul><ul><li>A BE integra o Plano de Ocupa ç ão Plena dos Tempos Escolares, dando resposta sempre que solicitada à s necessidades da escola para actividades de </li></ul><ul><li>substitui ç ão na biblioteca. </li></ul><ul><li>A BE colabora com uma parte significativa dos docentes na concretiza ç ão das actividades curriculares desenvolvidas no seu espa ç o. </li></ul><ul><li>A ocupa ç ão e utiliza ç ão de recursos da BE são bem rentabilizadas pelos docentes no âmbito da actividade lectiva. </li></ul><ul><li>A BE produz e difunde alguns materiais de apoio para as diferentes actividades. </li></ul>2 Satisfat ó rio <ul><li>A BE coopera com alguns Departamentos ou participa nos Conselhos de Docentes/de Ano mas os reflexos deste trabalho nas pr á ticas estão ainda aqu é m </li></ul><ul><li>do pretendido numa parte das turmas </li></ul><ul><li>A BE apoia os docentes respons á veis pelas novas á reas curriculares não disciplinares. </li></ul><ul><li>A BE apoia, na medida da sua disponibilidade, os docentes respons á veis pelos Apoios Educativos. </li></ul><ul><li>A BE apoia o Plano de Ocupa ç ão Plena dos Tempos Escolares, dando pontualmente resposta em actividades de substitui ç ão na biblioteca. </li></ul><ul><li>A BE colabora com alguns docentes na concretiza ç ão das actividades curriculares desenvolvidas no seu espa ç o. </li></ul><ul><li>A ocupa ç ão e utiliza ç ão de recursos da BE são razoavelmente rentabilizadas pelos docentes no âmbito da actividade lectiva. </li></ul><ul><li>A BE produz alguns materiais de apoio para certas actividades. </li></ul>1 Fraco (A precisar de desenvolvimen-to urgente) <ul><li>A BE s ó coopera pontualmente com alguns ó rgãos pedag ó gicos de gestão interm é dia da escola/agrupamento. </li></ul><ul><li>A BE não costuma apoiar os docentes respons á veis pelas novas á reas curriculares não disciplinares. </li></ul><ul><li>A BE não desenvolve nenhum tipo de trabalho com os docentes respons á veis pelos Apoios Educativos. </li></ul><ul><li>A BE não integra o Plano de Ocupa ç ão Plena dos Tempos Escolares. </li></ul><ul><li>A BE colabora pouco com os docentes na concretiza ç ão das actividades curriculares. </li></ul><ul><li>A ocupa ç ão e utiliza ç ão de recursos da BE não são minimamente rentabilizadas pelos docentes no âmbito da actividade lectiva. </li></ul><ul><li>A BE não produz materiais de apoio. </li></ul>
  • 10. Relatório de Auto-Avaliação 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento. PEE Plano de Actividades da BE Questionário aos Professores (QP1) Registos de ocorrências Maior regularidade e amplitude na articulação com órgãos de gestão intermédia (Coordenador e directores de Turma; coordenação de projectos; Departamentos) A.1.5. Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo por base os seus recursos. Plano Anual de Actividades Registos de reuniões/contactos Materiais de apoio produzidos e disponibilizados Questionário aos Professores (QP1) Questionário aos alunos (QA1) Projecto “Intervenção documental” Articulação com docentes para apoio ao currículo O apoio aos docentes ainda não atinge percentagens bastante significativas e exige maior investimento na promoção de parcerias colaborativas.
  • 11. Motivo da escolha deste dom í nio: _________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ Quadro - Síntese 2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Domínio Seleccionado para avaliação – Quadro Síntese Indicador Nível obtido Acções para a melhoria Observações
  • 12. Etapas do processo <ul><li>Estabelecimento do Perfil da BE </li></ul><ul><li>Selecção do domínio e justificação </li></ul><ul><li>Divulgação à comunidade </li></ul><ul><li>Escolha da amostra e recolha de evidências </li></ul><ul><li>Tratamento da informação recolhida e identificação do perfil de desempenho </li></ul><ul><li>Registo da auto-avaliação </li></ul><ul><li>Apresentação dos resultados </li></ul><ul><li>Elaboração do Plano de melhoria </li></ul><ul><li>Recolha de novas evidências </li></ul>2009/2010 Escola Secundária José Belchior Viegas Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar

×