Your SlideShare is downloading. ×
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Pesonalidades que deixaram legado a humanidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Pesonalidades que deixaram legado a humanidade

410

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
410
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Martin Luther King, Jr. (1929–1968)Martin Luther King, Jr. foi um dos defensoresda mudança social não violenta maisconhecidos do século XX. Nascido em Atlanta,Georgia, as excepcionais habilidades deoratória e valentia pessoal de King atraíram aatenção nacional inicialmente em 1955 quandoele e outros ativistas dos direitos civis forampresos após liderar um boicote de umacompanhia de transportes de Montgomery,Alabama, por exigir que os não brancoscedessem os seus lugares aos brancos eficassem de pé ou sentados na parte de trás doautocarro. Ao longo da década seguinte, Kingescreveu, falou e organizou protestos emanifestações massivas não violentas parachamar a atenção para a discriminação racial epara exigir legislação de direitos civis para proteger os direitos dos afro–americanos. Em 1963em Birmingham, Alabama, King liderou manifestações massivas pacíficas às quais a forçapolicial branca se opôs com cães políciais e mangueiras de incêndio criando uma controvérsiaque gerou manchetes nos jornais de todo o mundo. As subsequentes manifestações massivas emmuitas comunidades culminaram com uma marcha que atraiu mais de 250 mil manifestantes aWashington, DC, onde King pronunciou o seu famoso discurso de “Eu tenho um sonho” em queimaginava um mundo em que as pessoas já não estivessem divididas por raça. Tão forte foi omovimento que King inspirou, que o Congresso promulgou a Lei dos Direitos Civis em 1964, omesmo ano em que ele foi distinguido com o Prémio Nobel da Paz. King, que recebeu a MedalhaPresidencial da Liberdade a título póstumo, é um ícone do movimento dos direitos civis. A suavida e o seu trabalho simbolizam a busca de igualdade e não discriminação que se encontram naessência do sonho americano — e humano.Mahatma Gandhi (1869—1948)Mohandas Karamchand Gandhi éamplamente reconhecido como um dosmaiores líderes políticos e espirituais doséculo XX. Honrado na Índia como o pai danação, foi pioneiro e praticou o princípio deSatyagraha — resistência à tirania atravésde desobediência civil massiva, nãoviolenta. Enquanto liderava campanhas anível nacional para mitigar a pobreza,expandir os direitos das mulheres, criarharmonia religiosa e étnica e eliminar asinjustiças do sistema de castas, Gandhiaplicou de forma suprema os princípios dadesobediência civil não violenta para libertara Índia do domínio estrangeiro. Ele foifrequentemente feito prisioneiro pelas suasações, às vezes durante anos, mas realizou o
  • 2. seu objectivo em 1947 quando a Índia adquiriu a sua independência da Grã–Bretanha. Devido àsua grandeza ele é chamado Mahatma, que significa “grande espírito”. Os líderes de direitoscivis desde Martin Luther King, Jr., a Nelson Mandela reconheceram Gandhi como fonte deinspiração na sua luta para conseguir direitos iguais para os seus povos.Eleanor Roosevelt (1884—1962)Como Presidente daComissão dos DireitosHumanos das NaçõesUnidas, EleanorRoosevelt foi a forçaimpulsora na criação dacarta de liberdades em1948 que sempre será oseu legado: ADeclaração Universaldos Direitos do Homem.Nascida em NovaIorque, Eleanor casou–secom o político emascensão, Franklin Delano Roosevelt, em 1905 e envolveu–se completamente no serviçopúblico. Quando chegaram à Casa Branca em 1933 como Presidente e Primeira–dama, ela jáestava profundamente envolvida em questões dos direitos humanos e de justiça social. Aocontinuar o seu trabalho em nome de todas as pessoas defendeu os direitos iguais para a mulher,afro–americanos, trabalhadores da era da depressão levando inspiração e atenção às suas causas.Corajosamente franca, apoiou publicamente Marian Anderson quando em 1939 se negou àcantora negra o uso da Sala da Constituição de Washington devido à sua raça. Rooseveltassegurou que, em vez disso, Anderson cantasse nas escadarias do Lincoln Memorial, criandouma imagem duradoura e inspiradora de valentia pessoal e direitos humanos.Em 1946, Roosevelt foi nomeada como delegada às Nações Unidas pelo Presidente HarryTruman que sucedeu na casa Branca depois da morte de Franklin Roosevelt em 1945. Comolíder da Comissão dos Direitos Humanos, ela foi decisiva na formulação da DeclaraçãoUniversal dos Direitos do Homem que apresentou à Assembleia Geral das Nações Unidas comestas palavras:“Encontramo–nos hoje no umbral de um grande evento tanto na vida das Nações Unidas comona vida da humanidade. Esta declaração pode converter–se na Magna Carta internacional paratodos os homens em todos os lugares.”Denominada “Primeira–dama do Mundo” pelo presidente Truman pelas suas realizaçõeshumanitárias ao longo de toda a sua vida, Roosevelt trabalhou até ao final da sua vida paraconseguir a aceitação e implementação dos direitos estabelecidos na Declaração. O legado dassuas palavras e do seu trabalho aparece nas constituições de grande número de nações e numcorpo de lei internacional em evolução que agora protege os direitos dos homens e das mulherespor todo o mundo.“Faça o que no seu coração achar que é correcto — já que será criticado de qualquer forma. Serácondenado se faz isso e será condenado se não faz isso.” — Eleanor Roosevelt
  • 3. Nelson Mandela (Nascido em 1918)Nelson Mandela, um dos símbolos dosdireitos humanos mais reconhecidos doséculo XX, é um homem cuja dedicaçãoàs liberdades do seu povo inspira osDefensores dos Direitos Humanos detodo o mundo. Nascido em Transkei,África do Sul, Mandela era filho de umchefe tribal, e obteve uma educaçãouniversitária com uma licenciatura emdireito. Em 1944 tornou–se membro doCongresso Nacional Africano (CNA) etrabalhou activamente para abolir aspolíticas do apartheid do PartidoNacional no poder. Ao ser julgado pelassuas ações, Mandela declarou: “Luteicontra a dominação branca e lutei contraa dominação negra. Tenho cultivado oideal de uma sociedade livre edemocrática na qual todas as pessoas vivem juntas em harmonia e com oportunidades iguais. Éum ideal que eu espero viver e alcançar. Mas se for preciso, é um ideal pelo qual estou preparadopara morrer.”Sentenciado a prisão perpétua, Mandela converteu–se num poderoso símbolo da resistência parao crescente movimento de antiapartheid, negando–se repetidamente a comprometer a sua posiçãopolítica para conseguir a liberdade. Finalmente libertado em Fevereiro de 1990, ele intensificou asua batalha contra a opressão para atingir os objectivos que ele e outros se propuseram alcançarquase quatro décadas antes. Em Maio de 1994 Mandela começou o seu mandato como primeiropresidente negro da África do Sul, um cargo que deteve até 1999. Presidiu à transição dogoverno de minorias e apartheid, tendo conquistado o respeito internacional pela sua defesa dareconciliação nacional e internacional. Uma celebração internacional da sua vida e novadedicação às suas metas de liberdade e igualdade foi realizada em 2008 no seu nonagésimoaniversário.“Se você fala a um homem numa língua que ele compreende, isso vai para a sua cabeça. Se lhefala na língua dele, isso vai ao seu coração.” Nelson MandelaNelson Mandela, um dos símbolos dos direitos humanos mais reconhecidos do século XX, é umhomem cuja dedicação às liberdades do seu povo inspira os Defensores dos Direitos Humanos detodo o mundo. Nascido em Transkei, África do Sul, Mandela era filho de um chefe tribal, eobteve uma educação universitária com uma licenciatura em direito. Em 1944 tornou–se membrodo Congresso Nacional Africano (CNA) e trabalhou activamente para abolir as políticas doapartheid do Partido Nacional no poder. Ao ser julgado pelas suas ações, Mandela declarou:“Lutei contra a dominação branca e lutei contra a dominação negra. Tenho cultivado o ideal deuma sociedade livre e democrática na qual todas as pessoas vivem juntas em harmonia e comoportunidades iguais. É um ideal que eu espero viver e alcançar. Mas se for preciso, é um idealpelo qual estou preparado para morrer.”Sentenciado a prisão perpétua, Mandela converteu–se num poderoso símbolo da resistência parao crescente movimento de antiapartheid, negando–se repetidamente a comprometer a sua posiçãopolítica para conseguir a liberdade. Finalmente libertado em Fevereiro de 1990, ele intensificou asua batalha contra a opressão para atingir os objectivos que ele e outros se propuseram alcançar
  • 4. quase quatro décadas antes. Em Maio de 1994 Mandela começou o seu mandato como primeiropresidente negro da África do Sul, um cargo que deteve até 1999. Presidiu à transição dogoverno de minorias e apartheid, tendo conquistado o respeito internacional pela sua defesa dareconciliação nacional e internacional. Uma celebração internacional da sua vida e novadedicação às suas metas de liberdade e igualdade foi realizada em 2008 no seu nonagésimoaniversário.“Se você fala a um homem numa língua que ele compreende, isso vai para a sua cabeça. Se lhefala na língua dele, isso vai ao seu coração.” Nelson MandelaIrmã Dulce - Maria Rita (Nascida em 1914)Para a freira Dulce, ajudar os pobres era como ajudar a Deus. Religiosa baiana beatificada.Ajudar ao próximo para ficar mais perto de Deus.Esse era um dos objetivos de Maria Rita de SouzaBrito Lopes Pontes. Filha do cirurgião dentista Dr.Augusto Lopes Pontes e Dulce Maria de SouzaBrito Lopes Pontes, Maria Rita nasceu em 26 demaio de 1914, na capital baiana. Como qualqueroutra criança gostava de brincar de bonecas e eralouca por futebol.Com a morte da mãe, com apenas 7 anos, vaimorar com as tias e aos 13 descobre a vocaçãoreligiosa. O primeiro contato com a pobreza foiquando acompanhou uma das tias em uma visita aos pobres no bairro do Tororó, em Salvador.Neste ano, 1927, Maria Rita cuidava dos doentes que batiam à sua porta na Rua daIndependência, no bairro de Nazaré. Era o início de uma trajetória de fé, caridade e perseverança.Estátua nas Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador(Foto: Danutta Rodrigues)Após formar-se na Escola Normal da Bahia comoprofessora, Maria Rita troca o uniforme estudantil pelohábito religioso das Irmãs Missionárias da ImaculadaConceição da Mãe de Deus. Em homenagem à mãe,recebe o nome de Irmã Dulce. Em 1935, a freira iniciaos trabalhos de assistência à comunidade carente dosAlagados, conjunto de palafitas localizado no bairro deItapagipe, em Salvador.Obstinada e com uma personalidade forte erevolucionária, Irmã Dulce fundou a primeiraorganização operária católica da Bahia, que passou aser chamada Círculo Operário da Bahia, além de terparticipado da criação de cinemas e do Serviço deAlimentação do Comerciário, que servia almoço apreços populares. No local conhecido como “Ilha dosRatos”, certa vez a freira solicitou a um banhista queestava de passagem que arrombasse uma das casas
  • 5. interditadas para abrigar um jovem doente de 15 anos. A partir daí a procura pela Santa dosPobres só iria aumentar.“Eu tenho tanta sorte de ter a conhecido não só em espírito, mas também toda a sua pessoa" -Gaetano Passarelli“Ela sempre foi para mim o maior exemplo de vida, desde pequena, pelas lições que ela mepassava de amar ao próximo e ajudar as pessoas. A responsabilidade de todos nós que aconhecemos é maior, pois ela deixou um grande exemplo de solidariedade, independente dareligião”, relata a jornalista Maria Rita Pontes, sobrinha de Irmã Dulce e diretora das ObrasSociais Irmã Dulce, OSID.LegadoO legado do Anjo Bom da Bahia, como ficou conhecida, começou a ser construído em 1949,quando, a partir de um galinheiro cedido pela Superiora do Convento Santo Antônio, Irmã Dulcecomeçou a atender aos doentes necessitados. “Uma obra considerada pelo Ministério da Saúde omaior complexo de saúde do Brasil que é 100% SUS, é muito difícil manter. Atendemos apopulação carente e fazemos exames de alta complexidade”, conta Maria Rita.“O que me chamava atenção em Irmã Dulce era a preocupação que ela tinha com o outro. Elapoderia estar cansada e era incapaz de transferir isso ao outro. Sempre procurava ouvir, ajudar,acompanhar. Ela sempre tinha um tempo para todos. Ela era um evangelho vivo”, define ajornalista.Onde tudo começou para as Obras Sociais(Foto: Danutta Rodrigues)À frente da OSID há 20 anos, a filha de DonaDulcinha, irmã do Anjo Bom da Bahia, tinhauma relação profunda com a tia. “Era como sefosse uma segunda mãe pra mim”, conta MariaRita, que fez uma biografia sobre a vida deIrmã Dulce, A Santa dos Pobres.LivrosIrmã Dulce foi pauta para muitos escritores.Sua rica história encantou autores brasileiros e italianos, como Gaetano Passarelli, especialistaem histórias de beatificação e autor do livro “Irmã Dulce: O Anjo bom da Bahia”.Santa em vida, Santa pós-mortem, Santa dos Pobres. No próximo dia 22 de maio, Irmã Dulceserá beatificada após um milagre ter sido reconhecido pela Igreja Católica. “Ela é um grandeexemplo para todos nós e que mostra que ser santo é uma coisa tão simples, tão fácil, basta que agente faça o bem, saiba ouvir e ajude ao próximo”, conclui Maria Rita Pontes.
  • 6. Maria da Penha Maia Fernandes (Nascida em 1945)Nascida em Fortaleza, Ceará, 1945, é umabiofarmacêutica brasileira que lutou para que seuagressor viesse a ser condenado. Com 67 anos e trêsfilhas, hoje ela é líder de movimentos de defesa dosdireitos das mulheres, vítima emblemática daviolência doméstica.Em 7 de agosto de 2006, foi sancionada pelo entãopresidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva a LeiMaria da Penha1 , na qual há aumento no rigor daspunições às agressões contra a mulher, quandoocorridas no ambiente doméstico ou familiar.Em 1983, seu marido, o professor colombiano Marco Antonio Heredia Viveros, tentou matá-laduas vezes. Na primeira vez atirou simulando um assalto, e na segunda tentou eletrocutá-la. Porconta das agressões sofridas, Penha ficou paraplégica. Nove anos depois, seu agressor foicondenado a oito anos de prisão. Por meio de recursos jurídicos, ficou preso por dois anos. Soltoem 2002, hoje está livre.O episódio chegou à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dosEstados Americanos (OEA) e foi considerado, pela primeira vez na história, um crime deviolência doméstica. Hoje, Penha é coordenadora de estudos da Associação de Estudos,Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência(APAVV), no Ceará. Ela esteve presente à cerimônia da sanção da lei brasileira que leva seunome, junto aos demais ministros e representantes do movimento feminista.A nova lei reconhece a gravidade dos casos de violência doméstica e retira dos juizados especiaiscriminais (que julgam crimes de menor potencial ofensivo) a competência para julgá-los. Emartigo publicado em 2003, a advogada Carmem Campos apontava os vários déficits desta práticajurídica, que, na maioria dos casos, gerava arquivamento massivo dos processos, insatisfação dasvítimas e banalização da violência doméstica.Zilda Arns Neumann (Nascida em 1935)Foi uma médica pediatra e sanitarista brasileira. Irmã de Dom PauloEvaristo Arns, foi também fundadora e coordenadora internacional daPastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa.Recebeu diversas menções especiais e títulos de cidadã honorária no país. Da mesma forma, àPastoral da Criança foram concedidos diversos prêmios pelo trabalho que vem sendodesenvolvido desde a sua fundação. Em 2012 numa seleção por um formato internacional,2 Arnsfoi eleita a 17° maior brasileira de todos os tempos.Nascimento: 25 de agosto de 1934, ForquilhinhaFalecimento: 12 de janeiro de 2010, Porto Príncipe, HaitiFiliação: Gabriel Arns, Helana ArnsIrmão: Paulo Evaristo Arns
  • 7. Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa(Nascida em 1908)Nasceu no Rio Negro, Paraná, 5 de dezembro de 1908 —São Paulo, 3 de março de 2011) foi uma poliglota brasileiraque prestou serviços ao Itamaraty, tornando-se a segundaesposa do escritor João Guimarães Rosa.1Aracy também é conhecida por ter seu nome escrito noJardim dos Justos entre as Nações, no Museu doHolocausto (Yad Vashem), em Israel, por ter ajudadomuitos judeus a entrarem ilegalmente no Brasil durante ogoverno de Getúlio Vargas. A homenagem foi prestada em8 de julho de 1982, ocasião em que também foihomenageado o embaixador Luiz Martins de Souza Dantas.Ela é uma das pessoas homenageadas também no Museu doHolocausto de Washington (EUA).Rui Barbosa (Nascido em 1935)Ruy Barbosa de Oliveira. Nasceu em Salvador, 5 denovembro de 1849 — Falesceu em Petrópolis, 1 de marçode 1923) foi um polímata brasileiro, tendo se destacadoprincipalmente como jurista, político, diplomata, escritor,filólogo, tradutor e orador.Um dos intelectuais mais brilhantes do seu tempo, foi umdos organizadores da República e coautor da constituiçãoda Primeira República juntamente com Prudente deMorais. Ruy Barbosa atuou na defesa do federalismo, doabolicionismo e na promoção dos direitos e garantiasindividuais. Primeiro Ministro da Fazenda do novoregime, sua breve e discutida gestão foi marcada pela crisedo encilhamento sob a proposição de reformasmodernizadoras da economia. Destacou-se, também, comojornalista e advogado.Foi deputado, senador, ministro. Em duas ocasiões, foi candidato à Presidência da República.Empreendeu a Campanha Civilista contra o candidato militar Hermes da Fonseca. Notávelorador e estudioso da língua portuguesa, foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras,sendo presidente entre 1908 e 1919.Como delegado do Brasil na II Conferência da Paz, em Haia (1907), notabilizou-se pela defesado princípio da igualdade dos estados. Sua atuação nessa conferência lhe rendeu o apelido de"O Águia de Haia". Teve papel decisivo na entrada do Brasil na Primeira Guerra Mundial. Já nofinal de sua vida, foi indicado para ser juiz da Corte Internacional de Haia, um cargo de enormeprestígio, que recusou.
  • 8. Joana D’Arc (Nascida em 1412)Joana dArc (em francês: Jeanne dArc;Domrémy-la-Pucelle, 6 de janeiro de 1412 —Ruão, 30 de maio de 1431), por vezes chamada dedonzela de Orléans, era filha de Jacques dArc eIsabelle Romée e é a santa padroeira da França efoi uma heroína da Guerra dos Cem Anos, durantea qual tomou partido pelos Armagnacs, na longaluta contra os borguinhões e seus aliados ingleses.Descendente de camponeses, gente modesta eanalfabeta, foi uma mártir francesa canonizada em1920, quase cinco séculos depois de ter sidoqueimada viva.Segundo a escritora Irène Kuhn, Joana dArc foiesquecida pela história até o século XIX,conhecido como o século do nacionalismo, o quepode confirmar as teorias de Ernest Gellner. IrèneKuhn escreveu: Foi apenas no século XIX que aFrança redescobriu esta personagem trágica.François Villon, nascido em 1431, no ano de sua morte, evoca sua lembrança na bela Ballade desdames du temps jadis ou seja, Balada das damas do tempo passado -Et Jeanne, la bonne LorraineQuAnglais brûlèrent à Rouen;Où sont-ils, où, Vierge souvraine?Mais où sont les neiges dantan?Antes aos fatos relacionados, Shakespeare tratou-a como uma bruxa; Voltaire escreveu umpoema satírico, ou pseudo-ensaio histórico, que a ridicularizava, intitulado «La Pucelled´Orléans» ou «A Donzela de Orléans»1Gravura de 1505Depois da Revolução Francesa, o partido monárquico reavivoua lembrança da boa lorena, que jamais desistiu do retorno dorei.Joana foi recuperada pelos profetas da «França eterna», emprimeiro lugar o grande historiador romântico Jules Michelet.Com o romantismo, o alemão Schiller fez dela a heroína da suapeça de teatro "Die Jungfrau von Orléans", publicada em 1801.Em 1870, quando a França foi derrotada pela Alemanha - queocupou a Alsácia e a Lorena - "Jeanne, a pequena pastora deDomrémy, um pouco ingênua, tornou-se a heroína dosentimento nacional". Republicanos e nacionalistas exaltaramaquela que deu sua vida pela pátria.
  • 9. Durante a primeira fase da Terceira República, no entanto, o culto a Joana dArc esteve associadoà direita monarquista, da qual era um dos símbolos, como o rei Henrique IV, sendo mal vistapelos republicanos.A Igreja Católica francesa propôs ao Papa Pio X sua beatificação, realizada em 1909, numperíodo dominado pela exaltação da nação e ao ódio ao estrangeiro, principalmente Inglaterra eAlemanha.O gesto do Papa inspirou-se no desejo de fazer a Igreja de França entrar em mais perfeito acordocom os dirigentes anticlericais da III República, mas só com a Primeira Guerra Mundial de 1914a 1918, Joana deixa de ser uma heroína da Direita. Segundo Irène Kuhn, a partir daí os "postaispatrióticos" mostram Jeanne à cabeça dos exércitos e monumentos seus aparecem comocogumelos por toda a França. O Parlamento francês estabelece uma festa nacional em sua honrano 2º domingo de maio.Em 9 de maio de 1920, cerca de 500 anos depois de sua morte, Joana dArc foi definitivamentereabilitada, sendo canonizada pelo Papa Bento XV - era a Santa Joana dArc. A canonizaçãotraduzia o desejo da Santa Sé de estender pontes para a França republicana, laica e nacionalista.Em 1922 foi declarada padroeira de França. Joana d´Arc permanece como testemunha demilagres que pode realizar uma pessoa, ainda que animada apenas pela energia de suasconvicções, mesmo adolescente, pastora e analfabeta,2 de modo que seu exemplo guarda umvalor universal.Brigitte Bardot (Nascida em 1934)Brigitte Anne-Marie Bardot (Paris, 28 deSetembro de 1934) é uma ex atriz francesa.Conhecida mundialmente por suas iniciais,BB, é considerada o grande símbolo sexualdos anos 50 e anos 1960. Tornou-se ativistados direitos animais, após se retirar domundo do entretenimento e se afastar da vidapública.Ícone de popularidade da década de 1960, foieleita pela revista americana TIME um doscem nomes mais influentes da história da moda. Brigitte Bardot se tornou mundialmenteconhecida em 1957, após protagonizar o polêmico filme E Deus Criou a Mulher, produzido peloseu então marido, Roger Vadim. Bardot chamava a atenção da intelectualidade francesa, Simonede Beauvoir, grande intelectual e escritora, a descreveu como "uma locomotiva da história dasmulheres", além de ter sido considerada a mulher mais livre do Pós-Guerra na França.Mesmo sem ganhar grandes prêmios no cinema, Brigitte causava histeria na imprensa mundial,era uma das poucas atrizes não americanas que recebiam grande atenção da imprensa dosEstados Unidos de sua época, e onde surgiu o termo "Bardot mania", para qualificar a adoraçãoque ela suscitava. Seu estilo natural, incorporado a uma mistura de ninfeta com femme fatale,juntamente com seus cabelos longos e loiros, tornaram-se mania entre as mulheres e influencioutodo o estilo e comportamento feminino das gerações das décadas de 1950 e 19604 .
  • 10. Em 1985 ela foi premiada com a Legião de Honra Francesa, mas causou polêmica ao recusar oprêmio.Durante as eleições presidenciais nos Estados Unidos de 2008, Brigitte Bardot novamenteganhou destaque nos noticiários internacionais após uma carta declarada em nome de suafundação para a candidata Republicana Sarah Palin, na qual criticava duramente a ex-governadora do Alasca por sua postura em relação ao aquecimento global, controle de armas e aexploração do petróleo na região, sem se preocupar com os ursos polares. Em sua declaração,Brigitte dizia que Sarah Palin era uma "grande irresponsável" e uma "desgraça para o meioambiente", e que desejava a derrota dos republicanos, já que o mundo sairia "ganhando" comisso.Princesa Isabel (Nascida em 1934)Princesa Isabel (1846-1921) foi regente do Império no Brasil. Filhade D. Pedro II, assinou a Lei do Ventre Livre e a Lei Áurea, queacabou com a escravidão n o Brasil. Segunda filha domperador D.Pedro II e da Imperatriz Tereza Cristina, nasceu noPalácio de São Cristóvão, Rio de Janeiro. Irmã da PrincesaLeopoldina. Isabel foi a última princesa do Império Brasileiro. Atuoucomo regente, por três vezes, quando o imperador Pedro II seausentou do País. Assinou a Lei do Ventre Livre, demitiu o ministroBarão de Cotegipe, em favor do Conselheiro João Alfredo, e em 13de maio de 1888, assinou a Lei Áurea, que proibia a escravidão noBrasil.A Princesa Isabel (1846-1921) nasceu no Palácio de São Cristóvão, Rio de Janeiro, no dia 29 dejulho de 1846. filha do Imperador Pedro II e da Imperatriz Tereza Cristina. Tornou-se a herdeirado trono, com a morte de seus dois irmãos. Sua irmã mais nova, Princesa Leopoldina foi suagrande companheira.Para a educação da futura imperadora e de sua irmã a princesa Leopoldina, D.Pedro II designoucomo sua primeira preceptora, a Condessa de Barral, filha do Embaixador Domingos Borges deBarros. Para elaborar o vasto e rígido programa de estudos, foram contratados diversos mestres,entre eles o Visconde de Pedra Branca. A princesa Isabel mostrava grande interesse pelo estudode ciências e de química. Desde cedo a princesa se preocupava com a educação no país.No dia 29 de julho de 1860, a princesa com 14 anos, obedecendo a Constituição, prestajuramento de "manter a religião católica, observar a constituição política do País e ser obedienteàs Leis e ao Imperador". Em 15 de outubro de 1864 a Princesa Isabel casa-se com o Conde DEu.No dia 29 de julho de 1871, conforme a Constituição Brasileira de 1824, a Princesa Isabel, aocompletar 25 anos, torna-se a primeira senadora do Brasil. Nesse mesmo ano D. Pedro viaja paraEuropa, D. Isabel assume a regência e no dia 28 de setembro de 1871 assina a Lei do Ventre-Livre.Em 15 de outubro de 1875, depois de onze anos, nasceu seu primeiro filho, o Príncipe D. Pedrode Alcântara, e em 26 de janeiro de 1878 nasceu seu segundo filho, D. Luís Maria Filipe. Seuterceiro filho D. Antônio Gastão Francisco nasceu na França, em 09 de agosto de 1881 e nomesmo ano a família voltou para o Brasil.
  • 11. A Princesa Isabel assume, pela segunda vez a regência, quando D. Pedro vai à Europa paratratamento de saúde. Nessa época a campanha abolicionista contava com o apoio de váriossetores da sociedade e o fim da escravidão era uma necessidade nacional. A princesa aliou-se aosmovimentos populares e aos partidários da abolição da escravatura. Eram tensas as relações doministro Barão de Cotegipe, que era a favor da escravidão, com a princesa. Para não adiar o fimda escravidão, a princesa assinou a demissão do Barão e nomeou o Conselheiro João Alfredopara o seu lugar. No dia 13 de maio de 1888, finalmente D. Isabel assinava a lei Áurea, quedizia: "A partir desta data ficam libertos todos os escravos do Brasil".No dia 15 de novembro de 1889 foi proclamada a República e no dia 17, D. Isabel seguiu, comtoda sua família, para o exílio. Ficou instalada no castelo da família do Conde DEu, naNormandia.Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e Bourbon,morreu no dia 14 de novembro de 1921. Seus restos mortais foram transladados em 6 de julho de1953 para o Rio de Janeiro, juntamente com os de seu marido, o Conde DEu, para o Mausoléuda Catedral de Petrópolis.Jacques-Yves Cousteau (Nascido em 1910)Jacques-Yves Cousteau foi um oficial da marinha francesa, documentarista, cineasta eoceanógrafo mundialmente conhecido por suas viagens de pesquisa, a bordo do Calypso.Jacques-Yves Cousteau (Saint André de Cubzac, 11 de Junho de 1910 — Paris, 25 de Junho de1997) foi um oficial da marinha francesa, documentarista, cineasta e oceanógrafo mundialmenteconhecido por suas viagens de pesquisa, a bordo do Calypso1 .Cousteau foi um dos inventores, juntamente com Émile Gagnan, do aqualung, o equipamento demergulho autônomo que substituiu os pesados escafandros, e também participou como piloto detestes da criação de aparelhos de ultra-som para levantamentos geológicos do relevo submarino ede equipamentos fotocinematográficos para trabalhos em grandes profundidades.Jacques Cousteau consquistou o Oscar em 1956 com o documentário O mundo silencioso,filmado no Mediterrâneo e no Mar Vermelho. Mas o próprio Cousteau confessa que, em seusprimeiros filmes, não tinha nenhum tipo de preocupação ecológica. No total, foram quatrolongas-metragens e setenta documentários para a televisão.Nascimento: 11 de junho de 1910, Saint-André-de-Cubzac,FrançaFalecimento: 25 de junho de 1997, Paris, FrançaFilhos: Jean-Michel Cousteau, Philippe Cousteau, DianeCousteau,Pierre-Yves CousteauPrêmios: Palma de Ouro, MaisCônjuge: Francine Cousteau (de 1991 a 1997), SimoneMelchior(de 1937 a 1990)Filiação: Élisabeth Cousteau, Dan
  • 12. Em 1965, Cousteau criou uma casa submarina onde seis pessoas viveram por um mês, a cemmetros de profundidade.Em 1990, o músico francês Jean Michel Jarre lançou um álbum em homenagem a seu 80ºaniversário, com o título Waiting For Cousteau.Charlie Chaplin (Nascido em 1889)Sir Charles Spencer Chaplin, KBE, mais conhecido como CharlieChaplin, foi um ator, diretor, produtor, humorista, empresário,escritor, comediante, dançarino, roteirista e músico britânico.Sir Charles Spencer Chaplin, KBE, mais conhecido como CharlieChaplin (Londres,3 16 de abril de 1889 — Corsier-sur-Vevey1 , 25 de dezembro de 1977), foium ator, diretor, produtor, humorista, empresário, escritor, comediante, dançarino, roteirista emúsico britânico. Chaplin foi um dos atores mais famosos da era do cinema mudo, notabilizadopelo uso de mímica e da comédia pastelão. É bastante conhecido pelos seus filmes O Imigrante,O Garoto, Em Busca do Ouro (este considerado por ele seu melhor filme), O Circo, Luzes daCidade, Tempos Modernos, O Grande Ditador, Luzes da Ribalta, Um Rei em Nova Iorque e ACondessa de Hong Kong.Influenciado pelo trabalho dos antecessores - o comediante francês Max Linder, Georges Méliès,D. W. Griffith Luís e Auguste Lumière - e compartilhando o trabalho com Douglas Fairbanks eMary Pickford, foi influenciado pela mímica, pantomima e o gênero pastelão e influenciou umaenorme equipe de comediantes e cineastas como Federico Fellini, Os Três Patetas, Peter Sellers,Milton Berle, Marcel Marceau, Jacques Tati, Rowan Atkinson, Johnny Depp, Michael Jackson,Harold Lloyd, Buster Keaton e outros diretores e comediantes. É considerado por alguns críticoso maior artista cinematográfico de todos os tempos, e um dos "pais do cinema", junto com osIrmãos Lumière, Georges Méliès e D.W. Griffith.Charlie Chaplin atuou, dirigiu, escreveu, produziu e financiou seus próprios filmes, sendofortemente influenciado por um antecessor, o comediante francês Max Linder, a quem dedicouum de seus filmes. Sua carreira no ramo do entretenimento durou mais de 75 anos, desde suasprimeiras atuações quando ainda era criança nos teatros do Reino Unido durante a Era Vitorianaquase até sua morte aos 88 anos de idade. Sua vida pública e privada abrangia adulação econtrovérsia. Juntamente com Mary Pickford, Douglas Fairbanks e D. W. Griffith, Chaplinfundou a United Artists em 1919.Seu principal e mais famoso personagem foi The Tramp, conhecido como Charlot na Europa eigualmente conhecido como Carlitos ou "O Vagabundo" no Brasil. Consiste em um andarilhopobretão que possui todas as maneiras refinadas e a dignidade de um cavalheiro (gentleman),usando um fraque preto esgarçado, calças e sapatos desgastados e mais largos que o seu número,Nascimento: 16 de abril de 1889, Walworth, Reino UnidoFalecimento: 25 de dezembro de 1977, Vevey, SuíçaFilhos: Geraldine Chaplin, Sydney Chaplin, Charles Chaplin, Jr.,MaisCônjuge: Oona ONeill (de 1943 a 1977), Mais
  • 13. um chapéu-coco ou cartola, uma bengala de bambu e - sua marca pessoal - um pequeno bigode-de-broxa.Foi também um talentoso jogador de xadrez e chegou a enfrentar o campeão estadunidenseSamuel Reshevsky.Em 2008, em uma resenha do livro Chaplin: A Life, Martin Sieff escreve: "Chaplin não foiapenas grande, ele foi gigantesco. Em 1915, ele estourou um mundo dilacerado pela guerratrazendo o dom da comédia, risos e alívio enquanto ele próprio estava se dividindo ao meio pelaPrimeira Guerra Mundial. Durante os próximos 25 anos, através da Grande Depressão e daascensão de Hitler, ele permaneceu no emprego. Ele foi maior do que qualquer um. Éduvidoso que algum outro indivíduo tenha dado mais entretenimento, prazere alívio para tantos seres humanos quando eles mais precisavam."Por sua inigualável contribuição ao desenvolvimento da sétima arte, Chaplin é o maishomenageado cineasta de todos os tempos, sendo ainda em vida condecorado pelos governosbritânico (Cavaleiro do Império Britânico) e francês (Légion d Honneur), pela Universidade deOxford (Doutor Honoris Causa) e pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dosEstados Unidos (Oscar especial pelo conjunto da obra, em 1972).Herbert José de Sousa (Nascido em 1935)Herbert José de Sousa, conhecido como Betinho,(Bocaiúva, 3 de novembro de 1935 — Rio de Janeiro, 9 deagosto de 1997) foi um sociólogo e ativista dos direitoshumanos brasileiro. Concebeu e dedicou-se ao projetoAção da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida.Concluiu seus estudos universitários em Sociologia, no anode 1962. Durante o governo de João Goulart assessorou oMEC, chefiou a Assessoria do Ministro Paulo de TarsoSantos, e defendeu as Reformas de base, sobretudo areforma agrária.Com o golpe militar, em 1964, mobilizou-se contra aditadura, sem nunca esquecer as causas sociais, porém. Com o aumento da repressão, foiobrigado a se exilar no Chile, em 1971. Lá assessorou Salvador Allende, até sua deposição em1973. Conseguiu escapar do golpe de Pinochet refugiando-se na embaixada panamenha.Posteriormente morou no Canadá e no México. Durante esse período foram reforçadas as suasconvicções sobre a democracia - que ele julgava ser incompatível com o sistema capitalista.Foi homenageado como "o irmão do Henfil" na canção "O bêbado e a equilibrista", de JoãoBosco e Aldir Blanc, gravada por Elis Regina - "Meu Brasil / que sonha com a volta do irmão doHenfil / de tanta gente que partiu…" - à época da Campanha pela Anistia aos presos e exiladospolíticos. Anistiado em 1979, voltou ao Brasil.Em 1981, junto com os economistas Carlos Afonso e Marcos Arruda, fundou o IBASE - InstitutoBrasileiro de Análises Sociais e Econômicas,1 e passou a se dedicar à luta pela reforma agrária,
  • 14. sendo um de seus principais articuladores. Nesse sentido conseguiu reunir, em 1990, milhares depessoas no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, em manifestação pela causa.Betinho também integrou as forças que resultaram no impeachment do Presidente da RepúblicaFernando Collor. Mas o projeto pelo qual se imortalizou foi, provavelmente, a Ação daCidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, movimento em favor dos pobres e excluídos.Doença e morteEm 1986 Betinho descobriu ter contraído o vírus da AIDS em uma das transfusões de sangue aque era obrigado a se submeter periodicamente devido à hemofilia. Em sua vida pública esse fatorepercutiu na criação de movimentos de defesa dos direitos dos portadores do vírus. Junto comoutros membros da sociedade civil, fundou e presidiu até a sua morte a Associação BrasileiraInterdisciplinar de AIDS. Dois dos seus irmãos, Henfil e Chico Mário, morreram em 1988 porconsequência da mesma doença. Mesmo assim, não deixou de ser ativo até o final de sua vida,dizendo que a sua condição de soropositivo o forçava a "comemorar a vida todas as manhãs".2Betinho morreu em 1997, já bastante debilitado pela AIDS. Deixou dois filhos: Daniel, filho doseu primeiro casamento com Irles Carvalho, e Henrique, filho do segundo casamento com MariaNakano, com quem viveu por 27 anos.Francisco da silva Xavier - Tiradentes (Nascido em 1746)Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes (Fazenda doPombal , batizado em 12 de novembro de 1746 — Rio deJaneiro, 21 de abril de 1792) foi um dentista, tropeiro,minerador, comerciante, militar e ativista político queatuou no Brasil colonial (1530-1815), maisespecificamente nas capitanias de Minas Gerais e Rio deJaneiro. No Brasil, é reconhecido como mártir daInconfidência Mineira, patrono cívico do Brasil, patronotambém das Polícias Militares dos Estados e heróinacional.O dia de sua execução, 21 de abril, é feriado nacional. Acidade mineira de Tiradentes, antiga Vila de São José doRio das Mortes, foi renomeada em sua homenagem.Negando a princípio sua participação, Tiradentes foi oúnico a, posteriormente, assumir toda a responsabilidadepela "inconfidência", inocentando seus companheiros.Presos, todos os inconfidentes aguardaram durante trêsanos pela finalização do processo. Alguns foramcondenados à morte e outros ao degredo; algumas horas depois, por carta de clemência de D.Maria I, todas as sentenças foram alteradas para degredo, à exceção apenas para Tiradentes, quecontinuou condenado à pena capital, porém não por morte cruel como previam as Ordenações doReino: Tiradentes foi enforcado.
  • 15. Madre Teresa de Calcutá (Nascida em 1910)ikipédiaNascimento: 26 de agosto de 1910, Skopje, República daMacedóniaFalecimento: 5 de setembro de 1997, Calcutá, ÍndiaAltura: 1,52 mFiliação: Dranafile Bojaxhiu, Nikollë BojaxhiuIrmãos: Lazar Bojaxhiu, Aga BojaxhiuPrêmios: Nobel da Paz, Bharat Ratna,Agnes Gonxha Bojaxhiu (Skopje, 26 de agosto de 1910 —Calcutá, 5 de setembro de 1997), conhecida mundialmente comoMadre Teresa de Calcutá ou Beata Teresa de Calcutá, M.C. foiuma missionária católica de etnia albanesa, nascida no ImpérioOtomano, na capital da atual República da Macedônia e naturalizada indiana, beatificada pelaIgreja Católica em 2003. Considerada, por alguns, a missionária do século XX, fundou acongregação "Missionárias da Caridade", tornando-se conhecida ainda em vida pelo cognome de"Santa das sarjetas".O reconhecimento do mundo pelo seu trabalho concretizou-se com o Prêmio Templeton, em1973, e com o Nobel da Paz, no dia 17 de outubro de 1979.Morreu em 1997 aos 87 anos, de ataque cardíaco, quando preparava um serviço religioso emmemória da Princesa Diana de Gales, sua grande amiga, que faleceu num acidente de automóvelem Paris. Tratado como um funeral de Estado, vários foram os representantes do mundo quequiseram estar presentes para prestar a sua homenagem. As televisões do mundo inteirotransmitiram ao vivo durante uma semana, os milhões que queriam vê-la no estádio Netaji.Encontra-se sepultada em Motherhouse Convent, Calcutá, Bengala Ocidental na Índia.3 No dia19 de outubro de 2003, o Papa João Paulo II beatificou Madre Teresa.O seu trabalho missionário continua através da irmã Nirmala, eleita no dia 13 de março de 1997como sua sucessora.Um de seus pensamentos era este: “Não usemos bombas nem armas para conquistar o mundo.Usemos o amor e a compaixão. A paz começa com um sorriso”. Criou as missionárias dacaridade, onde todas as freiras iriam ajudar não a ela, mas sim a todos os necessitados.
  • 16. Jesus Cristo (Nascido em 8-4 a.C)Jesus a.C. – 29-36? d.C, também chamadode Jesus de Nazaré, é a figura central docristianismo. Para a maioria dos cristãosJesus é Cristo, a encarnação de Deus e o"Filho de Deus", que teria sido enviado aomundo para salvar a humanidade.6 7 8Acreditam que foi crucificado, morto esepultado, desceu à mansão dos mortos,mas muitos estudiosos acreditam quedepois de morto, Jesus foi ao paraíso, poisfoi o que Ele disse em Lucas 23: 43 eressuscitou no terceiro dia (na Páscoa).4Para os adeptos do islamismo, Jesus éconhecido no idioma árabe como Isatransl. Īsā), Ibn Maryam ("Jesus, filho deMaria"). Os muçulmanos tratam-no comoum grande profeta e aguardam seu retornoantes do Juízo Final. Alguns segmentos dojudaísmo o consideram um profeta, outrosum apóstata.Para os cristãos os quatroevangelhos canónicos são a principal fontede informação sobre Jesus.Embora tenha pregado apenas em regiões próximas de onde nasceu, a província romana daJudeia, sua influência difundiu-se enormemente ao longo dos séculos após a sua morte, ajudandoa delinear o rumo da civilização ocidental.Os quatro evangelhos, apenas Mateus e Lucas dão relato da genealogia de Jesus.97 98 Estesrelatos são substancialmente diferentes.99 Várias explicações têm sido sugeridas e tornou-setradicional desde, pelo menos, 1490 pressupor que a genealogia dada por Lucas foi traçadaatravés de Maria e que a Mateus o faz através de José.100 Acadêmicos modernos geralmentevêem as genealogias como construções teológicas.101 Mais especificamente, sugere-se que asgenealogias tenham sido criadas com o objetivo de justificar o nascimento de uma criança comlinhagem real.102 103 104O mais antigo painel iconográfico do Cristo Pantocrator, datadodo século VI.Nome completo Jesus de NazaréNascimento 8-4? a.C.1Belém, Judeianota 1Morte 29-36? d.C.1Jerusalém, Judeianota 2Etnia JudeuProgenitores Mãe: MariaPai: José (adoptivo)Ocupação Carpinteiro, profetaitinerante e rabino
  • 17. De acordo com os evangelhos sinóticos, Jesus levou três dos seus apóstolos — Pedro, João eTiago — a um monte para orar. Enquanto lá estavam, Jesus foi transfigurado diante deles.Segundo o relato do evangelista Lucas, seu rosto brilhava como o sol e as suas roupasresplandeciam, então Elias e Moisés apareceram e conversavam com ele. Uma nuvem brilhanteos cercou, e uma voz vinda do céu disse: "Este é o meu Filho amado, de quem me comprazo, aele ouvi". Os evangelhos também afirmam que até o final de seu ministério, Jesus começou aalertar seus discípulos de sua morte e ressurreição futura.138 139

×