Your SlideShare is downloading. ×
I Reunião de Editores         Modelo SciELO no Movimento               de Open Access                              Carlos ...
Ponto de partida…O maior problema que hoje enfrentamosé que o mundo que temos nas nossascabeças, já não é o que temos deba...
3 Séculos de História         5 Janeiro                                   1665                                     6 de Ma...
Modelo SciELO – Open Access                                                                                               ...
Rede SciELO - Evolução     1997 - Projeto FAPESP-BIREME-Editores piloto com 10 revistas     1998 - SciELO Brasil          ...
Rede SciELO – Histórico      Scientific Electronic Library Online   Aumentar a visibilidade, acessibilidade e credibilida...
Edição Electrónica                                                                                      Fácil de elaborar ...
Padrões de Consumo e Comunicação                                                                    Infraestrutura económi...
O que significa Acesso Aberto?“Por acesso aberto à literatura científica, entende-sea sua livre disponibilidade na interne...
O que é um repositório?• Colecção de objectos digitais baseada na Web, de material  académico produzido pelos membros de u...
Objectivo do Acesso Aberto Maximizar o impacto dos documentos científicos… maximizando o acesso aos próprios documentos.  ...
Objectivo do Acesso Aberto segundo Stevan Harnard   • Melhorar o sistema de comunicação científica e facilitar o     acess...
Stevan Harnard: Acesso limitado: resultado da investigação limitado              Ciclo de impacto              começa:    ...
Harnard:        Através do auto-arquivo maximiza-se o acceso e o impacto da investigação              Ciclo de impacto    ...
Duas Vias para o Acesso Aberto•   Óptima (Gold): Publicar os artigos em revistas de acesso livre    sempre que existam rev...
Duas Vias para o Acesso Aberto: Como?                              Revisor  Autor                         Editor          ...
Acesso Aberto: Resultados   •   Journal Declaration of Indepedence comités científicos abandonam o       grupo editorial q...
www.SciELO.org                                      I Reunião de Editores – SciELO Portugal       | Carlos Lopes | SciELO ...
SciELO: Impacto na Comunidade Científica   •A plataforma SciELO tem links regulares com PubMed,   WoS, DOAJ, OCLC, WorldCa...
SciELO: Impacto na Comunidade Científica                                                                                  ...
Arquivos Abertos e Visibilidade Científica                                              Abstract:                  2.645  ...
Indicador: Latência da Citação                        (Citation Latency)                              B                   ...
Impacto: Medir, medir, medir…                                       I Reunião de Editores – SciELO Portugal        | Carlo...
SciELO adopta as Licenças da Creative Commons             SciELO adopta Creative Commons             para atribuição de ac...
B-on como integrador de recursos                                         I Reunião de Editores – SciELO Portugal          ...
Impacto: medir, medir, medir…                                        I Reunião de Editores – SciELO Portugal         | Car...
Para não concluir…                                    •A SciELO contribui para o desenvolvimento                          ...
Obrigado pela vossa atenção!                                                                            Questões?         ...
Anexo 1: Modelos de Publicação  As mudanças na  estrutura dos  sistemas de  comunicação  científica, serão  provavelmente ...
Anexo 2: Recuperação da informação (RCAAP)                                         I Reunião de Editores – SciELO Portugal...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Comunicação no 1ª encontro de editores de revistas científicas portuguesas_SCIELO PORTUGAL - carlos lopes_23 de novembro 2009_scielo

436

Published on

Comunicação scielo_i_editores_carlos lopes_23 de novembro 2009_Lisboa, Portugal

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
436
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Comunicação no 1ª encontro de editores de revistas científicas portuguesas_SCIELO PORTUGAL - carlos lopes_23 de novembro 2009_scielo"

  1. 1. I Reunião de Editores Modelo SciELO no Movimento de Open Access Carlos Lopes Instituto Superior de Psicologia Aplicada I 1ª Reunião de Editores – SciELO Portugal || Carlos Lopes | Lisboa, Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 |
  2. 2. Ponto de partida…O maior problema que hoje enfrentamosé que o mundo que temos nas nossascabeças, já não é o que temos debaixodos pés. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #2
  3. 3. 3 Séculos de História 5 Janeiro 1665 6 de Março Denis de Sallo Robert Oldenburg 3 I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #3
  4. 4. Modelo SciELO – Open Access SciELO insere as revistas latino-americanas no movimento de Open Access Fonte: Cartão virtual do International Seminar on Open Acces for Developing Countries, elaborado pela BIREME I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #4
  5. 5. Rede SciELO - Evolução 1997 - Projeto FAPESP-BIREME-Editores piloto com 10 revistas 1998 - SciELO Brasil Operação piloto SciELO Chile-CONICYT e editores 1999 - SciELO Chile 2000 - SciELO Salud Pública 2001 - SciELO Cuba Operação piloto SciELO Espanha Iniciativa em desenvolvimento SciELO Venezuela Iniciativa em desenvolvimento SciELO Costa Rica 2002 - Operación piloto SciELO Portugal 2003 - SciELO Espanha Iniciativa en desarrollo SciELO México 2004 - Operação piloto Uruguay Operação piloto Perú Iniciativa em desenvolvimento Colombia Operação piloto Argentina 2005 - SciELO Venezuela Iniciativa em desenvolvimento SciELO Perú Iniciativa em desenvolvimento SciELO Portugal Iniciativa em desenvolvimento SciELO Argentina Iniciativa em desenvolvimento SciELO Uruguay I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #5
  6. 6. Rede SciELO – Histórico Scientific Electronic Library Online  Aumentar a visibilidade, acessibilidade e credibilidade dos periódicos científicos de qualidade.  Publicação electrónica no modelo “Open Access”.  Estruturar uma base sólida de indicadores bibliométricos e cienciométricos (citações, índices de impacto) complementares aos do ISI-Thomson, para estudos da comunicação científica no ámbito nacional/internacional.  Promover o aperfeiçoamento da comunicação científica nos países em desenvolvimento, em particular dos países da América Latina e Caribe, extensível a Espanha e Portugal. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #6
  7. 7. Edição Electrónica Fácil de elaborar Multimedia Económica Fácil de armazenar Rápida distribuição Edição Electrónica Fácil de recuperarVirtual Interactiva Uso multidimensional Material adicional I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #9
  8. 8. Padrões de Consumo e Comunicação Infraestrutura económica Infraestrutura Industrial Edição Tradicional Infraestrctura comercial AUTOR Instituição Auto-edição EDITOR LEiTOR Redes de informação Edição Electrónica Competências informáticas I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #10
  9. 9. O que significa Acesso Aberto?“Por acesso aberto à literatura científica, entende-sea sua livre disponibilidade na internet, permitindo aqualquer utilizador a sua leitura, descarga, cópia,impressão, distribuição ou qualquer uso legal damesma, sem nenhuma barreira financeira, técnica oude qualquer tipo.A única restrição sobre a distribuição e reproduçãoseria dada aos autores através do controle sobre aintegridade do seu trabalho e o direito a ser citado ereconhecido pelo mesmo, adequadamente.”Fonte: Peter Suber (2008). Guide to the Open Access Movement. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #11
  10. 10. O que é um repositório?• Colecção de objectos digitais baseada na Web, de material académico produzido pelos membros de uma instituição (ou várias), com uma politica definida.• Cujas características mais importantes: – Auto-arquivo. O conteúdo é depositado pelo criador, proprietário ou uma terceira pessoa em seu nome – Interoperabilidade - metadados – compatibilidade com o protocolo OAI-PMH – Livre acesso – Preservação a longo prazo. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #12
  11. 11. Objectivo do Acesso Aberto Maximizar o impacto dos documentos científicos… maximizando o acesso aos próprios documentos. I Reunião de Editores – SciELO Portugal ||Carlos Lopes ||SciELO 2.0 ||Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau ||23 de Novembrode 2009 || #13 Carlos Lopes SciELO 2.0 Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau 23 de Novemro de 2009 #13
  12. 12. Objectivo do Acesso Aberto segundo Stevan Harnard • Melhorar o sistema de comunicação científica e facilitar o acesso. • Maximizar o impacto da investigação, maximizando o acesso à mesma através de auto-arquivo. Fonte: Harnad , Stevan; Carr, Les; Brody, Tim, and Oppenheim, Charles (2003). Mandated online RAE CVs linked to university eprint archives: Enhancing UK research impact and assessment . Ariadne. 34, 245-270. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #14
  13. 13. Stevan Harnard: Acesso limitado: resultado da investigação limitado Ciclo de impacto começa: Investigadores A investigação acaba escrevem o trabalho pre-arbitrado “Pre-Print” Envio à revista12-18 Meses “Pre-Print” revisto pelo Comité científico de revisores “Pre-Print” Revisto pelos autores do artigo Revisão, “Post-Print” Aceite, Certificado, Publicado pela revista (Harnad, 2005) Investigadores podem aceder ao “Post-Print” se a sua universidade tiver a assinatura da revista Novo ciclo de impacto: constrói-se nova I Reunião de Editores – SciELO Portugal Sobre a investigação. existente | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #15
  14. 14. Harnard: Através do auto-arquivo maximiza-se o acceso e o impacto da investigação Ciclo de impacto Investigadores começa: escrevem o trabalho Research is done pre-arbitrado Pre-Print é auto- “Pre-Print” arquivado no Repositório Institucional12-18 Meses Envio à revista Post-Print é auto- “Pre-Print” revisto pelo Comité arquivado no científico de revisores Repositório “Pre-Print” Revisto pelos Institucional autores do artigo. Revisão, “Post-Print” Aceite, Novos ciclos de Certificado, Publicado pela revista impacto: O impacto da investigação do auto- arquivo é maior (e mais rápido) porque o acesso é maximizado (e (Harnad, 2005) Investigadores podem aceder ao acelerado) “Post-Print” se a universidade tem uma assinatura da revista Fonte: Harnad, 2005 Novos ciclos de impacto: Constroi-se nova investigação. – SciELO Portugal I Reunião de Editores S/ a existente | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #16
  15. 15. Duas Vias para o Acesso Aberto• Óptima (Gold): Publicar os artigos em revistas de acesso livre sempre que existam revistas adequadas para o efeito (actualmente cerca de 1800, ≃ 7% (e.g., www.doaj.org e www.scielo.org).• Boa (Green): Publicar em revistas tradicionais e efectuar auto- arquivo em repositórios de acesso livre (e.g., www.rcaap.pt). Revistas de Acesso Aberto (Rota Dourada) Repositórios Temáticos e/ou Institucionais (Rota Verde) I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #17
  16. 16. Duas Vias para o Acesso Aberto: Como? Revisor Autor Editor Editorial Distribuidor Biblioteca Periódicos de Acesso Aberto Leitores Repositório Institucional e/ou Disciplinar I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #18
  17. 17. Acesso Aberto: Resultados • Journal Declaration of Indepedence comités científicos abandonam o grupo editorial que impunha umas duras condições para os autores. • Elsevier em 2004 modifica os acordos de direitos de autor face ao impacto da iniciativa do OA. • NATURE modifica os acordos permitindo o auto-arquivo pasados 6 meses da publicação. • Biomed Central incluiu 10% dos seus títulos em OA no Journal Citation Report (ISI/Thompson). • Elsevier anuncia SCOPUS um arquivo em OA con 14.000 títulos http://www.scopus.com. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #19
  18. 18. www.SciELO.org I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #20
  19. 19. SciELO: Impacto na Comunidade Científica •A plataforma SciELO tem links regulares com PubMed, WoS, DOAJ, OCLC, WorldCat, LoC e Lilacs. •Desde que o Google iniciou a indexação SciELO, o acesso aos artigos aumentou em 80%. Em 2006, SciELO surge entre as 10 principais fontes de respostas do Google Scholar. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #21
  20. 20. SciELO: Impacto na Comunidade Científica 5 publicações Brasileiras indexadas pela ISI nos últimos 5 anos e disponíveis na SciELO há dois anos, aumentaram o seu FI em um 132,7% Figura 1. Factor de impacto na Base ISI de revistas SciELO que estiveram indexadas nas Bases SciELO e JCR de 1998 a 2004. Fonte: Alonso et. al. (2003). Regional network raises profile local journals. Nature, 31(251), 471-472, I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #22
  21. 21. Arquivos Abertos e Visibilidade Científica Abstract: 2.645 PDF: 12.613 Estimou-se que a relação entre o número de ficheiros descarregados e as citações recebidas pelos documentos oscila entre 0,54 e 0,11% citações referentes ao número de ficheiros descarregados (downloads). No entanto só 10% dos autores têm pelo menos um artigo em OA. Fonte: Kurtz,Michael and Brody, Tim.“The impact loss to authors and research?”. En: Jacobs,N., (Ed) Open Access: Key Strategic, Technical and Economic Aspects.Oxford : Chandos, 2006 I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #23
  22. 22. Indicador: Latência da Citação (Citation Latency) B A cites B A Citation Latency = 13 Months 1999-04-01 2001-07-01 Fonte: Tim Brody (2008) I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #24
  23. 23. Impacto: Medir, medir, medir… I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #25
  24. 24. SciELO adopta as Licenças da Creative Commons SciELO adopta Creative Commons para atribuição de acesso e uso A adopção da licença padrão CC-BY-NC para todos os periódicos indexados na colecção, com opção para adopção da licença do tipo CC-BY, que é menos restritiva e compatível com o movimento de Acesso Aberto. A ideia da adoção de licenças Creative Commons é explicitar, de forma directa, pública e juridicamente válida, as liberdades que os utilizadores têm ao aceder a um artigo científico disponível em uma das colecções da Rede SciELO. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #26
  25. 25. B-on como integrador de recursos I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #27
  26. 26. Impacto: medir, medir, medir… I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novemro de 2009 | #28
  27. 27. Para não concluir… •A SciELO contribui para o desenvolvimento sustentável da Ciência. • A SciELO no quadro do movimento de Acesso Aberto, permite aumentar a visibilidade, o acesso, a utilização e o impacto dos resultados de investigação. •A SciELO permite acelerar e tornar mais eficiente o progresso da ciência. • A SciELO permite tal como os repositórios, melhorar a monitorização, avaliação e gestão da actividade científica. •Consciencialização da comunidade científica e dos editores de publicações científicas do papel desta plataforma - SciELO e do movimento do Acesso Aberto. I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #29
  28. 28. Obrigado pela vossa atenção! Questões? Carlos Lopes Clopes@ispa.pt I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #30
  29. 29. Anexo 1: Modelos de Publicação As mudanças na estrutura dos sistemas de comunicação científica, serão provavelmente mais evolucionários que revolucionários, e os novos sistemas coexistirão com o mais tradicional.Fonte: Kwasik & Fulda (2005) http://www.istl.org/05- summer/internet.html I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #31
  30. 30. Anexo 2: Recuperação da informação (RCAAP) I Reunião de Editores – SciELO Portugal | Carlos Lopes | SciELO 2.0 | Lisboa Centro Científico e Cultural de Macau | 23 de Novembro de 2009 | #32

×