Your SlideShare is downloading. ×
Instruções de coleta para exames laboratoriais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Instruções de coleta para exames laboratoriais

11,971
views

Published on

Instruções de coleta para exames laboratoriais

Instruções de coleta para exames laboratoriais

Published in: Education

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,971
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
341
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLINICAS NOSSA SENHORA DE LOURDES Farm. Bioquímica Daniela Carla Taparello
  • 2. Exames Laboratoriais  Os principais objetivos dos exames laboratoriais são: confirmar, estabelecer ou complementar o diagnóstico clínico;  Fornecem elementos para o prognóstico de determinadas doenças;  Medicina Preventiva;  Avaliar a eficácia de um tratamento.
  • 3. Exames Laboratoriais Para que o laboratório clínico possa oferecer respostas adequadas, é indispensável que o preparo do paciente e a coleta do material a ser examinado sejam realizados obedecendo-se determinadas regras, sem as quais toda a rotina laboratorial pode ser seriamente prejudicada ou mesmo inviabilizada.
  • 4. Fatores que interferem nos resultados  Técnica da coleta do material  Atividade física  Período de jejum  Alimentação  Administração de drogas  Fumo e bebida alcoólica  Diferentes fases do ciclo menstrual
  • 5. Instruções de Coleta  As instruções são dadas no momento em que o paciente chega ao balcão da recepção com a requisição de exames solicitada pelo médico.  A maioria dos erros ocorre porque o paciente não fez o preparo devido ou omitiu informações relevantes para a interpretação do exame.
  • 6. Coleta de sangue  Os exames laboratoriais, realizados com amostras de sangue, em sua maioria, necessitam que a coleta seja feita em jejum.  A coleta dura, em geral, de 1 a 5 minutos dependendo do exame.  Em algumas pessoas a punção (picada) da veia pode ser um pouco mais demorada dependendo das características de cada organismo.
  • 7. Coleta de sangue  Após o término da coleta, o local da punção deve ser comprimido de 2 a 4 minutos para evitar a formação de hematomas (manchas roxas de sangue).  Se o paciente tiver algum problema de coagulação ou estiver tomando algum medicamento anti-coagulante, o tempo de compressão deverá ser mais prolongado.
  • 8. Coleta de sangue  NECESSIDADE DE UMA NOVA COLETA: Em geral uma coleta é suficiente para realização de seu exame. Entretanto, em virtude de fatores que impossibilitem a análise adequada do material colhido, pode ser necessária a realização de uma nova coleta.
  • 9. Coleta de sangue  NECESSIDADE DE UMA NOVA COLETA: Se isso ocorrer você será imediatamente contactado(a) por nosso Laboratório para realizar uma nova coleta (sem qualquer custo adicional), e a entrega do resultado poderá ser adiada pelo período necessário ao processamento da nova amostra coletada.
  • 10. Coleta de sangue GLICEMIA DE JEJUM  Exame que mede o nível de açúcar no sangue no momento da coleta;  Utilizado no diagnóstico de hipoglicemia ou hiperglicemia; acompanhamento de diabetes.
  • 11. Coleta de sangue TESTE DE TOLERÂNCIA ORAL À GLICOSE (TTOG)  Indicado para o diagnóstico da diabetes quando houver resultados ambíguos de glicemia de jejum e para o diagnóstico de diabetes gestacional.
  • 12. Coleta de sangue GLICEMIA DE JEJUM E APÓS 75 GR = TTOG (Teste de Tolerância Oral à Glicose) GLICEMIA DE JEJUM INGERIR SOLUÇÃO DE GLICOSE 75 Gr GLICEMIA APÓS 2 HORAS
  • 13. Coleta de sangue CURVA GLICÊMICA É uma série de dosagens da glicose;  Ao todo são 5 coletas para medida da glicose; O médico pode solicitar para diagnosticar diabetes ou como acompanhamento de uma glicemia elevada.
  • 14. Coleta de sangue CURVA GLICÊMICA GLICEMIA DE JEJUM INGERIR SOLUÇÃO DE GLICOSE 75 Gr GLICEMIA 30 min GLICEMIA 60 min GLICEMIA 90 min GLICEMIA 120 min
  • 15. Coleta de sangue TTOG E CURVA GLICÊMICA  Não é permitida a ingestão de alimentos, chá, café ou álcool nos intervalos das coletas de sangue e deve-se permanecer em repouso e sem fumar até que o exame esteja terminado.
  • 16. Coleta de sangue GLICEMIA DE JEJUM E PÓS PRANDIAL Coletas devem ser realizadas no mesmo dia GLICEMIA DE JEJUM ALMOÇAR NORMALMENTE 2 HORAS APÓS GLICEMIA PÓS PRANDIAL
  • 17. Coleta de sangue GLICEMIA PÓS PRANDIAL    O paciente deverá marcar o horário do término da refeição; O sangue deverá ser colhido precisamente 2 horas após este horário; Durante este período, o paciente, não poderá ingerir nenhum tipo de alimento, principalmente doces. Somente água ou medicação de costume são permitidos.
  • 18. Coleta de sangue TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE (TTL)  1ª coleta = em jejum  Ingerir a solução de Lactose de 50 gr  2ª coleta = 30 minutos após a ingestão da solução.  3ª coleta = 60 minutos após a ingestão da solução.
  • 19. Coleta de sangue TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE (TTL)  O paciente não poderá fazer nenhuma atividade física, não fumar, não é permitido ingerir nenhum tipo de alimento, balas ou líquidos, exceto água, sem exagero;  Em alguns casos, pode ocorrer desconforto abdominal e/ou diarréia após o exame.
  • 20. Coleta de sangue  EXAMES COM JEJUM DE 12 a 14 HORAS: COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES (HDL – LDL) TRIGLICERÍDEOS
  • 21. Coleta de sangue COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES Jejum: Até 1 ano de idade: 3 horas; De 1 a 5 nos de idade: 6 horas; Acima de 5 anos de idade, jejum obrigatório de no mínimo 12 horas e no máximo de 14 horas.   “Acima de 16 horas liberação ácidos graxos e aumento do triglicerídeo.”
  • 22. Coleta de sangue  EXAMES COM JEJUM DE 8 a 12 HORAS: Ácido úrico, Amilase, TGO, TGP, GGT, Glicose, Curva Glicêmica, TTOG Creatinina, PSA, TSH.
  • 23. Coleta de sangue  JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO: Quando solicitados como urgentes pelo médico; Por exemplo: hemograma e coagulograma, dispensa o jejum alimentar; Porém, o ideal quando possível, é manter um Jejum Mínimo De 2 Horas Após A Ingestão De Alimentos.
  • 24. Coleta de sangue  CRIANÇAS MUITO PEQUENAS: O ideal é coletar o sangue antes da próxima mamada.
  • 25. Coleta de sangue CORTISOL (coleta às 8 horas) A coleta deve ser feita até duas horas após o horário habitual do cliente acordar, de preferência antes das 8:30 horas da manhã;  É necessário informar os medicamentos em uso dos últimos 30 dias, em especial os glicocorticóides. 
  • 26. Coleta de sangue PROLACTINA Repouso de 30 minutos. POOL PROLACTINA Repouso de 30 minutos e em seguida coletar 3 amostras com intervalos de 15 minutos.
  • 27. Coleta de sangue TSH  Exame para tireoidiana; avaliar  Preferencialmente horas da manhã. a função colher antes das 9
  • 28. Coleta de sangue TSH  Caso o indivíduo faça uso de hormônio tiroidiano (Euthyrox®, Puran T4®, Levoid® ou Synthroid®), a coleta tem de ser realizada antes da próxima dose ou, no mínimo, quatro horas após a ingestão do medicamento.
  • 29. Coleta de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico)  A dosagem de PSA é utilizada como: a) teste de triagem para detecção precoce de Câncer de Próstata; b)avaliação da resposta ao tratamento do Câncer de Próstata.  Jejum desejável de 8 horas.
  • 30. Coleta de sangue PSA Recomenda-se aguardar os prazos citados abaixo para coleta do material: 1. 2. 3. 4. 5. 6. Após Após Após Após Após Após relação sexual aguardar 2 dias; ultra-som transretal, aguardar 24 horas; toque retal aguardar 2 dias; biópsia de prostáta aguardar 4 semanas; massagem na próstata aguardar 4 semanas; exercícios pesados, aguardar 24 horas.
  • 31. EQU (Exame Qualitativo de Urina) Exame de urina simples. Dividido em três partes: 1. Análise macroscópica (aspecto, cor, volume) 2. Análise físico química – realizada com tiras reagentes 3. Análise do sedimento urinário no microscópio.
  • 32. Urocultura-Cultura da Urina  É o exame que identifica a presença de bactérias na urina.  A urina é semeada em meio propício a reprodução de bactérias, chamado meio de cultura. Caso a urina contenha bactérias, em 24 horas (em alguns casos 48 horas) será possível identificar a formação de colônias da bactéria. 
  • 33. Antibiograma  Após a bactéria ser identificada é realizado o teste de sensibilidade aos antibióticos – ANTIBIOGRAMA - é o ensaio que mede a resistência ou a suscpetibilidade da bactéria ao antibiótico testado. O antibiograma é incubado em estufa por mais 24 horas.
  • 34. MÉTODO DE COLETA - HOMENS
  • 35. MÉTODO DE COLETA- MULHERES
  • 36. Coleta de urina A NÃO REALIZAÇÃO DA ASSEPSIA PODE CAUSAR INTERFERÊNCIA NO RESULTADO DE SEU EXAME
  • 37. Coleta de urina  Preferencialmente da manhã;  Caso colher a 1ª urina não seja possível aguardar no mínimo 2 horas sem urinar para a coleta;
  • 38. Coleta de urina  Fazer a higiene da região genital com água e sabão; A amostra deve ser colhida em recipiente apropriado (ESTÉRIL) fornecido pelo Laboratório;  Colher 10 ml; no mínimo um volume de
  • 39. Coleta de urina  Desprezar o 1º jato urinário no vaso sanitário pois transporta células e secreções presentes na uretra, coletar o jato médio no frasco, e o jato final também deve ser descartado no vaso sanitário.
  • 40. Coleta de urina A amostra deve ser entregue num prazo máximo de 2 horas para análise. O Laboratório deve ser informado do uso de algum medicamento (ex: antibiótico e/ou antissépticos urinários)
  • 41. Coleta de urina  Mulheres menstruadas não devem efetuar a coleta até 3 dias após o término da menstruação.  O ideal é fazer o exame fora do período menstrual, contudo, nos casos de urgência a urina pode ser colhida tomando-se cuidado com a assepsia para tentar evitar que o sangue menstrual se misture à urina.
  • 42. Coleta de urina  Mulheres em uso de cremes e óvulos vaginais, devem adiar a coleta por 3 dias ou no caso de urgência fazer assepsia rigorosa, eliminando resíduos dos produtos.
  • 43. Coleta de urina UROCULTURA A coleta deverá ser realizada 3 dias após o término do uso do antibiótico  Evitar coletar em uso de antimicrobianos, salvo sob recomendação médica!
  • 44. Coleta de urina em crianças muito pequenas Colocar o coletor de urina infantil estéril após rigorosa higiene na criança.  Há troca de coletores e assepsia a cada 45 minutos.  Evitar amostras com contaminação de fezes.  Após a coleta retirar o coletor e encaminhar ao laboratório para análise sem demora na entrega.  Informar se faz uso de algum medicamento. 
  • 45. Coleta de urina de 24 horas A primeira micção(urina) da manhã deve ser desprezada, esvaziando a bexiga, dando-se início a coleta.  Recolher todas as micções seguintes, sem perdas, nas 24 horas seguintes, incluindo a primeira micção do dia seguinte.  Mulheres menstruadas não devem efetuar a coleta até 3 dias após o término da menstruação. 
  • 46. Coleta de urina de 24 horas  CLEARENCE DE CREATININA Deverá ser informado ao laboratório o peso e altura do paciente. Este deverá comparecer ao laboratório em jejum para colher sangue para dosagem de creatinina sangüínea.
  • 47. Coleta de urina AS AMOSTRAS DE URINA PODEM SER REJEITADAS POR: 1. Falta de identificação no recipiente da amostra; 2. Apresentar volume insuficiente; 3. Apresentar contaminação fecal ou vaginal; ou menstruação; 4. Demora na entrega da urina após a coleta;
  • 48. Coleta de urina AS AMOSTRAS DE URINA PODEM SER REJEITADAS POR: 5. Recipiente contaminado externamente. 6.Coleta em frasco não fornecido pelo Laboratório NESSES CASOS UMA NOVA AMOSTRA SERÁ SOLICITADA
  • 49. Coleta de Fezes A pessoa jejum. não  Recomenda-se precisa estar em a coleta em casa, em frasco apropriado fornecido pelo Laboratório, sem contaminação com urina ou água do vaso sanitário.
  • 50. Coleta de Fezes  Não contamine externamente o recipiente e não o preencha até a borda.  Recebidas de segunda à sexta- feira até às 15 horas.
  • 51. Coleta de Fezes EPF (EXAME PARASITOLÓGICO DE FEZES) Enviar ao laboratório até 2 horas após a coleta  Na impossibilidade conservá-la em geladeira por até 24 horas.  Não se deve usar laxantes ou supositórios.  Para coleta de 3 amostras: coletar em dias alternados. (Ex: segunda, quarta e sexta) 
  • 52. Coleta de Fezes COPROCULTURA (CULTURA DE FEZES)  Encaminhar ao laboratório as fezes no MESMO DIA em até 3 horas.  Se em uso de antibiótico esperar 7 dias após o término do medicamento para colher as fezes.
  • 53. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  As fezes devem ser encaminhadas no MESMO DIA.  Não é necessário dieta especial, utilizamos anticorpos monoclonais para detectar a hemoglobina humana.
  • 54. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  Não colher fezes sangramento local.  Evitar caso haja sangramento gengival.  Deve-se evitar a ingestão de bebida alcoólica nos 3 dias que antecedem o exame.
  • 55. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  O álcool é um irritante gástrico e sua ingestão em grande quantidade pode provocar sangramento no estômago.  Recomenda-se evitar uso de laxantes, contraste oral e alguns medicamentos como aspirina, corticóides e antiinflamatórios nos 3 dias que antecedem o exame.
  • 56. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  Aguardar 3 dias hemorroidários e cessado. após sangramentos menstruais terem  Informar ao Laboratório o uso de medicamentos, principalmente antiinflamatórios e aspirina.
  • 57. Coleta de Fezes AS AMOSTRAS DE FEZES PODEM SER REJEITADAS POR: 1. Falta de identificação no recipiente da amostra; 2. Entregues após às 15 horas ou no sábado; 3. Demora na entrega das fezes após a coleta; 4. Contaminação com urina ou com outros materiais;
  • 58. Coleta de Fezes AS AMOSTRAS DE FEZES PODEM SER REJEITADAS POR: 5. Recipiente contaminado externamente; 6.Recipiente preenchido com fezes até a borda; NESSES CASOS UMA NOVA AMOSTRA SERÁ SOLICITADA
  • 59. URINA E FEZES O bom desempenho de um exame depende de uma BOA COLETA e RAPIDEZ na entrega do material para análise.
  • 60. O que é jejum??  Ficar sem ingerir alimentos de qualquer tipo durante um determinado número de horas, dependendo do exame a ser realizado.
  • 61. Água quebra o jejum??  NÃO O paciente normalmente.  Evitar pode tomar água ingerir em excesso quando for fazer EQU (Exame Qualitativo de Urina) e UROCULTURA, ou TESTE DE GRAVIDEZ NA URINA.
  • 62. Jejum muito prolongado altera resultados de exames?  SIM  Para glicemia o jejum máximo é de 14 horas. As Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) para coleta de sangue venoso orientam que devem ser evitadas coletas de sangue após períodos muito prolongados de jejum acima de 16 horas, de maneira geral.
  • 63. A alimentação pode interferir nos resultados dos exames?  Sim, principalmente nos exames de triglicerídeos e também de colesterol os alimentos consumidos nos dias precedentes à coleta de sangue podem interferir nos resultados.  O jejum de 12 horas é imprescindível antes da coleta de sangue para exames de dosagem de triglicerídeos e frações do colesterol.
  • 64. Exercícios físicos interferem no exame?  SIM  Evitar fazer exercícios físicos muito cansativos ou prolongados antes da coleta de sangue.  Caso não for possível, ficar em repouso por pelo menos 30 MINUTOS antes de realizar sua coleta para que o metabolismo volte ao normal.
  • 65. Bebidas alcoólicas interferem no exame??  SIM  Causam interferência em exames de Triglicerídeos, de colesterol e GGT.  Evitar a ingestão de bebida alcoólica, por 3 dias antes da coleta.
  • 66. A ingestão de café é permitida antes da coleta?  NÃO A cafeína pode induzir a liberação de adrenalina, que, por sua vez, estimula pequena elevação da glicose e outros elementos no sangue.  Chimarrão também não é permitido.
  • 67. O fumo é permitido antes da coleta?  NÃO  Fumar compromete exames de agregação plaquetária e de curva glicêmica.  Nestes casos não fume no dia da coleta de seus exames.
  • 68. O paciente deve suspender os medicamentos antes da coleta de sangue?  NÃO  A suspensão de medicamentos somente pode ser autorizada pelo médico e seu uso deve ser mantido conforme orientação do mesmo. Alguns exames são realizados exatamente para avaliar o efeito do uso do medicamento. O paciente NUNCA poderá interromper voluntariamente o uso de medicamentos.
  • 69. INFORME SEMPRE O ATENDENTE SOBRE QUAISQUER MEDICAMENTOS QUE ESTEJA UTILIZANDO, POIS MUITOS PODEM INTERFERIR NOS RESULTADOS DOS SEUS EXAMES.
  • 70. Pode-se fazer exame de sangue com gripe, resfriado ou febre?  Alguns exames são solicitados exatamente porque a pessoa está com febre, para identificar sua causa.  Por outro lado, exames realizados para controle clínico ou para acompanhamento de doenças não associadas ao quadro febril, não devem ser realizados fora das condições normais de saúde, atividade física e alimentação.  Nesses casos consulte um médico antes de realizar o exame.
  • 71. O período do ciclo menstrual interfere nos resultados dos exames?  SIM.  Vários hormônios e outras substâncias no sangue apresentam variações durante este ciclo e a correta interpretação dos mesmos dependerá do conhecimento do dia do ciclo menstrual no qual o exame foi feito. Alguns exemplos destes são: estradiol, LH, FSH, 17 hidroxiprogesterona, etc.  Nesses casos a amostra deve ser colhida conforme solicitação médica (escrita ou verbal), dependendo do dia do ciclo.
  • 72. Quantos dias de atraso menstrual são necessários para realizar testes de gravidez?  Para a maioria das mulheres, uma semana após a relação em que possa ter ocorrido a fecundação já é suficiente para fornecer um resultado positivo no teste de gravidez a partir de amostra de sangue (betaHCG).  No exame de urina este tempo aumenta para uma semana de atraso menstrual.
  • 73. Por que quando se tira sangue, às vezes o local fica roxo?  A formação de hematoma é uma situação comum após punção de artérias e veias.  O hematoma origina-se do extravasamento do sangue para o tecido sob a pele, durante ou após a punção.  Caso a formação do hematoma seja identificada durante a punção deve-se fazer compressão local durante pelo menos dois minutos.
  • 74. Por que quando se tira sangue, às vezes o local fica roxo?  Compressas frias podem ser utilizadas por 24 horas para auxiliar a reduzir a dor local e a progressão do hematoma.  O procedimento de dobrar o braço após a retirada da agulha e/ou carregar objetos relativamente pesados logo após a coleta, contribuem sobremaneira para a formação do hematoma mesmo após uma coleta de sangue bem sucedida.
  • 75. Por que quando se tira sangue, às vezes o local fica roxo?  Ele pode ocorrer em determinadas situações, tais como: *veias finas, delicadas, com muita pressão, *falta de boa compressão no local da punção, *e também o paciente usando algum medicamento que altera a coagulação do sangue, ex. Aspirina.
  • 76. Informações Importantes:  Os valores dos testes de laboratório sofrem influência de estados fisiológicos, patológicos, uso de medicamentos e coleta.
  • 77. Informações Importantes:  Mudanças radicais na dieta, ingestão alcoólica, exercícios físicos, sono e outros na véspera de exames laboratoriais, podem prejudicar o resultado dos mesmos.
  • 78. Informações Importantes:  Informe ao Laboratório todos os medicamentos que usa, mesmo os mais banais. Para auxiliar, leve com você as receitas médicas ou as embalagens.
  • 79. Informações Importantes: A correta interpretação dos resultados de qualquer exame laboratorial depende de outras informações que só o seu médico possui. Quaisquer dúvidas em relação aos resultados devem ser esclarecidas com o médico solicitante dos exames.
  • 80. Informações Importantes:  Não utilize recipiente diferente dos padronizados. O Laboratório fornece recipientes indicados para coleta de urina e fezes.  Quando em dúvida não faça a coleta do material, entre em contato com o Laboratório para esclarecer suas dúvidas.  A qualidade dos exames depende preparo, transporte e conservação material. do do
  • 81. Só será possível retirar o laudo com o comprovante de retirada fornecido pelo laboratório no momento da coleta. Na falta do comprovante original, (ex: perda, extravio) o paciente tem que apresentar documento de identidade.
  • 82. Na COLETA DOMICILIAR o comprovante de retirada é levado pela coletadora e entregue ao paciente e/ou responsável
  • 83. Lembramos que esta burocracia é necessária para que seja mantido a SEGURANÇA e CONFIDENCIALIDADE do laudo.
  • 84. Referências Bibliográficas  Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia/Medicina Laboratorial para coleta de Sangue Venoso.  Garantia da Qualidade no Laboratório Clínico – Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ)  Laboratório Hermes Pardini – Manual de Coleta  Dúvidas frequentes Hermes Pardini.Disponível em: http://www3.hermespardini.com.br/pagina/99/perguntasfrequentes.aspx  Dúvidas frequentes Hospital São Lucas: http://www.laboratoriosaolucas.com.br/coleta.php  Apolo Laboratório de Análises. Disponível em: http://www.laboratorioapolo.com.br/instrucoes-de-coleta/
  • 85. Referências Bibliográficas  Bioanálise Laboratório de Análises Clínicas. Disponível em: http://www.bioanalisepva.com.br/documentos/instrucoes_de_coleta .html  Laboratório Central. Disponível em: http://www.laboratoriocentral.com.br/wp/exames-femininos/  Laboratório Fleming. Disponível em: http://www.fleminglab.com.br/duvidas/duvidas.html  Laboratório Bioclínico. Disponível em: http://bioclinico.med.br/index.php? searchword=glicose&ordering=&searchphrase=all&option=com_sea rch  Laboratório Santa Cecília. Disponível em: http://www.labsantacecilia.com.br/exames_intrucoes_coleta/instruc oes_coleta.pdf  Laboratório Analisa. Disponível em: http://www.laboratorioanalisa.com.br/index.php