Ginástica acrobática
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ginástica acrobática

on

  • 5,531 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,531
Views on SlideShare
5,531
Embed Views
0

Actions

Likes
3
Downloads
71
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ginástica acrobática Ginástica acrobática Document Transcript

  • Ginástica acrobática Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma écitada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009) Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário. Ginástica acrobrática Ginástica acrobática desenvolvida em grande parte do século VII, devido à criação do circo. Mas, como esporte, essa modalidade da ginástica é relativamente jovem. As primeiras competições mundiais datam de 1973 e em comparação a ginástica artística e rítmica, uma nova modalidade da Federação Internacional de Ginástica (em francês: Fédération Internationale de Gymnastique) - que atende pela sigla FIG - e tem como principais características a execução de exercícios que exigem força, agilidade e equilíbrio. Índice [esconder] 1 Características gerais 2 Descrição e provas o 2.1 Provas 3 Categorias e níveis o 3.1 Categorias 4 Ligações externas Características gerais[editar] Esta disciplina requer por parte do ginasta coragem, força, coordenação , flexibilidade eEquilíbrio, além das exigências técnicas
  • de salto. Suas rotinas são executadas com acompanhamento musical e requerem expressão e movimentos do corpo perfeitamente sincronizados com a música. Descrição e provas[editar] O que se pode identificar em uma apresentação de ginástica acrobática são figuras, lançamentos e diagonais. Figuras: Movimentos em que um ginasta sustenta o outro formando figuras. Eles tem que permanecer em uma posição fixa por cerca de 4 segundos, ou noutro dos casos, exercícios de dinâmicos Lançamentos: Um dos ginastas (o volante) é lançado para o alto por outro, um, dois (ou três) ginastas (o base, ou em caso de trio também existirá a intermédia). Provas[editar] As séries (rotinas) são executadas num tablado de 12x12 metros, semelhante ao de modalidade artística. Os acrobatas em grupo devem executar quatro séries: uma de Equilíbrio, uma Dinâmica, uma Combinada e uma de Agilidade. As séries dinâmicas são mais ativas e com elementos de lançamentos com vôos dos ginastas. As séries de equilíbrio valorizam os exercícios estáticos e de força. Para os níveis de elite, a terceira série é uma combinação das duas anteriores. Todas são executadas coreografadas de acordo com a música, que dão dinâmica.
  • É a mais nova modalidade da FIG e é caracterizada pala execução de exercícios de força, equilíbrio, flexibilidade e agilidade. É um esporte bonito, dinâmico e espetacular para homens e mulheres. Engloba muitos movimentos de solo da ginástica artística em suas series, movimentos rítmicos que ligam os exercícios dinâmicos, estáticos e individuais. Dividida em 05 Categorias: 1. Dupla mista 2. Dupla Feminina 3. Dupla Masculina 4. Grupo Feminino (03 integrantes) 5. Grupo Masculino(04 integrantes) História A acrobacia foi desenvolvida em grande parte do século VII, devido à criação do circo. Mas, como esporte, essa modalidade da ginástica é relativamente jovem. As primeiras competições mundiais datam de 1973 – quando foi fundada a Federação Internacional de Esportes Acrobáticos(IFSA) – faz parte do programa dos Jogos Mundiais (competições organizadas pelo ComitÊ Olímpico Internacional um ano após das Olimpíadas). Em 1998, a IFSA se fundiu com a Federação Internacional de Ginástica (FIG). Com isso, espera-se,que os Ginástica Acrobáticos possam logo fazer parte do programa dos Jogos Olímpicos. Informações técnicas A Ginástica Acrobática engloba em suas rotinas diversos movimentos de solo da Ginástica Artística; os movimentos isolados (a acrobacia em si) são basicamente compostos por mortais, muitos deles impulsionados pelos parceiros (exercícios dinâmicos), por equilíbrios e força (exercícios estáticos) e por exercícios individuais(saltos, giros, equilíbrios e etc). É um esporte dinâmico. Desenvolve em seus participantes – homens e mulheres de todas as idades – coragem, força, coordenação motora, flexibilidade, habilidades de saltos e equilíbrio. Os acrobatas executam rotinas com a cabeça, mãos e pés dos seus parceiros, criando um esporte belo e, ao mesmo tempo, intrigante. As rotinas são apresentadas em um tablado de 12x12 metros e acompanhadas por música e coreografia. As séries são executada dentro de no Maximo 2 minutos e 30 segundos. Isso ajuda a enriquecer o movimento de corpo e cultura musical dos ginastas. A Ginástica Acrobática, por ter como principal característica a apresentação em par e grupo, requer um alto grau de confiança e cooperação entre os seus participantes. O nível técnico das competições, em praticamente todas as categorias, é bastante elevado. Devido a isso, os ginastas acrobáticos treinam no mínimo 3 horas por dia e 5 vezes por semana. Composição dos pares e grupos Nas Duplas temos o volante e o base. O volante executa os equilíbrios e os mortais e o base sustenta os equilíbrios e lançamentos do volante partindo de posições diferentes. Nos Trios temos o volante, o intermediário e o base. O volante executa os equilíbrios e os mortais, o intermediário sustenta o volante junto com o base nos equilíbrios e ajuda o base a lançar o volante nos
  • mortais. Os intermédios também podem atuar junto com o base auxiliando-o, passa neste caso a ser “base” também. No Quarteto temos um volante, dois intermediários e o base, O volante executa os equilíbrios e os mortais, os intermediários sustentam o volante junto com o base nos equilíbrios e ajudam o base a lançar o volante nos mortais. O intermediário também pode ser lançado para um mortal junto com o volante. Nos pares mistos, o base é o elemento masculino e o volante é o elemento feminino. Nos trios todos os elementos são femininos. Nos quartetos todos os elementos são masculinos. (*) Rotina = sequência de movimentos e exercícios apresentados em um determinado espaço de tempo. História A Ginástica Acrobática é um esporte bonito, dinâmico e espetacular para homens e mulheres. O esporte desenvolve coragem, força, coordenação, flexibilidade, habilidades de saltos, destreza, entre outros. Acrobatas em grupos de dois, três e quatro executam rotinas com as cabeças, mãos e pés dos seus parceiros. Ginástica Acrobática (Esportes Acrobáticos) é o nome oficial do esporte, porém, ela é freqüentemente chamada de Acrobacia. E embora a Acrobacia fosse largamente desenvolvida no século VII devido a criação do circo, ela como um Esporte é relativamente jovem. As primeiras competições mundiais datam de 1973, e faz parte do programa dos Jogos Mundiais. Os Jogos Mundiais são competições organizadas pelo Comitê Olímpico Internacional um ano depois do Jogos Olímpicos de Verão, porém sem o mesmo impacto na mídia. O corpo administrativo internacional, Federação Internacional de Esportes Acrobáticos (IFSA), foi fundado em 1973 e foi fundido na Federação Internacional de Ginástica (FIG) em 1998. Espera-se que esta fusão abra as portas aos Jogos Olímpicos para esta disciplina.
  • Com natureza de trabalho em grupo, a acrobacia ensina os indivíduos a cooperarem uns com os outros. 'Confie em seu parceiro' é um imperativo e esta atitude conduz a uma avaliação das necessidades do outro. Quando os parceiros trabalham juntos durante algum tempo, eles passam a atuar efetivamente como uma equipe. Até mesmo nos níveis dos novatos, uma série de movimentos simples, executada em grupo, tem um maior efeito que os mesmos movimentos feitos por uma só pessoa. Ainda, dentro da rotina, há lugar para a expressão individual que valoriza infinitamente a composição. Os Esportes Acrobáticos abrigam competidores de qualquer idade - em particular é comum participantes 'aposentados' da Ginástica Artística. Os ginastas acabam estendendo suas habilidades da ginástica artística e sua vida competitiva, e transferem facilmente estas suas habilidades para os esportes acrobáticos. Freqüentemente, os atletas nestas condições sentem prazer em treinar e também acham fácil continuar participando em ambas as modalidades. Os atletas com idade entre 20 e 30 anos estão hoje competindo os Esportes Acrobáticos internacionalmente. Nadia Comaneci se aposentou da Ginástica Artística na adolescência, enquanto a ginasta soviética Svetlana Grzdova se mudou para a Acrobacia depois de encerrada a carreira de ginasta. Ela e o seu marido se tornaram os campeões mundiais depois uma década. PROVAS Os Esportes Acrobáticos têm cinco divisões: par feminino, par masculino, par misto, trio feminino e quarteto masculino. As séries (rotinas) são executadas num tablado de 12x12 metros, semelhante ao de Ginástica Artística. Os acrobatas em grupo devem executar três séries. Uma de Equilíbrio, uma Dinâmica e outra Combinada. As séries dinâmicas são mais ativas e com elementos de lançamentos com vôos do ginasta. As séries de equilíbrio valorizam os exercícios estáticos. Em níveis mais altos, a terceira série é uma combinação das duas séries anteriores. Todas as séries são executadas com música e com coreografia. Isto ajuda enriquecer os movimentos corporais. REGRAS
  • As competições de Ginástica Acrobática acontecem em um tablado de 12x12 metros, como na Ginástica Artística. Existem três categorias: - Nível 3 (Estreante); - Nível 2 (Intermediário); - Nível 1 (Elite). Categoria Estreante – Nível 3 1 – Série Obrigatória (estático) Exigências: Exercícios Individuais a) 01 coreográfico b) 01 tumbling c) 01 equilíbrio Tempo: 2m30s (dois minutos e trinta segundos) e 3s (três segundos) cada pirâmide. Obs. Usar o quadrilátero do tablado. A música não poderá ter som vocal. Pares Femininos Idem ao Pares Masculinos. Trios Femininos Idem às Pares Masculinos. Quartetos Masculinos Obs. Os Quartetos não exigem elementos individuais no exercício estático. Os exercícios de Quartetos (estáticos) são executados sem música. Três segundos no máximo cada pirâmide, que poderão ser executadas no mesmo local do tablado. Categoria Intermediária – Nível 2 1 . Série Livre (combinado) a) - 3 exercícios de equilíbrio (estáticos) b) - 3 exercícios dinâmicos Exercícios Individuais: Coreográfico (1) Tumbling (1) Equilíbrio (1) Obs. Esta série deverá ser executada por: Par Masculino ; Par Misto; Trio Feminino e Quarteto Masculino. Tempo: 2m30s ( dois minutos e trinta segundos ) para todos e cada movimento estático (pirâmide) deverá ser mantido por 3s (três segundos). Usar o quadrilátero do tablado. As músicas não poderão ter som vocal.
  • 1 . Série de Equilíbrio (estáticos) Deve incluir 6 elementos de pares de equilíbrio. Um mínimo de 3 elementos de equilíbrio dever ser mantidos estáticos durante 2 segundos cada. 1 (uma) vertical com subida direta a ½ braço ou braço estendido. 1 (uma) vertical com braços estendidos. 1 (uma) vertical em que haja transição de força do base ou do volante. Em qualquer das 3 (três) torres deve haver uma troca de posição do base (parado, sentado, espacate e etc.). Elementos Individuais: Equilíbrio – (1) devem ser mantidos durante 2 segundos para ter valor. Flexibilidade – (1) Tumbling (variado) 2 . Série Dinâmica Deve incluir elementos dinâmicos em fase de vôo: Do parceiro para parceiro (apanhado). Do solo para parceiro (apanhado). Do parceiro para o solo com pirueta de 360° graus ou mais (desmonte). Do parceiro após breve contacto para o solo (desmonte). Do solo após breve contato com o parceiro para o solo novamente (elemento dinâmico puro). 3 . Série Combinada Devem ser executados um mínimo de 6 elementos, 3 dos quais devem ser de equilíbrio estáticos e 3 devem ser dinâmicos. Os equilíbrio estáticos devem ser separados ou executados em transição desde que cada posição seja mantida durante 2 segundos. Um dos elementos dinâmicos requeridos deve ser apanhado em fase de vôo (dinâmico puro). Elementos Individuais:
  • Equilíbrio (flexibilidade, etc.) Tumbling Obs. Elementos coreográficos podem ser utilizados para crédito adicional. Série Equilíbrio (estático) Uma (1) pirâmide na ½ coluna com o volante em vertical a ½ braço (parada com o braço do base flexionado). Duas (2) pirâmides livres. Elementos Individuais: igual ao dos pares. Série Dinâmica igual ao dos pares. Elementos Individuais : igual ao dos pares. Série Combinada igual ao dos pares. Elementos Individuais: igual ao dos pares. Tempo de duração das séries é igual a 2m30s. Obs. O primeiro movimento executado por um ou mais competidores é considerado o início do exercício. Os exercícios de duplas e trios são executados com acompanhamento musical sem som vocal. Importante: No "Nível Elite" serão somados as notas dos 3 esquemas (Estático, Dinâmico e Combinado). As Entidades deverão enviar para a Comissão Organizadora os diagramas da competição 15 dias antes do Congresso Técnico. O Presidente do Comitê Técnico é o responsável. Equipamentos de Competição Competidores podem participar com ou sem sapatilhas. Jóias como: brincos, colares, pulseiras e adornos decorativos são proibidos. Roupas e acessórios soltos são proibidos como equipamento de competição, por razões de segurança. Mulheres competem com collant; cabelos longos devem ser fixados. Homens competem de calça ou shorts (collant). Obs. O árbitro chefe de competição é responsável por avisar aos ginastas quando o seu equipamento violar o código, antes da sua apresentação, seguida de penalização de acordo com o código IFSA, devem ser aplicados. Os competidores de pares de grupos devem usar equipamentos idênticos ou complementares. Usar o quadrilátero de tablado, exceto nos exercícios de quartetos. Avaliação dos exercícios 1 – Dificuldade
  • 2 – Composição 3 – Execução (incluindo recepções) 4 – Impressão Geral (incluindo coreografia, execução artística música) 5 – Tempo (duração) 6 – Tempo de manutenção dos equilíbrios (exercícios estáticos e combinados) Será levado em conta a realidade brasileira, mas sempre seguindo o código de pontuação de IFSA. Arbitragem Deveremos contar com 6 árbitros, mais auxiliares. Diagrama As Entidades deverão enviar os diagramas (ilustração dos exercícios) 15 dias antes da competição para o comitê organizador para ajudar no cálculo das notas. A nota de um exercício é definida por aquilo que é executado e consta no diagrama. Fonte: www.ginasticas.com.br http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/ginastica/ginastica-acrobatica.php http://www.educacaofisica.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=163 http://pt.wikipedia.org/wiki/Gin%C3%A1stica_acrob%C3%A1tica
  • Introdução Neste trabalho vou dar a conhecer a história da ginástica e as suas variantes (competitivas e não competitivas). Pretendo ainda mostrar o que é a ginástica acrobática - as regras, os equipamentos, as provas e ainda as figuras possíveis de executar. Descubra isto e muito mais folheando as páginas que se seguem. Ginástica Na antiguidade Clássica e ao longo dos séculos, o conceito de ginástica foi aplicado aos exercícios praticados ginásio, como parte integrante do sistema educativo. Estes eram identificados como uma vasta gama de exercícios físicos aptos para desenvolvimento de capacidades como a destreza, a força e a resistência. Com o fim da primeira era dos Jogos Olímpicos (393 d.C.) a ginástica foi sendo abandonada, voltando a surgir nos séculos XVIII e XIX, tendo persistido como forma de exercícios teatrais. No início do séc. XIX, Amorós contribuiu largamente para que esta atingisse o estatuto de desporto. Foi nessa altura que surgiram as escolas francesa, sueca, alemã e suíça. Em 1881 foi criada a Federação Internacional de Ginástica, com vista a supervisionar as competições internacionais. Logo em 1896 a ginástica entrou para o conjunto das modalidades olímpicas. Para quem a pratica, a ginástica implica um elevado grau de flexibilidade, coordenação motora, dinâmica geral e equilíbrio. Variantes da ginástica - Modalidades competitivas: . Ginástica acrobática . Ginástica aeróbica . Ginástica artística . Ginástica geral . Ginástica rítmica . Ginástica de trampolim . Tumbling Variantes da ginástica - Modalidades não competitivas:
  • . Contorcionismo . Hidroginástica Modalidades Competitivas Ginástica aeróbica Esta modalidade requer da parte do ginasta um elevado nível de força, flexibilidade, agilidade e coordenação. A ginástica aeróbica pode ser executada em individual feminino e masculino, pares mistos, trios e sextetos. Estes podem ter que executar piruetas ou mortais. Ginástica artística As competições desta modalidade são divididas em duas submodalidades, a WAG (feminina) e MAG (masculina) que têm regras e aparelhos distintos. Os homens têm oito provas - equipas, concurso geral, cavalo com calças, argolas, barras paralelas, barra fixa, solo e salto. As senhoras disputam quatro provas - equipas, individual geral, trave e barras assimétricas. Ginástica geral Este tipo de ginástica resume-se na junção de todas as outras modalidades, visando os benefícios da prática constante. Ginástica rítmica Esta modalidade envolve movimentos do corpo em dança de diversos géneros e dificuldades combinadas com a manipulação de pequenos aparelhos. Símbolo Oficial da Ginástica Rítmica Ginástica de trampolim Como modalidade, a utilização consiste na realização de inúmeros mortais e piruetas que são executados a oito metros de altura e requerem precisão, técnica e muito controlo do corpo. São
  • utilizados um ou dois trampolins, de acordo com o numero de atletas. Cada série tem que conter 10 exercícios. Tumbling O tumbling é executado numa pista com 25 metros, onde os acrobatas ganham impulso para o salto, que os eleva a uma altura superior de uma tabela de basquetebol. Durante a performence o atleta deve mostrar velocidade, força e habilidade. Modalidades Não Competitivas Contorcionismo O contorcionismo consiste em executar movimentos de flexibilidade pouco comuns, como girar a coluna até 180º graus e os braços até 360º graus. Hidroginástica A hidroginástica tem por finalidade melhorar a capacidade aeróbica e cardiorespiratória, a resistencia, a força muscular, a flexibilidade e o bem-estar dos seus praticantes. Esta permite a redução do esforço articular. Ginástica Acrobática História Surgiu na Idade Média e era muito utilizada pelos elementos dos circos. No entanto só começou a ter competições e regras próprias a partir de 1970. É sempre praticada, no mínimo por dois atletas. Tem como principais características a execução de exercícios que exigem força, agilidade e equilíbrio. Requer, por parte do ginasta coragem, força, coordenação e flexibilidade, alem das exigências técnicas do salto.
  • AS suas rotinas são executadas com acompanhamento musical e requerem expressão e movimentos do corpo perfeitamente sincronizados com a musica. Os movimentos isolados (acrobacias) são basicamente compostas por saltos mortais, muitos deles impulsionados pelos parceiros (exercícios dinâmicos) e exercícios estáticos que exigem muito equilíbrio e força. Os acrobatas em grupo devem executar três rotinas: uma de equilíbrio, uma dinâmica e outra combinada. As séries dinâmicas são mais activas e com elementos de lançamentos com voos de ginastas; As de equilíbrio valoriza os exercícios estáticos; Em níveis mais altos, a terceira rotina é uma combinação das duas anteriores. As rotinas acrobáticas são executadas num quadrado de 12x12 metros e com uma duração de 2 minutos e 30 segundos. Existem cinco divisões na ginástica acrobática: . Par feminino . Par masculino . Par misto . Trio Feminino . Quarteto masculino. Equipamento permitido: Os competidores podem participar com ou sem sapatilhas; Jóias como brincos, colares, pulseira e adornos decorativos são proibidos. Roupas e acessórios soltos não são permitidos; As senhoras competem com collants. Os homens competem com calças ou calções de licra. Os competidores de pares e de grupos devem usar equipamentos idênticos ou complementares. Os exercícios são avaliados pela sua dificuldade, composição, execução, coreografia, duração e tempo de manutenção dos equilíbrios (exercícios estáticos e combinados).
  • FUNDAMENTOS BÁSICOS DA GINÁSTICA ACROBÁTICA COMPETITIVA Introdução A ginástica acrobática é um desporto que engloba dança, ginástica artística e elementos acrobáticos. Existem campeonatos mundiais oficiais desde 1973, sendo estes realizados pela InternationalFederationof Sports Acrobatic (IFSA). Desde os primeiros campeonatos que esta modalidade vem sendo dominada pela China, Rússia e por outros países da antiga União Soviética. Actualmente apesar do domínio da China e da Rússia, existem outros países como Portugal, Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha que têm vindo a desenvolver programas para a divulgação da ginástica acrobática. Histórico A origem da acrobacia desportiva remonta à Grécia e à China antigas, quando a ginástica e a acrobacia foram agrupadas pela primeira vez. Ginástica era a palavra grega para "execução despida", mas essa tradição não foi mantida, apesar de os utilizarem uma pequena quantidade de roupa para que os juízes pudessem avaliar os pequenos movimentos realizados. Apenas em 1949, com o governo popular começaram a desenvolver, na China, as artes regionais inclusive a acrobacia. Integrantes do Conjunto da Ginástica acrobática . A Base - individuo que sustenta, de formas muito variadas, a figura acrobática. O volante e o intermediário estão sobre a base ou então estão apoiados nela. Nas figuras dinâmicas, a base pode estar a largar o volante ou a recebê-lo. . A base deve possuir: - Grande noção de responsabilidade . Tamanho compatível com as suas responsabilidades - uma base pequena terá grandes dificuldades para sustentar, lançar, agarrar e proteger os seus parceiros. . Grande massa muscular - se a base não possuir uma boa musculatura para a manutenção de figuras e equilíbrio e de potência para os exercícios dinâmicos os exercícios acrobáticos não serão executados. . Membros curtos - estes tornam-se mais favoráveis nos momentos em que são executadas figuras de equilíbrio com os membros estendidos, já que
  • permitem que o centro de gravidade do volante fique mais próximo do centro de gravidade da base, facilitando a manutenção da figura. . Noção de centro de gravidade e ponto de equilíbrio . Boa flexibilidade - Esta irá potencializar os movimentos de força rápida e também na deslocação afim de conseguir um melhor posicionamento para a figura. A escápuloumeral, coxofemural, a coluna lombar e os punhos estão entre as regiões fisicamente mais exigidas. . Liderança - A base é geralmente o mais velho da parceria. . O Volante - é o integrante que executa os movimentos acrobáticos. Embora não seja tão exigentes em termos físicos, este deve possuir uma técnica bastante boa para minimizar o desgaste dos parceiros. . O volante deve ainda ter: - Muita coragem - executar voos que chegam aos 6 metros de altura, praticar movimentos acrobáticos no ar, sem nenhuma protecção a não ser a dos próprios companheiros são tarefas de grande coragem. . Constituição física pequena e leve - em apresentações artísticas os atletas têm, muitas vezes, pesos semelhantes; mas em competição e principalmente em exercícios dinâmicos isto pode acarretar lesões. . Boa musculatura e potencia da mesma - ao contrário da base o volante necessita apenas sustentar o seu peso. . O Intermediário - nos grupos (trios e quartetos) aparece o intermediário, que deve ser o mais versátil do grupo. Pode executar as funções de base ou de volante, portanto deve ter as qualidades das mesmas. Por vezes, nos grupos femininos o intermediário assume o lugar de segunda base. Figuras da Ginástica Acrobática Competição de Pares (Femininos, Masculinos e Mistos) Nível 1 - Exercício composto por elementos obrigatórios sendo cinco de pares e quatro individuais, ordenados livremente. Elementos Técnicos de Pares Obrigatórios:
  • Elementos Técnicos Individuais Obrigatórios: Elementos Técnicos de Pares Obrigatórios: Nível 2 - Exercício formado por dois elementos obrigatórios de pares, três elementos facultativos de pares (um de cada grupo) e quatro elementos técnicos individuais opcionais (um de cada grupo), ordenados livremente e de acordo com a música.
  • Nível 3 - Exercício composto por cinco elementos facultativos de pares (um de cada grupo) e quatro elementos técnicos individuais facultativos (um de cada grupo) e três livres (constituídos por um elemento técnico individual e dois
  • elementos técnicos de pares), ordenados livremente e de acordo com a música. Competição de grupos (trios femininos e trios masculinos)
  • 1º Nível - Exercício composto por elementos obrigatórios sendo cinco de grupo e quatro individuais, ordenados livremente. 2º Nível - Exercício composto por dois elementos obrigatórios de grupo, três elementos facultativos de grupo (um de cada grupo) e quatro elementos técnicos individuais facultativos (um de cada grupo), ordenados livremente e de acordo com a música.
  • Nota: A escolha do acompanhamento musical é livre, só se aceitam músicas instrumentais sem voz. 3º Nível - Exercício composto por cinco elementos facultativos de grupo (um de cada grupo) e quatro elementos técnicos individuais facultativos (um de cada
  • grupo) e três livres (formados por um elemento técnico individual e dois elementos técnicos de grupos), ordenados livremente e de acordo com a música. Ginástica Acrobática - Testemunho
  • "Oi, vou falar sobre um desporto não muito conhecido... A Acrobática, onde eu ando em Mem Martins! A Acrobática é um desporto que exige muito esforço: há dias que venho de lá arrasada. Primeiro de tudo fazemos um aquecimento (que mais parece um aquecimento para "os musculados"). Corremos durante 7-10 minutos, a seguir fazemos o "1º bloco" que consiste em 20 "canivetes", 50 dorsais e 10 flexões de braços. Depois, o treinador manda-nos saltar 20 vezes e temos que tocar com as mãos no chão. Aquecemos as costas, pulsos, pés, etc. A seguir fazemos outra vez outro bloco... Depois fazemos passagens de individuais (rodas, rodadas, salto-de-mãos) e fazemos outra passagem (cambalhota à frente, cambalhota atrás, pino- cambalhota, cambalhota atrás para pino)... Enfim... Estão a ver como ficamos no final do treino: estafaditos... Depois daquilo tudo ainda temos que fazer ângulos, pranchas, ângulos para pranchas e ângulos para pino. A seguir fazemos esparregatas, para termos mais flexibilidade. No final do treino fazemos os alongamentos para irmos para casa e para descansarmos um pouco. Nos outros treinos fazemos a mesma coisa, mas em vez de ser com passagens é no duplo minitrampolim: fazemos mortais à frente e atrás... Entrem para a Acrobática! Porque é cansativo, mas podemos fazer um pino, uma esparregata, ou assim essas coisas mais difíceis, em qualquer sítio, a qualquer hora... quando nos pedirem e quando nos apetecer! Beijinhos da vossa amiga Jéssica." Jéssica Antunes, 11 anos, Sintra in http://www.junior.te.pt/servlets/Bairro?P=Desportos&ID=1918 Conclusão Neste trabalho tive como objectivo principal dar a conhecer a ginástica e as suas variantes, principalmente a ginástica acrobática. Quis ainda mostrar as figuras possíveis de realizar e os exercícios que podem ser realizados a pares, em trios ou em quartetos. Bibliografia
  • http://www.desportoescolar.min-edu.pt/modalidade.aspx?id=111 http://pt.wikipedia.org/wiki/Gin%C3%A1stica_acrob%C3%A1tica http://www.junior.te.pt/servlets/Bairro?P=Desportos&ID=1844 http://www.junior.te.pt/servlets/Bairro?P=Desportos&ID=1917 http://pt.wikipedia.org/wiki/Gin%C3%A1stica http://www.drec.minedu.pt/cae/coimbra/de/Quadroscompetitivos/ QC_DG_ARE/RegEsp_GinasticaAcrobatica_0709.pdf http://books.google.pt/books?id=JIThctM49J8C&printsec=frontcover#v=onepag e&q=&f=false http://blig.ig.com.br/distaks/files/2009/11/hidroginastica-exercite-se-ate- dentro-da-agua.jpg http://www.somenteaverdade.com/images/contorcionismo.jpg http://2.bp.blogspot.com/_vq4_2odDXvE/SMa6K8o2igI/ AAAAAAAAA8E/58Omud4J8rU/s400/Contorcionismo.JPG