0
PROFESSORA CRISTINA SOARES
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
2013
AUTORITARISMO
 Regime político
 Princípio da autoridade
 Autoridade em detrimento das liberdades





individuais
A...
DEMOCRACIA
 Regime de governo
 Poder está com os cidadãos (povo)
 “Governo do povo para o povo”
 Se opõe às formas de ...
 Povo
 Quem terá direito ao voto?
 Como proteger os direitos das minorias?
 Como combater a tirania da maioria?
 Qual...
REPÚBLICA VELHA
1889-1930
 1889 – Golpe de Estado – fim da monarquia e





início da república no Brasil
Marechal De...
PRESIDENTES DA REPÚBLICA
 1910 – Mal. Hermes da
 1889 – Mal Deodoro da
VELHA
Fonseca
Fonseca
 1891 – Mal. Floriano Peix...
REVOLUÇÃO DE 1932
 Ocorrido em São Paulo
 CAUSAS:
 Demora na criação de nova Constituição
 Interventor em Pernambuco
...
A REVOLUÇÃO
 Manifestação em São Paulo em maio de 1932
 Morte de 4 manifestantes: Martim, Miragaia,
 Dráuzio e Camargo
...
CONSTITUIÇÃO DE 1937
 Outorgada em 10 de dezembro de 1937
 Redigida por Francisco Campos
 Baseada na Constituição Polon...
 Interventores nos estados
 Legislação trabalhista
 Eliminação da independência sindical
 Extinção dos partidos políti...
Interventores nos estados
POLÍTICA TRABALHISTA
 Controle do trabalhador
 Subordinação dos sindicatos ao Ministério do

Trabalho
 Proibição das gr...
 1943 – Consolidação das Leis de Trabalho – CLT
 Regulamentação das relações entre patrões e





empregados
Aproxim...
POLÍTICA ECONÔMICA
 Planejamento econômico
 Acelerou o processo de industrialização
 Criação de órgãos para políticas e...
POLÍTICA ADMINISTRATIVA
 Criação do DASP (Departamento de

Administração e Serviço Público)
 Criação do DIP (Departament...
FIM DO ESTADO NOVO
 1943 – Promessa de eleições diretas
 Manifesto dos Mineiros – redemocratização do





país
1945...
 Vargas apoia o Gal. Eurico Gaspar Dutra do PSD
 Eduardo Gomes – UDN
 Outro candidato era Yedo Fiúza do PCB (Partido

...
 Dezembro de 1945 – eleições – vence Dutra
 1946 – Nova Constituição
 Mais democrática
 Restauração dos direitos indiv...
JUSCELINO KUBITSCHEK
1956-1960
 1960 inauguração de Brasília
 Governo desenvolvimentista
 Avanços técnicos-industriais
...
JÂNIO QUADROS
1961
Membro da UDN
Pregava a moralização do país
Governo contraditório
Medidas polêmicas (lança perfume, bri...
 Tentativa de promover um autogolpe
 renunciar e voltar com plenos poderes
 Falhou
 Congresso aceitou sua renúncia
 J...
 Constantes problemas no governo
 Forte oposição dos militares
 Governo nacionalista
 Posições políticas radicais
 “N...
 Inflação alta
 Oposição das forças armadas
 Estagnação econômica
 Líderes do golpe: Carlos Lacerda (governador

do Ri...
DITADURA MILITAR
1964-1985
 Castelo Branco

Mandato: 15/04/1964 a 15/03/1967
Governo (realizações, acontecimentos, atos):
- cassações políticas
- fim...
Junta Governativa provisória
Mandato: 31/08/1969 a 30 de outubro de 1969
Formada por:
- Aurélio de Lira Tavares, ministro ...
Ernesto Geisel
Mandato: 15/03/1974 a 15/03/1979
Governo (realizações, acontecimentos, atos):
- propôs a abertura política ...
ATOS INTITUICIONAIS - AIs
 Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os

anos após o golpe militar de 1964 n...
AI 1
 Redigido por Francisco dos Santos Nascimento ,

foi editado em 9 de abril de 1964 pela junta
militar. Passou a ser ...
AI 2
 Com 33 artigos, o ato instituiu a eleição indireta para

presidente da República, dissolveu todos os partidos
polít...
AI 3
Em 5 de fevereiro de 1966, o presidente Castelo Branco editou o Ato
Institucional Número Três, ou AI-3, que estabelec...
AI 4
 Editado por Castelo Branco em 7 de

dezembro de 1966, o Ato Institucional
Número Quatro, ou AI-4, convocou ao
Congr...
AI 5
 Em 1968, na cidade do Rio de Janeiro, 100 mil pessoas se

reuniram em protesto contra a ditadura militar e a morte ...
 reação do regime foi violenta: em 13 de dezembro de 1968, foi

baixado o Ato Institucional n° 5. O ato dava ao president...
 O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi a contra-reação.

Representou um significativo endurecimento do regime mi...
 O Ato Institucional Número Cinco foi o quinto de

uma série de decretos emitidos pelo regime militar
nos anos seguintes ...






TERCEIRO PERÍODO
DEMOCRÁTICO
Tancredo Neves – primeiro presidente civil
REDEMOCRATIZAÇÃO

eleito desde a ditadu...
GOVERNO DE SARNEY
 1986 – 1989
 “Plano Cruzado” (população = “fiscais do

Sarney”)

 Congelamento dos preços
 Contençã...
 “Plano Bresser” – novo congelamento de








preços
Volta da inflação
Bresser é substituído por Mailson da Nóbr...
ITAMAR FRANCO
 “Plano Real”
 Ministro da fazenda: Fernando Henrique

Cardoso
 Vários senadores eram ministros
FHC
 1994-2002
 Autor do Plano real
 Criou a Bolsa Escola
 Gasoduto Brasil –Bolívia
 Criação do FUNDEF (Fundo de

Des...
 Governo das privatizações
 Acabou com o monopólio estatal sobre o

petróleo
 Reforma da Previdência
 Leilão da Telebr...
LULA
LUIS INÁCIO (LULA) DA SILVA
 2002-2010
 PT – Partido dos Trabalhadores
 Campanha – “Fome Zero” – Bolsa Família
 “...
 Destaque no G20
 Presença no Haiti
 Expansão do Mercosul
 PAC (Programa de Aceleração do

Crescimento)
DILMA ROUSSEFF
 2011
 Continuação

da política de
Lula
 Primeira
mulher na
presidência do
Brasil
 Partido dos
Trabalha...
BIBLIOGRAFIA
 SOARES, Cristina – Apostila da Ágape –

Apoio Escolar, 2010 – São José dos Campos –
SP
 Raio-X das eleiçõe...
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Autoritarismo e democracia no brasil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Autoritarismo e democracia no brasil

1,418

Published on

Aula Fatorial

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,418
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Autoritarismo e democracia no brasil"

  1. 1. PROFESSORA CRISTINA SOARES SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 2013
  2. 2. AUTORITARISMO  Regime político  Princípio da autoridade  Autoridade em detrimento das liberdades     individuais Autoridade de instituição ou pessoa com excesso Uso e abuso de poder (despotismo) Vida nacional, familiar Poder financeiro, econômico ou pelo terror e coação
  3. 3. DEMOCRACIA  Regime de governo  Poder está com os cidadãos (povo)  “Governo do povo para o povo”  Se opõe às formas de ditadura e autoritarismo  2 tipos  Direta (pura) – voto indireto do povo em cada assunto  Representativa (democracia indireta) – expressão da vontade através da eleição de representantes eleitos
  4. 4.  Povo  Quem terá direito ao voto?  Como proteger os direitos das minorias?  Como combater a tirania da maioria?  Qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos?
  5. 5. REPÚBLICA VELHA 1889-1930  1889 – Golpe de Estado – fim da monarquia e     início da república no Brasil Marechal Deodoro da Fonseca Atraso econômico Mudança do nome do Brasil: ESTADOS UNIDOS DO BRASIL República do café com leite
  6. 6. PRESIDENTES DA REPÚBLICA  1910 – Mal. Hermes da  1889 – Mal Deodoro da VELHA Fonseca Fonseca  1891 – Mal. Floriano Peixoto  1894 – Prudente de Morais e     Barros 1898 – Manuel Ferraz de Campos Sales. 1902 – Francisco de Paula Rodrigues Alves 1906 – Afonso Augusto Moreira Pena 1906 – Nilo Procópio Peçanha  1914 – Venceslau Brás Pereira      Gomes 1918 –Delfim Moreira da Costa Ribeiro 1919 – Epitácio da Silva Pessoa 1922 - Artur da Silva Bernardes 1926 – Washington Luis Pereira de Souza (deposto pela revolução de 30) 1930 – Junta de governo; Gal Augusto Tasso, Gal. João de Deus B., Alm. Isaías de Noronha
  7. 7. REVOLUÇÃO DE 1932  Ocorrido em São Paulo  CAUSAS:  Demora na criação de nova Constituição  Interventor em Pernambuco  Tentativa de retomar o poder a oligarquia cafeeira  Apoio das camadas médias urbanas  Formação da Frente Única Paulista
  8. 8. A REVOLUÇÃO  Manifestação em São Paulo em maio de 1932  Morte de 4 manifestantes: Martim, Miragaia,  Dráuzio e Camargo  MMDC – virou símbolo da revolução  3 meses de combate  Forças leais à Vargas forçaram SP a se render  Eleições para a Assembleia Constituinte
  9. 9. CONSTITUIÇÃO DE 1937  Outorgada em 10 de dezembro de 1937  Redigida por Francisco Campos  Baseada na Constituição Polonesa      (Constituição Polaca) Aspectos fascistas Centralização política Fortalecimento do poder presidencial Extinção do poder legislativo Subordinação do poder judiciário
  10. 10.  Interventores nos estados  Legislação trabalhista  Eliminação da independência sindical  Extinção dos partidos políticos  Extinção da Associação da Imprensa Brasileira  Formação dos integralistas  Tentativa de golpe  Reação do governo
  11. 11. Interventores nos estados
  12. 12. POLÍTICA TRABALHISTA  Controle do trabalhador  Subordinação dos sindicatos ao Ministério do Trabalho  Proibição das greves  Concessões:  Salário mínimo  Semana de 44 horas  Carteira profissional  Férias remuneradas
  13. 13.  1943 – Consolidação das Leis de Trabalho – CLT  Regulamentação das relações entre patrões e     empregados Aproximação de Vargas com a classe trabalhadora Populismo Manipulação do trabalhador Controle ainda nas mãos da burguesia
  14. 14. POLÍTICA ECONÔMICA  Planejamento econômico  Acelerou o processo de industrialização  Criação de órgãos para políticas econômicas  Intervenção do governo na economia  Criação de empresas estatais  CSN  VALE DO RIO DOCE  HIDRELÉTRICA DO VALE DO RIO SÃO FRANCISCO  FÁBRICA NACIONAL DE MOTORES  FÁBRICA NACIONAL DE ÀLCALIS
  15. 15. POLÍTICA ADMINISTRATIVA  Criação do DASP (Departamento de Administração e Serviço Público)  Criação do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) – controle dos meios de comunicação através da censura  Polícia Secreta - (Filinto Müller) – período de terror: prisões, repressão, exílio, torturas  Criação da Hora do Brasil
  16. 16. FIM DO ESTADO NOVO  1943 – Promessa de eleições diretas  Manifesto dos Mineiros – redemocratização do     país 1945 – Congresso Brasileiro de Escritores exigem liberdade de expressão e eleições Publicação do Ato Adicional Eleições presidenciais marcadas para dezembro de 1945 Surgimento da UDN – contra Vargas e o comunismo
  17. 17.  Vargas apoia o Gal. Eurico Gaspar Dutra do PSD  Eduardo Gomes – UDN  Outro candidato era Yedo Fiúza do PCB (Partido     Comunista Brasileiro) 1945 – “Queremismo” – Queremos Getúlio Vargas 29 de outubro de 1945 – Golpe por Goés Monteiro e Dutra Deposição de Vargas Governo dado a José Linhares – Supremo Tribunal Federal
  18. 18.  Dezembro de 1945 – eleições – vence Dutra  1946 – Nova Constituição  Mais democrática  Restauração dos direitos individuais  1950 – Retorno de Vargas  Criação da Petrobrás  Má condução do governo  Pressões  1954 – Suicídio (24 de agosto)  Assume o vice Café Filho
  19. 19. JUSCELINO KUBITSCHEK 1956-1960  1960 inauguração de Brasília  Governo desenvolvimentista  Avanços técnicos-industriais  “50 anos em 5”  Plano de metas
  20. 20. JÂNIO QUADROS 1961 Membro da UDN Pregava a moralização do país Governo contraditório Medidas polêmicas (lança perfume, briga de galo)  Condecoração de Che Guevara  Aproximação com bloco socialista  Acusado de apoiar o comunismo    
  21. 21.  Tentativa de promover um autogolpe  renunciar e voltar com plenos poderes  Falhou  Congresso aceitou sua renúncia  João Goulart (vice) assume Rejeição dos militares “ameaça comunista” Ex-ministro trabalhista Encontrava-se na China Parlamentarismo no Brasil 1963 recupera o governo
  22. 22.  Constantes problemas no governo  Forte oposição dos militares  Governo nacionalista  Posições políticas radicais  “Na lei ou na marra”  “Terra ou Morte” (Reforma Agrária)  Marcha da Família com Deus pela Liberdade  1 de abril de 1964 – Golpe Militar  Jango se refugia no Uruguai
  23. 23.  Inflação alta  Oposição das forças armadas  Estagnação econômica  Líderes do golpe: Carlos Lacerda (governador do Rio de Janeiro), Magalhães Pinto (Minas Gerais) e Adhemar de Barros (São Paulo).  Novo presidente escolhido: General Castelo Branco
  24. 24. DITADURA MILITAR 1964-1985
  25. 25.  Castelo Branco Mandato: 15/04/1964 a 15/03/1967 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - cassações políticas - fim da eleição direta para presidente, criação do bipartidarismo - limitação de direitos constitucionais - suspensão da imunidade parlamentar Arthur da Costa e Silva Mandato: 15/3/1967 a 31/8/1969 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - Ato Institucional nº 5 (AI-5) - política econômica voltada para o combate da inflação e expansão do comércio exterior. - investimentos nos setores de transporte e comunicações - reforma administrativa
  26. 26. Junta Governativa provisória Mandato: 31/08/1969 a 30 de outubro de 1969 Formada por: - Aurélio de Lira Tavares, ministro do Exército; - Augusto Rademaker, ministro da Marinha, e - Márcio Melo, ministro da Aeronáutica. Emílio Garrastazu Médici Mandato: 30/10/1969 a 15/3/1974 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - repressão política; "Anos de Chumbo" - exílios, tortura, prisões, desaparecimento de pessoas, combate aos movimentos sociais e censura. - "Milagre Econômico" - forte crescimento do PIB - propaganda patriótica
  27. 27. Ernesto Geisel Mandato: 15/03/1974 a 15/03/1979 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - propôs a abertura política desde que fosse "lenta, gradual e segura" - aumentou o mandato de presidente de 5 para 6 anos - criação do senador biônico - alta da inflação e dívida externa - restauração do habeas corpus e fim do AI-5 João Baptista Figueiredo Mandato: 15/03/1979 a 15/03/1985 Governo (realizações, acontecimentos, atos): - início da transição para o sistema democrático - restabelecimento do pluripartidarismo - crise econômica, greves, protestos sociais - restabelecimento das eleições diretas para governadores dos estados
  28. 28. ATOS INTITUICIONAIS - AIs  Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os anos após o golpe militar de 1964 no Brasil. Serviram como mecanismos de legitimação e legalização das ações políticas dos militares, estabelecendo para eles próprios diversos poderes extra-constitucionais. Na verdade os Atos  Institucionais eram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir. Entre 1964 a 1969 foram decretados 17 atos institucionais regulamentados por 104 atos complementares.  O governo divulgou que seu objetivo era combater a "corrupção e a subversão".
  29. 29. AI 1  Redigido por Francisco dos Santos Nascimento , foi editado em 9 de abril de 1964 pela junta militar. Passou a ser designado como Ato  Institucional Número Um, ou AI-1 somente após a divulgação do AI-2. Com 11 artigos, o AI-1 dava ao governo militar o poder de alterar a constituição, cassar mandatos legislativos, suspender direitos políticos por dez anos e demitir, colocar em disponibilidade ou aposentar compulsoriamente qualquer pessoa que tivesse atentado contra a segurança do país, o regime democrático e a probidade da administração pública.
  30. 30. AI 2  Com 33 artigos, o ato instituiu a eleição indireta para presidente da República, dissolveu todos os partidos políticos, aumentou o número de ministros do Supremo Tribunal Federal de 11 para 16, reabriu o processo de punição aos adversários do regime, estabeleceu que o presidente poderia decretar estado de sítio por 180 dias sem consultar o Congresso, intervir nos estados, decretar o recesso no Congresso, demitir funcionários por incompatibilidade com o regime e baixar decretos-lei e atos complementares sobre assuntos de segurança nacional.  O Ato Complementar (AC) nº 1, também em 27 de outubro, estabeleceu as sanções a serem estabelecidas contra as pessoas com direitos políticos cassados que se manifestassem politicamente, o que passou a ser qualificado como crime.
  31. 31. AI 3 Em 5 de fevereiro de 1966, o presidente Castelo Branco editou o Ato Institucional Número Três, ou AI-3, que estabelecia eleições indiretas para governador e vice-governador e que os prefeitos das capitais seriam indicados pelos governadores, com aprovação das assembleias legislativas. Estabeleceu o calendário eleitoral, com a eleição presidencial em 3 de outubro e para o Congresso, em 15 de novembro.  Com a pressão do governo, somada às cassações de deputados estaduais, a ARENA elegeu 17 governadores. No dia 3 de outubro foi eleito o marechal Artur da Costa e Silva, ministro da Guerra de Castelo Branco, e para vice, Pedro Aleixo, deputado federal eleito pela UDN e então na Arena. O MDB se absteve de votar nas eleições em protesto.  No dia 12 de outubro foram cassados , por um periodo de dez anos , 6 deputados do MDB, entre os quais Sebastião Pais de Almeida, do antigo PSD, e Doutel de Andrade, do antigo PTB.  No dia 20 de outubro, foi editado o AC 24 estabelecendo recesso parlamentar até 22 de novembro. Em 15 de novembro foram feitas as eleições legislativas, ficando a Arena com 277 cadeiras contra 132 do (MDB). 
  32. 32. AI 4  Editado por Castelo Branco em 7 de dezembro de 1966, o Ato Institucional Número Quatro, ou AI-4, convocou ao Congresso Nacional para a votação e outorga de 1967|Projeto de Constituição, que revogaria definitivamente a Constituição de 1946.
  33. 33. AI 5  Em 1968, na cidade do Rio de Janeiro, 100 mil pessoas se reuniram em protesto contra a ditadura militar e a morte do estudante Edson Luís, morto acidentalmente por uma bala perdida disparada pela polícia militar na tentativa de debelar um protesto movido por estudantes e ativistas políticos nas imediações do antigo restaurante Calabouco próximo ao Centro do Rio.  Em dezembro, um discurso do deputado Márcio Moreira Alves, chamou os quartéis militares de "covis de torturadores", pediu à população que boicotasse os desfiles de 7 de setembro e, às moças, que não dançassem com os cadetes nos bailes dos clubes militares.
  34. 34.  reação do regime foi violenta: em 13 de dezembro de 1968, foi baixado o Ato Institucional n° 5. O ato dava ao presidente o poder de cassar mandatos, intervir em estados e municípios e suspender direitos políticos. Além disso, a tortura foi praticamente instituída.  Em 1968 reações mais significativas ao regime militar começaram a surgir. Vários emissários foram então enviados a Brasília para dialogar com as autoridades. Um grupo de pensadores e intelectuais foram recebidos pelo Presidente Costa e Silva no Palacio do Planalto. Esse acontecimento importante figura de maneira proeminente no livro "1968, o ano que não acabou", do jornalista, professor e intelectual Zuenir Ventura, que relata inclusive, em seu livro, como um dos participantes na reunião acaba por ofender o marechal presidente com a aspereza do tom em que se dirigiu a ele, o que acarretou o imediato encerramento do encontro por parte do incumbente do poder, sem que fossem discutidas as reivindicacões dos participantes. O escritor também lamenta a evidente ausência de planos concretos, estrategias ou mesmo coerência por parte das muitas oposições ao Regime Militar, que se perdiam em grupos e subgrupos beligerantes entre sí.
  35. 35.  O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi a contra-reação. Representou um significativo endurecimento do regime militar e segundo observadores refletiu a resposta do governo militar ao assassinato a sangue frio do general norte-americano Chandler em plena luz do dia em rua do Rio de Janeiro. O grupo terrorista que expressamente assumiu o atentado - informação depois contestada por outros grupos - incorporava a suposta participação de uruguaios ou argentinos.  O Ato Institucional nº 5 foi editado no dia 13 de dezembro, uma sexta-feira que ficou marcada para a história contemporânea brasileira. Este ato incluía a proibição de manifestações contra a natureza política, além de vetar o "habeas corpus" para crimes contra a segurança nacional (ou seja, crimes políticos). Entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968.  O Ato Institucional Número Cinco (Ai5), concedia ao Presidente da Republica enormes poderes, tais como: fechar o Congresso Nacional; demitir, remover ou aposentar quaisquer funcionários; cassar mandatos parlamentares; suspender por dez anos os direitos políticos de qualquer pessoa; decretar estado de sítio; julgamento de crimes políticos por tribunais militares, etc.
  36. 36.  O Ato Institucional Número Cinco foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil. Redigido pelo Presidente Artur da Costa e Silva em 13 de dezembro de 1968, veio em resposta a um episódio menor: um discurso do deputado Márcio Moreira Alves pedindo ao povo brasileiro que boicotasse as festividades do dia 7 de setembro. Mas o decreto também vinha no correr de um rio de ambições, ações e declarações pelas quais a classe política fortaleceu a chamada linha dura do regime instituído peloRegime Militar. O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi um instrumento de poder que deu ao regime poderes absolutos e cuja primeira e maior consequência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano.
  37. 37.      TERCEIRO PERÍODO DEMOCRÁTICO Tancredo Neves – primeiro presidente civil REDEMOCRATIZAÇÃO eleito desde a ditadura Eleições indiretas Não chegou a assumir Operado na véspera da posse (14 /03/1985) Assume o Vice José Sarney
  38. 38. GOVERNO DE SARNEY  1986 – 1989  “Plano Cruzado” (população = “fiscais do Sarney”)  Congelamento dos preços  Contenção da inflação     PMDB – vence eleições estaduais Plano Cruzado 2” - liberação dos preços Inflação alta, crise econômica Moratória – Brasil deixa de pagar a dívida externa
  39. 39.  “Plano Bresser” – novo congelamento de        preços Volta da inflação Bresser é substituído por Mailson da Nóbrega “Plano Verão” – Cruzado Novo 1989 – Fernando Collor de Melo é eleito novo presidente (eleições diretas) 1992 – renúncia para fugir do empeachment Denúncias em esquemas de corrupção “Revolução Democrática” dos jovens
  40. 40. ITAMAR FRANCO  “Plano Real”  Ministro da fazenda: Fernando Henrique Cardoso  Vários senadores eram ministros
  41. 41. FHC  1994-2002  Autor do Plano real  Criou a Bolsa Escola  Gasoduto Brasil –Bolívia  Criação do FUNDEF (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental)  Código de Trânsito Brasileiro  Lei de Responsabilidade Fiscal
  42. 42.  Governo das privatizações  Acabou com o monopólio estatal sobre o petróleo  Reforma da Previdência  Leilão da Telebrás
  43. 43. LULA LUIS INÁCIO (LULA) DA SILVA  2002-2010  PT – Partido dos Trabalhadores  Campanha – “Fome Zero” – Bolsa Família  “Mensalão”  Inflação contida  “Primeiro Emprego”  ENEM - PROUNI
  44. 44.  Destaque no G20  Presença no Haiti  Expansão do Mercosul  PAC (Programa de Aceleração do Crescimento)
  45. 45. DILMA ROUSSEFF  2011  Continuação da política de Lula  Primeira mulher na presidência do Brasil  Partido dos Trabalhadores
  46. 46. BIBLIOGRAFIA  SOARES, Cristina – Apostila da Ágape – Apoio Escolar, 2010 – São José dos Campos – SP  Raio-X das eleições 2010. UOL (31/10/2010). Página visitada em 16/2/2011.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×