OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1

  • 2,958 views
Uploaded on

Primeira parte da orientação técnica para Professores Coordenadores das escolas da D Leste 4 que mantêm classes de Recuperação Intensiva, etapas III e IV, realizada no Núcleo Pedagógico em 11/04/2013.

Primeira parte da orientação técnica para Professores Coordenadores das escolas da D Leste 4 que mantêm classes de Recuperação Intensiva, etapas III e IV, realizada no Núcleo Pedagógico em 11/04/2013.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,958
On Slideshare
2,958
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
50
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. DIRETORIA DE ENSINO LESTE 4NÚCLEO PEDAGÓGICORECUPERAÇÃO INTENSIVAAbril / 2013
  • 2. Qual das duas situações é, de fato,justa?
  • 3. Questão de discriminação oude equidade?
  • 4.  Segundo a Resolução SE nº2/2012: “que continuemdemandando mais oportunidades de aprendizagem parasuperar dificuldades relativas a expectativas definidas para osanos anteriores e necessitando de alternativas instrucionaisespecíficas para o ano a ser cursado”. Não deve, pois, ser a mera repetição de conteúdos da sériede origem. Sobretudo no caso da Etapa IV (8ª série/9º ano),não se trata de trabalhar conteúdos tradicionais do 9º ano –a repetição não é indicada para incluir os alunos retidos noprocesso pedagógico.RECUPERAÇÃO INTENSIVA
  • 5.  Histórico: projetos de Correção de Fluxo, Aceleração, eRecuperação de Ciclo II – respostas ao fracasso escolar – recusada culpabilização do aluno (expectativas desfavoráveis) eaposta na sua capacidade de aprender. Revisão do que é realmente indispensável. Seleção deconteúdos: prioridades – noções e conceitos abrangentes. Proposta pedagógica: leitura do cotidiano através dosconteúdos das disciplinas. Valorização do conhecimento prévio como base paraavançar a níveis mais elaborados.
  • 6.  Centralidade do desenvolvimento de habilidades básicasde leitura e escrita, em todas as disciplinas, trabalhandocom os gêneros do discurso próprios a cada uma delas Avaliação como diagnóstico e acompanhamento doprocesso – de aprendizagem (aluno) e do ensino(professor) – observação e registro. Atividades: dinâmica que favorece as interações, alternaatividades individuais e coletivas, estimula a participação,mobiliza interesses; que parte da realidade dos alunos,problematizando-a, propondo desafios e sistematizandoideias e conceitos.
  • 7.  Recuperação Intensiva: classes com 20 alunos, em média. O diagnóstico é fundamental – habilidades de leitura eescrita em todas as disciplinas – o que o aluno sabe e quaissão suas dificuldades (SARESP, avaliação da aprendizagemem processo – “prova diagnóstica” – e avaliação/observaçãodo professor). Sugestões de materiais: além dos Cadernos do Currículooficial, reserva técnica do Ensinar e Aprender, +Matemática e+Língua Portuguesa, materiais do acervo da escola (vídeosDVD Escola, programas de livros, projetos de Saúde ePrevenção e Meio Ambiente, filmes do projeto O Cinema Vaià Escola etc.). Trabalho com projetos envolvendo duas ou mais disciplinas,também com uso de tecnologias.
  • 8. SÍNTESE DA PESQUISA ON-LINERECUPERAÇÃO INTENSIVA 2012: Em 2012: 11 escolas. Destas, apenas 4 mantiveram o projeto em 2013 – Talarico,Ávila, Sapopemba e J. Farão. Das 7 que não têm mais turmas de R.I. este ano, 3 dizem nãoter havido progresso, porque os alunos se sentiamdiscriminados e por falta de comprometimento dos alunos; 3por não haver necessidade (nº de alunos insuficientes, sucessona recuperação contínua); 1 alegou ter tido problemas noenvio da documentação(?). Das 11 escolas, 9 consideraram o trabalho bem sucedido em2012. Destas últimas, 7 escolas tiveram à frente das turmas deRI todos ou a maioria dos professores titulares de cargo.
  • 9. Aspectos negativos: considerável taxa de abandono em 7 escolas, variando de 10 a 69%; indisciplina (3 respostas) sentimento de exclusão (3 respostas) analfabetismo (3 respostas) não ter professor de apoio/Rec. Contínua (2 respostas) baixa autoestima (2 respostas) falta de interesse dos alunos (3 respostas) falta de preparo dos professores/assiduidade e dificuldade derelacionamento (2 respostas) falta de compromisso da família (2 resposta) professores não conseguem fazer retomadas e cumprir o currículo dasérie (1 resposta)SÍNTESE DA PESQUISA ON-LINERECUPERAÇÃO INTENSIVA 2012:
  • 10. Aspectos positivos apontados: número reduzido de alunos por sala (6 respostas) possibilidade de fazer um trabalho diferenciado / trabalhofocado nas dificuldades dos alunos (4 respostas) envolvimento dos professores e equipe gestora (3 respostas) material fornecido pelo NP (1 resposta) valorização da autoestima (1 resposta) melhor entrosamento entre alunos e professores (1 resposta) trabalho com projetos inter e transdisciplinares (1 resposta)SÍNTESE DA PESQUISA ON-LINERECUPERAÇÃO INTENSIVA 2012:
  • 11. Sugestões: OTs / materiais para professores/disciplinas (5 respostas) Alfabetização (2 respostas) Como trabalhar de forma diferenciada as dificuldadesdos alunos (1 resposta) Treinamento para utilização de materiais diversificados(1 resposta) “Organização do currículo e trabalho com projetos emrede” (1 resposta) Aprendizagem: identificação dedificuldades/distúrbios/deficiências-DI (1 resposta) Avaliação (1 resposta)SÍNTESE DA PESQUISA ON-LINERECUPERAÇÃO INTENSIVA 2012:
  • 12.  É fundamental garantir, ao menos uma vez por mês, que osprofessores desta(s) turma(s) conversem e reflitam em ATPCsobre os desafios e os avanços dos alunos. Referências importantes: Matrizes do SARESP, nas disciplinasavaliadas; e materiais do Programa Ler e Escrever (LínguaPortuguesa e Matemática-EMAI), disponível emhttp://lereescrever.fde.sp.gov.br/SysPublic/InternaMaterial.aspx?alkfjlklkjaslkA=266&manudjsns=0&tpMat=6&FiltroDeNoticias=3 Mediação do professor: fundamental, na gestão curricular, naanálise dos materiais e sua adequação à classe, no planejamentodo tempo, do espaço e dos recursos, na formação dosagrupamentos, nas intervenções que se façam necessárias.Algumas recomendações:
  • 13.  Aluno: desenvolvimento de autoconceito positivo econfiança. Oportunidade de devolver a jovensmarcados pelo fracasso escolar o lugar de sujeitos doprocesso de ensino e aprendizagem e de produtores dalinguagem escrita. A escola tem um papel fundamental neste processo,devendo refletir sobre suas práticas, pois, dependendodo modo como as desenvolve, pode estigmatizar eprejudicar a autoestima das crianças e seu processo deaprendizagem.
  • 14.  Crianças e adolescentes marcados pelo fracasso escolarque após vários anos de escolaridade nãocompreenderam as regras de funcionamento do nossosistema de escrita; Não utilizam a linguagem escrita nas situações em queé requerida; Procuram não mostrar o que sabem por queacreditam que não sabem nada. Inicialmenterecusam-se a participar das atividades; sentem-seincapazes de aprender.Qual o perfil do aluno que traz consigo o histórico defracasso escolar?
  • 15. Considerando as características dos alunos, quais osdesafios que o professor precisa enfrentar? Lidar com o mito da “homogeneidade”; Lidar com o aluno e sua descrença na capacidadepara aprender e da exclusão social – não só pelogrupo de crianças e adolescentes, como pelacomunidade escolar.(há, entre eles, crianças com uma condição social menosfavorecida, histórias de abandono e abusos de diversasnaturezas e, muitas vezes, comportamentos agressivos)
  • 16.  Conhecer e considerar o processo de aprendizagemdos alunos. Conhecimento e consideração da didática, numaconcepção socioconstrutivista. Mas, principalmente: conhecer formas de promover agestão de salas marcadas pelo fracasso escolar.Considerando as características dos alunos, quais osdesafios que o professor precisa enfrentar?
  • 17. Exemplos:Parar tudo para uma roda de conversa que não estavaprevista na rotina, mas que se fez necessária por uma atitudeextrema de desrespeito, como também “abrir mão” dechamar a atenção por pequenas inadequações buscandoenvolver o grupo nos trabalhos e não transformar a aula embronca...... significa ainda, estar disposto a criar situações nasquais o grupo se torne imprescindível para a escola –estímulo ao protagonismo da turma –, que tenhacontribuições, que faça atividades que sejam úteis a todos...... Significa, também, dedicar-se mais aos alunos com maioresdificuldades – a atenção do/a professor/a precisa serproporcional às necessidades dos alunos.
  • 18. HABILIDADES COMUNS Leitura e análise de diferentes textos produzidos emdiferentes linguagens: Narrativas, textos poéticos, de divulgação científica,informativos (inclusive didáticos), de opinião e outros Mapas, fotos, gravuras, documentos de época,depoimentos, gráficos, tabelas, etc.
  • 19.  Escrita Organização e registro de informações em diferenteslinguagens, texto escrito, tabelas, esquemas, gráficos,desenhos Produções de diferentes tipos de textos: narrativos,informativos etc.HABILIDADES COMUNS Expressão oral Leitura oral de textos da tipologia narrar e relatar Exposição de suas ideias com clareza, argumentaçãoem defesa de suas ideias considerando a contribuiçãodo outro
  • 20. HABILIDADES COMUNS Análise e interpretação de fatos e ideias: Coleta e organização de informações Estabelecimento de relações Formulação de perguntas e hipóteses Utilização de informações e conceitos em situaçõesdiversas
  • 21. Importância da leitura pelo professor Lendo todos os dias, o professor garante que aleitura se torne parte integrante da rotina da turma. Permite que os alunos construam uma crescenteautonomia para ler, familiarizem-se com alinguagem escrita, sintam prazer com a leitura,conheçam uma diversidade de histórias e de autores,entre outros ganhos.
  • 22. Importância da leitura pelo professor Lembrando que os alunos não convivem comleitores, o professor é o modelo. O professor estáensinando a eles o comportamento leitor;dando exemplos eles aprendem a função socialda leitura.
  • 23. Mais referências para consulta e estudo:Material que está no blog – OTs de 2012:• História http://www.slideshare.net/clauelis/ot-recuperao-intensiva-histria• Geografia http://www.slideshare.net/clauelis/ot-recuperao-intensiva-geografia• Matemática http://www.slideshare.net/clauelis/recuperao-intensiva-matemtica• Língua Portuguesa http://www.slideshare.net/clauelis/recuperao-intensiva-lngua-portuguesa• Inglês http://www.slideshare.net/clauelis/ot-ingls-recuperao-intensiva• http://www.slideshare.net/clauelis/ingls-recuperao-intensiva1• http://www.slideshare.net/clauelis/ingls-recuperao-intensiva2Caderno de Orientações Didáticas Ler e Escrever – Tecnologias na Educação (CENPEC) –disponível para download em http://cenpec.org.br/biblioteca/educacao/producoes-cenpec/caderno-de-orientacoes-didaticas-ler-e-escrever-tecnologias-da-educacaoLivros:ARAÚJO, U. F. Assembleia Escolar: um caminho para a resolução de conflitos. SP: Moderna, 2004.PERRENOUD, Ph. Pedagogia Diferenciada: das intenções à ação. Porto Alegre: Artmed, 2000.VASCONCELLOS, Celso dos S. Avaliação da Aprendizagem: práticas de mudança por uma praxistransformadora. 10ª ed. SP: Libertad, 2010.