• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Educação Especial: OT Planejamento 2014 EF-Anos Finais e Ensino Médio
 

Educação Especial: OT Planejamento 2014 EF-Anos Finais e Ensino Médio

on

  • 1,040 views

Apresentação da PCNP Regina Leôncio, na OT Planejamento Escolar 2014, realizada no Núcleo Pedagógico da DE Leste 4, em 20/02/2014.

Apresentação da PCNP Regina Leôncio, na OT Planejamento Escolar 2014, realizada no Núcleo Pedagógico da DE Leste 4, em 20/02/2014.

Statistics

Views

Total Views
1,040
Views on SlideShare
1,040
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
12
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Educação Especial: OT Planejamento 2014 EF-Anos Finais e Ensino Médio Educação Especial: OT Planejamento 2014 EF-Anos Finais e Ensino Médio Presentation Transcript

    • DIRETORIA DE ENSINO LESTE 4 JOSÉ CARLOS FRANCISCO DIRIGENTE REGIONAL DE ENSINO Orientação Técnica - Educação Especial fevereiro 2014
    • OBJETIVOS : Orientar os Professores e a Equipe Gestora a respeito dos atendimentos adequados a serem oferecidos aos alunos que apresentam necessidades educacionais especiais matriculados nas escolas jurisdicionadas à Diretoria de Ensino Leste 4, com base na Resolução SE 11, de 31/01/2008. fevereiro 2014
    • A escola pode recusar a matrícula dos alunos por falta de condições e/ou preparo dos professores? Resposta: Não! A escola não pode recusar matrícula a nenhum cidadão. A legislação vigente no país define a educação como direito que se refere ao indivíduo e do qual ele, ou os pais, não pode abdicar. A escola, portanto, deve agir de modo a respeitar esse direito e não se negar a receber qualquer aluno com deficiência. Dessa legislação constam, entre outros, os seguintes documentos: fevereiro 2014
    • LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA Constituição Federal: Artigos 5º; 205; 206 (incisos I e VII); 208 (incisos III e V). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996): Artigos 4º (inciso III); 58 (parágrafos 1º a 3º); 59 (incisos I a IV). Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, MEC, 2008 Deliberação CEE nº 68/2007 Resolução SE nº 11/2008, alterada pela Resolução SE nº 31/2008. Decreto Federal nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Decreto Federal nº 7.612, de 17 de novembro de 2011. Todos esses documentos podem ser consultados na página do CAPE na internet (http://cape.edunet.sp.gov.br, menu Legislação). fevereiro 2014
    • ALUNO COM VISÃO SUBNORMAL/ BAIXA VISÃO OU CEGUEIRA –DV Visão subnormal ou baixa visão: Comprometimento do funcionamento visual em ambos os olhos, mesmo após tratamento e/ou correção com recursos específicos. Cegueira: Perda total da visão até da percepção de luz; utiliza o Braille como sistema de escrita. fevereiro 2014
    • ALUNO COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA OU SURDEZ – DA Deficiente auditivo: Surdez leve (de 25 a 40 db), moderada (de 41 a 55 db) ou acentuada (56 a 70 db). Surdo: Surdez severa (71 a 90 db) ou profunda (acima de 91 db) fevereiro 2014
    • ALUNO COM DEFICIÊNCIA FÍSICA –DF Alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano,acarretando o comprometimento da função física. Mais conhecidos: Paralisia cerebral (PC), cadeirante fevereiro 2014
    • ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL (ANTES MENTAL)–DI (ANTES DM) Funcionamento intelectual SIGNIFICATIVAMENTE abaixo da média, com manifestações antes dos 18 anos e limitações associadas a duas ou mais áreas, tais como: -Comunicação -Cuidados pessoais -Habilidades sociais -Independência na locomoção -Saúde e segurança -Desempenho escolar -Lazer e trabalho fevereiro 2014
    • 4º PASSO: COM QUEM POSSO CONTAR? SAPE –Sala de Apoio Pedagógico Especializado *Conhecida como“ Sala de Recursos”,oferece apoio pedagógico com professor especializado em contraturno ao horário que o aluno estiver matriculado na rede regular. *O serviço prestado nessas salas não deve ser confundido com reforço escolar. *O professor especializado vem para mediar a aprendizagem, desenvolvendo programas que favoreçam as funções cognitivas indispensáveis ao êxito acadêmico dos alunos com dificuldades de aprender por ter necessidades especiais fevereiro 2014
    • RELAÇÃO DAS ESCOLAS COM SALAS DE RECURSO DEFICIÊNCIAS: MENTAL / VISUAL / AUDITIVA / FÍSICA / AUTISMO DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: JOCELYN PONTES GESTAL MISSIONÁRIO MANOEL DE MELLO MARIA DE LOURDES ROSÁRIO NEGREIROS MARIA DE LOURDES NOGUEIRA ALBERGARIA MENOTTI DEL PICCHIA EMIR MACEDO OCTÁVIO MARCONDES FERRAZ SÃO JOÃO EVANGELISTA DEFICIÊNCIA VISUAL ORESTES ROSOLIA DEFICIÊNCIA AUDITIVA SÃO JOÃO EVANGELISTA AUTISMO DOM BERNARDO RODRIGUES NOGUEIRA AUGUSTO BAILLOT DEFICIÊNCIA FÍSICA MARIA AUGUSTA DE ÁVILA fevereiro 2014
    • fevereiro 2014
    • TRANSPORTE São Paulo e Grande São Paulo A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos - EMTU/SP assinou no dia 27/07/ os contratos com os 52 operadores do Serviço Especial de transporte Conveniado – “ Ligado “ . Região de atuação: Área de atuação da EMTU/SP, ou seja a Região Metropolitana de São Paulo e grande São Paulo. Alunos de escolas estaduais (pessoas com deficiência ou de mobilidade reduzida severa); cadeirante ou deficiente físico (com impedimento de autonomia; autista (associado de deficiência intelectual moderada ou grave, suscetível de comportamentos agressivos; deficiente intelectual (grave comprometimento e com limitações significativas de locomoção); surdocego (com dificuldades de comunicação e de mobilidade); deficiência múltipla (que necessite de apoio contínuo); cego ou com visão subnormal (sem autonomia e mobilidade); AACD, AMA (Associação Amigos do Autista; Autista com acompanhante). fevereiro 2014
    • A Unidade Escolar deverá encaminhar um Ofício do Diretor à Diretoria de Ensino solicitando o serviço de transporte com : Certidão de nascimento ou RG R.A. do aluno; Ficha cadastral do aluno; tipo de deficiência com cópia do laudo médico com CID comprovando a necessidade; comprovante do GDAE Mapa Google com trajeto casa/escola (endereço da origem e destino da viagem); Dias da semana , horário e turno de atendimento na escola ( classe regular e sala de recursos) Cópia de comprovante de endereço ( conta de água, luz ) Carta do pai ou responsável solicitando o transporte ( de próprio punho) fevereiro 2014
    • fevereiro 2014
    • INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO DE TRATAMENTO CLÍNICO E EDUCACIONAL DE AUTISTAS NO ESTADO DE SÃO PAULO O requerimento feito pelo responsável legal do autista deverá ser encaminhado ao Exmo. Secretário de Estado da Saúde (por carta com aviso de recebimento) ou entregue na Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, localizada à Av. Doutor Enéas de Carvalho Aguiar, 188, Cep 05403-000, São Paulo, SP ou no Gabinete do Secretário Estadual de Saúde, ( 1º andar – Expediente do Gabinete ) ( tel. 3066-8656 e fax 30864315) . O requerimento deverá conter cópias: 1-CPF do responsável legal; 2-RG do responsável legal; 3-Certidão de nascimento do(a) jovem autista; 4-Comprovante de endereço (água, luz, telefone ou gáz); - Telefone para contato do responsável legal fevereiro 2014
    • No requerimento deverá constar a solicitação de atendimento clínico e educacional, seguido de breve histórico da situação social e econômica da família. Caberá à Secretaria de Saúde responder pelo atendimento clínico e à Secretaria de Educação responder pelo atendimento educacional. Qualquer tratamento específico que possa ser requerido deverá ser expressamente indicado no laudo médico. Poderá constar no requerimento orçamento de instituição de ensino privada mais próxima possível da residência do jovem em questão, que poderá ser custeada pela Secretaria de Educação, caso ela não disponha de entidade conveniada capaz de prover este atendimento educacional especializado. Ficará a cargo da Secretaria de Educação eleger esta ou outra instituição, fundamentando devidamente a inviabilidade da indicação. fevereiro 2014
    • REUNIÕES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL COM:  EQUIPES DE SAÚDE  PAIS / EQUIPE ESCOLAR Atendimento na região : CAPS SAPOPEMBA E CAPS SÃO MATEUS CAPS CIDADE LÍDER CAPS PENHA fevereiro 2014
    • ACESSIBILIDADE NAS ESCOLAS Rampa Banheiro adaptado Portas largas Corrimão Elevador Setor : NÚCLEO DE OBRAS Responsável : Michele Coordenado pela FDE fevereiro 2014
    • CUIDADOR Obs: A escola deverá solicitar este apoio para atender ao aluno que necessite, mediante comprovação com a mãe e/ou responsável no ato da matrícula. fevereiro 2014
    • CUIDADOR profissional ou prestador de serviços, devidamente capacitado, que proporciona o atendimento e apoio necessários a alunos com deficiência, cujas limitações lhes acarretem dificuldade de caráter permanente ou temporário no cotidiano escolar, e que não conseguem, com independência e autonomia realizar, dentre outras, atividades relacionadas à alimentação, higiene bucal e íntima, utilização de banheiro, locomoção, administração de medicamentos constantes de prescrição médica (mediante autorização escrita dos responsáveis, salvo na hipótese em que esta atividade for privativa de enfermeiro, nos termos da legislação). Pessoa com deficiência: aquela que tem impedimento de natureza física, intelectual, sensorial ou múltipla, que, em interação Com diversas barreiras, pode obstruir da participação plena e efetiva na sociedade. TAC Cuidador fevereiro 2014
    • O Cuidador atuará, em regra, fora da sala de aula, sendo que a necessidade de seu apoio no interior da sala de aula, como facilitador na execução das atividades escolares, será avaliada pela Equipe de Educação Especial da Diretoria de Ensino, com a participação da família, e somente para casos de exceção e de dependência que comprometa substancialmente, a realização das atividades escolares, atentando para a não interferência no trabalho pedagógico e no desenvolvimento da autonomia do aluno. fevereiro 2014
    • Serviços a serem prestados pelo cuidador: Realizar a recepção do aluno no início do período de aulas e acompanhá-lo até a sala de aula. Garantir o acesso e o deslocamento em todo o ambiente escolar, ficar de prontidão para executar, quando solicitado, as funções de oferecer o lanche, higiene bucal, acompanhar para o uso do sanitário, realizar sua higiene íntima, troca de fraldas e/ou vestuário e administração de medicamentos. Acompanhar o aluno, no horário do intervalo, até o local apropriado, como a cantina ou refeitório e auxiliá-lo durante a alimentação e após, em sua higiene. Ao final do intervalo, auxiliá-lo no retorno à sala de aula; Utilizar luvas descartáveis para os procedimentos e descartálas após o uso; Zelar pela higiene e manutenção dos materiais de procedimentos específicos para o asseio do aluno; fevereiro 2014
    • Administrar medicamentos apenas com prescrição médica, mediante conhecimento prévio dos horários, com anuência do professor e diretor da escola para a sua entrada em sala de aula. Para isso, deverá retirar o aluno da sala de aula, ministrar o medicamento durante o período prescrito e retornar o aluno à sala de aula. O MEDICAMENTO NÃO FICARÁ NA UNIDADE ESCOLAR, DEVERÁ SER TRAZIDO PELO ALUNO. Zelar pelas condições adequadas para que não se coloque em risco a saúde e o bem estar, de acordo com a particularidade e necessidade de cada aluno; Permanecer todo o período de aula do aluno, fora da sala de aula, em local acessível, aguardando que seja solicitado para realizar suas funções; Comunicar aos responsáveis da unidade escolar, quando necessário, as ocorrências relacionadas ao aluno; Acompanhar, no término da aula, o aluno até o portão da escola. Cumprir horário e estar adequadamente uniformizado e identificado. fevereiro 2014
    • ORGANIZAÇÃO DO PRONTUÁRIO DO ALUNO Documentos que deverão compor o prontuário do aluno com necessidades educacionais especiais: RG, Certidão de Nascimento, Ficha de Matricula, Histórico Escolar laudo médico , relatório de acompanhamento médico Ficha Descritiva (quando houver); Avaliação PEDAGÓGICA descritiva atualizada fevereiro 2014
    • DIRETORIA DE ENSINO LESTE 4 Diretora do Núcleo Pedagógico: Elenyr Garcia Jordão  Professora Coordenadora da Núcleo Pedagógico. Educação Especial: Regina de Fátima Leôncio fevereiro 2014