Your SlideShare is downloading. ×
Domínio - D1
Domínio - D1
Domínio - D1
Domínio - D1
Domínio - D1
Domínio - D1
Domínio - D1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Domínio - D1

146

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
146
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) Subdomínio - D1 A formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro de 2009
  • 2. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) ____________________________________________________________________________________ ___________________________________________ ___________________________________________________________________________________ ____________________________________ 2 A Formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro 2009
  • 3. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) _______________________________________________________________________________________________________________________________ D. GESTÂO da BE D.1 – Articulação da BE com a Escola Evidências extraídas dos Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Instrumentos, a integrar no Evidências sugeridos Relatório de Auto-avaliação “frases – tipo” • A escola inclui a BE na formulação e desenvolvimento da sua missão, princípios e objectivos estratégicos e de • Excertos das determinações  Os documentos que regulam o D.1.1 aprendizagem. contidas na documentação funcionamento do agrupamento da Integração/acção da • O professor bibliotecário tem assento no conselho institucional que define os escola e o RI das bibliotecas BE na pedagógico. objectivos e regula o contemplam: escola/agrupamento. • São desencadeadas acções com vista à partilha, discussão e funcionamento do agrupamento, - Missão e objectivos da BE; aprovação da missão e objectivos da BE nos órgãos de referentes à BE. - Organização funcional do espaço; administração e gestão (conselho geral, director, conselho - Organização e gestão dos recursos pedagógico) departamentos curriculares e demais de informação; estruturas de coordenação educativa e de supervisão • Aspectos contidos nos - Gestão dos recursos humanos pedagógica. documentos que regem o afectos à BE; • O regulamento interno da escola contempla os seguintes funcionamento da BE e que se - Serviços prestados à comunidade aspectos: relacionam com este item. escolar no âmbito do projecto - Missão e objectivos da BE; educativo; - Organização funcional do espaço; - Regimento do funcionamento das _______________________________________________________________________________________________________________________ 3 A Formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro 2009
  • 4. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) _______________________________________________________________________________________________________________________________ - Organização e gestão dos recursos de informação; BE. - Gestão dos recursos humanos afectos à BE; • Registos de reuniões/contactos,  A BE reúne com departamentos - Serviços prestados à comunidade escolar no âmbito do excertos de actas. curriculares e demais estruturas de projecto educativo; coordenação educativa e - Regimento do funcionamento das BE. supervisão pedagógica para • A BE adequa os seus objectivos, recursos e actividades ao discutir e definir os objectivos e a currículo nacional, ao projecto curricular de escola e aos missão da BE. projectos curriculares das turmas. • O plano de desenvolvimento da BE acompanha, em termos de acção estratégica, o projecto educativo da escola e outros projectos. • O plano anual de actividades da BE relaciona-se, em termos de objectivos operacionais, com o apoio ao currículo, com o plano anual de actividades da escola e com outros projectos em desenvolvimento. • Os órgãos de administração e gestão (conselho geral, D.1.2 Valorização da director, conselho pedagógico) apoiam as BE e envolvem-  A BE Mantém um diálogo BE pelos órgãos se na procura de soluções promotoras do seu • Entrevista/questionário ao constante com o director, de direcção, funcionamento. director (CK1). partilhando dificuldades e administração e • Os órgãos de administração e gestão põem em prática uma sucessos. gestão da política de afectação de recursos humanos adequada às • Excertos de actas de escola/agrupamento. necessidades de desenvolvimento da BE. apresentação de • Os órgãos de administração e gestão (director, conselho projectos/relatórios ao conselho  Promove exposições e encontros, pedagógico) e os departamentos curriculares estabelecem pedagógico; para divulgar trabalhos, para _______________________________________________________________________________________________________________________ 4 A Formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro 2009
  • 5. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) _______________________________________________________________________________________________________________________________ estratégias visando a articulação entre a BE e as demais envolver a comunidade educativa, estruturas de coordenação educativa e de supervisão • Determinações/recomendações pais/EE. pedagógica. do conselho pedagógico. • A escola contempla a BE e os seus recursos nos projectos e  A BE Dinamiza diferentes meios e actividades educativas e curriculares. • Registos de ambientes para promover as • Os órgãos de administração e gestão atribuem uma verba projectos/actividades actividades que realiza (jornal anual para a renovação de equipamentos, para a envolvendo trabalho na/com a digital, blog, portal das bibliotecas actualização da colecção e para o funcionamento da BE. BE. concelhias, reuniões informais). A • A escola encara a BE como recurso fulcral no desenvolvimento do gosto pela leitura, na aquisição das • Estatísticas de utilização da BE.  BE Divulga recursos e sugere literacias fundamentais, na progressão nas aprendizagens e projectos e actividades. no sucesso escolar. • Documentos de gestão da BE. • Os docentes valorizam o papel da BE e integram-na nas suas práticas de ensino/aprendizagem. • Documentos de gestão da escola. • A BE funciona num horário contínuo e alargado que D.1.3 Resposta da possibilita o acesso dos utilizadores no horário lectivo e  Assegura a abertura da BE num BE às necessidades acompanha as necessidades de ocupação em horário extra • Horário da BE. horário alargado (8.20/17h) a fim da lectivo. de responder às necessidades dos escola/agrupamento. • As BE no agrupamento são geridas de forma integrada, utilizadores. rentabilizando recursos, possibilidades de acesso a  Cria condições de acolhimento e programas e projectos. um ambiente propício à fruição do • Os recursos e serviços da BE respondem às metas e espaço e ao estudo e pesquisa/uso _______________________________________________________________________________________________________________________ 5 A Formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro 2009
  • 6. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) _______________________________________________________________________________________________________________________________ estratégias definidas no projecto educativo, projecto • Estatísticas de utilização da BE. da informação. curricular e outros projectos.  Apoia os utilizadores no acesso e • A BE cria condições e é usada como recurso e como local • Registos de reuniões/contactos. na procura e produção da de lazer e de trabalho. informação, incentivando uma • cultura de acesso e uso da BE e A BE apoia os utilizadores no acesso à colecção, aos • Registo de projectos/actividades. equipamentos, à leitura, à pesquisa e ao uso da informação. dos recursos. • A BE planifica com docentes, departamentos curriculares e  Pretende Articular/planificar com • Questionário aos docentes demais estruturas de coordenação educativa e de departamentos curriculares e (QD3). supervisão pedagógica. demais estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica • A BE desenvolve projectos com a escola/agrupamento. • Livro/Caixa de sugestões/ e docentes. • A BE assume-se como pólo de fomento e de difusão reclamações.  Cria dinâmicas de promoção cultural cultural, promovendo a escola e a BE como pólo cultural. D.1.4 Avaliação da • A BE implementa um sistema de auto-avaliação contínuo. • Informação recolhida com  A BE Implementa o processo de BE na • Os órgãos de direcção, administração e gestão são recurso ao sistema automatizado auto-avaliação da BE, integrando-o escola/agrupamento. de gestão bibliográfica. nas práticas de gestão. envolvidos no processo de autoavaliação da BE.  A BE aplica instrumentos de • Os instrumentos de recolha de informação são aplicados, • Registos de observação, recolha de informação. de forma sistemática, e no decurso do processo de gestão. questionários, entrevistas ou outros  Analisa/interpreta a informação • A informação recolhida é analisada e os resultados da realizados no âmbito da avaliação recolhida. análise/avaliação originam, quando necessário, a redefinição da BE.  Altera práticas de acordo com a de estratégias, sendo integrados no processo de planeamento. identificação dos pontos fortes e • Os resultados da auto-avaliação são divulgados junto dos • Excertos de documentação fracos. órgãos de direcção, administração e gestão (conselho geral, _______________________________________________________________________________________________________________________ 6 A Formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro 2009
  • 7. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) _______________________________________________________________________________________________________________________________ director, conselho pedagógico), estruturas de coordenação recolhida.  Identifica acções para a melhoria e educativa e de supervisão pedagógica, e da restante integra-as no processo de comunidade, com o objectivo de promover e valorizar as planeamento. mais-valias da BE e de alertar para os pontos fracos do seu  Divulga os resultados obtidos a funcionamento. diferentes destinatários. • São realizadas actividades de benchmarking.  Pretende integrar os resultados da • A auto-avaliação da escola integra os resultados da auto- autoavaliação da BE na auto- avaliação da BE. avaliação da escola. Bibliografia:  Guia da sessão  Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar _______________________________________________________________________________________________________________________ 7 A Formanda: Maria Claudina Fernandes Pires Novembro 2009

×