Saberes e Pilares da Educação -PUC RJ

4,092 views
3,839 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,092
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
74
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Saberes e Pilares da Educação -PUC RJ

  1. 1. <ul><li>Grupo B: DF 07 Mediadora: Maurici Rocha </li></ul><ul><li>Componentes </li></ul><ul><li>Ana Paula da Costa Oliveira Ventura de Lima </li></ul><ul><li>Cláudia Maria Lima da Rocha </li></ul><ul><li>Francisco Cássio da Silva Alves </li></ul><ul><li>Mariza Vieira de Carvalho Almeida </li></ul><ul><li>Mirtes Oliveira Targino Chaves Martins </li></ul><ul><li>Paulo Roberto de Oliveira Magalhães </li></ul><ul><li>Susane dos Santos Januário </li></ul>
  2. 2. <ul><li>Os saberes </li></ul><ul><li>Ensinar a condição humana </li></ul><ul><li>Enfrentar as incertezas </li></ul><ul><li>Ensinar a compreensão </li></ul><ul><li>A ética do gênero humano </li></ul><ul><li>Morin </li></ul><ul><li>Os pilares: </li></ul><ul><li>Aprender a ser </li></ul><ul><li>Aprender a conhecer </li></ul><ul><li>Aprendendo a fazer </li></ul><ul><li>Aprendendo a viver juntos </li></ul><ul><li>Delors </li></ul>
  3. 3. <ul><li>“ O conhecimento dos desenvolvimentos da era planetária que tendem a crescer no século XXI e o reconhecimento da identidade terrena que se tornará cada vez mais indispensável a cada um e a todos, deve converter-se em um dos principais objetos da educação. “ (Morin) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Conhecer o humano é, antes de mais nada, situá-lo no universo, e não separá-lo dele. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A partir do ensino das disciplinas , reconhecer a unidade e a complexidade humanas, reunindo e organizando conhecimentos dispersos nas ciências da natureza, nas ciências humanas, na literatura e na filosofia, pondo em evidência o elo indissolúvel entre a unidade e a diversidade de tudo que é humano. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Promover ações capazes </li></ul><ul><li>de mostrar que o desenvolvimento só é completo a partir de um conjunto de participações individuais e comunitárias, de modo que cada um, onde quer que se encontre,tome conhecimento e consciência de sua identidade complexa e comum a todos os outros humanos. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Gerar um auto conhecimento </li></ul><ul><li>de quem somos nós, para que viemos, </li></ul><ul><li>onde estamos, por que </li></ul><ul><li>devemos conhecer e por </li></ul><ul><li>consequência produzir </li></ul><ul><li>consciência e tomada de </li></ul><ul><li>decisões ,favorecendo o </li></ul><ul><li>crescimento de pessoas </li></ul><ul><li>críticas , autônomas e </li></ul><ul><li>conscientes. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Realizar atividades que levem o aluno a reconhecer a unidade e a complexidade humanas, reunindo e organizando conhecimentos dispersos nas ciências da natureza, nas ciências humanas, na literatura e na filosofia, pondo em evidência a ligação entre a unidade e a diversidade de tudo que é humano. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Promover atividades que unam as diversas disciplinas, capazes de levar o aluno a desenvolver uma consciência crítica da importância do Planeta e do Universo. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>“ Morin considera a incerteza e as contradições como parte da vida e da condição humana e, ao mesmo tempo, sugere a solidariedade e a ética como caminho para a religação dos seres e dos saberes“ </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Desenvolver atividades </li></ul><ul><li>que permitam ao aluno </li></ul><ul><li>enfrentar os imprevistos, </li></ul><ul><li>o inesperado e a incerteza, </li></ul><ul><li>e ao mesmo tempo permitir-lhe modificar seu desenvolvimento em virtude das informações adquiridas ao longo do tempo. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Mostrar ao aluno que é possível navegar em um oceano de incertezas em meio a arquipélagos de certeza, pois as certezas podem ser verdades transitórias. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Promover atividades </li></ul><ul><li>que desencadeiem </li></ul><ul><li>um pensamento </li></ul><ul><li>crítico sobre o </li></ul><ul><li>próprio pensar e </li></ul><ul><li>seus métodos, </li></ul><ul><li>o que implica </li></ul><ul><li>sempre voltar </li></ul><ul><li>ao começo . </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Desenvolver a postura de compartilhar saberes através da formação de uma rede de significados que se faz pelo trabalho articulado em suas diferentes dimensões: conceitual, procedimental e atitudinal. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Provocar o espírito de pesquisa e investigação nos alunos, criando oportunidades para o diálogo com </li></ul><ul><li>diferentes campos de conhecimentos . </li></ul>
  16. 16. <ul><li>“ A compreensão é a um só tempo </li></ul><ul><li>meio e fim da comunicação </li></ul><ul><li>humana. Entretanto, </li></ul><ul><li>a educação para a compreensão </li></ul><ul><li>está ausente no ensino. </li></ul><ul><li>O planeta necessita, em todos </li></ul><ul><li>os sentidos, de compreensão </li></ul><ul><li>mútua.” (Morin) </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Nas escolas não há a preocupação em ensinar a compreender. </li></ul><ul><li>Vivemos a era do individualismo, onde há uma evidente </li></ul><ul><li>rejeição ao próximo. Uma evidente competição o ser melhor que </li></ul><ul><li>o outro, incompreensão, indiferença ao que está ao nosso lado. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>O ensino precisa levar em consideração a importância do autoconhecimento e do conhecimento e compreensão do ser humano. </li></ul><ul><li>Investir no ser humano,dando oportunidades para que ele se mostre e que os outros tenham oportunidade de conhecê-lo, compreendê-lo e aceitá-lo. É preciso que cada um se veja, e veja no próximo a importância que cada um representa nesse mundo. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>A educação deve conduzir à &quot;antropo-ética&quot;, levando em conta o caráter ternário da condição humana, que é ser ao mesmo tempo indivíduo/sociedade/espécie. Nesse sentido, a ética indivíduo/espécie necessita do controle mútuo da sociedade pelo indivíduo e do indivíduo pela sociedade, ou seja, a democracia; a ética indivíduo/espécie convoca, ao século XXI, a cidadania terrestre.” (Morin) </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Para Morin, os problemas da moral e da ética diferem de acordo com a cultura e a natureza humana cabendo ao ser humano desenvolver a ética, a autonomia pessoal (responsabilidades) e a participação na sociedade que faz parte, pois compartilha-se um destino comum. A antropo-ética está diretamente ligada a democracia, pois a democracia permite a relação indivíduo/sociedade fazendo do cidadão um ser solidário e responsável. O voto é um bom exemplo do exercício da democracia e da participação solidária e responsável do indivíduo, fazendo assim com que o poder circule onde um controlado hoje poderá ser o controlador de amanhã. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Cabe ao ser humano desenvolver o seu senso ético independente de situação política/social ou econômica, participando por exemplo, de associações não governamentais, assistindo países em ameaças ou fortes conflitos, fazendo sua parte no processo de civilização da terra tornando-a uma grande pátria. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>A educação tem o papel de evitar os conflitos sociais ou resolvê-los de maneira pacífica a partir do desenvolvimento dos outros, de suas culturas e espiritualidades. (Delors) </li></ul>
  23. 23. <ul><li>“ Aprender a ser, para melhor desenvolver a sua personalidade e estar à altura de agir com cada vez maior capacidade de autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal. Para isso, não negligenciar na educação nenhuma das potencialidades de cada indivíduo: memória, raciocínio, sentido estético, capacidades físicas, aptidão para comunicar-se.” (Delors) </li></ul>
  24. 24. <ul><li>A educação precisa contribuir para a formação do indivíduo, para que o mesmo valorize seu poder de autonomia, formulando seus valores e atribuindo seu próprio juízo, decidindo seus próprios caminhos e agindo em circunstâncias diferenciadas. E como isso seria possível pela escola? A partir do momento em que dermos um novo valor ao significado da palavra aluno (do lat. alumnus, alumni, proveniente de alere, que significa “alimentar, sustentar, nutrir, fazer crescer” [HOUAISS]). Sim precisamos alimentá-los de valores, de atitudes, de compreensão de auto-estima. Fazê-lo respeitar as diferenças e diversidades culturais, econômicas, religiosas e raciais.. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Valorizar a iniciativa a criatividade, não se preocupando somente com a transmissão de conteúdos que o farão “passar de ano”, enfim respeitá-los e levá-los a respeitar as diferenças. </li></ul><ul><li>Jaques Delors mostrou uma preocupação com o desenvolvimento completo do ser humano, na compreensão, percepção, na capacidade de gerir conflitos, no respeito ao próximo, aprender para ser melhor, essa frase é muito forte, verdadeira, uma máxima para a educação. Conceber a educação como um todo não negligenciando nenhuma das potencialidades de cada individuo. </li></ul>
  26. 26. <ul><li>“ Combinando uma cultura geral, suficientemente vasta, com a possibilidade de trabalhar em profundidade um pequeno número de matérias. O que também significa: aprender a aprender, para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo de toda a vida.” (Delors) </li></ul>
  27. 28. <ul><li>Ensinar a não violência a partir de projetos que tenham um contexto igualitário, com objetivos comuns a todos que deles participarem, visando a quebra de hostilidade e preconceitos . </li></ul>
  28. 29. <ul><li>Transmitir conhecimentos sobre a </li></ul><ul><li>diversidade da espécie humana, numa </li></ul><ul><li>tranversalidade das disciplinas. </li></ul><ul><li>Desenvolver atitudes de empatia nas escolas , </li></ul><ul><li>trabalhando o desenvolvimento de </li></ul><ul><li>comportamentos sociais. </li></ul>
  29. 30. <ul><li>Ensinar história das religiões e das culturas, com objetivo de evitar no futuro comportamentos </li></ul><ul><li>geradores de violência </li></ul>
  30. 31. <ul><li>Promover programas para iniciar os jovens e crianças em projetos de </li></ul><ul><li>cooperação, no campo das atividades </li></ul><ul><li>desportivas e culturais,como </li></ul><ul><li>também em atividades sociais. </li></ul>
  31. 32. <ul><li>Desenvolver a capacidade de comunicar, de trabalhar com os outros, de gerir e de resolver conflitos, no âmbito das diversas experiências sociais ou de trabalho que se oferecem aos jovens e adolescentes, quer espontaneamente, </li></ul><ul><li>fruto do contexto local ou nacional, </li></ul><ul><li>quer formalmente, graças ao </li></ul><ul><li>desenvolvimento do ensino </li></ul><ul><li>alternado com o trabalho. </li></ul>
  32. 33. <ul><li>Incentivar a capacidade de criação e inovação ligadas ao contexto </li></ul><ul><li>em que se instala. </li></ul><ul><li>Desenvolver a capacidade de reter , transmitir, interpretar e selecionar informações.Analisar diferentes perspectivas, e refazer as suas próprias </li></ul><ul><li>opiniões mediante novos </li></ul><ul><li>fatos e informações. </li></ul>
  33. 34. CONCLUSÃO Sabe aquela estória do circo que chegou à cidadezinha do interior, e desfilou na rua principal diante de uma platéia entusiasmada de crianças, jovens, adultos e velhos? Desfilavam bailarinas, palhaços, domadores, elefantes, macaquinhos, e toda sorte de cores, mágicas e malabarismos. Pois é, o circo chegou... e a professora da escolinha municipal no outro dia continuou sua aula de português: “o menino corre atrás da bola”. Dois mais dois são quatro. Temos cinco sentidos: olfato, tato... E as crianças mal esperavam à hora da merenda para falar do circo que chegara à cidade... Pois é... A professora bem que podia ter aproveitado a passagem do circo para contextualizar a aula: “O menino foi ao circo ver o mágico que tirava dois coelhos e mais dois pombinhos da cartola.”
  34. 35. Usamos o olfato para cheirar a pipoca que vendem no circo... e por aí vai. Devemos contextualizar os conhecimentos, trazer para a sala de aula o prazer, a emoção, o amor, atos inatos, mas modulados de acordo com a educação. Educar para a vida, provocar situações que levem o educando a tomar decisões, a gerir conflitos e resolver conflitos, trabalhar em grupo, liderar. Abraçar projetos de prevenção à violência, por exemplo. Pois nenhuma escola é uma ilha, mas parte da sociedade, e uma sociedade embrutecida de forma espantosa. Projetos que combatam o preconceito, o individualismo. As peças teatrais, o coral, o jornalzinho da escola são formas de socialização que valorizam o espírito de cooperação e não a competição e o sucesso individual. Integrar as disciplinas, pois a fragmentação impede a visão do todo, da realidade. O FUNDO ESTÁ DIFICULTANDO A LEITURA DO TEXTO.
  35. 36. <ul><li>http://www.conteudoescola.com.br/site/content/view/89/27/1/9/ </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=Gdvjt-CO4HI </li></ul><ul><li>http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/artigos/os-pilares-da-educacao.php http://www.pedagobrasil.com.br/pedagogia/reflexoessobreosquatropilares.htm </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=1pD3TkQq7zI </li></ul>
  36. 37. <ul><li>1) http://www.comitepaz.org.br/documentos.htm </li></ul><ul><li>2) 4pilares.net/text-cont/delors-pilares.htm. </li></ul><ul><li>3) portal do mec.gov.br/ </li></ul><ul><li>4) FONTE: WIKIPEDIA:http://pt.wikipedia.org/wiki/Quatro_Pilares_da_Educa%C3%A7%C3%A3o] 5)http://www.eproinfo.mec.gov.br/webfolio/Mod85840/morin_7_saberes.pdf </li></ul><ul><li>6) http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/artigos/os-pilares-da-educacao.php </li></ul>

×