Your SlideShare is downloading. ×
Prevalência, fisiopatologia e tratamento da iue em gestantes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Prevalência, fisiopatologia e tratamento da iue em gestantes

309
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
309
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. “Stress urinary incontinence in pregnant women: a review ofprevalence, pathophysiology and treatment”Sangsawang B, Sangsawang NInt Urogynecol Journal, 2013BIOFEEDBACK FEDERATION OFEUROPELearn From the Best ™3º Journal Club Online de Disfunções PélvicasFt. Claudia Rosenblatt Hacad
  • 2. Introdução• IUE – IU mais comum em gestantes, com piora progressiva– impacto na QoL - 54.3% das gestantes nos 4 domínios:• atividade física• relações sociais• lazer• saúde emocional• Gestantes com IUU e IUM– pior QoL em relação as que apresentam IUE (domínios físicos, sociais eemocionais), mas não tem impacto na mobilidade, sugerindo mínimarestrição no estilo de vida.• LUTS– 36 semanas - sintomas podem perdurar até 1 ano pós parto.– mulheres de mais idade e que apresentam LUTS à partir de 12semanas – fatores preditivos de IUE 1 ano pós parto.Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 3. Introdução• IU – efeitos negativos na sexualidade e nos aspectos sociais• 16.9% gestantes - IUU moderada e grave• Gestantes consideram IU desconforto comum associado àgestação e parto• IU durante a gestação – risco maior de IU pós parto emrelação a gestantes continentes Objetivo dessa revisão: explicar a fisiopatologia , a prevalênciae o tratamento da IUE em gestantesFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 4. Métodos• 534 citações - banco de dados Pubmed e Cochrane (1990 à 2012)– 360 excluídas( após triar títulos e abstracts)– 174 artigos completos– 148 excluídos ( não alcançaram critério de eligibilidade)= 26 artigos incluídos Prevalência da IU ( 18 artigos) Exercícios/Treinamento da MAP (8 artigos)Inclusão: publicações pubmed língua inglesa e estudo em humanos. Palavras-chave: Epidemiol, Prevalência , IU, IUE, gestação, exerc. MAP, TMAP,tratamento conservadorExclusão: estudos não comparativos (estudos observacionais pre-pós, estudode caso, séries de caso)Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 5. • RESULTADOSFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 6. Prevalência• IUE > prevalência nas gestantes, variando de 18,6% a75%• IUU – varia de 2% a 35%• IUM – 3,8% a 13,1%• Todas aumentam com a evolução da gestaçãoFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 7. Fatores Anatômicos e Fisiológicos• Gestação– efeito significante na função do TUI– frequência miccional é influenciada pelo estado fisiológico da bexiga• FUD> 7 e FUN> 1• mesma incidência em primíparas e multíparas• Início ocorre no 1º trimestre• 80% gestantes apresentam aumento da FU em algum momento da gestação– Peso uterino• principal fator - aumento da FU na gestação (“irrita” e faz peso sobre a bexiga)• CCM normal 1º trimestre = 410ml, aumentando para 460ml no 2º trim reduzindo suacapacidade no 3º trimestre para 272ml, com aumento da “irritação” da bexiga pelapresença do feto.• Polaciúria – associada com aumento de ingestão hídrica > no 2ºtrimestre e < no 3º trim• Posição do útero: retrovertido impactado causa retenção, pois interfere na obliteraçãodo ângulo uretrovesical posterior - não eleva a junção uretrovesical da pelve e nãoalonga a uretra.– Outras causas - influências neurológicas? e hormonaisFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 8. Fisiopatologia da IUE durante a gestação• IUE Gestação– Fraqueza da MAP - mobilidade uretral e do colo vesical, levando a incompetência doesfíncter uretral• aumento da pressão intra-abdominal, transmitida para a bexiga- pressão intra-vesical > pressão fechamento uretral = IUE• Gestantes incontinentes < força MAP em relação a gestantes continentes• Prevalência IUE significantemente > comparado a não gestantes– Causas (?)• mudanças fisiológicas - redução força da MAP - desenvolvimento de IUE• trauma a MAP - ganho de peso durante gestação– aumento da pressão na bexiga e na MAP, causando aumento mobilidade uretral.– Excesso de peso da gestante pode prejudicar o fluxo sanguíneo e as inervações da bexigae uretra - > IMC > risco de IUE e prolapso órgãos pélvicos• redução da quantidade de colágeno e das propriedades de tensão < suporte funcional MAP> chance prolapsos e IU• Mudanças hormonais– diminuição relaxina 17-24 semanas ( estimula crescimento tecido TUI e aumenta pressãouretral) = IU final gestação– aumento progesterona ( relaxa musculatura lisa ), diminuindo tônus bexiga, ureter, uretra.• Expansão do útero e do peso fetal – maior no 3ºtrimetreFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 9. Tratamento da IUE• Exercícios/Treinamento da MAP– tratamento conservador– 1ºlinha tratamento IUE durante a gestação e no pós parto– aumenta a força da MAP e dos mm peri-uretraisFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 10. Conclusões• IUE – IU mais comum em gestantes.• Prevalência – 18.6% a 75%, aumentando com evolução dagestação.• Aumento da pressão do útero e do peso fetal sobre aMAP, associada a mudanças hormonais podem levar aredução da força da função esfincteriana e de suporte daMAP.• Fraqueza da MAP causa mobilidade uretral e do colovesical, levando a incompetência do esfíncter uretral - IUE• Exercícios MAP em gestantes – tratamento efetivo para IUEdurante a gestação e não provoca efeitos adversos.Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  • 11. clahacad@gmail.comwww.claudiahacad.com.brwww.bfe.org

×