Planejamento Escolar 2013 - parte1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Planejamento Escolar 2013 - parte1

  • 18,748 views
Uploaded on

Orientações para a organização dos dias de Planejamento, apresentadas aos Professores Coordenadores do EF-Anos Finais e Ensino Médio das escolas da DE Leste 4.

Orientações para a organização dos dias de Planejamento, apresentadas aos Professores Coordenadores do EF-Anos Finais e Ensino Médio das escolas da DE Leste 4.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
18,748
On Slideshare
18,748
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
131
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. DIRETORIA DE ENSINO LESTE 4 José Carlos FranciscoDirigente Regional de EnsinoOrientação Técnica PLANEJAMENTO ESCOLAR 2013 Núcleo Pedagógico htttp://leste4.nucleopedagogico.zip.net delt4npe@see.sp.gov.br
  • 2. “O pressuposto de qualqueratividade de planejamento é o desejode mudança, de acertar, deaperfeiçoar. Seria importante que oprofessor fosse ganhando clareza deque, se não planejarconscientemente, a tendência éreproduzir.” Celso Vasconcellos
  • 3. Espaço para se caminhar*: Zona de Autonomia Relativa (ZAR) Limite externo (natureza, Zona de sociedade) atuação atual Limite interno: - Projetado pelo sujeito - Contradições do sujeito * Conforme proposta de Celso Vasconcellos
  • 4. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Retomada e discussão de documentos da escola - Plano de Gestão 2011-2014, PAP (Plano de Ação Participativo): identificação e caracterização da escola; objetivos, metas e ações da escola. Análise dos resultados finais de 2012 e considerações sobre os indicadores da U.E.  O que já conseguimos em 2012? O que falta alcançar?
  • 5. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Definição dos projetos institucionais e dos projetos didáticos a serem desenvolvidos ao longo do ano pelos professores, incluindo aí a participação em projetos e programas da SEE por adesão – ex.: Cultura é Currículo – Lugares de Aprender / Escola em Cena, Descubra a Orquestra, Prodesc, e eventos como OLP, OBMEP, Ismart, Olimpíadas diversas.  Lembrando: projetos institucionais ≠ projetos didáticos Ações envolvendo toda a escola em Investigações mais pontuais, torno de um mesmo objetivo com objetivos, produto, público (produzir um jornal, uma campanha) alvo e prazo bem delimitados
  • 6. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Elaboração dos Planos Anuais de Ensino por Disciplina, conforme modelo publicado no Caderno do Gestor 2008, vol.2, ficha 3, p. 42.
  • 7. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Exemplo de Plano Anual de Ensino por disciplina, Caderno do (Currículo Estadual) (Currículo Estadual) Gestor 2008, vol.2, ficha 3, p. 43. (Currículo Estadual) (Currículo Estadual)
  • 8. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Documento de base: Currículo do Estado de São Paulo. Consultar a 1ª edição atualizada, 2011, disponível no site da SEE - “(...) os professores devem assumir seus planos, eles devem ser assinados e implementados. Eles são os guias que servem para a elaboração dos planos das aulas e da avaliação da aprendizagem dos alunos.” (CG 2008, v.2, p. 9)“As Propostas Curriculares [agora, Currículo] das disciplinas apresentam um planoanual por séries/bimestres sobre o que deve ser ensinado e aprendido. Éimportante que os professores formulem seus planos anuais considerando aspossibilidades e ajustes, em relação àqueles indicados nas Propostas [= Currículo],mesmo que, durante os bimestres, atualizem os demais aspectos associados àdefinição dos conteúdos indicados no plano anual.” (CG 2008, v.2, p. 10)
  • 9. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados:Recuperação IntensivaSugestão para elaboração do plano anual, dos planosbimestrais e dos planos de aula, específicos para asturmas de RI (etapas III e IV, 7º e 9º anos,respectivamente): Tomar como parâmetro o documento básico das Matrizes de Referência para a Avaliação (SARESP), que relacionam as habilidades fundamentais para as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História e Geografia, já representando um recorte do Currículo; Ed. Física, Inglês e Arte: conferir material na pasta.
  • 10. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Orientações e encaminhamentos para elaboração e entrega dos Planos Bimestrais de Ensino, conforme modelo publicado no Caderno do Gestor 2008, vol. 2, ficha 5, p. 45.  Combinar diversas modalidades organizativas (atividades permanentes, situações independentes, sequências didáticas e projetos) e estratégias de avaliação. Análise e interpretação das várias avaliações diagnósticas (atividades iniciais e resultados da Avaliação da Aprendizagem em Processo – 4 a 8/03) para a decisão sobre habilidades a desenvolver, e estratégias para desenvolvê-las.
  • 11. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Levar em consideração as Recomendações que integram os Relatórios Pedagógicos do SARESP 2011/2012, nas disciplinas avaliadas. Importância do planejamento articulado (bimestral, partindo do diagnóstico do aluno) – Língua Portuguesa e Matemática, com demais disciplinas. Sobre diagnóstico nas demais disciplinas que não contam com a prova diagnóstica: ver Orientações da CGEB para os primeiros dias de aula – http://www.educacao.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/318.pdf Importância do planejamento e da avaliação por habilidades, em todas as disciplinas, inclusive, para o acompanhamento dos alunos com necessidades especiais.
  • 12. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: Consultar as diversas orientações da CGEB (Coordenadoriade Gestão da Educação Básica) disponibilizadas no site daSEE, voltadas para todas as disciplinas e áreas, tecnologiaeducacional, os Temas Transversais, a Educação Especial, aEducação de Jovens e Adultos: http://www.educacao.sp.gov.br/docs/CGEB_OrientacoesParaOPlanejEscolar_2 013_24012013.pdf
  • 13. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB: Educação EspecialNúcleo de Apoio Pedagógico Especializado – CAPE (a partirda p. 132) "Nós não devemos deixar que as incapacidades das pessoas nosimpossibilitem de reconhecer as suas habilidades." (Hallahan e Kauffman, 1994) "Inclusão é sair das escolas dos diferentes e promover a escola das diferenças"
  • 14. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial Questões:- A escola pode recusar a matrícula dos alunos por falta decondições e/ou preparo dos professores? Resposta: Não! A escola não pode recusar matrícula a nenhum cidadão. A legislação vigente no país define a educação como direito que se refere ao indivíduo e do qual ele, ou os pais, não pode abdicar. A escola, portanto, deve agir de modo a respeitar esse direito e não se negar a receber qualquer aluno com deficiência.
  • 15. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial• Constituição Federal: Artigos 5º; 205; 206 (incisos I e VII); 208 (incisos III e V).• Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996): Artigos 4º (inciso III); 58 (parágrafos 1º a 3º); 59 (incisos I a IV).• Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, MEC, 2008. ,• Deliberação CEE nº 68/2007.• Resolução SE nº 11/2008, alterada pela Resolução SE nº 31/2008.• Decreto Federal nº 7.611, de 17 de novembro de 2011.• Decreto Federal nº 7.612, de 17 de novembro de 2011 Todos esses documentos podem ser consultados na página do CAPE na internet (http://cape.edunet.sp.gov.br, menu Legislação).
  • 16. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- Como o sistema educacional garante esse direito aos alunos comdeficiência?Resposta: Criando condições para que os alunos com deficiência,como qualquer outro aluno, tenham acesso ao conhecimento. Paraisso, o atendimento escolar de alunos que apresentam necessidadeseducacionais especiais deverá ser realizado preferencialmente, emclasses comuns da rede regular de ensino, com apoio, no contraturno,de Serviços de Apoio Pedagógico Especializado (SAPEs) organizadosna escola em que o aluno estuda ou em outra unidade escolar, paragarantir a inclusão, permanência, progressão e sucesso escolar. (Resolução SE nº 11/2008 – alterada pela Resolução SE nº 31/2008). É importante que o professor conheça esse Documento, pois eledispõe sobre o atendimento aos alunos com necessidadeseducacionais especiais, explicitando a estrutura atual da SEE no quese refere à Educação Especial.
  • 17. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- Quando tenho um aluno com deficiência na minha sala deaula, posso dizer que esse é um “aluno de inclusão”?Resposta: Não apenas ele. Todos e cada um são “alunos deinclusão”. A todos eles a escola tem de garantir um ensino dequalidade para uma aprendizagem efetiva. Para conhecer oconceito de inclusão que fundamenta as políticas públicasadotadas em âmbito nacional, sugere-se a consulta à páginado CAPE, na internet.http://cape.edunet.sp.gov.br/cape_arquivos/inclusao_social.asp
  • 18. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- Alunos com altas habilidades/superdotação são considerados comopúblico alvo da Educação Especial?Resposta: Sim, segundo a “Política Nacional de Educação Especial naPerspectiva da Educação Inclusiva” publicada em 2008 e outrosdispositivos legais (Resolução SE 11/2008 e outros dispositivos legais(Resolução SE 11/2008 e deliberação CEE 68/2007) esses alunos fazemparte do público alvo da Educação Especial e necessitam de estratégiasmetodológicas diferenciadas para atender às suas necessidadesespecíficas.A esses alunos deverá ser garantida a suplementação de estudos com aoferta do enriquecimento curricular.Esse enriquecimento visa a uma ampliação da visão de mundo dessealuno, possibilitando que ele possa desenvolver novas habilidades ecompetências. Além disso, eles precisam ter propostas deaprofundamento de estudos em suas áreas de interesse.É importante observar que esse aluno não precisa ser bom em tudo.
  • 19. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial Além disso, a SEE já possui uma política de atendimentodirigida a esse alunado, que foi definida pela Resolução SE81/2012, que dispõe sobre o processo de aceleração deestudos para alunos com altas habilidades/superdotaçãono sistema estadual de ensino de São Paulo e dáprovidências correlatas. Para maiores informações a respeito do tema consulte o livro “Um olhar para as altas habilidades: construindo caminhos”, disponível para download na página do CAPE http://cape.edunet.sp.gov.br/cape_arquivos/Um_Olhar_Para_As_Al tas_habilidades.pdf
  • 20. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- O que são necessidades educacionais especiais?Resposta: São assim consideradas aquelas que exigemmétodos recursos e estratégias aos quais, somente pormeio deles, o aluno tem acesso ao conhecimento, em vistade dificuldades de comunicação, visão, locomoção oudificuldades advindas de limites intelectuais. Outrasnecessidades são originadas do alto interesse e atençãode alguns alunos por assuntos determinados ou dapresença de habilidades acima da média.
  • 21. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação EspecialArt. 1º - São considerados alunos com necessidadeseducacionais especiais:I - alunos com deficiência física, mental, sensorial e múltipla,que demandem atendimento educacional especializado;II - alunos com altas habilidades, superdotação e grandefacilidade de aprendizagem, que os levem a dominar,rapidamente, conceitos, procedimentos e atitudes;III - alunos com transtornos invasivos de desenvolvimento;IV - alunos com outras dificuldades ou limitações acentuadasno processo de desenvolvimento, que dificultam oacompanhamento das atividades curriculares e necessitamde recursos pedagógicos adicionais.”
  • 22. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação EspecialOrientações CGEB – p. 136Novamente com base na Resolução SE nº 11/2008, para se ter claroo que é SAPE e sua função:“Art. 8º - A implementação de Serviços de Apoio PedagógicoEspecializado (SAPEs) tem por objetivo melhorar a qualidade daoferta da Educação Especial, na rede estadual de ensino, viabilizando-a por uma reorganização que, favorecendo a adoção de novasmetodologias de trabalho, leve à inclusão do aluno em classescomuns do ensino regular.Os professores devem ficar atentos, pois o professor especializadopode ser seu grande parceiro fazendo orientações para a relaçãocom os alunos com necessidades educacionais especiais ecolaborando para que os professores do ensino regular possamdesempenhar efetivamente seu papel de educador.
  • 23. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- E os alunos com muitas dificuldades cognitivas e de interação,aqueles com os quais é muito difícil trabalhar?“Art. 9º - Os alunos que não puderem ser incluídos em classes comuns, emdecorrência de severa deficiência mental ou grave deficiência múltipla, ou mesmoapresentarem comprometimento do aproveitamento escolar em razão detranstornos globais do desenvolvimento, poderão contar, na escola regular, emcaráter de excepcionalidade e transitoriedade, com o atendimento em classeregida por professor especializado, observado o disposto no parágrafo único doart. 4° da Deliberação CEE 68/07.§ 1º - Esgotados os recursos pedagógicos necessários para manutenção do alunoem classe regular, a indicação da necessidade de atendimento em classe regidapor professor especializado deverá resultar de uma avaliação multidisciplinar, aser realizada por equipe de profissionais indicados pela escola e pela família.§ 2º - O tempo de permanência do aluno na classe regida por professorespecializado dependerá da avaliação multidisciplinar e de avaliações periódicasa ser realizada pela escola, com participação dos pais e do Conselho de Escolae/ou estrutura similar, com vistas a sua inclusão em classe comum.
  • 24. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- Quais são os recursos disponíveis ao aluno com D.I.?Resposta: Apoio de professores especializados em deficiência física, visual, auditiva e mental (intelectual); Livros e textos diversos em Braille, em caracteres ampliados, ou em formato digital; Dicionário de inglês, tabela periódica e todos os materiais que compõem os programas e projetos da SEE adaptados (Braille/Caracteres Ampliados/Digital); cadernos adaptados para alunos com paralisia cerebral ou cegos que utilizam máquina Braille ou reglete; Aquisição de mobiliário adaptado (mesas e cadeiras); Plano de acessibilidade nas escolas;
  • 25. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial Aquisição de recursos pedagógicos e equipamentos específicos para atendimento das demandas específicas de cada escola; Transporte escolar para alunos com grave comprometimento que interfira na sua possibilidade de locomoção até a escola; Convênios com Instituições; Professor Interlocutor de LIBRAS, de acordo com a Resolução SE nº 38/2009; Cuidador para alunos com deficiência física que necessitam de apoio para alimentação, locomoção e higiene. Kits escolares adaptados para alunos com deficiência visual e física.
  • 26. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial- Onde é possível encontrar material de apoio para nossaformação em serviço?Resposta: Para facilitar o acesso do professor às orientaçõesque o CAPE oferece, estão disponíveis na página da Rede doSaber (www.rededosaber.sp.gov.br) as videoconferênciaslistadas abaixo:  CAPE – Identificando Necessidades Educacionais: Deficiência Mental, TGD e TDAH;  Entendendo a Dislexia;  Compartilhando estratégias de ensino em atenção aos alunos que apresentam necessidades educacionais especiais;  Educação Especial: perspectivas e desafios do séc. XXI;  Surdocegueira e Deficiência Múltipla Sensorial;
  • 27. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação EspecialMais videoconferências: Um olhar para as Altas Habilidades; TDAH e estratégias educacionais; Sexualidade na deficiência mental; Autismo na escola; Aprofundamento dos conhecimentos sobre a Deficiência Intelectual; Educação Inclusiva na Rede Estadual; As implicações da Deficiência Visual Cortical na Surdocegueira e na Deficiência Múltipla;
  • 28. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação EspecialMais videoconferências: Ver a Matemática com outros olhos; Exigências da Educação Básica para o Trabalho da Pessoa com Deficiência; Educação Profissional na Educação Especial Empregabilidade; Orientação para Celebração dos Convênios Assistenciais; O Serviço de Educação Especial e Suas Implicações - Cadastro de Alunos com Necessidades Educacionais Especiais; . Aspectos Legais e Pedagógicos no Acompanhamento das Escolas Especiais; Identificando Necessidades Educacionais: Deficiência Mental TGD e TDHA; Sexualidade na Deficiência Mental;
  • 29. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial Formação continuada em Educação Especial na ATPC: Desafios Atuais na Intervenção junto ao deficiente auditivo; Confecção de Mapas Táteis; Transtorno de Déficit de atenção e Hiperatividade no Contexto Escolar; Formação em Educação Especial; Estratégias e recursos acessíveis para inclusão de alunos com deficiência múltipla. Ainda existem os Cursos de Atualização Descentralizados, propostos e realizados pelas Diretorias de Ensino nos moldes da Resolução SE nº 58/11 de acordo com as necessidades dos profissionais que atuam nas escolas e DEs. • Deficiência Intelectual • Braille • Soroban • Libras
  • 30. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial RELAÇÃO DAS ESCOLAS COM SALAS DE RECURSO - 2013DEFICIÊNCIA INTELECTUALEmir Macedo Nogueira --------------------------------------------------- 1 salaJocelyn Pontes Gestal --------------------------------------------------- 2 salasJandyra Vieira da Cunha Barra ------------------------------------- 2 salasMaria de Lourdes N. Albergaria ------------------------------------- 2 salasMaria de Lourdes R. Negreiros ------------------------------------ 2 salasMenotti Del Picchia --------------------------------------------------------- 2 salasOctávio Marcondes Ferraz ---------------------------------------------- 2 salasSão João Evangelista -------------------------------------------------------- 1 salaMissionário Manoel de Melo -------------------------------------------- 2 salasDEFICIÊNCIA VISUALOrestes Rosolia ------------------------------------------------------------------ 2 salasDEFICIÊNCIA AUDITIVASão João Evangelista -------------------------------------------------------- 2 salasAUTISMODom Bernardo ------------------------------------------------------------------- 2 salasAugusto Baillot ------------------------------------------------------------------- 2 salas
  • 31. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO – Educação Especial Para maiores esclarecimentos e apoio em seu trabalho diário, você pode contar com a Equipe de Educação Especial da Diretoria de Ensino, composta por Supervisor e Professor Coordenador de Núcleo Pedagógico (PCNP) .Supervisores de Ensino: Ana Suller Venchiarutti Vânia KnopfDiretora do Núcleo Pedagógico: Elenyr Garcia JordãoProfessora Coordenadora do Núcleo Pedagógico de Educação Especial: Regina de Fátima LeôncioE-MAIL: delt4npe@see.sp.gov.br
  • 32. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB: EJA: possibilidades e materiais disponíveis. Novos materiais para a EJA – EF, disponíveis em http://www.ejamundodotrabalho.sp.gov.br/Default.aspx Temas Transversais – estímulo ao professor. Sugerimos que seja solicitada a indicação, nos planos anuais e bimestrais, de ao menos um Tema Transversal a ser trabalhado em cada disciplina – Educação Ambiental, Educação em Direitos Humanos, Educação Fiscal, Educação das Relações Étnico-Raciais, Educação em Saúde, entre outras possibilidades.
  • 33. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB – Ciências HumanasPossibilidades / recomendações:• Inserir, no plano anual, questões relativas a Temas Transversais, em especial à EDH (Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos, aprovada pelo CNE – Resolução nº 1, de 30 de maio de 2012), à Educação das Relações Étnico-Raciais (2013: 10 anos da Lei 10.639) e à Educação Ambiental.• Explorar melhor os recursos disponibilizados pelo Programa Cultura é Currículo (“Cinema” e “Lugares de Aprender”).• Estimular a organização de Grêmios Estudantis.• Sociologia – diálogo com a equipe docente sobre as contribuições da disciplina para a formação dos alunos do EM.
  • 34. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB – Ciências da NaturezaPossibilidades / recomendações:Sala de leitura (acervo da escola) e leitura de revistas de pesquisas indicadositem 3.3.2, pp. 68 e 69.Programa Pré-Iniciação Cientifica: (atenção às datas de lançamento e inscriçõesprevistas fevereiro/março com informações no site: www.usp.br./prp e em http://iniciacaocientifica.edunet.sp.gov.br - indicado no item 3.3.3.3, p. 69). Programa e Concurso Saúde Bucal: indicado no item 3.3.3.3, p. 69. IV Conferência Infanto-juvenil de Meio Ambiente – Vamos Cuidar do Brasil comEscolas Sustentáveis (fiquem atentos aos informes que serão disponibilizados peloMEC e/ou pela Diretoria de Ensino/SEE) indicado no item 3.3.3.4, p. 69, site:http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/conferencia-nacional-do-meio-ambiente/-Prêmio Jovem Cientista: no item 3.3.3.4, p. 70 - informações no site:www.jovemcientista.org.br.
  • 35. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB – Ciências da NaturezaFEBRACE – Feira Brasileira de Ciências e Engenharia item 3.3.3.4 – p.70 - site: http://febrace.org.brMOP – Mostra Paulista de Ciências: item 3.3.3.4 pg.70 - informações no site: http://mostrapaulista.org.br/index/O INCLUSP – Programa de Inclusão Social da USP – item 3.3.3.4 –p.70 – informações no site: www.usp.br/incluspEducação em Saúde - Dentre o conjunto dos assuntos de saúde se destacam: Sexualidade, incluindo: adolescência, diversidade sexual, gravidez na adolescência, DST/Aids/ Hepatite B; Uso de drogas, em geral; Questões de gênero; Hepatites virais; Controle de endemias – Dengue; Saúde
  • 36. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB – Ciências da NaturezaA área de CN e os Temas Transversais, ver item 3.3.5 – Temas Transversais p. 94Atenção para o evento da ONU e Unesco que celebra 2013 como Ano Internacional da Cooperação da Água – site: www.unesco.org/.../un_international_year_of_water_cooper ation_2013Conferir no documento de orientações da CGEB outros programas já existentes.
  • 37. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Assuntos a serem tratados: - Destaques das Orientações CGEB – Linguagens e Códigos O principal eixo comum das disciplinas da área de LCT situam-senas variadas formas de expressão, e linguagens verbal e não verbalpresentes nas práticas sociais, e entremeadas em todas as experiências enecessidades da vida em sociedade e da interação humana. Neste sentido, as atividades propostas em cada uma dasdisciplinas da área (Língua Portuguesa, LEM, Artes e Educação Física)visam favorecer o desenvolvimento e a integração das diferentes formasde comunicação e de construção de sentidos: oral, escrita, iconográfica,sonora e corporal, bem como privilegiar a inclusão social e o respeito àheterogeneidade e à diversidade cultural.
  • 38. SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS DIAS DE PLANEJAMENTO Linguagem e Códigos PRINCIPAIS AÇÕES E PROJETOS DESTINADOS AOS ALUNOS e PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO Visitas às escolas  Projeto Connecting Projeto Escolas Prioritárias Classrooms OT Habilidades e Competências  Jovens Embaixadores em Leitura e Escrita  Curso de Inglês Online- Produção Textual 2ª.Ed/2013 Concursos culturais Língua  Curso de Espanhol Online- Portuguesa LEModerna Avaliação em processo 2ª.Ed/2013 Linguagens Turmas de ACD Educação  Programa Cultura é Currículo Olimpíada Escolar Física Arte  Lugares de Aprender Jogos Adaptados  Escola em Cena Dia do Desafio (maio)  O Cinema vai à Escola Agita Galera (agosto)  Descubra a Orquestra Mostra de Dança - DE  Coral de Natal- DE (novembro)  Mostra de Dança – Danleste*
  • 39. Para o ano de 2013, estão previstos no plano de trabalho das disciplinas de Linguagens e Códigos : Orientações técnicas por disciplinas, com Acompanhamento e Divulgação e Incentivo à foco no apoio pedagógico participação de professores em concursos desenvolvimento das junto aos professores culturais e cursos de competências e em reuniões de ATPC e formação continuada habilidades de cada também no Núcleo promovidos pela SEE ou currículo Pedagógico pela iniciativa privada. Língua Portuguesa, LEM, Arte e Educação FísicaPCNP de Língua Portuguesa: Tânia NunesPCNP de Língua Estrangeria Moderna: Sabino delt4npe@see.sp.gov.brPCNP de Arte: Doralice Claudio Telefone: 2741-2627PCNP de Educação Física: Waldemar Farina
  • 40. - Diretoria de Ensino Leste 4 - NPE – Tecnologia Educacional - PCNP Flávia Alvim - Destaques das Orientações CGEB INCENTIVO AO USO DOS recursos MIDIÁTICOS Da escola  TV; Rádio; Aparelho DVD; Câmera fotográfica;  Coleções de filmes, músicas, vídeo aulas, documentários, subsídio didático (ex.: Coleção Salto para o Futuro);  Notebook para aula com multimídias e Projetores e equipamentos de áudio;  Salas de multimídia e de informáticaINCENTIVO AO USO da sala de informática Apoiar a proposição de projetos inovadores; Incentivar estratégias de ensino que motivem a criatividade e o trabalho colaborativo; Atenção ao uso consciente e com intencionalidade pedagógica; Uso e instalação de softwares específicos deverão ser solicitados à D.E. previamente e encaminhados ao CETEC/SEESP
  • 41. INCENTIVOÀ FORMAÇÃO CONTINUADACURSOS MEDIADOS PELO PCNP (SEMIPRESENCIAIS OU TOTALMENTE A DISTÂNCIA) ProInfo (Introdução à Educação Digital) ProInfo (Projetos) Live@Edu Pilares da Educação Digital Intel (Fundamentos Básicos) Diretoria de Ensino Leste 4 NPE- Tecnologia Educacional fev-13
  • 42. FORMAÇÃO CONTINUADA EM TECNOLOGIAEDUCACIONAL NAS ATPC• Orientações e sugestões• Reflexões• Debates Professores em ATPC na EE Afonso Penna Jr.Diretoria de Ensino Leste 4 NPE- Tecnologia Educacional delt4npe@see.sp.gov.brPCNP Flávia Alvim
  • 43. Um ótimo trabalho a todos!