Letras MúSicas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
7,315
On Slideshare
7,301
From Embeds
14
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
132
Comments
0
Likes
3

Embeds 14

http://quemcontaumcontosoueu.blogspot.com 10
http://tic.esepf.pt 4

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. “BORBOLETA BRANCA” Borboleta Branca Que anda pelo ar (bis) É a menina (nome) Que se vai casar (bis) Que se vai casar Muito casadinha (bis) E a menina (nome) Vai ser a madrinha (bis) Vai ser a madrinha Que leva o raminho (bis) E o menino (nome) Vai ser o padrinho (bis) Vai ser o padrinho Que leva a bandeira (bis) E a menina (nome) Vai ser cozinheira (bis) Vai ser cozinheira Faça um bom jantar (bis) Ora, viva os noivos Que se vão casar (bis).
  • 2. “O PRETINHO BARNABÉ” O Pretinho Barnabé, tiro-liro-liro O Pretinho Barnabé, tiro-liro-lé (modo maior) A saltar quebrou um pé, tiro-liro-liro A saltar quebrou um pé, tiro-liro-lé (modo maior) Salta agora só num pé, tiro-liro-liro Salta agora só num pé, tiro-liro-lé (modo maior) Autor: Pop. Francesa (M.C. Diogo)
  • 3. “O INDIOZINHO” O indiozinho anda a chorar, Quer um cavalo para montar Foi para o prado, ao pé do rio, Viu um cavalo cheio de frio O cavalinho estava a tremer O indiozinho deu-lhe de comer Fez-lhe festinhas, foi p’ro pé dele, Trouxe uma manta dormiu com ele. No outro dia partem os dois Ficam amigos sempre, depois O cavalinho galopa bem, Gosta do dono que agora tem. Autor: Grupo de Crianças
  • 4. “TRÁZ-TRÁZ” Traz-traz P’ra aquecer Bate palminhas Bate palminhas Traz-traz Que bem faz Bate palminhas Traz-traz-traz ! Autor: E. Willems (M. C. Diogo)
  • 5. “O NOSSO GALO” O nosso galo É bom cantor, É bom cantor, Tem boa voz, ‘stá sempre a cantar Cócoró, Cócoró, ‘stá sempre a cantar Cócoró, Cócoró! Mas veio um dia, E não cantou; Outro e mais outro, E não cantou. Nunca mais s’ouviu: Cócoró, cócoró; Nunca mais s’ouviu: Cócoró, cócoró! Autor: Pop. Francesa
  • 6. “ O PASTORZINHO” Havia um pastorzinho Que andava a pastorear. Saiu da sua casa, E pôs-se a cantar: Dó, Ré, Mi, Fá, Fá, Fá, Dó, Ré, Dó, Ré, Ré, Ré, Dó, Sol, Fá, Mi, Mi, Mi Dó, Ré, Mi, Fá, Fá, Fá. Chegando ao palácio A rainha lhe falou Alegre pastorzinho Seu canto lhe agradou: Dó, Ré, Mi, Fá, Fá, Fá, Dó, Ré, Dó, Ré, Ré, Ré, Dó, Sol, Fá, Mi, Mi, Mi Dó, Ré, Mi, Fá, Fá, Fá. Autor: Inf. Brasileira.
  • 7. “ ALECRIM, ALECRIM DOIRADO” Alecrim, alecrim doirado, Que nasce no monte sem ser semeado. (Bis) Ai, meu amor, quem te disse a ti, Que a flor do campo era o alecrim. (Bis) Alecrim, alecrim aos molhos, Por causa de ti choram os meus olhos. (Bis) Ai, meu amor, quem te disse a ti, Que a flor do campo era o alecrim. (Bis) Alecrim, alecrim querido Que vives no monte quase esquecido (Bis) Ai, meu amor, quem te disse a ti, Que a flor do campo era o alecrim. (Bis) Alecrim, alecrim a arder, O teu fumo é santo, junto a Deus vai ter. (Bis) Ai, meu amor, quem te disse a ti, Que a flor do campo era o alecrim. (Bis)
  • 8. “ROSA BRANCA AO PEITO” Rosa branca ao peito A todos está bem. (Bis) A(o) menina(o) (nome), olaré, Melhor que a ninguém. (Bis) * Canção de Roda: Uma das crianças deverá indicar um nome de outra criança, adaptando-o à musica.
  • 9. “ OS PATINHOS” A correr, A saltar, Os patinhos Vão nadar. A saltar A correr Os patinhos, Vão beber.
  • 10. “ SENHORA DONA ANICA” Senhora Dona Anica Venha abaixo ao seu jardim. (Bis) Venha ver as costureiras (1) A fazer assim, assim. (Bis) Senhora Dona Anica Venha abaixo ao seu jardim. (Bis) Venha ver as lavadeiras (2) A fazer assim, assim. (Bis) Senhora Dona Anica Venha abaixo ao seu jardim. (Bis) Venha ver os jardineiros (3) A fazer assim, assim. (Bis) Senhora Dona Anica Venha abaixo ao seu jardim. (Bis) Venha ver os sapateiros (4) A fazer assim, assim. (Bis) Senhora Dona Anica Venha abaixo ao seu jardim. (Bis) Venha ver os carpinteiros (5) A fazer assim, assim. (Bis) Senhora Dona Anica Venha abaixo ao seu jardim. (Bis) Venha ver as cozinheiras (6) A fazer assim, assim. (Bis) * Mímica: Gestos de: 1 –Cozer a roupa; 2 – Lavar a roupa; 3 – Sachar; 4 – engraxar; 5 – Serrar a madeira; 6 – Mexer o cozinhado.
  • 11. “ A MACHADINHA” Ah, ah, ah, minha machadinha (Bis) Quem te pôs a mão sabendo que és minha ? (Bis) Sabendo que és minha, também eu sou tua (Bis) Salta machadinha lá p’ro meio da rua. (Bis) Lá p’ro meio da rua não hei-de eu saltar (Bis) Eu hei-de ir à roda escolher o meu par. (Bis) O meu par eu sei bem quem é (Bis) ou Escolher o meu já eu sei quem é . (Bis) É um rapazinho chamado José (Bis) Chamado José chamado João (Bis) É o rapazinho do meu coração (Bis)
  • 12. “ CANÇÃO DO ZÉ” Dó - Ré, o Zé Dó – Ré – Mi, Já se ri Dó – Ré – Mi – Fá, e diz papá Dó – Ré – Mi – Fá – Sol, tem um caracol Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá, e um dentinho já Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá – Si, Bate palminhas e ri Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá – Si – Dó, e no bercinho faz ó-ó!
  • 13. “ JOSESITO” Josesito, Já te tenho dito, Que não é bonito, Andar’s m’enganar. (Bis) Chora agora, Josesito chora, Que me vou embora P’ra não mais voltar. (Bis)
  • 14. “ OS PATINHOS” Todos os patinhos Sabem bem nadar (Bis) Cabeça para baixo, Rabinho para o ar (Bis). Quando estão cansados Da água vão sair (Bis) Depois em grande fila P’ro ninho querem ir (Bis) Movimento: andar com as pernas abertas e cabeça baixa. Em “cabeça para baixo”, puxar a cabeça com as mãos, para baixo; em “rabinho para o ar” colocar as mãos atrás das costas imitando um “rabo”. “ O BALÃO DO JOÃO ”
  • 15. O balão do João Sobe, sobe pelo ar ‘Sta feliz o petiz A cantarolar Mas o vento a soprar Leva o balão pelo ar. Fica, então, o João A choramingar. Autor: Pop. Alemã (M. C. Diogo) “ O BARQUINHO “
  • 16. Um barquinho ligeiro andava, Ligeirinho andava no mar. A nuvem passou, O mar se agitou, O vento a soprar. E os barcos a virar. Vem a onda baloiça o barquinho, E o barquinho faz tchape no mar. Autor: Pop. Francesa (R. Simões) “ AS POMBINHAS “
  • 17. Lá vai uma, lá vão duas Três pombinhas a voar. Uma é minha, outra é tua Outra é de quem a apanhar. A criada lá de cima É feita de papelão Quando vai para a cozinha, Diz assim para o patrão: - Sete e sete são catorze Com mais sete vinte e um Tenho sete namorados E não gosto de nenhum. Sugestão: As crianças em círculo, sentadas no chão ou em redor de uma mesa, tendo cada uma à sua frente um objecto fácil de agarrar. Ao compasso da melodia, vão passar o objecto ao companheiro da direita. “ EU FUI AO JARDIM CELESTE “ Eu fui ao jardim Celeste, giroflé, giroflá.
  • 18. Eu fui ao jardim Celeste, giroflé, flé, flá. O que foste lá fazer, giroflé, giroflá. O que foste lá fazer, giroflé, flé, flá. Fui lá buscar uma rosa, giroflé, giroflá. Fui lá buscar uma rosa, giroflé, flé, flá. Para quem é essa rosa? giroflé, giroflá. Para quem é essa rosa? giroflé, flé, flá. É p’ra menina (nome), giroflé, giroflá. É p’ra menina (nome), giroflé, flé, flá. Movimento: Duas filas de crianças colocadas frente a frente. Cantando a 1.ª estrofe a 1.ªfila avança até à 2.ª e recua novamente. Responde à 2.ª fila com a 2.ª estrofe e igual movimento. E assim por adiante.
  • 19. “ O CAPUCHINHO VERMELHO “ Pela estrada fora Eu vou bem sozinha Levar estes bolos À minha avózinha. Ela mora longe O caminho é deserto E o lobo mau Passeia lá por perto. Logo à noitinha Ao sol poente Junto à mamãzinha Dormirei contente. “ OS TRÊS GATINHOS “
  • 20. Os três gatinhos Perderam os chapelinhos Puseram-se a chorar Oh, mãe querida Os nossos chapelinhos Não os pudemos achar!!! Oh, perderam os chapelinhos Que feios gatinhos!!! Então não vão passear!!! Miau, frou...frou... Miau, frou...frou... Então não vão passear!!!! Os três gatinhos Acharam os chapelinhos Puseram-se a cantar Oh, mãe querida Os nossos chapelinhos Já os pudemos achar!!! Oh, acharam os chapelinhos Mas que lindos gatinhos Então já vão passear!!! Miau, frou...frou... Miau, frou...frou... Então já vão passear!!! “ O MANEL TINHA UMA BOLA “
  • 21. O Manel tinha uma bola Que rolava pelo chão Na calçada ela rebola Deu-lhe uma dentada o cão. Olha a bola Manel !!! (Bis) Foi-se embora, fugiu! Olha a bola Manel !!! (Bis) Nunca mais ninguém a viu... O Manel tinha uma bola Mas por falta de atenção Lá deixou fugir a bola Presa nos dentes do cão. Olha a bola Manel !!! (Bis) Foi-se embora, fugiu! Olha a bola Manel !!! (Bis) Nunca mais ninguém a viu... O Manel tinha uma bola Mas agora não tem E a gente para o consolar Vai cantar-lhe esta canção... Olha a bola Manel !!! (Bis) Foi-se embora, fugiu! Olha a bola Manel !!! (Bis) Nunca mais ninguém a viu...
  • 22. “ O CAVALO “ Era uma vez um cavalo Que vivia no seu lindo carrossel Era tão lindo e tão belo Cavalinho, cavalinho de papel... A correr...chá-lá-lá (bater palmas) A saltar ... chá-lá-lá (bater palmas) Cavalinho não saia do lugar.
  • 23. “ MACAQUINHO “ Tenho cinco reis Tenho um alguidar Tenho um macaquinho De pernas para o ar Quando me levanto Tiro-lhe o boné Aperto-lhe a mão Olari-lo-lé !!!
  • 24. “ A BARATA “ A barata diz que dorme Numa cama de cetim É mentira da barata Ela dorme é no jardim. Ah, ah, ah. Oh, oh, oh, ela dorme é no jardim. A barata diz que tem Sete saias de veludo É mentira da barata A mãe dela é que tem tudo. A barata diz que tem Sapatinhos de fivela É mentira da barata O sapato é da mãe dela. A barata diz que tem Dinheirinho p’ra gastar É mentira da barata Quem perdeu p’ra ela achar. A barata diz que tem Um sapato de veludo É mentira da barata O pé dela é que é peludo.
  • 25. “ A CAIXINHA DAS SURPRESAS” A caixinha das surpresas Ninguém sabe o que ela tem Tão quieta e caladinha Vamos ver o que lá tem.
  • 26. “ O PALHACINHO VAIDOSO “ O palhacinho vaidoso Bate ligeiro com a mão O palhacinho vaidoso Bate com o pézinho no chão O palhacinho vaidoso Toca guizinhos dlim-dlim O palhacinho vaidoso Vira a cabeça assim.
  • 27. “ O COELHINHO “ De olhos vermelhos E pelo branquinho Dou saltos bem alto Eu sou um coelhinho. Comi uma cenoura Com casca e tudo Mas ela era tão grande Qu’eu fiquei um barrigudo. Dou saltos pr’a frente Dou saltos pr’a trás Eu sou um coelhinho De que tudo sou capaz.
  • 28. “ DÓ RÉ MI " Dó ré mi – a Mimi Mi fá sol – pelo sol Fá mi ré – vai a pé Mi ré dó – não tem pópó. Dó ré mi – eu cozi Mi fá sol – um pão mole Fá mi ré – p’ro café Mi ré dó – da minha avó.
  • 29. “ O ANEL “ Vai correndo o lindo anel Corre, voa sem parar. Onde ‘sta, onde se encontra? Quem o pode adivinhar, Se é que não adivinhou, Onde pára o lindo anel Que da minha mão vou ? Jogo : as crianças todas em círculo (sentadas ou de pé), com as mãos unidas e estendidas, prontas a receber o anel que uma das crianças tem entre as suas mãos, também unidas, e que vai metendo entre as mãos dos companheiros, fingindo que aí deixa o anel. Quando a canção termina, uma das crianças, que estava na berlinda, deve adivinhar onde o anel ficou, pagando multa se errar, ou se adivinhar irá substituir a criança que tinha o anel.
  • 30. “ OLHA A TRISTE VIUVINHA “ Olha a triste viuvinha Que anda na roda a chorar Anda a ver se encontra noivo Para com ela casar! Já lá leva dois cabaços Três ou quatro há-de levar ! É bem feito, é bem feito, Não acha com quem casar ! Casadinha à três dias Ela ali vai a chorar ! Pela vida de solteira Não a torna a encontrar !
  • 31. “ A SAIA DA CAROLINA “ A saia da Carolina Tem um lagarto pintado Sim, Carolina, ó-i-ó-ai, Sim, Carolina, ó-ai meu bem. Tem cuidado, ó Carolina Que o lagarto dá ao rabo. Sim, Carolina, ó-i-ó-ai, Sim, Carolina, ó-ai meu bem. A saia da Carolina Não tem prega nem botão Tem cautela, ó Carolina, Não te caia a saia ao chão. A saia da Carolina Tem uma barra encarnada Tem cuidado, ó Carolina, Não fique a saia rasgada A saia da Carolina É da mais fina cambraia Tem cautela, ó Carolina Que o vento te leva a saia. A saia da Carolina Foi lavada com sabão Tem cuidado, ó Carolina, Não lhe deixes por a mão. A saia da Carolina É curta, é das modernas. Tem cuidado, ó Carolina, Que ela não te tapa as pernas.
  • 32. “ APANHAR O TREVO “ Apanhar o trevo O trevo do chão Apanhar o trevo Na manhã De S. João (refrão) Quem está bem Deixe-se estar Que eu estou bem Muito obrigada Estar ao pé do Meu amor Não me importa de Mais nada. Anda a roda Anda a roda Eu também quero casar Sou rapariguinha nova Não me posso demorar.
  • 33. “ ATIREI COM O PAU AO GATO “ Atirei o pau ao gato – tu, tu Mas o gato – tu, tu Não morreu – eu, eu. A Dona Chica – ca, ca Assustou-se – se, se Do berro – do berro Que o gato deu. Miau! Sentada à Chaminé – é, é Veio uma Pulga – ga, ga Mordeu-me o pé – é, é. Oh! Ela chora... Oh! Ela grita... Oh! Vai-te embora Pulga maldita!!! (bis) “EU PERDI O DÓ” Eu perdi o Dó da minha viola
  • 34. Da minha viola eu perdi o Dó Dormir é muito bom, é muito bom (bis). Refrão: É bom camarada, é bom camarada. É bom é muito bom. (bis) Eu perdi o Ré da minha viola Da minha viola eu perdi o Ré Remar é muito bom, é muito bom (bis). Refrão Eu perdi o Mi da minha viola Da minha viola eu perdi o Mi Miminho é muito bom, é muito bom (bis). Refrão Eu perdi o Fá da minha viola Da minha viola eu perdi o Fá Falar é muito bom, é muito bom (bis). Refrão Eu perdi o Sol da minha viola Da minha viola eu perdi o Sol Solinho é muito bom, é muito bom (bis). Refrão Eu perdi o Lá da minha viola Da minha viola eu perdi o Lá Lavar é muito bom, é muito bom (bis). Refrão Eu perdi o Si da minha viola Da minha viola eu perdi o Si Silêncio é muito bom, é muito bom (bis). “CANÇÃO DO GRILINHO”
  • 35. Era meia-noite Cantava o grilinho Era meia-noite Cantava sozinho Era meia-noite Cantava o grilinho Era meia-noite Cantava o grilinho Gri-gri, gri-gri No seu buraquinho ! (bis) “UM CROCODILO”
  • 36. Um crocodilo marcha para a guerra Dizendo adeus a toda a criação Ão, ão, ão, ão. Aí, o cru-cru-cru Crocodilo Aí, o cru-cru-cru O crocodilo lá se foi. Dois crocodilos marcham para a guerra Dizendo adeus a toda a criação Ão, ão, ão, ão. Aí, o cru-cru-cru Crocodilo Aí, o cru-cru-cru O crocodilo lá se foi. (Três, quatro, cinco...) “O PORQUINHO”
  • 37. O porquinho foi à horta (bis) Comeu lá uma bolota O cão também lá quis ir Mas fecharam-lhe a casota É bem feita, porque o cão Tem a mania de ser espertalhão (Bis)
  • 38. “PATINHOS” O patinho nadador Vai p’ra água com calor Quá, quá, quá Qué, qué, qué Sai da água e vem a pé “O MEU GALITO”
  • 39. Há três noites que não durmo – lá-lá Eu perdi o meu galito – lá, lá Coitadinho, lá, lá, pobrezinho, lá, lá Eu perdi-o lá no jardim (bis) Ele é branco e amarelo – lá, lá Tem a crista bem vermelha – lá, lá (encarnada) Bate as asas – lá, lá Abre o bico – lá, lá Ele faz qui ri qui qui (mímica).
  • 40. “TRÊS GALINHAS” Três galinhas a cantar Vão p’ro campo passear Uma à frente é a primeira Logo as outras em carreira Vão assim a passear Os bichinhos procurar. Có, có, có, có, ró, có, có. “TRÊS PINTAINHOS” Três pintainhos tem minha tia
  • 41. Um lhe canta, outra lhe pia Outro lhe chama tia Maria Atenção muita atenção, Vai começar a Sinfonia. Somos pintos, piu, piu, piu, Pequeninos, piu, piu, piu, E lá vamos, piu, piu, piu, Para o quintal, piu, piu, piu, Refrão Vamos a todos, piu, piu, piu, A correr, piu, piu, piu, As ervinhas, piu, piu, piu, Vamos comer, piu, piu, piu, Somos patos, quá, quá, quá (as ervinhas) Somos cães, au, au, au (os ossinhos) Somos gatos, miau, miau, miau (as espinhas) Somos cabritos, mé, mé, mé (as ervinhas) Somos grilos, gri, gri, gri (as alfaces) “PATINHO”
  • 42. O patinho nada Dentro do laguinho Quá, quá, quá Todo molhadinho Veio a mamã pata Buscar o filhinho Chiu, chiu, chiu Está costipadinho
  • 43. “DIA DO PAI” Iupi, iupi ai É o dia do pai É um dia diferente E por isso estou contente Iupi, iupi ai É o dia do pai É um dia feliz E eu vou dar ao meu pai Esta prenda que eu fiz Iupi, iupi ai É o dia do pai. “DOIS RATINHOS”
  • 44. Dois ratinhos Pequenos engraçados Procuravam queijinho P’ra roer De repente Aparece o Sr. Gato MIAU!!! E os ratinhos Fugiram a correr HI! HI! HI! Nota: esta canção é dos três ratinhos, mas foi adaptada para dois porque nesta história havia 2 ratos.