Bd racismo

3,169 views
2,956 views

Published on

bd racismo

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,169
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
638
Actions
Shares
0
Downloads
102
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bd racismo

  1. 1. Comic_PT 02.10.2001 19:10 Uhr Seite 36 «RACiSTA , EU! » Comissão
  2. 2. Comic_PT 02.10.2001 19:09 Uhr Seite 33 Esta banda desenhada é publicada nas seguintes línguas oficiais da União Europeia: espanhol, dinamarquês, alemão, grego, inglês, francês, italiano, neerlandês, português, finlandês e sueco. Comissão Europeia Direcção-Geral «Informação, Comunicação, Cultura e Audiovisual» Unidade «Publicações», rue de la Loi 200, B-1049 Bruxelles Para mais informações sobre a política social da UE: http://europa.eu.int/pol/socio/pt/socio.htm Especificamente sobre educação: http://europa.eu.int/comm/campus Para mais informações sobre a União Europeia, ver no fim da brochura Manuscrito concluído em Junho de 1998 Editor: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, Luxemburgo, 1998 Conceito e realização: Concerto Brussels, e-mail: rudi@concerto.be Desenhos: Sérgio Salma Cores: Mauricet Encontram-se disponíveis numerosas outras informações sobre a União Europeia na rede Internet, via servidor Europa (http://europa.eu.int) Uma ficha bibliográfica figura no fim desta publicação ISBN 92-828-4023-9 © Comunidades Europeias, 1998 Printed in Germany IMPRESSO EM PAPEL BRANQUEADO SEM CLORO
  3. 3. Comic_PT 02.10.2001 19:09 Uhr Seite 37 «RACiSTA , EU! » !"#$!%!&(&()#"(*( )#"(+"(%,&-+","#.(,%/$+" !%(,%0%(%1%23&. %%445(,%/(0%065("(,&0& !272%(&(8"94&(0%:+2-(9#+4": ;2-<=(>"#(+28"(#0($&-4&5???@ A União Europeia considera que deve combater as discriminações em razão do sexo, raça, origem étnica, religião e crença, deficiência, idade ou orientação sexual. Esta brochura, dirigida aos professores e jovens, reúne um conjunto de documentos úteis para incentivar a reflexão e o debate sobre o racismo.
  4. 4. Comic_PT 02.10.2001 18:54 Uhr Seite 3 UM MUNDO DE DIFERENÇAS A+&#(B%:+&5(A+6&($"0C:"(%(<&7%: C&2$(*5("("#(%,4&()#"(DE(,4"<%()#"($"(:2%0 ,&02<&(C&:($":(1%23&5 !"(020(C&:($":(<&:!&5 -4%05 DE(+28"()#" :%,2$0&(2!2&+%(" "-+6&("("#.5(DE(,4"<%(!"(!2$,:202-%FG"$ ,4"<#"5 %:,%2,&5??? "$+HC2!%$(C&:("#($":(C:"+&5 2$+&(*(0%$(* :%,2$0&55 19#:C5 C")#"-&(<&:!&("(-"<:&5???(1&9%$5(& !2%I%I!2%(-6&(!"8"($":(BE,295 )#"(2-B":-&5??? CB#%&##555
  5. 5. Comic_PT 02.10.2001 18:54 Uhr Seite 4 QUE ASPECTO! "45(&94"0(C%:% &(%$C",+&(!"$+" 1%,%-&5 +"0(+#!&=(&(1&-*(%($K"%+I *(9L<2,&()#"($"D%(0H$2,&? &$(+2C&$(-%$,"0( %45(%45(%45("$+" % % $42:+(&$(+*-2$???("(%2-!%(C&: +&!%(%(<"-+"($%1"()#"(>"9"$@ ,&0(&(:2+0&=(:"<<%" 82#(0#2+&$(B290"$ ,20%(*(0H$2,&5??? +J0(2$$&(-&($%-<#"? 19#"$(:%C??? %0":2,%-&$5 %( %(: :%(: +%( ,9%, %45(%45(%45( % % ,%01%!%( A+6&(CE. A+E$(,&0(%: $6&(%$(2-B9#J-,2%$( !"(201",2$5??? +#!&(:&9%. !"$%+2-%!& !&$(%-+"C%$$%!&$("$I !"#$!%!&5(A+E$ ,:%8&$5???("(*(<:%F%$( ,4%+"%!&. %&$(1:%-,&$5 C&2$(*5 C&2$(*5 "45(&94%(C%:%(& 2-,:/8"95??? %2-!%(%<&:%(0"(%,&-+","#(#0%(,"-% %$C",+&(!"$+"(1%,%-&5 *(!" 1":%5("("#()#"(C"-$%8%()#"("$+" 0%2$5 +2C&(!"(:"%,FG"$(DE(-6&("32$+2%05 "-+6&(-6&(*()#"???
  6. 6. Comic_PT 02.10.2001 18:55 Uhr Seite 5 APARÊNCIAS "$+"(+2C&(-&8& "$)#","(DH92%??? %4-5("(,&0&(*()#"(+"-$ *(0#2+&(<2:&5??? -6&(*(&(+"#(+2C&5 +%-+%(,":+"7%(!"#$!%!&. *(,%$%!&(&#()#J. -6&(-6&(*(2$$&5 "9"(*(0%2$(4&0"-$ "$+E$(%(8":???(* 4&0&$$"3#%95??? "#(-6&(0"(:%9&(-%!%(,&0(%(,"-%5(,%!%(#0 +"0(!"("$+%:($"0C:"( *(928:"(!"(B%7":(&()#"()#":?(0%$(C%:%("9" %(9"8%:(,&0(&$(&94%I !"8"($":(#0(!"$%+2-&(+&!&$(&$(!2%$?(+":(!" :"$((!&$(&#+:&$5(4E !2$B%:F%:(B2-<2:5??? #-$(,%+#::%$()#" !27"0= >1":;5("$+"(* 0%:2,%$5???@( &#+:&$(86&(<&7%:("(8J"0 %9<#-$(86&("$C%94%: -"9"(#0%(!&2!%=(>2#4#5 %(-&+/,2%(,&0&($" )#":2!%(+"-$(&$(&94&$ 2$$&(B&$$"(#0% 1&::%+%!&$5@ !&"-F%(8"-*:"%??? >"$+"(+2C&(*(4&0&$I $"3#%9(0%$(+2:%-!& 2$$&???(C%:","()#"??? !2$$":%0I0"()#"???@ 0%$(C&:)#J(+%-+&(L!2&.("#(%,4&()#"("9"(!"8"(B%7": &;5(&;5(DE("$+&#(4%12+#%!&5 -6&5(D#:&()#"($L("$+%8%??? &()#"()#2$":(!&(,&:C&(!"9"5(%92E$()#":&(!27":(!& 0"-+",%C+&5 ,&:C&(!"9%5???(425(425(2#4#5??? 4"+":&$I $"3#%9 -&D"-+&5
  7. 7. Comic_PT 02.10.2001 18:55 Uhr Seite 6 RACISMO EM CADEIA +$$$(+$$$5((+%-+&$(!"$"0C:"<%!&$ 1&0(!2%("$,%:#01%5??("-+6& ???(+"-$(!"(%-!%: C2%-2-4&($"-6& $"0(B%7":(-%!%5???($"(%-!%$$"0 INSTITUTO DO ,&0&(*()#"(8%2(2$$&.(%<&:%??? 0"$0&(M(C:&,#:%(!"("0C:"<&(!" EMPREGO %2-!%(*$("3C#9$&??? ,":+"7%()#"(&("-,&-+:%8%055 %45(%45 -&D"-+&5 : <:: INSTITUTO DO "45(0%-,%(%)#"9% EMPREGO $#C":<%:2-%5 &94"0(C%:%(2$+&5(% "$+"$(!&2$(-6&(94"$ B%9+%(9%+%5??? )#":"$(82:(+&0%: #0(,&C&(1&-",%. DE(82$+"("$+%.(1"0()#" C&!2%(B%7":(#0("$B&:F& &94%(%)#"9"($"-4&:(+6&(<&:!&5 C%:%($"(2-+"<:%:5 !"82%(B%7":(!2"+%?(-6&(%,4%$ 0%06. 9E(2$$&(* 8":!%!"5
  8. 8. Comic_PT 02.10.2001 18:56 Uhr Seite 7 VELHOS “CLICHÉS” DE(9"$+"(&(C:&<:%0%(C&9/+2,&(!"$+"(+2C&.(>$"(%$ ,&0&(*()#"($"(C&!"0(C:&B":2:(%$-"2:%$(!"$$%$. 0#94":"$(B2,%$$"0("0(,%$%(4%8":2%(0"-&$ "(&(0%2$(2-,:/8"9(*()#"(4E(C"$$&%$()#"(0292+%0(" !"$"0C:"<&@?(>$"("3C#9$%:0&$(&$("$+:%-<"2:&$ 8&+%0(-"$$"(C%:+2!&55 ,:2%:"0&$(0%2$(C&$+&$(!"(+:%1%94&5@ *(-","$$E:2&(%,%1%:(!"(#0%(8"7(C&:(+&!%$(,&0("$$"$ -#-,%(+2:%0&$(92FG"$(!%(42$+L:2%5???(+%-+%$(9#+%$ 8"94&$(>,92,4*$@5???(!"8"0&$(%,&:!%:(%$(,&-$,2J-,2%$ +%-+&$(,&01%+"$(C%:%(-&(B20(8&9+%:0&$(%("$+%$ 0#!%:(%$(0"-+%92!%!"$5 8#9<%:2!%!"$(2!2&+%$5 -6&(*(#0%(+:2$+"7%.???( %2-!% B%9+% 0#2+&5 )#J.5(*(#0% "-+6&("(DE(82$+"(%(-&$$%(-&8%(,4"B"(!"($":82F&. C%:","()#"(*($#C":($20CE+2,%??? 0#94":.5.
  9. 9. Comic_PT 02.10.2001 18:56 Uhr Seite 8 A PUBLICIDADE LAVA MAIS BRANCO &(0"#(,4%0CN(*(+:#-B%((O("0(P -6&()#":&(,2+%:(&(L182&(0%$(B:%-,%0"-+"(!"(8"7("0 "#(9%8&(&(0"#(,46&(,&0(T U D A S S E A D O )#%-!&(&(C"$$&%9(!%(C#192,2!%!"("3%<":% &(0"# (<%+&( <%+2$,% ,&0" $Q ????? #### 02%# DE(82$+"("$+"(0#-!&(%:+2B2,2%9(&-!"(-6&(4E(-"0(B"2&$ D&<%0(0"$0&(,&0(&$(2-$+2-+&$(C:20E:2&$(!&(2-!28/!#&5 -"0(<&:!&$(-"0(-"<:&$(-"0(E:%1"$.5($&9("(B"92,2I !2$B%:F%!&(,&0(4#0&:(1&01%:!"2%0I-&$(!"(>,92,4*$@ !%!"(2$$&(9"8%(%()#J.(!"0%$2%!%$(20%<"-$($20C92$+%$ "(+"-4&(%(,":+"7%()#"(!"C&2$(+"0&$(0%2$(!2B2,#9!%!"$ "($&1:"+#!&(,4"2%$(!"("$+":"L+2C&$()#"(%,%1%0(C&: C%:%("-,%:%:(%(:"%92!%!"5???(-%(82!%(:"%9(4E(,4#8%(4E 2-B9#"-,2%:(&$(+"9"$C",+%!&:"$5???(2-,&-$,2"-+"0"-+" E:%1"$(<&:!&$(0%#$5(-6&(%,4%$. )#":&(!27":??? (,&0 9%8%!& 3( ( 0% -,4% )#" C&2$5 . -%/ 94&: ,&:"$.(&; 0 " ,9%:&5 2,+: 2, (&( "(+: 94": $&# B#0 # C": %(%(0 5 C%: ,42, 555 ,%:9%($,42B":2$+%5(4#05 # *(+6&(1&-2+%5 #% *(+6&(9&#:%55??? BO, E EU BE A-CALA ,C OL GLUGLU CHUA C
  10. 10. Comic_PT 02.10.2001 18:56 Uhr Seite 9 «EU TIVE UM SONHO» "$+%(8"0("$+:%<%:(&(0"#(0"2&5(%(%C%:J-,2% !"9%(2-,&0&!%I0"5(%(,&:(!%(C"9"( -<5 2-,&0&!%I0"5(-6&(C":,"1&(%(9/-<#%( 1% !"9%5??? : <:: 0%$5.(&()#"($"(C%$$%.(+"-4&(%(20C:"$$6&()#"(!" %,%1&#I$"5(1&0(!2%($:?(0&4%0"!5(,&0&(,&::"(& :"C"-+"(8"D&(+#!&(0%2$(,9%:&5(C&:()#"(*()#"("#($&# -"<L,2&.("(&$(B294&$("$+6&(1"0.(%45()#"(B"92,2!%!" :%,2$+%(%("$+"(C&-+&.(*???(*(C&:)#"(+"-4&(0"!&55 828":("0(4%:0&-2%(,&0(+&!%(%(<"-+"5()#"(%9"<:2%(%& +"-4&($2!&(2!2&+%5 :"$C2:%:(%&(C%$$"%:($"0(+":(0"!&(!&(&#+:&(!& "$+:%-<"2:&5??? !"#$!%!&(&()#"(*( "-B20(-6&(4E(-%!%(0%2$ )#"(+"(%,&-+","#.(,%/$+" 1&-2+&()#"(%$(02$+#:%$(!" !%(,%0%(%1%23&. :%F%$("(0"$+2F%<"-$? %%445(,%/(0%065("(,&0& !272%(&(8"94&(0%:+2-(9#+4": ;2-<=(>"#(+28"(#0($&-4&5???@
  11. 11. Comic_PT 02.10.2001 18:57 Uhr Seite 10 OBSERVAÇÕES IRRESPONSÁVEIS $6&(+6&()#":2!&$5??? -"$+%(2!%!"(!E 8&-+%!"(!"(&$ %1:%F%:??? )#"0(!":% )#"(-6& ,:"$,"$$"05???
  12. 12. Comic_PT 02.10.2001 18:57 Uhr Seite 11 O NAMORADO 0%06()#":2%(%C:"$"-+%:I+"(& C:"+&.5(-6&(0"(!2<%$()#" - 0 ! ) 0"#(-%0&:%!&(0%$(C:"82-&I+" )#"("9"(*??? &(+"#(-%0&:%!&(*(-"<:&55??? + - * - "2-.5(B:%-,"$,%5.??? B -6&(0%$???(&()#"()#":"$ "-+6&(*(E:%1"5. "9%(B&2(8/+20%(!"(:%,2$0& &()#J("-+6&... ) " !27":(,&0(2$$&. )#"(02$*:2%5???("9" )#%-!&("02<:&#("(%<&:% *(!"B2,2"-+". "#()#":2%(!27":()#"??? *(E:%1"55. *("9%()#"??? !"$"0C:"<%!&. *(2$$&.5(* !"B2,2"-+" !"$"0C:"<%!&(" E:%1"55. ,%9%I+"(9E("(!"23%I0"(B%9%:5??? ???8"<"+%:2%-&5 "#($L()#":2%(!27":()#"("9"(*??? 02-4% $"-4&:%??? 0"#(!"#$5 )#"(:"92<26& $":E("$$%.5
  13. 13. Comic_PT 02.10.2001 18:57 Uhr Seite 12 DIETA! -6&("$+%:E$(#0 1&,%!2-4&(<&:!&(+#.5 %9<#-$(0"$"$(0%2$(+%:!"(,&0(0"-&$(#-$()#29&$??? -6&(+":E$($2!%(+#.
  14. 14. Comic_PT 02.10.2001 18:57 Uhr Seite 13 IGUAL AOS OUTROS! %C:"$"-+&I8&$(&(0"#(C:20&(%-+L-2&?(-6&(+"-4%0(0"!& "9"(*(#0(C&#,&???(%4-???(!2B":"-+"(0%$(*(20C",E8"95 &9E(%-+L-2&5 "#($&#(&(!"#$!%!&5?? &9E5("# ,4%0&I0" &9E5 B:%-,"$,%5 C&!"0&$("$+%: %&(,2-"0%.(*(9&#,&5 -6&(+"-4&(%(,":+"I -"$+"$(,%$&$ 7%(!"()#"(2$$& C:"C%:%!&$(0%$ &(C:20&(-6&(8%2 $&1:"+#!&(-6& %<:%!"(%&(%-+L-2&5 B2,%0&$($"0C:" C"-$"2()#" C":,"1":(-%!%5 0&$+:%:(&(-&$$& %+:%C%94%!&$ 5 C&!/%0&$(2: +"-4&(%)#2(& 0%9I"$+%:5??? $&1:"+#!&(4E()#" %&(,2-"0%5 "(-6&. C:&<:%0%? %<2:(-%+#:%90"-+" C&:)# $20 1&% %? 2!"2%5 ,2-"0 "($"(BN$$"0&$(8":(#0(1&0(B290"( &(B:"!(*(9&#,&5 #0(B290"($"0 !"(%,F6&(%0":2,%-&. C:",2$%0&$(!"(#0(B290" !2E9&<&$(C%:%()#" -6&(0#2+&(,&0C92,%!& &(%-+L-2&(C&$$% C&!/%0&$(2:(8":(#0 C":,"1":(,&2+%!&5??? 4E(&(!"$+:#2!&:(28 $"-6&(&(&#+:&(C%$$%I$"5 B290"7",&("0(2-<9J$???( #0%(,"-%($20C9"$()#"( C&:("3"0C9&? B%9"(!&()#&+2!2%-&( !%(82!%??? 1&0(*(C:",2$&(!",2!2:5(C&:)#"(-6&(#0(8"94&(B290" $&0"(92;"(2+(4&+5(&$(4&0"-$(C:"B":"0 %(C:"+&("(1:%-,&.("("0(8":$6&(&:2<2-%95???("$+E(-& %$(9&#:%$5(1299R(K29!":(PSTU? ,2-"0%(%)#"9"(B%0&$&(B290"(,&0(&(+&-R(,#:+2$("(% 0%:29R-(0&-:&"5(,&0&(*()#"($"(,4%0%.
  15. 15. Comic_PT 02.10.2001 18:57 Uhr Seite 14 PRECONCEITOS "#45(DE(B&2 A!2%($2-4&:%5(* %9#<%!&5(DE(B&2 C&:(,%#$%(!& %9#<%!&5 )#%:+&??? ARRENDA-SE QUARTO -6&(+"-4&(-%!%(,&-+:%(&$(-"<:&$(V%92E$ %+*(<&$+&(!&("!!2"(0#:C4RW(0%$(+":(#0 !"1%23&(!&(0"#(+",+&( -6&(&1:2<%!&5??? -6&(* +%:",&.5 02%#. C&:(B20(#0(C&#I 1&0(!2%(02-4%($"-4&:%5(820&$( ,&(0%2$(+%:!"??? C:&-+&???(& <:%F%$(%(!"#$5(-%!% +"-???(+"-4&(0#2+% &(%-H-,2&?("$+"(*(&(0"#(C%2( ,&-+:%+&("$+E ,&0&(&$(-&$$&$5("# C"-%(0%$(DE(B&2 "(%(02-4%(2:0672+%(%02-%??? %$$2-%!&? -6&($&#(:%,2$+%(0%$ %9#<%!&5( -%(02-4%(2!%!"($%1"??? 1X!2%($2-4N:%???( 0"#(!"#$ E:%1"$5 !2<%I0"(-6&($"(20C&:+% ,9%:&()#"(-6&5(8&,J )#"(&$(0"#$(,&9"<%$(0" :","1"(%$(C"$$&%$()#" 8"-4%0(82$2+%:(C&2$(-6&. )#2$":(D&8"05 $20CE+2,& %$$"%!&(" 1"0("!#,%!&5 B27(#0%(1&% "$,&94%?
  16. 16. Comic_PT 02.10.2001 18:58 Uhr Seite 15 NÓMADAS &#8"("$+%(,%-F6&(B:%-,"$,%5()#"(-&$+%9<2%5 -&(B#-!&(&$(-L0%!%$($6&(&$(H-2,&$(8":!%!"2:&$ )#"(C&"$2%5("(%&(0"$0&(+"0C&(+"0(:2+0&("(* 82%D%-+"$5(*(%(82%<"0()#"(*(20C&:+%-+"("(-6&(& ,4"2%(!"("-":<2%5("#(%!NNN:&(%(0H$2,%(,2<%-%5 &1D",+28&(!%(82%<"05(9%+,4&(!:&0(,&0&("9"$ !27"05??? +"-$($&:+"???(DE()#"(<&$+%$(+%-+&(!"(,%-+&$(,2<%-&$ 8%2$(C&!":(8JI9&$(%&(828&?("9"$(2-$+%9%:%0I$"(V&-!" &$(%,"2+%:%0W(-&(+"::"-&(1%9!2&(C":+&(!&($#C":I 0":,%!&(%)#2(%(TYY(0"+:&$(!%(+#%(,%$%5??? &()#"(*()#"("$+E8%0&$ %(!27":.
  17. 17. Comic_PT 02.10.2001 18:58 Uhr Seite 16 O INVERSO DA SITUAÇÃO $"0C:"()#"(&($"-4&:(3"-L(C%$$"2%(C"9%$(:#%$(!&($"#(1%2::&(2::2+%I$"("(:"$0#-<%(,&0(+&!&$(%)#"9"$ )#"($"<#-!&("9"(8J0("$+:%<%:I94"(%(C%2$%<"0?($"-+"I$"(,#:2&$%0"-+"(%<:"!2!&("(2$$&("-":8%I&??? &#8"0(%(0H$2,%( $6&(1%:#94"-+&$ *(2-,:/8"95(DE( !"9"$("0(%9+&$ "(!"$&:!"-%!&$5??? -6&("$+%0&$(-% 1"::&$(+J0(9&D%$(" 0%$(&-!"(*()#" -&$$%(,%$%5(&94"0 8"$+"0I$"(!%(0"$0% 8%0&$(C%:%:. $L(C%:%("$+% 0%-"2:%()#"(-&( !"$&:!"05 C%/$(!"9"$? ???"()#%-!&(&($"-4&:(3"-L(B%7(+#:2$0&(8J(+#!&(!"(#0%(0%-"2:%(,&0C9"+%0"-+"(!2B":"-+"? "$+E(,%90&(:"9%3%!&???(!"(:"C"-+"(+#!&(&()#"(&(2-,&0&!%(-&($"#(!2%I%I!2%(<%-4%(#0% C:&C&:F6&(!"("3&+2$0&(!"(0#!%-F%?(&($"-4&:(3"-L("$+E(!"(B*:2%$? +&!&$("$+"$ %45("$+%(0H$2,% &("-,%-+& ,&$+#0"$("$+%$ +:%!2,2&-%95()#" !"$+%$(:#%$ ,&:"$("$+"$(&!&:"$ 2-+"-$2!%!"5()#" %-+2<%$??? *("01:2%<%-+"5 0"9&!2%5
  18. 18. Comic_PT 02.10.2001 18:58 Uhr Seite 17 ESTE/OESTE AD UED DE Q O O "$+" MUR IM L BER &"$+" GOS EMPRE
  19. 19. Comic_PT 02.10.2001 18:58 Uhr Seite 18 UMA PEQUENA DELICADEZA
  20. 20. Comic_PT 02.10.2001 18:59 Uhr Seite 19 IMAGINÁRIO POPULAR &$(8"94&$(>,92,4*$@(C&C#9%:"$(!"0&:%0(%(0&::":5 +&!&$("$+"$(!2$C%:%+"$()#"($"(,&-+2-#%0(%(#+2927%:= !27I$"()#"(&$(2+%92%-&$($6&(C:"<#2F&$&$("("-<%+%+G"$ +&!&$(&$(%9"06"$(1"1"0(,":8"D%("0(,%9FG"$(!"(,%1"!%9 &$("$,&,"$"$($&82-%$(&$(-"<:&$($6&(,:2%-F%$(<:%-!"$??? &$(<:"<&$(%-!%0(!"(02-2I$%2%(&$(E:%1"$($6&(8%!2&$??? %+"-F6&(2$$&(-6&(*(#0(>,92,4*@5 "0(:"9%F6&(%&$(E:%1"$(*(8":!%!"5( -6&(* %90&#:&.( +%, 8&,J$(82:%0("$+".???(&()#"(":%("9".(#0(+#:,&.(#0 E:%1".(#0(0%::&)#2-&.(,&-B#-!"0I$"(+&!&$5??? "#(,E(%,4&()#"("9"$(!"82%0(B%7":(#0("$B&:F&(C%:%($" "("#()#"($&#(B294&(!"$$"(E:%1"( 2-+"<:%:"0(-6&(,&-,&:!%.("0(+&!&(&(,%$&(0"#(,%:& !"8&(!27":I94"()#"(+&!&$(!"8"0(B%7": $"-4&:(#0%(,&2$%(*(,":+%=("$+%(<"-+"(-6&(*(,&0&(-L$5??? "$B&:F&$(0"#(,%:&($"-4&:55 +&0%5
  21. 21. Comic_PT 02.10.2001 18:59 Uhr Seite 20 O HÁBITO NÃO FAZ O MONGE "-+6&(D&8"0(%-!E0&$(&#+:% "9"<%-+"("(1%:%+&5 %45(%45(+&C"0I0"("$+" % 8"7(C"9&$(,%23&+"$(!&(923&(C%:% "(,&0(#0(<&$+& $%9&2&?(0%2$(#0()#"($"(8"$+" -&$(8"$+2:0&$. :")#2-+%!&5??? ,&0&(#0("$C%-+%94&5??? +$$$5()#"0(*()#" :",&-4","I$"(1"0()#"(4E(%)#2( ,%01%!%(!" ! B%9%8%(!%(C#:"7%(!% %90%(!%$(,:2%-F%$. &(!"!&(!"(#0(<:%-!"(,&$+#:"2:&? C:"+"-$2&$&$5 )#"("$+29&5()#"("9"<Z-,2%5 <::B &5 &5 4&$ 15 2&5 946 C2&9 $-& $%9& C&:,% &$(!"$I $&5 +:&F&$(!% &$5 $2& +"- C#192,2I 1201 %2(5 C:" !%!"5 $5 2,& (: 8&$ -& $5 9&2& $% 1&0(DE(,4"<%5(8&,J$("$+6&(% 1&0?(%(,#9C%(*(!"9"5???(C&:)#"("9"(*???("#4??? !2B":"-+"5("$+"(%)#25??? C&:+%:I$"(8":!%!"2:%0"-+"(,&0&??? ,&0&(%!#9+&$55(,4"<%5( "3C92)#"0I$"("0(8"7(!"( %-!%:"0(M(C%-,%!%5
  22. 22. Comic_PT 02.10.2001 18:59 Uhr Seite 21 O PATINHO FEIO *(#0%(C%:8&"2:%5("(C"-$%:()#"(#0(C")#"-&("$B&:F& $"(%$(C"$$&%$(,&0C:""-!"$$"0()#"(#0%(,2!%!"(*(#0 ,4"<%:2%(C%:%()#"(%(82!%("0($&,2"!%!"($"(+&:-%$$" ,:#7%0"-+&(&-!"($"(02$+#:%0("+-2%$(:"92<2G"$(" 0#2+&(0%2$(%<:%!E8"9? ,%0%!%$($&,2%2$(-6&($"(%,#$%:2%0(#0%$(M$(&#+:%$ C"9&(0%2$(C")#"-&(C:&19"0%5??? %()#"0(&(!27"$??? *(8":!%!"5 "3,9#"0I$"(&$("$+:%-<"2:&$(&$(!"B2,2"-+"$(&$(8"94&$ %&(0%:<2-%927%:"0(%9<#-$(2-!28/!#&$(,:2%0I$"(<#"I &$(!"$"0C:"<%!&$(&$(:#28&$(&$(<&:!&$(&$(!&"-+"$ +&$()#"(&:2<2-%0(+"-$G"$("(C:&8&,%0(2-B%928"90"-+" &$(,2<%-&$("+,?($L(C&:)#"($6&(!2B":"-+"$?(-&(B#-!& ,4%+2,"$5(($"0($":0&$(!"0%$2%!&(2!"%92$+%$("$C"I &($":(4#0%-&(*(8":!%!"2:%0"-+"("$+HC2!&??? :"0&$()#"(#0(!2%($"(%,%1"(,&0(%$("3,9#$G"$(!"( +&!&(&(+2C&5??? C&2$5 -6&($6&($L(&$(4#0%-&$()#"(C:%+2,%0(%("3,9#$6&(&$ $-2B $-2B %-20%2$(+%01*0?(8&,J$(-6&(82:%0(&(C%+2-4&(B"2&.(* #0(!"$"-4&(%-20%!&()#"(,&-+%(%(42$+L:2%(!"(#0 C")#"-&(C%+&(:"D"2+%!&(C"9&$($"#$5???(%45(%45("-B20 +%98"7(&(0"94&:($"D%(:2:(!%($2+#%F6&(-6&.
  23. 23. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 22 O FUTURO DO MUNDO :%,2$+%.(,":+%0"-+"()#"(+&!&$($&0&$(#0(C&#,&5??? -6&5(-6&5(M$(C&:+%$(!&($*,#9&(332(*(#0%(%1"::%F6& %+*(%)#"9"$()#"(-6&(&(%!02+"05(-&("-+%-+&(* #0%(,&-+:%!2F6&???(&(0#-!&(*(#0%(02$+#:%5 2-H+29(+%C%:(%(,%:%5???( :%,2$+%.(2$$&(-6&()#":(!27":(-%!%("()#":(!27":(+#!&? B2,%:E($"0C:"(%9<#0%(,&2$%(C&:(!27":("0(:"9%F6&(%& C&:)#"(*()#"(-&$(%-H-,2&$(*($"0C:"(%(9&#:%()#" C%C"9(!&$(0"2&$(!"(,&0#-2,%F6&(-%(C:&C%<%F6&(!%$ "$,&94"(&$(1&-$(C:&!#+&$.(%4-. 2!"2%$(B%9$%$?(C&:)#"(*()#"(-%$(-&+/,2%$($L($"(B%9% !&$("$+:%-<"2:&$()#%-!&(4E(C:&19"0%$.(B&:F&$%0"-I +"(B%7I$"(%(%$$&,2%F6&=("$+:%-<"2:&([(C:&19"0%? "-)#%-+&(%9<#-$(B%7"0("$B&:F&$(&#+:&$(!"2+%0 "$,&94%$(C&9/+2,%$(C:"B":J-,2%$($"3#%2$(:"92<2G"$ %,4%$(C%:%(%(B&<#"2:%?("$C%94%0(&(L!2&(+&!&$(&$ 0&!&$(!"(82!%???(1%$+%("3%9+%:(%$(921":!%!"$(2-!282!#%2$ +2C&$(!"(:%,2$0&("$)#","-!&(%$(92FG"$(!%(42$+L:2%55 "(&(928:"(%:1/+:2&5(-L$(D&8"-$(-L$(!"8"0&$(0#!%:( &(0#-!&5 8%0&$(+":(0#2+& )#"(B%7":5???
  24. 24. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 23 LUTAR CONTRA O RACISMO egundo um inquérito efectuado na União inquérito revelaram a complexidade do fenómeno S Europeia na Primavera de 1997, o racismo e a racista. Os sentimentos racistas coexistem com xenofobia atingem um nível inquietante nos Esta- fortes convicções favoráveis ao sistema democráti- dos-Membros: cerca de 33% dos inquiridos co e ao respeito pelos direitos e pelas liberdades descrevem-se abertamente como «bastante racis- fundamentais. A maioria dos inquiridos considera tas» ou «muito racistas». que a sociedade deve ser integradora e conceder igualdade de direitos a todos os cidadãos, incluin- Estas pessoas que se declaram racistas estão mais do os imigrantes e os pertencentes a grupos mino- descontentes com as suas condições de vida do ritários. que a restante população. Receiam o desemprego, sentem-se inseguras quanto ao futuro e têm pouca As opiniões dividem-se mais quando se pergunta confiança no trabalho desenvolvido pelas autorida- se todos os membros das minorias devem benefi- des públicas e pela classe política nos respectivos ciar destes direitos em todas as circunstâncias. países; além disso, há entre estas pessoas maior Muitos inquiridos estão de acordo em limitar os aceitação de esteriótipos negativos para qualificar direitos dos membros de minorias considerados os imigrantes e as minorias. parte integrante de grupos «causadores de proble- Um grande número de pessoas que afirmam ser mas», isto é, os imigrantes em situação ilegal na racistas são, na verdade, xenófobas: as «minorias» União Europeia, os autores de delitos e os desem- que são objecto de sentimentos racistas em cada pregados. país variam em função da história colonial e Os inquiridos consideram que as instituições euro- migratória do país em questão e da chegada mais peias deveriam ter um papel mais importante na ou menos recente de refugiados. Os resultados do luta contra o racismo. Grau de racismo expresso (REPARTIÇÃO POR PAÍS) EM PERCENTAGEM (NÃO RESPOSTAS EXCLUÍDAS) 100 % Pergunta: «Algumas pessoas têm a impres- são de que não são de todo racistas. Outras sentem que são muito racistas. Poderia olhar para este quadro e dizer o número em 90 % que classifica os seus próprios sentimen- tos relativamente a este assunto. Se achar que não é de todo racista, escolha 1. Se 80 % achar que é muito racista, escolha 10. As pontuações compreendidas entre 1 e 10 permitem ver em que medida se aproxima 70 % de uma ou de outra das opções». Para obter este gráfico, a categoria «nada racista» equivale ao n.° 1 na escala e as 60 % restantes categorias agrupam-se da seguinte forma: «um pouco racista» (2 e 3) 50 % «bastante racista» (4 a 6) «racista» (7 a 10) 40 % Eurobarómetro 47.1, Primavera de 1997 30 % % Muito racista (7-10 na escala) 20 % % Bastante racista (4-6) % Um pouco racista (2-3) 10 % % Nada racista (1 na escala) 0% B DK D EL E F IRL I L NL A P FIN S UK EU-15
  25. 25. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 24 A ACÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA 1977 1992 Declaração Conjunta dos Direitos Fundamentais O Comité Económico e Social aprova uma reso- assinada pelo Parlamento Europeu, Conselho e lução sobre o racismo, a xenofobia e a intolerância Comissão. religiosa. O Conselho Europeu aprova, na Cimeira de Edim- 1986 burgo, uma terceira resolução contra o racismo, O Parlamento Europeu aprova o primeiro relatório solicitando que, por toda a Europa, se tomem da sua Comissão de Inquérito sobre o Aumento do «medidas enérgicas e eficazes, tanto no domínio Fascismo e Racismo na Europa. da educação como no domínio legislativo, para combater este fenómeno». O Conselho, o Parlamento Europeu e a Comissão aprovam uma declaração conjunta contra o racis- 1993 mo e a xenofobia. O Parlamento Europeu aprova várias resoluções sobre o racismo, a xenofobia e os perigos da violência da extrema direita. 1989 A Carta Comunitária dos Direitos Sociais Funda- O Conselho Europeu aprova uma quarta decla- mentais dos Trabalhadores menciona a importân- ração, na Cimeira de Copenhaga, condenando o cia da luta contra todas as formas de discriminação racismo e a xenofobia, na qual declara ter «decidido com base no sexo, na cor, na raça, nas opiniões e intensificar os esforços para identificar e erradicar nos credos. as causas do racismo», assumindo o compromisso de «fazer o seu melhor para proteger os imigrantes, refugiados e outros das expressões e manifes- tações de racismo e intolerância». 1990 O Conselho Europeu aprova, na Cimeira de Dublim, uma resolução relativa à luta contra o 1994 racismo e a xenofobia. Por iniciativa franco-alemã, na Cimeira de Corfu, o Conselho Europeu decide constituir uma Comissão O Parlamento Europeu aprova o segundo relatório Consultiva sobre Racismo e Xenofobia, encarre- da sua comissão de inquérito apelando ao reforço gada de fazer recomendações práticas no sentido da acção à escala europeia. de promover a tolerância e a compreensão, e aceita desenvolver uma estratégia global à escala da União para combater o racismo. Também em 1991 1994, na Cimeira de Essen, o Conselho Europeu O Conselho Europeu aprova uma resolução, na solicita à Comissão «o aprofundamento dos traba- Cimeira de Maastricht, comprometendo-se a agir lhos em curso» nos diferentes domínios do ensino «com clareza e sem ambiguidade» para contrariar e da formação, da informação e dos media e no o aumento do racismo e da xenofobia. domínio da polícia e da justiça.
  26. 26. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 25 No livro branco sobre Política Social, a Comissão A Cimeira do Diálogo Social entre Representantes anuncia a sua intenção de «insistir para que sejam dos Empregadores e dos Sindicatos adopta uma incluídos no Tratado poderes específicos no domí- declaração comum que visa prevenir a discrimi- nio da luta contra a discriminação racial». nação racial e a xenofobia e promover a igualdade de tratamento no local de trabalho. Uma comunicação da Comissão Europeia sobre as políticas de imigração e de asilo dedica o último capítulo à luta contra a discriminação racial e ao 1996 modo de fazer face ao problema do racismo e da O Parlamento Europeu, o Comité Económico e xenofobia. Social e o Comité das Regiões apoiam a proposta de instituir o Ano Europeu contra o Racismo em A resolução do Parlamento Europeu relativa ao 1997. racismo e à xenofobia apela a uma directiva euro- peia destinada a reforçar as disposições existentes A comissão consultiva termina o seu estudo de na legislação dos Estados-Membros. viabilidade. O Conselho Europeu solicita a esta comissão a continuação do trabalho até que o Observatório Europeu do Racismo e da Xenofobia 1995 seja criado e dá, igualmente, luz verde para o Ano A comissão consultiva apresenta ao Conselho Europeu. Europeu, reunido em Cannes, o seu relatório final, que contém um grande número de recomendações para a acção. O Conselho Europeu solicita à 1997 comissão consultiva que prossiga os seus traba- Os Estados-Membros e o Parlamento Europeu lhos e analise, em estreita colaboração com o Con- concordam em estabelecer o Observatório Euro- selho da Europa, a viabilidade de um Observatório peu em Viena. O Observatório terá o duplo papel Europeu dos Fenómenos Racistas e Xenófobos. de catalogar e avaliar os fenómenos racistas e xenófobos e de analisar os motivos subjacentes, Duas resoluções do Parlamento Europeu sobre o elaborando propostas concretas e práticas para os racismo, a xenofobia e o anti-semitismo insistem combater. para que sejam tomadas medidas a fim de proteger a igualdade de oportunidades de emprego, inde- Os chefes de Estado e de Governo integram a pendentemente da idade, da raça, do sexo, da exi- defesa dos direitos do Homem e das liberdades stência de deficiências ou das crenças. fundamentais no novo Tratado da União Europeia concluído na Cimeira de Amsterdão. O Conselho dos Assuntos Sociais e o Conselho da Educação adoptam resoluções para combater o racismo no trabalho e nos sistemas educativos. 1998 A Comissão Europeia apresenta um plano de A Comissão Europeia submete uma proposta ao acção global de luta contra o racismo. Conselho para designar 1997 o Ano Europeu con- tra o Racismo. A Comissão salienta o papel especí- fico que este ano poderia representar como com- plemento às acções nacionais. Os principais 8%0&$(+":(0#2+& domínios identificados são: a promoção da inte- )#"(B%7":5??? gração e a abertura de vias para a integração, a promoção da igualdade de oportunidades e a redução da discriminação, a sensibilização da opi- nião pública e o combate aos preconceitos, a pre- venção de quaisquer comportamentos racistas e da violência, a vigilância e a sanção de crimes raciais, a cooperação internacional, o reforço das disposições jurídicas anti-racismo, incluindo a nível europeu.
  27. 27. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 26 O TRATADO DE AMSTERDÃO E AS CONVENÇÕES INTERNACIONAIS O Tratado de Amsterdão consulta ao Parlamento Europeu, pode tomar as medidas necessárias para combater «qualquer Título I discriminação em razão do sexo, raça, origem étni- Princípios gerais subjacentes à União ca, religião e crença, deficiência, idade ou orien- «A União funda-se nos princípios da liberdade, da tação sexual». democracia, do respeito pelos direitos do Homem e Convenção Europeia de Salvaguarda dos Direi- pelas liberdades fundamentais, bem como do Esta- tos do Homem e das Liberdades Fundamentais, do de direito», comuns a todos os Estados-Mem- 1950, artigo 14.° bros. Os direitos e liberdades consagrados nesta con- A União respeitará os direitos fundamentais garan- venção são garantidos sem discriminação em tidos pela Convenção Europeia de Salvaguarda razão do sexo, raça, cor, língua, origem, religião, dos Direitos do Homem e das Liberdades Funda- opiniões políticas ou outras, origem nacional ou mentais, assinada em Roma, em 4 de Novembro social, pertença a uma minoria étnica, propriedade, de 1950, que resultam das tradições constitucio- nascimento ou outros estatutos. nais comuns aos Estados-Membros, enquanto princípios gerais do direito comunitário. Convenção Internacional das Nações Unidas A União respeitará a identidade nacional dos Esta- relativa à eliminação de todas as formas de dos-Membros. discriminação racial, 1965, artigo 1.° A União dotar-se-á dos meios necessários para Nesta convenção, a expressão «discriminação atingir os seus objectivos e realizar com êxito as racial» refere, sem qualquer distinção, a exclusão, suas políticas. restrição ou preferência em razão da raça, cor, des- cendência, origem nacional ou étnica, que visam Não discriminação, artigo 6.°-A diminuir ou anular o reconhecimento, o benefício Sem prejuízo das demais disposições do Tratado e ou o exercício, em pé de igualdade, dos direitos do dentro dos limites das competências que este con- Homem e das liberdades fundamentais, nos domí- fere à Comunidade, o Conselho, deliberando por nios político, económico, social e cultural ou em unanimidade, sob proposta da Comissão e após qualquer outro domínio da vida pública. PORQUÊ AGIR A NÍVEL EUROPEU? Identidade europeia dentemente da pertença étnica, religiosa, nacional A luta contra o racismo não se pode separar da ou cultural. Esta condição é essencial para o identidade europeia. A necessidade de criar os fun- desenvolvimento democrático e a legitimidade dos damentos de um espírito de comunidade entre governos e instituições existentes. povos há muito separados por conflitos violentos é Nenhum Estado-Membro é poupado e nenhum parte integrante dos ideais que inspiraram os fun- grupo social e cultural tem a garantia de não se tor- dadores da Comunidade. nar um dia uma vítima do racismo (1). Democracia Respeito pelos direitos do Homem A União Europeia deve ser construída com base O respeito pelos direitos do Homem e pelas liber- numa sociedade que valorize a diferença, repre- dades fundamentais inscritos no Tratado, assim sentando as necessidades de todos os cidadãos e (1) Comunicação da Comissão Europeia sobre o racismo, xeno- reflectindo os seus interesses e valores, indepen- fobia e anti-semitismo [COM(95) 653 final].
  28. 28. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 27 como o direito à igualdade de tratamento e à au- susceptíveis de serem vitimas de actos racistas de sência de discriminação são os princípios de base se estabelecerem nos Estados-Membros da União de qualquer política comunitária. Europeia onde a protecção é insuficiente (2). Uma participação de todos os cidadãos na vida Desenvolvimento e direitos económicos e sociais social, económica e política faz parte do desenvol- O racismo e a xenofobia representam uma séria vimento europeu. No entanto, o racismo exclui e ao ameaça, não só para a estabilidade da sociedade mesmo tempo tira partido da exclusão. Quando as europeia, mas também para o bom funcionamento pessoas se sentem rejeitadas ou ameaçadas são da economia (1). mais propensas a rejeitar as outras. As economias europeias não utilizam ao máximo a A luta contra o racismo está estreitamente relacio- sua força de trabalho (1). nada com a melhoria das condições de emprego e A discriminação interfere na livre circulação de pes- as políticas de imigração e de integração relativas, soas e serviços, impedindo que as pessoas sujei- por exemplo, ao acesso ao emprego e à educação (1). tas a discriminações arranjem emprego, alojamento ou até que usem os serviços de que têm necessi- (1) Declaração Comum dos Parceiros Sociais relativa à Pre- dade (2). venção, Discriminação Racial, à Xenofobia e à Promoção da Igualdade de Tratamento no Local de Trabalho. As diferenças entre as políticas nacionais de pro- (2) Relatório da Conferência de Abertura do Ano Europeu contra o tecção contra o racismo desencorajam as pessoas Racismo, 1997. A EUROPA CONTRA O RACISMO Considerando que o racismo, a xenofobia e o Nós, abaixo assinados, comprometemo-nos: anti-semitismo se opõem aos direitos fundamentais – a reforçar a nossa acção com vista a combater o que são mencionados no direito comunitário e racismo, a xenofobia e o anti-semitismo em todos reconhecidos nas declarações e instrumentos os sectores da vida, utilizando todos os meios e internacionais e que resultam das tradições consti- recursos disponíveis; tucionais; – a cooperar para este efeito com todos os par- ceiros em questão; Considerando a presença permanente do racismo, – a introduzir, estimular e promover a divulgação da xenofobia, e do anti-semitismo em toda a Euro- das boas práticas e experiências; pa, que lança um desafio importante às nossas – a promover as medidas adequadas, incluindo sociedades e que solicita a mobilização de todos os códigos de conduta europeus e nacionais. seus parceiros para combater estes fenómenos; Nós, abaixo assinados, temos a intenção: Considerando que o Conselho e os Estados-Mem- – de participar activamente no Ano Europeu contra bros reconheceram este desafio quando proclama- o Racismo; ram 1997 o Ano Europeu contra o Racismo, – de participar activamente na mobilização euro- peia iniciada pelo Ano Europeu contra o Racismo. Nós, abaixo assinados, afirmamos: – o direito fundamental de todo o indivíduo de viver Instamos as instituições europeias, as autoridades sem assédio ou discriminação em razão da raça, públicas, as organizações privadas e os cidadãos, cor, religião, ou origem nacional ou étnica; à escala europeia, nacional e local, a contribuírem – a necessidade de construir parcerias a fim de cri- para a luta contra o racismo, a xenofobia e o ar uma união na luta contra o racismo, a xenofo- anti-semitismo, na vida quotidiana, na escola, no bia e o anti-semitismo. local de trabalho e nos meios de comunicação. Wim Kok José María Gil-Robles Gil-Delgado Jacques Santer Primeiro-Ministro dos Países Baixos Presidente do Parlamento Presidente da Comissão Presidente do Conselho em exercício Europeu Europeia
  29. 29. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 28 LANÇAR PONTES ENTRE AS CULTURAS Presentemente, um dos maiores desafios que as moldam a cultura de um grupo, que são apreendi- sociedades europeias devem enfrentar é de se das desde a mais tenra idade e que operam a nível desenvolverem integrando a multiplicidade cres- consciente e inconsciente. Assumem as formas de cente de grupos culturais. As diversas políticas estruturas de poder, de instituições e de práticas têm-se desenvolvido em torno de conceitos, valo- sociais. São estes processos que diferenciam um res e modelos considerados como norma pela cul- grupo e o tornam específico, pois dão aos indivídu- tura dominante. Resultado: ao insistir nas seme- os um sentido de pertença e proporcionam-lhes um lhanças e na homogeneidade, contribui-se para ponto de referência. reforçar o sentimento de exclusão daqueles que não estão incluídos nesta definição. As pessoas que são similares devido ao grupo a que pertencem inspiram mais facilmente confiança. O termo «cultura» é aqui utilizado no seu sentido Quanto maior é a diferença maior é a desconfiança mais lato: ultrapassa as definições étnicas ou e mais difícil a procura de um plano de entendi- nacionais, para incluir factores como o género, a mento. Isto acontece tanto na vida privada como na educação, a origem social e a religião. vida profissional. Segundo Hofstede (1), a cultura pode ser definida Lutar contra o racismo exige uma reflexão pessoal. como «a programação colectiva do espírito que Presentemente, o racismo passou de actos distingue os membros de um grupo social de manifestos a manifestações mais subtis e dissimu- outro». ladas baseadas na rejeição da diferença e implica um sistema dissimulado de exclusão que separa os Esta programação começa à nascença e pro- que fazem e os que não fazem parte do grupo. longa-se até à idade adulta. Tem lugar na família, na escola e no trabalho. Consiste numa série de (1) Hofstede, G., Cultures Consequence, 1980, Sage Publicati- valores comuns, de crenças e de atitudes que ons, Londres. &94%(%)#"9"($"-4&:(+6&(<&:!&5 !"82%(B%7":(!2"+%?(-6&(%,4%$ 0%06. 9E(2$$&(* 8":!%!"5
  30. 30. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 29 ETAPAS DA COMUNICAÇÃO INTERCULTURAL Etapa 1 Estado que consiste em ignorar as diferenças, representado por atitudes do tipo «à nossa maneira é melhor». Etapa 2 Estado de consciência da diferença atingido graças ao contacto intercultural, à comuni- cação e à observação: «os outros têm maneiras diferentes de fazer as coisas». Etapa 3 Estado de tolerância que respeita o «eles são diferentes» sem nenhum juízo de valor. Etapa 4 Estado que consiste em aceitar, valorizar e utilizar positivamente a diferença: «deixem-nos trabalhar juntos de maneira comum e enriquecedora». UMA VISTA DE OLHOS POR CERTAS DEFINIÇÕES E CONCEITOS «A Europa é uma sociedade multicultural e mul- Diferença entre racismo e preconceito: o pre- tinacional que se enriquece com esta variedade. conceito pode significar o desprezo por alguém No entanto, a constante presença do racismo na antes mesmo de saber o que quer que seja sobre nossa sociedade não pode ser ignorada. O racismo ele, mas sem ter, necessariamente, o poder de toca toda a gente. Degrada as nossas comunida- influenciar a sua vida negativamente. Quanto ao des e gera insegurança e medo.» racismo, está relacionado com o funcionamento de Pádraig Flynn, Comissário Europeu toda uma sociedade e inclui o poder de pôr os pre- conceitos racistas em acção. A maioria tem poder «A criatividade só pode ter origem na diferença.» sobre a minoria e pode, intencionalmente ou não, Yehudi Menuhin, violinista praticar actos racistas. Assim, o racismo implica ter e defensor dos direitos do Homem o poder para discriminar e prejudicar as pessoas «O racismo começa quando a diferença, real ou sob pretexto de serem diferentes.» imaginária, é usada para justificar uma agressão. Conselho da Juventude Britânico Uma agressão que assenta na incapacidade para «O racismo consiste em crer que certas pessoas compreender o outro, para aceitar as diferenças e são superiores a outras devido a pertencerem a para se empenhar no diálogo.» uma raça específica. Os racistas definem uma raça Mário Soares, antigo Presidente de Portugal como sendo um grupo de pessoas que têm a mes- ma ascendência. Diferenciam as raças com base «Preconceito: opinião desfavorável relativamente em características físicas como a cor da pele e o a uma pessoa ou um grupo formada sem conheci- aspecto do cabelo. Investigações recentes provam mento, razão ou causa. que a ‘raça’ é um conceito inventado. A noção de Poder: capacidade para fazer mover as coisas, as ‘raça’ não possui qualquer fundamento biológico. possuir e as controlar. A palavra ‘racismo’ é igualmente usada para descre-
  31. 31. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 30 ver um comportamento abusivo ou agressivo para CATEGORIZAÇÃO: fazer generalidades e dividir com os membros de uma ‘raça inferior’. O racismo as nossas experiências em categorias de modo a reveste-se de várias formas nos diversos países, facilitar a nossa maneira de gerir o mundo à nossa consoante a sua história, cultura e outros factores volta. Dividem-se e rotulam-se as pessoas e os sociais. Uma forma relativamente recente de racis- grupos. mo, por vezes denominada ‘diferenciação étnica ou ESTERIOTIPAR: quando se rotulam as pessoas, é cultural’, defende que todas as raças e culturas são tentador fazer-se uso de esteriótipos. Os esterióti- iguais, mas não se deviam misturar, de maneira a pos são juízos de valor com base em informação conservar a sua originalidade. Não existe insuficiente. Há esteriótipos positivos e negativos, nenhuma prova científica da existência de raças mas acreditar num esteriótipo negativo e exacer- diferentes. A biologia só identificou uma raça: a bá-lo pode tornar-se perigoso e pode conduzir ao... raça humana. PRECONCEITO: composto por ideias criadas num A intolerância é uma falta de respeito pelas práti- leque de emoções e, de factos insuficientes. Um cas e convicções do outro. Aparece quando alguém preconceito é frequentemente constituído sem recusa deixar outras pessoas agirem de maneira qualquer fundamento e, no entanto, é aceite sem diferente e terem opiniões diferentes. A intolerância ser posto em causa. Há por vezes contrastes entre pode conduzir ao tratamento injusto de certas pes- nós e eles. Os preconceitos podem levar a compor- soas em razão das suas convicções religiosas, tamentos hostis em presença do grupo em ques- sexualidade ou mesmo da sua maneira de vestir ou tão. As reacções seguintes derivam do preconceito: de pentear. A intolerância não aceita a diferença. EVITAR: evitar o grupo, não lhe falar, não o querer Está na base do racismo, do anti-semitismo, da encontrar. xenofobia e da discriminação em geral. Frequente- ABUSO VERBAL: falar negativamente do grupo e mente, a intolerância pode conduzir à violência. ao grupo. A igualdade é a característica do que é igual. O DISCRIMINAÇÃO: enquanto o preconceito é uma que significa que nenhuma pessoa é mais impor- atitude, a discriminação é um comportamento que tante que outra, quaisquer que sejam os seus pais despreza o grupo, o trata mal, o recompensa e a sua condição social. Naturalmente, as pessoas menos que os outros, o boicota, e até mesmo o não têm os mesmos interesses e as mesmas capa- exclui. cidades, nem estilos de vida idênticos. Consequen- ABUSO VIOLENTO: gozando, importunando, temente, a igualdade entre as pessoas significa ameaçando, assediando ou prejudicando o que todos têm os mesmos direitos e as mesmas património do grupo. oportunidades. No domínio da educação e do tra- ELIMINAÇÃO: isolando, banindo, matando, lin- balho, devem dispor de oportunidades iguais, chando, procedendo ao genocídio ou à purificação apenas dependentes dos seus esforços. A igualda- étnica.» de só se tornará uma realidade quando todos tive- CSV Media (UK) rem, em termos idênticos, acesso ao alojamento, à A caminho da igualdade, segurança social, aos direitos cívicos e à cidadania. manual para grupos de jovens O interculturalismo consiste em pensar que nós que trabalham em iniciativas antidiscriminatórias nos enriquecemos através do conhecimento de nos meios de comunicação social outras culturas e dos contactos que temos com «A imigração é um fenómeno constante ao longo elas e que desenvolvemos a nossa personalidade da história da Humanidade, que cria e enriquece as ao encontrá-las. As pessoas diferentes deveriam culturas, em vez de as ameaçar.» poder viver juntas apesar de terem culturas diferen- Russell King, Universidade de Sussex, 1991 tes. O interculturalismo é a aceitação e o respeito «Nós encontramo-nos hoje numa importante pelas diferenças. Crer no interculturalismo é crer encruzilhada, face àquilo que talvez seja a mais que se pode aprender e enriquecer através do dura batalha alguma vez travada. As crenças fun- encontro com outras culturas.» damentalistas de todo o tipo invadiram o mundo... UNIDOS para uma acção intercultural O racismo é uma invenção humana, relativamente «Existe um certo número de etapas que conduzem moderna e que, julgo eu, não é inevitável.» à discriminação activa, à violência e mesmo à puri- Professora Patricia Williams, ficação étnica e ao genocídio. conferencista, 1997
  32. 32. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 31 BIBLIOGRAFIA Uma colectânea publicada pela Comissão Europeia oferece um texto integral da maior par- te destas medidas. Intitulada As Instituições Europeias na Luta contra o Racismo: Textos Escolhidos, esta colectânea encontra-se disponível gratuitamente nas representações da Comissão Europeia em cada Estado-Membro ou na Comissão Europeia, Direcção-Geral V, Emprego, Relações Laborais e Assuntos Sociais – Documentação. Fax: (32 2) 296 23 93 Número de catálogo: CE-01-96-438-EN/FR/DE-C. ISBN 92-827-9845-3. Declaração do Conselho da União Europeia e dos representantes dos Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, de 16 de Dezembro de 1997, sobre o respeito pelas diversidades e o combate ao racismo e à xenofobia. Jornal Oficial C 1 de 3.1.1998 Declaração do Conselho da União Europeia e dos representantes dos Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, de 24 de Novembro de 1997, relativa ao combate ao racismo, à xenofobia e ao anti-semitismo no domínio da juventude. Jornal Oficial C 368 de 5.12.1997 Vers de nouvelles perspectives interculturelles Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias ISBN 92-828-1339-8 «Racismo e Xenofobia na Europa» Eurobarómetro 47.1, Primavera de 1997, Direcção-Geral V Compendium européen de bonne pratique en matière de prévention du racisme sur le lieu de travail Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias ISBN 92-828-1961-2 Plano de Acção contra o Racismo COM(1998) 183 final, de 25 de Março de 1998 "$,&94%$(C&9/+2,%$(C:"B":J-,2%$($"3#%2$ :"92<2G"$(0&!&$(!"(82!%???(1%$+%("3%9+%:(%$ 921":!%!"$(2-!282!#%2$("(&(928:"(%:1/+:2&5(-L$ D&8"-$(-L$(!"8"0&$(0#!%:(&(0#-!&5
  33. 33. Comic_PT 02.10.2001 19:00 Uhr Seite 32 Comissão Europeia «RACISTA, EU ?!» Luxemburgo: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias 1998 — 31 p. — 21 x 29,7 cm ISBN 92-828-4023-9 A União Europeia considera que deve combater as discriminações em razão do sexo, raça, origem étnica, religião e crença, deficiência, idade ou orientação sexual. Esta brochura, dirigida aos professores e jovens, reúne um conjunto de documentos úteis para incentivar a reflexão e o debate sobre o racismo.
  34. 34. Comic_PT 02.10.2001 19:09 Uhr Seite 34 Mais informações sobre a União Europeia Na Internet, através do servidor Europa (http://europa.eu.int), há informações em todas as línguas oficiais da União Europeia. Para obter informações e publicações em língua portuguesa sobre a União Europeia, pode contactar: GABINETE DA COMISSÃO EUROPEIA GABINETE DO PARLAMENTO EUROPEU Gabinete em Portugal Gabinete em Portugal Centro Europeu Jean Monnet Centro Europeu Jean Monnet Largo Jean Monnet, 1-10.°, Largo Jean Monnet, 1-6.°, P-1200 Lisboa P-1200 Lisboa Tel. (01) 350 98 00 Tel. (01) 357 80 31-357 82 98 Existem representações ou gabinetes da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu em todos os Estados-Membros da União Europeia. Noutros países do mundo existem delegações da Comissão Europeia. É também possível obter mais informações nas escolas, nas câmaras municipais e nas bibliotecas.
  35. 35. Comic_PT 02.10.2001 19:10 Uhr Seite 35 1 C")#"-&(<&:!&("(-"<:&5???(1&9%$5 &(!2%I%I!2%(-6&(!"8"($":(BE,295 5 )#"(2-B":-&5??? CB#%&##555 CM-11-97-576-PT-C A União Europeia considera que deve combater as discriminações em razão do sexo, raça, origem étnica, religião e crença, deficiência, idade ou orientação sexual. Esta brochura, dirigida aos professores e jovens, reúne um conjunto de documentos úteis para incentivar a reflexão e o debate sobre o racismo. PT SERVIÇO DAS PUBLICAÇÕES OFICIAIS DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

×