Criação de Impressos

25,286 views
24,993 views

Published on

17 Comments
64 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
25,286
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,031
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
17
Likes
64
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Criação de Impressos

  1. 1. Criação de Peças gráficas impressas Direção de Arte Publicitária Facsum
  2. 2. Os formatos <ul><li>Definidos os critérios básicos é o momento de estipular o formato do impresso. Cartazes, jornais e revistas possuem dferentes formatos e cada um possui um sistema de diagramação específico. </li></ul>
  3. 3. O Grid O grid (grade) é um sistema de divisão de um projeto gráfico em colunas com espaços iguais entre si. Este sistema permite o uso ilimitado de possibilidades de diagramação dentro de uma estrutura pré-definida.
  4. 4. A Mancha Gráfica <ul><li>A Mancha Gráfica é a área limite de impressão de um projeto gráfico. </li></ul><ul><li>A mancha poderá ser emoldurada por margens brancas, sem impressão ou receber impressão em sua totalidade, até os limites de seu formato. </li></ul><ul><li>Para impressos que recebem impressão por toda sua extensão, sem limites de margem, chamados de impressos “sangrados”’. </li></ul>
  5. 5. Diagramação <ul><li>O termo deriva da palavra diagrama que é um recurso cuja finalidade está em representar fenômenos graficamente. </li></ul><ul><li>Na comunicação visual, diagramar significa construir, estruturar e distribuir elementos que irão compor uma mensagem visual que será trabalhada à partir da disposição de todos elementos do discurso gráfico necessários para compor a mensagem. </li></ul><ul><li>Ao conjunto destes elementos devidamente distribuídos e diagramados chamamos LAYOUT. </li></ul>
  6. 6. Conceitos Fundamentais Simetria/Assimetria <ul><li>Simetria: </li></ul><ul><li>A composição simétrica tem como propriedade a serenidade, dando ao layout uma fisionomia ponderada, estática. Valoriza o conceito de legibilidade portanto deve ser utilizada em reproduções serenas, sérias que necessitam de inspiração e respeito pelo leitor </li></ul>
  7. 7. Conceitos de Simetria / Assimetria <ul><li>Assimetria: </li></ul><ul><li>A composição assimétrica, também conhecida como livre e informal, quebra a monotonia dos layouts simétricos. </li></ul><ul><li>Ela desequilibra o diagrama usando o branco da área não impressa como peso visual, agilizando e dinamizando a composição. Caracteriza-se pelo contraste, estilo, força de ilustração e caracteres, variação tonal entre outros recursos. </li></ul>
  8. 8. Zonas de Visualização <ul><li>As zonas de visualização são áreas do layout que exercem uma atração natural sobre o leitor. Estas áreas estão condicionadas ao processo de percepção do receptor que direciona o olhar de acordo com um conceito pré-estabelecido por seus hábitos culturais como por exemplo a escrita ocidental. As Zonas de visualização são: </li></ul><ul><li>1) Primária ou principal; </li></ul><ul><li>2) Secundária; </li></ul><ul><li>3 e 4) áreas mortas; </li></ul><ul><li>5) centro óptico </li></ul><ul><li>6) centro geométrico. </li></ul>
  9. 9. Critérios Básicos da Diagramação <ul><li>Antes de preparar um projeto gráfico é preciso definir: </li></ul><ul><li>- Qual público se quer atingir e quais suas preferências visuais? </li></ul><ul><li>- Qual idéia/conceito o projeto gráfico deverá representar? </li></ul><ul><li>- Quais os elementos do discurso gráfico serão utilizados? </li></ul><ul><li>- Qual a importância relativa das idéias e dos elementos </li></ul><ul><li>gráficos? </li></ul><ul><li>- Como será a ordem de apresentação? </li></ul><ul><li>(hierarquia da informação) </li></ul>
  10. 10. Elementos Básicos da Diagramação <ul><li>textos, agrupados em Títulos, subtítulos e períodos. </li></ul><ul><li>As imagens (fotos e ilustrações) </li></ul><ul><li>Os brancos da página (Área não impressa) </li></ul><ul><li>Os fios tipográficos </li></ul><ul><li>O grid ou as grades onde são dsitribuídas as colunas </li></ul>
  11. 11. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Ritmo e unidade </li></ul><ul><li>Variedade </li></ul><ul><li>Harmonia </li></ul><ul><li>Destaque </li></ul><ul><li>Contraste </li></ul><ul><li>Equilíbrio </li></ul>
  12. 12. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Ritmo e Unidade: </li></ul><ul><li>Ritmo é a sucessão harmoniosa dos elementos do layout, que leva em conta a importância de cada elemento visual e proporciona o prazer </li></ul><ul><li>da leitura. </li></ul><ul><li>Unidade é característica de afinidade entre cada um dos elementos do projeto. A semelhança entre formas, cores, blocos de texto garantem unidade do discurso. </li></ul>
  13. 13. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Variedade: </li></ul><ul><li>É a evolução diferenciada dos elementos das formas. Bem distribuídas proporcionam equilíbrio visual, sem comprometer a unidade do layout </li></ul>
  14. 14. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Harmonia </li></ul><ul><li>É a compensação visual entre os elementos do discurso gráfico levando-se me conta os focos visuais do layout. </li></ul>
  15. 15. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Destaque: </li></ul><ul><li>Todo layout impresso tem como objetivo receber a atenção do receptor. </li></ul><ul><li>A essência dessa mensagem é o destaque, quer seja na ilustração ou no texto. </li></ul>
  16. 16. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Contraste: </li></ul><ul><li>O contraste é fundamental para o sucesso de uma composição. </li></ul><ul><li>O contraste é a relação de desigualdade entre duas ou mais formas que encontram nesta tensão a oportunidade de destaque. </li></ul><ul><li>O contraste pode ser na cor, no tamanho, na tonalidade, porém deve ser usado sem abusos caso contrário poderá provocar desordem e confusão. </li></ul>
  17. 17. Leis Compositivas da Diagramação <ul><li>Equilíbrio: </li></ul><ul><li>É a aplicação correta dos tons de cinza obtidos pela tipografia e brancos de uma página, imagens e margens, de forma a proporcionar ao leitor o agradável hábito da leitura. </li></ul>
  18. 18. Revistas <ul><li>Revista é uma publicação impressa composta por várias páginas internas e a capa externa. Geralmente as revistas são destinadas a um público específico e seu projeto editorial contempla assuntos específicos. Do ponto de vista gráfico, a revista pode ser impressa sobre papel de qualidade superior devido à durabilidade e resistência deste veículo. </li></ul><ul><li>Suas características principais são: </li></ul><ul><li>- Formato (geralmente 21 X 28 cm); </li></ul><ul><li>- Páginas coloridas com utilização de muitas fotografias; </li></ul><ul><li>- Maior Periodicidade; (Semanal; Mensal; Quinzenal; etc.) </li></ul>
  19. 19. Principais Formatos de Diagramação de Revistas <ul><li>3 COLUNAS </li></ul><ul><li>O diagrama mais simples e mais utilizado em revistas. É bastante eficiente, já que esta largura de coluna, comporta uma distribuição de texto, agradável à leitura oferecendo condições bem satisfatórias quanto à legibilidade </li></ul>
  20. 20. Principais Formatos de Diagramação de Revistas
  21. 21. Principais Formatos de Diagramação de Revistas <ul><li>4 COLUNAS </li></ul><ul><li>O diagrama de 4 colunas comprime a largura da coluna, porém oferece maior mobilidade ao diagramador, caso ele utilize o espaço de duas colunas como uma. Este recurso permite a disposição de vários elementos em vários formatos. </li></ul>
  22. 22. Principais Formatos de Diagramação de Revistas
  23. 23. Principais Formatos de Diagramação de Revistas <ul><li>5 COLUNAS </li></ul><ul><li>Um diagrama com 5 colunas gera o problema de colunas muito estreitas, prejudicando a legibilidade. Porém usando duas a duas colunas de texto é possível se obter um visual dinâmico restando uma coluna como recurso de mobilidade </li></ul><ul><li>Obs.: Diagramas de 6 colunas inviabilizam a leitura por tornarem as colunas muito finas. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Diagramação Livre </li></ul><ul><li>A diagramação livre é aquela que não se prende ao sistema de diagramação modular. Suas colunas de texto e fotos não se encaixam em um layout de módulos e sim em um arranjo livre baseado em composições com vários elementos visuais que por sua vez auxiliam na distribuição do texto. </li></ul>Principais Formatos de Diagramação de Revistas
  25. 25. Principais Formatos de Diagramação de Revistas
  26. 26. <ul><li>A capa da revista merece muita atenção por parte da editoria de arte, pois ela será o principal elemento de comunicação com o leitor antes deste abrir a revista. Sua função é de atrair a compra. </li></ul><ul><li>A capa deverá conter: </li></ul><ul><li>- foto ou ilustração da manchete </li></ul><ul><li>- chamadas com outras matérias </li></ul><ul><li>- tipologia harmônica e legível </li></ul><ul><li>- Contraste de cores </li></ul><ul><li>- Logotipo (permanente) </li></ul>Diagramação de Revistas - Capas
  27. 27. <ul><li>Esta capa possui uma fotografia de acordo com o conteúdo e o público. O logotipo é forte com um peso tipográfico e cor que se destacam na diagramação. </li></ul><ul><li>A manchete, principal assunto da revista, possui um corpo maior e tem um contraste de cores com a cor do fundo. As chamadas para as matérias da revista contrastam em suas cores garantindo um bom destaque do texto para o leitor. </li></ul>Diagramação de Revistas - Capas
  28. 28. Revistas – Estrutura Interna <ul><li>A estrutura interna de uma revista é a distribuição de todos os elementos textuais e visuais de uma publicação. </li></ul><ul><li>De uma maneira geral a revista está subdividida em vários assuntos fixos que são atualizados em cada edição e podem conter assuntos novos, especiais, que não fazem parte dos elementos fixos da revista. </li></ul><ul><li>Do ponto de vista gráfico, chamamos a parte interna de uma revista de miolo. </li></ul>
  29. 29. Revistas – Estrutura Interna <ul><li>Sumário </li></ul><ul><li>O sumário é uma breve descrição do conteúdo editorial da revista. Traz o título da matéria e em qual página ela foi publicada. </li></ul><ul><li>Geralmente o Sumário é diagramado de forma diferente ao restante do projeto gráfico da revista. </li></ul>
  30. 30. <ul><li>Editorial </li></ul><ul><li>O editorial é uma apresentação do conteúdo da edição pelo Editor-chefe da revista. Deve ser um comentário pessoal porém deve falar direto ao leitor da maneira como ele gosta de ouvir. Deve ser diagramado de modo a permitir a legibilidade do texto e poderá conter fotos dos colaboradores daquela edição. </li></ul>Revistas – Estrutura Interna
  31. 31. Revistas – Estrutura Interna <ul><li>Expediente </li></ul><ul><li>O expediente é a ficha técnica de todos os envolvidos no processo de desenvolvimento da publicação: Do Presidente da Editora à atendente de assinaturas, ou seja, todos os profissionais e detalhes sobre tiragem da publicação devem constar no expediente. Dependendo de seu volume deve ser diagramado junto ao sumário ou ao editorial </li></ul>
  32. 32. Revistas – Estrutura Interna <ul><li>Páginas Internas </li></ul><ul><li>Estilo é a tradição da revista </li></ul><ul><li>A Dinâmica das páginas internas é alcançada com a variação das larguras das colunas </li></ul><ul><li>Páginas Centrais geralmente reservadas aos anúncios de publicidade </li></ul><ul><li>Títulos Correntes são os títulos permamentes nas páginas das publicações, geralmente identificam o conteúdo de cada página. Devem usar uma tipologia diferente do texto. </li></ul><ul><li>A numeração da página também é considerada como um elemento fixo </li></ul><ul><li>Cercaduras são textos contornados por uma caixa limitada por filetes que dão destaque à leitura. </li></ul>
  33. 33. Revistas – Considerações para a escolha da Tipologia <ul><li>Colunas com linhas de texto com 39 a 52 toques possuem um resultado satisfatório; </li></ul><ul><li>O Tamanho do Tipo varia de acordo com o público: </li></ul><ul><li>Menores de 7 anos – corpo do texto – 24 pontos </li></ul><ul><li>7 a 8 anos – corpo do texto – 18 pontos </li></ul><ul><li>8 a 9 anos – corpo do texto – 16 pontos </li></ul><ul><li>9 a 10 anos – corpo do texto – 14 pontos </li></ul><ul><li>10 a 11 anos – corpo do texto – 12 pontos </li></ul><ul><li>À partir dos 11 anos – corpo do texto – 10 pontos </li></ul>
  34. 34. Diagramação de Revistas - Publicidade <ul><li>A publicidade é uma constante nas revistas,pois elas são responsáveis pela saúde econômica da publicação. A publicidade é caracterizada pelo anúncio, que por sua vez são realizados pelas agências de publicidade. </li></ul><ul><li>Os anúncios são elaborados para vários formatos definidos pelo projeto gráfico da revista, quanto maior o destaque mais caro o anúncio. </li></ul>
  35. 35. Diagramação de Revistas - Publicidade <ul><li>O anúncio também é uma mensagem visual, portanto, também é composto pelos mesmos elementos que compõem o discurso gráfico. </li></ul>
  36. 36. Diagramação de Revistas - Publicidade <ul><li>Nas revistas, as páginas centrais geralmente são reservadas para grandes anunciantes, pois provocam uma abertura mecânica na revista e permitem um espaço maior ao conteúdo do anúncio </li></ul>
  37. 37. Diagramação de Revistas - Publicidade <ul><li>Os anúncios são resultado de um esforço criativo e na maioria das vezes a imagem ganha o destaque maior. </li></ul>

×