Plano Diretor Geoprocessamento Fortaleza

10,232 views

Published on

Plano Diretor de Geoprocessamento de Fortaleza

Published in: Travel, Technology
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
10,232
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
74
Actions
Shares
0
Downloads
486
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plano Diretor Geoprocessamento Fortaleza

  1. 1. Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza Fortaleza, 23 de outubro de 2007 Produzido por Este documento foi produzido com software livre:: Este documento está licenciado: bna c manter uso não manter autoria comercial licença
  2. 2. Prefeitura Municipal de Fortaleza Apresentação Este trabalho é um dos produtos previstos no contrato referente a Tomada de Preço nº 06/2006 da Secretaria de Finanças do Município de Fortaleza. Para o acompanhamento dos produtos destes contrato, a Prefeitura constituiu um grupo de servidores denominado Grupo Gestor (GG). A metodologia aplicada na condução deste projeto foi composta pelas seguintes etapas: 1. Definição inicial, pela equipe da OpenGEO, da prioridade de visitação aos órgãos ligados à PMF. Esta prioridade foi definida considerando a quantidade de processos ligados, direta ou indiretamente, ao Geoprocessamento; 2. Na ocasião do seminário de apresentação, aos servidores, do trabalho a ser realizado, os participantes apresentaram considerações sobre a importância dos órgãos administrativos onde trabalhavam, resultando na alteração da lista de prioridades apresentada inicialmente; Observação: os órgãos 3. Após a revisão do GG, a lista final das prioridades foi identificados com a definida conforme tabela a seguir: prioridade 3 (três) não chegaram a ser visitados. Prioridade Órgão 0 SEFIN - Secretaria de Finanças do Município SEINF - Secretaria Municipal de Desenvolvimento 0 Urbano e Infra-estrutura SEMAM - Secretaria Municipal do Meio Ambiente e 0 Controle Urbano 0 SAM - Secretaria de Administração do Município 0 SMS - Secretaria Municipal de Saúde 1 SDE - Secretaria de Desenvolvimento Econômico 1 SEPLA - Secretaria de Planejamento e Orçamento 1 Guarda Municipal SEDAS - Secretaria Municipal de Educação e Assistência 1 Social Fundação de Desenvolvimento Habitacional de 1 Fortaleza - Habitafor 1 ETUFOR - Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza 1 SETFOR – Secretaria de Turismo 1 FUNCET - Fundação da Cultura do Esporte e Turismo 2/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  3. 3. Prefeitura Municipal de Fortaleza Prioridade Órgão 1 Gabinete da Prefeita 2 AMC - Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania 2 Ouvidoria Geral 2 SER II - Secretaria Executiva Regional II 2 SER V - Secretaria Executiva Regional V 2 SER VI - Secretaria Executiva Regional VI 3 CPL - Comissão Permanente de Licitação 3 FUNCI - Fundação da Criança da Cidade 3 IPM - Instituto de Previdência do Município 3 IMPARH - Inst. Pesq. Admin. de Recursos Humanos 3 PGM - Procuradoria Geral do Município 3 Gabinete do Vice Prefeito 3 ARFOR – Agência Reguladora de Fortaleza 3 EMLURB - Empresa de Limpeza Urbana 3 SER I - Secretaria Executiva Regional I 3 IPEM - Instituto de Pesos e Medidas 3 SER IV - Secretaria Executiva Regional IV Secretaria da Defesa do Consumidor - 3 PROCON/Fortaleza 3 SER III - Secretaria Executiva Regional III 3 IJF - Instituto Dr. José Frota 4. As informações de cada órgão foram levantadas com a Observação: nem todas as aplicação de duas fichas. Uma voltada a identificação das pessoas consultadas foram bases de informações e os trabalhos associados a cada entrevistadas, ou seja, tiveram uma ficha de base. A outra foi direcionada a identificação dos Sistemas entrevista preenchida. Isto de Informação, bem como, os processos envolvidos por ocorreu porque algumas estes; informações eram apenas complementares em 5. Durante a condução dos trabalhos, reuniões periódicas e a relação às entrevistas já troca de informações por e-mail permitiram o executadas. acompanhamento, pelo GG, das atividades executadas no âmbito deste projeto; 6. Os primeiros relatórios entregues foram 3 (três) diagnósticos. A forma de composição das informações destes diagnósticos foi definida pelo GG, seguindo o enquadramento definido no contrato; 3/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  4. 4. Prefeitura Municipal de Fortaleza 7. O Plano Diretor de Geoprocessamento foi o último documento a ser preparado; 8. O último produto resultante deste projeto é um seminário, visando expor, aos servidores, os resumos de todos os relatórios produzidos e o Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza, focado na utilização de softwares livres e padrões abertos. Neste projeto foram entrevistados mais de 130 (cento e trinta) servidores municipais. Entre os entrevistados, estão servidores de carreira e temporários que integram os diversos órgãos da Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) produtores de informações ligadas, direta ou indiretamente, ao espaço geográfico. Distribuição da Pesquisa 76% servidor terceirizado 24% 4/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  5. 5. Prefeitura Municipal de Fortaleza Equipe Técnica Os seguintes profissionais (técnicos e gestores) estiveram envolvidos neste projeto. OpenGEO Consultoria Helton Nogueira Uchoa Paulo Roberto Ferreira Coordenador Geral e Responsável Técnico Consultor e Co-responsável Técnico Engenheiro Cartógrafo Geógrafo CREA-RJ: 2006102754 CREA-RJ: 2001108428 Luiz Carlos Teixeira Coelho Filho Ikaro Araújo Consultor e Co-responsável Técnico Consultor de Tecnologia da Informação e Engenheiro Cartógrafo Comunicação CREA RJ-172750/D Engenheiro de Sistemas Prefeitura Municipal de Fortaleza Vera Lúcia Feijão Marcelo Saraiva Gondim Representante da PMF Representante da PMF Coordenadora do Grupo Gestor Coordenador do Grupo Gestor Clóvis Soares Eveline Leal Representante da PMF Representante da PMF Integrante do Grupo Gestor Integrante do Grupo Gestor Ivonísio Mosca Everaldo de Oliveira Ferreira Representante da PMF Representante da PMF Integrante do Grupo Gestor Integrante do Grupo Gestor Maryvone Moura Gomas Renezito Júnior Representante da PMF Representante da PMF Integrante do Grupo Gestor Integrante do Grupo Gestor Rosemary Barreto Paiva Representante da PMF Integrante do Grupo Gestor 5/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  6. 6. Prefeitura Municipal de Fortaleza Prefeitura Municipal de Fortaleza No período no qual este trabalho foi executado, os seguintes gestores faziam parte da PMF. Gestores relacionados com este projeto Luizianne Lins Carlos Veneranda Prefeita de Fortaleza Vice-prefeito de Fortaleza Nágela Raposo Alfredo Oliveira Assessora Institucional do Gabinete Secretário de Administração Alexandre Cialdini José Meneleu Neto Secretário de Finanças Secretário de Planejamento Silvana Cristina Fujita Rommel Novaes Ramalho Coordenadora Geral do PNAFM Coordenador Administrativo do PNAFM Edlene Valente Benevides Demétrius Ribeiro de Paula Coordenadora Financeira do PNAFM Coordenador Técnico do PNAFM 6/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  7. 7. Prefeitura Municipal de Fortaleza Licenciamento Este documento está licenciado nos seguintes termos: Atribuição-Uso Não-Comercial- Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil (Creative Commons). Através desta licença, qualquer pessoa pode: s Copiar, distribuir, exibir e executar esta obra. r Criar obras derivadas. Desde que sejam observadas as seguintes condições: Atribuição. A pessoa deve dar crédito ao autor original, da forma b especificada pelo autor ou licenciante (neste caso, a Prefeitura Municipal de Fortaleza). n Uso Não-Comercial. Esta obra não deve ser utilizada com finalidades comerciais. Compartilhamento pela mesma Licença. Para alterar, a transformar, ou criar outra obra com base nesta, é obrigatório a distribuição da obra resultante sob uma licença idêntica a esta. Considerações importantes: ● Para cada novo uso ou distribuição, deve-se deixar claro, para outros, os termos da licença desta obra; ● Qualquer uma destas condições podem ser renunciadas, desde que o interessado obtenha permissão do autor (Prefeitura Municipal de Fortaleza); ● O detalhamento desta licença está disponível no Apêndice 4 deste documento. 7/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  8. 8. Prefeitura Municipal de Fortaleza Marcas Registradas A utilização de marcas registradas neste documento teve o Observação: caso o intuito de elucidar melhor os assuntos abordados. A equipe da proprietário de alguma OpenGEO reconhece a propriedade dessas marcas registradas, marca utilizada neste documento considere que a conforme listagem a seguir. mesma foi apresentada sem a devida referência de propriedade, solicitamos a Marcas Registradas Proprietário gentileza de encaminhar uma mensagem para Apache, Tomcat Apache Foundation pdgeo@opengeo.com.br. Apple, Mac OS Apple Computer, Inc AutoCAD, MapGuide Autodesk, Inc BSD University of California, Berkeley, USA Dataflex Data Access Corporation ESRI, ArcSDE, ArcInfo Environmental System Research Institute GeoMedia Intergraph Corporation Google Earth Google, Inc IBM, DB2 IBM Corporation Java, Solares Sun Microsystems, Inc MySQL MySQL AB OpenGIS Open Geospatial Consortium, Inc Oracle Oracle Corporation PostgreSQL PostgreSQL, Inc Windows, MS Access Microsoft Corporation 8/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  9. 9. Prefeitura Municipal de Fortaleza Sumário Relatório.....................................................................................12 1. Introdução.............................................................................12 2. Abordagem técnica..................................................................13 2.1. Conceitos................................................................................13 2.2. Definições Técnicas....................................................................15 A) Inteligência Geográfica......................................................................15 B) Geoprocessamento............................................................................16 C) Produtos Cartográficos Digitais.............................................................16 D) Software Livre.................................................................................17 E) Padrões abertos...............................................................................17 F) Infra-estrutura corporativa de TIC.........................................................20 3. Análise do atual Plano Diretor de Geoprocessamento (PDGeo)..............20 4. Estruturação do Setor de Geoprocessamento e CTM...........................22 4.1. Fluxos de trabalho.....................................................................30 Célula de Pesquisa e Desenvolvimento........................................................30 Célula de Suporte e Capacitação...............................................................31 Célula de Acompanhamento e Normalização.................................................31 Célula de Produção e Manutenção de Dados Georeferenciados...........................32 5. Demandas envolvendo geoprocessamento.......................................33 6. Capacitação do Corpo Técnico.....................................................36 7. Sistemas homologados para o Geoprocessamento Corporativo..............38 7.1. Grupo 1..................................................................................39 A) Servidores......................................................................................39 B) Clientes.........................................................................................43 C) Sistemas Gerenciadores de Banco da Dados (repositório)..............................47 D) Bibliotecas, frameworks e outros componentes para o desenvolvimento de aplicações..........................................................................................49 7.2. Grupo 2..................................................................................54 A) Servidores......................................................................................54 B) Clientes.........................................................................................55 C) Bibliotecas, frameworks e outros componentes para o desenvolvimento de aplicações..........................................................................................58 9/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  10. 10. Prefeitura Municipal de Fortaleza 7.3. Grupo 3..................................................................................59 8. Arquitetura do Geoprocessamento Corporativo................................60 9. Especificação para o levantamento aerofotogramétrico......................65 9.1. Especificações gerais..................................................................65 9.2. Vôo.......................................................................................65 9.3. Sensor aerofotogramétrico...........................................................65 9.4. Certificado de calibração câmara aérea...........................................66 9.5. Filmes (no caso de câmeras analógicas)............................................66 9.6. Cópias fotográficas....................................................................66 9.7. Digitalização do filme (no caso de câmeras analógicas).........................67 9.8. Foto-índice..............................................................................67 9.9. Aerotriangulação.......................................................................68 9.10. Ortoretificação.......................................................................68 9.11. Restituição Analítica Digital........................................................69 9.12. Níveis de camada a restituir........................................................70 9.13. Reambulação..........................................................................70 10. Especificação para o cadastro imobiliário com enfoque no CTM...........70 10.1. Dicionário de dados..................................................................74 Núcleo do CTM - tabelas que compõem a base para o Cadastro Técnico Multifinalitário.....................................................................................74 Pessoas – tabelas relacionadas aos munícipes e pessoas (física e jurídica) em geral.. 79 SEFIN - tabelas relacionadas à SEFIN...........................................................80 11. Banco de Dados Geográfico da PMF.............................................81 12. Projetos..............................................................................89 12.1. Projetos prioritários..................................................................89 Reestruturação administrativa..................................................................89 Implantação do Banco de Dados Geográfico e do CTM......................................89 Criação de um Sistema de Informação (integrado ao BDGeo) para gestão das leis relacionadas ao zoneamento da cidade de Fortaleza.......................................90 12.2. Projetos complementares...........................................................91 Mapeamento de processos.......................................................................91 Digitalização e georeferenciamento dos produtos cartográficos antigos (acervo histórico)...........................................................................................92 Definição de procedimentos (normas) para o recebimento de plantas (mapas) em formato digital visando a automação de processos..........................................92 Criação de uma distribuição Linux com todos os sistemas homologados.................92 Migração (unificação) das diversas bases para o PostgreSQL..............................92 13. Conclusão............................................................................93 14. Referências Bibliográficas.........................................................95 Apêndice 1..................................................................................96 10/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  11. 11. Prefeitura Municipal de Fortaleza Glossário...................................................................................96 Apêndice 2................................................................................101 Lista de abreviaturas...................................................................101 Apêndice 3................................................................................103 Detalhamento dos Treinamentos.....................................................103 A) Geoprocessamento com ênfase em software livre e padrões abertos..........103 B) gvSIG......................................................................................105 C) Quantum GIS............................................................................105 D) MapServer - CGI.........................................................................106 E) GeoServer................................................................................106 F) PostgreSQL Fundamentos..............................................................107 G) PostgreSQL Administração............................................................108 H) PostgreSQL - Linguagem Procedural PL/pgSQL.....................................108 I) PostgreSQL - Performance Tuning....................................................111 J) PostGIS....................................................................................113 K) PHP/Mapscript..........................................................................113 L) Geotools..................................................................................114 Apêndice 4................................................................................116 Licenciamento detalhado deste documento (obra técnica).....................116 1. Definições......................................................................................116 2. Direitos de Uso Legítimo. ...................................................................117 3. Concessão da Licença. ......................................................................117 4. Restrições. ....................................................................................118 5. Declarações, Garantias e Exoneração.....................................................120 6. Limitação de Responsabilidade............................................................120 7. Terminação....................................................................................120 8. Outras Disposições............................................................................121 11/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  12. 12. Prefeitura Municipal de Fortaleza Relatório 1. Introdução Este Plano Diretor de Geoprocessamento (PDGeo) consolida os mais modernos conceitos envolvendo Geoprocessamento Corporativo e Cadastro Técnico. Seguindo o conteúdo deste Plano Diretor, a Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) poderá implantar uma das mais completas soluções de Geoprocessamento já projetada para um prefeitura, dando um grande salto qualitativo na gestão pública municipal. As abordagens técnicas deste trabalho visam atender tanto os especialistas em Geotecnologias, quanto os profissionais da área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Estes 2 grupos serão os mais envolvidos nas fases de execução do PDGeo, ou seja, na implantação do projeto de Geoprocessamento Corporativo. Este documento foi licenciado livremente com os seguintes objetivos: Dar transparência ao processo de evolução tecnológica ● no qual a atual gestão está envolvida; Apresentar, principalmente à sociedade fortalezense, ● as metas que irão conduzir a Prefeitura para um novo estágio de qualidade na gestão pública com base nas Tecnologias Geoespaciais (Geoprocessamento) e nos novos conceitos envolvendo o Cadastro Técnico Multifinalitário (CTM); Compartilhar conhecimentos técnicos com as demais ● prefeituras, colaborando com o avanço tecnológico de todo o país. 12/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  13. 13. Prefeitura Municipal de Fortaleza 2. Abordagem técnica 2.1. Conceitos Uma importante visão conceitual para compreensão das ações que serão executadas, como conseqüência deste PDGeo, é que as aplicações em geotecnologias abrangem as aplicações de TIC, ou seja, as diretrizes deste Plano Diretor de Geoprocessamento deverão ser consideradas como importantes alicerces na elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Para melhor compreensão deste conceito, podemos analisar o caso dos Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados (SGBD). Um SGBD que possui um módulo espacial/geográfico pode atender todo tipo de aplicação numa instituição, tanto as que exigem análises espaciais e topológicas, quanto as que não exigem. Porém, um SGBD que não possui este módulo não atende a maioria das demandas de uma prefeitura, ou seja, não deve ser homologado para os sistemas corporativos. Mais de 95% das aplicações de uma prefeitura GEOTECNOLOGIAS exigem algum tipo de análise espacial e/ou topológica, ou seja, exigem TIC sistemas com inteligência geográfica. Na publicação Cadastro Multifinalitário como Instrumento de Política Fiscal e Urbana feita pelo Ministério das Cidades, IPPUR, UFRJ e Lincoln Institute, Carlos Loch expõem que o Cadastro Técnico Multifinalitário (CTM) compreende desde as medições (que representam toda a parte cartográfica, até a avaliação socioeconômica da população), a legislação (que envolve verificar se as leis vigentes são coerentes com a realidade regional e local) e a parte econômica (em que se deve considerar a forma mais racional de ocupação do espaço, desde a ocupação do solo de áreas rurais até o zoneamento urbano). Este conceito é um dos alicerces para implantação do projeto de Geoprocessamento Corporativo proposto neste Plano Diretor. 13/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  14. 14. Prefeitura Municipal de Fortaleza No XX congresso da Federação Internacional de Agrimensores (FIG - International Federation of Surveyors) realizado em 1994 em Melbourne – Austrália, a Comissão 7 decidiu iniciar 3 Grupos de Trabalho (GT) para o período seguinte de 4 anos até 1998. O objetivo principal destes grupos era estudar os diferentes aspectos do cadastro e da gestão espacial/geográfica. O GT 7.1 trabalhou na missão de estudar projetos de reforma cadastral em países desenvolvidos. Neste estudo, 2 pontos principais foram analisados em detalhe: a evolução dos processos de automação dos cadastros e a importância crescente do cadastro como parte de um grande Sistema de Informação de Gestão Territorial. Como resultado do trabalho deste GT, foi criada uma visão futurística do cadastro estabelecendo metas a serem cumpridas no decorrer dos 20 anos seguintes, ou seja, até o ano de 2014 (contagem a partir de 1994). A missão deste GT foi denominada “Visão do Cadastro 2014” e, a partir de estudos dos sistemas cadastrais existentes e das respostas obtidas nos questionários aplicados anualmente aos membros do GT, foram estabelecidas 6 diretrizes para o que foi denominado de Cadastro 2014: I. O Cadastro deverá detalhar a situação legal do uso do solo, incluindo os direitos públicos e restrições; II. A separação entre mapas (representação gráfica) e dados alfanuméricos deixará de existir; III. Os mapas cadastrais (cartas topográficas, croquis, plantas de quadras, etc) deixarão de existir, sendo substituídos por modelos de dados cadastrais que irão gerar os mapas automaticamente em qualquer contexto que for necessário: relatórios gerenciais, análises estatísticas, material para impressão, etc; IV. A utilização de meios analógicos (caneta, papel, etc) deixará de existir no âmbito do Cadastro, dando espaço a metodologias baseadas em recursos totalmente digitais (PDA, computadores, etc); V. O Cadastro contará com uma grande participação da iniciativa privada que passará a gerir as bases cadastrais. As instituições privadas e públicas irão trabalhar integradas, sendo esta última numa posição de órgão supervisor e normatizador; VI. Garantia de retorno de investimento. Com a participação da iniciativa privada provendo os meios para garantir a gestão territorial com segurança técnica (medições) e jurídica, um modelo lucrativo deverá ser 14/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  15. 15. Prefeitura Municipal de Fortaleza concebido. Diferentemente das instituições públicas, a iniciativa privada estará sempre considerando a questão custo/benefício. Este Plano Diretor contempla todos os aspectos técnicos do Cadastro 2014, ou seja, engloba os itens I, II, III e IV. As seguintes características estão presentes neste PDGeo: A arquitetura criada para o geoprocessamento ● corporativo da PMF é baseada em padrões abertos (OpenGIS®), possibilitando, desta forma, a integração com bases de dados externas, incluindo os cartórios (diretriz I do Cadastro 2014); A solução proposta é baseada em um Banco de Dados ● Geográfico que implementa os mais inovadores conceitos para aplicações na área de Geotecnologia. Desta forma, as próprias tabelas do Banco de Dados já trabalham com os dados alfanuméricos e geográficos totalmente integrados (diretriz II); Um dos produtos mais importantes deste PDGeo é o ● modelo conceitual para o Cadastro Técnico Multifinalitário da PMF. A partir da implementação deste modelo, será possível visualizar o cadastro em qualquer contexto que os servidores ou os munícipes demandem (diretriz III); Com a implantação do CTM, todo o processo de ● interação com o Cadastro da PMF será feito através de recursos digitais (diretriz IV). 2.2. Definições Técnicas Além dos conceitos expostos, existem importantes definições que norteiam este Plano Diretor. A) Inteligência Geográfica Podemos entender por Inteligência Geográfica a capacidade que uma determinada situação possui em prover análises espaciais/geográficas e topológicas. É bom destacar que a palavra “situação” não necessariamente está ligada à implantação de alguma tecnologia (sistemas, hardwares, etc). Para exemplificar um caso mais genérico, imagine-se andando pelas ruas de uma cidade bastante verticalizada a procura de uma praça. Em cada rua, você terá uma uma visão bem limitada para o planejamento do seu deslocamento, 15/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  16. 16. Prefeitura Municipal de Fortaleza decidindo se caminha para frente, para trás, ou se dobra à direita ou à esquerda na próxima esquina. Porém, se subir para o terraço de algum prédio alto, poderá ter outra perspectiva do seu deslocamento, podendo localizar visualmente o ponto de partida e o ponto de chegada (praça), além de planejar o menor caminho a ser percorrido. Neste exemplo, a “situação” de estar no alto de um prédio possibilitou, sem a necessidade de utilização de qualquer tipo de tecnologia, 2 análises espaciais: Localização do destino (ponto de chegada); ● Planejamento do menor caminho. ● B) Geoprocessamento Com a compreensão do conceito de inteligência geográfica, podemos definir Geoprocessamento como o conjunto de ações que possibilita a inclusão de inteligência geográfica aos processos de uma instituição. O termo “ações” apresenta uma visão bem mais ampla do que o contexto exclusivamente tecnológico no qual normalmente é enquadrado o geoprocessamento. C) Produtos Cartográficos Digitais Existem duas categorias de produtos cartográficos digitais: matricial (raster) e vetorial (vector). Os dados matriciais são Pixel: menor elemento caracterizados por um conjunto de elementos organizados numa representável num dispositivo de exibição. No matriz, normalmente de duas dimensões (X e Y), onde cada caso de um monitor de posição armazena um determinado valor. Um exemplo deste tipo computador, o pixel é o de produto são as fotografias digitais, onde a imagem é menor ponto possível de armazenada como um conjunto de pixels estruturados numa ser desenhado na tela. matriz com dimensões pré-definidas. Em aplicações de cartografia, normalmente esta matriz é relacionada a um espaço geográfico real, ou seja, os pixels passam a ser compreendidos como uma posição (área) geográfica. Os dados vetoriais são caracterizados por um conjunto de elementos que armazenam uma referência espacial/geográfica, ou seja, uma coordenada normalmente em 2D ou 3D. A unidade básica destes elementos é o ponto. Para a maioria das aplicações envolvendo Sistemas de Informações Georeferenciadas (SIG, também denominados de Sistemas de Informação Geográfica, cuja tradução é originada do termo Geographic Information System - GIS), além do ponto, existem outros 2 elementos básicos: a linha e o polígono (área). Ressalta-se que estes últimos elementos são originados a partir da unidade básica, ou seja, a partir do ponto. Na composição das linhas e dos polígonos, o ponto é denominado vértice. Nos SIGs modernos, o elemento vetorial é integrado a variados tipos de dados alfanuméricos, 16/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  17. 17. Prefeitura Municipal de Fortaleza dotando os Sistemas de Informação da capacidade de análise espacial e topológica, ou seja, incluindo a Inteligência Geográfica. D) Software Livre O software livre é uma importante diretriz deste trabalho e a compreensão deste conceito é fundamental para o sucesso das ações previstas neste Plano Diretor. Apesar da “concepção” já existir há muito tempo, o conceito de software livre começou a ser formalizado em 1983 com a criação do Projeto GNU por Richard M. Stallman. O objetivo deste projeto era desenvolver uma versão do Unix com código-fonte aberto, acompanhada de aplicativos e ferramentas compatíveis e igualmente livres. Visando garantir a liberdade dos sistemas desenvolvidos neste projeto, o Richard Stallman estabeleceu as liberdades que um software livre deveria possuir e criou dispositivos legais para garanti-las através da licença GNU/GPL. As 4 liberdades do software livre são: Executar o programa, para qualquer propósito ● (liberdade nº 0); Estudar como o programa funciona e adaptá-lo para as ● suas necessidades (liberdade nº 1). Acesso ao código- fonte é um pré-requisito para esta liberdade; Redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao ● seu próximo (liberdade nº 2); Aperfeiçoar o programa e liberar os seus ● aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade. E) Padrões abertos A interoperabilidade dos sistemas corporativos é garantida principalmente pela adoção de padrões abertos. Na área de geotecnologias, este conceito continua sendo válido, porém normalmente é ignorado nos projetos executados no Brasil. O Governo Brasileiro tem buscado normatizar a área de TIC do setor público com a homologação de padrões abertos através do e-Ping, cujas versões mais recentes homologaram algumas especificações OpenGIS®. Criado em 1994, o consórcio internacional Open Geospatial (OGC – Open Geospatial Consortium) era denominado, inicialmente, de Open GIS. Atualmente o termo OpenGIS® é uma marca registrada que faz referência às diversas especificações do 17/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  18. 18. Prefeitura Municipal de Fortaleza consórcio. O OGC possui a missão de “conduzir o desenvolvimento global, a disseminação e a compatibilização de padrões abertos e arquiteturas que viabilizem a integração de dados geográficos e serviços com as mais diversas aplicações e incentivem a geração de negócios na área de geotecnologias”. Exatamente neste mesmo ano (1994), a Organização Internacional para Padronização (ISO - International Organization for Standardization) criou o Comitê Técnico 211 (ISO/TC211) para tratar da interoperabilidade dos dados geográficos. Os objetivos deste Comitê eram basicamente os mesmos do OGC. Em 1998, o OGC e o ISO/TC211 assinaram um acordo de cooperação entre as organizações, estabelecendo que as produções técnicas destas instituições seriam utilizadas como benefícios para ambas. Desde então, os trabalhos do OGC e da ISO vêm sendo conduzidos com total integração/cooperação. Compilando as definições da ISO, do OGC e do FGDC (Federal Geographic Data Committee – Comitê de Dados Geográficos do Governo Americano), foi possível estabelecer algumas definições importantes para compreensão das especificações OpenGIS®: Feição (Feature): categoria de dados geográficos que ● representa uma abstração do mundo real associada a uma localização na Terra. De um modo prático, podemos entender como elementos/dados discretos cuja posição geográfica é descrita por primitivas geométricas e topológicas, tais como pontos, linhas e polígonos (áreas). A feição pode ser entendida, de maneira simples, como um dado vetorial (geometria) integrado a um atributo; Coverage: esta é uma grande categoria de dados ● espaciais/geográficos que define um conjunto de localidades geográficas (denominadas de “domínio”) associadas a uma ou mais características (uma “faixa de valores” ou “atributos”). Exemplos mais comuns desta categoria são as imagens de satélite e os modelos digitais de elevação. Algumas especificações OpenGIS® já são amplamente implementadas por sistemas livres e proprietários. Neste grupo, destacam-se os seguintes padrões: SFS (Simple Features Specification): esta especificação ● define um formato, de acordo com o SQL padrão, para armazenamento, leitura, análise e atualização de “feições simples” (dados geográficos) através de uma 18/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  19. 19. Prefeitura Municipal de Fortaleza API (ODBC®). Estas feições são baseadas em geometrias Application Programming 2D com interpolação linear entre os vértices. O Interface (API): interface documento 99-049 do OGC define os detalhes dessa com funcionalidades interface que deve conter, entre outras coisas, análises específicas para o desenvolvimento de espaciais/geográficas e topológicas. Este padrão já está determinado tipo de sendo substituído pelo SFA (Simple Feature Access), que aplicações, normalmente entre outras melhorias, prevê o tratamento de permitindo, através de geometrias 3D. determinadas rotinas, acesso a níveis mais baixos WFS (Web Feature Service): esta especificação ● apresenta uma forma de acesso (inserção, atualização, do sistema. Open Data Base exclusão e análise) à feição através do ambiente Web Connectivity (ODBC): esta (HTTP). As operações entre clientes e servidores são interface define uma baseadas no formato GML. padronização para acesso aos bancos de dados de WMS (Web Map Service): esta especificação define 4 ● forma a tornar mais protocolos (GetCapabilities, GetMap, GetFeatureInfo e transparente a conexão DescribeLayer) que permitem a leitura de múltiplas entre as aplicações e o camadas de informações (layers) georreferenciadas, Sistema Gerenciador de contendo vetores e/ou imagens. Essa conexão permite Banco de Dados (SGBD). somente consulta de dados, sendo todo o processo de renderização do mapa feito no servidor. Com isso, o cliente recebe uma imagem que corresponde a uma visualização do mapa, de acordo com as camadas (vetoriais ou matriciais) solicitadas. WCS (Web Coverage Service): esta especificação define ● 3 operações (GetCapabilities, DescribeCoverage e GetCoverage) que permitem a disponibilização de coverages através de ambiente Web (HTTP). A renderização dos dados ocorre no nível do cliente. GML (Geography Markup Language): padrão baseado no ● XML desenvolvido para permitir o transporte e armazenamento de informações geográficas. Muitos softwares livres implementam esse formato, mas o formato mais utilizado para esta portabilidade ainda é o ESRI® Shapefile, sendo amplamente utilizado em sistemas comerciais e livres. Atualmente, a criação de Web Services, principalmente no padrão WMS, para disponibilização de dados matriciais tem sido a opção mais adotada pelas grandes empresas e instituições ao redor do mundo. Um exemplo deste fato é o servidor de imagens LandSat da Nasa (http://wms.jpl.nasa.gov/wms.cgi) e os servidores de “temas ambientais” do Ministério do Meio Ambiente (http://mapas.mma.gov.br/i3geo/). 19/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  20. 20. Prefeitura Municipal de Fortaleza Figura 2.1 – Portal do Ministério do Meio Ambiente. F) Infra-estrutura corporativa de TIC Para compreensão da arquitetura proposta para solução de Geoprocessamento Corporativo, é importante conhecer conhecer as seguintes definições: Data Warehouse (DW): estrutura capaz de consolidar ● (armazenar) e processar (analisar) um grande volume de dados (inclusive históricos), normalmente originados de fontes heterogêneas. Na prática, esta estrutura pode ser implementada, dentre outras formas, através de um conjunto de SGBDs organizados em cluster; Cluster (aglomerado de computadores): conjunto de ● computadores que trabalham de maneira integrada visando um propósito comum. Muitas vezes, esta estrutura é formada por computadores convencionais (personal computers) ligados em rede que trabalham como se fossem uma única máquina de grande porte. 3. Análise do atual Plano Diretor de Geoprocessamento (PDGeo) Em 30 de junho de 1994, a Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) contratou a Prospec para a elaboração de 20/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  21. 21. Prefeitura Municipal de Fortaleza serviços de levantamento aerofotogramétrico e cadastral, bem como, serviços de geoprocessamento. Dentre estes serviços incluiu-se a elaboração de um Plano Diretor de Geoprocessamento para o Município de Fortaleza (PDGeo/PMF). Para esse fim, a Prospec subcontratou a IBM Brasil para a elaboração técnica do referido plano. Em 1996, este primeiro PDGeo foi elaborado, gerando 5 (cinco) volumes (relatórios): Sistema de Informações Geográficas – Especificações para ● Implementação (anexo do relatório de Atividades refente ao período de 21/02/1996 a 31/03/1996). A informação de maior relevância neste relatório é a proposta de um modelo de dados para alguns elementos geográficos como: regiões administrativas, quadras, lotes, logradouros, etc. O modelo proposto era voltado para uma tecnologia proprietária e tinha como base os conceitos de um banco de dados relacional. Análise de Necessidades (31 de março de 1996). Este ● relatório apresenta as demandas identificadas em cada órgão municipal. Projeto de Sistemas. Este relatório possui informações ● relacionadas a sistemas, especificações de hardware e arquitetura. Projeto de Sistemas – Conceitos Gerais e Diretrizes - Parte ● A (30 de maio de 1996). Este relatório faz uma explanação conceitual das principais tecnologias relacionadas com o Geoprocessamento da década de 90. Projeto de Sistemas - Detalhamento - Parte B (30 de maio ● de 1996). Este relatório possui informações relacionadas a sistemas, especificações de hardware e arquitetura. Muitas informações são repetições de outros relatórios do referido projeto. Observou-se que a maioria das demandas, identificadas há 10 anos, continuam presentes ainda hoje. Com a reestruturação administrativa da PMF durante estes últimos anos, algumas demandas apenas migraram de um órgão extinto para um novo órgão criado. Este primeiro PDGeo da PMF apresentou conceitos modernos para a época que foi concebido, destacando o enfoque na implantação do geoprocessamento corporativo. Caso a execução tivesse ocorrido conforme o planejado, a PMF teria dado um grande salto na melhoria da gestão. 21/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  22. 22. Prefeitura Municipal de Fortaleza Para a elaboração do novo Plano Diretor da Geoprocessamento (PDGeo/PMF 2007), somente algumas informações relacionadas às demandas puderam ser aproveitadas do antigo, pois as novas tecnologias e conceitos relacionados ao geoprocessamento já estão muito distantes do que existia há uma década. 4. Estruturação do Setor de Geoprocessamento e CTM O CTM e o geoprocessamento devem atender as demandas de todos os órgãos municipais, provendo os meios necessários para que os Sistemas de Informação possam usufruir da inteligência espacial, ou seja, possam executar análises espaciais e topológicas. Desta forma, o “Departamento de Geoprocessamento e CTM (DGeoCTM)” não poderá ficar subordinado a uma determinada secretaria. Faz-se necessário uma reestruturação administrativa que venha a colocar este novo departamento/setor com status de secretaria e atribuições para que possa garantir a implantação do geoprocessamento corporativo e do CTM, ou seja, a integração de todas as bases de dados municipais a partir da referência geográfica de cada informação. Outro ponto importante é que o DGeoCTM deverá trabalhar totalmente integrado ao setor de TIC da PMF, preferencialmente ocupando um mesmo espaço físico para facilitar e agilizar o processo de tomada de decisão, tendo em vista que praticamente todos os Sistemas de Informação deverão fazer parte do geoprocessamento corporativo. Departamento de Geoprocessamento e CTM Coordenação Célula de Célula de Produção Célula de Pesquisa Célula de Suporte Acompanhamento e Manutenção de Dados e Desenvolvimento e Capacitação e Normalização Georeferenciados. Equipe de Equipe de Pesquisa e Equipe de Equipe de Levantamento Equipe de CTM Informações Geográficas e Normatização Desenvolvimento de Campo Estatísticas Coordenação do DGeoCTM ● Célula de Pesquisa e Desenvolvimento ○ Equipe de Desenvolvimento ■ Atribuições (competências e responsabilidades): ● 22/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  23. 23. Prefeitura Municipal de Fortaleza Atualizar continuamente os sistemas que ○ utilizam os recursos do Banco de Dados Geográfico, provendo melhorias e, quando for o caso, correções; Desenvolver aplicações e soluções que exijam ○ inteligência geográfica, ou seja, integradas ao banco de dados geográfico; Trabalhar na integração do Banco de Dados ○ Geográfico com todos os Sistemas de Informação da PMF, sempre que for viável do ponto de vista técnico e legal; Trabalhar na integração do Banco de Dados ○ Geográfico com empresas e órgãos externos: cartórios, órgãos federais, órgãos estaduais, etc. Dimensão da Equipe: ● Quantidade ideal: 10 pessoas; ○ Quantidade mínima: 3 pessoas. ○ Equipamentos: ● 10 computadores; ○ 1 impressora A4 laser colorida. ○ Perfil da Equipe (qualificação): ● Profissionais de nível técnico e/ou superior ○ com experiência em desenvolvimento de sistemas, preferencialmente com noções de SIG e Banco de Dados Geográfico. Equipe de Pesquisa e Normatização ■ Atribuições (competências e responsabilidades): ● Analisar e emitir pareceres técnicos sobre as ○ melhorias na arquitetura da solução de geoprocessamento corporativo; Testar e homologar os novos componentes ○ (sistemas e bibliotecas) a serem incorporados à solução de geoprocessamento corporativo; Estabelecer os prazos para que os sistemas já ○ existentes (legados), no âmbito da gestão municipal, venham a trabalhar com inteligência geográfica a partir da integração com o Banco de Dados Geográfico da PMF. O 23/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  24. 24. Prefeitura Municipal de Fortaleza prazo máximo deverá ser de 3 anos; Publicar, anualmente, as novas versões do ○ PDGeo, atualizando conceitos, normas e plataformas tecnológicas. Dimensão da Equipe: ● Quantidade ideal: 5 pessoas; ○ Quantidade mínima: 1 pessoa. ○ Equipamentos: ● 5 computadores; ○ 1 impressora A4 laser colorida. ○ Perfil da Equipe (qualificação): ● Profissionais de nível técnico e/ou superior ○ com conhecimento em planejamento e capacidade de sistematizar conceitos e normas, preferencialmente relacionados aos métodos, técnicas e procedimentos envolvendo a área de geotecnologia. É indicado também o conhecimento em conceitos associados a SIG e Banco de Dados Geográfico. Célula de Suporte e Capacitação ○ Atribuições (competências e responsabilidades): ■ Garantir a execução do cronograma de ● capacitação; Atender as demandas envolvendo dúvidas sobre a ● correta utilização dos recursos do geoprocessamento; Confeccionar manuais e tutoriais para facilitar o ● acesso dos servidores e dos munícipes às novas tecnologias. Dimensão da Equipe: ■ Quantidade ideal: 10 pessoas; ● Quantidade mínima: 2 pessoas. ● Equipamentos: ■ 10 computadores; ● 1 impressora A4 laser colorida; ● 2 projetores multimídia com resolução mínima de ● 24/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  25. 25. Prefeitura Municipal de Fortaleza 1024x768. Perfil da Equipe (qualificação): ■ Profissionais de nível técnico e/ou superior com ● facilidade de comunicação e capacidade de sistematizar novos conhecimentos na área de geotecnologias. Célula de Acompanhamento e Normalização ○ Atribuições (competências e responsabilidades): ■ Promover eventos técnicos para discussão e ● melhoria contínua do PDGeo. Estes eventos deverão ser promovidos juntamente com a participação da Célula de Pesquisa e Desenvolvimento; Planejar um cronograma de treinamento ● semestral para garantir a atualização técnica dos servidores e o cumprimento das metas estabelecidas no PDGeo. Os cronogramas deverão ser planejados com 1 semestre de antecedência sempre que os treinamentos forem ministrados pelos próprios técnicos da PMF. No caso de treinamentos a serem contratados (instrutores externos), o planejamento deverá ocorrer no ano anterior para que o orçamento possa ser disponibilizado; Avaliação dos Sistemas de Informação a serem ● contratados pela PMF, verificando os seguintes itens: A importância das informações da base de ○ dados que o sistema irá tratar, identificando as referências geográficas desta base e a estratégia de integração com o Banco de Dados Geográfico (BDGeo); Padrões abertos OpenGIS® implementados ○ pelo sistema, verificando se os mesmos atendem as exigências do PDGeo. No caso de não atender, estabelecer no contrato um prazo máximo de 6 meses para adequação após a implantação do sistema. Emitir parecer desaconselhando a contratação de ● sistemas sempre que os mesmos não atendam as diretrizes estabelecidas pelo PDGeo. 25/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  26. 26. Prefeitura Municipal de Fortaleza Dimensão da Equipe: ■ Quantidade ideal: 6 pessoas; ● Quantidade mínima: 2 pessoas. ● Equipamentos: ■ 6 computadores; ● 1 impressora A4. ● Perfil da Equipe (qualificação): ■ Profissionais de nível técnico e/ou superior com ● conhecimento em planejamento e capacidade de implantar e garantir a execução de normas técnicas e administrativas. Célula de Produção e Manutenção de Dados ○ Georeferenciados Equipe de CTM ■ Atribuições (competências e responsabilidades): ● Manter atualizado o Banco de Dados dos ○ imóveis (base cadastral) municipais (privados e públicos), dos lotes (e loteamentos), das quadras, dos logradouros e das áreas públicas; Produzir o(s) novo(s) desenho(s) ○ georeferenciado(s) dos processos relacionados a união ou desmembramento de imóveis, lotes e quadras; Planejar e coordenar as ações para manter ○ atualizada as medidas e os atributos dos imóveis, lotes e quadras, visando a atualização da base cadastral; Georeferenciar os novos e os antigos ○ loteamentos; Garantir que a aprovação dos novos ○ loteamentos seja executada somente após o georeferenciamento e o lançamento dos mesmos no Banco de Dados Geográfico; Manter o índice de ruas e loteamentos do ○ Município de Fortaleza, com o objetivo de identificar ruas e logradouros públicos de acordo com o disposto na Lei N. 8051 de 30 de julho de 1997. 26/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  27. 27. Prefeitura Municipal de Fortaleza Dimensão da Equipe: ● Quantidade ideal: 30 pessoas; ○ Quantidade mínima: 10 pessoas. ○ Equipamentos: ● 30 computadores; ○ 1 impressora A4 laser colorida; ○ 1 Scanner de mesa; ○ 1 Scanner formato A0; ○ 10 PDAs integrados a GPS. ○ Perfil da Equipe (qualificação): ● Profissionais de nível técnico e/ou superior ○ com conhecimento de vetorização, confecção de croquis e ferramentas de SIG ou CAD. Equipe de Informações Geográficas e Estatísticas ■ Atribuições (competências e responsabilidades): ● Manter atualizada a base cartográfica ○ municipal e todos os objetos e dados referentes ao Banco de Dados Geográfico da PMF, com exceção dos dados de responsabilidade da Equipe de CTM; Implantar e manter registro de dados ○ relativos à densidade demográfica, aspectos sócio-econômicos e população geral; Implantar e manter registro dos equipamentos ○ e benfeitorias públicos e privados para prestação de serviços aos munícipes; Manter atualizado os Bancos de Dados dos ○ zoneamentos, contento os atributos (legislação) e delimitações físicas. Este Banco de Dados deve contemplar todas as leis de zoneamento, em especial, a Lei de Uso e Ocupação do Solo. Dimensão da Equipe: ● Quantidade ideal: 20 pessoas; ○ Quantidade mínima: 10 pessoas. ○ Equipamentos: ● 20 computadores; ○ 27/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  28. 28. Prefeitura Municipal de Fortaleza 1 impressora A4 laser colorida; ○ 1 impressora A3; ○ 1 plotter A0. ○ Perfil da Equipe (qualificação): ● Profissionais de nível técnico e/ou superior ○ com conhecimento vetorização, confecção de croquis, ferramentas de SIG ou CAD, demografia e estatística. Equipe de Levantamento de Campo ■ Atribuições (competências e responsabilidades): ● Levantamentos topográficos; ○ Georeferenciamento de imóveis, lotes, ○ quadras e outros objetos necessários para BDGeo; Confecção de plantas georeferenciadas. ○ Dimensão da Equipe: ● Quantidade ideal: 6 pessoas; ○ Quantidade mínima: 2 pessoas. ○ Equipamentos: ● 2 GPS geodésicos diferenciais; ○ 10 PDAs integrados a GPS e câmera digital. ○ 2 Estações totais eletrônicas; ○ 2 Níveis eletrônicos óticos; ○ 6 computadores; ○ 1 impressora A3; ○ 1 plotter A0. ○ Perfil da Equipe (qualificação): ● Profissionais de nível técnico e/ou superior ○ com experiência em levantamento de campo e cadastro. A estrutura apresentada é uma proposta inicial de organização. Sendo assim, o organograma deverá ser revisado e adaptado conforme a realidade da PMF no momento no qual a lei de criação do DGeoCTM for estabelecida. 28/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  29. 29. Prefeitura Municipal de Fortaleza É importante que as equipes do DGeoCTM busquem uma composição multidisciplinar. Desta forma, o processo seletivo não deve limitar a formação (graduação, mestrado, especialização, etc) dos profissionais, possibilitando que qualquer área do conhecimento possa contribuir para composição das equipes. Para composição dos novos quadros, é indicado que a Prefeitura abra concurso público, tendo em vista que o atual quadro de servidores municipais é insuficiente para anteder as exigências. 29/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  30. 30. Prefeitura Municipal de Fortaleza 4.1. Fluxos de trabalho Célula de Pesquisa e Desenvolvimento Lançamento de novas Identificação de problema em versões dos sistemas para algum sistema relacionado à área de geotecnologias solução de geoprocessamento Definição e análise do problema Análise (testes) e NÃO homologação das novas tecnologias Verificação da possibilidade NÃO de solução através da SIM própria equipe Instalação e configuração (implantação) SIM Soluciona o problema Contrata serviço externo Aguarda novas versões Gera documentação Serviço concluído Demanda por Surgimento de novas desenvolvimento ou melhoria tecnologias relacionadas a de sistemas geoprocessamento Levantamento de Inicia estudos requisitos Modelagem do novo sistema ou dos novos recursos de um sistema já Possibilidade existente de promover NÃO Estudo melhorias na inconclusivo arquitetura da solução. Contratação de consultoria Desenvolvimento SIM Nova Homologação (testes) análise Homologação (testes) sobre a SIM melhoria Implantação Implantação Produção de Produção de documentação (manuais) documentação (manuais) NÃO Finaliza estudo Treinamento 30/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença
  31. 31. Prefeitura Municipal de Fortaleza Célula de Suporte e Capacitação Demanda de usuário: Execução do cronograma Avaliação das novas demandas dúvidas, problema de sistema, de capacitação. por manuais. Análise das principais instalação/configuração, etc dúvidas. Preparação de Atualização dos atuais manuais. manuais e preparação de novos. Problema NÃO pode ser resolvido remotamente? Treinamentos Distribuição dos novos manuais. SIM Executa o suporte Encaminha equipe remoto. de suporte. Conclusão do cronograma. Demanda finalizada Célula de Acompanhamento e Normalização Planejamento de eventos Planejamento do Demanda da PMF por Analisa a adequação de técnicos sobre o PDGeo cronograma de contratar um novo sistemas legados treinamentos sistema Discussão técnica sobre as possíveis melhorias do PDGeo Estabelece os prazos Encaminhamento para para cada sistema célula de Suporte e Capacitação Adequação NÃO ao PDGeo Existem Fiscaliza e emite relatórios propostas NÃO sobre o andamento dos de Ampla divulgação do SIM processos melhoria calendário e conteúdo dos treinamentos Parecer desfavorável à Parecer favorável à contratação contratação SIM Execução das Acompanha a execução melhorias Finaliza processo Divulgação das melhorias Finaliza processo 31/121 Plano Diretor de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza bna c Versão 1.0 manter uso não manter autoria comercial licença

×