GEORGE BUSH: THE UNAUTHORIZED BIOGRAPHY

1,881 views
1,716 views

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,881
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

GEORGE BUSH: THE UNAUTHORIZED BIOGRAPHY

  1. 1. 1
  2. 2. 2Deste livro eu traduzi apenas os capítulos I até IV. Olivro completo pode ser adquirido clicando aqui ou podeser lido e/ou baixado da internet clicando aqui. Peçodesculpas aos caros leitores pela quantidade enorme deerros gramaticais, de digitação, etc, não revisados porfalta de tempo.
  3. 3. 3Gostaríamos de dar boas vindas a todos aqueles que estão visitando nossas páginasdepois de lerem as séries de Gary Webb no jornal San Jose Mercury (San JoseMercury News).Gary Webb tem realizado um importante serviço público por reabrir o caso Irã-Contra, o qual Bush (pai) fez tudo para encobrir.A biografia de Bush publicada por Anton Chaitkin e eu em 1992, documenta como,sob as Diretivas de Decisão de Segurança Nacional 2 e 3 (National Security DecisionDirectives 2 and 3 --- NSDD 2 and 3) George Bush foi responsável pelo Staff deCrises da Casa Branca (White House Crisis Staff) da administração Reagan econseqüentemente por todas as operações encobertass dos anos 80, incluindo entregade cocaína, crack, maconha e heroína para as cidades americanas.Gary Webb é um repórter investigativo honesto o qual conduziu sua investigação debaixo para cima, iniciando pelas ruas de Los Angeles e prosseguindo para cima emdireção a Washington.Nosso método, ao contrário, foi iniciar pela Casa Branca e prosseguir para baixo. Otrabalho de Gary Webb, e o nosso próprio, interligam-se em numerosos pontoschaves, tais como as figuras líderes Contra, Adolfo Calero e Enrique Bermudez. Otráfico de drogas Irã-Contra foi rrealizado com a ajuda de uma coordenação inter-agências (ou Ponto Focal) localizada no Departamento de Defesa, e que utilizou osserviços do Pentágono, Departamento de Estado, Conselho de Segurança Nacional(National Security Council − NSC), Agência Central de Inteligência (CIA) e outrosórgãos do governo.No topo da cadeia de comando estava o Vice-presidente e chefe do Staff de Crises(Crisis Staff) George Bush, assistido por Donald Gregg, Oliver North e FelixRodriguez. O chefe político da operação inteira foi George Bush, e é Bush que devehoje ser o alvo de mobilização política de massa − especialmente porque Bush é hojea maior força no Partido Republicano e o líder dos esforços do suporte britânico noimpeachment/coup d`etat (Golpe de Estado) contra a administração Clinton e aConstituição americana. Seria loucura deixar Bush de fora pela focalização depessoas desconhecidas e nomes de burocratas da CIA desconhecidos, os quais Bushficaria satisfeito em sacrificar para salvar a si próprio.Para aqueles que desejam conhecer mais à cerca de George Bush, o chefe do crack eda cocaína, eu sugiro o seguinte (refere-se ao livro abaixo): • Iniciar pelo Capítulo 18 para o papel de Bush como chefe do Irã-Contra. • Depois prosseguir para o Capítulo 20, para a verdade chocante sobre a tão falada “Guerra às Drogas” de Bush, incluindo como Bush tornou-se tão amigo de Don Aronow do sindicato de narcóticos e crime organizado de Meyer Lansky.
  4. 4. 4• Para entender as razões pelas quais Bush foi, e é tão devotado fanático pelo genocídio contra afro-americanos e americanos pobres, vá ao Capítulo 10 “Rubbers Goes to Congress”, o qual detalha como Bush trouxe o racista teórico neo-nazista William Shockly para contatar e convencer membros do Congresso sobre a necessidade de fazer controles populacionais e eugênicos, a pedra angular da política governamental dos Estados Unidos.• Veja o Capítulo 11 sobre o suporte de Bush ao genocídio em Bangladesh e Vietnã quando ele foi o embaixador de Henry Kissinger para as Nações Unidas. Veja o Capítulo 14 sobre o papel de Bush na instalação de Pol Pot no Cambodja, um dos grandes genocidas da história moderna. Veja Capítulo 24 sobre a genocida Guerra do Golfo, que matou mais de 1 milhão dentre iraquianos e outros árabes.• Finalmente, para entender o genocídio como a mais profunda tradição da família Bush, veja o Capítulo 2 sobre a história de como Prescott Bush, pai do depois Presidente (Bush pai), ajudou a financiar a tomada de poder na Alemanha por Adolf Hitler.
  5. 5. 5 Introdução--- Calígula da América 1 − A Casa de Bush: Nascido num Banco 2 − O Projeto Hitler 3 − Higiene Racial: Três Alianças Familiares de Bush 4 − O Centro do Poder Está em Washington 5 − Poppy e Mommy (Refere-se ao apelido “Poppy” de George H. W. Bush) 6 − Bush na Segunda Guerra Mundial 7 − Skull and Bones: O Pesadelo Racista em Yale 8 − A Gangue do Vale Jurássico (refere-se ao Eastern Liberal Establishment) 9 − Bush Contesta Yarborough para o Senado10 − “Rubbers” Vai Para o Congresso (O Congressista Democrata Wilbur D. Mils, de Arkansas, apelidou George H. W. Bush de “Rubbers” por causa de sua obssessão pelo controle de natalidade. Rubber significa preservativo em português)11 − Embaixador das Nações Unidas, Clone de Kissinger12 − Chairman George no Watergate13 − Bush Tenta a vice-presidência, 197414 − Bush em Pequim15 − Diretor da CIA16 − Campanha 198017 − A Tentativa de Golpe de Estado em 30 de Março de 198118 − Iran-Contra19 − Quadrilha Operada Por Controle Manual
  6. 6. 620 − A Fraudulenta Guerra Contra Drogas21 − Omaha (refere-se ao escândalo de prostituição homosexual na Cassa Branca, originado pelo colapso do Credit Union em Omaha)22 − Bush Assume a Presidência23 − O Final da História24 − A Nova Ordem Mundial25 − Tempestade na Tiróide (refere-se ao hiper-tiroidismo de George H. W. Bush)
  7. 7. 7George Bush: A Biografia não Autorizada − por Webster Griffin Tarpley &Anton ChaitkinCapítulo −I − A Casa de Bush: Nascido num BancoQuem é Geroge Bush? Como ele se tornou o 41º. Presidente norte-americano?George Bush se diz um homem do “velho establishment”, que escolheu perseguirsua fortuna como um independente homem de petróleo...De fato, Bush nunca foi independente. Cada passo de sua carreira em direção aosucesso, deve-se a associações com poderosas famílias. A família Bush, juntou-se aoestablishment da costa leste recentemente, e tão somente como serviçal. Sua riquezae influência, resultaram de sua lealdade a outra, mais poderosa família, e suavontade de fazer “qualquer coisa” para subir na vida.Pelo que fizeram, os ancestrais de Bush poderiam tornar-se muito famosos, ouinfames. Mas seus atos − incluindo o papel de seu pai como banqueiro de AdolfHitler − tiveram efeitos trágicos para todo o planeta.Foram esses serviços, prestadoos às suas famílias benfeitoras, que impeliram GeorgeBush ao topo.Prescott vai à GuerraO Presidente George Herbert Walker Bush nasceu em 1924, filho de PrescottSheldon Bush e Dorothy Walker Bush. Começaremos a estória de George Bushcerca de uma década antes de seu nascimento, no início da Primeira GuerraMundial. Seguiremos a carreira de seu pai, Prescott Bush, através de seu casamentocom Dorothy Walker, no caminho da fortuna, elegância e poder.Prescott Bush ingressou na Universidade de Yale em 1913. Nascido em Columbus,Ohio, Prescott passou seus últimos cinco anos antes da universidade, na escolapreparatória episcopal St. George em New Port, Rhode Island.O primeiro ano de Prescott Bush na Universidade de Yale, 1913, foi também oprimeiro ano de Yale para E. Roland Harriman (“Bunny”), cujo irmão mais velho,Averell Harriman tinha acabado de se graduar também em Yale. Este era o AverellHarriam que atingiu fama como embaixador dos Estados Unidos na União Soviéticadurante a Segunda Guerra Mundial, como Governador do Estado de Nova York ecomo conselheiro presidencial responsável por iniciar a Guerra do Vietnã.
  8. 8. 8Os Harriman tornar-se-iam os patrocinadores dos Bush, guiando-os ao nível dahistória mundial.Na primavera de 1916, Prescott Bush e “Bunny” Harriman foram escolhidos comomembros de uma sociedade secreta de elite de Yale chamada, Skull and Bones(Crânio e Ossos, símbolo utilizado pelos piratas do mar, em sua bandeira negra comum crânio e dois ossos estampados em branco − N. T.). Este estranho e mórbidogrupo, celebrador da morte, ajudou os financistas de Wall Street em sua busca dejovens de “bom berço”, e também a formar um tipo de imitação da aristocraciabritânica na América.A Primeira Guerra Mundial estava correndo na Europa. Com perspectivas de que osEstados Unidos poderiam em breve juntar-se à ela, dois “patriarcas” da Skull andBones, Averell Harriman (turma de 1913) e Percy A. Rockefeller (turma de 1900),prestaram atenção especial à turma de 1917 de Prescott. Eles queriam recémformados confiáveis para ajudá-los a jogar o Grande Jogo, na nova era imperiallucrativa que a guerra estava abrindo para Londres e Nova York. Prescott Bush, porser amigo íntimo de “Bunny” Harriman, e muitos outros homens da sua turma de1917, pôde mais tarde formar o núcleo de parceiros na Brown Brothers Harriman, omaior banco de investimentos privado mundial.A Primeira Guerra Mundial rendeu uma imensa quantidade de dinheiro para o clã deespeculadores em ações e bancos britânicos, que já haviam se apoderado daindústria americana.O pai de Averell, corretor de ações, Edward Henry Harriman, tinha assumido ocontrole da Union Pacific Railroad (Ferrovia Union Pacific) em 1898, com créditoarranjado por William Rockefeller, pai de Percy, e por Kuhn Loeb & Co., dosbanqueiros privados afiliados britânicos Otto Kahn, Jacob Schiff e Felix Warburg.William Rockefeller, tesoureiro da Standard Oil e irmão do fundador da StandardOil, John D. Rockefeller, adquiriu o National City Bank (futuro Citibank)juntamente com James Stillman, baseado no Texas. Como reciprocidade pela ajuda,E. H. Harriman depositava no City Bank a vasta receita de suas linhas ferroviárias.Quando da emissão de dezenas de milhões de dólares em ações fraudulentas daferrovia, Harriman vendeu a maioria das ações através da Kuhn Loeb Company.A Primeira Guerra Mundial elevou Prescott Bush e seu pai, Samuel P. Bush, aonível mais baixo e inicial do establishment da costa leste.Quando a guerra despontou em 1914, o National City Bank começou a reorganizar aindústria bélica dos Estados Unidos. Percy A. Rockefeller assumiu controle diretoda Remington Arms Company, nomeando Samuel F. Pryor como seu novo chefeexecutivo (CEO − Chief Executive Office − N. T.) da Remington.
  9. 9. 9Os Estados Unidos entraram na primeira Guerra Mundial em 1917. Na primavera de1918, o pai de Prescott, Samuel P. Bush, tornou-se chefe da Seção de Armamentos eMunições da Junta de Indústrias de Guerra. O velho Bush assumiu aresponsabilidade nacional pela assistência e relações governamentais com aRemington e outras companhias bélicas.Esta foi uma responsabilidadee incomum, visto que o pai de Prescott, parecia não terexperiência alguma em armamentos. Samuel Bush tinha sido presidente da BuckeyeCastings Co. em Columbus, Ohio, fabricante de peças para vagões ferroviários. Suacarreira inteira tinha sido dedicada a negócios de estrada de ferro --- suprindoequipamentos para sistemas ferroviários de Wall Street.A Junta de Indústrias de Guerra era dirigida por Bernard Baruch, um especulador deWall Street com estreitas ligações pessoais e de negócios com o velho E. H.Harriman. A firma de corretagem de Baruch manipulava especulações de todos ostipos de Harriman.Em 1918, Samuel Bush tornou-se diretor da Divisão de Negócios da Junta deIndústriass de Gerra. O pai de Prescott reportava-se ao chairman da Junta, BernardBaruch, e ao asssistente de Baruch, o banqueiro privado de Wall Street, ClarenceDillon.Robert S. Lovett, presidente da Union Pacific Railroad, conselheiro chefe de E. H.Harriman, e executor de suas ordens, estava encarregado da produção e dasprioridades de compra nacionais para a Junta de Baruch.Com a mobilização de guerra, conduzida sob a supervisão da Junta de Indústrias deGuerra, consumidores e contribuintes americanos, testemunharam fortunas semprecedentes em produções de guerra e de certos proprietários de matérias primas epatentes. Audiências realizadas em 1934, pelo comitê do Senador dos EstadosUnidos, Gerald Nye, atacou os “mercadores da morte” − os beneficiários de guerracomo a Remington Arms e a British Vickers Comany − cujos representantesmanipulavam muitas nações para a guerra, e depois supriam os dois lados comarmamentos para que lutassem entre si.Percy Rockefeller e Samuel Pryor, da Remington Arms, supriram armamentosautomáticos e pistolas automáticas Colt; milhões de rifles para a Rússia Czarista;mais da metade da munição para pequenas armas usadas pelos aliados anglo-americanos na Primeira Guerra Mundial; 69% dos rifles usados pelos EstadosUnidos naquele conflito.O relacionamento de Samuel Bush durante a guerra com estes homens de negócios,continuaria depois da guerra, e ajudaria especialmente a carreira de seu filhoPrescott para os Harriman.
  10. 10. 10A maioria dos relatórios e correspondências de Samuel Bush, relativas a seção dearmas do governo foram queimados, “para salvar espaço” nos arquivos nacionais.Este problema de destruição ou arquivamento incorreto de documentos, deveria serdo conhecimento dos cidadãos de uma república constitucional. Infelizmente, aocontrário, são constantes as dificuldades com respeito à busca de informações sobreGeorge Bush: ele é certamente o mais “encoberto” chefe executivo americano.Logo, a produção de armas em tempo de guerra, é por necessidade realizada comgrande segurança e precaução. O público não necessita de detalhes da vida privadados executivos do Governo e das indústrias envolvidas, e um grande inter-relacionamento entre Governo e pessoal do setor privado é normal e usual.Mas durante o período precedente à Primeira Guerra Mundial, e nos anos da guerra1914-1917, quando os Estados Unidos ainda estavam neutros, financistas de WallStreet subservientes à estratégia britânica, fizeram lobby pesado, mudando asfunções políticas domésticas e governamentais dos Estados Unidos. Guiados porinteresses de J. P. Morgan (John Pierpont Morgan − N. T.), o maior agente decompras britânico na América, estes financistas queriam uma guerra mundial, equeriam também nela os Estados Unidos como aliado britânico. As companhiasbritânicas e americanas de armamentos, pertencentes a estes financistasinternacionais, espalharam armamentos livremente pelo mundo àfora, em negóciosnão sujeitos ao escrutínio dos eleitores. Estes mesmos senhres, como poderemos ver,futuramente supririam armamentoss e dinheiro para os nazistas de Hitler.Como este problema persiste ainda hoje, é de algum modo devido ao “controle”sobre a documentação e a história dos traficantes de armas.A Primeira Guerra Mundial foi um desastre para a humanidade civilizada. Ela teveterríveis e sem precedentes conseqüências, e efeitos de desordem na filosofia moralde europeus e americanos.Mas por um certo período, a guerra tratou bem de Prescott Bush.Em junho de 1918, assim que seu pai assumiu a responsabilidade pelas relaçõesentre governo e produtores privados de armas, Prescott foi para a Europa com oExército americano. Sua unidade nunca chegou perto do fogo até setembro. Mas em8 de agosto de 1918, a seguinte notícia apareceu na primeira página do jornal dacidadee em que Bush morava:“Alta condecoração militar conferida ao capitão Bush”.“Por notável bravura, conduzindo comamdos aliados expostos ao fogo, homemdesta cidade é condecorado com cruzes pela França, Inglaterra e EstadosUnidos”.
  11. 11. 11Honra internacional talvez sem precedente na vida de um soldado americano, tinhasido conferida ao capitão Prescott Sheldon Bush, filho do Sr. e Sra. Samuel P. Bushde Columbus, Ohio.Ao jovem Bush... foi conferida: Cruz de Honra da Legião, ... Cruz Vitória, ... Cruzpor serviço Notável...O fato de conferir três condecorações para um só homem, em uma única vez,implica reconhecimento de um fato de raro valor, e provavelmente também degrande importância militar.Pela forma como Columbus tornou-se conhecida durante aqueles poucos dias,parece que o sucesso do capitão Bush bem mede estes requisitos.O incidente ocorreu no front oeste, quando os alemães estavam deslanchando suagrande ofensiva de 15 de julho ... A história daquela memorável vitória alcançadapelos aliados poderia ser escrita sob outro ângulo, menos pela ação rápida e heróicado capitão Bush.Os ... três líderes aliados, General Ferdinand Foch, Sir Douglas Haig e o GeneralJohn J. Pershing... estavam fazendo uma inspeção nas posições americanas. OGeneral Pershing incumbiu o Capitão Bush de guiá-los à um determinado setor...repentinamente o Capitão Bush percebeu uma granada vindo dietamente para eles.Ele emitiu um alarme, puxou de sua faca repentinammente, levantou-a como pararebater uma bola, e evitou a calamidade, fazendo com que a granada desviasse paraa direita...Dentro de 24 horas o jovem Bush foi notificado... de que os trrês comandantesaliados tinham-no recomendado praticamente a mais alta condecoração de honrra ...Capitão Bush tem 23 anos de idade, graduado em Yale na turma de 1917. Ele foi umdos melhores e mais conhecidos atletas de Yale... foi líder do clube de elite... e foieleito para a famosa sociedade Skull and Bones...No dia seguinte, esta glória admirável apareceu. Havia um grande cartoon na páginado editorial. Ele descrevia Prescott Bush como um pequeno rapaz, lendo um livro deestória sobre heroísmo militar, e dizendo: “OH! Eu me surpreenderia se algumacoisa como esta pudesse realmente acontecer com um rapaz!” A legenda abaixodeste cartoon, foi a admirável estória de rebater a granada, agora escrita em estilo delivro de estória.A excitação local com respeito a admimirável estória militar, durou cerca de quatrosemanas. Então a seguinte notícia sombria apareceu na primeira página:Editor do jornal estadual:
  12. 12. 12Uma mensagemm recebida de meu filho, Prescott Bush, nos traz aoconhecimento que ele não foi condecorado, como publicado nos jornais o mêspassado. Ele se sente apreensivo pelo fato da carta, escrita com espírito debrincadeira, pudesse ser mal interpretada. Ele diz que não é herói e me pedepara dar explicações. Eu apreciaria sua gentileza de publicar esta carta...Flora Sheldon BushColumbus, 5 de setembroPrescott Bush afirmou depois que passou “cerca de 10 ou 11 semanas” na área decombate na França. “Nós estávamos sob fogo lá... foi um tanto excitante, ecertamente uma ótima experiência”.Prescott Bush foi desengajado em meados de 1919, e retornou por breve tempo àColumbus, Ohio. Mas sua humilhação em sua cidade foi tão intensa que ele nãomais pôde viver lá. A estória de “herói de guerra” não foi conseqüentementemencionada em sua presença. Décadas depois, quando ele era um importante e ricoSenador dos Estados Unidos, a estória foi ventilada e tomada com perplexidadeentre os Congressistas.Tentando se salvar desta desagradável situação, o Capitão Bush participou dareunião de 1919 de sua turma de Yale em New Haven, Connecticut. O patriarca daSkull and Bones, Wallace Simmons, estreitamente ligado aos fabricantes de armas,ofereceu à Prescott Bush um trabalho em sua companhia de equipamentosferroviários em St. Louis. Bush aceitou a oferta e mudou-se para St. Louis −mudando também seu destino.Um Casamento AristocráticoPrescott Bush foi para St. Louis para reparar sua vida problemática.Certa veznaquele mesmo ano, Averell Harriman fez uma viagem para lá, num projeto queteria grandes conseqüências para Prescott. Harrimam de 28 anos, até então umplayboy, queria investir sua herança de dinheiro e contatos na arena de relaçõesexteriores.O Presidente Theodore Roosevelt, tinha denunciado o pai de Harriman por “cinismoe alta corrupção” e o classificou de “cidadão indesejável”. Para que o silencioso eesperto Averell tomesse seu lugar entre os construtores e destruidores de nações, eleprecisava possuir sua própria organização financeira e de aquisição de inteligência.O homem que Harriman viu para a criação de tal instituição foi Bert Walker, umcorretor de ações do Missouri e dirigente-negociante corporativo.George Herbert Walker (“Bert”), do qual o Presidente George Herbert Walker Bushteve seu nome, não quis aceitar imediatamente a proposta de Harriman. Poderia
  13. 13. 13Walker deixar seu pequeno império de St. Louis, para tentar sua influência em NovaYork e Europa?Bert era filho de um atacadista de produtos têxteis, o qual tinha prosperado comimportações da Inglaterra. A conexão britânica tinha rendido para Walker,residências de férias em Santa Bárbara, Califórnia e em Maine − o local (point)preferido de Walker, em Kennebunkport. Bert Walker tinha sido enviado àInglaterra para cursar a escola preparatória e a educação universitária.Em 1919, Bert Walker tinha fortes ligações com o Guaranty Trust Company deNova York e com a casa bancária anglo-americana J. P. Morgan and Co. Estasligações com Wall Street representavam todos os importantes proprietários deferrovias americanas: os parceiros de Morgan e seus associados ou primos de inter-casamentos entre as famílias Rockefeller, Whitney, Harriman e Vanderbilt.Bert Walker ficou conhecido como premier de negócios do meio-oeste,presenteando muitas indústrias de ferrovias, utilidades e outros do meio-oeste dosquais eles e seus amigos de St. Louis eram executivos ou membros de junta, cominvestimentos de capital de seus contatos com banqueiros internacionais.As operações de Walker eram sempre sigilosas, ou misteriosas, tanto em relaçõeslocais como globais. Ele tinha sido por muito tempo “o poder por detrás do trono”no Partido Democrático de St. Louis, juntamente com seu íntimo amigo Governadordo Missouri, David R. Francis. Walker e Francis, juntos, tinham suficienteinfluência para selecionar os candidatos do Partido.Voltando em 1904, Bert Walker, David Francis, o presidente da WashingtonUniversity, Robert Brookings, e seus círculos de banqueiros/corretores, organizaramuma exposição mundial em St. Louis, a Exposição de Compras de Louisiana. Noestilo das velhas famílias da Confederação Sulista, como muitos destespatrocinadores, a exposição apresentou um “Zoológico Humano”: Nativos vivosprocedentes de regiões selvagens foram exibidos em jaulas especiais, sob asupervisão do antropologista William J. McGee.Destarte, Averell Harriman foi o patrono natural de Bert Walker. Bert compartilhavacom Averell a paixão por criação de cavalos e corridas de cavalos, e facilmenteintroduziu na família de Harriman tal filosofia social correlata. Eles acreditavam queos cavalos e os locais de treinamento que eles possuíam, mostravam o caminho emdireção a uma rápida melhoria do estoque humano − somente selecionar e cruzar aomelhores, e rejeitar ou eliminar os animais inferiores.A Primeira Guerra Mundial tinha trrazido a pequena oligarquia de St. Louis emdireção à uma administração do tipo confederada-escrava praticada pelo PresidenteWoodrow Wilson e seus conselheiros, Coronel Edward Mandel House e BernardBaruch.
  14. 14. 14O amigo de Walker, Robert Brookings, foi para a Junta de Indústrias de Guerra deBernard Baruch como Diretor Nacional de Fixação de Preços. David R. Francis,tornou-se embaixador dos Estados Unidos para a Rússia em 1916. Quando aRevolução Bolchevista estourou, encontramos Bert Walker ocupado, indicandopessoas para o staff de Francis, em Petrogrado.As atividades anteriores de Walker, com relação ao Estado Soviético são deinteresse significativo para historiadores, dado o papel ativista desempenhado porele naquele país, juntamente com Harriman. Mas a vida de Walker é encoberta,assim como a do resto do clã Bush, e documentos públicos sobreviventes, sãoextremamente escassos.A Conferência de Paz de Versalhes de 1919, trouxe juntamente consigo, estratégiasimperiais britânicas e seus amigos americanos, para fazer acordos globais no pós-guerra. Para o interesse de suas próprias aventuras internacionais, Harrimamprecisava do oportuno manipulador de intrigas Bert Walker, o qual representavamuitos dos interesses britânicos que ditam as políticas e as finanças americanas.Depois de duas persuasivas viagens de Harriman, Walker concordou em mudar-separa Nova York. Mas manteve a residência de férias de seu pai em Kennebunkport,Maine.Bert Walker, formalmente organizou o banco privado W. A. Harriman & Co. emnovembro de 1919. Walker tornou-se o presidente e CEO (Chief Executive Office)do banco. Averell Harriman era o chairman, e controlava juntamente com seu irmãoRoland (“Bunny”) o co-proprietário Prescott Bush, amigo íntimo de Yale; PercyRockefeller era o diretor e patrocinador financeiro.No outono de 1919, Prescott Bush conheceu Dorothy, filha de Bert Walker.Tornaram-se noivos no ano seguinte e casaram-se em agosto de 1921. Entre a eliteconvidada ao elegantte casamento, estavam presentes Ellery S. James, KnightWooley e outros quatro amigos da sociedade Skull and Bones da turma de Yale de1917. A agora extendida família Bush-Walker passou então a freqüentar todos osanos a “residência de férias de Walker” em Kennebunkport, desde o casamento dospais do Presidente Bush, até os dias de hoje.Quando Prescott casou-se com Dorothy, ele era somente um pequeno executivo daSimmons Co., fornecedora de equipamentos ferroviários, enquanto o pai de suaesposa construía um dos mais gigantescos negócios do mundo. No ano seguinte, ocasal mudou-se para Columbus, Ohio; lá, Prescott trabalhou por pouco tempo numacompanhia de produtos de borracha, adquirida por seu pai. Mas, logo mudaram-senovamente para Milton, Massachussets, depois que forasteiros compraram opequeno negócio da família, e o transferiram para perto de Milton, Mass.
  15. 15. 15Desde então, Prescott estava indo bem, quando seu filho George Herbert WalkerBush − o futuro Presidente dos Estados Unidos − nasceu em Milton, Mass, em 12 dejunho de 1924.Talvez tenha sido um presente de aniversário para George, quando “Bunny”Harriman entrou em cena resgatando seu pai Prescott do esquecimento, e trazendo-opara a US Rubber Co. em Nova York, controlada por Harriman. Em 1925, a jovemfamília mudou-se para a cidade na qual George cresceria: Greenwich, Connecticut,subúrbio de ambas as cidades de Nova York e New Haven / Yale.Em 1º. de maio de 1926, Prescott Bush juntou-se à W. A. Harriman & Co. comovice presidente, sob comando do presidente do banco, Bert Walker, seu sogro e avômaterno de George − o chefe da família.O Grande JogoPrescott Bush demonstraria extrema lealdade para com a firma a qual se ligou em1926. E o banco, com seu tamanho e potência igual a muitas nações comuns, pôdeampliar e recompensar seus agentes. O avô de George Bush, Walker, ampliou aempresa silenciosa e secretamente, usando todas as conexões internacionais à suadisposição. Vamos olhar brevemente o passado, quando do início da firma deHarriman − a empresa da família Bush − e seguir seu curso em direção a um dosmais negros projetos da história.A primeira alavanca global da firma, foi seu sucesso em introduzir-se na Alemanha,dominando os transportes marítimos daquele país. Averell Harriman anunciou em1920, que iria restaurar a empresa de navegação alemã Hamburg-Amerika Line,depois de muitos meses de acordos. A empresa de navegação comercial Hamburg-America Line (HAPAG) tinha sido confiscada pelos Estados Unidos no final daPrimeira Guerra Mundial. Os navios tornaram-se depois propriedade da empresa deHarriman, devido a alguns acordos com as autoridades americanas, os quais nuncatornaram-se públicos.O negócio era tomar fôlego; assim poderia ser criada a maior empresa marítimaprivada do mundo. A Hamburg-Amerika Line (HAPAG) reconquistou seus naviosconfiscados, por um preço pesado. A empresa de Harriman recebeu o “direito departicipar em 50% de todos os negócios originados em Hamburgo”; e pelospróximos 20 anos (1920-1940), a empresa de Harriman teria “completo controlesobre todas as atividades da Hamburg-Amerika Line nos Estados Unidos.Harriman tornou-se co-propeirtário da Hamburg-Amerika Line. A firma deHarriman-Walker ganhou preponderância em seu gerenciamento, com o convenientesuporte da ocupação da Alemanha pelas forças britânicas e americanas depois daPrimeira Guerra Mundial.
  16. 16. 16Logo após o pronunciamento público de Harriman, o jornal de St. Louis celebrou opapel de Bert Walker na arrecadação de fundos para consumar o negócio:“Ex-St. Louis formou gigantesca aliança marítima”.“G. H. Walker está movendo forças por trás da união Harriman-MortonShipping...”A estória celebrou a “fusão de duas grandes casas em Nova York, que colocarápraticamente capital ilimitado à disposição da nova empresa de navegaçãoamericano-alemã...”Bert Walker tinha arranjado um “casamento” entre o crédito de J. P. Morgan e a ricaherança da família Harriman.A W. A. Harriman & Co., que Walker era presidente e fundador, estava se unindocom o banco privado Morton & Co. − “E Walker era proeminente nas relações daMorton & Co.”, a qual era interligada com o Guaranty Trust Co. controlado porMorgan.O assalto à Hamburg-Amerika Line criou um instrumento efetivo para amanipulação e fatal subversão da Alemanha (Grifos meus − N. T.). Um dos maiores“mercadores da morte”, Samuel Pryor, estava nisto desde o início. Pryor, entãochefe do comitê executivo da Remington Arms, ajudou a arranjar o acordo, e serviucom Walker na organização de frente da junta da empresa de navegação deHarriman, a American Ship and Commerce Co.Walker e Harriman deram o próximo passo gigantesco em 1922, estabelecendo seuescritório central europeu em Berlim. Com a ajuda do banco de Warburg baseadoem Hamburgo, a W. A. Harriman & Co. começou a espalhar investimentos líquidostanto na indústria quanto em matérias primas na Alemanha.Da base de Berlim, Walker e Harriman passaram então a forçar negócios e acordoscom o novo ditador da União Soviética. Eles lideraram um seleto grupo deespeculadores de Wall Street e do Império Britânico, os quais, reiniciaram aindústria de petróleo da Rússia, que tinha sido devastada pela RevoluçãoBolchevista. Fizeram contratos para a mineração de manganês soviético, umelemento essencial para a moderna indústria de aço. Estas conseções foramarranjadas diretamente com Leon Trotsky (Lev Davidocich Brounstein − N. T.), edepois com Feliks Dzerzhinsky, fundador do serviço secreto de Inteligência (KGB)do ditador soviético, cujo alto status foi finalmente derrubado por demonstraçõespró-democráticas em 1991.
  17. 17. 17Estas especulações criaram tanto canais de comunicação, como o estilo deacomodação com o ditador comunista, que tem continuado na família, até oPresidente Bush.Com o banco deslanchado, Bert Walker achou Nova York o lugar ideal parasatisfazer sua paixão por esportes, jogos e apostas. Walker foi eleito presidente daAssociação de Golf dos Estados Unidos (US Golf Association) em 1920. Elenegociou novas regras internacionais para o jogo com a Royal Ancient Golf Club deSt. Andrews, Escócia. Após estas conversações, ele contribuiu para a Silver WalkerCup, na qual times americanos e britânicos até então, vêm competindo a cada doisanos.O genro de Bert, Prescott Bush, foi depois secretário do US Golf Association,durante a grave crise política e econômica dos anos 30. Prescott tornou-se presidentedo US Golf Asssociation em 1935, quando então se envolveu-se junto com a firmada família com a Alemanha nazista.Quando George tinha um ano de idade, em 1925, Bert Walker e Averell Harrimandirigiram um sindicato o qual reconstruiu o Madison Square Garden, transformando-o no moderno Palácio de Esportes. Walker estava no centro da cena das apostas deNova York, em seus áureos dias, na época da proibição e dos famosos esanguinários gangsters. O Madison Square Garden brilhava com lutas milionárias;apostadores e seus clientes juntavam milhões, tentando acompanhar a loucaespeculação da bolsa e dos corretores de ações. Esta foi a era do crime organizado −o sindicato nacional de jogos e bebidas estruturado com base no modelo corporativode Nova York.Por volta de 1930, quando George contava seis anos, seu avô Walker foi comissáriodo Hipódromo Estadual de Nova York (New York State Racing). As cores e os sonsvibrantes das corridas devem ter impressionado o pequeno George, mais do que aseu avô. Bert Walker treinava cavalos de corridas em seu próprio haras, o LogCabin Stud (Haras Log Cabin). Ele foi presidente do Belmont Park Race Track(Hipódromo Belmont Park). Bert também gerenciava pessoalmente muitos aspectosde Averell Harriman relativos à corridas de cavalos − a ponto de escolher as cores eos tecidos para os equipamentos de corrida de Harriman.Desde 1926, o pai de George, Prescott Bush, demonstrava uma lealdade feroz paracom os Harriman, e uma determinação canina em seu próprio avanço pessoal. Elegradualmente assumiu o controle do dia-a-dia das operações da W. A. Harriman &Co. Depois da fusão da firma em 1931, com a casa bancária britânico-americanaBrown Brothers, Prescott Bush tornou-se sócio e gerente da companhia resultante:Brown Brothers Harriman. Esta foi em última análise, a maior e politicamente amais importante casa bancária privada da América.
  18. 18. 18Colapso financeiro, depressão mundial e revolução social, seguiram-se à febreespeculativa dos anos 20. A quebra de 1929-31, varreu a pequena fortuna quePrescott Bush tinha conseguido desde 1926. Mas, por causa de sua devoção aosHarriman, eles “fizeram uma coisa muito generosa”, como Bush depois declarou.Eles lhe repuzeram o que havia perdido e o colocaram novamente de pé.Prescott Bush descreveu seu próprio papel, de 1931 à 1940, em uma entrevistaconfidencial:Eu enfatizo...que os Harriman demonstraram grande coragem, lealdade econfiança em nós, porque três ou quatro de nós, estávamos realmenteconduzindo os negócios, o dia-a-dia dos negócios. Averell estava em todos oslugares naqueles dias... e Roland, estava envolvido em muitas diretorias, e nãose ocupavam do abrir e fechar das atividades do banco, veja você, das decisõesdo dia-a-dia dos negócios, todas as decisões administrativas e executivas. Nóséramos aqueles que faziam isto. Nós éramos os sócios gerentes, digamos assim.MAS, DOS TRÊS OU QUATRO PARCEIROS ENCARREGADOS,PRESCOTT ESTAVA EFETIVEMENTE NA DIREÇÃO DA FIRMA,PORQUE ELE TINHA ASSUMIDO O GERENCIAMENTO DOGIGANTESCO FUNDO DE INVESTIMENTO PESSOAL DE AVERELLE DE E. ROLAND “BUNNY” HARRIMAN.Naqueles anos entre guerras, Prescott Bush fez a fortuna da família, que GeorgeBush herdou. Ele empilhou dinheiro tirado de um projeto internacionalcontinuamente, até que uma nova guerra mundial estourasse, e a ação do Governodos Estados Unidos, interferisse para fazê-lo parar.
  19. 19. 19George Bush: A Biografia não Autorizada − por Webster Griffin Tarpley &Anton ChaitkinCapítulo − II – O Projeto HitlerPropriedade de Bush sob Intervenção − Comércio com o InimigoEm outubro de 1942, dez meses após a entrada na Segunda Guerra Mundial, aAmérica estava preparando seu primeiro ataque contra as forças militares nazistas.Prescott Bush era sócio gerente da empresa Brown Brothers Harriman. Seu filhoGeorge de 18 anos, o futuro Presidente dos Estados Unidos, tinha apenas começadoa treinar para tornar-se piloto naval. Em 20 de outubro de 1942, o Governoamericano ordenou a intervenção das operações bancárias alemãs nazistas na cidadede Nova York, que vinham sendo conduzidas por Prescott Bush.Sob o Ato de Comércio com o inimigo (Trading with Enemy Act), o Governointerveio no Union Banking Corporation, do qual Bush era diretor. A Custódia dePropriedade Estrangeira dos Estados Unidos (US Alien Property Custodian)apreendeu as ações do Union Banking Corporation, todas elas pertencentes àPrescott Bush, E. Roland Harriman, três executivos nazistas e dois outros associadosde Bush.A ordem para intervir no Banco, cobria todo o capital de ações do Union BankingCorporation, que era uma corporação de Nova York, e listou o nome dosproprietários de suas ações como segue:E. Roland Harriman − 3.991 ações(Chairman e diretor do Union Banking Corporation−UBC; este é “Bunny”Harriman, descrito por Prescott Bush como verdadeiro proprietário, que não seenvolvia com os negócios do Banco; Prescott dirigia seus investimentos pessoais)Cornelis Lievence − 4 ações(Presidente e diretor do UBC; residente em Nova York e funcionário do Banco paraos nazistas)Harold D. Pennington − 1 ação(Tesoureiro e diretor do UBC; gerente de escritório contratado por Bush na BrownBrothers Harriman)Ray Morris − 1 ação(Diretor do UBC; sócio de Bush e Harriman)Prescott S. Bush − 1 ação
  20. 20. 20(Diretor do UBC, o qual era co-fundador e patrocinado por seu sogro GeorgeWalker; sócio gerente sênior de E. Roland Harriman e Averell Harriman)H. J. Kouwenhoven − 1 ação(Diretor do UBC; organizador do UBC, trabalhava como intermediário nasnegociações entre Fritz Thyssen, George Walker e Averell Harriman; diretor gerenteda filial UBC nos Países Baixos sob ocupação nazista; industrial e executivo naAlemanha nazista; diretor e chefe executivo de finanças externas da German SteelTrust)Johan G. Groeninger − 1 ação(Diretor do UBC e sua filial nos Países Baixos; industrial e excutivo na Alemanhanazista)“Todas as ações estão sob intervenção para interesse de... membros da famíliaThyssen, (e) propriedade de cidadãos... de um determinado país inimigo...”Em 26 de outubro de 1942, as tropas americanas estavam à caminho da África doNorte. Em 28 de outubro, o Governo emitiu nova ordem de intervenção em duasoutras organizações de frente nazistas, dirigidas pelo Banco de Bush e Harriman: aHolland-American Trading Corporation e a Seamless Steel Equipment Corporation.As forças americanas aterrissaram sob fogo na Argélia em 8 de novembro de 1942.Travou-se pesado combate durante este mês. Interesses nazistas na Silesian-American Corporation, dirigida por Prescott Bush e seu sogro, George HerbertWalker, caíram sob intervenção do Ato de Comércio com o Inimigo em 17 denovembro de 1942. Nesta intervenção, o Governo anunciou que estava intervindoapenas nos interesses nazistas, deixando com que os sócios americanos dos nazistascontinuassem com os negócios.Estas e outras ações, tomadas pelo Governo no tempo de guerra foram,tragicamente, muito pequenas e muito tardias. A família do Presidente Bush já tinharealizado seu papel central no financiamento e armamento de Adolf Hitler, para suasubida ao poder na Alemanha; no financiamento e gerenciamento da construção dasindústrias de guerra nazistas para a conquista da Europa e para a guerra contra osEstados Unidos; e no desenvolvvimento das teorias genocidas nazistas epropagandas raciais, com seus resultados bem conhecidos.Os fatos apresentados aqui, precisam ser conhecidos, e suas implicações refletidas,para um bom entendimento com respeito ao Presidente George Herbert Walker Bushe o perigo que ele representa para a Humanidade. A fortuna da família do Presidentefoi amplamente um resultado do projeto Hitler. As forças de associação entrefamílias anglo-americanas, que mais tarde o levaram à diretor da Agência Central deInteligência (CIA) e depois à Casa Branca, foram parceiras de seu pai no projetoHitler.
  21. 21. 21O Custodiador de Propriedade Estrangeira do Presidente Franklin Delano Roosevelt,Leo T. Crowley, assinou a Ordem de Intervançaõ no. 248, intervindo na propriedadede Prescott Bush sob o Ato de Comércio com o Inimigo. Esta Ordem, publicada emobscuros livros de Atos do Governo, e mantida fora do alcance da imprensa, nãoexplicava nada à respeito dos nazistas envolvidos; somente que o Union BankingCorporation era dirigido pela “família Thyssen” da “Alemanha e/ou Hungria” −“cidadãos de um determinado país inimigo”.Por decidir que Prescott Bush e os outros diretores do Union Banking Corporationeram legalmente homens de frente para os nazistas, o Governo evitou a maisimportante questão: De que maneira foram os nazistas de Hitler, e ele mesmorecrutados, armados e instruídos pela elite de Nova Yorrk e Londres, à qual, PrescottBush era o gerente executivo? Deixe-nos examinar o projeto Hitler de Harriman-Bush, desde os anos 20 até que ele foi parcialmente quebrado, para procurar umaresposta para esta questão.Origem e Extensão do ProjetoFritz Thyssen, e seus parceiros comerciais, são reconhecidos universalmente comoos mais importantes financiadores alemães para a subida de Adolf Hitler ao poder naAlemanha. No momento da ordem de intervenção do Union Banking Corporation,de propriedade da família Thyssen, o Sr. Fritz Thyssen já tinha publicado seufamoso livro, I Paid Hitler (Eu Paguei Hitler), admitindo que ele tinha financiadoAdolf Hitler e o movimento nazista desde outubro de 1923. O papel de Thyssen,como líder e primeiro apoio para a tomada de poder por Hitler na Alemanha já haviasido notificada por diplomatas dos Estados Unidos, em Berlim em 1932. A ordem deintervenção no banco de Bush-Thyssen, foi curiosamente silenciosa e modesta comrespeito à identidade dos responsáveis que foram cuidadosamente acorbertados.Mas, duas semanas antes da ordem oficial, investigadores do Governo relataramsecretamente que, “W. Averell Harriman esteve na Europa algum tempo antes de1924, e que naquela época, tornara-se íntimo de Fritz Thyssen, o industrialistaalemão”. Harriman e Thyssen concordaram em criar um banco para Thyssen emNova York. Alguns associados de Harriman poderiam servir como diretores... oagente de Thyssen, H. J. Kouwenhoven... veio para os Estados Unidos... antes de1924 para conferências com a companhia de Harriman, com respeito à isto...Quando exatamente, esteve “Harriman na Europa algum tempo antes de 1924?” Defato, ele esteve em Berlim em 1922, para criar a filial de Berlim da empresa W. A.Harriman & Co. sob a presidência de George Walker.O Union Banking Corporation foi formalmente estabelecido em 1924, como umaunidade, nos escritórios de Manhattan, da W. A. Harriman & Co., interligando-secom o Bank voor Handel en Scheepvaart (BHS) nos Países Baixos, pertencente a
  22. 22. 22Thyssen. Os investigadores concluíram que, “o Union Banking Corporation temdesde o seu início manipulado fundos fornecidos através do Dutch Bank, porinteresses de Thyssen em investimentos amerticanos”.Então por acordo pessoal entre Averell Harriman e Fritz Thyssen em 1922, aempresa W. A. Harriman & Co. (codinome Union Banking Corporation) poderiaenviar e receber fundos entre Nova York e os “interesses de Thyssen” na Alemanha.Desembolsando cerca de 400.000 dólares, a organização de Harriman poderia serconjuntamente proprietária e gerenciadora das operações bancárias de Thyssen forada Alemanha.Quão importante foi a empresa nazista para a qual o pai do Presidente Bush foi seubanqueiro de Nova York?Um relatório investigativo do Governo dos Estados Unidos, em 1942, disse que obanco de frente nazista de Bush funcionava como interligação para a empresaVereinigte Stahlwerke (United States Works Corporation ou German Steel Trust)guiada por Fritz Thyssen e seus dois irmãos. Depois da guerra, investigações doCongresso provaram os interesses de Thyssen com respeito a ligações entre o UnionBanking Corporation e unidades nazistas correlatas. A investigação mostrou que aVereinigte Stahlwerke produziu aproximadamente as seguintes proporções do totalnacional produzido na Alemanha:50,8% FERRO FUNDIDO41,4% CHAPA UNIVERSAL36,0% CHAPA PESADA38,5% CHAPA GALVANIZADA45,5% TUBOS22,1% FIOS35.0% EXPLOSIVOSPrescott Bush tornou-se vice presidente da W. A. Harriman & Co. em 1926. Nestemesmo ano, um amigo de Harriman e Bush criou uma nova organização gigantepara seu cliente Fritz Thyssen, primeiro patrocinador do político Adolf Hitler. Anova German Steel Trust, a maior corporação industrial alemã, foi organizada em1926, pelo banqueiro de Wall Street Clarence Dillon. Dillon, era o velho amigo dopai de Prescott Bush, Samuel P. Bush (“Sam”), do escritório dos “Mercadores daMorte” da Primeira Guerra Mundial.Como reciprocidade pelo investimento de 70 milhões de dólares para criar suaorganização, o acionista majoritário Thyssen doou para a companhia Dillon,Readdois ou mais cargos de representação na junta da nova German Steel Trust.Consequentemente, houve uma divisão de trabalho: as contas confidenciais deThyssen, para política e finalidades correlatas, eram dirigidas através da organização
  23. 23. 23Walker-Bush; a German Steel Trust, fazia seu serviço bancário corporativo atravésda Dillon, Read.As atividades bancárias da firma de Walker-Bush não eram somente politicamenteneutras com respeito à especulações lucrativas, às quais aconteciam de coincidircom as propostas da Alemanha nazista. Todos os negócios europeus das empresasnaqueles dias, eram organizados em torno de forças políticas anti-democráticas.Em 1927, críticas surgidas à respeito de seus suportes ao totalitarismo, geraram aseguinte réplica de Bert Walker, escrita de Kennebunkport para Averell Harriman:“Parece-nos que a sugestão com relação ao ponto de vista de Lord Bearsted, de quenós retiramos a ajuda financeira da Rússia, tem o sabor de alguma coisa deimpertinente... Penso que já temos nossa linha de ação desenhada e poderíamosmostrar-lhe sua forma”.Averell Harriman reuniu-se com o diretor fascista italiano Benito Mussolini. Umrepresentante da firma telegrafou logo em seguida, transmitindo boas novas ao seuchefe executivo Bert Walker: “... Durante estes últimos dias... Mussolini... examinoue aprovou nosso contrato de 15 de junho.O grande colapso financeiro de 1929-31, atingiu a América, Alemanha e a Bretanha,enfraquecendo todos os governos. Este grande colapso também tornou Prescott Bushainda mais determinado em fazer qualquer coisa que fosse necessário para garantirsua nova posição no mundo. Foi durante esta crise, que certos anglo-americanosdecidiram, pela instalação do regime de Hitler na Alemanha.A W. A. Harriman & Co., bem posicionada para esta empreitada, e rica empropriedades e fundos provenientes de seus negócios com a Alemanha e a Rússia,juntou-se com a casa de investimentos britânico-americana Brown Brothers , em 1º.de janeiro de 1931. Bert Walker retirou-se para sua própria G. H. Walker & Co.Desta forma, os irmãos Harriman, Prescott Bush e Tatcher M. Brown, tornaram-sesócios seniores da firma Brown Brothers Harriman. A firma londrina, extensãoinglesa da família Brown, continuou operando com seu histórico nome --- Brown,Shipley & Co.Robert A. Lovett, também juntou-se como sócio na Brown Brothers. Seu pai,advogado de E. H. Harriman, e chefe de sua empresa ferroviária, tinha pertencido aJunta de Indústrias de Guerra com o pai de Prescott. Por ter-se tornado sócio naBrown Brothers Harriman, o jovem filho de Lovett, substituiu seu pai como chefeexecutivo da Union Pacific Railroad.Brown Brothers, tinha uma tradição racial que se encaixava perfeitamente no projetoHitler! Patriotas americanos, remontavam a origem de seu nome aos dias da GuerraCivil americana. Brown Brothers, com escritórios nos Estados Unidos e Inglaterra,realizavam seus embarques com 75% de algodão, colhidos por escravos do sul dos
  24. 24. 24Estados Unidos, para os proprietários britânicos de indústrias. Agora, em 1931, ovirtual ditador do mundo financeiro, Montagu Collet Norman, presidente do Bancoda Inglaterra, era sócio da Brown Brothers, cujo avô tinha sido chefe da BrownBrothers durante a Guerra Civil dos Estados Unidos. Montagu Norman, ficouconhecido como o mais ávido defensor de Hitler, entre os círculos dominantesbritânicos, e a intimidade de Norman com esta firma, foi essencial para seugerenciamento do projeto Hitler.Em 1931, enquanto Prescott Bush dirigia o escritório de Nova York de BrownBrothers Harriman, o sócio de Prescott era o íntimo amigo de Montagu Norman,Tatcher Brown. O chefe do Banco da Inglaterra, sempre se hospedava em casa dosócio de Prescott, em suas apressadas viagens à Nova York. Prescott Bushconcentrava-se nas atividades da firma na Alemanha, enquanto Tatcher Browncuidava de seus negócios na velha Inglaterra, sob a orientação de seu mentorMontagu Norman.A Base de Hitler Para o PoderAdolf Hitler tornou-se Chanceler da Alemanha em 30 de janeiro de 1933, e ditadorabsoluto em março de 1933, depois de dois anos de dispendiosas e violentasoperações de lobby e de eleições. Duas filiais da organização Bush-Harrimandesempenharam importantes papéis nesta criminosa subversão: a German SteelTrust de Thyssen; e a Hamburg-Amerika Line (HAPAG) com muitos de seusexecutivos.Deixe-nos olhar mais de perto os parceiros alemães da família Bush.Fritz Thyssen disse aos interrogadores aliados, depois da guerra, algumas coisassobre seu apoio financeiro ao Partido nazista: “Em 1930, ou 1931... eu disse aoprocurador de Hitler, Rudolf Hess... eu poderia arranjar um crédito para ele (Hitler)com o Dutch Bank em Rotterdam, o Bank für Handel und Schiff (isto é, Bank voorHandel en Scheepvaart − BHS, o afiliado de Harriman-Bush). Eu arranjaria ocrédito... ele poderia pagá-lo em três anos... Eu escolhi o Dutch Bank porque nãoqueria estar misturado com bancos alemães, em minha posição, e porque pensei queseria melhor fazer negócios com o Dutch Bank, e pensei que poderia assim manteros nazistas um pouco mais em minhas mãos...“O crédito foi de cerca de 250-300.000 marcos (ouro) − cerca da soma que eu haviadado antes. O empréstimo tem sido pago em parte ao Dutch Bank, mas penso quealgum dinheiro ainda está pendente...”O total de donativos políticos e empréstimos de Thyssen aos nazistas, foi bemsuperior a um milhão de dólares, incluindo fundos que ele levantou de outros − numperíodo de dinheiro terivelmente escasso na Alemanha.
  25. 25. 25Friedrick Flick foi o maior co-proprietário da German Steel Trust, com FritzThyssen, colaborador de Thyssen de longa data, e competidor ocasional. Napreparação do tribunal de crimes de guerra em Nurremberg, o Governo dos EstadosUnidos disse que Flick era “um dos líderes financiadores e industriais, o qual desde1932, contribuiu com largas somas ao Partido Nazista... membro do “círculo deamigos” de Himmler, o qual contribuiu com largas somas à SS.Flick, como Thyssen, financiou os nazistas para manter seus Exércitos privadoschamados Schutzstafell (SS ou Camisas Negras) e Sturmabteilung (SA, TropasFuracão ou Camisas Pardas).A parceria Flick-Harriman era diretamente supervisionada por Prescott Bush, pai doPresidente Bush, e por George Walker, avô do Presidente Bush.Os acordos do Union Banking Corporation de Harriman-Walker, para a GermanSteel Trust transformaram-os em banqueiros de Flick, e suas vastas operações naAlemanha, antes de 1926.A Harriman Fifteen Corporation (George Walker presidente, Prescott Bush eAverell Harriman diretores) desempenhou papel substancial na Silesian HoldingCo., no período da fusão com Brown Brothers, em 1º. de janeiro de 1931. Estaholding, estava ligada à chefia de Harriman na Consolidated Silesian SteelCorporation, grupo americano proprietário de um terço do complexo de aço,atividades de mineração de carvão e mineração de zinco na Alemanha e na Polônia,no qual Friedrick Flick detinha dois terços.O promotor de Nuremberg caracterizou Flick como segue:“Proprietário e dirigente de um grande grupo de empresas industriais (minas decarvão e ferro, produção de aço e plantas industriais)... Wehrwirtschaftsfuhrer (títulodado como prêmio a proeminentes industriais por mérito na produção dearmamentos − Líder Econômico Militar), de 1938 ...Por esta construção da máquina de guerra de Hitler, utilizando carvão, aço eprodução de armas, usando trabalho escravo, o nazista Flick foi condenado a seteanos de prisão, nos julgamentos de Nuremberg; ele cumpriu três anos. Com amigosem Nova York e Londres, contudo, Flick viveu até os anos 70, e morreu bilionário.Em 19 de março de 1934, Prescott Bush – então diretor do Union BankingCorporation da German Steel Trust − emitiu um alerta ao ausente Averell Harriman.Bush enviou para Harriman um artigo do New Yortk Times daquele dia, o qualrelatava que o Governo polonês estava lutando contra proprietários americanos ealemães de ações que controlavam “a maior unidade industrial da Polônia, a UpperSilesian Coal and Steel Company...”
  26. 26. 26O artigo do Times continuava: “A companhia tem sido de longa data acusada degerenciamento desonesto, empréstimos excessivos, escrituração fictícia e acusaçõesacionárias. Mandatos de prisão foram expedidos em dezembro, para muitos diretoresacusados de evasão fiscal. Eles eram cidadãos alemães e fugiram. Foramsubstituídos por polacos. Herr Flick, vendo isto como uma tentativa de tornar a juntada companhia inteiramente polaca, retalhouu restringindo créditos, até que os novosdiretores polacos ficaram incapazes de pagar regularmente seus empregados”.O Times disse ainda, que as fábricas e as minas da companhia “empregam 25.000homens e respondem por 45% da produção total de aço da Polônia e 12% de suaprodução de carvão. Dois terços das ações da companhia são pertencentes aFriedrick Flick, o líder alemão da indústria de aço, e o restanrte são de propriedadedos interesses americanos”.Em vista do fato de que uma grande quantidade de produtos da Polônia estaremsendo exportadas para a Alemanha de Hitler, em condições depreciadas, o Governopolonês pensou que Prescott Bush, Harriman e seus parceiros nazistas poderiam pelomenos pagar impostos legais sobre os produtos poloneses. Os proprietários nazistase americanos responderam com uma greve. A carta para Harriman, em Washington,relatava uma mensagem de seus representantes europeus: “Acordamos novos passosLondres Berlim... por favor estabeleça relações amigáveis com o embaixadorpolonês (em Washington).”Um memorando de 1935, de George Walker, da Harriman Fefteen Corporation,anunciou que um acordo tinha sido feito “em Berlim” para vender 8.000 blocos dasações desta empresa na Consolidated Silesian Steel. Mas, a disputa com a Polônianão desencorajou a família Bush de prosseguir sua sociedade com Flick.As bombas e os tanques nazistas “solucionaram” esta disputa em setembro de 1939,com a invasão da Polônia, iniciando a Segunda Guerra Mundial. O Exército nazistatinha sido equipado por Flick, Harriman, Walker e Bush, essencialmente commateriais roubados da Polônia.Haviam provavelmente naquele tempo, poucas pessoas que pudessem apreciar aironia, de que quando os soviéticos atacaram e invadiram a Polônia pelo leste, seusveículos eram abastecidos com óleo bombeado dos poços de Baku, revitalizadospela empresa de Harriman/Walker/Bush.Três anos depois, aproximadamente um ano após o ataque japonês a Pearl Harbor, oGoverno dos Estados Unidos ordenou a intervençaão nas ações nazistas da Silesian-American Corporation sob o Ato de Comércio com o Inimigo. Foi dito que cidadãosinimigos, eram proprietários de 49% das ações ordinárias e 41,67% das açõespreferenciais da companhia.A ordem caracterizou a companhia como “empresa de negócios dentro dos EstadosUnidos, pertencente a uma companhia de frente em Zurique, Suíça, e bloqueda para
  27. 27. 27interesse de Bergwerksgesellschaft George von Giesche`s Erben, uma corporaçãoalemã...”Bert Walker era ainda, o diretor sênior da companhia, a qual ele tinha fundado em1926, simultaneamente com a criação do German Steel Trust. Ray Morris, sócio dePrescott no Union Banking Corporation e no Brown Brothers Harriman, também eradiretor.O relatório investigativo anterior à queda do governo, explicava a “Natureza doNegócio: A dita corporação é uma companhia holding (Matriz) americana parasubsidiárias alemãs e polonesas, proprietárias de grandes e valorizadas minas decarvão e zinco na Silésia, Polônia e Alemanha. Desde setembro de 1939, estaspropriedades tem estado sob domínio do, e tem sido operada pelo, governo alemão,e tem sido indubitavelmentte de considerável valor para aquele país, em seu esforçode guerra.O relatório assinalava, que os acionistas americanos esperavam assumir novamenteo controle das propriedades européias depois da guerra.Controle do Comércio NazistaBert Walker tinha arranjado os créditos que Harriman precisava para assumir ocontrole da Hamburg-America Line em 1920. Walker tinha organizado a AmericanShip and Commerce Corp. como uma unidade da W. A. Harriman & Co., com podercontratual sobre as relações de negócios da Hamburg-Amerika Line.Quando o projeto Hitler entrou em pauta, as ações de Harriman-Bush da AmericanShip and Commerce, ficaram sob controle da Harriman Fefteen Corp., dirigida porPrescott Bush e Bert Walker.Isto foi uma porta aberta muito conveniente para o generoso Prescott Bush: Doarranha-céu da Brown Brothers Harriman da Wall Street 59 − onde ele era sóciogerente sênior, gerente de investimentos confisdenciais e conselheiro de Averell eseu irmão “Bunny” − ele caminhava para a Harriman Fefteen Corporation na WallStreet 1, conhecida também como G. H. Walker & Co. − e dobrando a esquina,caminhava para seus escritórios subsidiários na Broadway 39, primeiro escritório davelha W. A. Harriman & Co., e ainda os escritórios da American Ship andCommerce Corp., e do Union Banking Corporation.De muitas maneiras, a Hamburg-Amerika Line (HAPAG) de Bush, foi o pivô detodo o projeto Hitler. Averell Harriman e Bert Walker, tinham obtido controle sobrea companhia de navegação em 1920, em negociações com seu chefe executivo dopós-Primeira Guerra Mundial, Wilhelm Cuno, e com o banqueiro da linha, MMWarburg. Dali para frente, Cuno tornou-se completamente dependente dos anglo-americanos, e tornou-se membro da Sociedade de Amigos Anglo-Alemães (Anglo-
  28. 28. 28German Friendship Society). Nos anos de 1930-32, quando Hitler caminhava paraseu governo ditatorial, Wilhelm Cuno contribuiu com importantes somas para oPartido Nazista.Albert Voegler, era chefe executivo do German Steel Trust de Thyssen-Flick, para oqual o Union Banking Corporation de Bush era o escritório de Nova York. Ele foidiretor do BHS em Roterdam, afiliado de Bush, e diretor da Hamburg-Amerika Linede Harriman-Bush. Voegler juntou-se a Thyssen e Flick nos anos de contribuiçõespesadas aos Nazistas, de 1930-33, e ajudou a organizar a subida final dos nazistas aopoder.A família de banqueiros Schröeder foi o eixo das atividades nazistas de Harriman ePrescott Bush, estreitamente ligada à seus advogados Allen Dulles e John FosterDulles.O Barão Kurt von Schröder era co-diretor da pesada fundição Thyssen-Hutte,juntamente com Johan Groeninger, sócio de Prescott Bush no Banco de Nova York.Kurt von Schröder, foi tesoureiro da organização de apoio para os Exércitosprivados do Partido Nazista, para os quais, Friedrick Flick contribuía. Kurt vonSchröder e o protegido de Montagu Norman, Hjalmar Schacht, juntos fizeram osarranjos finais para a subida de Hitler ao governo.O barão Rudolph von Schröder, era vice presidente e diretor da Hamburg-AmerikaLine. De longo tempo, contato íntimo de Averell Harriman na Alemanha, o BarãoRudolph enviou seu neto, Johann Rudolph para uma viagem aos escritórios da firmade Prescott Bush, Brown Brothers Harriman, na cidade de Nova York , emdezembro de 1932 --- no início do triunfo de Hitler.Certos atos cometidos diretamente pela companhia de navegação de Harriman-Bushem 1932, devem ser catalogados entre os mais graves atos de traição deste século.A embaixada dos Estados Unidos em Berlim, relatou à Washington que a“dispendiosa campanha eleitoral” e o “custo para manter um Exército privado de300.000 a 400.000 homens” tinha levantado questões à respeito dos financiadores donazismo. O Governo constitucional da República Alemã moveu-se para defender aliberdade nacional ordenando que os Exércitos privados nazistas se dissolvessem. Aembaixada americana relatou que a Hamburg-Amerika Line estava comprando edistribuindo propagandas de ataque contra o governo alemão, por tentar estaderubada de último minuto das forças de Hitler.Milhares de alemães oponentes do hitlerismo foram baleados ou intimidados peloExército privado nazista, os Camisas Pardas. Em conexão com isto, notamos que ooriginal “mercador da morte”, Samuel Pryor, foi dirertor fundador de ambas asempresas, Union Banking Corporation e American Ship and Commerce Corp. Desdeque o Sr. Pryor foi chairman do comitê executivo da Remington Arms, e figura
  29. 29. 29central do tráfico privado de armas do mundo, sua participação no projeto Hitler foiintensificada pela parceria da família Bush com o Partido Nazista, em operaçõesbancárias e navegação transatlântica.Os investigadores do tráfico de armas do Senado americano, investigaram aRemington depois que por um acordo, ela se uniu a um cartel de materiaisexplosivos para a empresa nazista IG Farben. Olhando-se a trajetória de subida deHitler ao poder, os Senadores descobriram que “as asssociações políticas alemãs,como os nazistas e outros, são armadas praticamente com... armas... americanas...Armas de todos os tipos provindas da América, são transferidas para chatas(embarcações de estrutura resistente, com proa e popa iguais, fundo chato e pequenocalado, em geral sem propulsão própria, para transporte de carga pesada − N. T.) emEscalda (região de ilhas e canais navegáveis na Holanda, perto da fronteira com aBélgica e da cidade de Antuérpia − N. T.) antes dos navios atracarem em Antuérpia.Depois, então podiam ser transportadas através da Holanda sem inspeção policial ouinterferência. Presume-se que os comunistas e hitleristas recebiam armas destamaneira. As principais armas provindas da América são sub-metralhadorasThompson e revólveres. A quantidade é grande”.O início do regime de Hitler trouxe algumas mudanças bizarras para a Hamburg-Amerika Line − e mais traições.A American Ship and Commerce Corporation de Prescott Bush notificou MaxWarburg de Hamburgo, Alemanha, em 7 de março de 1933, que Warburg deveriaassumir um cargo oficial na corporação, sendo designado para a junta da Hamburg-Amerika.Max Warburg respondeu em 27 de março de 1933, garantindo aos seuspatrocinadores americanos que o Governo de Hitler era bom para a Alemanha: “Nosúltimos anos, os negócios foram consideravelmente melhores do que havíamosantecipado, mas uma reação faz-se sentir há alguns meses. Nós atualmente estamostambém sofrendo uma grande e ativa propaganda contra a Alemanha, causada porcircunstâncias indesejáveis. Estas ocorrências foram conseqüências naturais decampanhas eleitorais muito excitadas, mas foram extraordinariamente exageradas noexterior. O governo está firmemente resolvido em manter a paz pública e a ordem naAlemanha, e, de qualquer modo, estou perfeitamente convencido à este respeito, deque não há causa alguma para qualquer alarme”.Esta declaração de aprovação à Hitler, vinda de um famoso judeu, era justamente oque Harriman e Bush precisavam, para antecederem-se a qualquer apreensão dentrodos Estados Unidos contra suas operações nazistas.Em 29 de março de 1933, dois dias depois da carta de Max para Harriman, o filho deMax, Erich Warburg, enviou uma mensagem para seu primo Frederick M. Warburg,diretor do sistema ferroviário de Harriman. Ele pediu a Frederick para “usar de toda
  30. 30. 30sua influência” no sentido de parar com todas as atividades anti-nazistas naAmérica, incluindo “noticiários de atrocidades e propagandass não-amistosas naimprenssa estrangeira, movimentos de massa, etc”. Frederick respondeu à Erich:“Nenhum grupo responsável aqui, está fomentando boicote contra produtos alemães,meramente indivíduos excitados”. Dois dias depois, em 31 de março de 1933, oComitê Judaico-Americano (American Jewish Committee), controlado pelosWarburg, e pela B`nai B`rith (sociedade secreta judaica participante do Rito Escocêsde Maçonaria, fomentadora da Guerra Civil de Seceção americana e muito ativa nosEstados Unidos, fundadora da Liga Anti-Difamação ou Ante-Defamation League −ADL − N. T.), fortemente influenciada pelos Sulzberger (New Yort Times), emitiuuma formal e oficial declaração conjunta das duas organizações, deliberando “quenenhum boicote americano contra a Alemanha é encorajado”, e advertindo, “quenenhuma manifestação de massa adicional é admitida, ou emprego de forma similarde agitação”.O Comitê Judaico Americano e a B`nai B`rith (Mãe da ADL − N. T.) continuaramcom esta dura posição de não-ataque-à-Hitler durante todos os anos 30,enfraquecendo a posição contrária de muitos judeus e outros anti-fascistas.Conseqüentemente, a decisiva mudança descrita acima, tomando lugar inteiramentedentro da órbita da empresa de Harriman-Bush, pode explicar alguma coisa sobre orelacionamento entre George Bush, a comunidade judaica americana e líderesSionistas. Alguns deles, em estreita cooperação com sua família, desempenharamum triste papel no drama do nazismo. Será por este motivo que “caçadoresprofissionais de nazistas” nunca descobriram como a família Bush fez sua fortuna?A junta executiva da Hamburg-Amerika Line (HAPAG) reuniu-se com a junta daNorth German Lloyd Company em Hamburgo, em 5 de setembro de 1933. Sobsupervisão oficial nazista, as duas firmas se fundiram. A American Ship andCommerce Corp. de Prescott Bush, instalou Christian J. Beck de longo tempoexecutivo de Harriman, no cargo de gerente de frete e operações da North América,para a nova união nazista de linhas de navegação (HAPAG-Lloyd) em 4 denovembro de 1933.De acordo com o testemunho de funcionários da companhia, ante o Congresso em1934, um supervisor da Frente de Trabalho Nazista (Nazi Labor Front) estavasempre à bordo de qualquer navio da linha de Harriman-Bush; empregados dosescritórios de Nova York eram diretamente organizados para a Frente; A Hamburg-Amerika Line providenciava passagens grátis, para indivíduos viajarem mundo àforacom objetivos de propaganda nazista; e a linha subsidiava jornais pró-nazistasdentro dos Estados Unidos, como ela tinha feito na Alemanha, contra o Governoconstitucional alemão.Em meados de 1936, a American Ship and Commerce Corp., de Prescott Bush,enviou mensagem à MM Warburg, pedindo a ele para representá-la em seus pesados
  31. 31. 31interesses acionários junto a vindoura reunião de acionistas da Hamburg-AmerikaLine. O escritório de Warburg retornou informando que “representaremos voces” nareunião de acionistas e “exercitaremos em seu nome o seu poder de voto sobre RM3.509.600 (três milhões quinhentos e nove mil e seiscentos marcos ouro) em açõesda HAPAG depositadas conosco”.Os Warburg transmitiram uma carta recebida de Emil Helfferich, chefe executivoalemão de ambas, HAPAG-Lloyd e da subsidiária da Standard Oil na Alemanhanazista: “É intensão continuar as relações com o Sr. Harriman nas mesmas bases,daqui por diante...” Num gesto colorido, o chairman nazi Helfferich, da HAPAG,enviou o presidente da mesma através do Atlântico num Zeppelin, para conferenciarcom seus manipuladores em Nova York.Depois da reunião com o passageiro do Zeppelin, o escritório de Harriman-Bushretornou: “Estou satisfeito em saber que o Sr. Helfferich (sic) delarou que asrelações entre a Hamburg-Amerika Line e nós prosseguirá nas mesmas bases deagora em diante.Dois anos antes de agir contra o Union Banking Corporation de George Bush, ogoverno dos Estados Unidos ordenou intervenção em todas as propriedades daHamburg-Amerika Line e da North Lloyd, em nome do Ato de Comércio com oInimigo (Tranding with the Enemy Act). Os investigadores declararam no relatóriode pré-intervenção, que Christian J. Beck estava ainda agindo como advogado,representando a firma nazi.Em maio de 1933, justo após o regime de Hitler consolidar-se, um acordo foialcançado em Berlim, objetivando a coordenação de todo comércio nazista com osEstados Unidos. A Harriman International Co., guiada pelo primeiro primo deAverell Harriman, Oliver, chefiaria um sindicato de 150 empresas e indivíduos, nacondução de todas as exportações da Alemanha de Hitler para os Estados Unidos.Este pacto tinha sido negociado em Berlim, entre o Ministro da Economia de Hitler,Hjalmar Schacht, e John Foster Dulles, advogado internacional de dúzias deempresas nazistas, com anuência de Max Warburg e Kurt von Schröder.John Foster Dulles seria mais tarde Secretário de Estado dos Estados Unidos, e ogrande poder do Partido Republicano de 1950. A amizade com Foster e com o irmãoAllen (chefe da Agência Central de Inteligência − CIA) ajudou muito Prescott Busha tornar-se Senador Republicano dos Estados Unidos por Connecticut. E isto seriade inestimável valor para George Bush, em sua subida ao topo das “açõesgovernamentais encobertas”, porque ambos os irmãos Dulles eram advogados dasempreitadas externas da família Bush.Durante os anos 30, John Foster Dulles arranjou renegociações de débitos parafirmas alemãs sujeitas a uma série de decretos emitidos por Adolf Hitler. Nestesacordos, Dulles quebrou o equilíbrio entre interesses de grandes e selecionados
  32. 32. 32investidores e as necessidades de crescimento da fabricação de eqipamentos deguerra para produção de tanques, gases venenosos e etc.Dulles escreveu para Prescott Bush em 1937, sobre um acordo específico. AGerman-Atlantic Cable Company, proprietária do único canal telegráfico entre aAlemanha nazista e os Estados Unidos, tinha feito débitos e acordos com o banco deWalker-Harriman durante os anos 20. Um novo decreto poderia agora invalidar estesacordos, que tinham originalmente sido alcançados com funcionários de corporaçõesnão nazistas.Dulles pediu à Bush, o qual havia gerenciado estes acordos para Averell Harriman,que obtivesse a assinatura de Averell, em uma carta endereçada a funcionáriosnazistas, aceitando as mudanças. Dulles escreveu:22 de setembro de 1937Sr. Prescott S. BushWall Street 59, Nova York,N.Y.Caro Press,Examinei a carta da German-Atlantic Cable Company para Averell Harriman... Éóbvio que os únicos direitos neste caso, são aqueles habituias aos bancos, e quenenhum embarasso legal resultaria, com respeito aos acionistas na modificação doacordo bancário.Sinceramente seu,John Foster DullesDulles envelopou a resposta sobre a mudança proposta, Bush obteve a assinatura deHarriman e as mudanças foram feitas.Conjuntamente com estes acordos, a German-Atlantic Cable Company tentou pararo pagamento de seus débitos à pequenos acionistas americanos. Ao contrário, odinheiro seria utilizado no armamento do Estado nazista, sob um decreto do governode Hitler.A despeito dos esforços de Bush e Dulles, uma corte de Nova York decidiu que estaparticular “lei” de Hitler era inválida nos Estados Unidos; pequenos acionistas, nãoparticipantes dos acordos entre banqueiros e nazistas, foram qualificados a serempagos.
  33. 33. 33Nestas e outras tentativas de fraude, as vítimas conseguiram sair com seu dinheiro.Mas a reorganização financeira e política nazista foi em frente, ao seu trágicoclímax.Por sua participação na revolução de Hitler, Prescott Bush faturou uma fortuna.Este é o legado que ele deixou para seu filho, Presidente George Bush.Uma Importante Nota HistóricaComo os Harriman contrataram Hitler?Não foi inevitável que milhões fossem massacrados pelo fascismo na SegundaGuerra Mundial. Em certos momentos de crise, decisões pró-nazi cruciais foramtomadas fora da Alemanha. As decisões das ações pró-nazistas eram mais agressivasdo que mero “apasiguamento”, o qual depois historiadores anglo-americanospreferiram discutir.Exércitos privados de 300.000 a 400.000 terroristas, ajudaram aos nazistas a subiremao poder. A Hamburg-Amerika Line de W. A. Harriman, interveio em 1932, contraa tentativa alemã de desmantelá-los.O colapso econômico de 1929-31 levou a German Steel Trust, apoiada por WallStreet à bancarrota. Quando o governo alemão encampou o estoque de ações destaempresa, interesses associados à Konrad Adenauer e ao anti-nazista Partido Católicode Centro, tentaram adquirir estas ações. Mas os anglo-americanos − MontaguNorman, e o banco de Harriman-Bush − garantiram que o fantoche nazista FritzThyssen, readquirisse o controle sobre as ações e a empresa. Desta forma, a tramabancária de Thyssen envolvendo Hitler, pôde então continuar sem obstáculos.Débitos de reparação requeridos pelo Tratado de Versalhes não pagos em 1920,arruinaram a Alemanha, tornando-a propriedade do sistema bancário Londres-NovaYork, e a propaganda de Hitler, explorava estes débitos alemães opressivos.Mas imediatamente depois da Alemanha cair sob o poder ditatorial de Hitler, osfinancistas anglo-americanos aprovaram alívio destes débitos, os quais foramliberados para serem utilizados no armamento do Estado nazi. A companhia denavegação North German Lloyd, que se uniu com a Hamburg-Amerika Line foi umadas companhis que cortou seu pagamento de débitos, sob um decreto de Hitler,arranjado por John Foster Dulles e Hjalmar Schacht.A Kuhn,Loeb & Co. de Felix Warburg, realizou o plano financeiro de Hitler emNova York. Esta pediu aos acionistas da North German Lloyd, para que aceitassemnovas e depreciadas ações emitidas por Kuhn,Loeb, no lugar das mais rentáveis deantes de Hitler.
  34. 34. 34A OposiçãoO advogado de Nova York, Jacob Chaitkin, pai do co-autor deste livro, AntonChaitkin, assumiu o caso de muitos acionistas diferentes, que rejeitavam a fraude deHarriman, Bush, Warburg e Hitler. Representando uma mulher que reclamava 30dólares pela velha ação da companhia de navegação − e em oposição à John FosterDulles na corte municipal de Nova York − Chaitkin conseguiu um mandato judicialde apreensão do navio transatlântico Europa, de 30.000 toneladas, condicionandosua liberação ao recebimento de 30 dólares por sua cliente. (New York Times, 10 dejaneiro de 1934, p. 31 col. 3)O Congresso Judaico Americano (American Jewish Congress) contratou JacobChaitkin como diretor legal do boicote contra a Alemanha nazista. A FederaçãoAmericana de Trabalho (American Federation of Labor) cooperou com o grupojudaico e outros no boicote anti-importação. Por outro lado, virtualmente todocomércio nazista com os Estados Unidos, estava sob a supervisão dos interesses deHarriman e funcionários como Prescott Bush, pai do Presidente George Bush.Enquanto isto, os Warburg demandavam a “não-agitação” contra o Governo deHitler por parte dos judeus americanos, ou que não se unissem à boicotesorganizados. Estas demandas por parte dos Warburg, eram realizadas pelo ComitêJudaico Americano (American Jewish Committee) e pela B`nai B`rith, que seopunham ao boicote enquanto o Estado Militar Nazista crescia incrivelmente empotência.A cobertura histórica destes eventos, é tão forte, que virtualmente a única oposiçãoaos Warburg vieram do jornalista e “Conspirador Fascista de Wall Street” John L.Spivak, no jornal pró-communista New Masses (29 de janeiro e 5 de fevereiro de1934). Spivak declarou que os Warburg, controlavam o Comitê Judaico Americano,que se opunha ao boicote anti-nazista, enquanto sua Kuhn,Loeb & Co. autorizavaembarques nazistas; ele também expôs as atividades políticas e financeiras pró-fascistas, executadas pelos Warburg e seus parceiros e aliados, muitos dos quaiseram importantes e influentes no Comitê Judaico Americano e na B`nai B`rith. Ditoonde Spivak fez suas declarações, não é nenhuma surpresa que Spivak tenhadenominado Warburg como aliado do Banco Morgan, sem fazer nenhuma menção àAverell Harriman. O Sr. Harriman, apesar de tudo, era um herói permanente daUnião Soviética.Mais tarde, John L. Spivak, passou por uma curiosa transformação, unindo-se elepróprio à esta conspiração. Em 1967, ele escreveu uma autobiografia (A Man in HisTime − Um Homem em Seu Tempo, New York: Horizon Press), na qual parabenizao Comitê Judaico Americano. O pró-fascismo dos Warburg não aparece no livro. Oauto-proclamado “rebelde” Spivak, também parabeniza seu braço de ação B`nai
  35. 35. 35B`rith, a Liga Anti-Difamação (Ante-Defamation League − ADL). Pateticamente,ele comenta favoravelmente, que esta liga possui grupos de espionagem contra apopulação americana, os quais são compartilhados com agências governamentais.Assim, é a história apagada; e aquelas decisões, que dirigem a história num ounoutro curso, são retiradas do conhecimento das atuais gerações.
  36. 36. 36 George Bush: A Biografia não Autorizada − por Webster Griffin Tarpley & Anton Chaitkin Capítulo – III − Higiene Racial: Três Alianças Familiares de Bush • “O governo deve colocar os mais modernos meios médicos à serviço deste conhecimento... Aqueles que são fisicamente e mentalmente doentes e incapazes, não devem perpetuar seu sofrimento no corpo de seus filhos... A prevenção da faculdade e oportunidade de procriar, por parte dos fisicamente degenerados e mentalmente doentes, durante um período de somente 600 anos, poderia... livrar a humanidade de sofrimentos imensuráveis”. • “A diferença de renda per capta entre países desenvolvidos e em desenvolvimento está aumentando, em grande parte como resultado do aumento da taxa de natalidade nos países pobres... Fome na Índia, filhos indesejados nos Estados Unidos, pobreza que parece formar uma corrente inquebrável para milhões de pessoas --- como poderíamos nós, estancar estes problemas?... está bem claro que um dos maiores objetivos dos anos 70... será restringir a fertilidade no mundo”.Estes dois pensamentos são iguais em sua falsidade, concernente ao sofrimentohumano, e em sua cínica maneira de resolvê-lo: BIG BROTHER deve impedir a vidade pessoas “indesejáveis” ou “desnecessárias”.Deixe-nos agora investigar mais à fundo a antecedência da família de nossoPresidente, de forma a então , ilustrar como o autor do segundo pensamento, GeorgeBush, compartilhou do mesmo pensamento do primeiro, Adolf Hitler.Examinaremos aqui, a aliança da família Bush com três outras famílias, Farish,Draper e Gray.A associação destas três famílias, tem levado o relacionamento do Presidente, à seusmais íntimos e mais confidenciais conselheiros. Estas alianças foram forjadas noanterior projeto Hitler, e em sua conseqüência imediata. Entendê-las, nos ajudará aexplicar a obsessão de George Bush com a superpopulação do mundo não anglo-saxão, e dos perigosos meios que ele tem adotado na condução deste “problema”.Bush e FarishQuando George Bush foi eleito Vice-presidente em 1980, o misterioso homem doTexas, William Stamps Farish III (“Will”), encarregou-se do gerenciamento de todariqueza pessoal de George Bush, o qual era de sua cega confiança. Conhecido como
  37. 37. 37um dos homens mais ricos do Texas, Will Farish guardou o mais intenso segredosobre seus relacionamentos de negócios. Somente a fonte de sua imensa fortuna éconhecida, não sua aplicação.Will Farish tem sido de longa data, o mais íntimo amigo e confidente de GeorgeBush. Ele é também o único anfitrião pessoal da rainha britânica Elisabeth II: Farishpossui, e cria cavalos de raça que cruzam com as éguas da rainha. É este seu motivopúblico quando vem à América, e se hospeda em casa de Farish. Esta é uma conexãopara o nosso Presidente anglófilo.O Presidente Bush pode contar com toda a confiança de Will Farish, com respeito aosviolentos segredos que rodeiam a fortuna da família Bush. A própria fortuna deFarish, foi adquirida no mesmo projeto Hitler, num pesadelo de parceria com o pai deGeorge Bush.Em 25 de março de 1942, Thurman Arnold, assistente da Procuradoria Geral dosEstados Unidos, anunciou que William Stamps Farish (avô do gerenciador dodinheiro do Presidente) havia feito acordo de “não contestação” à acusação deconspiração criminosa com os nazistas. Farish era o principal gerenciador de umcartel mundial entre a Standard Oil Company of New Jersey e a IG Farben. Aempresa resultante desta união, tinha inaugurado o campo de trabalho escravo deAuschwitz em 14 de junho de 1940, para produzir borracha artificial (sintética − N.T.) e gasolina derivadas de carvão. O governo de Hitler forneceu oponentes políticose judeus como escravos, os quais trabalhavam até próximo da morte, e em seguidaeram mortos.Arnold, divulgou que a Standard Oil of New Jersey (depois conhecida como Exxon),da qual Farish era presidente e chefe executivo, havia concordado em parar com aobstaculização na conseção de patentes de borracha sintética aos Estados Unidos, asquais a companhia havia concedido aos nazistas.Um comitê investigativo do Senado, conduzido pelo Senador (depois Presidente dosEstados Unidos) Harry Truman, do Missouri, havia chamado Arnold paratestemunhar nas audiências sobre colaboração de empresas americanas com osnazistas. Os Senadores demonstraram indignação pela cínica maneira com a qualFarish, continuava sua aliança com o regime de Hitler, que havia iniciado em 1933,quando Farish tornou-se chefe da Jersey Standard. Não sabia ele que havia umaguerra em andamento?O Departamento de Justiça apresentou uma carta, ante o comitê, escrita para opresidente Farish, por seu vice presidente, pouco tempo depois do início da SegundaGuerra Mundial (1º. de setembro de 1939) na Europa. A carta relacionava-se com arenovação de seus anteriores acordos com os nazistas. • Relatório sobre a viagem à Europa
  38. 38. 38 12 de outubro de 1930 Sr. W. S. Farish Rockefeller Plaza 30 Caro Sr. Farish: Permaneci na França até 17 de setembro... na Inglaterra reuni- me com senhores da Holanda, da Royal Dutch Shell (Shell Oil Co.), e ... um acordo geral foi alcançado, relativo a mudanças necessárias em nosso relacionamento com a IG Farben, em vista do estado de guerra... o grupo Royal Dutch Shell é essencialmente britânico... Eu também tive várias reuniões com... o Ministério da Aeronáutica britânico... Necessitei de ajuda para obter a permissão necessária para ir à Holanda... depois de discussões com o embaixador [americano, Joseph Kennedy]... a situação tornou-se completamente clara... os senhores do Ministério da Aeronáutica... muito gentilmente ofereceram-se em assistir-me depois, em minha reentrada na Inglaterra... Em conseqüência destes arranjos, fui capaz de cumprir com meus compromissos na Holanda, tendo voado até lá num bombardeiro da Real Força Aérea britânica, onde tive três dias de discussões com representantes da IG Farben. Eles liberaram-me documentos assinados de cerca de 2.000 patentes estrangeiras, e nós fizemos o melhor possível no traçado de planos completos de modus vivendi, o qual poderá operar até o fim da guerra, independentemente dos Estadoss Unidos entrarem nela ou não. Atenciosamente, Frank A. HowardAqui estão algumas das frias realidades por trás da tragédia da Segunda GuerraMundial, as quais ajudam a explicar a aliança das famílias Bush-Farish − e suapeculiar intimidade com a rainha da Inglaterra.• A Shell Oil é principalmente, propriedade da família real britânica. O chairman da Shell, Sir Henry Deterding, ajudou a patrocinar a subida de Hitler ao poder, com Montagu Norman, presidente do banco da família real, o Banco da Inglaterra. A Standard Oil, aliada destes, tomaria parte no projeto Hitler, o qual terminou de forma sangrenta e horrorosa.• Quando o avô Farish assinou a decisão judicial de acordo, em março de 1942, o Governo tinha já iniciado seu caminho através da confussa rede mundial de monopólios de petróleo, e acordos químicos entre a Standard Oil e os nazistas. Muitas patentes, e outros aspectos de propriedade dos nazistas, resultantes desta parceria, caíram sob intervenção da Custódia de
  39. 39. 39 Propriedade Estrangeira dos Estados Unidos (US Alien Property Custodian).• Tio Sam não interviria no Union Bankig Corporation, de Prescott Bush, senão sete meses depois.O eixo Bush-Farish, iniciou-se em 1929. Naquele ano, o banco de Harrimancomprou a Dresser Industries, fornecedores de acopladores para torres de destilaçãofracionada de petróleo, para a Standard Oil e outras companhias. Prescott Bush,tornou-se diretor e czar financista da Dresser, instalando seu amigo de turma deYale, Neil Mahlon como chairman. Prescott Bush nomearia depois, um de seusfilhos como executivo da Dresser.William S. Farish foi o principal organizador da Humble Oil Co., do Texas, a qualFarish fundiu com a Standard Oil of New Jersey. Farish construiu o impérioHumble-Standard, de torres de destilação fracionada, e refinarias no Texas.O mercado de ações quebrou logo após a família Bush entrar nos negócios depetróleo. A crise financeira mundial levou à fusão do banco de Walker-Harrimancom Brown Brothers, em 1931. O velho sócio da Brown Brothers, MontaguNorman, e seu protegido Hjalmar Schacht, fizeram nervosas visitas à Nova York,naquele ano e no próximo, preparando o novo regime de Hitler para a Alemanha.O mais importante evento político americano, durante aquelas preparações para ogoverno de Hitler, foi o infame “Terceiro Congresso Internacional de Eugenia”realizado no Museu Americano de História Natural (American Museum of NaturalHistory), de 21 à 23 de agosto de 1932, supervisionado pela Federação Internacionalde Sociedades Eugênicas (International Federation of Eugenics Societies). Estareunião fixou-se na obstinada persistência sobre “inferioridade” e “inadequaçãosocial” de grupos afro-americanos e outras alegações relativas à reprodução,expandindo seu número e, amalgamando-se com outros grupos. Foi recomendadoque estes “perigos” à grupos étnicos “melhores”, e aos “bem-nascidos”, poderiamser controlados não só pela esterilização, como também suprimindo-se o “estoqueruim” de “não qualificados”.O governo italiano fascista, enviou um representante oficial. A irmã de AverellHarriman, Mary, diretora de “entretenimento” deste Congresso, vivia no Estado deVirginia; seu Estado, enviou o palestrante W. A. Plecker, comissário em estatísticasvitais de Virginia, que, falaria sobre o tema “pureza racial”. Plecker manteve osdelegados palestrantes ocupados com seu tema de esforço no sentido de parar com amiscigenação racial e com o sexo inter-racial em Virginia.Os assuntos tratados no Congresso, eram dedicados à mãe de Averell Harriman; elahavia pago pela fundação do movimento de ciência racial na América, nos anos 10,construindo o Escritório de Registros Eugênicos (Eugenics Record Office) como um
  40. 40. 40 braço do Laboratório Nacional Galton (Galton National Laboratory) em Londres. Ela e outros Harriman, eram normalmente escoltados às corridas de cavalo pelo velho George Herbert Walker − eles compartilhavam com os Bush e os Farish uma fascinação pela “produção de raça-pura”, pelo cruzamento tanto de cavalos como de homens. Averell Harriman arranjou pessoalmente com a Hamburg-Amerika Line de Walker/Bush o transporte de ideólogos nazistas da Alemanha à Nova York, para esta reunião. O mais famoso dentre eles, era o Dr. Ernst Rudin, psiquiatra do Instituto para Genealogia e Demografia Kaiser Wilhelm (Kaiser Wilhelm Institute for Genealogy and Demography) de Berlim, o qual a família Rockefeller pagou pela ocupação de um andar inteiro para Rudin, com suas pesquisas eugênicas. O Dr. Rudin tinha feito uma palestra na reunião de 1928 em Munique, na Federação Internacional (International Federation), falando sobre “aberrações mentais e higiene racial”, enquanto outros (alemães e americanos) falaram sobre miscigenação racial e esterilização dos “não qualificados”. Rudin tinha também levado a delegação alemã, ao Congresso de Higiene Mental (Mental Higiene Congresss) de 1930, em Washington, DC. No Congresso Eugênico (Eugenic Congress) de Harriman, em Nova York em 1932, Ernst Rudin foi unanimimente eleito presidente da Federação Internacional de Sociedades Eugênicas. Isto foi um reconhecimento à Rudin, como fundador da Sociedade Alemã de Higiene Racial (German Society for Race Higiene), com seu co-fundador e vice presidente da Federação Eugênica, Alfred Plotz. Assim que começaram a aparecer financistas sofrendo de insanidade por depressão (financeira, quebra da bolsa − N.T.), em Berlim e Nova York, Rudin era agora líder oficial do movimento de eugenia mundial. Componentes deste movimento, incluíam grupos com lideranças dedicadas a: • Esterilização de pacientes mentais (“sociedades de higiene mental”); • Execução de insanos, criminosos e doentes terminais (“sociedades de eutanásia”); • Purificação da raça através da eugenia, pela prevenção da natalidade por parte de pais com sangue “inferior” (“sociedades de controle de natalidade”). • Antes do campo de Auschwitz tornar-se palavra proibida, estes grupos de britânicos-americanos-europeus, falavam abertamente sobre eliminação dos “não-qualificados” por meios que incluíam força e violência.Dez meses depois, em junho de 1933, o Ministro do Interior de Hitler, WilhelmFrick, falou à uma reunião eugênica, no novo Terceiro Reich. Frick classificou osalemães como raça “degenerada”, denunciando um quinto dos pais alemães porproduzirem “deficientes mentais” e crianças “defeituosas”. No mês seguinte, em uma
  41. 41. 41comissão de Frick, o Dr. Ernst Rudin, escreveu a “Lei de Prevenção de DoençasHereditárias na Posteridade”, a lei de esterilização modelada em prévios estatutos doEstado da Virginia, e outros estados americanos.Côrtes especiais foram logo estabelecidass para a esterilização de pacientes mentaisalemães, cegos, surdos e acoólatras. Um quarto de milhão de pessoas nestascategorias foram esterilizadas. Rudin Plotz e seus colegas, treinaram toda umageração de médicos e psiquiatras − como esterilizadores e matadores.Quando a guerra estalou, os eugenicistas, doutores e psiquiatras, formaram a novaAgência T4 (Esta Agência situava-se à Tiergartenstrasse no. 4, daí “T 4”), queplanejou e supervisionou matanças em massa: primeiro nos “centros de eutanásia,”onde as mesmas categorias que eram submetidas à esterilização, como descritoacima, passaram agora a ser assassinadas, e seus cérebros retiradoss e enviados emlotes de 200 para experimentos psiquiátricos; depois, passaram a ser enviados paracampos de escravos como Auschwirz; e finalmente, judeus e outras vítimas raciais,eram enviadas para campos de extermínio sumário na Polônia, como Treblinka eBelsen.Em 1933, quando apareceu o que Hitler havia denominado sua “Nova Ordem”, JohnD. Rockefeller Jr. indicou William S. Farish para chairman da Standard Oil Co. ofNew Jersey (em 1937, ele se tornou presidente e chefe executivo). Farish transferiuseus escritóros para o Rockefeller Center, em Nova York, quando então investiutempo em bons negócios com Hermann Schmitz, chairman da IG. Sua companhiacontratou os serviços de um publicitário, Yve Lee, para escrever propaganda pró-IGFarben e pró-nazistas a serem divulgadas na imprensa americana.Agora que Farish estava fora do Texas, tornou-se ele próprio empresário denavegação --- como a família Bush. Ele contratou tripulações inteiras de alemães,para os navios tanques da Standard Oil. Contratou também Emil Helfferich, chairmanda Hamburg-Amerika Line de Walker/Bush/Harriman, também da subsidiária alemãda Standard Oil Company. Karl Lindemann, membro da junta da Hamburg-Amerika,também se tornou alto executivo da Standard de Farish na Alemanha.Esta interligação, com seus alemães nazistas, colocou Farish juntamente com PrescottBush num pequeno e seleto grupo de homens que operavam do exterior através da“revolução” de Hitler, e calculavam que nunca poderiam ser punidos.Em 1939, Martha, filha de Farish, casou-se com o irmão de Averell Harriman,Edward Harriman Guerry, tornando-se assim genro de Farish e sócio de PrescottBush na Broadway 59.Ambos, Emil Helfferich e Karl Lindemann, foram autorizados a assinar cheques paraHeinrich Himmler, chefe da SS nazista, em uma conta especial da Standard Oil. Estaconta era gerenciada pelo banqueiro alemão-britânico-americano Kurt von Schröder.

×