REDAÇÃO – 3º ABC do Ensino Médio o
Professores: Ana Cláudia, Bruno, Marcela e Maria Luiza
Produção de gêneros textuais – U...
2
expectativas de outras pessoas (no caso, os pais), e não de seus próprios anseios. Por consequência,
abre-se espaço à fr...
3
REDAÇÃO
Os textos desta Prova de Redação abordam a temática O uso de tatuagens por crianças e adolescentes.
Tendo-os com...
4
minha história”. Para ela, a tatuagem é uma forma de expressão e o motivo de tantos jovens aderirem a
essa prática é a n...
5
_____________________________________________________________________________________
__________________________________...
Vinícius de Moraes
Virá o dia em que eu hei de ser um velho
experiente
Olhando as coisas através de uma filosofia
sensata
...
7
_____________________________________________________________________________________
__________________________________...
8
O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil é um estudo realizado pela Associação Brasileira de
Empresas de Limpeza Públic...
9
_____________________________________________________________________________________
__________________________________...
10
hídrica: o excesso de sódio no sangue eleva a retenção de água, o que pode provocar, além de inchaço,
edemas pelo corpo...
11
Vício em internet é doença, defende psiquiatra
Em editorial no American Journal of Psychiatry, Jerald Block, da Univers...
12
GÊNERO TEXTUAL – RESPOSTA ARGUMENTATIVA
Redija, em até 15 linhas, uma resposta argumentativa à pergunta “A internet é n...
13
com outros estudantes. Hoje, ele mora com três alunos universitários. “É bom porque economizamos
bastante dividindo as ...
14
_____________________________________________________________________________________
_________________________________...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013

1,019

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,019
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Material pedagógico de redação dos professores do colégio são josé em 2013"

  1. 1. REDAÇÃO – 3º ABC do Ensino Médio o Professores: Ana Cláudia, Bruno, Marcela e Maria Luiza Produção de gêneros textuais – UEM 2013. . Instrução: Prezado (a) aluno (a), Seguem abaixo 10 propostas de redação da UEM. Você deverá, obrigatoriamente, escrever dois textos e entregá-los ao seu professor (a) no dia 06/08/13. REDAÇÃO Os textos desta Prova de Redação abordam a temática sobre a influência dos pais na escolha profissional dos filhos poder ser positiva ou negativa. Tendo-os como apoio, redija os gêneros textuais solicitados. TEXTO 1 Influência dos pais na hora da escolha Stefanie Archilli Para a coordenadora do curso de Pedagogia do Isca Faculdades, Alessandra Pascotto, os adolescentes precisam de um direcionamento saudável, sem a imposição dos pais. A influência deve ser vista como uma orientação, segundo Alessandra. A pedagoga explicou que o adolescente não tem condição de fazer essa escolha sozinho, por isso precisa da ajuda dos pais, familiares e amigos. “Eles são muito jovens e precisam de um direcionamento. Os pais podem levá-los para fazer um teste vocacional, para conhecer uma pessoa que é formada na área que escolheram e até visitar a faculdade e conversar com os professores”. (...) Tão naturalmente como foi a escolha de Vitória Pinatto, 18 anos, que está estudando para passar no curso de Administração de Empresas. “Meus pais me influenciaram de forma indireta. Minha mãe tem uma loja e meu pai trabalha em uma empresa. Vendo o contato deles com a área de administração, acabei optando por fazer uma faculdade nessa área. Me espelho muito neles”. (Texto adaptado de <http://www.jlmais.com/index.php?option=com_content&view=article&id=97056&cat...>. Acesso em 4/9/2012. Publicado em 12/11/2011) TEXTO 2 A 1ª escolha profissional do adolescente: quem influencia? Anaí Auada Quem tem um adolescente em casa sabe, sente na pele a pressão e a ansiedade do momento da primeira escolha profissional. (...) Esse momento é inegavelmente tenso. (...) Desafia cada membro da família a pensar alternativas, buscar seus próprios sonhos, tentar resgatar aquele desejo de realizar algo que não foi possível até então. Desde o clássico exemplo de pais sedentos por realizar seus anseios através do filho até o envolvimento de avós, tios, irmãos, primos e amigos de convivência próxima à família. O jovem é visto como um papel em branco, pronto para receber qualquer história, seja para salvar aquele projeto que não teve sua chance no passado como para confirmar as próprias escolhas realizadas, devendo, portanto, ser repetidas. (...) O risco de o jovem ser direcionado é decidir a partir de
  2. 2. 2 expectativas de outras pessoas (no caso, os pais), e não de seus próprios anseios. Por consequência, abre-se espaço à frustração, uma vez que as necessidades pessoais (do adolescente) não foram consideradas. (Texto adaptado de <http://www.mundovestibular.com.br/articles/1423/1/.../Paacutegina1.html>. Acesso em 13/9/2012) GÊNERO TEXTUAL 1 – ARTIGO DE OPINIÃO Na sua opinião, a influência dos pais pode ser positiva ou negativa na escolha profissional dos filhos? Tendo como apoio os textos 1 e 2, responda a essa questão polêmica, produzindo um ARTIGO DE OPINIÃO, com no mínimo 10 e no máximo 15 linhas. Você deverá dar um título ao seu artigo. Para orientar sua produção, considere que seu texto será publicado em um jornal de circulação local, cujos leitores podem ter uma opinião diversa da sua, ou podem não ter ainda uma opinião formada sobre a questão em pauta. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ GÊNERO TEXTUAL 2 – TEXTO INSTRUCIONAL Tendo como apoio os textos 1 e 2, redija um TEXTO INSTRUCIONAL aos leitores da Revista “Pais & Adolescentes”, com no mínimo 10 e no máximo 15 linhas, no qual sejam apresentadas instruções aos pais sobre como proceder com seus filhos no momento da escolha profissional deles. Você pode optar por dar ou não um título ao seu texto. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
  3. 3. 3 REDAÇÃO Os textos desta Prova de Redação abordam a temática O uso de tatuagens por crianças e adolescentes. Tendo-os como apoio, redija os gêneros textuais adiante solicitados. TEXTO 1 Deputado baiano quer proibir tatuagem em crianças e jovens Da Redação Publicado em 17 de março de 2012 Essa é a proposta do projeto de lei do Deputado Federal Márcio Marinho, que acrescenta o art. 132-A ao Decreto – lei n.º 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal, tipificando o crime de realização de tatuagem em criança ou adolescente e prevendo pena de detenção. Marinho explica que a realização de tatuagens em crianças e adolescentes vem se banalizando em nossa sociedade, bastando para a prática a autorização dos pais ou responsáveis. E alerta que a tatuagem contém diversos riscos à saúde, desde o contágio por doenças transmissíveis pelo sangue, até a intoxicação por tintas inadequadas, além de se caracterizar em modificação praticamente definitiva ou de dificílima remoção nos corpos de pessoas muito jovens, ainda em formação: “Nesse sentido cremos ser imprescindível impedir completamente essa prática”, afirma. O deputado baiano acredita que “se faz necessária a ação do Estado para que, no cumprimento de sua função constitucional, efetive a proteção integral à criança e ao adolescente, criminalizando essa conduta que não respeita a integridade dos corpos desses jovens que, na maioria dos casos, se arrependem profundamente de tatuarem seus corpos após se tornarem adultos”. (Texto adaptado de < http://www.redeimprensalivre.com.br/archives/30239>. Acesso em 5/4/2012) TEXTO 2 Tatuagem vira moda entre adolescentes Lucas Shiomi Publicado em 9 de abril de 2011 Nos dias de hoje, tem sido cada vez mais comum ver jovens que ainda nem saíram da escola estampando uma tatuagem. Se antes a única tatuagem com que os adolescentes tinham contato era a de henna ou aquelas que vinham nos chicletes, hoje a tattoo de verdade já é moda entre os estudantes. (...) “Tudo bem que há adolescentes que são mais responsáveis que os próprios pais, há alguns que até sustentam a casa. Mas acho que um jovem de 16 anos ainda não está pronto para se tatuar. Ele pode acabar escolhendo um desenho bobo, ou mesmo infantil, que daqui a dez anos talvez nem goste mais. E, se for em um local visível, isso pode atrapalhar na hora de arrumar um emprego”, afirmou o tatuador L. Bernardino. Mas não é o que pensa a organizadora de eventos E. V. Barbosa, que deu total apoio na hora em que o filho, de 16 anos, decidiu fazer uma tatuagem: “essa preocupação com o emprego é coisa do passado. Hoje em dia, até médicos, policiais e advogados têm tatuagem! Para mim, isso é muito natural nos dias de hoje”, contestou Barbosa. Em janeiro deste ano, o filho de E. V. Barbosa, o estudante e músico D. V. de Oliveira, tatuou no braço direito o símbolo da banda de rock gaúcha Fresno, seguido da inscrição “Não deixe a luz se apagar”, trecho de uma música da banda. (...) Mais precoce que D. V. de Oliveira foi a estudante R. S. Reis, de 16 anos, que fez a primeira tatuagem aos 15. Hoje R. S. Reis tem duas tatuagens: um trevo de quatro folhas, na região posterior do ombro esquerdo, e um conjunto de quatro pegadas caninas nas costas, que seguem em direção ao pescoço. A estudante garante não ter medo de se arrepender: “sei por que as fiz, o que elas significam pra mim. Claro que pode acontecer de eu me cansar delas, sei que daqui a alguns anos não vou pensar do mesmo jeito que hoje e uma delas pode talvez não se encaixar mais no meu contexto. Mas acho que é um risco que vale a pena correr, porque, de qualquer forma, elas poderão representar o que eu fui e pelo o que passei, um pedaço da
  4. 4. 4 minha história”. Para ela, a tatuagem é uma forma de expressão e o motivo de tantos jovens aderirem a essa prática é a necessidade de se expressarem: “claro que sempre vão ter uns e outros que fazem pela modinha ou para entrar em algum grupo, isso acontece em qualquer lugar. Mas tem aqueles que realmente entendem e se expressam pelas tatuagens. A tatuagem não perdeu sua simbologia ou virou banal. Ela simplesmente se tornou democrática!” (Texto adaptado de <http://www.online.unisanta.br/2011/04-09/cultura-4.htm>. Acesso em 5/4/2012) GÊNERO TEXTUAL 1 – CARTA DO LEITOR Tendo como apoio os textos 1 e 2, escreva uma carta ao editor da revista Rede Imprensa Livre, Sr. Souza, com até 15 linhas, expondo sua opinião a respeito do projeto de lei do Deputado Federal Márcio Marinho, que proíbe tatuagem em crianças e jovens. Não utilize nome próprio ou fictício para assinar a sua carta. Escreva apenas a palavra Leitor como assinatura. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ GÊNERO TEXTUAL 2 – RELATO Tendo como apoio os textos 1 e 2, redija um relato, com até 15 linhas, que fará parte da reportagem de uma revista, sobre o uso de tatuagem por crianças e jovens. Nesse relato você deve exemplificar com uma experiência (fictícia ou não) sua ou de outra pessoa sobre o uso ou a recusa de tatuagem. Para identificar a(s) pessoa(s) do relato, use, se achar necessário, nome(s) dentre os quais: João, Maria, Pedro, Ana, Eduardo, Beatriz. Não serão avaliados os textos que trouxerem quaisquer outros nomes que não esses sugeridos. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
  5. 5. 5 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ REDAÇÃO A coletânea de textos a seguir aborda a temática a posição do idoso em nossa sociedade, que já foi trabalhada nos textos da Prova de Língua Portuguesa. Tendo esses textos como apoio, redija os gêneros textuais solicitados. TEXTO 1 Senilidade e a invisibilidade social Camila Maciel Polonio (...) A maioria dos idosos no Brasil encontram-se em condição de invisibilidade, social, política e muitas vezes familiar. Morte social? Morte familiar? Estão vivos, mas não possuem lugar. A visão sobre o ancião mudou, do patriarca para ... para o quê? Em muitas famílias não há o espaço para o idoso. Há alguns anos atrás o idoso era tido como patriarca, que era dotado de sabedoria. (...) O ancião era o guia familiar, os mais novos pediam conselho e ouviam as suas orientações. Eles exerciam um papel que, após o término da sua função de produtividade, assumiam o de líderes familiares. O idoso saía do lugar de provedor, cargo este assumido por seus filhos, para ocupar o de orientador. A sabedoria nada tinha a ver com estudos, era o arquivo das experiências da vida. Hoje, algumas famílias encontram-se cada vez mais fechadas e mais focadas na produção, aquele que não produz não tem espaço. O idoso dessa forma perde o seu lugar na família e na sociedade. No entanto, acredito que, assim como os jovens conseguiram, ao longo da história, mudar a sua posição social e familiar, tornando-se importante foco da sociedade, a senilidade conseguirá novamente o respeito. Como? Se cada família jovem conseguir compreender que, em determinado momento precisará cuidar de seus idosos, irá construir em seus filhos a mesma compreensão. Se conseguir sair das justificativas capitalistas, conseguir valorizar o saber, sobrepondo o valor da produção, irá re- construir o valor do idoso. Se pais, filhos e netos assimilarem o ciclo vital e conseguirem ressignificar os papéis familiares, todos terão direito e lugar na sociedade. (...) A população está envelhecendo e precisamos modificar o nosso olhar, a nossa educação e o respeito por aqueles que fizeram e fazem parte da história. (Disponível em: <http://camilamacielpolonio.blogspot.com/2010/04/senilidade-e- invisibilidade- social.html>. Acesso em 18/4/2011). TEXTO 2 A sociedade e a terceira idade Dr. João Roberto D. Azevedo As sociedades ricas, de primeiro mundo, encaram a Terceira Idade de maneira bastante prática e objetiva. O idoso recebe nessas sociedades todos os seus direitos e têm bem nítidos os seus limites, sendo que em determinados países há clara tendência em aproveitá-lo inclusive profissionalmente. Infelizmente, sociedades pobres como a nossa tendem a isolar o idoso, não sendo rara a ideia de considerá-lo inútil, um verdadeiro peso morto. A exagerada valorização da juventude, tão própria da sociedade moderna, contribui muito para piorar o conceito de Terceira Idade em nosso meio. A Saúde Pública e a Previdência Social não estão estruturadas para cuidar de maneira eficiente da Terceira Idade. (...) A nossa autoapreciação recebe então influências das características psicológicas individuais e, evidentemente, das pressões sociais: como se sentir diante de si mesmo, ou diante da apreciação dos outros? Qual a repercussão sobre uma pessoa saudável e ativa, com 75 anos de idade, que se vê absolutamente rejeitada? (Disponível em: <http://boasaude.uol.com.br/lib/emailorprint.cfm?id=3050&ty pe=lib>. Acesso em 14/4/2011). TEXTO 3 Velhice
  6. 6. Vinícius de Moraes Virá o dia em que eu hei de ser um velho experiente Olhando as coisas através de uma filosofia sensata E lendo os clássicos com a afeição que a minha mocidade não permite. Nesse dia, Deus talvez tenha entrado definitivamente em meu espírito Ou talvez tenha saído definitivamente dele. Então, todos os meus atos serão encaminhados no sentido do túmulo E todas as ideias autobiográficas da mocidade terão desaparecido: ficará talvez somente a ideia do testamento bem escrito. Serei um velho, não terei mocidade, nem sexo, nem vida. Só terei uma experiência extraordinária. Fecharei minha alma a todos e a tudo Passará por mim muito longe o ruído da vida e do mundo. Só o ruído do coração doente me avisará de uns restos de vida em mim. Nem o cigarro da mocidade restará. Será um cigarro forte que satisfará os pulmões viciados E que dará a tudo um ar saturado de velhice. Não escreverei mais a lápis E só usarei pergaminhos compridos. Terei um casaco de alpaca que me fechará os olhos. Serei um corpo sem mocidade, inútil, vazio, Cheio de irritação para com a vida, Cheio de irritação para comigo mesmo. O eterno velho que nada é, nada vale, nada teve O velho, cujo único valor é ser o cadáver de uma mocidade criadora. (Disponível em: <http://www.viniciusdemoraes.com.br/site/arti cle.php3?id_art icle=29>. Acesso em 18/4/2011). GÊNERO TEXTUAL 1 – RESUMO Redija um resumo, em até 15 linhas, que exponha as ideias e as informações consideradas fundamentais para a compreensão da temática sobre a posição do idoso em nossa sociedade, abordada no TEXTO 1. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ GÊNERO TEXTUAL 2 – RESPOSTA INTERPRETATIVA Redija, em até 15 linhas, uma resposta interpretativa, que indique as causas que explicam a atual posição do idoso em nossa sociedade, presentes nos TEXTOS 1 e 2, comprovando a causa expressa no TEXTO 3, com fragmentos desse texto. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
  7. 7. 7 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ REDAÇÃO A coletânea de textos a seguir aborda a temática O destino dos resíduos urbanos atualmente nas cidades. Tendo-a como apoio, redija os gêneros textuais solicitados. Lixo urbano Jairo Augusto Nogueira Pinheiro Desde o surgimento dos primeiros centros urbanos, a produção de lixo se apresenta como um problema de difícil solução. A partir da Revolução Industrial, com a intensificação da migração dos trabalhadores do campo para a cidade, aumentaram as dificuldades referentes à produção de resíduos sólidos de diferentes naturezas (domésticos, industriais, serviços de saúde, etc.). (...) Os excedentes vão se acumulando cada vez em maior escala, colocando a questão do lixo urbano como uma das mais sérias a ser enfrentada atualmente. Com a elevação da população e, principalmente, com o estímulo dado ao consumismo, o problema tende a se agravar. (...) A grande preocupação em torno do destino do lixo se dá principalmente em face da sua característica de inesgotabilidade, comprometimento de grandes áreas e pela sua complexidade estrutural, devido à grande variedade de materiais, desde substâncias inertes a substâncias altamente tóxicas. A heterogeneidade é uma das características principais dos resíduos sólidos urbanos, que apresentam uma composição qualitativa e quantitativa muito variada. Essas variações ocorrem geralmente em função do nível de vida e educação da população, do clima, dos modos de consumo, das mudanças tecnológicas, etc. (...) A partir da Revolução Industrial, as fábricas começaram a produzir objetos de consumo em larga escala e a introduzir novas embalagens no mercado, aumentando consideravelmente o volume e a diversidade de resíduos gerados nas áreas urbanas. O homem passou a viver então a era dos descartáveis, em que a maior parte dos produtos – desde guardanapos de papel e latas de refrigerante, até computadores – são utilizados e jogados fora com enorme rapidez. Ao mesmo tempo, o crescimento acelerado das metrópoles fez com que as áreas disponíveis para colocar o lixo se tornassem escassas. A sujeira acumulada no ambiente aumentou a poluição do solo e das águas e piorou as condições de saúde das populações em todo o mundo, especialmente nas regiões menos desenvolvidas. Até hoje, no Brasil, a maior parte dos resíduos recolhidos nos centros urbanos é simplesmente jogada sem qualquer cuidado em depósitos existentes nas periferias das cidades. O lixo urbano é, portanto, um dos maiores problemas da atualidade, pois os moldes de consumo adotados pela maioria das sociedades modernas estão provocando um aumento contínuo e exagerado na quantidade de lixo produzido. (Texto adaptado de http://www.webartigos.com/articles/10684/1/Lixo-Urbano/pagina1.html) Destinação correta dos resíduos sólidos urbanos requer inicialmente investimentos da ordem de R$ 1,3 bilhão Mônica Pinto
  8. 8. 8 O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil é um estudo realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais – Abrelpe – desde 2003. Em sua segunda edição, com dados referentes ao ano de 2004, ele mostra que a questão do lixo no país demanda não só vontade política para fazer andarem os projetos, para levar ao povo procedimentos de asseio basilares. Mais que isso, todo esse processo requer investimentos vultuosos, da ordem de R$ 1,3 bilhão na fase pré- operacional e R$ 80 milhões/mês na fase operacional. (...) O Brasil tem hoje 237 cidades, em todas as regiões, com coleta seletiva de lixo. Parece pouco diante do universo de 5.560 sob a bandeira verde- amarela, mas a curva é ascendente e os números otimistas. Ainda mais se observados os estímulos à reciclagem, que invariavelmente caminham junto com a coleta seletiva. Os dados mais significativos quanto à reciclagem podem ser sintetizados a seguir: • a taxa de recuperação de papéis recicláveis evoluiu de 30,7%, em 1980, para 43,9%, em 2002; • a reciclagem de plásticos pós-consumo é da ordem de 17,5, sendo que, na Grande São Paulo, o índice é de 15,8% e, no Rio Grande do Sul, é da ordem de 27,6%; • a reciclagem de embalagens PET cresceu de 16,25%, em 1994, para 35%, em 2002; • a reciclagem das embalagens de vidro cresceu de 42% para 45% entre 2001 e 2003; • o índice de reciclagem de latas de aço para bebidas evolui de 43%, em 2001, para 75%, em 2003. Texto adaptado de http://noticias.ambientebrasil.com.br/exclusivas/2005/06/28/19786-exclusivo- destinacao-correta-dos-residuos-solidos-urbanos-requer-inicialmente- investimentos-da-ordem-de-r-13- bilhao.html) Você sabe a diferença entre lixão, aterro controlado e aterro sanitário? Um lixão é uma área de disposição final de resíduos sólidos sem nenhuma preparação anterior do solo. Não tem sistema de tratamento de fluentes líquidos – o chorume (líquido preto que escorre do lixo). Este penetra pela terra levando substâncias contaminantes para o solo e para o lençol freático. (...) No lixão, o lixo fica exposto sem nenhum procedimento que evite as consequências ambientais e sociais negativas. Já o aterro controlado (...) é uma célula adjacente ao lixão (...) que recebeu cobertura de argila, grama (idealmente selado com manta impermeável para proteger a pilha de água de chuva), captação de chorume e gás. (...) Tem também recirculação do chorume que é coletado e levado para cima da pilha do lixo, diminuindo a sua absorção pela terra ou eventualmente outro tipo de tratamento. (...) Aterro sanitário (...) tem o terreno preparado previamente com o nivelamento de terra e com o selamento da base com argila e mantas de PVC extremamente resistente. Com essa impermeabilização do solo, o lençol freático não será contaminado pelo chorume. (...) A operação do aterro sanitário, assim como a do aterro controlado, prevê a cobertura diária do lixo, não ocorrendo a proliferação de vetores, mau cheiro e poluição visual. (Texto adaptado de http://www.lixo.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=144&Itemid=251) GÊNERO TEXTUAL – NOTÍCIA Redija uma notícia, com até 15 linhas, aos leitores do Jornal da Cidade, apresentando informações sobre o destino dos resíduos urbanos nas cidades brasileiras. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
  9. 9. 9 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ REDAÇÃO Os textos a seguir abordam uma temática única: o sal na alimentação humana. Leia-os e selecione as informações necessárias para a produção dos gêneros textuais solicitados. Como reduzir a ingestão de sal? O brasileiro consome quase o dobro da quantidade ideal Por Eduardo Gomes Muito sal Devido a sua composição, a falta de sal no organismo pode, por exemplo, causar distúrbios mentais, hipotireodismo, abortos espontâneos, nascimento de bebês mortos e de crianças com baixo peso. Isso não significa que o sal pode ser consumido em abundância. Como qualquer outro alimento, ele precisa ser ingerido na quantidade adequada para produzir benefícios e afastar os riscos ligados ao seu consumo excessivo. O brasileiro tem comido sal demais como consequência direta da industrialização. Passamos de um país que planta e come o que colhe na lavoura, para um país que se industrializou e, agora, come alimentos processados ou industrializados. Isso pode parecer otimista, pode parecer vantajoso, mas é preocupante, uma vez que passamos a comer sal demais. Para conseguir consumir o sal na medida certa é preciso saber que o sal é diferente de sódio. Muita gente acredita que são sinônimos e na hora de ler os rótulos dos produtos só levam em consideração a quantidade de sódio, que é apenas um dos componentes do tempero. Essa é uma conduta incorreta, que leva a consequências perigosas. Isso porque a pessoa pode fazer o cálculo nutricional do seu consumo diário de sal tomando como referência o sódio. Só para se ter uma ideia, de acordo com as diretrizes do Guia Alimentar para a População Brasileira, editado em 2006, uma pessoa deve consumir no máximo 5 gramas de sal por dia, o equivalente a uma colher de chá rasa. Ocorre que a quantidade total de sódio nessas 5 gramas é de apenas 2 gramas. O problema é que os produtos industrializados se limitam à quantidade de sódio na embalagem e não de sal, induzindo o consumidor a achar que está consumindo uma quantidade menor de sal. Praticamente todos os alimentos industrializados contêm sódio. Do pão integral ao refrigerante e até mesmo os sucos artificiais em pó. Os campeões são os embutidos (presunto, salame, mortadela, salsicha) e defumados, os caldos concentrados e temperos prontos, as sopas instantâneas, os salgadinhos industrializados em pacotes, os queijos amarelos, os pratos prontos congelados e as conservas. Quem come fora regularmente tem mais dificuldade para controlar o consumo de sal, mas sempre é possível fazê-lo. A melhor estratégia para conseguir isso ainda é evitar o saleiro, uma vez que os alimentos já são normalmente preparados com mais sal e as saladas podem ser consumidas utilizando apenas o azeite, fazendo, com isso, que caia a média de ingestão de sal na refeição. Menos sal Embora todos se beneficiem da redução do sal, pessoas com hipertensão arterial, doenças cardíacas e hepáticas que causam retenção de líquidos e insuficiência renal devem reduzir o sal como parte fundamental do seu tratamento, pois o excesso de sal causa maior retenção de água e pode agravar essas condições clínicas. Veja a seguir os casos clínicos em que a ordem é reduzir o sal: Hipertensão arterial: o cloreto de sódio é um dos responsáveis pela retenção de líquido no organismo. Com isso, há um aumento no volume de sangue que circula pelos vasos sanguíneos, o que eleva a pressão arterial; Doenças cardiovasculares: a elevação da pressão arterial também é um fator de risco para as doenças cardiovasculares; Problemas renais: o consumo excessivo de sal, ao causar hipertensão, sobrecarrega os rins, alterando suas funções e colaborando para o acúmulo de substâncias tóxicas no sangue; Retenção
  10. 10. 10 hídrica: o excesso de sódio no sangue eleva a retenção de água, o que pode provocar, além de inchaço, edemas pelo corpo. (http://yahoo.minhavida.com.br/materias/alimentacao/Como+reduzir+a+ingestao+de+sal.mv. Acesso em 18 de julho de 2009). Sal: reduza o consumo por Regina Célia Pereira No lugar do sal, bote ervas e hortaliças. Elas ajudam seu paladar a enfrentar a fase de adaptação à comida menos salgada. Alho e cebola A dupla está lotada de substâncias protetoras das artérias, mas não vale comprar aqueles potes de tempero que têm sódio na formulação. Prefira os isentos da substância ou esses vegetais in natura. Limão Espremer limão na salada é uma forma de acrescentar mais vitamina C no dia a dia. A adstringência do fruto ainda ajuda a espantar a vontade de comer sal. Ervas Elas têm em sua composição poderosas substâncias que contribuem para o bom funcionamento de todo o organismo. Bote o alecrim nas carnes, a cebolinha no arroz, o coentro na salada, o manjericão nas massas e não se esqueça da pimenta. Abuse da imaginação. (http://saude.abril.com.br/edicoes/0287/nutricao/conteudo_296419.shtml. Acesso em 30 de julho de 2009). GÊNERO TEXTUAL – CARTA DE RECLAMAÇÃO Como leitor da revista Saúde, escreva uma carta ao editor, Sr. Silva, com até 15 linhas, reclamando sobre a falta de apresentação de receitas cujos temperos substituam o sal na alimentação humana. Assine a carta apenas com o nome Leitor. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ A coletânea de recortes de textos abaixo, retirados de fontes variadas, aborda a temática Vício na internet. Tendo-a como apoio, redija os gêneros textuais solicitados. Quando se fala em vício, logo pensamos em drogas, cigarro, álcool, jogatina, entre outros. Porém, o vício está ligado a uma questão mais ampla, ou seja, não se restringe a um ou dois aspectos, mas sim a diversos. Há o vício em internet, diagnosticado quando as pessoas têm sua vida pessoal, profissional e sentimental afetada pela permanência exagerada na internet. (Texto adaptado de http://www.brasilescola.com/informatica/ciberviciado.htm)
  11. 11. 11 Vício em internet é doença, defende psiquiatra Em editorial no American Journal of Psychiatry, Jerald Block, da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon, alega que o vício hoje é tão comum que deveria entrar na lista contida no Manual de Estatística e Diagnóstico de Distúrbios Mentais – o principal livro de referência da Associação Americana de Psiquiatria para categorizar e diagnosticar doenças mentais. Segundo o especialista, o vício em internet tem quatro comportamentos principais: uso excessivo, frequentemente associado à perda da noção do tempo ou negligência de impulsos básicos; sentimentos de irritação, tensão ou depressão caso o computador esteja inacessível; necessidade de computadores melhores, mais software ou mais horas de uso; e reações negativas como brigas, isolamento social e fadiga ligadas ao uso do computador. (http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI2704377-EI4802,00.html) Brasil está entre países que tratam viciados em internet Agnes Dantas Tem gente que senta diante do computador para trabalhar ou fazer o dever de casa, dá uma passadinha no MSN para ver quem está on line, e entra no Orkut para saber se há novos posts e, de repente, se dá conta de que se passaram 10, 12 horas de conexão à internet. Nem todo o mundo sabe, mas existe uma linha tênue entre a mania de estar conectado e o vício em internet. (http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2006/10/31/286471817.asp) A doença da conexão Ninguém se surpreende ao ver a executiva Andiara Petterle entrar e sair de seu escritório com o laptop em mãos. Como tantos profissionais, é pela internet que ela dá respostas rápidas a seus clientes mais exigentes. Uma rotina normal, se não fosse tão difícil para essa gaúcha de 28 anos se desconectar. O problema veio à tona há quatro anos, quando uma viagem com o marido se tornou um tormento diante da impossibilidade de se conectar à internet no local. (...) A compulsão por e-mails é uma extensão da dependência de internet, problema que se manifesta também com jogos e compras on-line, salas de bate-papo e sites eróticos. (Revista Veja, n.º 2001, 28 de março de 2007) Internet cria novo tipo de viciado: como as drogas e o álcool, o computador pode causar dependência, principalmente quando preenche carências e ansiedades "Ninguém se torna dependente de uma coisa que não traz prazer. A internet é, sem dúvida, prazerosa e se torna dependência quando passa a preencher uma carência, diminuir a ansiedade, aliviar uma angústia", diz o psiquiatra André Malbergier, coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP). (...) O tratamento também é semelhante ao que se submete um dependente de droga. Inclui psicoterapia para tentar descobrir que conflitos pessoais levaram à dependência – parte dos viciados em internet, dizem os especialistas, tem extrema dificuldade de relacionamento social. Em muitos casos, é preciso tomar remédios que diminuam o impulso pelo computador. (...) "Não podemos transformar a internet no vilão, porque o problema é o uso que nós fazemos dela", diz Maluh Duprat, da PUC-SP. "A internet é um instrumento fundamental." (http://www.gtpos.org.br/index.asp?Fuseaction=Informacoes&ParentId=349)
  12. 12. 12 GÊNERO TEXTUAL – RESPOSTA ARGUMENTATIVA Redija, em até 15 linhas, uma resposta argumentativa à pergunta “A internet é nociva?”. Sua resposta pode apoiar-se na coletânea de textos, mas não deve apresentar cópias da mesma. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ REDAÇÃO Os textos A e B desta prova de Redação abordam o tema morar em república. Tendo-os como apoio, redija os gêneros textuais solicitados. TEXTO A Morar em república pede divisão de tarefas da Folha de São Paulo Conciliar festas e estudos e uma boa dose de liberdade com responsabilidade. Esses talvez sejam os maiores dilemas para quem mora em uma república. “A maior dificuldade de estudar em Ouro Preto é aguentar a quantidade de festas”, afirma Enauê Paiva, 22, que cursa o sétimo período de Nutrição na Universidade Federal de Ouro Preto. Enauê divide o aluguel de R$ 1.300 da república particular Snoopy, onde mora, com mais 13 mulheres, todas estudantes. E como será conviver com um grupo de 13, 20 moradores sob o mesmo teto? Para Enauê, “é preciso respeitar o outro". "Morar com 13 pessoas não é fácil, ainda mais sendo mulheres, mas vale a pena. A gente se sente como irmãs.” Ouro Preto (MG) pode ser considerada a capital brasileira das repúblicas estudantis. A cidade, que tem cerca de 65 mil habitantes, possui 72 repúblicas públicas e mais de 200 particulares. Otávio Luiz Machado, 27, também mora em Ouro Preto, mas em uma república masculina e pública, com outros 24 moradores. Para ele, não há muitos problemas em morar com tantas pessoas, desde que as tarefas sejam divididas e cumpridas de forma justa. “Temos reuniões a cada 15 dias. Em cada mês, uma dupla fica responsável pelas questões administrativas da casa. Quanto à limpeza, além da diarista, cada um tem de zelar pelo seu espaço.” Se você não encontrar vaga em uma república, outra opção é morar em uma pensão, onde geralmente os custos também são baixos, mas com menor liberdade. Ou você mesmo pode fundar uma república. Foi o que fez Domingos Fortunato Netto, 22, estudante de Direito da Universidade Mackenzie de SP. Em 1997, ele alugou um apartamento na região central da capital paulista e começou a dividi-lo
  13. 13. 13 com outros estudantes. Hoje, ele mora com três alunos universitários. “É bom porque economizamos bastante dividindo as despesas. Mas o melhor é que aprendi muito, a cuidar de uma casa e a tolerar os outros”, diz. (Alessandro Tarso) (www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u2641.shtml. Acesso em 9 de agosto de 2011) TEXTO B Morar em república Entre as maiores mudanças que entrar na faculdade pode proporcionar para alguns calouros está a mudança de cidade. Em busca de melhores oportunidades de formação e profissionais, eles deixam o município em que vivem e encaram uma nova realidade que quase sempre inclui morar em uma república.(...). “Os alunos saem de cidades bem pequenas para uma cidade relativamente grande, em comparação com a de origem deles”, afirma Sabrina Novãs, assessora para assuntos comunitários e culturais da Universidade de Franca (Unifran). Ela estima que cerca de 45% dos alunos da instituição venham de outras localidades. Acostumar-se ao cotidiano de uma cidade grande é, na opinião de Sabrina, a primeira dificuldade com que os estudantes se deparam. Encontrar uma pessoa com quem dividir o novo lar também é complicado. A assessora, que atende aos alunos da Unifran, recomenda aos calouros que procurem conhecer melhor os colegas com quem pretendem formar a república antes de se mudarem. Quanto menos gente, melhor. “Difícil conciliar os interesses e necessidades de muitas pessoas. E, de uma forma geral, repúblicas de pessoas com cursos afins dão mais certo.”(...) Para a psicóloga Ana Maria Franco, essencial mesmo é definir bem as regras da república logo no início. “Decidam quem vai pagar as contas, quem vai tirar o lixo, como será feita a limpeza, se vão cozinhar juntos ou cada um vai fazer sua alimentação separado, se namorados e amigos podem frequentar a casa e em que horários. Quanto mais detalhada e conversada for essa divisão, menor a chance de aborrecimentos depois”, afirma. Apesar das dificuldades, morar fora é sempre uma experiência enriquecedora e até recomendável, dizem as especialistas. “O estudante aprende a respeitar o espaço dos outros”, diz Sabrina. “Os jovens ganham maturidade e desenvolvem a responsabilidade. É uma grande oportunidade de crescimento pessoal e por isso deve ser aproveitada ao máximo”, afirma Ana Maria. (http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2004/0322/ morar-em-republica.html. Acesso em 9 de agosto de 2011) GÊNERO TEXTUAL – RESPOSTA ARGUMENTATIVA Como estudante morador(a) de república, redija, em até 15 linhas, uma resposta argumentativa à pergunta: “Morar em república é ou não uma experiência enriquecedora?”. Sua resposta pode apoiar-se nas informações dos textos A e B, mas não deve apresentar cópias deles. _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
  14. 14. 14 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________

×