Pacientes idosos cuidados adicionais em anestesia e sedação consciente

2,871 views
2,640 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,871
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
43
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pacientes idosos cuidados adicionais em anestesia e sedação consciente

  1. 1. Pacientes idosos cuidados adicionaisElevação da média de idade - > maior atendimentode pacientes idosos.Tratamento odontológico em: Pacientes idosos = pacientes jovens. Cuidados de rotina cuidados de rotina +Cuidados adicionais
  2. 2. Cuidados adicionais• Dois Aspectos devem ser observados no atendimento de pacientes Idosos:• 1º - uso de um ou mais medicamentos: - Agravante: automedicação- Consequências: interação medicamentosa• 2º - farmacocinética alterada:- Agravante: presença de patologias- Alterações fisiológicas: absorção, metabolismo e principalmente distribuição e excreção.- Causa: alterações nas funções orgânicas e presença de patologias.- Consequências: sobredose e toxicidade.
  3. 3. Entendendo o Processo menor volume do plasma 8% Redução de proteínas Sobredose/ Menor Qdt. de plasmáticas toxicidade líquidos corporais 17% Menor massa muscular corporal Lipossolúveis com relativo (Diazepam) aumento de gordura – 35%Hidrossolúveis(paracetamol) Armazenados na massa lipídica- ação prologongada Acumulados na corrente sanguínea -Aumento da atividade
  4. 4. Potenciação de medicamentos• Proteína liga-se ao medicamento• Fração de medicamento livre combina com o receptor provocando o efeito farmacológico• Maior idade = menor concentração plasmática• Idoso diminui cerca de 20% da concentração proteínas plasmáticas.• Uso de outro medicamento = competição.• Sendo assim sobra mais medicamentos de forma livre.• Potenciação do efeitos.
  5. 5. Metabolização hepática• Via hepática – converte os medicamentos em substâncias lipossolúveis e ionizadas, tornando possível sua eliminação pelos rins.• Com o avançar da idade a habilidade do fígado em metabolizar drogas diminui sensivelmente devido:• Diminuição da massa• Diminuição da circulação sanguínea• Redução da concentração de enzimas hepáticas.
  6. 6. Eliminação renal• Rins – funções renais documentadas e previsíveis.• Após 30 anos declínio gradual de seu peso até atingir 2/3 do peso máximo aos 90 anos. Taxa de filtração glomerular diminui em cerca de 31% entre as idades de 20 a 80 anos. Velocidade de eliminação de drogas sensivelmente reduzida.
  7. 7. Medicamentos• . com alta taxa de Metabolização hepática e metabolização (lidocaína). excreção renal. Baixa circulação Acumulo no sanguínea organismo renal. Rins com taxa de filtração Baixa diminuída. distribuição
  8. 8. Período de atendimento e duração das sessões• Período de atendimento:- Segundo período da manhã ou inicio da tarde.• Duração:- 50 min.• Idosos- É comum apresentar doenças crônicas- estas devem ser consideradas no planejamento do tratamento odontológico.- Comum estar associadas a distúrbios sistêmicos como, hipertensão arterial ou diabetes.- Estudos indicam maior índice de acidente vascular encefálico no inicio do período da manhã.
  9. 9. Uso de medicamentos• Benzodiazepínicos Diazepam – maior emprego na odontologia. Contra - indicado para pacientes idosos Devido aos efeitos paradoxais + meia vida plasmática muito longa estimula ao invés jovens e adultos de sedar Idosos 90 h 20 h
  10. 10. Indicação• Benzodiazepinicos de ação curta:• Lorazepam:- medicação pré – operatória- 1mg (preferencialmente) ou até 2mg, duas horas antes da intervenção.
  11. 11. Soluções anestésicas locais.Três Regras Básicas na sua execução:•Conhecimento sobre o estado de saúde dopaciente.•Seleção correta do anestésico que estáinjetando.•Domínio da técnica anestésica escolhida.
  12. 12. Lidocaína: É o anestésico mais utilizado em odontologia. Em grande parte é metabolizada no fígado e excretada pelos rins.•Os vasoconstritores agregados á lidocaína são a Norepinefrina e a fenilefrina que podem provocar a bradicardia
  13. 13. • Mepivacaína: Potência anestésica similar à da lidocaína.• Produz discreta ação vasodilatadora.• Sofre metabolização hepática,sendo eliminada pelos rins.
  14. 14. • Prilocaína : É metabolizada mais rapidamente que a lidocaína, no fígado e nos pulmões,sendo que a orto-toluidina, seu principal metabólico,pode induzir a formação de metemoglobina,e causar metomoglobinemia,no caso de sobredosagem.
  15. 15. • Articaína :Metabolizada no fígado e no plasma sanguíneo.• Excretada pelos rins.
  16. 16. • Bupivacaína : Potência 4 vezes maior que a lidocaína.• Metabolizada no fígado.• Anestésico local de longa duração de ação.
  17. 17. Analgésicos e Antinflamatórios• O uso de medicamentos para a prevenção e controle da dor inflamatória aguda,de origem dental, em idosos,normalmente necessita de doses menores de analgésicos por apresentar diminuição na percepção à dor.
  18. 18. Antibióticos• As penicilinas são os antibióticos de eleição em odontologia, cumprindo esse papel para os idosos.- Mais indicadas sãos: penicilina V, ampicilina ou amoxicilina.- Amoxicilina a mais indicada para profilaxia da endocardite bacteriana em pacientes de risco.
  19. 19. - Idoso saudável – uso normal- Idoso com alterações renais – adequação de dosagem e posologia após interação com o médico que trata da doença.- Infecções mais graves associar o metronidazol após análise da relação riscobeneficio.• Pacientes alérgicos a penicilinas:- Optar por eritromicina – infecções bacterianas em fase inicial.- Azitromicina ou Clindamicina – para infecções mais evoluídasRespeitar as mesmasdosagens, posologia, precauções e contra -indicações relativas ao emprego em adultos.

×