Plano diretor da ap cínthia (1)

474 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
474
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
21
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plano diretor da ap cínthia (1)

  1. 1. Plano Diretor da Atenção Primária à Saúde
  2. 2. A Situação de Saúde em Minas GeraisA Situação de Saúde em Minas Gerais • População em processo de envelhecimento: -em 2006: 9% de pessoas idosas; -em 2025: aproximadamente 15%. • Dupla carga de doenças: -15% de doenças infecciosas; -10% de causas externas; -9% de condições maternas ou perinatais; -66% por doenças crônicas.
  3. 3. Prioridades do Programa de Governo de MinasPrioridades do Programa de Governo de Minas Gerais – período 2007/2010:Gerais – período 2007/2010: Implantar as redes de atenção: 1. Viva Vida 2. Urgências e Emergências 3. Hiperdia 4. Mais Vida • Centro de comunicação: atenção primária • Organizador das redes: Saúde em Casa
  4. 4. Atenção básicaAtenção básica Características: • Ações de saúde ,no âmbito individual e coletivo • Abrange a promoção e proteção da saúde • Prevenção de agravos • Diagnóstico ,tratamento e reabilitação • Práticas gerenciais e sanitárias democráticas e participativas
  5. 5. • Responsabilidade sanitária da equipe • Elevada complexidade • Baixa densidade • Resolução dos problemas de saúde • Contato preferencial
  6. 6. AB orienta- se pelos princípios:AB orienta- se pelos princípios: • Universalidade • Acessibilidade • Coordenação do cuidado, vínculo e continuidade • Integralidade • Responsabilização • Humanização • Equidade • Participação social
  7. 7. Áreas Estratégicas da Atenção BásicaÁreas Estratégicas da Atenção Básica • Eliminação da hanseníase • Controle da tuberculose • Controle da hipertensão arterial • Controle do diabetes mellitus • Eliminação da desnutrição infantil • Saúde da criança • Saúde da mulher • Saúde do idoso • Saúde bucal • Promoção da saúde
  8. 8. APS
  9. 9. Viva VidaViva Vida • Programa de Redução da Mortalidade Infantil e Materna • Sistematização e ampliação de atividades • Metas até 2006 • Implementação de acordo com o princípio da equidade
  10. 10. Atividades PrioritáriasAtividades Prioritárias • Saúde da mulher: -Atenção ao planejamento familiar -Atenção ao pré- natal, parto e puerpério • Saúde da criança: -Atenção à criança de 0 a 1 ano de idade -Incentivo ao aleitamento materno -acompanhamento do CD
  11. 11. -Triagem neonatal -Vacinação -Controle de doenças prevalentes na infância
  12. 12. Estratégias do Viva VidaEstratégias do Viva Vida • Fortalecimento da Rede de Atenção à Saúde da Mulher e do RN • Criação e implementação dos CPMIM • Construção de um processo de mobilização social
  13. 13. HiperDiaHiperDia Objetivo: reduzir fatores de risco e morbimortalidade pela Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus e suas complicações.
  14. 14. Prioridades do HiperDiaPrioridades do HiperDia 1. Promoção de hábitos saudáveis de vida 2. Prevenção e diagnóstico precoce 3. Atenção de qualidade para portadores 4. Implantação de pontos de atenção secundária em microrregiões 5. Suporte em assistência farmacêutica 6. Atenção de automonitorização 7. Tratamento diferenciado p/ portadores de Diabetes tipo 1 e gestacional
  15. 15. Situação da atenção primária àSituação da atenção primária à saúde em Minas Gerais:saúde em Minas Gerais: Programa Saúde da Família: • 3.470 equipes • 82,0 % de cobertura Diagnóstico da situação (problemas): 1. Visão em que a atenção básica é menos complexa.
  16. 16. Atenção terciária alta complexidade Atenção secundária média complexidade Atenção primária baixa complexidade
  17. 17. 2. Sistema fragmentado, falta de comunicação; 3. Privilegiamento das condições agudas em relação às condições crônicas; 4. Inexistência de diretrizes clínicas com base em evidências; 5. Precária infra-estrutura física das unidades básicas de saúde;
  18. 18. 6. Fragilidade do sistema de educação permanente; 7. Problemas nas relações de trabalho e no empregos dos profissionais.
  19. 19. Média complexidadeMédia complexidade • Demanda disponibilidade de profissionais especializados e o uso de recursos tecnológicos de apoio diagnóstico e terapêutico • Os grupos que compõem os procedimentos de média complexidade do Sistema de Informações Ambulatoriais são os seguintes:
  20. 20. 1) procedimentos especializados realizados por profissionais médicos, outros de nível superior e nível médio; 2) cirurgias ambulatoriais especializadas; 3) procedimentos traumato-ortopédicos; 4) ações especializadas em odontologia;
  21. 21. 5) patologia clínica; 6) anatomopatologia e citopatologia; 7) radiodiagnóstico; 8) exames ultra-sonográficos; 9) diagnose; 10) fisioterapia; 11) terapias especializadas; 12) próteses e órteses; 13) anestesia
  22. 22. Alta ComplexidadeAlta Complexidade • Conjunto de procedimentos que, no contexto do SUS, envolve alta tecnologia e alto custo, objetivando propiciar à população acesso a serviços qualificados. As principais áreas que compõem a alta complexidade do SUS, e que estão organizadas em "redes", são:
  23. 23. 1- assistência ao paciente portador de doença renal crônica; 2- assistência ao paciente oncológico; 3- cirurgia cardiovascular; 4- cirurgia vascular; 5- cirurgia cardiovascular pediátrica;
  24. 24. 6- procedimentos para a avaliação e tratamento dos transtornos respiratórios do sono; 7- assistência aos pacientes portadores de queimaduras; 8- assistência aos pacientes portadores de obesidade (cirurgia bariátrica); 9- cirurgia reprodutiva; 10- genética clínica; Etc.
  25. 25. O Plano Diretor da Atenção Primária àO Plano Diretor da Atenção Primária à Saúde em Minas Gerais:Saúde em Minas Gerais: • Resposta ao diagnóstico da situação; • Atuação do estado em conjunto com o MS e as SMS. • Problemas complexos----------soluções complexas; • O PDAP é a estratégia de implantação do projeto estruturante Saúde em Casa.
  26. 26. Os Projetos Estruturadores do Governo doOs Projetos Estruturadores do Governo do Estado de Minas Gerais:Estado de Minas Gerais: • Gestão 2002- 2006: Elaboração do Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI); • Visão de futuro: “Tornar Minas Gerais o melhor Estado para se viver”. • Elaboração de 31 Projetos Estruturadores; • Premissas: 1. Transformar a visão de futuro em resultados concretos; 2. Efeito multiplicador;
  27. 27. 3.Mobilizar e articular recursos públicos, privados; 4.Produzir a percepção da sociedade; 5.Organizar –se como um projeto com gerenciamento intensivo.
  28. 28. Recursos previstos para realização dos 31 projetos estruturadores : R$ 13,8 bilhões.
  29. 29. Projeto Estruturador Secretaria Responsável 01 100% eletrificação rural em MG Desenvolvimento econômico 02 AGROMINAS Agricultura, pecuária e abastecimento 03 Arranjos produtivos locais Desenvolvimento econômico 04 Centro Administrativo Planejamento e Gestão 05 Choque de Gestão Planejamento e Gestão 06 Corredor cultural Cultura 07 Corredores Radiais de Integração e Desenvolvimento Transporte e Obras Públicas 08 Empresa Mineira Competitiva Desenvolvimento econômico 09 Energia Elétrica para o Noroeste Mineiro Desenvolvimento Econômico
  30. 30. 10 Estrada Real Turismo 11 Gestão ambiental Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável 12 Inclusão de famílias vulnerabilizadas Desenvolvimento Social e Esportes 13 Inclusão digital Ciência e Tecnologia 14 Lares Gerais Desenvolvimento Regional e Política Urbana 15 Melhoria do ensino fundamental Educação 16 Melhoria do ensino médio Educação 17 Minas sem fome Desenvolvimento Social e Esportes 18 Modernização da receita Fazenda 19 Oferta de gás natural Desenvolvimento Econômico
  31. 31. 20 Pavimentação de ligações e acessos Transporte e Obras Públicas 21 Plataforma logística de Comércio Exterior Desenvolvimento Econômico 22 Potencialização de Logística do Triângulo Transporte e Obras Públicas 23 Projeto Jaíba Desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha, Mucuri e Norte 24 Promoção do Trabalho-Prog. 1º emp. Desenvolvimento Social e Esportes 25 Redução da Criminalidade Violenta em MG Defesa Social 26 Reestruturação da Plataforma Logística e de Transportes Transporte e Obras Públicas 27 Regionalização da Assistência à Saúde Saúde
  32. 32. 28 Revitalização e Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do São Francisco Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável 29 Saneamento Básico: Mais Saúde para Todos Desenvolvimento Regional e Política Urbana 30 Saúde em Casa Saúde 31 Unidade de Parceria Público- Privadas- MG Desenvolvimento Econômico
  33. 33. Projeto Estruturador “Regionalização daProjeto Estruturador “Regionalização da Assistência à Saúde”Assistência à Saúde” Objetivo: “Adequar a oferta de serviços à demanda de saúde da população, por região assistencial, possibilitando o atendimento ao cidadão o mais próximo de seu município de residência.”
  34. 34. Organização espacial dos municípios incluídos no território do Estado de MG em: • 13 macrorregiões • 75 microrregiões
  35. 35. Projeto Estruturador “Saúde em Casa”Projeto Estruturador “Saúde em Casa” Objetivo: • melhorar a qualidade da atenção à saúde; • Reforçar a reorganização da Atenção Primária pela estratégia Saúde da Família.
  36. 36. Aprofundamento do PSF: • Dimensão quantitativa; • Dimensão qualitativa: projeto Saúde em Casa.
  37. 37. OO Saúde em casaSaúde em casa está sendo implementadoestá sendo implementado por intermédio de seis estratégias:por intermédio de seis estratégias: 1. Estratégia organizacional:coordenação das redes de Atenção à Saúde, na qual a Atenção Primária exerce o papel de centro de comunicação; 2. Estratégia econômica: co- financiamento da atenção primária pelo Estado; 3. Estratégia redistributiva:realizar ações no campo da saúde segundo o princípio da equidade;
  38. 38. 4. Estratégia gerencial: monitoramento e avaliação da Atenção Primária; 5.Estratégia clínica: desenvolvimento de linhas- guia e protocolos clínicos; 6.Estratégia educacional: • Melhoria da atenção primária à saúde • Curso básico em Saúde da Família • Sistema Microrregional de Educação Permanente.
  39. 39. Plano Diretor da Atenção Primária à SaúdePlano Diretor da Atenção Primária à Saúde Objetivo síntese:Reduzir as internações por condições sensíveis à atenção ambulatorial para 28 % em 2010 e para um valor entre 16 % a 21 % em 2023.
  40. 40. Plano Diretor da Atenção Primária à SaúdePlano Diretor da Atenção Primária à Saúde • Será desenvolvido em todas as microrregiões sanitárias de Minas Gerais; • Metodologia de implantação: oficinas educacionais; • Formação de agentes multiplicadores; • Terminará na realização das oficinas em cada UBS do Estado.
  41. 41. Intervenções do PDAP:Intervenções do PDAP: • Normalização da atenção primária à saúde; • Diagnóstico local (territorialização, cadastramento das famílias); • Organização dos processos de trabalho(ciclos de vida, grau de risco) • Organização da vigilância em saúde: vigilância sanitária, epidemiológica e ambiental;
  42. 42. • Implantação dos sistemas logísticos (cartão SUS, prontuário eletrônico, central de regulação); • Implantação do sistema de apoio diagnóstico e terapêutico; • Implantação do sistema de assistência farmacêutica; • Implantação do programa de qualidade da atenção primária;
  43. 43. • Incentivo financeiro para custeio das equipes de saúde da família de acordo com os índices de necessidades dos municípios; • Investimentos em infra-estrutura física e em equipamentos; • Fortalecimento do controle social pelos Conselhos Locais de Saúde; • Implantação da gestão da clínica (implantação das linhas-guia); • Avaliação do PDAPS
  44. 44. Política Nacional de Atenção BásicaPolítica Nacional de Atenção Básica Ato Portaria nº. 648/GM de 28 de março de 2006. 1. Equipe multiprofissional responsável por, no máximo, 4000 mil habitantes, sendo a média recomendada de 3000 habitantes. 2. Máximo de 750 pessoas por ACS 3. Máximo de 12 ACS por ESF 4. Manter atualizado o cadastro das famílias 5. Definição precisa do território de atuação, mapeamento e reconhecimento da área adstrita
  45. 45. 6- Prática do cuidado familiar ampliado 7-Trabalho interdisciplinar e em equipe 8-Promoção e desenvolvimento de ações intersetoriais 9-Promoção e estímulo à participação da comunidade 10-Desenvolvimento de ações focalizadas sobre os grupos de risco
  46. 46. 11-Realização de primeiro atendimento às urgências médicas e odontológicas 12-Ser um espaço de construção de cidadania 13- Garantia dos fluxos de referência e contra- referência
  47. 47. A operacionalização do Plano Diretor daA operacionalização do Plano Diretor da Atenção Primária à saúde:Atenção Primária à saúde: 1ª etapa: • Realização de dez oficinas sobre os seguintes temas: 1. Redes de Atenção à Saúde; 2. Análise da APS; 3. Diagnóstico local e municipal; 4. Assistência farmacêutica; 5. A Programação local e municipal;
  48. 48. 6. Acolhimento e Classificação de Risco; 7. Prontuário da família; 8. Abordagem familiar; 9. Monitoramento; 10. Contrato de gestão.
  49. 49. Objetivo geral:Objetivo geral: • Reorganização do sistema municipal de saúde; • Consolidar o sistema integrado de serviços de saúde; • Fortalecimento da atenção primária em saúde.
  50. 50. Estratégias de implantação do PDAPS:Estratégias de implantação do PDAPS: • Parceria com Universidades: Escola de Saúde Pública de Minas Gerais em cooperação com Universidades regionais: UNIMONTES, UFJF, UFU.
  51. 51. Papel das Gerências Regionais de SaúdePapel das Gerências Regionais de Saúde • Se responsabilizará juntamente com a Universidade Regional, pela implantação do PD/APS.

×