• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Letras cifras musicais
 

Letras cifras musicais

on

  • 4,391 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,391
Views on SlideShare
4,391
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
159
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Letras cifras musicais Letras cifras musicais Document Transcript

    • LIVRO DE LETRAS E CIFRASMÚSICAIS
    • ELABORAÇÃO E CRIAÇÃO:JULIO CESAR PERCICOTTY NASCIMENTOSELEÇÃO DE MUSICA:VARIOS ESTILOS MUSICAISBIBLIOGRAFIA:MÚSICAS OBTIDAS NA INTERNET E OBTIDAS DE OUVIDO
    • AgoniaMongolIntr.: C G/B Gm/Bb A7 Dm Bb G7G7 C C/ESe fosse resolver iria te dizerEb° DmFoi minha agonia G7 G#°Se eu tentasse entender, por mais que eu me esforçasseG7 CEu não conseguiriaDm G7 C GmE aqui no coração eu sei que vou morrerC7 F7MUm pouco a cada diaF#° C C/E Eb° DmE sem que se perceba a gente se encontraG7 CPrá uma outra folia C (D) C/E (D/F#)Eu vou pensar que é festa, vou dançar, cantarEb° (F°) Dm (Em)É minha garantia G7 (A7) G#° (A#°) G7 (A7) C (D)E vou contagiar diversos corações com minha euforiaDm (Em) G7 (A7) C (D) Gm (Am)E a amargura e o tempo vão deixar meu corpo C7 (D7) F7M (G7M)Minha alma vaziaF#° (G#°) C (D) C/E (D/F#) Eb° (F°) Dm (Em)E sem que se perceba a gente se encontraG7 (A7) C (D)Prá uma outra folia1ª vez: INTRODUÇÃO2ª vez: E F#
    • Ainda é CedoRenato Russo - Renato RochaColaboração Adriano BolzonIntr.: (Dm C Am) Dm CUma menina me ensinou AmQuase tudo que eu sei DmEra quase escravidão C AmMas ela me tratava como um rei Dm CEla fazia muitos planos AmEu só queria estar ali DmSempre ao lado dela C AmEu não tinha onde ir Dm CMas, egoísta que eu sou, AmMe esqueci de ajudar Dm CA ela como ela me ajudou AmE não quis me separar DmEla também estava perdida C AmE por isso se agarrava a mim também AmE eu me agarrava a ela C AmPorque eu não tinha mais ninguém Dm C AmE eu dizia: Ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo
    • Dm CSei que ela terminou AmO que eu não comecei Dm CE o que ela descobriu AmEu aprendi também, eu sei DmEla me falou: - Você tem medo C AmAí eu disse: - Quem tem medo é você DmFalamos o que não devia C AmNunca ser dito por ninguém Dmela me disse: - Eu não sei AmMais o que eu sinto por você Dm C AmVamos dar um tempo, um dia a gente se vê Dm C AmE eu dizia: Ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo
    • Alegria, AlegriaCaetano VelosoIntr.: D G B7 E A B7 ECaminhando contra o vento, sem lenço, sem documento A D B7No sol de quase dezembro, eu vouE A B7 EO sol se reparte em crimes, espaçonaves, guerrilhas A D B7 EEm Cardinales bonitas, eu vou A B7 E A B7 A EEm caras de presidentes, em grandes beijos de amor A B7 A E A B7 A C#m7Em dentes, pernas, bandeiras, bomba e Brigite Bardot F#m C#m7 F# C#m7O sol nas bancas de revista me enche de alegria e preguiça B7Quem lê tanta notíciaD A D E7 AEu vou por entre fotos e nomes os olhos cheios de cores D GO peito cheio de amores vãosB7 E A EEu vou, por que não? Por que não? A B7 EEla pensa em casamento, e eu nunca mais fui à escola A D B7Sem lenço, sem documento, eu vouE A B7 EEu tomo uma coca-cola, ela pensa em casamento A D E7E uma canção me consola, eu vouE A B7 A E A B7 A EPor entre fotos e nomes, sem livros e sem fuzil
    • A B7 A E A B7 A C#m7Sem fone e sem telefone no coração do Brasil F# C#m7 F# C#m7Ela nem sabe, até pensei em cantar na televisão B7O sol é tão bonitoD A D E7 AEu vou sem lenço, sem documento, nada no bolso ou nas mãos D G B7Eu quero seguir vivendo, amor E A EEu vou, por que não? Por que não? E A EPor que não? Por que não? Por que não?
    • Alvorada VorazColaboração José Luís Santos Fortes Dm CNa virada do século, alvorada voraz, Dm C Dm CNos aguardam exércitos, que nos guardam da paz. Que paz! Dm AmA face do mal, um grito de horror, um fato normal, um êxtase de dor eDm AmMedo de tudo, medo do nada, medo da vida, assim engatilhadaAm Bb Am BbFardas e forças, forjam as armaçõesAm Bb AmFarsas e jogos, armas de fogo, um corte exposto, Bb CEm seu rosto amor, e eu, Dm CNesse mundo assim, vendo esse filme passar, Dm C Dm CAssistindo ao fim, vendo esse filme passarApolípticamente, como um clip de ação,Um clic seco um revólver, aponta em meu coraçãoO caso Morel, o crime da mala, Coroa-Brastel, o escândalo das jóias,E o contrabando, um bando de gente importante envolvidaJuram que não torturam ninguém, agem assim, pro seu próprio bem,São tão legais, foras da lei, e sabem de tudo,O que eu não sei, não
    • AndançaDanilo Caymmi - Edmundo Souto - P. TapajósIntr.: ( A7M F7M )A7M F7M Bb7M Bm5-/7 E7Vim, tanta areia andei, da lua cheia eu sei, uma saudade imensaA7M F7M Bb7MVagando em verso, eu vim vestido de cetim, Bm5-/7 E7 A B/A Bb/ANa mão direita ro ... sas vou levarA B/AOlho a lua mansa a se derramar, ao luar descansa meu caminhar Bm7 ESeu olhar em festa se fez feliz lembrando a seresta que um dia eu fiz APor onde for quero ser seu parJá me fiz a guerra por não saber que esta terra encerra meu bemquererE jamais termina meu caminhar só o amor ensina onde vou chegarPor onde for quero ser seu parRodei de roda, andei, dança da moda eu seiCansei de ser sozinhoVerso encantado usei, meu namorado é reiNas lendas do caminho onde andeiNo passo da estrada só faço andar, tenho a minha amada a meacompanharVim de longe, léguas, cantando eu vim,Vou não faço tréguas sou mesmo assimPor onde for quero ser seu parJá me fiz a guerra ...
    • AnjoRenato Correa - Dalto - Claudio RabeloIntr.: D Bm Em A7 D Bm Em A7D D7M GSe você vê estrelas demaisEm A7 F# B7Lembre que um sonho não volta atrás E7 G A7Chega perto e diz: AnjoD D7M GSe você sente o corpo colarEm A7 F# B7Solte o seu medo bem devagar E7 G A7Chega perto e diz: Anjo E7 G A7Bem mais perto e diz: AnjoBm Bm7+ Bm7 E7Se uma coisa louca sai do seu olharG D/F# G D/F#Fique em silêncio, deixa o amor entrarG D/F# E7Prá que tanta pressa de chegar Em C7 B7Se eu sei o jeito e o lugar Em A7 DSe eu sei o jeito e o lugarREPETEA7 D Bm EmAnjoAnjo
    • AquarelaToquinho - Vinícius de MoraesIntr.: (G Bm7 C C/D)G Bm7 C C/DNuma folha qualquer eu desenho um sol amareloE com cinco ou seis retas é fácil fazer um casteloGiro o lápis em torno da mão e eu me dou uma luvaE se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuvaEm Em/D C FSe um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papelG Bm7 C C/DNum instante imagino uma linda gaivota a voar no céuG D/F# C/E D7Vai voando, contornando a imensa curva, norte e sulVou com ela viajando no Havaí, Pequim ou IstambulG B7 Em A7 C/D D7Pinto um barco à vela, branco, navegando, é tanto céu e mar numbeijo azulEntre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grenáTudo em volta colorindo com suas luzes a piscarBasta imaginar e ele está partindo, sereno e lindoE se a gente quiser ele vai voltarNuma folha qualquer eu desenho um navio de partidaCom alguns bons amigos bebendo de bem com a vidaDe uma América a outra eu consigo passar num segundoGiro um simples compasso e num círculo eu faço um mundoUm menino caminha e caminhando chega no muroE ali logo em frente a esperar pela gente o futuro estáE o futuro é uma astronave que tentamos pilotarNão tem tempo, nem piedade, nem tem hora de voltarSem pedir licença muda a nossa vidaE depois convida a rir ou chorarNesta estrada não nos cabe conhecer ou ver o que viráE o fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai darVamos todos numa linda passarela de uma aquarelaQue um dia, enfim, descolorirá
    • Aquarela BrasileiraAm Dm Am E7 AmVejam essa maravilha de cenário, é um episódio relicário Dm E7 Am Bm E7 AmQue um artista num sonho genial, escolheu para este carnaval G C E7 Am E7E o asfalto como passarela será a tela do Brasil em forma de aquarela Am Dm Am E7 AmPasseando pelas cercanias do Amazonas conheci vastos seringais G C B7 ENo Pará, Ilha de Marajó, e a velha cabana do Timbó A7 D Bm B7 ECaminhando ainda um pouco mais deparei com lindos coqueirais Dm E Dm Am Bm E7 AmEstava no Ceará, terra de Irapuã, de Iracema e TupãE7 Am A7 DmFiquei radiante de alegria quando cheguei na Bahia G7 C B7 E7Bahia de Castro Alves, do acarajé, das noites de magia do candomblé Dm E7 Am B7Depois de atravessar as matas do Ipu assisti em Pernambuco E7 AmA festa do frevo e do Maracatu A Bm E7 A C#m Bm F#7Brasília tem o seu destaque na arte, na beleza e arquitetura Bm E E5+/7 AFeitiço de garoa pela serra, São Paulo engrandece a nossa terra A7 Em A7 DDo leste por todo o centro-oeste tudo é belo e tem lindo matiz Bm E7 AE o Rio de sambas e batucadas, dos malandros e mulatas dosrequebros febris F#7 BmBrasil, estas nossas verdes matas, cachoeiras e cascatas de coloridosutil
    • D Dm C#m F#7 Dm E7 Am (Am Bm E7Am )E este lindo céu azul de anil emolduram aquarela, o meu BrasilAquarela do BrasilAry BarrosoColaboração Jordan BandeiraTom: C C6Brasil! C°Meu Brasil brsaileiro Bb7 A7Vou cantar-te nos meus versos Dm7 G7Brasil, samba que dá Dm7 G7Bamboleio, que faz gingá Dm7 G7Ó Brasil, do meu amor Dm7 G7 C7M Am7Terra de Nosso Senhor Dm G7 C7MBrasil! Brasil! Dm7 G7 C7MPra mim... Pra mim...C7M Dm G7 Dm G7Ó abre a cortina do passadoDm G7 Dm G7 Dm G7 Dm G7Tira a mãe preta do cerrado Dm G7 Dm G7 C7MBota o rei congo no congado Dm G7 Dm G7Brasil! C7M C9 B9 Bb9Brasil!
    • A9 Bb7 A7Deixa... cantar de novo o trovador Bb7 A7A merencória luz da lua DmToda canção do meu amorDm7 Fm7 Em7 Dm7Quero ver "essa dona" caminhando C7M Am7 D7Pelos salões arrastando Dm G7 C7MO seu vestido rendado Dm7 G7Brasil! CM7 Am7Brasil! Dm7 G7Pra mim.... C7MPra mim.... C6Brasil! C°Terra boa e gostosa C6Da morena sestrosa Bb7 A7De olhar indiscretoDm7 G7O Brasil, samba que háDm7 G7Bamboleio, que faz gingáDm7 G7O Brasil do meu amorDm7 G7 C7M Am7Terra de Nosso Senhor Dm7 G7Brasil! C7M
    • Brasil! Dm G7 C7MPra mim... Pra mim...C7M Dm G7 Dm G7 DmO esse coqueiro que dá côco G7 Dm G7 Dm G7 Dm G7 DmOi, onde amarro a minha rede G7 Dm G7 C7MNas noites claras de luar Dm G7 Dm G7Brasil! C7M C9 B9 Bb9Brasil!A9 Bb7 A7Oi estas fontes murmurantes Bb7 A7Oi onde eu mato a minha sede DmE onde a lua vem brincar Fm7 Em7 Dm7O, esse Brasil lindo e trigueiro C7M Am7 D7É o meu Brasil brasileiroDm G7 C7MTerra de samba e pandeiro Dm7 G7Brasil! C7M Am7Brasil! Dm G7 C7MPra mim... pra mim... pra mim...
    • Asa BrancaLuiz Gonzaga C C7 FQuando olhei a terra ardendo C G7 CQual fogueira de São João C7 FEu perguntei a Deus do céu, ai G7 CPor que tamanha judiaçãoQue braseiro, que fornalhaNem um pé de plantaçãoPor falta dágua perdi meu gadoMorreu de sede meu alazãoAté mesmo o asa brancaBateu asas do sertãoEntão eu disse adeus RosinhaGuarda contigo meu coraçãoQuando o verde dos teus olhosSe espalhar na plantaçãoEu te asseguro não chores não, viuQue eu voltarei, viu, pro meu sertão
    • Asa MorenaZé CaradípiaColaboração Jordan BandeiraTom: CIntrodução: C F/C C Bb/C Eb G4 1 2Batida: v^v^ v^v^CMe faz pequena, asa morenaC7+ G#me alivia a dor,F G#° Amaliviando a dor que mataF G4 C F C Fme faz ser teu amorGMe toma no crescerG#° Amde um beijo muito louco,D/F# Gme implodindo aos poucos G#° AMno universo a desvendar D/F# G Am Bb° G/Ba vastidão do teu amor.GMe toma sem pensarG#° Amnum gesto muito forteD/F# G G#°unindo o sul e norte do meu corpo,
    • Amfrágil corpo com a maisD/F# G Am Bb° G/B REFRÃOpura emoção.GMe toma no crescerG#° Amde um beijo muito louco,D/F# Gme implodindo aos poucos G#° Amno universo a desvendar D/F# Ga imensidão do teu amorAm Bb° G/B REFRÃO CAssaltaram a GramáticaHebert ViannaIntr.: C#m E BE C#m EAssaltaram a gramática C#m AAssassinaram a lógica F#m G#m F#mMeteram poesia, na bagunça do dia-a-diaESeqüestraram a fonéticaViolentaram a métrica G#m F#m EMeteram poesia onde devia e não deviaC#m G#mLá vem o poeta com sua coroa de louroG# AAgrião, pimentão, boldo
    • F#m G#m C#mO poeta é a pimenta do planetaMalaguetaO Astronauta de MármoreD. Bowie - Versão: Nenhum de NósIntr.: G DEm DA lua inteira agora é um manto negro AO fim das vozes no meu rádio A7 D F GSão quatro ciclos no escuro deserto do céuEm DQuero um machado prá quebrar o gelo AQuero acordar do sonho agora mesmo A7 F#Quero uma chance de tentar viver sem dorE D BmSempre estar lá, e ver ele voltar F#m A7Não era mais o mesmo, mas estava em seu lugar D BmSempre estar lá, e ver ele voltar F#m A A7O tolo teme a noite como a noite vai temer o fogoG D B7Vou chorar sem medo, vou lembrar do tempoEm A7 G D A DDe onde eu via o mundo azul
    • A trajetória escapa o risco nuAs nuvens queimam o céu, nariz azulDesculpe estranho, eu voltei mais puro do céuA lua o lado escuro é sempre igualNo espaço a solidão é tão normalDesculpe estranho, eu voltei mais puro do céuBailes da VidaM. Nascimento - F. BrantIntr.: D D4 DD D7MFoi nos bailes da vida, ou num bar em troca de pãoAm7 CQue muita gente boa pôs o pé na profissãoC7M Em7De tocar um instrumento e de cantarA4/7 A7 DNão importando se quem pagou quis ouvir, foi assimD D7MCantar era buscar o caminho que vai dar no solD6 Am7Tenho comigo as lembranças do que eu eraC Em7Para cantar nada era longe, tudo tão bomA4/7 A7 D D D4 DTé a estrada de terra na boléia de caminhão, era simD D7MCom a roupa encharcada e a alma repleta de chãoAm7 CTodo artista tem de ir aonde o povo estáEm7 A4/7 A7Se foi assim, assim seráEm7 A4/7 A7 D D4 DCantando me disfarço e não me canso de viver nem de cantar
    • FINAL: F F7M F6 Cm7 Eb7M Gm C4/7 C7 D D7M D6 Am7 C7M Em7 A4/7 A7Balada do LoucoArnaldo Batista - Rita LeeEb° C° G/B G Eb° C° G/B GDizem que sou louco por pensar assimSe eu sou muito louco por eu ser felizEm Em/D C#m7/5- CMas louco é quem me diz G C/D GE não é feliz, não é felizSe eles são bonitos, sou Alain DelonSe eles são famosos, sou NapoleãoMas louco é quem me dizE não é feliz, não é felizG7 CEu juro que é melhorG7 CNão ser o normalG7 A7 D7 C G/B Am GSe eu posso pensar que Deus sou euSe eles têm três carros, eu posso voarSe eles rezam muito, eu já estou no arMas louco é quem me dizE não é feliz, não é felizREFRÃO
    • Sim sou muito louco, não vou me curarJá não sou o único que encontrou a pazMas louco é quem me dizE não é feliz, eu sou felizBandolinsOswaldo MontenegroIntr.: Gm Gm/F Em5-/7 Cm/Eb C G/B E7Am Am/G F#m7/5-Como fosse um par que nessa valsa triste Dm/F AmSe desenvolvesse ao som dos bandolins Am/G DmE como não, e por que não dizer G CQue o mundo respirava mais se ela apertava assim C7M Em Bm E7 FSeu colo e como se não fosse um tempo Dm E7 AmEm que já fosse impróprio se dançar assim Am/G F#m7/5-Ela teimou e enfrentou o mundo Dm/F Am Am/G F#m7/5- Dm/FSe rodopiando ao som dos bandolinsAm Am/G F#m7/5-Como fosse um lar, seu corpo a valsa triste iluminava Dm/F AmE a noite caminhava assim Am/G DmE como um par, o vento e a madrugada iluminavam G CA fada do meu botequim C7M Em Bm E7 F
    • Valsando como valsa uma criança Dm E7 AmQue entra na roda a noite tá no fim Am/G F#m7/5-Ela valsando só na madrugada Dm/F Am Am/G F#m7/5- Dm/F (D)Se julgando amada ao som dos bandolinsBanquete dos SignosZé RamalhoIntr.: ( Dm C )DmDiscutir o cangaço com liberdadeC Am DmÉ saber da viola, da violênciaDescobrir nos cabelos inocênciaC Am DmÉ saber da fatal fertilidadeF E7 Am Am/GDescobrir a serena da naturezaF G C E7Descobrir a beleza dessa mulherD A Bm Bm/ADescobrir o que dá bonitezaG F#7 B7 A7 Dm ( Dm C )Na peleja do homem que vier, quando vierDmDescobrir o bagaço dos engenhosC Am DmNo melaço da cana mais um beijoDescobrir os desejos que não tem curaC Am DmSaracura do brejo na novena
    • O Bêbado e a EquilibristaJoão Bosco - Aldir Blanc A A7M A7M/6Caía a tarde feito um viaduto Em/C# F#7 Bm7E um bêbado trajando luto me lembrou Carlitos Bm Bm7M Bm7A lua tal qual a dona do bordel E7 Bm7 E7 A7M F#7/5+ Bm7Pedia a cada estrela fria um brilho de a...lu...guelE7 A Bm7 C#m7 D7M A7M/6E nuvens lá no mata-borrão do céu Em/G F#7 Em/C# F#7 Bm7 Dm7 G7/6Chupavam manchas torturadas, que sufoco louco C#m7 F#m7 B7/6 B7/6-O bêbado com chapéu coco fazia irreverências mil Bm7 Em7/9 A7M E7Prá noite do Bra...sil, meu Brasil A A7M A7M/6Que sonha com a volta do irmão do Henfil Em/C# F7M Bm7MCom tanta gente que partiu num rabo de fogueteBm7 Bm7M Bm7Chora a nossa pátria mãe gentil E7 Bm7 E7 A7M F#7/5+ Bm7 E7Choram marias e clarisses no solo do Brasil A Bm7 C#m7 D7M A7M/6 Em/G F#7Mas sei que uma dor assim pungente não há de ser inutilmenteEm/C# F#7 Bm7 Dm7 G7/6 C#m7A espe...rança dança na corda bamba de sombrinha
    • F#m7 B7/6 B7/6- Bm7 Em7/9 C#° E°E em cada passo dessa linha pode se ma...chu...carDm7 G7/6 C#m7Azar, a esperança equilibristaF#m7 B7/6 B7/6- Bm7 E7 A7MSabe que o show de todo artista tem que conti...nu...arO BecoHerbert Vianna - Bi Ribeiro - Joao BaroneColaboração Claudio T. Cardozo(Bm A)No beco escuro explode a violênciaEu tava preparadoDescobri mil maneiras de dizer o teu nomeCom amor, ódio, urgênciaOu como se não fosse nadaNo beco escuro explode a violênciaEu tava acordadoRuinas de igrejas, seitas sem nomePaixão, insônia, crença, liberdade vigiadaNo beco escuro explode a violênciaNo meio da madrugadaCom amor, com ódio, urgênciaOu como se não fosse nadaMas nada perturba o meu sono pesadoNada levanta aquele corpo jogadoNada atrapalha aquele bar ali na esquinaAquela fila de cinemaNada mais me deixa chocadoNadaBem SimplesRicardo FeghaliIntr.: E D E DG Em Bm7 C7M Bm7Tudo bem simples, tudo natural
    • C7M G Am7Um amor moreno, fruto tropicalG Em Bm7 C7M Bm7Todas as cores que eu puder te dar C7M G Dm7 G7Toda a fantasia que eu puder sonharCm7 Bb7M Gm/EEu pensei te dizer essas coisas A7 D7M Am7 D7Mas prá quê, se eu tenho a música, músicaG Em Bm7Bom é bem simples C7M Bm7Sem nos complicar C7M D7 E D E DE bastante tempo prá te amarBoemiaAdelino MoreiraIntr.: Am Am DmBoemia, aqui me tens de regresso E7 Am E7E suplicante lhe peço a minha nova inscrição Am GVoltei prá rever os amigos que um dia F E E7Eu deixei a chorar de alegria, me acompanha o meu violão Am DmBoemia, sabendo que andei distante E7 A7Sei que esta gente falante vai agora ironizar Dm AmEle voltou, o boêmio voltou novamente E7 Am E7Partiu daqui tão contente, por que razão quer voltar? Am G
    • Acontece que a mulher que floriu meu caminho F E E7Com ternura, meiguice e carinho, sendo a vida do meu coraçãoCompreendeu e abraçou me dizendo a sorrirMeu amor você pode partir, não esqueça o teu violãoVá rever os teus rios, teus montes, cascatasVá cantar em novas serenatas e abraçar teus amigos leaisA7 Dm AmVá embora, pois me resta o consolo e alegria E7 AmEm saber que depois da boemia é de mim que você gosta maisCanção da AméricaM. Nascimento - F. BrantIntr.: D D D D, D D9 D D C C C, Cm Cm Cm Cm G G G, C C D D D G DC/E D7 G Em7 D/F#Amigo é coisa prá se guardar debaixo de sete chavesC/E D7 G Am7 D D/C D/A D/F# G Am7 GDentro do coração, assim falava a canção que na América ouvi Em7 A7 C/E D D4 DMas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir D D/C D/A C/E D7 G C/E D D4 DMas quem ficou no pensamento voou com seu canto que o outrolembrou D D/C D/A C/E D7 G C/E D7E quem voou no pensamento ficou com a lembrança que o outrocantouC/E D7 G Em7 D/F#Amigo é coisa prá se guardar no lado esquerdo do peitoAm7 D7 C G/B Am7Mesmo que o tempo e a distância digam nãoD D/C D/A D/F# G Am7 GMesmo esquecendo a canção Em7 A7 C/E D D4 D
    • E o que importa é ouvir a voz que vem do coração C/E D7 C/E D7Pois seja o que vier, venha o que vierG C/E D/F# C/E GQualquer dia, amigo, eu volto a te encontrarEm7 A7 C/E DQualquer dia, amigo, a gente vai se encontrarCanteirosFagner - Cecília MeirelesIntr.: D GD A Bm Bm/A G DQuando penso em você fecho os olhos de saudade A G F# A/B A7Tenho tido muita coisa, menos a felicidadeD A Bm Bm/A G DCorrem os meus dedos longos em versos tristes que invento A F# A/BNem aquilo a que me entrego já me traz contentamento D7 G C7 FPode ser até manhã, cedo claro feito dia Gm A DmMas nada do que me dizem me faz sentir alegria D7 Gm C7 FEu só queria ter no mato um gosto de framboesa Gm A DmPrá correr entre os canteiros e esconder minha tristeza(Dm Dm/C Dm/B Dm/Bb)Que eu ainda sou bem moço prá tanta tristezaE deixemos de coisa, cuidemos da vida,Pois se não chega a morte ou coisa parecidaE nos arrasta moço, sem ter visto a vida
    • O Canto da CidadeTote Gira - Daniela MercuryIntr.: D C/D (D C/D)A cor dessa cidade sou eu, o canto dessa cidade é meu BIS DO gueto, a rua, a fé C GEu vou andando a pé D F#m C GPela cidade bonita D F#mO toque do afoxé C GE a força de onde vem D F#mNinguém explica C GEla é bonita Bm EmÔ ô, verdadeiro amor Bm EmÔ ô, você vai onde eu vou BIS D F#mNão diga que não me quer C GNão diga que não quer mais D F#mEu sou o silêncio da noite C GO sol da manhã
    • D F#mMil voltas o mundo tem C GMas tem um ponto final D F#mEu sou o primeiro que canta C GEu sou o carnavalCarinhosoPixinguinha C E7 AmMeu coraçãoG7 C E7 AmNão sei por queB7 Em C7 A#°Bate felizB7 Em B7 EmQuando te vêE7 Am D7 GE os meus olhos ficam sorrindoC7 F A7 Dm D7E pelas ruas vão te seguindo C E° Fm G7 C Fm CMas mesmo assim foges de mimB7 Em E7 AmAh, se tu soubesses como eu sou tão carinhoso B7 Em D7 G7E muito, muito que te queroC GE como é sincero o meu amor A7 D7 G7Eu sei que tu não fugirias mais de mimE7 Dm G7 C AmVem, vem, vem, vem B7Vem sentir o calor Dm G7Dos lábios meus C E7 Am E7
    • A procura dos teus Am E7 Am C7Vem matar esta paixão F DmQue me devora o coração Fm C E° G7 C D#° Fm G7 CE só assim então serei feliz, bem felizCasaLulu SantosIntr.: C Bb/C A/C Bb/C Bb9 F/A F G4/7Primeiro era vertigem como em qualquer paixão Bb/C A/C Bb/C CEra só fechar os olhos e deixar o corpo ir no ritmoDepois era um vício, uma intoxicaçãoMe corroendo as veias, me arrasando pelo chão F/A G/B C4 G/BMas sempre tinha a cama pronta e rango no fogãoF/A G/B C4 G/B Bb FLuz acesa, me espera no portão prá você verDm7 G7 Bb FQue eu tô voltando prá casa, me vêDm7 G Bb/C A/C Bb/C CQue eu tô voltando prá casa outra vezÀs vezes é tormenta, fosse uma navegaçãoPode ser que o barco vire, também pode ser que nãoJá dei meia-volta ao mundo levitando de tesãoTanto gozo e sussurro já impresso no colchãoPois sempre tem...Primeiro era vertigem como em qualquer paixãoLogo mais era um vício me arrasando pelo chãoPode ser que o barco vire, também pode ser que nãoJá dei meia-volta ao mundo levitando de tesãoPois sempre tem...
    • G D C G Em7 A... casa, vê que eu tô voltando prá casaC Bb F Dm7 G Ab Bb/C A/C Bb/C C Vê que eu tô voltando prá casa outra vezA Casa do Sol NascenteIntr.: Am C D F Am E Am Am C D F Am C E7A casa dos meus sonhos é feita de ilusão Am C D F Am E AmE vive sempre cheia de amor, amor e solidãoNa casa dos meus sonhos virá para aquecerMinha alma sempre a te esperar num lindo amanhecerEu sei que este sol vai um dia aparecerNa luz que existe em teu lindo olhar para minha alma iluminarCasa no CampoZé Rodrix - TavitoAEu quero uma casa no campoA7M F#7Onde eu possa compor muitos rocks ruraisG Am7 Bm7E tenha somente a certezaC7M F A G/ADos amigos do peito e nada maisEu quero uma casa no campoOnde eu possa ficar do tamanho da pazE tenha somente a certeza DDos limites do corpo de nada maisBm F#7
    • Eu quero carneiros e cabras pastando solenes no meu jardimBm D E7Eu quero o silêncio das línguas cansadasA A7 D D#°Eu quero a esperança de óculos e um filho de cuca legalA F#m G D E7Eu quero plantar e colher com a mão a pimenta e o salEu quero uma casa no campoDo tamanho ideal, pau-a-pique e sapêBm D BOnde eu possa plantar meus amigos E7 AMeus discos e livros, e nada maisCasinha BrancaGilson - Joran - MarceloIntr.: (E F#m G#m A E G#m C#m B7) E F#m G#mEu tenho andado tão sozinho ultimamente A EQue nem vejo em minha frenteF#m B7Nada que me dê prazerE F#m G#mSinto cada vez mais longe a felicidade A EVendo em minha mocidadeF#m B7Tanto sonho perecerA B/A G#mEu queria ter na vida simplesmente C#m F#m B7 EUm lugar de mato verde prá plantar e prá colherA B/A G#mTer uma casinha branca de varanda C#m C B7 E B7Um quintal e uma janela para ver o sol nascer
    • E F#m G#mÀs vezes saio a caminhar pela cidade A EÀ procura de amizadesF#m B7Vou seguindo a multidãoE F#m G#mMas eu me retraio olhando em cada rosto A ECada um tem seu mistérioF#m B7Seu sofrer, sua ilusãoChão de GizZé RamalhoColaboração Ernane Henrique de OliveiraIntr.: G D/F# Em C D D4 D G D/F# EmEu desço dessa solidão, disparo coisas sobre um chão de gizC D G EmHá meros devaneios tolos a me torturarC D G EmFotografias recortadas de jornais de folhas amiúdeAm Bm Am DEu vou te jogar num pano de guardar confetesAm Bm Am D D4Eu vou te jogar num pano de guardar confetesDisparo balas de canhão, é inútil pois existe um grão vizirHá tantas violetas velhas sem um colibriQueria usar quem sabe uma camisa de força ou de vênusMas não vão gozar de nós apenas um cigarroNem vou lhe beijar gastando assim o meu batomIntroduçãoAgora pego um caminhão, na lona vou a nocaute outra vezPra sempre fui acorrentado no seu calcanharMeus vinte anos de "boy, thats over, baby" , Froid explicaNão vou me sujar fumando apenas um cigarroNem vou lhe beijar gastando assim o meu batom
    • Quanto ao pano dos confetes já passou meu carnavalE isso explica porque o sexo é assunto popularAm Bmno mais estou indo embora 7x Am D D4 DNo mais...Intro.Final: G G Am Bm C C Bm Am GChega de SaudadeVinícius de Moraes - Tom JobimDm7 B° Bbm6 Dm7Vai minha tristeza e diz a ela que sem ela não pode ser E7 Am7 Bb6 A7 A5+/7Diz-lhe numa prece que ela regresse, porque eu não posso maissofrerDm7 B° Bbm6 Am6 D7/9-Chega de saudade, a realidade é que sem ela não há paz Gm7 A7 Dm7 B°Não há beleza, é só tristeza e a melancolia que não sai de mim Bbm6 Dm7 Em7 A7/6Não sai de mim, não saiD7M E9 G/A A7 D7MMas se ela voltar, se ela voltar, que coisa linda, que coisa louca F° Em7Pois há menos peixinhos a nadar no mar E9 Gm/Bb A7Do que os beijinhos que eu darei na sua bocaD7M E9 F#7 Bm7 Bbm7 Am7Dentro dos meus braços os abraços hão de ser milhões de abraçosD9 G7M Gm7 F#m7Apertado assim, calado assim, colado assim F° E9 A7/6 F#7Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim B5+/7 E9 A7/6 D7M/9Que é prá acabar com esse negócio de você viver sem mim
    • B5+/7 E9 A7/6 D7M/9Não quero mais esse negócio de você longe de mim B5+/7 E9 A7/6 D7M/9 D6/9Vamos deixar desse negócio de você viver sem mimCio da TerraM. Nascimento - Chico BuarqueAm GDebulhar o trigo C F C F C C FRecolher cada bago do trigoF C F C F C G7MForjar no trigo o milagre do pão e se fartar de pãoDecepar a canaRecolher a garapa da canaRoubar da cana a doçura do mel, se lambuzar de melAfagar a terraConhecer os desejos da terraCio da terra a propícia estação, e fecundar o chãoCodinome Beija-FlorArias - Cazuza - EzequielIntr.: A7M F#m7 D9 E4/7A A7M A A7MPrá que mentir, fingir que perdoou D7M E/D D7MTentar ficar amigos sem rancor E7 D7M E/DA emoção acabou, que coincidência é o amor Bm7 C#m7 D7M D/E F7MA nossa música nunca mais tocouA A7M A A7MPrá que usar de tanta educação D7M E/D F#m7
    • Prá destilar terceiras intenções D7M E/D D7M E/DDesperdiçando o meu mel devagarinho, flor em florBm7 C#m7 D7M D/E F/GEntre os meus inimigos, Beija-florC7M Bm7 E7 Am Em9/7 A7MEu protegi teu nome por amor em um codinome Beija-florC7M E4/7 F7M G A7MNão responda nunca meu amor, nunca, prá qualquer um na rua, Beija-florF7M G F7M GQue só eu que podia dentro da tua orelha friaF7M G A7MDizer segredos de liqüidificadorF7M G F7M GVocê sonhava acordada, um jeito de não sentir dorF7M G A7MPrendia o choro e aguava o bom do amorF7M G7M A7MPrendia o choro e aguava o bom do amorComo Eu QueroColaboração José Luís Santos FortesC GDiz pra eu ficar muda, faz cara de mistério,Am FTira essa bermuda que eu quero você sérioC GDramas do sucesso, mundo particular,Am FSolos de guitarra não vão me conquistarAm Em FUh, eu quero você, como eu quero (x2)
    • O que você precisa é de um retoque total,Vou transformar o seu rascunho em arte finalAgora não tem jeito, "cê" tá numa cilada,Cada um por si, você por mim mais nadaREFRÃODm F C GLonge do meu domínio, você vai de mal a piorDm F CVem que eu te ensino, como ser bem melhor (x2)REFRÃOComo Nossos PaisBelchiorBm7 E7Não quero lhe falar meu grande amor das coisas que aprendi nosdiscosA7 DQuero lhe contar como vivi e tudo que aconteceu comigo Bm7 E7Viver é melhor que sonhar, eu sei que o amor é uma coisa boaA7 DMas também sei que qualquer canto é menor do que a vida dequalquer pessoa A7 GPor isso cuidado meu bem, há perigo na esquinaA7 D A4/7 A7Eles venceram e o sinal está fechado prá nós que somos jovensD D7 GPara abraçar seu irmão e beijar sua menina na ruaA7 DÉ que se fez o seu braço, o seu lábio e a sua voz G C7 DVocê me pergunta pela minha paixão B7 Em A7 DDigo que estou encantada com uma nova invenção F#m G C7 DEu vou ficar nesta cidade, não vou voltar pro sertão B7 Em A7 D
    • Pois vejo vir vindo no vento o cheiro da nova estação F#m G E/G# A4/7 A7Eu sei de tudo na ferida viva do meu coração D F#m G D F#m DJá faz tempo que eu vi você na rua, cabelo ao vento, gente jovemreunida D F#m G E/G# A4/7 A7Na parede da memória essa lembrança é o quadro que dói mais D G D GMinha dor é perceber que apesar de termos feito tudo que fizemos D F#m G E/G# A4/7 A7Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais D F#m G D F#m GNossos ídolos ainda são os mesmos e as aparências não enganamnão D F#m G E/G# A7Você diz que depois deles não apareceu mais ninguém D G D GVocê pode até dizer que eu tô por fora, ou então que eu tô inventando D F#m G E/G# AMas é você que ama o passado e que não vê D F#m GÉ você que ama o passado e que não vê E/G# A7Que o novo sempre vem D G D F#m GHoje eu sei que quem me deu a idéia de uma nova consciência ejuventude D F#m G E/G# A4/7 A7Tá em casa guardado por Deus contando vil metal D G D GMinha dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo quefizemos D F#m G E/G# A7
    • Ainda somos os mesmos e vivemos D F#m G E/G# A4/7 A7Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos paisComo Uma OndaLulu SantosColaboração Fabio BarreiroIntr.: (Ab Ab G Gb E)AbNada do que foi será Cm AbDe novo do jeito que já foi um dia Ab/C B° Bbm7 Eb7Tudo passa, tudo sempre passará Bbm7 Eb7 Bbm7 A7/5A vida vem em ondas como o marB7/9 B7/5+ Db/Eb D/E E/F#Num indo e vindo infinitoAbTudo que se vê não é Cm AbIgual ao que a gente viu a um segundo Ab/C B° Db Dm/F FaugTudo muda o tempo todo no mundoE/D Não adianta fingir Ab Gb7 F7 Bbm7 Cm7 Dbm7Nem mentir, pra si mesmo agora Cm7Há tanta vida lá fora Gb7 F7 Bbm7E aqui dentro sempreE Gb Ab Como uma onda no marE Gb Ab Como uma onda no mar
    • E Gb Ab Como uma onda no marDisparadaGeraldo Vandré - Théo D G D GPrepare o seu coração prás coisas que eu vou contar C Bm C Am D GEu venho lá do sertão, eu venho lá do sertão B7 Em C Am D GEu venho lá do sertão e posso não lhe agradar D G D GAprendi a dizer não, ver a morte sem chorar C Bm C Am D GE a morte, o destino, tudo, a morte e o destino, tudo B7 Em C Am D GEstava fora do lugar, eu vivo prá consertar G7 C A7 DNa boiada já fui boi, mas um dia me montei B7 Em C D GNão por um motivo meu, ou de quem comigo houvesse B7 Em B7 CQue qualquer querer tivesse, porém por necessidade Am D G C Am D G
    • Do dono de uma boiada cujo vaqueiro morreu D G D GBoiadeiro muito tempo, laço firme e braço forte C Bm C Am D GMuito gado, muita gente, pela vida segurei B7 Em C Am D GSeguia como num sonho, e boiadeiro era um rei D G D GMas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo C Bm C Am D GE nos sonhos que fui sonhando, as visões se clareando B7 Em C Am D GAs visões se clareando, até que um dia acordei D G D GEntão não pude seguir valente em lugar tenente C Bm C Am D GE dono de gado e gente, porque gado a gente marca B7 Em C Am D GTange, ferra, engorda e mata, mas com gente é diferente D G D GSe você não concordar não posso me desculpar C Bm C Am D GNão canto prá enganar, vou pegar minha viola B7 Em C Am D GVou deixar você de lado, vou cantar noutro lugar G7 C A DNa boiada já fui boi, boiadeiro já fui rei B7 Em C Am D GNão por mim nem por ninguém, que junto comigo houvesse B7 C B7 CQue quisesse ou que pudesse, por qualquer coisa de seu B7 C Am D GPor qualquer coisa de seu querer ir mais longe do que eu D G D GMas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo C Bm C G
    • E já que um dia montei agora sou cavaleiro B7 Em C Am D GLaço firme e braço forte num reino que não tem rei(G7 C D G)DonaSá - GuarabiraIntr.: G D/F# C D/F# G(G D/F# C D/F#)DonaDesses traiçoeiros sonhosSempre verdadeirosDona desses animaisDona dos seus ideaisG D/F# C D/F# GPelas ruas onde andas onde mandas todos nós D/F# C Em AmSomos sempre mensageiros esperando tua voz Em Am Em AmTeus desejos, uma ordem, nada é nunca, nunca é não C Am D7 GPorque tens essa certeza dentro do meu coraçãoTã, tã, tã, batem na porta, não precisa ver quem éPrá sentir a impaciência do teu pulso de mulherUm olhar me atira à cama, um beijo me faz amarNão levanto nem me escondo porque sei que és minha dona
    • REFRÃONão há pedra em teu caminho, não há ondas no teu marNão há vento ou tempestade que te impeçam de voarEntre a cobra e o passarinho, entre a pomba e o gaviãoO teu ódio ou teu carinho nos carregam pela mãoÉs a moça da cantiga, a mulher da criaçãoUmas vezes nossa amiga, outras, nossa perdiçãoO poder que nos levanta, a força que nos faz cairQual de nós ainda não sabe que isto tudo te faz donaEduardo e MônicaRenato RussoIntr.: G C F GG C F GQuem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração C FE quem irá dizer que não existe razão D GEduardo abriu os olhos mas não quis se levantar C GFicou deitado e viu que horas eram D G C DEnquanto Mônica tomava um conhaque noutro canto da cidade comoeles disseram G CEduardo e Mônica um dia se encontraram sem querer F GE conversaram muito mesmo prá tentar se conhecer CFoi um carinha do cursinho do Eduardo que disse F G
    • - Tem uma festa legal, a gente quer se divertir CFesta estranha com gente esquisita F G- Eu não tô legal, não agüento mais birita D GE a Mônica riu e quis saber um pouco mais C GSobre o boyzinho que tentava impressionar D GE o Eduardo meio tonto só pensava em ir prá casa C D- É quase duas, eu vou me ferrar G C FEduardo e Mônica trocaram telefone, depois telefonaram GE decidiram se encontrar CO Eduardo sugeriu uma lanchonete F GMas a Mônica queria ver o filme do Godard D GSe encontraram, então, no parque da cidade C GA Mônica de moto e o Eduardo de camelo D GO Eduardo achou estranho e melhor não comentar C DMas a menina tinha tinta no cabelo G CEduardo e Mônica eram nada parecidos F GEla era de leão e ele tinha dezesseis CEla fazia medicina e falava alemão F GE ele ainda nas aulinhas de inglês CEla gostava do Bandeira e do Bauhaus
    • F GDe Van Gogh e dos Mutantes, de Caetano e de Rimbaud C F GE o Eduardo gostava de novela e jogava futebol de botão com seu avô C F GEla falava coisas sobre o planalto central, também magia e meditação C F GE o Eduardo ainda estava no esquema escola-cinema-clube-televisão D G C GE mesmo com tudo diferente veio mesmo de repente uma vontade dese ver D C G C DE os dois se encontravam todo dia e a vontade crescia como tinha queser G C F GEduardo e Mônica fizeram natação, fotografia, teatro e artesanato eforam viajar C F GA Mônica explicava pro Eduardo coisas sobre o céu, a terra, a água eo ar C F GEle aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer e decidiu trabalhar C F GE ela se formou no mesmo mês que ele passou no vestibular C F GE os dois comemoraram juntos e também brigaram juntos muitasvezes depois CE todo mundo diz que ele completa ela F GE vice-versa, que nem feijão com arroz D GConstruíram uma casa uns 2 anos atrás C GMais ou menos quando os gêmeos vieram D G C DBatalharam grana, seguraram legal a barra mais pesada que tiveram G CEduardo e Mônica voltaram prá Brasília
    • F GE a nossa amizade dá saudade no verão CSó que nessas férias não vão viajar F G C F GPorque o filhinho do Eduardo tá de recuperação G C F GE quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelocoração C F (G F G)E quem irá dizer que não existe razãoEternas OndasZé RamalhoColaboração Remy NarcisoTom: C#mC#m D#m7/5- G# C#m Quanto tempo temos antes de voltarem aquelas ondasF#m B7 G# C#mQue vieram como gotas de silêncio tão furioso;E G#Derrubando homens entre outros animais,D#m7/5- G# C#mDevastando a sede desses matagais (bis);F#m G#Derrubando árvores, pensamentos seguindo C#m F#m B7 G# C#mA linha do que foi escrito pelo mesmo lado tão furioso,E G# D#m7/5-
    • E se teu amigo vento não te procurar G# C#mÉ porque multidões ele foi arrastar (bis).EvaIntr.: Em Em/D C Bm A C DMeu amor, olha só hoje o sol não apareceu C G9É o fim da aventura humana na Terra C DMeu planeta adeus, fugiremos nós dois na arca de Noé C GOlha meu amor, o final da odisséia terrestre D7Sou Adão e você será... G D/F# EmMinha pequena Eva, o nosso amor na última astronave Em/D C Bm AAlém do infinito eu vou voar D4 DSozinho com vocêE voando bem altoMe abraça pelo espaço de um instanteMe envolve com seu corpo e me dá a força prá viver Em Em/DPelo espaço de um instante C Bm A CAfinal, não há nada mais que o céu azul prá gente voarSobre o Rio, Beirute ou MadagascarToda Terra reduzida a nada, nada maisMinha vida é um flash de controles, botões anti-atômicosOlha bem meu amor, é o fim da odisséia terrestreSou Adão e você será...
    • Flores AstraisJoão Ricardo - Gerson ConradIntr.: C G/B Bb FC G/BUm grito de estrelas vem do infinitoBb FE um bando de luz repete o gritoC G/BTodas as cores e outras maisBb F CProcriam flores astraisG FC F C F CO verme passeia na lua cheiaG C Bb F CO verme passeia na lua cheiaFolias de ReiChico Anísio - Arnaud RodriguesC G C C7Ai, andar andeiF G C C7 FAi, como eu andei e aprendi a nova lei F CAlegria em nome da rainha E7 Am (G7)E folia em nome de rei BISAi, mar marujeiAi, eu naveguei e aprendi a nova leiSe é de terra que fique na areiaO mar é bravo só respeita o rei
    • Ai, voar voeiAi, como eu voei e aprendi a nova leiAlegria em nome das estrelasE folia em nome de reiAi, eu partireiAi, eu voltarei, vou confirmar a nova leiAlegria em nome de CristoPorque Cristo foi o rei dos reisFrissonTunai - Sérgio NaturezaIntr.: G/B A#° D7M/A G#m7/5- G F#m7 E9 G/AD D7M G F#m7Meu coração pulou, você chegou, me deixou assim Bm7 Bm6Com os pés fora do chão G#m7/5- Gm7 DPensei: que bom, parece, enfim acordei D7 G F#m7Prá renovar meu ser faltava mesmo chegar você Bm7 Bm6 G#m7/5- Gm7Assim, sem me avisar, prá acelerar um coração G/B A#° D7M/A G#m7/5-Que já bate pouco de tanto procurar por outroG7M A#° Bm7 Bm/AAnda cansado, mas quando você está do ladoG F#m7 Em7 A4/7 A7 DFica louco de satisfação, soli..dão nunca mais D7M G F#m7Você caiu do céu, um anjo lindo que apareceu Bm7 Bm6 G#m7/5- Gm7 G/BCom olhos de cristal me enfeitiçou, eu nunca vi nada igual A#° D7M/A G#m7/5-De repente você surgiu na minha frenteG A#° Bm7 Bm/ALuz cintilante, estrela em forma de gente
    • G F#m7 Em7 A4/7 A7 DInvasora do planeta amor, você me conquistou C#7 C#m7/5- A#° A7Me olha, me toca, me faz sentirD C#7 C#m7/5- A#° A7Que é hora agora da gente irGarota de IpanemaVinícius de Moraes - Tom JobimF7M G7/6Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça G7/5+ Gm7É ela a menina que vem e que passa C7/9- F7M Dm7/9+ Gm7 C7/9+Num doce balanço, caminho do marF7M G7/6Moça do corpo dourado, do sol de Ipanema G7/5+ Gm7O seu balançado é mais que um poema C7/9- F7MÉ a coisa mais linda que eu já vi passarF#7M B7/9Ah, por que estou tão sozinho?A7M D7/9Ah, por que tudo é tão triste?Bb7M Eb7/9Ah, a beleza que existe Am7 D7/9-A beleza que não é só minhaGm7 C7/9-Que também passa sozinhaF7M G7/6Ah, se ela soubesse que quando ela passa G7/5+ Gm7O mundo sorrindo se enche de graça
    • C7/9- F7M F#7ME fica mais lindo por causa do amor F7MPor causa do amorGente HumildeVinícius - Chico - Garoto F7M Ab° Gm7Tem certos dias em que eu penso em minha gente C7 F7ME sinto assim todo meu peito se apertar Am7 Ab° Gm7Porque parece que acontece de repente C7 F7M C9-Como um desejo de eu viver sem me notar F7M Ab° Gm7Igual a como quando eu passo no subúrbio C7 Cm7 F7Eu muito bem, vindo de trem de algum lugar Bb7M Eb9 Am7 D9-E aí me dá como uma inveja dessa gente G7 C7 F7M C9-Que vai em frente sem nem ter com quem contarSão casas simples, com cadeiras na calçadaE na fachada escrito em cima que é um larPela varanda flores tristes e baldiasComo a alegria que não tem onde encostarE aí me dá uma tristeza no meu peito Cm7 F7Feito um despeito de eu não ter como lutar Bm5-/7 Bbm Am7 D9-E eu que não creio, peço a Deus por minha gente G7 C9- F7MÉ gente humilde, que vontade de chorar
    • GitãRaul Seixas - Paulo Coelho E F#m B7 EÀs vezes você me pergunta por que é que eu sou tão calado G#7 C#m F#7 B7Não falo de amor quase nada, nem vivo sorrindo ao seu lado (C B)Você pensa em mim toda hora, me come, me cospe e me deixaTalvez você não entenda, mas hoje eu vou lhe mostrar (A E)Eu sou a luz das estrelas, eu sou a cor do luar D EEu sou as coisas da vida, eu sou o medo de amar (A E)Eu sou o medo do fraco, a força da imaginação D A EO blefe do jogador, eu sou, eu fui, eu vouEu sou o seu sacrifício, a placa de contramãoO sangue no olhar do vampiro, e as juras de maldiçãoEu sou a vela que acende, eu sou a luz que se apagaEu a beira do abismo, eu sou o tudo e o nadaPor que você me pergunta, perguntas não vão lhe mostrarQue eu sou feito da terra, do fogo, da água e do arVocê me tem todo dia, mas não sabe se é bom ou ruimMas saiba que eu estou em você, mas você não está em mimDas telhas eu sou o telhado, a pesca do pescadorA letra "A" tem meu nome, dos sonhos eu sou o amorEu sou a dona de casa dos pegue-pagues do mundoEu sou a mão do carrasco, sou raso, largo, profundoEu sou a mosca na sopa, o dente do tubarãoEu sou os olhos do cego e a cegueira da visãoÉ, mas eu sou o amargo da língua, a mãe, o pai e o avôO filho que ainda não veio, o início, o fim e o meio
    • Gostava Tanto de VocêTim MaiaA7M Bm7 C#m7Não sei porque você se foi, quanta saudade eu senti Bm7 A7ME de tristezas vou viver, e aquele adeus não pude darVocê marcou em minha vida, viveu, morreu na minha história A7M Bm7Chego a ter medo do futuro, e da solidão que em minha porta bate A7M Bm7 C#m7 Bm7 A7ME eu gostava tanto de você, gostava tanto de vocêEu corro, fujo dessa sombraEm sonho vejo este passadoE na parede do meu quartoAinda está o seu retratoNão quero ver prá não lembrarPensei até em me mudarLugar qualquer que não existaO pensamento em vocêIncompatibilidadeOswaldo Montenegro DE bate louco, bate criminosamente G DO coração mais do que a mente, bate o pé mais do que o corpopoderia DE se você mentalizasse na folia G DSabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor A G DE caso fosse a incompatibilidade entre o corpo e consciência A DIria desaparecer, você não vê A GComo o corpo preparado pode ser iluminado D A D
    • Como a luz de uma fogueira que precisa se manter DE atingido pela plena consciência G DDe que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer DPelos poros elimina-se o que o povo não precisa G DE não precisa prá pensar, abdicar desse prazer A G DSe você dançar a noite inteira não significa dar bobeira A DDe manhã se alienar ou esquecer A G DÉ a busca do supremo equilíbrio, num processo inteligente A DSua mente clarear sem perceberÍndiosRenato RussoColaboração Adriano BolzonDm Quem me dera, ao menos uma vez, G Ter de volta todo ouro que entreguei Em A quem conseguiu me convencer Que era prova de amizade Am Se alguém levasse embora até o que eu não tinhaDmQuem me dera, ao menos uma vez, GEsquecer que acreditei que era por brincadeira
    • EmQue se cortava sempre um pano-de-chão AmDe linho nobre e pura seda.DmQuem me dera, ao menos uma vez, GExplicar o que ninguém consegue entender: EmQue o que aconteceu ainda está por virE o futuro não é mais como era antigamente.DmQuem me dera, ao menos uma vez, GProvar que quem tem mais do que precisa ter EmQuase sempre se convence que não tem o bastante AmE fala demais por não ter nada a dizer.DmQuem me dera, ao menos uma vez, GQue o mais simples fosse visto como o mais importante,EmMas nos deram espelhos AmE vimos um mundo doente.DmQuem me dera, ao menos uma vez, GEntender como um só Deus ao mesmo tempo é três EmE esse mesmo Deus foi morto por vocês - Amé só maldade então, deixar um Deus tão triste.
    • FEu quis o perigo e até sangrei sozinho. CEntenda - assim pude trazer você de volta pra mim, FQuando descobri que é sempre só você CQue me entende do inicio ao fim FE é só você que tem a cura para o meu viacutecioDe insistir nessa saudade que eu sinto CDe tudo que eu ainda não vi.DmQuem me dera, ao menos uma vez, GAcreditar por um instante em tudo que existe EmE acreditar que o mundo é perfeito AmE que todas as pessoas são felizes.DmQuem me dera, ao menos uma vez, GFazer com que o mundo saiba que seu nomeEmEstá em tudo e mesmo assim AmNinguém lhe diz ao menos obrigado.DmQuem me dera, ao menos uma vez,G EmComo a mais bela tribo, dos mais belos iacutendios, AmNão ser atacado por ser inocente.
    • FEu quis o perigo e até sangrei sozinho. CEntenda - assim pude trazer você de volta pra mim, FQuando descobri que é sempre só você CQue me entende do iniacutecio ao fim FE é só você que tem a cura para o meu viacutecioDe insistir nessa saudade que eu sinto CDe tudo que eu ainda não vi.FNos deram espelhos e vimos um mundo doente -CTentei chorar e não consegui.IntuiçãoOswaldo Montenegro - Ulysses MachadoC F G CCanta uma canção bonita falando da vida em ré maiorBb F C GCanta uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhorC E Am Eb°Canta uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé nochãoG C GCanta uma canção daquela, pula da janela, bate o pé no chãoC E Am Eb°Sem o compromisso estreito de falar perfeito, coerente ou nãoG C G CSem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão
    • C F G CCanta o que não silencia, é onde principia a intuição Bb F C GE nasce uma canção rimada da voz arrancada o nosso coraçãoC E Am Eb°Como sem licença, o sol rompe a barra da noite sem pedir perdãoG C G CHoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chãoA D A DSem o compromisso estreito de falar perfeito, bate o pé no chãoSem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chãoE A B ECanta uma canção bonita falando da vida em ré maiorD A E BCanta uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhorE G# C#m G°Canta uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé nochão B E B A EE hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chãoIolandaChico Buarque - Pablo MilanesIntr.: ( G ) C/E D/F#G C/GEsta canção não é mais que mais que uma cançãoD/F# G C DQuem dera fosse uma declaração de amorG CRomântica, sem procurar a justa formaD GDo que me vem de forma assim tão caudalosaG C D G C/GTe amo, te amo, eternamente, te amo
    • G C/G D/F# G C/G DSe me faltares nem por isso eu morro, se é prá morrer quero morrercontigoG C D GMinha solidão se sente acompanhada, por isso às vezes sei quenecessitoTeu colo, teu colo, eternamente, teu coloG C/G D/F# G C/G DQuando te vi eu bem que estava certo de que me sentiria descobertoG C D GA minha pele vai despindo aos poucos, me abres o peito quando meacumulasDe amores, de amores, eternamente, de amoresG C/G D/F# G C/G DSe alguma vez me sinto derrotado eu abro mão do sol de cada diaG C D GRezando o credo que tu me ensinaste, olho teu rosto e digo à ventaniaG C D GIolanda, Iolanda, eternamente, IolandaC/G D G Eternamente, IolandaJardins da BabilôniaRita Lee - Lee MarcucciC FSuspenderam os jardins da Babilônia CE eu prá não ficar por baixo G F GResolvi botar as asas prá fora, porque C FQuem não chora dali, não mama daqui, diz o ditado C D G C
    • Quem pode, pode, deixa os acomodados que se incomodemAm FMinha saúde não é de ferro mãoAm DMas meus nervos são de aço C G/B Am Am/G D GPrá pedir silêncio eu berro, prá fazer barulho eu mesma faço, ou nãoMas pegar fogo nunca foi atração de circoMas de qualquer maneiraPode ser um caloroso espetáculo, entãoO palhaço ri dali, o povo chora daqui, e o show não páraE apesar dos pesares do mundoVou segurar esta barraLá Vem o NegãoZelão (José Carlos Pereira)Colaboração Claudio T. CardozoIntro: G Em Am D7 G Em AmLa vem o negão D7 GCheio de paixão Em Am D7Te catá, te catá, te catá G Em Am D7
    • Querendo ganhar todas menininhas G D7Nem corôa ele perdoa não G Em AmFungou no cangote D7 Gda linda morena Em Am D7Te catá, te catá, te catá G Em Am D7Loirinha com a fungada do negão G Em Am D7É um problema G Em Am D7Loirinha com a fungada do negão G Em Am D7É um problemaCSe ninguém soube lhe amar GPode se preparar chegou a salvaçãoC A7Só alegria, pode se arrumar D7Que chegou o negãoAm D76Mas se é compromissadaBm e7É melhor não vacilarA7Basta um sorriso no olharAm D7Para o negão te catarCVem negão, vem depressaGÉ o mulherio a gritar
    • CVem negão, a hora é essa A7 D7Vamos deitar e rolar Am D7Na praia, na rua, no supermercado Bm E7Na feira é a maior curtição A7As garotinhas já vem requebrandoAm D7Pra ficar com esse negãoLanterna dos AfogadosHerbert ViannaColaboração Claudio T. Cardozo(B C#/B Bbm Ebm)Quando tá escuro e ninguém te ouveQuando chega a noite e você pode chorarHá uma luz no túnel dos desesperadosHá um cais do porto pra quem precisa chegarEu tô na lanterna dos afogadosEu tô te esperando, vê se não vai demorar E5/9(B C#/B Bbm Ebm)Uma noite longa por uma vida curtaMas já não me importa basta poder te ajudarE são tantas marcas que já fazem parteDo que sou agora mas ainda sei me virarEu tô na lanterna dos afogadosEu tô te esperando vê se não vai demorar E5/9(B C#/B Bbm Ebm)Uma noite longa por uma vida curtaMas já não me importa, basta poder te ajudarEu tô na lanterna dos afogadosEu tô te esperando...O LeãozinhoCaetano Veloso
    • Intr.: C C7M(C C7M) GGosto muito de te ver, leãozinhoAm EmCaminhando sob o solF7M Bb (C C7M)Gosto muito de você, leãozinhoPara desentristecer, leãozinhoO meu coração tão sóBasta eu encontrar você no caminhoAm Ab C/G F#m5-/7Um filhote de leão, raio da manhãF7M Em Dm G7Arrastando o meu olhar como um imãAm Ab C/G F#m5-/7O meu coração é o sol, pai de toda corF7M Em Dm G7Quando ele lhe doura a pele ao léuGosto de te ver ao sol, leãozinhoDe te ver entrar no marTua pele, tua luz, tua jubaGosto de ficar ao sol, leãozinhoDe molhar minha jubaDe estar perto de você e entrar numaLua de São JorgeCaetano VelosoD B7 E7Lua de São Jorge, lua deslumbranteA7 D A7Azul verdejante, cauda de pavãoD B7 E7Lua de São Jorge cheia, branca, inteiraA7 Bm F#mÓ minha bandeira solta na amplidão
    • G Gm D B7 E7 A7 DLua de São Jorge, lua brasileira, lua do meu coraçãoA F#7 B7Lua de São Jorge, lua deslumbranteE7 A E7Azul verdejante, cauda de pavãoA F#7 B7Lua de São Jorge, cheia, branca, inteiraE7 F#m C#mÓ minha bandeira solta na amplidãoD Dm A F#7 B7 E7 A E7Lua de São Jorge, lua brasileira, lua do meu coraçãoLua de São Jorge, lua maravilhaMãe, irmã e filha de todo esplendorLua de São Jorge brilha nos altaresBrilha nos lugares onde estou e vouLua de São Jorge brilha sobre os mares, brilha sobre o meu amorLua de São Jorge, lua soberanaNobre porcelana sobre a seda azulLua de São Jorge, lua da alegriaNão se vê um dia claro como tuLua de São Jorge serás minha guia no Brasil de Norte a SulLua e FlorOswaldo MontenegroIntr.: D A/C# G/B C G D D5+ Bm Bm7 E7 G F#m7 Em7 A D A/C#Eu amava como amava um cantor G C G D D5+De qualquer clichê, de cabaré, de lua e flor Bm Bm7 A7Eu sonhava como a feia na vitrine D A7
    • Como carta que se assina em vão D A/C#Eu amava como amava um sonhador G C G D F#7Sem saber porque, e amava ter no coração Bm Bm7 A7A certeza ventilada de poesia D A7De que o dia amanhece não D Am7 D7Eu amava como amava um pescador G GmQue se encanta mais com a rede que com o mar D Bm Em7Eu amava como jamais poderia A7 G DSe soubesse como te encontrarREPETE A7 G/B C G DSe soubesse como te encontrarMaluco BelezaR. Seixas - C. Roberto - A. de Azevedo D A/C# Bm GEnquanto você se esforça prá ser um sujeito normalA D A7E fazer tudo igualD A/C# Bm GEu do meu lado aprendendo a ser louco, um maluco totalA D BmNa loucura real
    • (Em A7)Controlando a minha maluquez misturada com minha lucidez D F#7 G A7Eu vou ficar, ficar com certeza maluco belezaE esse caminho que eu mesmo escolhi é tão fácil seguirPor não ter onde irMaria, MariaM. Nascimento - F. Brant D D7M F GMaria, Maria é um dom, uma certa magia Eb/D DUma força que nos alertaBm G CUma mulher que merece viver e amar E Bb DComo outra qualquer do planetaMaria, Maria é o som, é a cor, é o suorÉ a dose mais forte e lentaDe uma gente que ri quando deve chorarE não vive, apenas agüentaD F G Eb/D DMas é preciso ter força, é preciso ter raçaÉ preciso ter gana sempreQuem traz no corpo a marcaMaria, Maria, mistura a dor e a alegriaMas é preciso ter manha, é preciso ter graçaÉ preciso ter sonho sempreQuem traz na pele esta marcaPossui a estranha mania de ter fé na vida
    • Dm7 Bm7 Gm Am Dm7 A5+/7 (2x)FINAL: D D7M G Eb/D D, Bm G C E Bb D (2x)MeninaPaulinho NogueiraIntr.: ( A D/A )A C#m7 D C#m7Menina, que um dia eu conheci criançaD C#m7 F#m D/E E7 AMe aparece, assim, de repente, linda, virou mulherA C#m7 D C#m7Menina, como pude te amar agoraD C#m7 F#m Bm7 E7 A7M DTe carreguei no colo, menina, cantei prá ti dormir C#m7 F#m Bm7 E7 ATe carreguei no colo, menina, cantei prá ti dormirC G7 C FLembro a menina feia, tão acanhada, de pé no chãoC Dm7 E7Hoje maliciosa, guarda um segredo em seu coraçãoMenina, que muitas vezes fiz chorarAchando graça quando ela dizia: quando crescer vou casar com vocêMenina, por que fui te encontrar agoraTe carreguei no colo, menina, cantei prá ti dormirTe carreguei no colo, menina, cantei prá ti dormirMenina VenenoRitchieIntr.: F G Am, F G EmF G Am F G EmMeia-noite no meu quarto ela vai subirF G Am F G AmOuço passos na escada, vejo a porta abrirO abajur cor de carne, o lençol azul
    • Cortinas de seda, o seu corpo nuBb F C GMenina veneno, o mundo é pequeno demais prá nós dois 1Dm Am GEm toda cama que eu durmo só dá você...Seus olhos verdes no espelho brilham para mimSeu corpo inteiro é um prazer do princípio ao fimSozinho no meu quarto eu acordo sem vocêFico falando prás paredes até anoitecerMenina veneno, você tem um jeito sereno de ser 2Toda noite no meu quarto vem me entorpecer...INTRODUÇÃOREPETE 1Meia-noite no meu quarto ela vai surgirEu ouço passos na escada, eu vejo a porta abrirVocê vem não sei de onde, eu sei, vem me amarEu não sei qual o seu nome mas nem preciso chamarREPETE 2F G Am F G AmMenina veneno, menina venenoMenino do RioCaetano VelosoColaboração José Luís Santos Fortes C7M Eb°Menino do Rio, calor que provoca arrepioDm G7 Dm G7Dragão tatuado no braço, calção corpo aberto no espaçoC C7 F FmCoração de eterno flerte, adoro ver-teC7M Eb°Menino vadio, tensão flutuante do rio
    • Dm G7 CEu canto para Deus proteger-teA7 Dm7 G7 C7MO Havaí, seja aqui, tudo o que sonharesA7 Dm7 Eb° EmTodos os lugares, as ondas dos mares AbPois quando eu te vejo eu desejo o teu desejoC7M Eb°Menino do Rio, calor que provoca arrepioDm G7 C7MToma esta canção como um beijoMeninos e MeninasRenato RussoColaboração Adriano BolzonTom: DIntr.: (D G A) D G A Quero me encontrar, mas não sei onde estou D G F Vem comigo procurar algum lugar mais calmo C D C D Em A Longe dessa confusão e dessa gente que não se respeita G D Bm C D Tenho quase certeza que eu não sou daqui AAcho que gosto de São Paulo C DGosto de São JoãoA C DGosto de São Francisco e São Sebastião Em G AE eu gosto de meninos e meninas D G AVai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre
    • D G FVai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente C D C DEstou cansado de bater e ninguém abrir Em A G DVocê me deixou sentindo tanto frioBm C DNão sei mais o que dizerA C DTe fiz comida, velei teu sonoA C DFui teu amigo, te levei comigo Em GAE me diz: pra mim o que é que ficou?D G AMe deixa ver como viver é bom D G FNão é a vida como está, e sim as coisas como são C D C DVocê não quis tentar me ajudar Em A G D Bm C DEntão, a culpa é de quem? A culpa é de quem? A C DEu canto em português errado A C DAcho que o imperfeito não participa do passado EmTroco as pessoas G ATroco os pronomes D G APreciso de oxigênio, preciso ter amigos D G FPreciso ter dinheiro, preciso de carinhoC D C D
    • Acho que te amava, agora acho que te odeio Em A G D Bm C DSão tudo pequenas coisas e tudo deve passar AAcho que gosto de São Paulo C DGosto de São JoãoA C DGosto de São Francisco e São Sebastião Em G A Int.E eu gosto de meninos e meninasMetamorfose AmbulanteRaul SeixasIntr.: ( G D A ) G D APrefiro ser essa metamorfose ambulanteEu prefiro ser essa metamorfose ambulanteG D A (G A G A G C A G A)Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo (2x)Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antesEu prefiro ser essa metamorfose ambulanteG D ADo que ter aquela velha opinião formada sobre tudo 1G Bb A FDo que ter aquela velha opinião formada sobre tudo C DSobre o que é o amor, sobre que eu nem sei quem sou CSe hoje eu sou estrela, amanhã já se apagou D CSe hoje eu te odeio, amanhã lhe tenho amor D C D CLhe tenho amor, lhe tenho horror, lhe faço amor, eu sou um ator
    • É chato chegar a um objetivo num instanteEu quero viver nessa metamorfose ambulanteREPETE 1Eu vou desdizer aquilo tudo que eu lhes disse antesEu prefiro ser essa metamorfose ambulanteDo que ter aquela velha opinião formada sobre tudo (3x)Meu Jeito de SerRaça NegraColaboração Vinícius do Valle FragaG BmEra só dizer para mimEm BmQue não sentia maisC GQue tudo se acabouA7 D7Como um vento forte que passouG BmEu te amei e hoje eu sofroEm BmMas eu sei o meu lugarC GMe perdoa coraçãoA7 D7Por tão fácil assim me entregarG BmVocê levou o meu amorC Cm GE de você nada restou Bm C CmEu posso te dizer que nesse mundo G BmO teu jeito de ser? Era você C D7Era te amar, não era sofrer 2 vezesEra só dizer pra mim
    • Minha VidaLulu Santos A7M F#mQuando eu era pequeno eu achava a vida chata E4/7 E7Como não devia ser Bm G6 Bm G6Os garotos da escola só a fim de jogar bola Bm E7 D D/EE eu queria ir tocar guitarra na TVAí veio a adolescência e pintou a diferençaFoi difícil de esquecerA garota mais bonita também era a mais ricaMe fazia de escravo do seu bel prazerQuando eu saí de casa minha mãe me disse:Baby, você vai se arrependerPois o mundo lá fora num segundo te devora DDito e feito, mas eu não dei o braço a torcerD E/D D7M E/DHoje eu vendo sonhos, ilusões de romance C#m F#7/9- Bm C#m Dm6E toco a minha vida por um troco qualquer A7M C#m F#7É o que chamam de destino, e eu não vou lutar por isso Bm C#m Dm6 A7MQue seja assim enquanto é... Bm C#m Dm6Que seja assim enquanto (2x) Bm C#m Dm6 A7MQue seja assim enquanto é
    • MoçaAm E7/G# G° D7/F#Moça, me espere amanhã, levo o meu coração pronto prá te entregarF° Bm5-/7 E7 Am Am/G B7/F# F7/5+ E7Moça, moça eu te prometo, eu me viro do avesso só prá teabraçarMoça, sei que já não és pura, teu passado é tão forte, pode atémachucar E7 A E7Moça, dobre as mangas do tempo, jogue teu pensamento todo emminhas mãos A C#7 F#mEu quero me embolar nos teus cabelos A7 D E7 A E7 ( Am )Abraçar teu corpo inteiro, morrer de amor, de amor me perderMuito EstranhoDalto - Claudio RabelloIntr.: G/D F/C E/B D# G Em C A7 D7 CG CHum! Mas se um dia eu chegar muito estranhoD7 G C/DDeixa essa água no corpo lembrar nosso banhoG G7 CHum! Mas se um dia eu chegar muito loucoD7 G G7Deixa essa noite saber que um dia foi pouco C G/B AmCuida bem de mim D7 A CEntão misture tudo dentro de nós D7 G C/DPorque ninguém vai dormir nosso sonhoG C G/B
    • Hum! Minha cara prá que tantos planos Am D7 G C/DSe quero te amar e te amar e te amar muitos anosG C G/BHum! Tantas vezes eu quis ficar soltoAm D7 G G7Como se fosse uma lua a brincar no teu rostoCuida bem de mimEntão misture tudo dentro de nósPorque ninguém vai dormir nosso sonhoNão Chores MaisGilberto Gil (versão)Intr.: G7 C G/B Am F C G C G7C G/B Am FNo woman, no cryC G C G7No woman, no cry BISC G/B Am F C G C G7
    • Bem que eu me lembro a gente sentado ali na grama do aterro sob osolObservando hipócritas disfarçados, rondando ao redorAmigos presos, amigos sumindo assim, prá nunca maisNas recordações, retratos do mal em si, melhor é deixar prá trásNão, não chore maisNão, não chore maisBem que eu me lembro a gente sentado ali na grama do aterro sob océuObservando estrelas junto à fogueirinha de papelQuentar o frio, requentar o pão e comer com vocêOs pés, de manhã, pisar o chão, eu sei a garra de viverC F CMas, se Deus quiserC G/B Am FTudo, tudo, tudo vai dar pé, tudo, tudo, tudo vai dar péTudo, tudo, tudo vai dar pé, tudo, tudo, tudo vai dar péTudo, tudo, tudo vai dar pé, tudo, tudo, tudo vai dar péNão, não chore maisNão, não chore maisA Noite do Meu BemDolores DuranAm DmHoje eu quero a rosa mais linda que houver E7 Am Dm E7E a primeira estrela que vier para enfeitar a noite do meu bem
    • Am DmHoje eu quero paz de criança dormindo E7 AmE o abandono de flores se abrindo Dm E7 A7Para enfeitar a noite do meu bemDm G7 CQuero a alegria de um barco voltando 1 A7 DmQuero ternura de mãos se encontrando G7 C E7Para enfeitar a noite do meu bemAm DmAh, eu quero o amor, o amor mais profundo E7 Am Dm E7 Am A7Eu quero toda beleza do mundo para enfeitar a noite do meu bemREPETE 1Am DmAh, como esse bem demorou a chegar E7 AmEu já nem sei se terei no olhar Dm E7 AmToda pureza que quero lhe darNuvem PassageiraIntr.: Am AM/G Am/F# F Am Am/G Am/F#Eu sou nuvem passageira Em Am Am/G Am/F#Que com o vento se vai F Am Am/G Am/F#
    • Eu sou como um cristal bonito G CQue se quebra quando cai F Em Am Am/GNão adianta escrever meu nome numa pedra F G CPois esta pedra em pó vai se transformar F Em Am Am/GVocê não vê que a vida corre contra o tempo F G Am Am/G Am/F#Sou um castelo de areia na beira do marREFRÃOA lua cheia convida para um longo beijoMas o relógio te cobra o dia de amanhãEstou sozinho, perdido e louco no meu leitoE a namorada analisada por sobre o divãREFRÃOPor isso agora o que eu quero é dançar na chuvaNão quero nem saber do que fazer, vou me matarEu vou deixar um dia a vida e a minha energiaSou um castelo de areia na beira do marREFRÃOOceanoDjavanIntr.: D9 D7M G7M G/AAssim que o dia amanheceu Bb° Bm Bm7M Bm7Lá no mar alto da paixão
    • Bm6 Am7 D7/9Dava prá ver o tempo ruirGm7 C7/9 F#m7Cadê você, que solidãoB7/9- E7/9 G/AEsquecerá de mim D7M G7M G/AEnfim, de tudo que há na terra Bb° Bm Bm7M Bm7Não há nada em lugar nenhum Bm6 Am7 D7/9Que vá crescer sem você chegarGm7 C7/9 F#m7Longe de ti tudo parouB7/9- E7/9 G/ANinguém sabe o que eu sofriDm C7/9 F7M Em7/5- A7/5+Amar é um deserto e seus temoresDm7 C7/9 F7MVida que vai na sela dessas dores Gm7 Am7 Bb7M Em7/9 A7/5+Não sabe voltar, me dá teu calorDm C7/9 F7M Em7/5- A7/5+Vem me fazer feliz porque eu te amoDm7 C7/9 F7MVocê deságua em mim e eu oceano Gm7 Am7 Bb7M Em7/5- A7/5+Esqueço que amar é quase uma dorD9 F7M G6/9 C D9 F7M G6/9 C D7MSó sei vi...ver se for por vo...cêOlhaRoberto Carlos - Erasmo CarlosIntr.: ( C7M F/C )C7M Bm7/5- E9-Olha você tem todas as coisasAm Gm7 C7Que um dia eu sonhei prá mim
    • F7M G7/F Em7 AmA cabeça cheia de problemasD4/7 D7 Dm7 G7Não me importo, eu gosto mesmo assimC7M Bm7/5- E9-Tem os olhos cheios de esperançaAm Gm7 C7De uma cor que mais ninguém possuiF7M G7/F Em7 AmMe traz meu passado e as lembrançasD4/7 D7 Dm7 G7Coisas que eu quis ser e não fuiDm7 E7 Am Am/GOlha você vive tão distanteDm7 G7 C7MMuito além do que eu posso terF#m7/5- F7/5- Em7E eu que sempre fui tão inconstante D4/7 D7 Dm7 G7Te juro, meu amor, agora é prá valerC7M Bm7/5- E9-Olha, vem comigo aonde eu forAm Gm7 C7Seja minha amante, meu amorF7M G7/F Em7 AmVem seguir comigo o meu caminhoD4/7 D7 Dm7 (G7)E viver a vida só de amorOutra VezRoberto Carlos - Erasmo CarlosIntr.: A Am7 E C#m F#m B7Você foi o maior dos meus casos de todos os abraços, o que eu nuncaesqueci A Am7 E E7M
    • Você foi, dos amores que eu tive, o mais complicado e o mais simplesprá mim Bm7 E7Você foi o melhor dos meus erros A Am7A mais estranha história que alguém já escreveuE F#m B7 B7/9E é por essas e outras que a minha saudade faz lembrar de tudo outravez E C#m F#m B7Você foi a mentira sincera, brincadeira mais séria que me aconteceu A Am7 E E7MVocê foi o caso mais antigo, o amor mais amigo que me apareceu Bm7 E7 A Am7Das lembranças que eu trago na vida você é a saudade que eu gostode ter E F#7 B7 ESó assim sinto você bem perto de mim outra vez B7 EEsqueci de tentar te esquecer, resolvi te querer por querer D#7 G#m C#7/9- F#m7 B5+/7Decidi te lembrar quantas vezes eu tenho a vontade sem nada aperder, ah! E C#m F#m B7Você foi toda a felicidade, você foi a maldade que só me fez bem A Am7 E E7MVocê foi o melhor dos meus planos e o maior dos enganos que eupude fazer Bm7 E7 Am7Das lembranças que eu trago na vida você é a saudade que eu gostode ter E F#7 B7 ESó assim sinto você bem perto de mim outra vezOvelha Negra
    • Rita LeeD G D GLevava uma vida sossegadaD G D GGostava de sombra e água frescaD G A Em F#m AMeu Deus quanto tempo eu passei sem sa...ber, uh, uhFoi quando meu pai me disse: filhaVocê é a ovelha negra da famíliaAgora é hora de você assumir e sumirG Bm A# FBaby, baby, não adianta chamarC G AQuando alguém está perdido procurando se encontrarG Bm A# FBaby, baby, não vale a pena esperar, oh, nãoC G ATire isso da cabeça e ponha o resto no lugarPrá Não Dizer que Não Falei das Flores
    • Geraldo VandréIntr.: Am GCaminhando e cantando e seguindo a cançãoSomos todos iguais, braços dados ou nãoNas escolas, nas ruas, campos, construçõesCaminhando e cantando e seguindo a cançãoVem, vamos embora que esperar não é saberQuem sabe faz a hora não espera acontecerPelos campos a fome em grandes plantaçõesPelas ruas marchando indecisos cordõesAinda fazem da flor seu mais forte refrãoE acreditam nas flores vencendo canhãoREFRÃOHá soldados armados, amados ou nãoQuase todos perdidos de armas na mãoNos quartéis lhes ensinam uma antiga liçãoDe morrer pela pátria e viver sem razãoREFRÃONas escolas, nas ruas, campos, construçõesSomos todos soldados, armados ou nãoCaminhando e cantando e seguindo a cançãoSomos todos iguais, braços dados ou nãoOs amores na mente, as flores no chãoA certeza na frente, a história na mãoCaminhando e cantando e seguindo a cançãoAprendendo e ensinando uma nova liçãoREFRÃOQuando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto
    • Renato RussoColaboração Adriano BolzonTom: DIntr.: D D G Em A G DA Quando o sol bater na janela do teu quarto D G Em A G DA Lembra e vê que o caminho é um sóG APorque esperar se podemos começar tudo de novo, agora mesmo? GA humanidade é desumana, mas ainda temos chanceAO sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer D G Em A G DAQuando o sol bater na janela do teu quarto D G Em A DLembra e vê que o caminho é um sóEm A EmAté bem pouco tempo atrás poderiamos mudar o mundo AQuem roubou nossa coragem?Bm C E D A Em ATudo é dor e toda dor vem do desejo de não sentirmos dor D G Em A G DAQuando o sol bater na janela do teu quarto D G Em A G DLembra e vê que o caminho é um sóQue País é Este?
    • Colaboração Adriano BolzonTom: EIntr.: (E C D) (E C D) Nas favelas, no Senado Sujeira pra todo lado Ninguém respeita a Constituicão Mas todos acreditam no fuuro da naçãoQue país é este(E C D)No Amazonas, no Araguaia, na Baixada FluminenseMato Grosso, nas Geraes e no Nordeste tudo em pazNa morte eu descanso mas o sangue anda soltoManchando os papéis, documentos fiéisAo descanso do patrãoQue país é este(E C D)Terceiro mundo se forPiada no exteriorMas o Brasil vai ficar ricoVamos faturar um milhãoQuando vendermos todas as almasDos nossos índios em um leilãoQue país é este
    • Retalhos de CetimAm Em Am EmEnsaiei meu samba o ano inteiro, comprei surdo e tamborimAm C F7MGastei tudo em fantasia, era só o que eu queria B7 EE ela jurou desfilar prá mimMinha escola estava tão bonita, era tudo que eu queriaEm retalhos de cetim eu dormi o ano inteiro e ela jurou desfilar prámim A E/G# Em/G F#7 Bm7 Dm E4/7Mas chegou o carnaval e ela não desfilouE Am C F7M Bm5-/7Eu chorei, na avenida eu chorei, não pensei que mentia E A EA cabrocha que eu tanto ameiRevelaçãoClodô - ClésioIntr.: ( Am Am/G F7M E4 E7 )Am Am/G F7MUm dia vestido de saudade vivaG E4 E7Faz ressuscitarAm Am/G F7MCasas mal vividas, camas repartidasG E F#m G° E7/G#Faz se revelarA C#m Em7 A7 D DmQuando a gente tenta de toda maneira dele se guardar A F#m B4/7 B7Sentimento ilhado, morto, amordaçadoBm E7 A (Am)Volta a incomodar
    • Revoluções por MinutoColaboração José Luís Santos Fortes DmSinais de vida num país vizinho, eu já não ando mais sozinho, C DmToca o telefone, chega um telegrama enfimOuvimos qualquer coisa de Brasília, rumores falam em guerrilha, C Dm C Dm CFotos no jornal, cadeia nacionalViola o canto ingênuo do caboclo, caiu o santo do pau oco,Foge pro riacho, foge que eu te acho simFulano se atirou da ponte aérea, não aguentou fila de espera,Apertar os cintos, preparar pra descolar(F G Am G) Dm C Dm CNos chegam gritos da ilha do norte, ensaios pra dança da morteTem disco pirata, tem vídeo cassete atéAgora a China bebe coca-cola, aqui na esquina cheiram cola,Biodegradante, aromatizante temRomance IdealHerbert Vianna - Martin CardosoColaboração Claudio T. Cardozo(E G#m F#m A7+)Ela é só uma meninaE eu pagando pelos errosque eu nem sei se cometiEla é só uma meninaE eu deixanado que ela façao que bem quiser de mim F#M A7+ C#m7 G#m7 G#m7 A7+ Se eu queria enlouquecer essa é a minha chance Am7 E E7/4 E7 E tudo que eu quis F#m A7+ C#m7 Se eu queria enlouquecer G#m7 F#m7 A7+ Am7 Esse é o romance ideal
    • (E G#m F#m A7+)Não pedi que ela ficasseEla sabe que na voltaAinda vou estar aquiEla é só uma meninaE eu pagando pelos errosQue eu nem sei se cometiRomariaRenato TeixeiraIntr.: (D/F# Gm6) (D G)D G D GÉ de sonho e de pó o destino de um só D F# Bm F# F#4 F#Feito eu perdido em pensamentos sobre o meu cavaloBm E Bm EÉ de laço e de nó, de gibeira e jiló Bm F# BmDessa vida comprida a sol G D/F# Em A D F# BmSou caipira, Pira...pora, Nossa Senhora de AparecidaBm/A G D/F# Em A D (D4 D D9) (D4/7)Ilu...mina a mina escura e funda o trem da minha vidaO meu pai foi peão, minha mãe, solidãoMeus irmãos perderam-se na vida à custa de aventuraDescasei, joguei, investi, desistiSe há sorte, eu não sei, nunca viREFRÃOMe disseram, porém, que eu viesse aquiPrá pedir de romaria e prece paz nos desaventosComo eu não sei rezar, só queria mostrar meu olharMeu olhar, meu olharREFRÃO
    • Sapato VelhoIntr.: A D/A E/A D7M C#m Bm A E/G# F#m A/E D7M C#m Bm ( A D/A E/A D/A A )A D/A E/AVocê lembra, lembraD7M C#m Bm A Ab° F#m F° F#m B/ADa...que...le tempo eu ti...nha estrelas no olhos G#m C#m F#m D7M C#m Bm AUm jeito de herói, era mais forte e ve...loz Ab° F#m Dm/F A D/A E/A D/AQue qualquer mocinho de cowboyVocê lembra, lembraD7M C#m Bm A Ab° F#m F° F#m B/AEu cos...tu..mava an...dar bem mais de mil léguas G#m C#m F#m D7M C#m Bm APrá poder buscar flores de maio azuis Ab° F#m Dm/F A D/E A7 G/AE os seus cabelos enfeitarD E/D C#m F# B F# G#m F# F° Eb G#/A# Eb C#Água da fonte cansei de beber prá não en...ve...lhecerG# Bb Gm C4/7 C7 F C/E Dm C B° A D/A AComo quisesse roubar da manhã um lindo pôr de solD7M C#m Bm A Ab° F#m F° F#m B/AHo...je não colho mais as flores de maio G#m C#m A#m D#mNem sou mais veloz como os heróisBm E7 A D/A E/A D7M C#m Bm A Ab° F#m F°É talvez eu seja simplesmente como um sa...pa...to ve...lhoF#m B/A G#m C#mMas ainda sirvo, se você quiserF#m D7M C#m Bm A Ab° F#m Dm/F ABasta você me cal..çar que eu aqueço o frio dos seus pés( D/A E/A D/A A )
    • A Terceira LâminaZé RamalhoColaboração Ernane Henrique de OliveiraIntr.: Bm C#° D7+ Em Bm F#7 Bm C#° D7+É aquela que fere, que virá mais tranquila Em Bmcom a fome do fogo, com pedaços da vida A G#° F#7com a dura semente, que se prende no fogo de toda multidão Bmacho bem mais do que pedras na mão C#° D7+dos que vivem calados, pendurados no tempo Em Bmesquecendo os momentos, na fundura do poço, F#7 Bmna garganta do fosso, na voz de um cantadorIntroduçãoe virá como guerra, a terceira mensagem,na cabeça do homem, aflição e coragemafastado da terra, ele pensa na fera, que eu começo a devoraracho que os anos irão se passarcom aquela certeza, que teremos no olhonovamente a idéia , de sairmos do poço da garganta do fossona voz de um cantadorIntroduçãoRepete Verso 2
    • Um Certo AlguémLulu Santos - Ronaldo BastosColaboração Fabio BarreiroIntro : (A Asus4 A Asus4 A)A C#7 F#m F#m7M F#m7 G Bm Quis evitar teus olhos mas não pude reagirG Esus4 E Esus4 E Fico à vontade entãoA C#7 F#m F#m7M F#M7 G Bm Acho que é bobagem a mania de fingirG Esus4 E Esus4 E Negando a intençãoBm C#m Dm Quando um certo alguém A F#mcruzou o teu caminho C#m Esus4 E Esus4 EE te mudou a direçãoA C#7 F#m Chego a ficar sem jeito F#m7M F#m7 G Bmmas não deixo de seguirG Esus4 E Esus4 E a tua apariçãoBm C#m Dm Quando um certo alguém A F#mdesperta o sentimento C#m Esus4 E Esus4 EÉ melhor não resistir Ae se entregar F#m C#m7 Esus4 EMe dê a mão, vem ser a minha estrelaA F#m C#m7 Esus4 E
    • Complicação, tão fácil de entenderA F#m C#m7 Esus4 E Vamos dançar, luzir a madrugadaA F#m C#m7 Esus4 E Inspiração, pra tudo que eu viversoloBm C#m Dm Quando um certo alguém A F#mCruzou o teu caminho C#m Esus4 EÉ melhor não resistir Ae se entregar F#m C#m7 Esus4 EMe dê a mão, vem ser a minha estrelaA F#m C#m7 Esus4 E Complicação, tão fácil de entenderA F#m C#m7 Esus4 E Vamos dançar, luzir a madrugadaA F#m C#m7 Esus4 E Esus4 E Inspiração, pra tudo que eu viver F#sus4 F# F#sus4 F#Que eu viveroh, ohBm C#m Dm Quando um certo alguém A F#mDesperta o sentimento C#m Esus4 E Esus4 EÉ melhor não resistir A C#7 A C#7 A C#7 F#mE se entregaaaar
    • Um Violeiro TocaAlmir Sater - Renato TeixeiraIntr.: G F CC C7M DmQuando uma estrela cai no escurão da noiteFE um violeiro toca suas mágoasGEntão os olhos dos bichos vão ficando iluminadosF G FRebrilham neles estrelas de um sertão enluaradoQuando o amor termina perdido numa esquinaE um violeiro toca a sua sinaEntão os olhos dos bichos vão ficando entristecidosRebrilham neles lembranças dos amores esquecidosQuando o amor começa nossa alegria chamaE um violeiro toca em nossa camaEntão os olhos dos bichos são os olhos de quem amaF G F CPois a natureza é isso, sem medo, nem dó, nem dramaC C7M GTudo é sertão, tudo é paixão se um violeiro tocaDm F C G F G CA viola, o violeiro e o amor se tocam
    • Vento no LitoralRenato RussoColaboração Adriano BolzonTom: CIntr.: Am Em Am Em F C F C Am Em De tarde quero descansar, chegar até a praia Am Ver se o vento ainda está forte Em E vai ser bom subir nas pedras C Sei que faço isso pra esquecer Bb Eu deixo a onda me acertar Am F G Am F G C F E o vento vai levando tudo embora. EmAgora está tão longe DmVê, a linha do horizonte me distrai: G FDos nossos planos é que tenho mais saudade, Em DmQuando olhávamos juntos na mesma direção. BbAonde está você agora AmAlém de aqui, dentro de mim?F G Am F G Am Intr.C CmAgimos certo sem quereG/BFoi só o tempo que errouBb
    • Vai ser dificil sem você A4 A DmPorque você está comigo o tempo todo.Quando vejo o marCExiste algo que diz: G/B Am G F- A vida continua e se entregar é uma bobagemEm A7 DmJá que você não está aqui, Dm/C Bb GO que posso fazer é cuidar de mim. CQuero ser feliz ao menos.F Bb GLembra que o plano era ficarmos bem? Am Em Am G C F E4 E- Ei, olha só o que eu achei: cavalos-marinhosEm CSei que faço isso pra esquecer BbEu deixo a onda me acertar Am F GCE o vento vai levando tudo embora
    • Vila do SossegoZé RamalhoIntr.: ( G D C ) Bm Am E G D COh, eu não sei se eram os antigos que diziam G D CEm seus papiros Papillon já me dizia Am Am/G D/F#Que nas torturas toda carne se trai Am Am/G D/F#Que normalmente, comumente, fatalmente, felizmente, F C G Am EDisplicentemente o nervo se contrai, oh, com precisãoNos aviões que vomitavam pára-quedasNas casamatas, caso vivas, caso morrasE nos delírios meus grilos temerO casamento, o rompimento, o sacramento, o documentoComo um passatempo quero mais te ver, oh, com afliçãoMeu treponema não é pálido nem viscosoE os meus gametas se agrupam no meu somE as querubinas meninas reverUm compromisso submisso, rebuliço no cortiçoChame o padre "Ciço" para me benzer, oh, com devoçãoVocê é LindaCaetano VelosoColaboração Marcus KlingerF#m7 C#m7 D7M G#m7 C#7(b9)Fontes de mel nuns olhos de gueixa, Kabuki máscaraD7M D#m7(b5) G#7 C#m7 F#7 Bm7 E7Choque entre o azul, e o cacho de acácias, luz das acácias Você émãe do solA Tua coisa é toda tão certa, beleza espertaVocê me deixa a rua deserta, quado atravessa E não olha pra trasA C#m7 D7M Bm7
    • Linda e sabe viver, você me faz felizDm7 G7 A7MEssa canção é só pra dizer e dizVocê é linda mais que demais Você é linda simOndas do mar do amor que bateu em mimVocê é forte dentes e músculos, peitos e lábiosVocê é forte letras e músicas, todas as músicas que ainda ei de ouvirNo Abaeté areias e estrelas, não são mais belasDo que você mulher da sestrelas, minas de estrelasDiga o que você querGosto de ver voê no seu ritmo, dona do carnavalGosto de ter, sentir seu estilo, ir no seu íntimo Nunca me faça malWhisky A Go GoMichael Sullivan - Paulo MassadasIntr.: C7C7Foi numa festa, gelo e cuba libreE na vitrola whisky a go goÀ meia luz ao som de Jonnhy RiverNaquele tempo que você sonhou FSenti na pele tua energia C7Quando peguei de leve a tua mão FA noite inteira passa num segundo C7O tempo voa mais do que a canção G F C7Quase no fim da festa um beijo então você se rendeu G F C7 GA minha fantasia, o mundo era você e eu
    • C AmEu perguntava: do you wanna dance? C AmE te abraçava: do you wanna dance? F G CLembrar você, um sonho a mais não faz malXodóGilberto GilIntr.: ( D G D A7 ) D Bm F#mQue falta eu sinto de um bem G A7 D A7Que falta me faz um xodó D Bm F#mMas como eu não tenho ninguém G A7 DEu levo a vida assim tão só Am7 D7Eu só quero um amor Am7 EQue acabe o meu sofrer Bm Em Bm EmUm xodó prá mim do meu jeito assim G F#m Em A7 DQue alegre o meu viver