Your SlideShare is downloading. ×
Perrenoud   10 novas competencia para ensinar19
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Perrenoud 10 novas competencia para ensinar19

8,841

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
8,841
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
187
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 Módulo Dez novas competências para Ensinar Philippe Perrenoud SUPER PROFESSOR Desafio: Recusar a sociedade dual e o fracasso escolar Objetivo: Propor um inventário das competências que contribuem para formar o professor. Conceito: competência é a capacidade de mobilizar recursos cognitivos para enfrentar diversas situações. Um roteiro para um novo ofício Meirieu Prática reflexiva Projeto Profissionalização Trabalho em equipe Autonomia Pedagogia diferenciada Responsabilidade Relação íntima com o saber
  • 2. 2 passa por operações  competência  de saberes mentais complexas mobilizam integram coordenam Recursos  Capítulo I – Organizar e dirigir situações de aprendizagem.  Conceber situações didáticas.  Manter um espaço adequado para todos os procedimentos.  Criar situações de aprendizagem com sentido e de regulação.  Desencadear pesquisa, identificação e resolução de problemas. CompetênciaConstroem-se no cotidiano e em formação Ppr. Cerne do ofício Competência Global
  • 3. 3 Competências específicas  Conhecer, para determinada disciplina, os conteúdos a serem ensinados e sua tradução em objetivos de aprendizagem Relacionar conteúdos a objetivos e, de outros a situações de aprendizagem e expandir para organização de outras aprendizagens  Trabalhar a partir das representações dos alunos Fundamentar-se nas representações prévias dos alunos e perceber seu “canal” cognitivo  Trabalhar a partir dos erros e dos obstáculos de aprendizagem Reestruturar seu sistema de compreensão do mundo ver o erro como ferramenta para ensinar Professor  Conhecimento em didática e psicologia cognitiva  Construir e planejar dispositivos e seqüências didáticas Buscar muitas possibilidades desencadeadoras e de seqüência para sua construção
  • 4. 4  Envolver os alunos em atividades de pesquisa, em projetos de conhecimento Busca constante da construção do saber e da pesquisa e traçar um perfil de aprendiz  Capítulo 2 – Administrar a Progressão das Aprendizagens  Com o ciclos há um novo conceito de progressão das aprendizagens; individualização dos percursos de formação e construção de uma Pedagogia Diferenciada. Competências Específicas  Conceber e administrar situações – problemas ajustadas ao nível e as possibilidades dos alunos Propor na ZPD – situações problemas DESAFIOS Professor Investe na concepção Guia ações de regulação
  • 5. 5  Adquirir uma visão longitudinal dos objetivos de ensino Conceber e genir progressões  Estabelecer laços com as teorias subjacentes as atividades de aprendizagem Atividade sempre baseada em uma teoria científica  Observar e avaliar os alunos em situações de aprendizagem, de acordo com uma abordagem formativa Avaliação = Ensino Cada situação de aprendizagem fonte de desafio e informação  Fazer balanços periódicos de competências e tomar decisões de progressão Orientação Projetos + exigências da escola Ciclos plurianuais Conjunto de formação de Ensino Fundamental
  • 6. 6 Professor: Inventar dispositivos de acompanhamento das progressões durante vários anos.  Capítulo 3 – Conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação Professor: Organizar diferentemente o trabalho em aula; acabar com o “ano letivo”, criar novos espaços – tempos de formação; trabalhar em pequenos grupos, lições de casa, recurso didático, regulações e tecnologias de formação. Competências Específicas  Administrar a heterogeneidade no âmbito da turma (Competência difícil).  Abrir, ampliar a gestão da classe para um espaço mais vasto O aluno é da escola  Fornecer apoio integrado, trabalhar com alunos portadores de grandes dificuldades.  Desenvolver a cooperação entre alunos e certas formas simples de ensino mútuo.
  • 7. 7  Capítulo 4 – Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho  Trabalhar além do interesse.  Aprimorar a competência didática e epistemológica relacional. Competências Específicas  Suscitar o desejo de aprender, explicar a relação com o saber, o sentido do trabalho escolar e desenvolver na criança a capacidade de auto-avaliação 2 recursos precisos  Instituir um Conselho de alunos e negociar com eles diversos tipos de regras e de contratos.  Oferecer atividades opcionais de formação.  Favorecer a definição de um projeto pessoal do aluno. Conhecer mecanismos sociológicos didáticos e psicológicos Alunos tem que transferir conhecimentos para a prática social
  • 8. 8  Capítulo 5 – Trabalhar em equipe  Cooperação profissional Competências Específicas  Elaborar um projeto em equipe, representações comuns.  Dirigir um grupo de trabalho, conduzir reuniões.  Formar e renovar uma equipe pedagógica.  Enfrentar e analisar em conjunto situações complexas, práticas e problemas profissionais.  Administrar crises ou conflitos interpessoais.  Capítulo 6 – Participar da Administração da Escola Professor: Interessado em conhecer a comunidade educativa.  Compreender todos os eixos para a formação do currículo real. Competências Específicas  Elaborar, negociar um projeto da Instituição.  Administrar os recursos da escola.
  • 9. 9  Coordenar, dirigir uma escola com todos os seus parceiros.  Organizar e fazer evoluir, no âmbito da escola a participação dos alunos pois: a) é 1 exercício de 1 direito; b) é 1 exercício de cidadania. Desencadeiam 2 níveis sistêmicos: a) o sistema “dar” a real autonomia de gestão que a escola precisa; b) partilhar a autonomia com seus alunos.  Capítulo 7 – Informar e envolver os pais  Parceiros da educação escolar.  Enfocar a identidade e legitimidade de PARTICIPAÇÃO. Competências Específicas  Dirigir reuniões de informação e debate.  Fazer entrevistas.  Envolver os pais na construção dos saberes
  • 10. 10  Capítulo 8 – Utilizar novas tecnologias Competências Específicas  Utilizar editores de texto Dicotomia  Devem desenvolver no aluno competências para um uso crítico. Colocá-la a serviço das atividades cognitivas Parte da formação contínua ou inicial Familiarizar os alunos com a informática para construir conhecimento Devem aumentar a eficácia do ensino Novas tecnologias Educação não exige domínio Outras áreas o domínio é fundamental
  • 11. 11  Explorar as potencialidades didáticas dos programas em relação aos objetivos de ensino. Professor: Usuário crítico Conhecedor de softwares que o permite criar para evitar que se desviem Não pode ser totalmente leigo  Comunicar-se à distância por meio de telemática.  Compara TV x Internet Percepção riscos éticos Cita Freinet – Correspondência escolar  Permite mais flexibilidade na diferenciação do ensino  Utiliza as ferramentas multimídias no ensino CD Rom’s Sites Multimídias Enriquecedores do ensino ou inimigos? Feitos para ensinar Feitos com finalidades gerais Uso didático de 2 tipos de softwares Pontos positivos Pontos negativos
  • 12. 12  Capítulo 9 – Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão  Sociedade dos princípios e valores ensinados na escola.  Educar para a cidadania deve passar pelo conjunto do currículo oculto ou explícito. Competências Específicas Para formar uma educação coerente com a cidadania.  Prevenir a violência na escola e fora dela.  Lutar contra os preconceitos e as discriminações sexuais, étnicas e sociais Prática reflexiva dos valores a internalizar  Ter lucidez Negociar e Conquistar Não usar a violência institucional para conter a social
  • 13. 13  Participar da criação de regras da vida comum referentes à disciplina na escolas, às sanções e a apreciação da conduta Garante o cumprimento das regras Professor  X Abre espaço para o cumprimento e diálogo  Analisar a relação pedagógica, a autoridade e a comunicação em aula Vínculo afetivo  permeado por sensações e sentimentos ambíguos na relação pedagógica Professor   Desenvolver o senso de responsabilidade, a solidariedade e o sentimento de justiça Professor   Aceitar essa complexidade.  Cuidar para não haver: abusos de poder, julgamento global sobre a vida do aluno.  Conscientizar o que se diz ou se fala.  Dominar técnicas de justiça.  Fazer do grupo aula – instância de justiça.  Pactuar direitos e deveres .
  • 14. 14  Capítulo 10 – Administrar sua própria formação continuada Condiciona a atualização e o desenvolvimento de todas as outras Função desta competência  Acompanha a identidade e as práticas pedagógicas mutáveis Competências Específicas  Saber explicar as próprias práticas.  Estabelecer seu próprio balanço de competências e seu programa pessoal de formação contínua.  Negociar um projeto de formação comum com os colegas (equipe, escola, rede).  Evolver-se em tarefas em escala de uma ordem de ensino ou do sistema educativo.  Acolher a formação dos colegas e participar dela. Manter e atualizar as competências adquiridas
  • 15. 15  Conclusão Todos podem contribuir para fazer o ofício evoluir, esforçando-se para:  Centrar-se nas competências a serem desenvolvidas nos alunos em situações de aprendizagem significativas.  Diferenciar sua prática, exercer uma avaliação formativa dizendo NÃO à retenção.  Desenvolver uma pedagogia ativa e cooperativa fundamentada em projetos.  Estabelecer uma ética explícita na relação pedagógica.  Formar-se sempre, continuamente.  Questionar-se refletindo sobre sua prática, individual e coletivamente.  Participar de programas de formação inicial de futuros professores.  Trabalhar em equipe, falar e registrar o que faz, cooperar com os colegas.  Inserir-se em um projeto de instituição ou uma rede.  Criar procedimentos inovadores.

×