Tendências para o Empreendedorismo em 2014

3,729 views

Published on

Palestra dada dia 19/11/13 na semana de comunicação da Unilago em São José do Rio Preto (SP) sobre o futuro a curto e médio prazo do empreendedorismo no Brasil.

Published in: Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,729
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
45
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tendências para o Empreendedorismo em 2014

  1. 1. 2014: O ano que faremos contato (Com o empreendedorismo de fato).
  2. 2. Qual a correlação entre as obras de Arthur Clarke (2001 e 2010) e o momento do empreendedorismo no Brasil?
  3. 3. A trajetória…
  4. 4. Empreendedorismo: Histórico no Brasil Cronologia recente do empreendedorismo no Brasil … - 2010: A (pré?) história 2010-13: A Odisséia Empreendedora 2008/09 2010 Um “X’ O gigante acordou para a crise 2013 Ops! 2014 Será que acordou mesmo?
  5. 5. Conde Matarazzo Barão de Mauá Assis Chateubriand
  6. 6. Símbolos da pré-história recente do empreendedorismo no Brasil
  7. 7. 2008-09: Um “x” para a crise Entre 2005 e 2010, período que abriga a mais forte crise global desde 1929, as empresas do grupo EBX arrecadaram mais de US$ 15 bilhões para execução de projetos, seja via IPO ou private equity. ! Eike Batista, mais do que ascender ao posto de homem mais rico do país, tornou-se sinônimo de empreendedor no novo cenário macroeconômico brasileiro.
  8. 8. 2010: o Gigante Acordou Fatores-chave para a aceleração (???) do empreendedorismo no Brasil A aceleração da base de gadgets e do consumo da internet, principalmente nas classes formadoras de opinião. Uma nova geração de tech startups vindas dos EUA (principalmente do tradicional Vale do Silício), orientadas em boa parte à interação social digital, suas trajetórias fulminantemente lucrativas e a adesão brasileira a estas soluções. A trajetória de sucesso ocasional de brasileiros envolvidos com esta nova geração de tech startups, mesmo alguns por anos vivendo e empreendendo fora do país.
  9. 9. 2010: o Gigante Acordou Resultado: uma onda de empreendedorismo digital no país
  10. 10. Seria Golden Ponte…
  11. 11. … Ou Gate Rio-Niterói?
  12. 12. Por que temos de replicar aqui o modelo empreendedor dos EUA... ...Se o que temos são mercados completamente diferentes?
  13. 13. Reflexões do camarote Assistindo e apoiando dois anos de empreendedorismo digital no Brasil Formação Familiar & Acadêmica A academia brasileira sempre orientou seus esforços para o mercado de trabalho, não necessariamente à construção de novos negócios em um país outrora incerto. O mesmo aplica-se às considerações familiares em casas sem histórico de atuação neste sentido. (Falta de) Mão-de-Obra O empreendedorismo digital demanda capital técnico específico (as 200 Startups do “Startup Brasil” possuem ao menos um “cara de TI” na equipe). Se temos falta de engenheiros no país, quanto mais de desenvolvedores alinhados com as demandas deste segmento. Despreparo dos stakeholders Não somente desenvolvedores e gestores, mas toda a cadeia de stakeholders atrelada ao empreendedorismo digital estava mais orientada a replicar o que se vê no Silício do que criar algo 100% alinhado à realidade brasileira.
  14. 14. A tech startup de hoje… … Seria a banda de rock dos anos 80?
  15. 15. Em por falar em tech startups brasileiras… Qual a semelhança entre Romero Rodrigues e o Jack London?
  16. 16. Suas empresas (Buscapé e Submarino) são duas das pouquíssimas empresas de tecnologia brasileiras que cumpriram toda a rota de financiamento de uma tech startup - da idéia ao IPO (B2W) ou aquisição (Buscapé). ! Reflexo direto da tração do conceito ao mercado (time to market), num país onde na época (ambas as empresas são do final dos anos 90) mal existia e-commerce e que historicamente a população busca sempre o menor preço. ! Ninguém conseguiu repetir o ciclo nos últimos anos: - Falta de boas idéias? - Falta de escala das soluções nacionais? - Perfil dos investidores nacionais? - Falta de agressividade do investidor internacional?
  17. 17. Quer entender o cenário futuro de curto prazo do empreendedorismo digital nacional? Estude a sequóia.
  18. 18. Eu quis dizer esta Sequóia.
  19. 19. da euforia ao desencanto… A trajetória da Sequoia Capital no Brasil Fim de 2010 O Sequoia começa a mapear o mercado da América Latina ao mesmo tempo que começa o “boom” do empreendedorismo digital no país. Março de 2012 Montagem de escritório em São Paulo visando aportes milionários em boas soluções líderes em seus segmentos. Fim de 2013 Desmontagem do escritório local, com apenas um aporte feito no país (para o ex-líder que criou uma startup) e outros dois na região. O que desmotivou o mais tradicional fundo de investimento em empresas de tecnologia do mundo a investir no Brasil e orientar seus esforços às praças tradicionais, como Califórnia e Israel?
  20. 20. E antes fosse derrubar só a Sequoia… Investimento estrangeiro em fusões e aquisições no Brasil (valores em US$ milhões para o setor de tecnologia - fonte Merryl Linch) 15,2 5 0,8 2S11 1S12 0,2 2S12 1S13 A medida que o empreendedorismo digital no Brasil começou a tomar proporções maiores - atraindo interesse de investidores nacionais em rodadas iniciais os grandes e tradicionais investidores estrangeiros minguaram suas frentes no país. ! Por que este movimento contrário?
  21. 21. Por que fecharam a torneira? Fatores para a redução do investimento estrangeiro no país Macroeconomia Local Macroeconomia Concorrente Concorrência financeira Maturidade empreendedora Muitos fundos e investidores viam no Brasil crescendo a 10% aa (2010) uma perspectiva de crescimento (e enriquecimento) rápido; a realidade mostra um patamar muito aquém, o que os desmotivaram. A recessão e/ou estagnação que rondava países tradicionais em negócios digitais, como EUA e Israel apresentou uma trégua. Como conseqüência, fundos e investidores mais tradicionais priorizaram mercados mais maduros. A falta de poucas boas e vencedoras soluções digitais nacionais culmina em concorrência entre fundos e investidores para aportes de capital e participação no equity destas empresas - caso de Netshoes e Decolar, por exemplo. A cultura empreendedora como mainstream é recente, assim como sua aplicação no segmento digital. Logo as empresas nascidas nos últimos dois anos ou morrerão ou terão um longo caminho para atingir maturidade, tamanho e sucesso a ponto de receber grandes quantias de capital.
  22. 22. Choque de realidade Reflexos futuros do atual momento do mercado empreendedor digital Purgação Empreendedora A perspectiva de uma trajetória mais difícil e mais longa desestimulará boa parcelas daqueles que entraram no oba-oba de criar uma empresa, fazer dinheiro rápido e buscar o status de CEO. Bitch. Purgação Investidora O item acima será reflexo de uma purgação dos principais stakeholders hoje envolvidos. Veremos o fim de muitas aceleradoras não sérias, bem como a saída (alguns com prejuízos) de muitos investidores outrora chamado de… Anjos? Lion Copy-cat Ainda veremos a cópia de modelos de negócios de sucesso por aqui, mas aqueles que sobreviverão em sua maior parte estarão atrelados ao investimento prévio de fundos em replicar aqui o que já foi sucesso em seu porfólio. Ex: Daifiti @ Rocket Internet. Revisão do fomento ao ecossistema. Nem tudo são só tragédias. Stakeholders outrora aquém ou a mercê do crescimento do empreendedorismo (digital) no país podem começar a tomar posições de liderança e fomento à base, como escolas, faculdades e entidades ligadas ao governo.
  23. 23. Empreendedorismo @ 2013 Sparta way of life
  24. 24. Mas vale a pena empreender em um cenário tão nebuloso ?
  25. 25. Claro que sim! Desde que você tenha visão. Além do alcance, de preferência.
  26. 26. E saiba, realmente, o que é empreender no Brasil.
  27. 27. O que é montar negócios no Brasil Exemplo de empreendedorismo de sucesso 100% nacional: Rolando Massinha
  28. 28. O que é montar negócios no Brasil Exemplo de empreendedorismo de sucesso 100% nacional: Rolando Massinha Parâmetro Solução (Empírica, claro!) Inovação Oferecer algo diferente de pipoca, hot-dog e churros nas ruas de São Paulo. Investimento Anos de trabalho braçal, como pintor e encanador, revertidos na compra de uma Kombitrailer com cozinha interna. Marketing Pintá-la com cores vivas, oferecer um atendimento cortês e pessoal e oferecer máquina para pagamento a débito. Proposta de Valor Proporcionar uma típica alimentação italiana a baixo custo para a população noturna em trânsito de São Paulo.
  29. 29. O que é montar negócios no Brasil Exemplo de empreendedorismo de sucesso 100% nacional: Anderson França, o Dinho
  30. 30. O que é montar negócios no Brasil Exemplo de empreendedorismo de sucesso 100% nacional: Anderson França, o Dinho Parâmetro Solução (Empírica, claro!) Inovação Oferecer soluções “by favela” ao mercado, sem benevolências e de forma competitiva. Investimento Muita sola no pé, repertório e formação de uma rede de contato que envolve de líderes locais ao ex-presidente FHC - e as conexões entre eles. Marketing Palestras, bate-papos e inquietudes públicas sobre como classes sociais podem, juntas, gerar forma para construir soluções inteligentes a ambas. Proposta de Valor Oferecer soluções que tragam a maior interesecção entre classes sociais e suas riquezas, com foco na transformação social e intelectual.
  31. 31. O que é montar negócios no Brasil Exemplo de empreendedorismo de sucesso 100% nacional: Vinícius e Felipe, da… Ah, vocês sabem quem ;-)
  32. 32. O que é montar negócios no Brasil Exemplo de empreendedorismo de sucesso 100% nacional: Vinícius e Felipe, da… Ah, vocês sabem quem ;-) Parâmetro Solução (Empírica, claro!) Inovação Trazer um tema “da moda” (mídias sociais/ marketing digital) do oba-oba às possibilidades reais de resultados no mercado local. Investimento Cursos, livros, bate-papo, networking. Em doses cavalares. (Repita a operação constantemente) Marketing Construção de diálogo construtivo e presencial sobre a interação da marca e seus públicos em canais digitais, como o nosso Social Web Day :D Proposta de Valor Levar ao interior de São Paulo o profissionalismo e as melhores práticas da gestão de mídias sociais das grandes praças globais.
  33. 33. O que é montar negócios no Brasil Resumo dos exemplos de empreendedorismo 100% tupiniquim Rolando, Dinho, Vinícius e Felipe… Negócios tipicamente brasileiros, formado por empreendedores brasileiros, atendendo demandas genuinamente locais - seja da região ou do perfil de um público. ! É disso que o Brasil precisa: mais empreendedores sérios e apaixonados por resolver grandes questões locais: ! - Prestação de Serviços? - Novos produtos para o público emergente? - Soluções (atraentes) de transformação social? - Agronegócio?
  34. 34. Porém… ! …Se o cenário empreendedor para o curto prazo mostra-se tão desafiador, com economia aquém do poderia crescer, purgação do segmento de tech startups e dificuldades na busca e formação de capital humano estratégico ao seu projeto…
  35. 35. …Como empreender em 2014?
  36. 36. Feliz ano novo!!! Como o Branding pode impactar o seu projeto empreendedor Visão Soluções para o Brasil de Verdade Nenhuma empresa sobrevive se não possuir um propósito e um DNA de marca bem claro - Missão, Visão e Valores. Eles serão norteadores de todo o desdobramento estratégico e tático da empresa - do recrutamento à comunicação. Não se deixe nortear somente pelo que vem de fora. O Vale do Silício é muito legal, mas não é a solução de todos os problemas - nem dos EUA, muito menos do Brasil. Pesquise e explore problemas nacionais para soluções nacionais não existe tecnologia para o médio agropecuarista nem soluções B2B mobile para médias empresas, por exemplo #Oportunidade Precisa ser online mesmo? Vivemos em um mundo onde a tecnologia está presente em todos os momentos. Porém o empreendedorismo no Brasil ainda é um país offline - seu produto pode ser online, mas talvez seu $$$ virá da interface off. Um food truck pode ter site, mídias socias e delivery via tweet, mas o negócio ainda é comida. O que me faz empreender? Rolando Massinha me ensinou que o empreendedorismo é sempre por necessidade - seja para pagar as contas, ficar rico, deixar um legado ou enfrentar o status quo. O que te motiva? Dica: Trabalhe em algo que te leve a vida que vale a pena ser vivida, como diria o Professor Clóvis de Barros Filho.
  37. 37. Shout it out loud! De que forma a comunicação (ainda e sempre) será fundamental ao sucesso de uma nova empresa Ressonância da marca O profissional de comunicação - independente da sua fundamentação - pode ser o defensor da marca e seu DNA, atuando decisivamente no controle e garantia que a experiência que ela transmitirá seja coesa em todo os seus pontos de contato. Construção de conteúdo Uma das formas mais atraentes e assertivas de gerar ressonância de marca é construindo uma linha de conteúdo interessante ao público-alvo em questão, auxiliando-o no processo de escolha - direto ou não - e na aquisição de repertório. Por isso RP e Jornalismo são duas das profissões mais promissoras para marqueteiros e empreendedores. Comunicação versus DNA da Marca A comunicação de uma marca - independente de qual canal estamos falando - deve respeitar seu DNA. O Banco Safra não tem e nunca terá atuação digital, porque seu DNA envolve o silêncio e discrição que seus clientes almejam com uma conta na instituição. De que forma a sua empresa se comunica melhor? Eu-presa Eu-marca Toda empresa é a institucionalização do seu dono, ou sócios. Ele precisa ser a representação do que quer comunicar até as últimas conseqüências - é a forma mais sólida de apresentar consistência do DNA da marca em questão.
  38. 38. Mensagem final Diretamente do mestre dos mestres Para empreender, 3 Rs são necessários.
  39. 39. A maior lição que essa apresentação vai lhe oferecer Os 3R’s FUNDAMENTAIS para o sucesso empreendedor Repertório Rede Rabo
  40. 40. João Gabriel Chebante Blog: www.chebante.com.br mail: joao.gabriel@chebante.com.br FB: facebook.com/chebante Twitter: @chebante

×