• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Apostila sql
 

Apostila sql

on

  • 1,162 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,162
Views on SlideShare
1,162
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
62
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Apostila sql Apostila sql Document Transcript

    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 1 of 90 Tutorial de SQLManual por: Versão on-line:Criar Web, manuais e recursos para desenvolvimento web http://www.criarweb.com/manuais/32O que é SQLAs aplicações em rede são cada dia mais numerosas e versáteis. Em muitos casos, o esquemabásico de operação é uma série de scripts que dirigem o comportamento de uma base dedados.Devido à diversidade de linguagens e de base de dados existentes, a maneira de comunicarentre umas e outras seria realmente complicado de providenciar, a não ser pela existência depadrões que nos permite realizar as operações básicas de una forma universal.É justamente disso que se trata o Structured Query Language que não é mais do que umalinguagem padrão de comunicação com base de dados. Falamos portanto, de uma linguagemnormalizada que nos permite trabalhar com qualquer tipo de linguagem (ASP ou PHP) emcombinação com qualquer tipo de base de dados (MS Access, SQL Server, MySQL...).O fato de ser padrão não quer dizer que seja idêntico para cada base de dados. Na prática,determinadas bases de dados implementam funções específicas que não têm necessariamenteque funcionar em outras.À parte desta universalidade, o SQL possui outras duas características muito apreciadas. Poruma parte, apresenta potência e versatilidade notáveis que contrasta, por outra, com suaacessibilidade de aprendizagem.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comTipos de camposComo sabemos, um banco de dados é composto por tabelas onde armazenamos registroscatalogados em função de diferentes campos (características).Um aspecto prévio a considerar é a natureza dos valores que introduzimos nesses campos.Visto que um banco de dados trabalha com todo o tipo de informações, é importante especificarque tipo de valor estamos introduzindo de maneira a, por um lado, facilitar a buscaposteriormente e por outro, otimizar os recursos de memória.Cada banco de dados introduz tipos de valores de campo que não necessariamente estãopresentes em outros. Entretanto, existe um conjunto de tipos que estão representados natotalidade destes bancos. Estes tipos comuns são os seguintes: Contém cifras e letras. Apresentam uma longitude limitada (255 Alfanuméricos caracteres) Existem de vários tipos, principalmente, inteiros (sem decimais) e reais Numéricos (com decimais). Booleanos Possuem duas formas: Verdadeiro e falso (Sim ou Não)http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 2 of 90 Armazenam datas facilitando posteriormente sua exploração. Armazenar Datas datas desta forma possibilita ordenar os registros por datas ou calcular os dias entre uma data e outra... São campos alfanuméricos de longitude ilimitada. Apresentam o Memos inconveniente de não poder ser indexados (veremos mais adiante o que isto quer dizer). São campos numéricos inteiros que incrementam em uma unidade seu Auto- valor para cada registro incorporado. Sua utilidade é mais que evidente: incrementáveis Servir de identificador já que são exclusivos de um registro.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comAdicionar um novo registroOs registros podem ser introduzidos a partir de sentenças que empregam a instrução Insert.A sintaxe utilizada é a seguinte:Insert Into nome_tabela (nome_campo1, nome_campo2,...) Values (valor_campo1,valor_campo2...)Um exemplo simples a partir da nossa tabela modelo é a introdução de um novo cliente queseria feito com uma instrução deste tipo:Insert Into clientes (nome, sobrenomes, endereço, cidade, código postal, e-mail, pedidos)Values (Pedro, Palotes, Percebe n°13, Londrina, 123456, pedro@criarweb.com, 33)Como se pode ver, os campos não numéricos ou booleanos vão delimitados por apóstrofes: .Também é interessante ver que o código postal foi salvo como um campo não numérico. Isto édevido a que em determinados países (Inglaterra,por exemplo) os códigos postais contémtambém letras. Nota: Se desejarmos praticar com um banco de dados que está vazio, primeiro devemos criar as tabelas que vamos preencher. As tabelas também se criam com sentenças SQL e aprendemos a fazer isso no último capítulo. Embora, de qualquer forma, pode ser que seja mais cômodo utilizar um programa com interface gráfica, como Access, que pode nos servir para criar as tabelas em banco de dados do próprio Access ou por ODBC a outros bancos de dados como SQL Server ou MySQL, por dar dois exemplos. Outra possibilidade em um banco de dados como MySQL, seria criar as tabelas utilizando um software como PhpMyAdmin.Obviamente, não é imprescindível preencher todos os campos do registro. Porém, poder serque determinados campos sejam necessários. Estes campos necessários podem ser definidosquando construirmos nossa tabela mediante o banco de dados. Nota: Se não inserirmos um dos campos no banco de dados se iniciará com o valor padrão que tivermos definido na hora de criar a tabela. Se não houver um valor padrão, provavelmente se inicie como NULL (vazio), no caso de que este campo permita valores nulos. Se esse campo não permitir valores nulos (isso se define também ao criar a tabela) o mais seguro é que a execução da sentença SQL nos dê um erro.É muito interessante, já veremos mais adiante o porquê, o introduzir durante a criação denossa tabela um campo auto-incrementável que nos permita atribuir um único número a cadaum dos registros. Deste modo, nossa tabela clientes apresentaría para cada registro umhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 3 of 90número exclusivo do cliente que será muito útil quando consultarmos várias tabelassimultaneamente.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comApagar um registroPara apagar um registro nos servimos da instrução Delete. Neste caso devemos especificar qualou quais são os registros que queremos apagar. Por isso, é necessário estabelecer uma seleçãoque se realize mediante a cláusula Where.A forma de selecionar será vista; detalhadamente em capítulos posteriores. Agora, noscontentaremos em mostrar qual é o tipo de sintaxe utilizada para efetuar estas supressões:Delete From nome_tabela Where condicoes_de_selecao Nota: Se desejarmos praticar com um banco de dados que estiver vazio, primeiro devemos criar as tabelas que vamos preencher. As tabelas também se criam com sentenças SQL que aprendemos a fazer no último capítulo.Se quisermos, por exemplo, apagar todos os registros dos clientes que se chamarem Pedro,faríamos da seguinte forma:Delete From clientes Where nome=PedroTemos que ter cuidado com esta instrução, pois se não especificarmos uma condição comWhere, o que estamos fazendo é apagar toda a tabela:Delete From clientesInforme de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comAtualizar um registroUpdate é a instrução que nos serve para modificar nossos registros. Como para o caso deDelete, necessitamos especificar por meio de Where quais são os registros que queremos fazerefetivas nossas modificações. Ademais, obviamente, teremos que especificar quais são os novosvalores dos campos que desejamos atualizar. A sintaxe é deste tipo:Update nome_tabela Set nome_campo1 = valor_campo1, nome_campo2 = valor_campo2,...Where condicoes_de_selecaoUm exemplo aplicado:Update clientes Set nome=José Where nome=PedroMediante esta sentença mudamos o nome Pedro por José em todos os registros cujo nome sejaPedro.Aqui também há que ser cuidadoso de não esquecer de usar Where, do contrário,modificaríamos todos os registros de nossa tabela.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 4 of 90Seleção de tabelas IA seleção total ou parcial de uma tabela se realiza mediante a instrução Select. Em tal seleçãohá que especificar:-Os campos que queremos selecionar-A tabela na qual fazemos a seleçãoEm nossa tabela modelo de clientes poderíamos fazer, por exemplo, uma seleção do nome eendereço dos clientes com uma instrução deste tipo:Select nome, endereço From clientesSe quiséssemos selecionar todos os campos, ou seja, toda a tabela, poderíamos utilizar oasterisco * da seguinte forma:Select * From clientesTambém é muito útil filtrar os registros mediante condições que vêem expressas depois dacláusula Where. Se quiséssemos mostrar os clientes de uma determinada cidade usaríamosuma expressão como esta:Select * From clientes Where cidade Like Rio de janeiroAdemais, poderíamos ordenar os resultados em função de um ou vários de seus campos.Para este último exemplo poderíamos ordená-los por nome assim:Select * From clientes Where cidade Like Rio de janeiro Order By nomeTendo em conta que pode haver mais de um cliente com o esmo nome, poderíamos dar umsegundo critério que poderia ser o sobrenome:Select * From clientes Where cidade Like Rio de Janeiro Order By nome, sobrenomeSe invertêssemos a ordem " nome,sobrenome " por " sobrenome, nome ", o resultado seriadiferente. Teríamos os clientes ordenados por sobrenome e aqueles que tivessem sobrenomesidênticos se sub-classificariam pelo nome.É possível também classificar por ordem inversa. Se por exemplo quiséssemos ver nossosclientes por ordem de pedidos realizados tendo aos maiores em primeiro lugar escreveríamosalgo assim:Select * From clientes Order By pedidos DecresUma opção interessante é a de efetuar seleções sem coincidência. Se por exemplo,buscássemos saber em que cidades se encontram nossos clientes sem a necessidade de quepara isso apareça várias vezes a mesma cidade, usaríamos uma sentença desta classe:Select Distinct cidade From clientes Order By cidadeAssim evitaríamos ver repetido Rio de Janeiro tantas vezes quantos clientes tivermos nessacidade.Informe de Rubén Alvarezhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 5 of 90Mail: ruben@desarrolloweb.comSeleção de tabelas IIQuisemos compilar na forma de tabela certos operadores que podem ser úteis em determinadoscasos. Estes operadores serão utilizados depois da cláusula Where e podem ser combinadoshabilmente mediante parênteses para otimizar nossa seleção a níveis bastante altos. Operadores matemáticos: > Maior que < Menor que >= Maior ou igual que <= Menor ou igual que <> Diferente = Igual Operadores lógicos And Or Not Outros operadores Seleciona os registros cujo valor de campo se assemelhe, não tendo emLike conta maiúsculas e minúsculas. Dá um conjunto de valores para um campo para os quais a condição deIn e Not In seleção é (ou não) válidaIs Null e Is Not Seleciona aqueles registros onde o campo especificado está (ou não) vazio.NullBetween...And Seleciona os registros compreendidos em um intervaloDistinct Seleciona os registros não coincidentesDesc Classifica os registros por ordem inversa Curingas * Substitui a todos os campos % Substitui a qualquer coisa ou nada dentro de uma cadeia _ Substitui só um caractere dentro de uma cadeiaVejamos a seguir aplicações práticas destes operadores.Nesta sentença selecionamos todos os clientes de Salvador cujo nome não seja Jose. Como sepode ver, empregamos Like ao invés de = simplesmente para evitar inconvenientes devido aoemprego ou não de maiúsculas.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 6 of 90Select * From clientes Where cidade Like salvador And Not nome Like JoseSe quiséssemos recolher em uma seleção aos clientes de nossa tabela cujo sobrenomecomeça por A e cujo número de pedidos esteja compreendido entre 20 e 40:Select * From clientes Where sobrenomes like A% And pedidos Between 20 And 40O operador In, será visto mais adiante, é muito prático para consultas em várias tabelas. Paracasos em uma única tabela é empregada da seguinte forma:Select * From clientes Where cidade In (Salvador,Fortaleza,Florianopolis)Desta forma selecionamos aqueles clientes que vivem nessas três cidades.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comSeleção de tabelas IIIUm banco de dados pode ser considerado como um conjunto de tabelas. Estas tabelas, emmuitos casos, estão relacionadas entre elas e se complementam unas com outras.Fazendo referência ao nosso clássico exemplo de um banco de dados para uma aplicação de e-comercio, a tabela clientes que estivemos falando pode estar perfeitamente coordenada comuma tabela onde armazenamos os pedidos realizados por cada cliente. Esta tabela de pedidospode por sua vez, estar conectada com uma tabela onde armazenamos os dadoscorrespondentes a cada artigo do inventário.Deste modo poderíamos facilmente obter informações contidas nessas três tabelas como podeser a designação do artigo mais popular em uma determinada região onde a designação doartigo seria obtida na tabela de artigos, a popularidade (quantidade de vezes que esse artigo foivendido) viria da tabela de pedidos e a região estaria compreendida obviamente na tabelaclientes.Este tipo de organização baseada em múltiplas tabelas conectadas nos permite trabalhar comtabelas muito mais manejáveis e ao mesmo tempo, nos evita copiar o mesmo campo em várioslugares já que podemos acessa-lo a partir de uma simples chamada à tabela que o contém.Neste capítulo veremos como, usando o que foi aprendido até agora, podemos realizarfacilmente seleções sobre várias tabelas. Definiremos antes de nada as diferentes tabelas ecampos que vamos utilizar em nossos exemplos: Tabela de clientes Nome campo Tipo campo id_cliente Numérico inteiro nome Texto sobrenomes Texto endereço Texto cidade Texto cep Texto telefone Numérico inteiro email Textohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 7 of 90 Tabela de pedidos Nome campo Tipo campo id_pedido Numérico inteiro id_cliente Numérico inteiro id_artigo Numérico inteiro data Data quantidade Numérico inteiro Tabela de artigos Nome campo Tipo campo id_artigo Numérico inteiro titulo Alfanumérico autor Alfanumérico editorial Alfanumérico preço Numérico realEstas tabelas podem ser utilizadas simultaneamente para extrair informações de todo tipo.Suponhamos que queremos enviar um mailing a todos aqueles que tiverem realizado um pedidonesse mesmo dia. Poderíamos escrever algo assim:Select clientes.sobrenomes, clientes.email From clientes,pedidos Where pedidos.datalike 25/02/00 And pedidos.id_cliente= clientes.id_clienteComo pode ser visto desta vez, depois da cláusula From, introduzimos o nome das duas tabelasde onde tiramos as informações. Ademais, o nome de cada campo vai precedido da tabela deproveniência separado ambos por um ponto. Nos campos que possuem um nome que sóaparece em uma das tabelas, não é necessário especificar sua origem embora na hora de lersua sentença possa ser mais claro tendo esta informação mais precisa. Neste caso, o campodata poderia ter sido designado como "data" ao invés de "pedidos.data".Vejamos outro exemplo mais para consolidar estes novos conceitos. Desta vez queremos ver otítulo do livro correspondente a cada um dos pedidos realizados:Select pedidos.id_pedido, artigos.titulo From pedidos, artigos Wherepedidos.id_artigo=artigos.id_artigoNa verdade a filosofia continua sendo a mesma que para a consulta de uma única tabela.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comSeleção de tabelas IVAlém dos critérios até agora explicados para realizar as consultas em tabelas, SQL permitetambém aplicar um conjunto de funções pré-definidas. Estas funções, embora sejam básicas,http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 8 of 90podem nos ajudar em alguns momentos a expressar nossa seleção de uma maneira maissimples sem ter que recorrer a operações adicionais por parte do script que estivermosexecutando.Algumas destas funções são representadas na seguinte tabela: Função Descrição Soma(campo) Calcula a soma dos registros do campo especificado Avg(Campo) Calcula a média dos registros do campo especificado Count(*) Proporciona o valor do número de registros que foram selecionados Max(Campo) Indica qual é o valor máximo do campo Min(Campo) Indica qual é o valor mínimo do campoDado que o campo da função não existe no banco de dados, pois o estamos gerandovirtualmente, isto pode criar inconvenientes quando estivermos trabalhando com nossos scriptsna hora de tratar seu valor e seu nome de campo. É por isso que o valor da função tem queser recuperada a partir de um apelido que nós especificaremos na sentença SQL a partir dainstrução AS. A coisa poderia ficar assim:Select Soma(total) As soma_pedidos From pedidosA partir desta sentença calculamos a soma dos valores de todos os pedidos realizados earmazenamos esse valor em um campo virtual chamado soma_pedidos que poderá ser utilizadocomo qualquer outro campo por nossas páginas dinâmicas.Obviamente, tudo que foi visto até agora pode ser aplicado neste tipo de funções de modo que,por exemplo, podemos estabelecer condições com a cláusula Where construindo sentençascomo esta:Select Soma(quantidade) as soma_artigos From pedidos Where id_artigo=6Isto nos proporcionaria a quantidade de exemplares de um determinado livro que foramvendidos.Outra propriedade interessante destas funções é que permitem realizar operações comvários campos dentro de um mesmo parênteses:Select Avg(total/quantidade) From pedidosEsta sentença dá como resultado o preço médio que estão sendo vendidos os livros. Esteresultado não tem porquê coincidir com o do preço médio dos livros presentes noinventário, já que, pode ser que as pessoas tenham tendência a comprar os livros caros ou osbaratos:Select Avg(precio) as preco_venda From artigosUma cláusula interessante no uso das funções é Group By. Esta cláusula nos permite agruparregistros aos quais vamos aplicar a função. Podemos por exemplo calcular o dinheiro gastadopor cada cliente:Select id_cliente, Soma(total) as soma_pedidos From pedidos Group By id_clienteOu saber o número de pedidos que foram realizados:Select id_cliente, Count(*) as numero_pedidos From pedidos Group By id_clientehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 9 of 90As possibilidades como vemos são numerosas e pode ser práticas. Agora tudo fica à disposiçãode nossas ocorrências e imaginação.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comAproveite seu banco de dadosBancos de dados deixaram há muito de ser simplesmente um repositório de informações usadospara, no máximo, organizar registros de tal forma que posteriormente pudessem ser indexadose/ou recuperados de alguma forma. Hoje eles são ferramentas poderosas nas tomadas dedecisões dentro das empresas que, aproveitando-se da grande quantidade de dados láexistentes, extraem análises de vários tipos para executarem os próximos movimentos e açõesem seus mercados.Mas o banco de dados por sí não opera milagres. É necessária a presença de um profissionalconhecedor de suas ferramentas e entranhas para tirar dele tudo aquilo que é possível. Esteprofissional normalmente conhecido por DBA (Database Administrator) é a peça fundamentalneste processo.Por outro lado, os desenvolvedores de software mesmo não sendo especialistas em bancos dedados como os DBAs, podem (e devem) aproveitar um pouco do que é oferecido por estasferramentas para criar aplicações mais rápidas, mais enxutas e mais “limpas”, aproveitandofunções existentes mas que na maioria das vezes são esquecidas no momento dodesenvolvimento. Sobre isso que vamos falar hoje: aproveitamento de funções de bancos dedados.Obs: neste artigo usarei exemplos com o banco de dados MySQL e a linguagem PHP. Entretantocom toda a certeza eles podem ser usados também com outras bases e linguagens de formasemelheante.Somando valores, e concatenando camposCom uma frequência impressionante, precisamos somar valores vindos de uma base de dados.Para fazer isso dentro do código do programa, podemos ter: $Rst = mysql_query("SELECT valor FROM tabela",$conexao); while($valor=mysql_fetch_row($Rst)){ $resultado = $resultado + $valor[0]; } print $resultado;Mas, que tal assim: $Rst = mysql_fetch_row(mysql_query("SELECT SUM(valor) FROM tabela", $conexao)); print $Rst[0];Hmmm... de 5 linhas para duas? Mas como?O “segredo” está na função SUM usada na segunda instrução. Ela simplesmente soma osvalores do campo e reduz um laço dentro do código. Com isso temos mais eficiência, velocidadehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 10 of 90e código limpo.Um outro exemplo interessante pode ser visto quando, por exemplo, precisamos concatenar(unir) dois campos. Para criar uma tabela no código, faríamos assim: $Rst = mysql_query("SELECT nome, sobrenome FROM tabela",$conexao); while($valor=mysql_fetch_row($Rst)){ echo Nome Completo: .$valor[0].$valor[1].<br>; }Mas também pode ser feito assim: $Rst = mysql_query("SELECT CONCAT(nome, sobrenome) FROM tabela",$conexao); while($valor=mysql_fetch_row($Rst)){ echo Nome Completo: .$valor[0].<br>; }Observe que não temos redução de linhas mas de caracteres que deixam o código mais limpo eaproveitamos o processamento do banco ao invés do servidor web. A concatenação é feita pelafunção CONCAT no segundo exemplo e depois somente precisamos imprimir uma variável, aoinvés de duas, evitando assim problemas de interpretação.Datas? Não se percaMuitas vezes o trabalho com datas é um pesadelo para o programador. Soma de dias, meses,em que dia da semana caiu tal data e assim por diante.Como para strings, bancos de dados também possuem um conjunto interessante de funçõespara a manipulação de datas. Vamos ver algumas.A data atualJá vi muito programador criar função para a inserção de datas dentro de registros em bases dedados. Acredito que isso seja por não conhecer uma pequena mas muito útil função chamadanow(). Com ela, a data e/ou hora atual são armazenadas em campos que necessitam estevalor. mysql_query("INSERT INTO tabela (data) VALUES (now())",$conexao);Esta função simplesmente pega a informação de data e hora do servidor e insere no campo quedeseja (neste exemplo, em data). Mas cuidado; se o servidor está com a data/hora erradas, ovalor que será inserido também estará errado. Assim é interessante manter o servidor comhorário sempre sincronizado com time servers existentes na Internet.Além disso, em alguns momentos precisamos saber em que semana estamos do ano ou aindaquantas semanas faltam para o fim do ano. Ao invés de complexos códigos de linguagem,podemos usar a base de dados para nos informar este resultado rapidamente. Por exemplo, emque semana do mês estamos agora? print mysql_result(mysql_query("SELECT WEEK(now())",$conexao),0); // resultado: 18http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 11 of 90Aqui foi usada a função WEEK que retorna o número da semana de uma determinada data.Neste caso, a data informada é “hoje” pois usamos como parâmetro de data a função now()que, como já apresentado anteriormente, é a data atual do servidor.Outra tarefa comum com datas é a soma de dias em uma data específica. Pode parecer simplesmas como o formato de data é diferente de formatos numéricos e strings, muitas vezes oresultado está errado e não sabemos porquê.A forma mais simples é novamente deixar o banco de dados trabalhar por você. Então paraacrescentar, por exemplo, dez dias à data atual, fazemos: print mysql_result(mysql_query("SELECT DATE_ADD(now(),INTERVAL 10 DAY)",$conexao),0); // resultado: 2006-05-16Com isso temos, em uma única linha, o valor que precisamos com a certeza que se trata deuma data válida, inclusive contando meses que possuem somente 28,29 ou 30 dias(experimente fazer a soma de 10 dias à data de 25/02/2006 e verá o resultado).ConclusãoPequenas e simples funções quando bem utilizadas facilitam a vida de qualquer desenvolvedor.Assim, antes de “quebrar a cabeça” com dezenas de linhas de código para resolver umproblema ou demanda, procure saber se as ferramentas que está utilizando não dispõem deformas mais simples para a solução deste problema. Muitas vezes a solução mais simples estádiante dos olhos e perdemos tempo tentando algo diferente.Estes exemplos são pequenos e simples se comparados a enorme gama de opções existentesnas bases de dados. Funções para data, strings, funções matemáticas e outras tantas estãodisponíveis na maioria das bases de dados relacionais existentes hoje em dia. Para o MySQL,acesse http://dev.mysql.com/doc/refman/4.1/pt/functions.html. Já para o PostgreSQL, acessehttp://www.postgresql.org/docs/8.1/static/functions.htmlEspero que tenha gostado e aprendido um pouco mais.Abraços!Obs: Os códigos deste artigo podem ser encontrados em http://www.michelazzo.com.br naseção de downloads.Copyright 2006 Paulino Michelazzo - http://www.michelazzo.com.brObra licenciada sob Creative Commons Developing Nations 2.0Informe de Paulino MichelazzoMail: paulino@michelazzo.com.brURL: http://www.devmedia.com.brTabelas temporárias no Sql ServerA sintaxe para criar uma tabela temporária no Sql Server é bastante simples, basta acrescentaro # antes do nome da mesma.Sintaxe:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 12 of 90CREATE TABLE #nomeTable(nomecampoA varchar(80),nomecampoB money)Tabelas temporárias são muito utilizadas quando precisamos reunir vários registros de váriastabelas em uma única seleção e exibi-las em uma aplicação qualquer (p.ex.: Delphi, VisualStudio, ASP.NET, etc.). .É fundamental para aplicações cliente/servidor onde vários usuários estão acessando aquelaprocedure ao mesmo tempo.Aqui vai um exemplo prático da utilização de tabelas temporárias.É importante saber que atabela temporária só existe enquanto a procedure está sendo executada, após a execução damesma ela é automaticamente excluída. Aproveitei para colocar um exemplo utilizando o CASEdo Sql ServerCREATE PROCEDURE TesteTabelaTemporariaascreate table #tmpTotalPage(mes smallint null,totalmes smallint null,mediames decimal(9, 3) null )Insert into #tmpTotalPage ( mes, totalmes, media)(select DATEPART(MONTH,data) as Mes, count(*) as TotalAcessos, nullfrom Acessos AS ACINNER JOIN CadastroTB AS C ON AC.idcad = C.idCadgroup by DATEPART(MONTH,data))select mes, totalmes,media = casewhen mes = 1 then totalmes / 31when mes = 2 then totalmes / 28when mes = 3 then totalmes / 30when mes = 4 then totalmes / 31when mes = 5 then totalmes / 30when mes = 6 then totalmes / 31when mes = 7 then totalmes / 30when mes = 8 then totalmes / 31when mes = 9 then totalmes / 30when mes = 10 then totalmes / 31when mes = 11 then totalmes / 30when mes = 12 then totalmes / 31endfrom #tmpTotalPagePor enquanto é só, até a próxima pessoal!Informe de Fabio CorreaURL: http://www.devmedia.com.brAdquirindo informações do Usuário com a classe Systemhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 13 of 90Acredito que muitas pessoas já tiveram a necessidade de saber qual o nome do sistemaoperacional de um usuário, o seu login do Windows, o diretório home etc. em suas aplicações.Se você é um dos que se enquadram nessa situação, saiba que existe uma forma de adquiriressas informações: através da função System.getProperty().Segue um exemplo:public class Main{public static void main( String[] args ) {System.out.println("Usuario: " + System.getProperty("user.name").toUpperCase());System.out.println("Sistema Operacional: " + System.getProperty("os.name").toUpperCase());}}Veja a saída:Usuário: GLAUCIOSistema Operacional: WINDOWS XPAbaixo seguem alguns parâmetros para a função getProperty():os.arch – Retorna a arquitetura do Sistema operacionalos.version – Retorna a versão do Sistema operacionalos.name – Nome do Sistema Operacionaljava.version – Retorna a versão da JREjava.home – Diretório de Instalação Javajava.class.path – Retorna o Class Pathuser.home – Diretório home do usuáriouser.name – Nome da conta do usuárioA lista completa encontra-se neste endereço:http://java.sun.com/j2se/1.4.2/docs/api/java/lang/System.html#getProperties()Essa recurso também pode ser usado em JSPs:Código da JSP:Saída:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 14 of 90Esse tipo de função permite que, por exemplo, quando um usuário acessar o sistema, seu loginseja obrigatoriamente o mesmo do Sistema Operacional. Isso oferece ao administrador dosistema total controle de quem está usando a ferramenta, garantindo que o usuário possui umaconta na Intranet.Informe de Glaucio GuerraURL: http://www.devmedia.com.brAlguns truques práticosEliminar chamadas aos bancos de dadosEm páginas do tipo portal nas que nas laterais se encontram links que são impressos a partir debancos de dados (distintas seções, serviços,...) existe sempre um efeito lentalizador devido aque se trata de páginas altamente visitadas que efetuam múltiplas chamadas a BDsistematicamente em cada uma de suas páginas.Uma forma de agilizar a visualização destas páginas é textualizando estes links a partir descripts internos. Colocamos o exemplo de Criarweb:Como se pode ver, na lateral existem seções como "Suas Páginas", "Manuais" cujos links estãoarmazenados no banco de dados. Entretanto, os links que se visualizam na página não foramobtidos por chamadas a banco de dados e sim que, cada vez que um novo elemento da seção éadicionado, isto se atualiza automaticamente, por meio de um script, um arquivo texto no qualo novo link é incluído e o mais antigo é eliminado. De fato, este arquivo de texto é o que éinserido no código fonte da página. Deste modo, evitamos meia dúzia de chamadas a bancos dedados cada vez que uma página é vista, o qual permite otimizar recursos de servidor de umamaneira significativa.Eliminar palavras curtas e repetiçõesEm situações na qual nosso banco de dados tem que armazenar campos de textoextremamente longos, e tais campos são requeridos para realizar seleções do tipo LIKE %http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 15 of 90algo%, os recursos do BD podem se ver sensivelmente minguados Uma forma de ajudar agerenciar este tipo de buscas é incluindo um campo adicional.Este campo adicional pode ser criado automaticamente por meio de scripts e nele incluiríamos otexto original, do qual teremos eliminado palavras triviais como artigos, preposições oupossessivos. Além disso, nos encarregaremos de eliminar as palavras que estiverem repetidas.Desta forma poderemos diminuir sensivelmente o tamanho do campo que vai ser realmenteconsultado.Comentamos em outros capítulos que os campos de texto de mais de 255 caracteresdenominados memo não podem ser indexados. Se ainda depois desta primeira filtragem nossocampo continuar sendo longo demais para ser indexado, o que se pode fazer é corta-lo empedaços de 255 caracteres de maneira que o armazenemos em diferentes campos que poderãoser indexados e portanto, consultados com maior rapidez.Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comCriação de tabelasEm geral, a maioria dos bancos de dados possui potentes editores de bancos que permitem acriação rápida e simples de qualquer tipo de tabela com qualquer tipo de formato.Entretanto, uma vez que o banco de dados esteja hospedado no servidor, pode acontecer ocaso de que queiramos introduzir uma nova tabela já seja com caráter temporário (paragerenciar um carrinho de compra, por exemplo) ou permanente, por necessidades concretas denossa aplicação.Nestes casos, podemos, a partir de uma sentença SQL, criar a tabela com o formato quedesejarmos, o qual pode nos poupar mais que um quebra-cabeça.Estes tipos de sentenças são especialmente úteis para bancos de dados como Mysql, os quaistrabalham diretamente com comandos SQL e não por meio de editores.Para criar uma tabela devemos especificar diversos dados: O nome que queremos atribuir, osnomes dos campos e suas características. Ademais, pode ser necessário especificar quaisdestes campos vão ser índices e de que tipo serão.A sintaxe de criação pode variar ligeiramente de um banco de dados para outro já que os tiposde campos aceitos, não estarão completamente padronizados.A seguir explicamos meramente a sintaxe desta sentença e lhes propomos uma série deexemplos:SintaxeCreate Table nome_tabela(nome_campo_1 tipo_1nome_campo_2 tipo_2nome_campo_n tipo_nKey(campo_x,...))Ponhamos agora como exemplo a criação da tabela pedidos que empregamos em capítulosanteriores:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 16 of 90Create Table pedidos(id_pedido INT(4) NOT NULL AUTO_INCREMENT,id_cliente INT(4) NOT NULL,id_artigo INT(4)NOT NULL,data DATE,quantidade INT(4),total INT(4), KEY(id_pedido,id_cliente,id_artigo))Neste caso criamos os campos id os quais são considerados de tipo inteiro de uma longitudeespecificada pelo número entre parênteses. Para id_pedido requeremos que tal campo seincremente automaticamente (AUTO_INCREMENT) de uma unidade a cada introdução a umnovo registro para, desta forma, automatizar sua criação. Por outro lado, para evitar umamensagem de erro, é necessário requerer que os campos que vão ser definidos como índicesnão possam ser nulos (NOT NULL).O campo data é armazenado com formato de data (DATE) para permitir sua correta exploraçãoa partir das funções previstas a tal efeito.Finalmente, definimos os índices numerando-os entre parênteses precedidos da palavra KEY ouINDEX.Da mesma forma poderíamos criar a tabela de artigos com uma sentença como esta:Create Table artigos(id_artigo INT(4) NOT NULL AUTO_INCREMENT,titulo VARCHAR(50),autor VARCHAR(25),editorial VARCHAR(25),preco REAL,KEY(id_artigo))Neste caso pode-se ver que os campos alfanuméricos são introduzidos da mesma forma que osnuméricos. Voltemos a recordar que em tabelas que têm campos comuns é de vital importânciadefinir estes campos da mesma forma para o bom funcionamento da base.Muitas são as opções que se oferecem ao gerar tabelas. Não vamos a trata-las detalhadamente,pois sai do estritamente prático. Mostraremos somente alguns dos tipos de campos que podemser empregados na criação de tabelas com suas características: Tipo Bytes Descrição INT ou Números inteiros. Existem outros tipos de maior ou menor 4 INTEGER longitude específicos de cada banco de dados. DOUBLE ou Números reais (grandes e com decimais). Permitem armazenar 8 REAL todo tipo de número não inteiro. CHAR 1/caractere Alfanuméricos de longitude fixa pré-definida VARCHAR 1/caractere+1 Alfanuméricos de longitude variável Datas, existem múltiplos formatos específicos de cada banco de DATE 3 dados BLOB 1/caractere+2 Grandes textos não indexáveis BIT ou 1 Armazenam um bit de informação (verdadeiro ou falso) BOOLEANhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 17 of 90Informe de Rubén AlvarezMail: ruben@desarrolloweb.comSQL e Programação de Banco de DadosQuero me apresentar a você e iniciar um contato periódico para tratarmos assuntosrelacionados à linguagem SQL e à programação de banco de dados. Trabalho com banco dedados há algum tempo e sei o quanto é importante trocar experiências com outrosprofissionais. Ninguém é capaz de extrair o máximo de um banco de dados, mas, juntos,podemos realizar mais e de uma maneira cada vez melhor.Minha experiência maior tem sido desenvolvida junto ao banco de dados Oracle, mas apadronização do comando SQL e pelo fato de os conceitos de programação de um banco dedados serem facilmente aplicados a qualquer outro banco de dados, faz com que possamostratar destes assuntos quase que universalmente.SQLA linguagem SQL (Structured Query Language) é a base para utilização de bancos de dadosrelacionais. Com a utilização dos comandos básicos (INSERT, DELETE, UPDATE e SELECT) pode-se resolver a maior parte dos problemas relacionados a manutenção e extração de dados nobanco de dados. Com o SQL é possível criar as estruturas básicas de armazenamento, comotabelas e índices. Também há comandos específicos da linguagem para o controle e segurançarelacionado a um banco de dados. Em princípio, os comandos SQL são divididos em: DDL (Data Definition Language) ou Linguagem de definição de dados DML (Data Manipulation Language) ou Linguagem de manipulação de dados DQL (Data Query Language) ou Linguagem de recuperação de dados DCL (Data Control Language) ou Linguagem de controle de dadosO SQL tem sido aprimorado ao longo do tempo. Duas entidades (ANSI – American NationalStandards Institute e ISO – International Standards Organization) vêm, desde 1986, publicandopadrões de especificação da linguagem SQL.Vamos discutir como abordar e tirar o máximo de proveito desta linguagem que éextremamente importante para todos os profissionais de banco de dados. Os principais tópicosque serão de interesse envolvem: Fundamentos da linguagem SQL Extensões e particularidades de cada banco de dados Melhoria no desempenho de consultas Utilização de funções analíticas em banco de dados Tendências do uso da linguagemNaturalmente a idéia é ter uma visão prática, com exemplos e com a abertura de umadiscussão entre todos os leitores.Programação de Banco de DadosOs comandos da linguagem SQL são muito poderosos, mas normalmente consegue-se melhoraro desempenho das aplicações através da programação do banco de dados. Ao desenvolvermódulos que sejam executados diretamente no servidor diminui-se o tráfego de informações narede, esconde-se boa parte das estruturas das tabelas e agiliza-se o processamento e retornodas mensagens. Internamento o banco de dados possui mecanismos integrados que permitemunir as estruturas tradicionais de programação com os comandos SQL.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 18 of 90O banco de dados possui mecanismos próprios que podem ser utilizados em favor dodesenvolvedor. Cada banco de dados possui um conjunto específico de comandos que definema linguagem de programação do banco de dados. No caso do Oracle, a linguagem é o PL/SQL, oSQL Server possui o Transact-SQL, o DB2 possui sua própria linguagem de programação, oPostGreSQL possui diversas extensões que podem ser utilizadas como linguagem deprogramação e o MySQL lançou sua mais recente versão com a possibilidade de programar oservidor. Cada banco de dados é único sob este aspecto, mas todos trabalham sobre osmesmos conceitos. É possível criar módulos programáveis, como funções, procedimentos,objetos, pacotes, gatilhos, etc. Em todos os casos, há um engine responsável pela integração eexecução dos módulos no servidor de banco de dados.Desta forma, os tópicos que serão trabalhados serão: Fundamentos de programação de banco de dados Aspectos avançados da programação Desempenho dos módulos Programação aliada à extração de dados gerenciais Tendências em programação de banco de dadosComo se pode notar, os tópicos são quase os mesmos da linguagem SQL. Também teremosartigos que poderão ser implementados, testados e melhorados por todos os leitores.Informe de Eber M. DuarteURL: http://www.devmedia.com.brFunções para buscas com datas em AccessBuscas com datas em Access Recebemos uma pergunta recentemente de um amigo quedesejava realizar buscas em Access utilizando, nas condições do Where, campos do tipo data.Depois de várias tentativas resgatamos umas anotações que podem ser interessantes parapublicar. Seguro que servem de ajuda a outras pessoas que tenham que trabalhar com datasem consultas de Access.A consulta era a seguinte:Tenho uma tabela com vários campos. Dois deles são datas, que correspondem com umintervalo. Um deles é a data de início do intervalo (datadesde) e outro a de final do intervalo(dataate)Queria saber como se pode fazer uma consulta SQL em Access para obter os registros cujointervalo de datas contenha o dia de hoje.Ou seja, que a data desde seja menor que hoje e data até seja maior que hoje.Estivemos primeiro fazendo duas provas sem êxito, comparando as datas com operadoresaritméticos. Em alguns casos obtivemos a resposta esperada, porém nem sempre funcionavamas sentenças e tínhamos problemas ao executa-las desde Access ou desde o servidor web,porque não devolviam os mesmos resultados.Função DateDiff()Afinal, a resposta que propusemos passou por utilizar a função DateDiff, que serve para obter adiferença entre duas datas. Por exemplo:DateDiff("y", #06/10/2004#, Now())http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 19 of 90Conta-nos os dias que passaram desde seis de outubro de 2004.Nós podemos utiliza-la como condição em um where de uma sentença SQL. Por exemplo, parauma sentença como esta:DateDiff("y",A,B) Se são iguais, a função devolverá zero. Se A é uma data anterior a B, então a função devolverá um número de dias que será maior que zero. Se A é uma data posterior a B, então devolverá um número de dias que será menor que zero.Temos que comparar o dia de hoje com as datas desde e ate. Hoje tem que ser maior quedesde e menor que ate. Fica como resultado esta sentença:SELECT * FROM vuelos WHEREDateDiff(y,datadesde,now())>=0and DateDiff(y,dataate,nom())<=0 Nota: Há que ter cuidado com o idioma das datas, pois em português se escrevem de maneira diferente que em inglês. Access tenta interpretar a data corretamente, por exemplo, se introduzimos 02/26/04 pensará que está trabalhando em datas em inglês e se introduzimos 26/02/04 pensará que estamos escrevendo as datas em português. O problema é com uma data como 02/02/04 que seu valor dependerá de como esteja configurado o Access, em português ou em inglês.Função DatePartServe para extrair parte de uma data. Recebe dois parâmetros, o primeiro indica mediante umstring a parte a obter. O outro parâmetro é a data com a que se deseja trabalhar.DatePart("m",data)Neste caso está sendo indicado que se deseja obter o mês do ano. Outro valor possível para oprimeiro parágrafo é, por exemplo "yyyy", que se utiliza para obter o ano com quatro dígitos.Um exemplo de sentença SQL que utiliza esta função pode ser a seguinte:SELECT DatePart("yyyy",validadedesde) FROM voosFunção DateAddEsta última função que vamos ver no presente artigo serve para acrescentar à data, algo comodias, meses ou anos. Para isso a função recebe três parâmetros, o primeiro corresponde comum string para indicar as unidades do que desejamos acrescentar, por exemplo, dias, meses ouanos. O segundo parâmetro é o número de dias, meses ou anos a adicionar e o terceiroparâmetro é a data a qual somar esses valores. Vemos um exemplo de sua sintaxe:DateAdd("yyyy",10,validadedesde)Neste exemplo a função DateAdd devolveria uma data dez anos posterior a validadedesde.Outros valores para o string do primeiro parâmetro são "d", para acrescentar dias, ou "m", paraacrescentar meses.Um exemplo do funcionamento desta função em uma sentença SQL é a seguinte:SELECT DateAdd("yyyy",10,validadedesde) FROM voosInforme de M. A. A. Tradução Juliana MonteiroMail: juliana@criarweb.comhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 20 of 90Função em SQL para o cálculo de dias de trabalho/*Primeiramente declaramos que vamos criar uma função, neste caso se chama Dif Dias e recebe dois parâmetros, adata inicial do período e a final*/CREATE FUNCTION DifDias(@StartDate DATETIME,@EndDate DATETIME)RETURNS integerASBegin//Com esta variavel calculamos quantos dias "normais" existem na classe de datasDECLARE @DaysBetween INT//Com esta variavel acumulamos os dias totaisDECLARE @BusinessDays INT//esta variavel nos serve de contador para saber quando chegarmos ao ultimo dia da classeDECLARE @Cnt INT/*esta variavel eh a que comparamos para saber se o dia que esta calculando eh sabado ou domingo*/DECLARE @EvalDate DATETIME/*Estas duas variaveis servem para comparar as duas datas, se sao iguais, a funcao nos regressa um 0*/DECLARE @ini VARCHAR(10)DECLARE @fin VARCHAR(10)//Iniciamos algumas variaveisSELECT @DaysBetween = 0SELECT @BusinessDays = 0SELECT @Cnt=0//Calculamos quantos dias normais existem na classe de datasSELECT @DaysBetween = DATEDIFF(DAY,@StartDate,@EndDate) + 1/*Ordenamos o formato das datas para que não importando como se proporcionem se comparem igual*/SELECT @ini = (SELECT CAST((CAST(datepart(dd,@StartDate)ASVARCHAR(2))+/+ CAST(datepart(mm,@StartDate)ASVARCHAR(2))+/+CAST(datepart(yy,@StartDate)AS VARCHAR(4))) asvarchar(10)))SELECT @fin = (SELECT CAST((CAST(datepart(dd,@EndDate)ASVARCHAR(2))+/+ CAST(datepart(mm,@EndDate)AS VARCHAR(2))+/+CAST(datepart(yy,@EndDate)AS VARCHAR(4)))as varchar(10)))//Comparam-se as duas datasIF @ini <>@finBEGIN/*Se a diferenca de datas for igual a dois, eh porque so foi transcorrido um dia, portanto somente se valida de que naovai marcar dias de mais*/IF @DaysBetween = 2BEGINSELECT @BusinessDays = 1ENDELSEBEGINWHILE @Cnt < @DaysBetweenBEGIN/*Iguala-se a data que vamos calcular para saber se eh sabado ou domingo na variavel @EvalDate somando os diasque marque o contador, o qual nao deve ser maior que o numero total de dias que existem na classe de datas*/SELECT @EvalDate = @StartDate + @Cnthttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 21 of 90/*Utilizando a funcao datepart com o parametro dw que calcula que dia da semana corresponde uma data determinada,determinados que nao seja sabado (7) ou domingo (1)*/IF ((datepart(dw,@EvalDate) <> 1) and(datepart(dw,@EvalDate) <> 7) )BEGIN/*Se nao eh sabado ou domingo, entao se soma um ao total de dias que queremos desdobrar*/SELECT @BusinessDays = @BusinessDays + 1END//Soma-se um dia a mais ao contadorSELECT @Cnt = @Cnt + 1ENDENDENDELSEBEGIN//Se fosse certo que as datas eram iguales se desdobraria em zeroSELECT @BusinessDays = 0END//Ao finalizar o ciclo, a funcao regressa o numero total de diasreturn (@BusinessDays)ENDInforme de Rosendo Lopez RoblesMail: soulus@gmail.comSQL com OracleIntrodução:Antes de começar, gostaria de dizer que este curso está baseado em Oracle, ou seja, osexemplos expostos e o material foram atualizados sobre Oracle. Por outro lado dizer que achointeressante saber algo de SQL antes de começar com MYSQL, já que, embora existam algumasmudanças insignificantes, sabendo manejar SQL você saberá manejar MYSQL.Algumas características: SQL: Structured query language. Permite a comunicação com o sistema administrador de banco de dados. Em seu uso pode-se especificar o que quer o usuário. Permite fazer consulta de dados.Tipos de dados:CHAR: Têm uma longitude fixa. Armazena de 1 a 255. Se introduzimos uma cadeia de menos longitude que a definida se preencherá com brancos à direita até ficar completa. Se introduzirmos uma cadeia de maior longitude que a fixada nos dará um erro.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 22 of 90VARCHAR: Armazena cadeias de longitude variável. A longitude máxima é de 2000 caracteres. Se introduzimos uma cadeia de menor longitude que a que está definida, se armazena com essa longitude e não se preencherá com brancos nem com nenhum outro caractere à direita até completar a longitude definida. Se introduzimos uma cadeia de maior longitude que a fixada, nos dará um erro.NUMBER: Armazenam-se tanto inteiros como decimais. Number (precisão, escala) Exemplo: X=number (7,2) X=155862 à Erro já que só pode tomar 2 decimais X= 15586 à Bem Nota: A categoria máxima vai de 1 a 38.LONG: Não armazena números de tamanho grande, e sim cadeias de caracteres de até 2 GBDATE: Armazena a data. Armazena da seguinte forma: Seculo/Ano/Mes/Dia/Hora/Minutos/SegundosRAW: Armazena cadeias de Bytes (gráficos, áudio…)LONGRAW: Como o anterior, mas com maior capacidade.ROWID: Posição interna de cada uma das colunas das tabelas. Sentenças de consultas de dados Select: Select [ALL | Distinct] [expresao_coluna1, expresao_coluna2, …., | *] From [nome1, nome_tabela1, …, nome_tabelan] {[Where condicao] [Order By expresao_coluna [Desc | Asc]…]};Vamos explicar como ler a consulta anterior e assim seguir a pauta para todas as demais.Quando compomos [] significa que a que vai dentro deve existir, e sim, além disso, colocamos |http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 23 of 90significa que deveremos escolher um valor dos que colocamos e não mais de um. Em troca secolocarmos {} significa que o que vai dentro das chaves pode ir ou não, ou seja, é opcional e secolocará segundo a consulta. Nota: No select o valor por default entre ALL e DISTINCT é ALL. Alias = O novo nome que se dá a uma tabela. Coloca-se entre aspas Order By = Ordena ascendentemente (Asc) (valor por default) ou descendentemente (Desc). All = Recupera todas as filas da tabela embora estejam repetidas. Distinct = Só recupera as filas que são distintas. Desc Emple; = Dá um resumo da tabela e suas colunas. Neste caso da tabela Emple. Not Null= Se aparecer em uma lista de uma coluna significa que a coluna não pode ter valores nulos. Null= Se estiver nulo. Nota: Note que cada consulta de SQL que fazemos temos de termina-la com um ponto e vírgula";".Vários exemplos para vê-lo mais claro: SELECT JOGADOR_NO, SOBRENOME, POSICAO, TIME FROM JOGADORES WHERE TIME_NO = FLAMENGO ORDER BY SOBRENOME;Este exemplo mostra o número do jogador (jogador_no) o sobrenome (Sobrenome), a posiçãona que joga (Posição), e o time (Time) ao que pertence.Selecionará todos os dados da tabela jogadores onde (Where) o nome do time (Time_No) forigual que a palavra Flamengo e se ordenará (order by) sobrenome. Observe também que nãopõe nem Distinct nem All. Por padrão, gerará a sentença com ALL. SELECT * FROM JOGADORES WHERE POSICAO = ATACANTE ORDER BY JOGADOR_NO;Este exemplo mostra todos os campos da tabela jogadores onde (Where) a posição for igualque Atacante e o ordena por número de jogador. Ao não colocar nada se supõe que éascendentemente (Asc). SELECT * FROM JOGADORES WHERE TIME_NAO = FLAMENGO AND POSICAO = ATACANTE ORDER BY SOBRENOME DESC, JOGADOR_NAO ASC;Neste exemplo seleciona todos os campos da tabela jogadores onde (Where) o nome do timefor igual a Flamengo e a posição dos jogadores for igual a Atacante. Por ultimo os ordena porSobrenome descendentemente e por número de jogador ascendentemente.Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/SQL com Oracle. OperadoresOperadores aritméticos:+ = Soma- = Subtraçãohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 24 of 90* = Multiplicação/ = DivisiãoOperadores de comparação e lógicos:!> = Diferente>= = Maior ou igual que<= = Menor ou igual que = = Igual queLike = Utiliza para unir cadeias de caracteres. Propriedades: % = representa qualquer cadeia de caracteres de 0 ou mais caracteres. _= representa um único caractere qualquer.Not = NegaçãoAnd = e a and b Certo se são certas a e b.Or = o a or b Certo se a ou b são certasVejamos dois exemplos:Obtemos os dados dos jogadores cujos sobrenomes comecem com a letra "S": SELECT SOBRENOMES FROM JOGADORES WHERE SOBRENOMES LIKE S%;Obtemos aqueles sobrenomes que tiverem uma "R" na segunda posição: SELECT SOBRENOMES FROM JOGADORES WHERE SOBRENOMES LIKE _R*;Obtemos aqueles sobrenomes que começam por "A" e tem uma "o" em seu interior: SELECT SOBRENOMES FROM JOGADORES WHERE SOBRENOMES LIKE A%O%;Comprovação com conjuntos de valores: In= permite saber se uma expressão pertence ou não a um conjunto de valores. Between= permite saber se uma expressão está ou não entre esses valores:Exemplo: SELECT SOBRENOMES FROM JOGADORES WHERE JOGADOR_NUM IN (10, 20);Seleciona os sobrenomes dos jogadores onde o número de jogador (Jogador_num) seja (In) ou10 ou 20 SELECT SOBRENOMES FROM JOGADORES WHERE SALARIO NOT BETWEEN 15000000 AND 20000000;Seleciona os sobrenomes dos jogadores onde o salário destes não esteja entre (Not Between)15000000 e 20000000.Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 25 of 90Sub-consultas SQLSub-consultas:Consulta que se faz sobre os dados que nos dá outra consulta. Seu formato é: SELECT______ FROM________ WHERE CONDICAO OPERADOR (SELECT ______ FROM ___________ WHERE CONDICAO OPERADOR); Exemplo:Obtemos os jogadores com a mesma posição que "Sanchez": SELECT SOBRENOME FORM EMPLE WHERE POSICAO = (SELECT OFICIO FROM EMPLE WHERE SOBRENOME LIKE GIL);Selecionamos em todos os campos da tabela Jogadores cuja sede está em Madrid ou Barcelona:SELECT * FROM JOGADORES WHERE EQUIPE_NOM IN (SELECT EQUIPE_NOM FROM SEDE WHERE LOC IN (MADRID, BARCELONA); FROM SEDE WHERE LOC IN (MADRID, BARCELONA);Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Funções SQLFunções de valores simples:ABS(n)= Devolve o valor absoluto de (n).CEIL(n)=Obtém o valor inteiro imediatamente superior ou igual a "n".FLOOT(n) = Devolve o valor inteiro imediatamente inferior ou igual a "n".MOD (m, n)= Devolve o resto resultante de dividir "m" entre "n".NVL (valor, expressão)= Substitui um valor nulo por outro valor.POWER (m, exponente)= Calcula a potência de um número.ROUND (numero [, m])= Arredonda números com o número de dígitos de precisão indicados.SIGN (valor)= Indica o signo do "valor".SQRT(n)= Devolve a raiz quadrada de "n".TRUNC (numero, [m])= Trunca números para que tenham uma certa quantidade de dígitos deprecisão.VAIRANCE (valor)= Devolve a média de um conjunto de valores.Funções de grupos de valores:AVG(n)=Calcula o valor médio de "n" ignorando os valores nulos. Conta o número de vezes que a expressão avalia algum dado com valorCOUNT (* | Expressão)=não nulo. A opção "*" conta todas as filas selecionadas.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 26 of 90MAX (expressão)= Calcula o máximo.MIN (expressão)= Calcula o mínimo.SUM (expressão)= Obtém a soma dos valores da expressão.GREATEST (valor1, valor2…)= Obtém o maior valor da lista.LEAST (valor1, valor2…)= Obtém o menor valor da lista.Funções que devolvem valores de caracteres:CHR(n) = Devolve o caractere cujo valor em binário é equivalente a "n".CONCAT (cad1, cad2)= Devolve "cad1" concatenada com "cad2".LOWER (cad)= Devolve a cadeia "cad" em minúsculas.UPPER (cad)= Devolve a cadeia "cad" em maiúsculas.INITCAP (cad)= Converte a cadeia "cad" a tipo título.LPAD (cad1, n[,cad2])= Adiciona caracteres à esquerda da cadeia até que tenha uma certalongitude.RPAD (cad1, n[,cad2])= Adiciona caracteres à direita até que tenha uma certa longitude.LTRIM (cad [,set])= Suprime um conjunto de caracteres à esquerda da cadeia.RTRIM (cad [,set])= Suprime um conjunto de caracteres à direita da cadeia.REPLACE (cad, cadeia_busca [, cadeia_substitucao])= Substitui um caractere ou caracteres de uma cadeiacom 0 ou mais caracteres.SUBSTR (cad, m [,n])= Obtém parte de uma cadeia.TRANSLATE (cad1, cad2, cad3)= Converte caracteres de uma cadeia em caracteres diferentes,segundo um plano de substituição marcado pelo usuário.Funções que devolvem valores numéricos:ASCII(cad)=Devolve o valor ASCII da primeira letra da cadeia "cad". Permite uma busca de um conjunto de caracteres em umaINSTR (cad1, cad2 [, comeco [,m]])=cadeia, mas não suprime nenhum caractere depois.LENGTH (cad)= Devolve o número de caracteres de cad.Funções para o manejo de datas:SYSDATE= Devolve a data do sistema.ADD_MONTHS (data, n)= Devolve a data "data" incrementada em "n" meses.LASTDAY (data)= Devolve a data do último dia do mês que contém "data".MONTHS_BETWEEN (data1, data2)= Devolve a diferença em meses entre as datas "data1" e "data2".NEXT_DAY (data, cad)= Devolve a data do primeiro dia da semana indicado por "cad" depois dadata indicada por "data".Funções de conversão:TO_CHAR= Transforma um tipo DATE ou NUMBER em uma cadeia de caracteres.TO_DATE=Transforma um tipo NUMBER ou CHAR em DATE.TO_NUMBER= Transforma uma cadeia de caracteres em NUMBER.Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Agrupamento e combinação de elementos com SQLAgrupamento de elementos. Group by e Having:Para saber qual é o salário médio de cada departamento da tabela Jogadores seria: SELECT TIME_NO, AVG (SALARIO) "SALARIO MEDIO" FROM JOGADOREShttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 27 of 90 GROUP BY DEPT_NO;A sentença "Select" possibilita agrupar um ou mais conjuntos de filas. O agrupamento se realizamediante a cláusula "GROUP BY" pelas comunas especificadas e na ordem especificada.Formato: SELECT… FROM… GROUP BY COLUNA1, COLUNA2, COLUNAN… HAVING CONDICAO GROUP BY …Os dados selecionados na sentença "Select" que leva o "Group By" devem ser: Uma constante. Uma função de grupo (SUM, COUNT, AVG…) Uma coluna expressa no Group By.A cláusula Group By serve para calcular propriedades de um ou mais conjuntos de filas. Se seseleciona mais de um conjunto de filas, Group By controla que as filas da tabela original sejamagrupadas em um temporário.A cláusula Having se emprega para controlar qual dos conjuntos de filas se visualiza. Avalia-sesobre a tabela que devolve o Group By. Não pode existir sem Group By.Having é parecido ao Where, porém trabalha com grupos de filas; pergunta por umacaracterística de grupo, ou seja, pergunta pelos resultados das funções de grupo, o qual Wherenão pode fazer.Combinação externa (outer joins):Permite-nos selecionar algumas filas de uma tabela embora estas não tenham correspondênciacom as filas da outra tabela com a que se combina. Formato:SELECT TABELA1.COLUNA1, TABELA1.COLUNA2, TABELA2.COLUNA1, TABELA2.COLUNA2 FROM TABELA1, TABELA2 WHERE TABELA1.COLUNA1 = TABELA2.COLUNA1 (+);Isto seleciona todas as filas da tabela "tabela1" embora não tenham correspondência com asfilas da tabela "tabela2", se utiliza o símbolo +.O resto de colunas da tabela "tabela2" se preenche com NULL.Union, intersec e minus:Permite combinar os resultados de vários "Select" para obter um único resultado. Formato: SELECT… FROM… WHERE… OPERADOR_DE_CONJUNTO SELECT…FROM…WHERE…UNION= Combina os resultados de duas consultas. As filas duplicadas que aparecem se reduzema uma fila única.UNION ALL= Como a anterior, porém aparecerão nomes duplicados.INTERSEC= Devolve as filas que são iguais em ambas consultas. Todas as filas duplicadas serãoeliminadas.MINUS= Devolve aquelas filas que estão na primeira "Select" e não estão na segunda "Select".As filas duplicadas do primeiro conjunto se reduzirão a uma fila única antes que comece acomparação com o outro conjunto.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 28 of 90Regras para a utilização de operadores de conjunto: As colunas das duas consultas se relacionam em ordem, da esquerda à direita. Os nomes de coluna da primeira sentença "Select" não tem porque ser os mesmos que os nomes da segunda. Os "Select" necessitam ter o mesmo número de colunas. Os tipos de dados devem coincidir, embora a longitude não tem que ser a mesma.>Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Manipulação de dados com SQLInsert, Update e Delete:Insert:Adicionam-se filas de dados em uma tabela: INSERT INTO NOMBTABELA [(COL [,COL]…)] VALUES (VALOR [,VALOR]…);Nometabela= É a tabela na que se vão inserir as filas.Propriedades: Se as colunas não se especificam na cláusula Insert se consideram, por padrão, todas as colunas da tabela. As colunas às quais damos valores se identificam pelo seu nome. A associação coluna valor é posicional. Os valores que se dão às colunas devem coincidir com o tipo de dado definido na coluna. Os valores constantes de tipo caractere tem de ir fechados entre aspas simples ( ) (os de tipo data também).Com Select:Adicionam-se tantas filas como devolva a consulta: INSERT INTO NOMBTABELA [(COL [,COL]…)] SELECT {COLUNA [, COLUNA]… | *} FROM NOMETABELA2 [CLAUSULAS DE SELECT];Update:Atualiza os valores das colunas para uma ou várias filas de uma tabela: UPDATE NOMETABELA SET COLUNA1= VALOR1, …, COLUNAN= VALORN WHERE CONDICAO;Set= Indica as colunas que vão se atualizar e seus valores.Com Select:Quando a subconsulta (orden select) forma parte de SET, deve selecionar o mesmo número dehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 29 of 90colunas, (com tipos de dados adequados) que os que existem entre parênteses ao lado de SET. UPDATE NOMETABELA SET COLUNA= VALOR1, COLUNA2= VALOR2, … WHERE COLUNA3= (SELECT…)OU UPDATE NOMETABELA SET (COLUNA1, COLUNA2, …)= (SELECT …) WHERE CONDICAO;Delete:Elimina uma ou várias filas de uma tabela:DELETE [FROM] NOMETABELAWHERE CONDICAO;Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Chaves primárias com SQL com OracleRollback:Permite ir até o último COMMIT feito ou em seu padrão até o começo das ordens com o queestas não se executam.Commit:Quando executamos ordens, estas não são criadas na tabela até que coloquemos esta ordem,portanto as mudanças realizadas se perderão se ao sair do programa não realizarmos estaação. Pode se programar para que seja feito automaticamente.Algumas ordens que levam COMMIT implícito: QUIT EXIT CONNECT DISCONNECT CREATE TABLE CREATE VIEW GRANT REVOQUE DROP TABLE DROP VIEW ALTER AUDIT NO AUDITCriação de uma tabela:Seu primeiro caractere deve ser alfabético e o resto pode ser letras, números e o caracteresublinhado. CREATE TABLE NOMETABELA (COLUNA1 TIPO_DADO {NOT NULL},http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 30 of 90 COLUNA2 TIPO_DADO {NOT NULL}, … ) TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA;Características: As definições individuais de colunas se separam mediante vírgulas. Não se coloca vírgula depois da última definição de coluna. As maiúsculas e minúsculas são indiferentes.Os usuários podem consultar as tabelas criadas por meio da vista USER_TABLES.Integridade de dados:A integridade faz referência ao fato de que os dados do banco de dados têm que se ajustar àsrestrições antes de se armazenar nele. Uma restrição de integridade será:Uma regra que restringe classe de valores para uma ou mais colunas na tabela.Restrições em create table:Usamos a cláusula CONSTRAINT, que pode restringir uma só coluna ou um grupo de colunas deuma mesma tabela.Existem dois modos de especificar restrições: Como parte da definição de colunas. Afinal, uma vez especificadas todas as colunas.Formato: CREATE TABLE NOME_TABELA (COLUNA1 TIPO_DE_DADO {CONSTRAINT NOME_RESTRICAO} {NOT NULL} {UNIQUE} {PRIMARY KEY} {DEFAULT VALOR} {REFERENCES NOMETABELA [(COLUNA, [,COLUNA]) {ON DELETE CASCADE}} {CHECK CONDICAO}, COLUNA2... ) {TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA} ;CREATE TABLE NOME_TABELA (COLUNA1 TIPO_DADO , COLUNA2 TIPO_DADO, COLUNA3 TIPO_DADO, ... {CONSTRAINT NOMERESTRICAO} [{UNIQUE} | {PRIMARY KEY} (COLUNA [, COLUNA])], {CONSTRAINT NOMERESTRICAO} {FOREIGN KEY (COLUNA [, COLUNA]) REFERENCES NOMETABELA {(COLUNA [, COLUNA]) {ON DELETE CASCADE}}, {CONSTRINT NOMERESTRICAO} {CHECK (CONDICAO)} … )[TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA];Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 31 of 90Definição de chaves para tabelas e restriçõesChave primária: Primary keyÉ uma coluna ou um conjunto de colunas que identificam univocamente a cada fila. Deve serúnica, não nula e obrigatória. Como máximo, podemos definir uma chave primária por tabela.Esta chave pode ser referenciada por uma coluna ou colunas. Quando se cria uma chaveprimária, automaticamente se cria um índice que facilita o acesso à tabela.Formato de restrição de coluna: CREATE TABLE NOME_TABELA(COL1 TIPO_DADO [CONSTRAINT NOME_RESTRICAO] PRIMARY KEY COL2 TIPO_DADO…)[TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA];Formato de restrição de tabela: CREATE TABLE NOME_TABELA (COL1 TIPO_DADO, COL2 TIPO_DADO,…[CONSTRAINT NOMERESTRICAO] PRIMARY KEY (COLUNA [,COLUNA]),…)[TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA];Chaves alheias: Foreign Key:Está formada por uma ou várias colunas que estão associadas a uma chave primária de outraou da mesma tabela. Pode-se definir tantas chaves alheias quantas se necessite, e podem estarou não na mesma tabela que a chave primária. O valor da coluna ou colunas que são chavesalheias deve ser: NULL ou igual a um valor da chave referenciada (regra de integridadereferencial).Formato de restrição de coluna: CREATE TABLE NOME_TABELA (COLUNA1 TIPO_DADO [CONSTRAINT NOMERESTRICAO]REFERENCES NOMETABELA [(COLUNA)] [ON DELETE CASCADE] … )[TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA];Formato de restrição de tabela: CREATE TABLE NOME_TABELA (COLUNA1 TIPO_DADO, COLUNA2 TIPO_DADO, … [CONTRAINT NOMERESTRICAO] FOREIGN KEY (COLUNA [,COLUNA]) REFERENCES NOMETABELA [(COLUNA [, COLUNA])] [ON DELETE CASCADE], )[TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA];Notas: Na cláusula REFERENCES indicamos a tabela a qual remite a chave alheia. Há que criar primeiro uma tabela e depois aquela que lhe faz referência. Há que apagar primeiro a tabela que faz referência a outra tabela e depois a tabela que não faz referência. Eliminado em cascata (ON DELETE CASCADE): Se eliminarmos uma fila de uma tabelahttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 32 of 90 mãe, todas as filas da tabela detalhe cuja chave alheia seja referenciada se eliminarão automaticamente. A restrição se declara na tabela detalhe. A mensagem "n filas eliminadas" só indica as filas eliminadas da tabela mãe.NOT NULL: Significa que a coluna não pode ter valores nulos.DEFAULT: Proporcionamos a uma coluna um valor padrão quando o valor da coluna não seespecifica na cláusula INSERT. Na especificação DEFAULT é possível incluir várias expressões:constantes, funções SQL e variáveis UID e SYSDATE.Verificação de restrições: CHECK: Atua como uma cláusula where. Pode fazer referência a umaou mais colunas, porém não a valores de outras filas. Em uma cláusula CHECK não se podemincluir sub-consultas nem as pseudo-consultas SYSDATE, UID e USER. Nota: A restrição NOT NULL é similar a CHECK (NOME_COLUNA IS NOT NULL)UNIQUE: Evita valores repetidos na mesma coluna. Pode conter uma ou várias colunas. Ésimilar à restrição PRIMARY KEY, salvo que são possíveis várias colunas UNIQUE definidas emuma tabela. Admite valores NULL. Assim como em PRIMARY KEY, quando se define umarestrição UNIQUE se cria um índice automaticamente.Vistas do dicionário de dados para as restrições:Contém informação geral as seguintes:USER_CONSTRAINTS: Definições de restrições de tabelas propriedade do usuário.ALL_CONSTRAINTS: Definições de restrições sobre tabelas as quais pode acessar o usuário.DBA_CONSTRAINTS: Todas as definições de restrições sobre todas as tabelas.Criação de uma tabela com dados recuperados em uma consulta:CREATE TABLE: permite criar uma tabela a partir da consulta de outra tabela já existente. Anova tabela conterá os dados obtidos na consulta. Realiza-se esta ação com a cláusula AScolocada ao final da ordem CREATE TABLE. CREATE TABLE NOMETABELA (COLUNA [,COLUNA] )[TABLESPACE ESPACO_DE_TABELA] AS CONSULTA;Não é necessário especificar tipos nem tamanho das consultas, já que vêm determinadas pelostipos e os tamanhos das recuperadas na consulta.A consulta pode ter uma sub-consulta, uma combinação de tabelas ou qualquer sentença selectválida.As restrições COM NOME não se criam em uma tabela desde a outra, só se criam aquelasrestrições que carecem de nome.Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Supressão e modificação de tabelas com SQLSupressão de tabelas:DROP TABLE: suprime uma tabela do banco de dados. Cada usuário pode eliminar suas própriastabelas, porém só o administrador ou algum usuário com o privilégio "DROP ANY TABLE" podeeliminar as tabelas de outro usuário. Ao suprimir uma tabela também se suprimem os índices eos privilégios associados a ela. As vistas e os sinônimos criados a partir desta tabela deixam dehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 33 of 90funcionar, mas continuam existindo no banco de dados, portanto deveríamos elimina-los.Exemplo: DROP TABLE [USUARIO].NOMETABELA [CASCADE CONSTRAINTS];TRUNCATE: permite suprimir todas as filas de uma tabela e liberar o espaço ocupado paraoutros usos sem que reapareça a definição da tabela do banco de dados. Uma ordemTRUNCATE não se pode anular, assim como também não ativa os disparadores DELETE. TRUNCATE TABLE [USUARIO.]NOMETABELA [{DROP | REUSE} STORAGE];Modificação de tabelas:Modificam-se as tabelas de duas formas: Mudando a definição de uma coluna (MODIFY) ouacrescentando uma coluna a uma tabela existente (ADD):Formato:ALTER TABLE NOMETABELA{[ADD (COLUNA [,COLUNA]…)][MODIFY (COLUNA [,COLUNA]…)][ADD CONSTRAINT RESTRICAO][DROP CONSTRAINT RESTRICAO]};ADD= Adiciona uma coluna ou mais no final de uma tabela.MODIFY= Modifica uma ou mais colunas existentes na tabela.ADD CONSTRAINT= Adiciona uma restrição à definição da tabela.DROP CONSTRAINT= Elimina uma restrição da tabela.Na hora de adicionar uma coluna a uma tabela há que ter em conta: Se a coluna não estiver definida como NOT NULL pode-se adicionar em qualquer momento. Se a coluna estiver definida como NOT NULL pode-se seguir estes passos: 1. Adiciona-se uma coluna sem especificar NOT NULL. 2. Dá-se valor à coluna para cada uma das filas. 3. Modifica-se a coluna NOT NULL.Ao modificar uma coluna de uma tabela, há que ter em conta: Pode-se aumentar a longitude de uma coluna em qualquer momento. É possível aumentar ou diminuir o número de posições decimais em uma coluna de tipo NUMBER. Se a coluna for NULL em todas as filas da tabela, pode-se diminuir a longitude e modificar o tipo de dado. A opção MODIFY… NOT NULL só será possível quando a tabela não contiver nenhuma fila com valor nulo na coluna que se modifica.Adição de restrições:Com a ordem ALTER TABLE se acrescentam restrições a uma tabela.Formato:ALTER TABLE NOMETABELAADD CONSTRAINT NOMECONSTRAINT…Eliminação de restrições:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 34 of 90A ordem ALTER TABLE com a cláusula DROP CONSTRAINT; com a que se eliminam as restriçõescom nome e as atribuídas pelo sistema. Formato:ALTER TABLE NOMETABELADROP CONSTRAINT NOME_CONSTRAINT,NOME_RESTRICAO:Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Gerenciamento de vistas em SQLCriação e uso de vistasNão contém informação por si mesmas, e sim, estão baseadas nas que contém outras tabelas ereflete os dados destas.Se se suprime uma tabela a vista associada se invalida. Formato: CREATE [OR REPLACE] VIEW NOMEVISTA [(COLUNA [,COLUNA])] AS CONSULTA;AS CONSULTA= Determina as colunas e as tabelas que aparecerão na vista.[OR REPLACE]= Cria de novo a vista se já existia.Para consultar a vista criada, USER_VIEWS:SELECT VIEW_NAME FROM… Nota: ao eliminar as tabelas, as vistas dessas tabelas não se eliminam e ficam inutilizadas.Eliminação de vistasFaz-se com DROP VIEW. Formato:DROP VIEW NOMEVISTA;Operações sobre vistasPode-se realizar as mesmas operações que se fazem sobre as tabelas. Restrições: Atualização. Se uma vista está baseada em uma só tabela, pode-se modificar as filas da vista. A modificação da vista muda a tabela sobre a qual está definida. Eliminação de filas através de uma vista= Para eliminar filas de uma tabela através de uma vista, esta se deve criar: Com filas de uma só tabela. Sem utilizar a cláusula GROUP BY nem DISTINCT. Sem usar funções de grupo ou referências a pseudo-colunas. Atualização de filas através de uma vista: Para atualizar filas em uma tabela através de uma vista, esta tem que estar definida segundo as restrições anteriores e, ademais, nenhuma das colunas que vai se atualizar terá definido como uma expressão. Inserção de filas através de uma vista: Para inserir filas em uma tabela através de uma vista, há que ter em conta todas as restrições anteriores e, ademais, todas as colunas obrigatórias da tabela associada devem estar presentes na vista. Manejo de expressões e de funções em vistas: Pode-se criar vistas usando funções, expressões em colunas e consultas avançadas, porém unicamente se emparelhamhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 35 of 90 consultar estas vistas. Também podemos modificar filas sempre e quando a coluna que vai se modificar não for a coluna expressada em forma de cálculo ou com funções. Nota: Não é possível inserir filas se as colunas da vista contém cálculos ou funções.Mudanças de nomeRENAME muda o nome de uma tabela, vista ou sinônimo. O novo nome não pode ser umapalavra reservada no nome de um objeto que o usuário tiver criado. As restrições deintegridade, os índices e as permissões dadas ao objeto se transferem automaticamente aonovo objeto.REANME NOME_ANTERIOR TO NOME_NOVO;Com esta ordem não podemos re-nomear colunas de uma tabela, estas se re-nomeiammediante CREATE TABLE AS…Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Usuários em OracleÉ um nome definido no banco de dados que se pode conecta-lo e acessar a determinadosobjetos segundo certas condições que o administrador estabelece.Os objetos do dicionário de dados aos que um usuário pode acessar, encontram-se na vistaDICTIONARY, que é propriedade do usuário SYS. DESC DICTIONARY;Com a ordem: SELECT TABLENAME FROM DICTIONARY;Visualizam-se os objetos do dicionário de dados aos que se pode acessar.Criação de usuários: CREATE USER NOME_USUARIO IDENTIFIED BY SENHA_ACESSO [DEFAULT TABLESPACE ESPACO_TABELA] [TEMPORARY TABLESPACE ESPACO_TABELA] [COTA {INTEIRO {K | M} | UNLIMITED } ON ESPACO_TABELA] [PROFILE PERFIL];DEFAULT TABLESPACE= Atribui a um usuário o tablespace padrão para armazenar os objetosque crie. Se não se atribui nenhum, o tablespace padrão é SYSTEM.TEMPORARY TABLESPACE= Especifica o nome do tablespace para trabalhar temporais. Se nãose especifica nenhum, o tablespace padrão é SYSTEM.QUOTA= Atribui um espaço em megabites ou kilobites no tablespace atribuído. Se não seespecifica esta cláusula, o usuário não tem cota atribuída e não poderá criar objetos notablespace. Para ter espaço e acesso ilimitado a um tablespace é: GRANT UNLIMITED TABLESPACE NOME_TABLESPACE;PROFILE= Atribui um perfil a um usuário.Modificação de usuários:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 36 of 90 ALTER USER NOME_USUARIO IDENTIFIED BY SENHA _ACESSO [DEFAULT TABLESPACE ESPACO_TABELA] [TEMPORARY TABLESPACE ESPACO_TABELA] [COTA {INTEIRO {K | M } | UNLIMITED } ON ESPACO_TABELA [PROFILE PERFIL];Eliminação de usuarios: DROP USER USUARIO [CASCADE];CASCADE= Suprime todos os objetos do usuário antes de elimina-lo.Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Gerenciamento em Oracle com SQLPrivilégiosé a capacidade de um usuário dentro do banco de dados a realizar determinadas operações ouacessar a determinados objetos de outros usuários.Privilégios sobre os objetosPermite-nos acessar e realizar mudanças nos dados de outros usuários. Exemplo: O privilégiode consultar a tabela de outro usuário é um privilégio sobre objetos. GRANT {PRIV_OBJETO [, PRIV_OBJETO]… | ALL [PRIVILEGES]} [(COL [,COL]…)] ON [USUARIO] OBJETO TO {USUARIO | ROL | PUBLIC} [,{USUARIO | ROL | PUBLIC}…] [WITH GRANT OPTION];ON= Especifica o objeto sobre o qual se dão os privilégios.TO= Identifica aos usuários ou rols aos quais se concedem os privilégios.ALL= Concede todos os privilégios sobre o objeto especificado.WITCH GRANT OPTION= Permite que o receptor do privilégio ou rol se atribua a outros usuáriosou rols.PUBLIC= Atribui os privilégios a todos os usuários atuais e futuros: O propósito principal dogrupo PUBLIC é garantir o acesso a determinados objetos a todos os usuários do banco dedados.Privilégios de sistemaDão direito a executar um tipo de comando SQL ou a realçar alguma ação sobre objetos de umtipo especificado. Por exemplo, o privilégio para criar TABLESPACES é um privilégio de sistema.Formato: GRANT {PRIVILEGIO | ROL} [, {PRIVILEGIO | ROL}, …] TO {USUARIO | ROL | PUBLIC} [,{USUARIO | ROL | PUBLIC}] [WITH ADMIN OPTION];WITH ADMIN OPTION= Permite que o receptor do privilégio ou rol possa conceder essesmesmos privilégios a outros usuários ou rols.Retirada de privilégios de objetos aos usuários REVOKE {PRIV_OBJETO [,PRIV_OBJETO]… | ALL [PRIVILEGES]} ON [USUARIO.]OBJETOhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 37 of 90 FROM {USUARIO | ROL | PUBLIC} [, {USUARIO | ROL | PUBLIC}]…;Retirada de privilégios de sistema ou rols aos usuários REVOKE {PRIV_SISTEMA | ROL} [,{PRIV_SISTEMA | ROL}]… FROM {USUARIO | ROL | PUBLIC} [,{USUARIO | ROL | PUBLIC}]…;RolesConjunto de privilégios agrupados. Formato:CREATE ROLE NOMEROL [IDENTIFIED BY SENHA]; Nota: Um rol pode decidir o acesso de um usuário a um objeto, mas não pode permitir a criação de objetos.Supressão de privilégios nos rolesREVOKE NOMEPRIVILEGIO ON NOMETABELA FROM NOMEROL;REVOKE NOMEPRIVILEGIO FROM NOMEROL;Supressão de um rol DROP ROLE NOMEROL;Estabelecer um rol padrão ALTER USER NOMEUSUARIO DEFAULT {[ROLE NOME_ROL] | [NONE]};NONE= Faz com que o usuário não tenha rol padrão.Perfis:Conjunto de limites aos recursos do banco de dados: CREATE PROFILE NOMEPERFIL LIMIT {NOME DOS LIMITES} {INTEIRO [K | M] | UNLIMITED | DEFAULT };UNLIMITED= Não há limites sobre um recurso em particular.DEFAULT= Pega o limite do perfil default.Eliminação de um perfil: DROP FILE NOMEPERFIL [CASCADE];Gerenciamento de tablespacesUm tablespace é uma unidade lógica de armazenamento de dados representada fisicamente porum ou mais arquivos de dados. Recomenda-se não misturar dados de diferentes aplicações emum mesmo tablespace.Para criar um tablespace CREATE TABLESPACE NOMETABLESPACE DATAFILE NOMEARQUIVO [SIZE INTEIRO [K | M] [REUSE] [DEFAULT STORAGE (INITIAL TAMANHO MINEXTENTS TAMANHO MAXEXTENTS TAMANHO PCTINCREASE VALOR )]http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 38 of 90 [ONLINE | OFFLINE];REUSE= Reutiliza o arquivo se já existe ou o cria se não existe.DEFAULT STORAGE= Define o armazenamento por omissão para todos os objetos que se criamneste espaço da tabela. Observe a quantidade de espaço se não se especifica na sentençaCREATE TABLE.Modificação de tablespaces ALTER TABLESPACE NOMETABLESPACE {[ADD DATAFILE NOMEARQUIVO [SIZE INTEIRO [K | M] [REUSE] [AUTOEXTEND ON… | OFF] ] [REANME DATAFILE ARQUIVO [, ARQUIVO]… TO ARQUIVO [, ARQUIVO]] [DEFAULT STORAGE CLAUSULAS_ARMAZENAMENTO] [ONLINE | OFFLINE] };ADD_DATAFILE= Adiciona ao tablespace um ou vários arquivos.AUTOEXTEND= Ativa ou desativa o crescimento automático dos arquivos de dados dotablespace. Quando um tablespace se enche podemos usar esta opção para que o tamanho doarquivo ou arquivos de dados associados cresça automaticamente. Autoextend off: desativa o crescimento automático.RENAME_DATAFILE= Muda o nome de um arquivoe existente do tablespace. Esta mudança temque ser feita através do sistema operacional e, depois, executar a ordem SQL.Eliminação de tablespaces DROP TABLESPACE NOMETABLESPACE [INCLUDING CONTENTS];INCLUDING CONTENTS= Permite eliminar um tablespace que tenha dados. Sem esta opção sóse pode suprimir um tablespace vazio.Recomenda-se colocar o talespace offline antes de elimina-lo para certificarmos de que nãohaja sentenças SQL que estejam acessando dados do tablespace, em cujo caso não seriapossível elimina-lo.Quando se elimina um tablespace os arquivos associados não se apagam do sistemaoperacional, portanto teremos que elimina-los de forma manual.Informe de Agustin JareñoMail: agustin@levanteweb.comURL: http://www.levanteweb.com/Otimizar consultas SQLA linguagem SQL é não procedimental, ou seja, nas sentenças se indica o que queremosconseguir e não como tem que fazer o intérprete para consegui-lo. Isto é pura teoria, pois naprática todos os gerenciadores de SQL têm que especificar seus próprios truques para otimizaro rendimento.Portanto, muitas vezes não basta com especificar uma sentença SQL correta, e sim que alémdisso, há que indicar como tem que fazer se quisermos que o tempo de resposta seja o mínimo.Nesta seção, veremos como melhorar o tempo de resposta de nosso intérprete ante umasdeterminadas situações:Design de tabelas Normalize as tabelas, pelo menos até a terceira forma normal, para garantir que não haja duplicidade de dados e aproveitar o máximo de armazenamento nas tabelas. Se tiver quehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 39 of 90 desnormalizar alguma tabela pense na ocupação e no rendimento antes de proceder. Os primeiros campos de cada tabela devem ser aqueles campos requeridos e dentro dos requeridos primeiro se definem os de longitude fixa e depois os de longitude variável. Ajuste ao máximo o tamanho dos campos para não desperdiçar espaço. É normal deixar um campo de texto para observações nas tabelas. Se este campo for utilizado com pouca freqüência ou se for definido com grande tamanho, por via das dúvidas, é melhor criar uma nova tabela que contenha a chave primária da primeira e o campo para observações.Gerenciamento e escolha dos índicesOs índices são campos escolhidos arbitrariamente pelo construtor do banco de dados quepermitem a busca a partir de tal campo a uma velocidade notavelmente superior. Entretanto,esta vantagem se vê contra-arrestada pelo fato de ocupar muito mais memória (o dobro maisou menos) e de requerer para sua inserção e atualização um tempo de processo superior.Evidentemente, não podemos indexar todos os campos de uma tabela extensa já que dobramoso tamanho do banco de dados. Igualmente, tampouco serve muito indexar todos os campos emuma tabela pequena já que as seleções podem se efetuar rapidamente de qualquer forma.Um caso em que os índices podem ser muito úteis é quando realizamos petições simultâneassobre várias tabelas. Neste caso, o processo de seleção pode se acelerar sensivelmente seindexamos os campos que servem de nexo entre as duas tabelas.Os índices podem ser contraproducentes se os introduzimos sobre campos triviais a partir dosquais não se realiza nenhum tipo de petição já que, além do problema de memória jámencionado, estamos lentificando outras tarefas do banco de dados como são a edição,inserção e eliminação. É por isso que vale a pena pensar duas vezes antes de indexar umcampo que não serve de critério para buscas ou que é usado com muita freqüência por razõesde manutenção.Campos a Selecionar Na medida do possível há que evitar que as sentenças SQL estejam embebidas dentro do código da aplicação. É muito mais eficaz usar vistas ou procedimentos armazenados por que o gerenciador os salva compilados. Se se trata de uma sentença embebida o gerenciador deve compila-la antes de executa-la. Selecionar exclusivamente aqueles que se necessitem Não utilizar nunca SELECT * porque o gerenciador deve ler primeiro a estrutura da tabela antes de executar a sentença Se utilizar várias tabelas na consulta, especifique sempre a que tabela pertence cada campo, isso economizará tempo ao gerenciador de localizar a que tabela pertence o campo. Ao invés de SELECT Nome, Fatura FROM Clientes, Faturamento WHERE IdCliente = IdClienteFaturado, use: SELECT Clientes.Nome, Faturamento.Fatura WHERE Clientes.IdCliente = Faturamento.IdClienteFaturado.Campos de Filtro Procuraremos escolher na cláusula WHERE aqueles campos que fazem parte da chave do arquivo pelo qual interrogamos. Ademais se especificarão na mesma ordem na qual estiverem definidas na chave. Interrogar sempre por campos que sejam chave. Se desejarmos interrogar por campos pertencentes a índices compostos é melhor utilizar todos os campos de todos os índices. Suponhamos que temos um índice formado pelo campo NOME e o campo SOBRENOME e outro índice formado pelo campo IDADE. A sentença WHERE NOME=Jose AND SOBRENOME Like % AND IDADE = 20 seria melhor que WHERE NOME = Jose AND IDADE = 20 porque o gerenciador, neste segundo caso, não pode usar o primeiro índice e ambas sentenças são equivalentes porque a condição SOBRENOME Like % devolveria todos os registros.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 40 of 90Ordem das TabelasQuando se utilizam várias tabelas dentro da consulta há que ter cuidado com a ordemempregada na cláusula FROM. Se desejarmos saber quantos alunos se matricularam no ano1996 e escrevermos: FROM Alunos, Matriculas WHERE Aluno.IdAluno = Matriculas.IdAluno ANDMatriculas.Ano = 1996 o gerenciador percorrerá todos os alunos para buscar suas matrículas edevolver as correspondentes. Se escrevermos FROM Matriculas, Alunos WHERE Matriculas.Ano= 1996 AND Matriculas.IdAluno = Alunos.IdAlunos, o gerenciador filtra as matrículas e depoisseleciona os alunos, desta forma tem que percorrer menos registros.Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Consultas de seleçãoEste conjunto de registros pode ser modificável.Consultas básicasA sintaxe básica de uma consulta de seleção é a seguinte:SELECT CamposFROM TabelaOnde "campos" é a lista de campos que se deseja recuperar e "tabela" é a origem dos mesmos,por exemplo:SELECT Nombre, TelefoneFROM ClientesEsta sentença devolve um conjunto de resultados com o campo nome e telefone da tabelaclientes.Devolver LiteraisEm determinadas ocasiões pode nos interessar incluir uma coluna com um texto fixo em umaconsulta de seleção, por exemplo, suponhamos que temos uma tabela de empregados edesejamos recuperar as tarifas semanais dos eletricistas, poderíamos realizar a seguinteconsulta:SELECT Empregados.Nome, Tarifa semanal: , Empregados.TarifaHora * 40FROM EmpregadosWHERE Empleados.Cargo = EletricistaOrdenar los registrosAdicionalmente pode se especificar a ordem em que se deseja recuperar os registros dastabelas mediante a cláusula ORDER BY Lista de Campos. Em onde Lista de campos representaos campos a ordenar. Exemplo:SELECT CodigoPostal, Nome, TelefoneFROMhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 41 of 90 ClientesORDER BY NomeEsta consulta devolve os campos CodigoPostal, Nome, Telefone da tabela Clientes ordenadospelo campo Nome.Pode-se ordenar os registros por mais de um campo, como por exemplo:SELECT CodigoPostal, Nome, TelefoneFROM ClientesORDER BY CodigoPostal, NomeInclusive pode-se especificar a ordem dos registros: ascendente mediante a cláusula (ASC -toma-se este valor padrão) ou descendente (DESC)SELECT CodigoPostal, Nome, TelefoneFROM ClientesORDER BY CodigoPostal DESC , Nome ASCUso de Índices das tabelasSe desejarmos que a sentença SQL utilize um índice para mostrar os resultados se pode utilizara palavra reservada INDEX da seguinte forma:SELECT ... FROM Tabela (INDEX=Indice) ...Normalmente os motores dos bancos de dados decidem que índice se deve utilizar para aconsulta, para isso utilizam critérios de rendimento e sobretudo, os campos de buscaespecificados na cláusula WHERE. Se se deseja forçar a não utilizar nenhum índice utilizaremosa seguinte sintaxe:SELECT ... FROM Tabela (INDEX=0) ...Consultas com PredicadoO predicado se inclui entre a cláusula e o primeiro nome do campo a recuperar, os possíveispredicados são:Predicado DescriçãoALL Devolve todos os campos da tabelaTOP Devolve um determinado número de registros da tabelaDISTINCT Omite os registros cujos campos selecionados coincidam totalmente Omite os registros duplicados baseando-se na totalidade do registro e não só nosDISTINCTOW campos selecionados.ALLSe não se inclui nenhum dos predicados se assume ALL. O Motor de banco de dados selecionatodos os registros que cumprem as condições da instrução SQL e devolve todos e cada um deseus campos. Não é conveniente abusar deste predicado já que obrigamos ao motor do bancode dados a analisar a estrutura da tabela para averiguar os campos que contém, é muito maisrápido indicar a lista de campos desejados.SELECT ALLFROMhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 42 of 90 EmpregadosSELECT *FROM EmpregadosTOPDevolve um certo número de registros que entram entre ao princípio ou ao final de umacategoria especificada por uma cláusula ORDER BY. Suponhamos que queremos recuperar osnomes dos 25 primeiros estudantes do curso 1994:SELECT TOP 25 Nome, SobrenomeFROM EstudantesORDER BY Nota DESCSe não se inclui a cláusula ORDER BY, a consulta devolverá um conjunto arbitrário de 25registros da tabela de Estudantes. O predicado TOP não escolhe entre valores iguais. Noexemplo anterior, se a nota média número 25 e a 26 são iguais, a consulta devolverá 26registros. Pode-se utilizar a palavra reservada PERCENT para devolver uma certa porcentagemde registros que caem ao princípio ou ao final de uma categoria especificada pela cláusulaORDER BY. Suponhamos que no lugar dos 25 primeiros estudantes desejamos o 10 por centodo curso:SELECT TOP 10 PERCENT Nome, SobrenomeFROM EstudantesORDER BY Nota DESCO valor que vai a seguir de TOP deve ser um inteiro sem signo. TOP não afeta à possívelatualização da consulta.DISTINCTOmite os registros que contém dados duplicados nos campos selecionados. Para que os valoresde cada campo listado na instrução SELECT se incluam na consulta devem ser únicos. Porexemplo, vários empregados listados na tabela Empregados podem ter o mesmo sobrenome.Se dois registros contém Lopez no campo Sobrenome, a seguinte instrução SQL devolve umúnico registro:SELECT DISTINCT SobrenomeFROM EmpregadosCom outras palavras o predicado DISTINCT devolve aqueles registros cujos campos indicadosna cláusula SELECT possuam um conteúdo diferente. O resultado de uma consulta que utilizaDISTINCT não é atualizável e não reflete as mudanças subseqüentes realizadas por outrosusuários.DISTINCTROWEste predicado não é compatível com ANSI. Que eu saiba no dia de hoje só funciona comACCESS.Devolve os registros diferentes de uma tabela; a diferença do predicado anterior que só sefixava no conteúdo dos campos selecionados, este o faz no conteúdo do registro completoindependentemente dos campos indicados na cláusula SELECT.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 43 of 90SELECT DISTINCTROW SobrenomeFROM EmpregadosSe a tabela empregados contém dois registros: Antonio Lopez e Marta Lopez o exemplo dopredicado DISTINCT devolve um único registro com o valor Lopez no campo Sobrenome já quebusca não duplicados em tal campo. Este último exemplo devolve dois registros com o valorLopez no sobrenome já que se buscam não duplicados no registro completo.ALIASEm determinadas circunstâncias é necessário atribuir um nome a alguma coluna determinadade um conjunto devolvido, outras vezes por simples capricho ou porque estamos recuperandodados de diferentes tabelas e acabam tendo um campo com igual nome. Para resolver todaselas, temos a palavra reservada AS que se encarrega de atribuir o nome que desejamos àcoluna desejada. Tomado como referência o exemplo anterior podemos fazer a coluna devolvidapela consulta, ao invés de se chamar sobrenome (assim como o campo devolvido) se chameEmpregado. Neste caso procederíamos da seguinte forma:SELECT DISTINCTROW Sobrenome AS EmpregadoFROM EmpregadosAS não é uma palavra reservada de ANSI, existem diferentes sistemas de atribuir os alias emfunção do motor de banco de dados. Em ORACLE para atribuir um alias a um campo há quefazer da seguinte forma:SELECT Sobrenome AS "Empregado"FROM EmpregadosTambém podemos atribuir alias às tabelas dentro da consulta de seleção, neste caso há que terem conta que em todas as referências que desejarmos fazer a tal tabela há que utilizar o aliasao invés do nome. Esta técnica será de grande utilidade mais adiante quando se estudarem asvinculações entre tabelas. Por exemplo:SELECT Apellido AS EmpregadoFROM Empregados AS TrabalhadoresPara atribuir alias às tabelas em ORACLE e SQL-SERVER os alias se atribuem escrevendo onome da tabela, deixando um espaço em branco e escrevendo o Alias (se atribuem dentro dacláusula FROM).SELECT Trabalhadores.Sobrenome (1) AS EmpregadoFROM Empregadore Trabalhadores(1)Esta nomenclatura [Tabela].[Campo] deve-se utilizar quando se está recuperando um campocujo nome se repete em várias das tabelas que se utilizam na sentença. Não obstante quandona sentença se empregam várias tabelas é aconselhável utilizar esta nomenclatura para evitar otrabalho que supõem ao motor de dados averiguar em que tabela está cada um dos camposindicados na cláusula SELECT.Recuperar Informação de um banco de Dados ExternoPara concluir este capítulo se deve fazer referência à recuperação de registros de banco dedados externos. Em ocasiões é necessário a recuperação de informação que se encontra contidaem uma tabela que não se encontra no banco de dados que executará a consulta ou que nessemomento não se encontra aberta, esta situação podemos salva-la com a palavra reservada INhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 44 of 90da seguinte forma:SELECT Sobrenome AS EmpregadoFROM Empleados INc: databasesgerenciamento.mdbEm onde c: databasesgerenciamento.mdb é o banco de dados que contém a tabelaEmpregados. Esta técnica é muito simples e comum em banco de dados do tipo ACCESS emoutros sistemas como SQL-SERVER ou ORACLE, a cosa é mais complicada por ter que existirrelações de confiança entre os servidores ou ao ser necessária a vinculação entre os banco dedados. Este exemplo recupera a informação de um banco de dados de SQL-SERVER localizadoem outro servidor (obviamente que os servidores estão linkados):SELECT SobrenomeFROM Servidor1.BancoDados1.dbo.EmpregadosInforme de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Critérios de seleção em SQLNa seção anterior vimos a forma de recuperar os registros das tabelas, as formas empregadasdevolviam todos os registros da mencionada tabela. Ao longo deste manual se estudarão aspossibilidades de filtrar os registros com o fim de recuperar somente aqueles que cumpramumas condições pré-estabelecidas.Antes de começar o desenvolvimento deste artigo, há que ressaltar três detalhes de vitalimportância. O primeiro deles é que cada vez que se deseja estabelecer uma condição referidaa um campo de texto a condição de busca deve ir fechada entre aspas simples; a segunda éque não é possível estabelecer condições de busca nos campos memo e; a terceira e última fazreferência às datas. Ate hoje não fui capaz de encontrar uma sintaxe que funcione em todos ossistemas, por isso se faz necessário particulariza-las segundo o banco de dados:Banco de Datos SintaxeSQL-SERVER Data = #mm-dd-aaaa#ORACLE Data = to_date(YYYYDDMM,aaaammdd,)ACCESS Fecha = #mm-dd-aaaa# ExemploBanco de Dados Exemplo (para gravar a data 18 de maio de 1969) Data = #05-18-1969# óSQL-SERVER Data = 19690518ORACLE Data = to_date(YYYYDDMM, 19690518)ACCESS Data = #05-18-1969#Referente aos valores lógicos True ou False cabe destacar que não são reconhecidos emORACLE, nem nesse sistema de banco de dados, nem em SQL-SERVER existem os campos detipo "SIM/NAO" de ACCESS; nesses sistemas se utilizam os campos BIT que permitemarmazenar valores de 0 ou 1. Internamente, ACCESS, armazena neste campos valores de 0 ou-1, por tanto tudo se complica bastante, porém, aproveitando a coincidência do 0 para osvalores FALSE, pode-se utilizar a sintaxe seguinte que funciona em todos os casos: se se desejasaber se o campo é falso "... CAMPO = 0" e para saber os verdadeiros "CAMPO <> 0".http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 45 of 90Operadores LógicosOs operadores lógicos suportados por SQL são: AND, OR, XOR, Eqv, Imp, Is e Not. Comexceção dos dois últimos, todos possuem a seguinte sintaxe:<expressao1> operador <expressao2>Onde expressao1 e expressao2 são as condições a avaliar, o resultado da operação varia emfunção do operador lógico. A tabela anexa mostra os diferentes possíveis resultados: <expressao1> Operador <expressao2> ResultadoVerdadeiro AND Falso FalsoVerdadeiro AND Verdadeiro VerdadeiroFalso AND Verdadeiro FalsoFalso AND Falso FalsoVerdadeiro OR Falso VerdadeiroVerdadeiro OR Verdadeiro VerdadeiroFalso OR Verdadeiro VerdadeiroFalso OR Falso FalsoVerdadeiro XOR Verdadeiro FalsoVerdadeiro XOR Falso VerdadeiroFalso XOR Verdadeiro VerdadeiroFalso XOR Falso FalsoVerdadeiro Eqv Verdadeiro VerdadeiroVerdadeiro Eqv Falso FalsoFalso Eqv Verdadeiro FalsoFalso Eqv Falso VerdadeiroVerdadeiro Imp Verdadeiro VerdadeiroVerdadeiro Imp Falso FalsoVerdadeiro Imp Null NullFalso Imp Verdadeiro VerdadeiroFalso Imp Falso VerdadeiroFalso Imp Null VerdadeiroNull Imp Verdadeiro VerdadeiroNull Imp Falso NullNull Imp Null NullSe a qualquer das anteriores condições lhe ante-pusermos o operador NOT o resultado daoperação será o contrário ao devolvido sem o operador NOT.O último operador denominado Is se emprega para comparar duas variáveis de tipo objeto<Objeto1> Is <Objeto2>. este operador devolve verdadeiro se os dois objetos forem iguais.SELECT *FROM EmpregadosWHERE Idade > 25 AND Idade < 50SELECT *FROM EmpregadosWHERE (Idade > 25 AND Idade < 50) ORhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 46 of 90 Salario = 100SELECT *FROM Empregados WHERE NOT Estado = SolteiroSELECT *FROM EmpregadosWHERE (Salario >100 AND Salario < 500) OR (Cidade = Madri AND Estado = Casado)Intervalos de ValoresPara indicar que desejamos recuperar os registros segundo o intervalo de valores de um campoempregaremos o operador Between cuja sintaxe é: campo [Not] Between valor1 And valor2 (a condição Not é opcional)Neste caso a consulta devolveria os registros que contiverem em "campo" um valor incluído nointervalo valor1, valor2 (ambos inclusive). Se ante-pusermos a condição Not devolverá aquelosvalores não incluídos no intervalo.SELECT *FROM PedidosWHERE CodPostal Between 28000 And 28999(Devolve os pedidos realizados na cidade de Madrid)O Operador LikeUtiliza-se para comparar uma expressão de cadeia com um modelo em uma expressão SQL.Sua sintaxe é: expressão Like modeloOnde expressão é uma cadeia modelo ou campo contra o que se compara expressão. Pode-seutilizar o operador Like para encontrar valores nos campos que coincidam com o modeloespecificado. Por modelo pode especificar um valor completo (Ana Maria), ou se pode utilizaruma cadeia de caracteres asterisco como os reconhecidos pelo sistema operacional paraencontrar uma classificação de valores (Like An*).O operador Like pode ser utilizado em uma expressão para comparar um valor de um campocom uma expressão de cadeia. Por exemplo, se introduzirmos Like C* em uma consulta SQL, aconsulta devolve todos os valores de campo que começarem pela letra C. Em uma consulta comparâmetros, pode fazer com que o usuário escreva o modelo que será utilizado.O exemplo seguinte devolve os dados que começam com a letra P seguido de qualquer letraentre A e F e de três dígitos: Like P[A-F]###Este exemplo devolve os campos cujo conteúdo comece com uma letra da A à D seguidas dequalquer cadeia. Like [A-D]*Na tabela seguinte se mostra como utilizar o operador Like para comprovar expressões comdiferentes modelos.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 47 of 90 ACCESS Tipo de coincidência Modelo Planejado Coincidee Nao coincideVarios caracteres a*a aa, aBa, aBBBa aBCCaractere especial a[*]a a*a aaaVarios caracteres ab* abcdefg, abc cab, aabUm so caractere a?a aaa, a3a, aBa aBBBaUm so digito a#a a0a, a1a, a2a aaa, a10aCategoria de caracteres [a-z] f, p, j 2, &Fora de uma categoria [!a-z] 9, &, % b, aDiferente de um digito [!0-9] A, a, &, ~ 0, 1, 9Combinada a[!b-m]# An9, az0, a99 abc, aj0 SQL-SERVERExemplo DescriçãoLIKE A% Tudo que comecar por ALIKE _NG Tudo que comece por qualquer caractere e logo siga NGLIKE [AF]% Tudo que comecar por A ou FLIKE [A-F]% Tudo que comece por qualquer letra compreendida entre a A e a FLIKE [A^B]% Tudo que comecar por A e a segunda letra nao for uma BEm determinado motores de banco de dados, esta cláusula, não reconhece o asterisco comocaractere e há que substitui-lo pelo caractere tanto por cento (%).O Operador InEste operador devolve aqueles registros cujo campo indicado coincide com algum dos em umalista. Sua sintaxe é:expressao [Not] In(valor1, valor2, . . .)SELECT *FROM PedidosWHERE Cidade In (Madri, Barcelona, Sevilha)A cláusula WHEREA cláusula WHERE pode ser usada para determinar que registros das tabelas enumeradas nacláusula FROM aparecerão nos resultados da instrução SELECT. Depois de escrever estacláusula deve-se especificar as condições expostas nas seções anteriores. Se não se empregaesta cláusula, a consulta devolverá todas as filas da tabela. WHERE é opcional, mas quandoaparece deve ir a seguir de FROM.SELECT Sobrenome, SalarioFROM EmpregadosWHERE Salario = 21000SELECT IdProduto, ExistenciasFROM ProdutosWHERE Existencias <= NovoPedidohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 48 of 90SELECT *FROM PedidosWHERE DataEnvio = #05-30-1994#SELECT Sobrenomes, NomeFROM EmpregadosWHERE Sobrenomes = KingSELECT Sobrenomes, NomeFROM EmpregadosWHERE Sobrenomes Like S*SELECT Sobrenomes, SalarioFROM EmpregadosWHERE Salario Between 200 And 300SELECT Sobrenomes, SalarioFROM EmpregadosWHERE Sobrenomes Between Lon And TolSELECT IdPedido, DataPedidoFROM PedidosWHERE DataPedido Between #01-01-1994# And #12-31-1994#SELECT Sobrenomes, Nome, CidadeFROM EmpregadosWHERE Cidade In (Sevilha, Los Angeles, Barcelona)Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Como exibir informações com múltiplas instruções SQLAo utilizar múltiplas instruções SQL economizamos os recursos compartilhados da rede eservidor, como largura de banda, memória, CPU, pois reduzimos o número de acessos aoservidor web.Neste artigo, veremos como retornar registros com uma stored procedure com duas instruçõesSQL. Inicialmente, declaramos a string de conexão com o banco de dadosstring strConexao = "Data Source=(local);Integrated Security=SSPI;Initial Catalog=Northwind;";e a stored procedure usada no exemplo:string sSql = "GetTotalAndProdutos";http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 49 of 90Se preferir utilize instruções SQL separadas por ponto-e-vírgula:string sSql = " SELECT Count(*) AS Total FROM Products; SELECT ProductName, UnitPrice FROM Products";Com a instrução using criamos uma nova instância da classe SqlConnection e passamos a stringde conexão:using (SqlConnection conn = new SqlConnection(strConexao)) {Criamos e definimos um objeto SqlDataReader como null.SqlDataReader r = null;Em seguida, criamos uma nova instância da classe SqlCommand e passamos ao construtor oobjeto SqlConnection e a string com o nome da stored procedure.SqlCommand cmd = new SqlCommand(sSql, conn);Definimos a propriedade CommandType como StoredProcedure.cmd.CommandType = CommandType.StoredProcedure;Ao usar instruções SQL defina a propriedade CommandType como Text:cmd.CommandType = CommandType.Text;Dentro dos blocos try, catch, finally, respectivamente, abrimos e exibimos os dados,manipulamos as exceções que podem ocorrer e fechamos a conexão com o banco de dados.try{ conn.Open();Definimos o objeto SqlDataReader:r = cmd.ExecuteReader(CommandBehavior.CloseConnection);Retornamos o índice do campo "total":int t = r.GetOrdinal("total");Exibimos a string "Total de registros:".Response.Write("<b><span style="text-decoration: underline">Total de registros:</span></b> ");Iniciamos a leitura dos dadosr.Read();e exibimos o total de registros retornados:Response.Write(r.GetInt32(t) + "<br/>");Usamos o método NextResult para exibir os registros do próximo conjunto de registros.r.NextResult();Verificamos se há registros para exibir:if (r.HasRows)Neste caso especifico, podemos usar também:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 50 of 90if (r.GetInt32(t) > 0)Em seguida, extraímos o índice do campo ProductName e do campo UnitPrice.int produto = r.GetOrdinal("ProductName");int valor = r.GetOrdinal("UnitPrice");Criamos a tabela onde exibiremos os dados.Response.Write("<table><tr><td style="width: 150px"><b>Produto</b></td><td style="width:100px"><b>Valor unitário</b></td></tr>");Percorremos todos os registros do segundo conjunto de registros.while (r.Read()){Exibimos o nome do produto com o método GetStringResponse.Write("<tr><td style="width: 150px">" + r.GetString(produto) + "</td>");e o valor unitário de cada produto com o método GetDecimal:Response.Write("<td style="width: 100px">" + string.Format(ci,"{0:c}", r.GetDecimal(valor)) + "</td></tr>");O método Format da classe String formata a saída como um valor monetáriostring.Format(ci,"{0:c}", r.GetDecimal(valor))e define a cultura como pt-BR - Português Brasil. Desta forma, a saída será sempre em reais,independente do idioma usado pelo computador do usuário.CultureInfo ci = new CultureInfo("pt-BR");Ao finalizar o exemplo, exibimos a tag de fechamento da tabelaResponse.Write("</table>");exibimos o bloco catchcatch (SqlException){ Response.Write("Erro SQL.");}e o bloco finally, onde encerramos a conexão com o banco de dados.finally{ if (!r.IsClosed) r.Close();}A seguir, temos os arquivos e códigos que compõe este exemplo.//Arquivo de exemplo: Default.aspx.csusing System;using System.Web.UI;using System.Web.UI.WebControls;using System.Data;using System.Data.SqlClient;http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 51 of 90using System.Globalization;public partial class _Default : System.Web.UI.Page{protected void Page_Load(object sender, EventArgs e){string strConexao = "Data Source=(local);Integrated Security=SSPI;Initial Catalog=Northwind;";string sSql = "GetTotalAndProdutos";using (SqlConnection conn = new SqlConnection(strConexao)){SqlDataReader r = null;SqlCommand cmd = new SqlCommand(sSql, conn);cmd.CommandType = CommandType.Text;try{conn.Open();r = cmd.ExecuteReader(CommandBehavior.CloseConnection);int t = r.GetOrdinal("total");Response.Write("<b><span style="text-decoration: underline">Total de registros:</span></b> ");r.Read();Response.Write(r.GetInt32(t) + "<br/>");r.NextResult();if (r.HasRows){int produto = r.GetOrdinal("ProductName");int valor = r.GetOrdinal("UnitPrice");Response.Write("<table><tr><td style="width: 150px"><b>Produto</b></td><td style="width:100px"><b>Valor unitário</b></td></tr>");CultureInfo ci = new CultureInfo("pt-BR");while (r.Read()){Response.Write("<tr><td style="width: 150px">" + r.GetString(produto) + "</td>");Response.Write("<td style="width: 100px">" + string.Format(ci,"{0:c}", r.GetDecimal(valor)) + "</td></tr>");}Response.Write("</table>");}}catch (SqlException){Response.Write("Erro SQL.");}finally{if (!r.IsClosed) r.Close();}}}}Temos o arquivo Default.aspx<%@ Page Language="C#" AutoEventWireup="true" CodeFile="Default.aspx.cs" Inherits="_Default" %><html><head runat="server"><title>Exemplo com o método NextResult</title></head><body><form id="form1" runat="server"><div></div></form></body></html>e a stored procedure GetTotalAndProdutos usada no exemplo:CREATE PROCEDURE GetTotalAndProdutosASSET NOCOUNT ONSELECT Count(*) AS Total FROM Productshttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 52 of 90SELECT ProductName, UnitPrice FROM ProductsGO Sobre o autor: Alfredo Lotar é consultor, programador, escritor. Desenvolve aplicações com ASP.NET, JavaScript, XML, C#, Visual Basic e SQL Server. É autor do livro XML para Programadores ASP, da editora Axcel Books, e dos livros ASP.NET com C# ? Curso Prático, e Como programar com ASP.NET e C#, ambos publicados pela Novatec Editora. Atualmente, passa a maior parte do tempo desenvolvendo aplicações, escrevendo livros ou artigos, testando códigos e analisando falhas de segurança em web sites de clientes. O autor pode ser contactado pelo e-mail: alfredo.programador@bol.com.br.Informe de Alfredo LotarMail: alfredo.programador@bol.com.brCritérios de seleção em SQL IICombine os registros com valores idênticos, na lista de campos especificados, em um únicoregistro. Para cada registro se cria um valor sumário se se inclui uma função SQL agregada,como por exemplo, Sum ou Count, na instrução SELECT. Sua sintaxe é:SELECT campos FROM tabela WHERE criterio GROUP BY campos do grupoGROUP BY é opcional. Os valores de resumo se omitem se não existe uma função SQL agregadana instrução SELECT. Os valores Null nos campos GROUP BY se agrupam e não se omitem. Nãoobstante, os valores Null não se avaliam em nenhuma das funções SQL agregadas.Utiliza-se a cláusula WHERE para excluir aquelas filas que não deseja agrupar, e a cláusulaHAVING para filtrar os registros uma vez agrupados.Ao menos que contenha um dado Memo ou Objeto OLE, um campo da lista de campos GROUPBY pode se referir a qualquer campo das tabelas que aparecem na cláusula FROM, inclusive se ocampo não estiver incluído na instrução SELECT, sempre e quando a instrução SELECT incluirpelo menos uma função SQL agregada.Todos os campos da lista de campos de SELECT devem ou se incluir na cláusula GROUP BY, oucomo argumentos de uma função SQL agregada.SELECT IdFamilia, Sum(Stock) AS StockAtualFROM ProdutosGROUP BY IdFamiliaUma vez que GROUP BY combinou os registros, HAVING mostra qualquer registro agrupadopela cláusula GROUP BY que satisfaça as condições da cláusula HAVING.HAVING é similar a WHERE, determina que registros se selecionam. Uma vez que os registrosse agruparam utilizando GROUP BY, HAVING determina quais deles serão mostrados.SELECT IdFamilia, Sum(Stock) AS StockAtualFROM ProdutosGROUP BY IdFamiliaHAVING StockAtual > 100 AND NomeProduto Like BOS*AVGhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 53 of 90Calcula a média aritmética de um conjunto de valores contidos em um campo especificado deuma consulta. Sua sintaxe é a seguinte:Avg(expr)Onde expr representa o campo que contém os dados numéricos para os que se deseja calculara média ou uma expressão que realiza um cálculo utilizando os dados de tal campo. A médiacalculada por Avg é a média aritmética (a soma dos valores dividido pelo número de valores). Afunção Avg não inclui nenhum campo Null no cálculo.SELECT Avg(Gastos) AS PromedioFROM PedidosWHERE Gastos > 100CountCalcula o número de registros devolvidos por uma consulta. Sua sintaxe é a seguinteCount(expr)Onde expr contém o nome do campo que se deseja contar. Os operandos de expr podem incluiro nome de um campo de uma tabela, uma constante ou uma função (a qual pode ser intrínsecaou definida pelo usuário, mas não outras das funções agregadas de SQL). Pode contar comqualquer tipo de dados inclusive texto.Embora expr possa realizar um cálculo sobre um campo, Count simplesmente conta o númerode registros sem ter em conta que valores se armazenam nos registros. A função Count nãoconta os registros que têm campos null a não ser que expr seja o caractere asterisco (*). Seutilizar um asterisco, Count calcula o número total de registros, incluindo aqueles que contémcampos null. Count(*) é consideravelmente mais rápida que Count(Campo). Não se devecolocar o asterisco entre aspas duplas (*).SELECT Count(*) AS TotalFROM PedidosSe expr identifica a múltiplos campos, a função Count conta um registro só se ao menos umdos campos não for Null. Se todos os campos especificados forem Null, não se contará oregistro. Há que separar os nomes dos campos com ampersand (&).SELECT Count(DataEnvio & Transporte) AS TotalFROM PedidosPodemos fazer com que o gestor conte os dados diferentes de um determinado campoSELECT Count(DISTINCT Localidade) AS TotalFROM PedidosMax, MinDevolvem o mínimo ou o máximo de um conjunto de valores contidos em um campo especificode uma consulta. Sua sintaxe é:Min(expr)Max(expr)http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 54 of 90Onde expr é o campo sobre o qual se deseja realizar o cálculo. Expr pode incluir o nome de umcampo de uma tabela, uma constante ou uma função (a qual pode ser intrínseca ou definidapelo usuário, porém não outras das funções agregadas de SQL).SELECTMin(Gastos) AS ElMinFROM PedidosWHERE Pais = EspanhaSELECT Max(Gastos) AS ElMaxFROM PedidosWHERE Pais = EspanhaStDev, StDevPDevolve estimações do desvio padrão para a povoação (o total dos registros da tabela) ou umamostra da povoação representada (mostra aleatória). Sua sintaxe é:StDev(expr)StDevP(expr)Onde expr representa o nome do campo que contém os dados que desejam avaliar ou umaexpressão que realiza um cálculo utilizando os dados de tais campos. Os operandos de exprpodem incluir o nome de um campo de uma tabela, uma constante ou uma função (a qual podeser intrínseca ou definida pelo usuário, porém não outras das funções agregadas de SQL).StDevP avalia uma povoação, e StDev avalia uma mostra da povoação. Se a consulta contémmenos de dois registros (ou nenhum registro para StDevP), estas funções devolvem um valorNull (o qual indica que o desvio padrão não pode se calcular).SELECT StDev(Gastos) AS DesvioFROM PedidosWHERE País = EspanhaSELECT StDevP(Gastos) AS DesvioFROM PedidosWHERE País = EspanhaSumDevolve a soma do conjunto de valores contido em um campo especifico de uma consulta. Suasintaxe é:Sum(expr)Onde expr representa o nome do campo que contém os dados que se desejam somar ou umaexpressão que realiza um cálculo utilizando os dados de tais campos. Os operandos de exprpodem incluir o nome de um campo de uma tabela, uma constante ou uma função (a qual podeser intrínseca ou definida pelo usuário, mas não outras das funções agregadas de SQL).SELECT Sum(PrecoUnidade * Quantidad) AS Totalhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 55 of 90FROM DetalhePedidoVar, VarPDevolve uma estimação da variabilidade de uma povoação (sobre o total dos registros) ou umamostra da povoação (mostra aleatória de registros) sobre os valores de um campo. Sua sintaxeé:Var(expr)VarP(expr)VarP avalia uma povoação, e Var avalia uma mostra da povoação. Expr o nome do campo quecontém os dados que se desejam avaliar ou uma expressão que realiza um cálculo utilizando osdados de tais campos. Os operandos de expr podem incluir o nome de um campo de umatabela, uma constante ou uma função (a qual pode ser intrínseca ou definida pelo usuário, masnão outras das funções agregadas de SQL)Se a consulta contiver menos de dois registros, Var e VarP devolvem Null (isto indica que avariabilidade não pode ser calculada). Pode utilizar Var e VarP em uma expressão de consultaou em uma Instrução SQL.SELECT Var(Gastos) AS VariabilidadeFROM PedidosWHERE País = EspanhaSELECT VarP(Gastos) AS VariabilidadeFROM PedidosWHERE País = EspanhaCOMPUTE de SQL-SERVEREsta cláusula acrescenta uma fila no conjunto de dados que se está recuperando, se utiliza pararealizar cálculos em campos numéricos. COMPUTE age sempre sobre um campo ou expressãodo conjunto de resultados e esta expressão deve figurar exatamente igual na cláusula SELECT esempre se deve ordenar o resultado pela mesma ou ao memos agrupar o resultado. Estaexpressão não pode utilizar nenhum ALIAS.SELECT IdCliente, Count(IdPedido)FROM PedidosGROUP BY IdPedidoHAVING Count(IdPedido) > 20COMPUTE Sum(Count(IdPedido))SELECT IdPedido, (PrecoUnidade * Quantidade - Desconto)FROM [Detalhes de Pedidos]ORDER BY IdPedidoCOMPUTE Sum((PrecoUnidade * Quantidade - Desconto)) // Calcula o Total BY IdPedido // Calcula o SubtotalInforme de Claudiohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 56 of 90Mail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Consultas de açãoAs consultas de ação são aquelas que não devolvem nenhum registro, são as encarregadas deações como adicionar, excluir e modificar registros. Tanto as sentenças de atualização como asde exclusão desencadeiarão (segundo o motor de dados) as atualizações em cascata, exclusõesem cascata, restrições e valores padrões definidos para os diferentes campos ou tabelasafetadas pela consulta.DELETECria uma consulta de eliminação que elimina os registros de uma ou mais das tabelas listadasna cláusula FROM que satisfaçam a cláusula WHERE. Esta consulta elimina os registroscompletos, não é possível eliminar o conteúdo de algum campo em concreto. Sua sintaxe é: DELETE FROM Tabela WHERE criterioUma vez eliminados os registros utilizando uma consulta de exclusão, não se poderá desfazer aoperação. Se desejar saber que registros foram eliminados, primeiro examine os resultados deuma consulta de seleção que utilize o mesmo critério e depois execute a consulta de exclusão.Mantenha cópias de segurança (back ups) de seus dados em todo momento. Se eliminar osregistros errados poderá recuperá-los a través das cópias de segurança.DELETEFROM EmpregadosWHERE Cargo = VendedorINSERT INTOAgrega um registro em uma tabela. É conhecida como uma consulta de dados adicionados. Estaconsulta pode ser de dois tipos: Inserir um único registro ou Inserir em uma tabela os registroscontidos em outra tabela.Para inserir um único Registro:Neste caso a sintaxe é a seguinte: INSERT INTO Tabela (campo1, campo2, ..., campoN) VALUES (valor1, valor2, ..., valorN)Esta consulta grana no campo1 o valor1, no campo2 e valor2 e assim, sucessivamente.Para selecionar registros e inseri-los em uma tabela novaNeste caso, a sintaxe é a seguinte: SELECT campo1, campo2, ..., campoN INTO novatabela FROM tabelaorigem [WHERE criterios]Pode-se utilizar as consultas de criação de tabela para arquivar registros, fazer cópias desegurança das tabelas ou fazer cópias para exportar a outro banco de dados ou utilizar eminformes que mostrem os dados de um período de tempo concreto. Por exemplo, se poderiacriar um informe de Vendas mensais por região executando a mesma consulta de criação dehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 57 of 90tabela a cada mês.Para inserir Registros de outra Tabela:Neste caso, a sintaxe é: INSERT INTO Tabela [IN base_externa] (campo1, campo2, , campoN) SELECT TabelaOrigem.campo1, TabelaOrigem.campo2,,TabelaOrigem.campoN FROM TabelaOrigemNeste caso se selecionarão os campos 1,2,..., n da tabela origem e se gravarão nos campos1,2,.., n da Tabela. A condição SELECT pode incluir a cláusula WHERE para filtrar os registros acopiar. Se Tabela e Tabela Origem possuem a mesma estrutura podemos simplificar a sintaxea: INSERT INTO Tabela SELECT Tabela Origem.* FROM Tabela OrigemDesta forma os campos de Tabela Origem se gravarão em Tabela, para realizar esta operação énecessário que todos os campos de Tabela Origem estejam contidos com igual nome emTabela. Com outras palavras que Tabela possua todos os campos de Tabela Origem (igual nomee igual tipo).Neste tipo de consulta há que ter especial atenção com os campos contadores ou auto-numéricos visto que ao inserir um valor em um campo deste tipo se escreve o valor quecontenha seu campo homólogo na tabela origem, não incrementando-se como lhe corresponde.Pode-se utilizar a instrução INSERT INTO para agregar um registro único a uma tabela,utilizando a sintaxe da consulta de adição de registro único tal e como se mostrouanteriormente. Nesse caso, seu código especifica o nome e o valor de cada campo do registro.Deve especificar cada um dos campos do registro ao que se vai atribuir um valor assim como ovalor para tal campo. Quando não se especifica tal campo, se insere o valor pré-determinado ouNull. Os registros se agregam no final da tabela.Também se pode utilizar INSERT INTO para agregar um conjunto de registros pertencentes aoutra tabela ou consulta utilizando a cláusula SELECT... FROM como se mostrou anteriormentena sintaxe da consulta de adição de múltiplos registros. Neste caso, a cláusula SELECTespecifica os campos que se vão agregar na tabela destino especificada.A tabela destino ou origem pode especificar uma tabela ou uma consulta. Se a tabela destinocontiver uma chave principal, há que certificar-se que é a única, e com valores não nulos; senão for assim, não se agregarão os registros. Se se agregam registros a uma tabela com umcampo Contador, não se deve incluir o campo Contador na consulta. Pode-se empregar acláusula IN para agregar registros a uma tabela em outro banco de dados.Pode-se averiguar os registros que se agregarão na consulta executando primeiro uma consultade seleção que utilize o mesmo critério de seleção e ver o resultado. Uma consulta de adiçãocopia os registros de uma ou mais tabelas em outra. As tabelas que contém os registros que sevão agregar não se verão afetadas pela consulta de adição. Ao invés de agregar registrosexistentes em outra tabela, pode-se especificar os valores de cada campo em um novo registroutilizando a cláusula VALUES. Se se omite a lista de campos, a cláusula VALUES deve incluir umvalor para cada campo da tabela, de outra forma falhará INSERT.ExemplosINSERT INTO ClientesSELECT ClientesAntigos.*http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 58 of 90FROM ClientesNovosSELECT Empregados.*INTO ProgramadoresFROM EmpregadosWHERE Categoria = ProgramadorEsta consulta cria uma tabela nova chamada programadores com a mesma estrutura que atabela empregado e copia aqueles registros cujo campo categoria seja programadorINSERT INTO Empregados (Nome, Sobrenome, Cargo)VALUES ( Luis, Sánchez, Estagiario )INSERT INTO EmpregadosSELECT Vendedores.*FROM VendedoresWHERE Cidade = MadriUPDATECria uma consulta de atualização que muda os valores dos campos de uma tabela especificadabaseando-se em um critério específico. Sua sintaxe é: UPDATE Tabela SET Campo1=Valor1, Campo2=Valor2, CampoN=ValorN WHERE CriterioUPDATE é especialmente útil quando se deseja mudar um grande número de registros ouquando estes se encontram em múltiplas tabelas. Pode mudar vários campos de uma só vez. Oexemplo seguinte incrementa os valores Quantidade pedidos em um 10 por cento e os valoresTransporte em um 3 por cento para aqueles que se tiverem enviado ao Reino Unido.:UPDATE PedidosSET Pedido = Pedidos * 1.1, Transporte = Transporte * 1.03WHERE PaisEnvio = ESUPDATE não gera nenhum resultado. Para saber que registros mudarão, há que examinarprimeiro o resultado de uma consulta de seleção que utilize o mesmo critério e depois executara consulta de atualização.UPDATE EmpregadosSET Grau = 5http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 59 of 90WHERE Grau = 2UPDATE ProdutosSET Preco = Preco * 1.1WHERE Provedor = 8 AND Familia = 3Se em uma consulta de atualização suprimimos a cláusula WHERE todos os registros da tabelaassinalada serão atualizados.UPDATE EmpregadosSET Salario = Salario * 1.1Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Tipos de dados SQLOs tipos de dados SQL se classificam em 13 tipos de dados primários e de vários sinônimosválidos reconhecidos por tais tipos de dados. Os tipos de dados primários são:Tipo de Longitude DescriçãoDados Para consultas sobre tabela anexa de produtos de banco de dadosBINARY 1 byte que definem um tipo de dados Binário.BIT 1 byte Valores Sim/Não ou True/FalseBYTE 1 byte Um valor inteiro entre 0 e 255.COUNTER 4 bytes Um número incrementado automaticamente (de tipo Long) Um inteiro escalável entre 922.337.203.685.477,5808 eCURRENCY 8 bytes 922.337.203.685.477,5807.DATETIME 8 bytes Um valor de data ou hora entre os anos 100 e 9999. Um valor em ponto flutuante de precisão simples com uma classificação de - 3.402823*1038 a -1.401298*10-45 paraSINGLE 4 bytes valores negativos, 1.401298*10- 45 a 3.402823*1038 para valores positivos, e 0. Um valor em ponto flutuante de dupla precisão com uma classificação de - 1.79769313486232*10308 a -DOUBLE 8 bytes 4.94065645841247*10-324 para valores negativos, 4.94065645841247*10-324 a 1.79769313486232*10308 para valores positivos, e 0.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 60 of 90SHORT 2 bytes Um inteiro curto entre -32,768 e 32,767.LONG 4 bytes Um inteiro longo entre -2,147,483,648 e 2,147,483,647. 1 byte porLONGTEXT De zero a um máximo de 1.2 gigabytes. caractere Segundo seLONGBINARY De zero 1 gigabyte. Utilizado para objetos OLE. necessite 1 byte porTEXT De zero a 255 caracteres. caractereA seguinte tabela recolhe os sinônimos dos tipos de dados definidos:Tipo de Dado SinônimosBINARY VARBINARY BOOLEAN LOGICALBIT LOGICAL1 YESNOBYTE INTEGER1COUNTER AUTOINCREMENTCURRENCY MONEY DATEDATETIME TIME TIMESTAMP FLOAT4SINGLE IEEESINGLE REAL FLOAT FLOAT8DOUBLE IEEEDOUBLE NUMBER NUMERIC INTEGER2SHORT SMALLINT INTLONG INTEGER INTEGER4 GENERALLONGBINARY OLEOBJECT LONGCHARLONGTEXT MEMO NOTE ALPHANUMERIC CHAR - CHARACTERTEXT STRING - VARCHARVARIANT (Não Admitido) VALUEInforme de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 61 of 90Subconsultas em SQLUma subconsulta é uma instrução SELECT adicionada dentro de uma instrução SELECT,SELECT...INTO, INSERT...INTO, DELETE, ou UPDATE ou dentro de outra subconsulta. Podeutilizar três formas de sintaxe para criar uma subconsulta: comparação [ANY | ALL | SOME] (instrução sql) expressão [NOT] IN (instrução sql) [NOT] EXISTS (instrução sql)Onde: É uma expressão e um operador de comparação que compara a expressão com ocomparação resultado da subconsulta.expressão É uma expressão pela qual se busca o conjunto resultante da subconsulta.instrução É uma instrução SELECT, que segue o mesmo formato e regras que qualquerSQL outra SELECT. Deve ir entre parênteses.Pode-se utilizar uma subconsulta no lugar de uma expressão na lista de campos de umainstrução SELECT ou em uma cláusula WHERE ou HAVING. Em uma subconsulta, se utiliza umainstrução SELECT para proporcionar um conjunto de um ou mais valores especificados paraavaliar na expressão da cláusula WHERE ou HAVING.Pode-se utilizar o predicado ANY ou SOME, os quais são sinônimos, para recuperar registros daconsulta principal, que satisfaçam a comparação com qualquer outro registro recuperado nasubconsulta. O exemplo seguinte devolve todos os produtos cujo preço unitário for maior que ode qualquer produto vendido com um desconto igual ou maior ao 25 por cento:SELECT *FROM ProdutosWHERE PrecoUnidade ANY ( SELECT PrecoUnidade FROM DetalhePedido WHERE Desconto = 0 .25)O predicado ALL se utiliza para recuperar unicamente aqueles registros da consulta principalque satisfazem a comparação com todos os registros recuperados na subconsulta. Se se mudaANY por ALL no exemplo anterior, a consulta devolverá unicamente aqueles produtos cujo preçounitário for maior que o de todos os produtos vendidos com um desconto igual ou maior ao 25por cento. Isto é muito mais restritivo.O predicado IN se emprega para recuperar unicamente aqueles registros da consulta principalpara os que alguns registros da subconsulta contém um valor igual. O exemplo seguintedevolve todos os produtos vendidos com um desconto igual ou maior ao 25 por cento:SELECT *FROM ProdutosWHERE IDProduto IN ( SELECT IDProduto FROMhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 62 of 90 DetalhePedido WHERE Desconto = 0.25)Inversamente, pode-se utilizar NOT IN para recuperar unicamente aqueles registros da consultaprincipal para os que não têm nenhum registro da subconsulta que contenha um valor igual.O predicado EXISTS (com palavra reservada NOT opcional) se utiliza em comparações deverdade/falso para determinar se a subconsulta devolve algum registro. Suponhamos quedesejamos recuperar todos aqueles clientes que tiverem realizado pelo menos um pedido:SELECTClientes.Companhia, Clientes.TelefoneFROM ClientesWHERE EXISTS ( SELECT FROM Pedidos WHERE Pedidos.IdPedido = Clientes.IdCliente)Esta consulta é equivalente a esta outra:SELECT Clientes.Companhia, Clientes.TelefoneFROM ClientesWHERE IdClientes IN ( SELECT Pedidos.IdCliente FROM Pedidos)Pode-se utilizar também alias do nome da tabela em uma subconsulta para se referir às tabelaslistadas na cláusula FROM fora da subconsulta. O exemplo seguinte devolve os nomes dosempregados cujo salário for igual ou maior do que o salário médio de todos os empregados como mesmo título. À tabela Empregados foi dado o alias T1:SELECT Sobrenome, Nome, Titulo, SalarioFROM Empregados AS T1WHERE Salario = ( SELECT Avg(Salario) FROM Empregados WHERE T1.Titulo = Empregados.Titulo )ORDER BY TituloNo exemplo anterior, a palavra reservada AS é opcional.SELECT Sobrenomes, Nome, Cargo, SalarioFROM EmpregadosWHERE Cargo LIKE Agente Ven*http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 63 of 90 AND Salario ALL ( SELECT Salario FROM Empregados WHERE Cargo LIKE *Chefe* OR Cargo LIKE *Diretor*)(Obtém uma lista com o nome, cargo e salário de todos os agentes de ventas cujo salário formaior que o de todos os chefes e diretores.)SELECT DISTINCT NomeProduto, Preco_UnidadeFROM ProdutosWHERE PrecoUnidade =( SELECT PrecoUnidade FROM Produtos WHERE NomeProduto = Almíbar anisado)(Obtém uma lista com o nome e o preço unitário de todos os produtos com o mesmo preço queo almíbar anisado.)SELECT DISTINCT NomeContato, NomeCompanhia, CargoContato, TelefoneFROM ClientesWHERE IdCliente IN ( SELECT DISTINCT IdCliente FROM Pedidos WHERE DataPedido <#07/01/1993#)(Obtém uma lista das companhias e dos contatos de todos os clientes que realizaram umpedido no segundo trimestre de 1993.)SELECT Nome, SobrenomesFROM Empregados AS EWHERE EXISTS ( SELECT * FROM Pedidos AS O WHERE O.IdEmpregado = E.IdEmpregado)(Seleciona o nome de todos os empregados que reservaram pelo menos um pedido.)SELECT DISTINCT Pedidos.Id_Produto, Pedidos.Quantidade, ( SELECT Produtos.Nome FROM Produtos WHEREhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 64 of 90 Produtos.IdProduto = Pedidos.IdProduto ) AS ElProdutoFROM PedidosWHERE Pedidos.Quantidade = 150ORDER BY Pedidos.Id_Produto(Recupera o Código do Produto e a Quantidade pedida da tabela pedidos, extraindo o nome doproduto da tabela de produtos.)SELECT NumVoo, LugaresFROM VoosWHERE Origem = Madri AND Exists ( SELECT T1.NumVoo FROM Voos AS T1 WHERE T1.LuagaresLivres > 0 AND T1.NumVuelo=Vuelos.NumVuelo)(Recupera números de vôo e capacidades de aqueles vôos com destino Madri e lugares livresSuponhamos agora que temos uma tabela com os identificadores de todos nossos produtos e ostock de cada um deles. Em outra tabela se encontram todos os pedidos que temos pendentesde servir. Trata-se de averiguar que produtos não se podem servir por falta de estoque.SELECT PedidosPendentes.NomeFROM PedidosPendentesGROUP BY PedidosPendentes.NomeHAVING SUM(PedidosPendentes.Quantidade < ( SELECT Produtos.Estoque FROM Produtos WHERE Produtos.IdProduto = PedidosPendentes.IdProduto ))Suponhamos que em nossa tabela de empregados desejamos buscar todas as mulheres cujaidade seja maior da de qualquer homem:SELECT Empregados.NomeFROM EmpregadosWHERE Sexo = M AND Idade > ANY (SELECT Empregados.Idade FROM Empregados WHERE Sexo =H)Ou o que seria o mesmo:SELECT Empregados.NomeFROM EmpregadosWHERE Sexo = M AND Idade > (SELECT Max( Empregados.Idade )FROM Empregados WHERE Sexo =H)A seguinte tabela mostra algum exemplo do operador ANY e ALLValor 1 Operador Valor 2 Resultadohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 65 of 903 > ANY (2,5,7) Certo3 = ANY (2,5,7) Falso3 = ANY (2,3,5,7) Certo3 > ALL (2,5,7) Falso3 < ALL (5,6,7) FalsoA operação =ANY é equivalente ao operador IN, ambos devolvem o mesmo resultado.Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Consultas SQL de União InternasConsultas de Combinação entre tabelasAs vinculações entre tabelas se realizam mediante a cláusula INNER que combina registros deduas tabelas sempre que tiver concordância de valores em um campo comum. Sua sintaxe é:SELECT campos FROM tb1 INNER JOIN tb2 ONtb1.campo1 comp tb2.campo2Onde:tb1, tb2 São os nomes das tabelas desde as que se combinam os registros. São os nomes dos campos que se combinam. Se não são numéricos, os camposcampo1, devem ser do mesmo tipo de dados e conter o mesmo tipo de dados, porém nãocampo2 tem que ter o mesmo nome.comp É qualquer operador de comparação relacional: =, <,<>, <=, =>, ó >.Pode-se utilizar uma operação INNER JOIN em qualquer cláusula FROM. Isto cria umacombinação por equivalência, conhecida também como união interna. As combinaçõesequivalentes são as mais comuns; estas combinam os registros de duas tabelas sempre quetiver concordância de valores em um campo comum a ambas tabelas. Pode-se utilizar INNERJOIN com as tabelas Departamentos e Empregados para selecionar todos os empregados decada departamento. Do contrário, para selecionar todos os departamentos (inclusive se algumdeles não tiver nenhum empregado atribuído) se emprega LEFT JOIN ou todos os empregados(inclusive se algum não estiver atribuído a nenhum departamento), neste caso RIGHT JOIN.Se se tenta combinar campos que contenham dados Memo ou Objeto OLE, se produz um erro.Podem-se combinar dois campos numéricos quaisquer, inclusive se são de diferentes tipos dedados. Por exemplo, pode combinar um campo Numérico para o que a propriedade Size de seuobjeto Field está estabelecida como Inteiro, e um campo Contador.O exemplo seguinte mostra como poderia combinar as tabelas Categorias e Produtos baseando-se no campo IDCategoria:SELECT NomeCategoria, NomeProdutoFROM CategoriasINNER JOIN ProdutosON Categorias.IDCategoria = Produtos.IDCategoriaNo exemplo anterior, IDCategoria é o campo combinado, porém não está incluído na saída dahttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 66 of 90consulta já que não está incluído na instrução SELECT. Para incluir o campo combinado, incluiro nome do campo na instrução SELECT, neste caso, Categorias.IDCategoria.Também se pode linkar várias cláusulas ON em uma instrução JOIN, utilizando a seguintesintaxe:SELECT campos FROM tabela1 INNER JOIN tabela2ON (tb1.campo1 comp tb2.campo1 AND ON tb1.campo2 comp tb2.campo2)OR ON (tb1.campo3 comp tb2.campo3)Também pode aninhar instruções JOIN utilizando a seguinte sintaxe:SELECT campos FROM tb1 INNER JOIN (tb2 INNER JOIN [( ]tb3[INNER JOIN [( ]tablax [INNER JOIN ...)]ON tb3.campo3 comp tbx.campox)]ON tb2.campo2 comp tb3.campo3)ON tb1.campo1 comp tb2.campo2Um LEFT JOIN ou um RIGHT JOIN pode se aninhar dentro de um INNER JOIN, porém um INNERJOIN não pode se aninhar dentro de um LEFT JOIN ou um RIGHT JOIN.Exemplo:SELECT DISTINCT Sum(PrecoUnitario * Quantidade) AS Sales,(Nome + + Sobrenome) AS NameFROM EmpregadosINNER JOIN( PedidosINNER JOIN DetalhesPedidos ON Pedidos.IdPedido = DetalhesPedidos.IdPedido) ON Empregados.IdEmpregado = Pedidos.IdEmpregadoGROUP BY Nome + + Sobrenome(Cria duas combinações equivalentes: uma entre as tabelas Detalhes de pedidos e Pedidos, e aoutra entre as tabelas Pedidos e Empregados. Isto é necessário já que a tabela Empregadosnão contem dados de vendas e a tabela Detalhes de pedidos não contem dados dosempregados. A consulta produz uma lista de empregados e suas vendas totais.)Se empregarmos a cláusula INNER na consulta se selecionarão só aqueles registros da tabelada que tivermos escrito à esquerda de INNER JOIN que contenham ao menos um registro databela que tivermos escrito à direita. Para solucionar isto temos duas cláusulas que substituema palavra-chave INNER, estas cláusulas são LEFT e RIGHT. LEFT toma todos os registros databela da esquerda embora não tenha nenhum registro na tabela da esquerda. RIGHT realiza amesma operação, porém ao contrário, toma todos os registros da tabela da direita embora nãotenha nenhum registro na tabela da esquerda.A sintaxe exposta anteriormente pertence a ACCESS, onde todas as sentenças com a sintaxefuncionam corretamente. Os manuais de SQL-SERVER dizem que esta sintaxe é incorreta e quehá que adicionar a palavra reservada OUTER: LEFT OUTER JOIN e RIGHT OUTER JOIN. Naprática funciona corretamente de uma forma ou de outra.Não obstante, os INNER JOIN ORACLE não é capaz de interpretá-los, mas existe uma sintaxeem formato ANSI para os INNER JOIN que funcionam em todos os sistemas. Tomando comoreferência a seguinte sentença:SELECT Faturas.*, Alvaras.*FROMhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 67 of 90 FaturasINNER JOIN AlvarasON Faturas.IdAlvara = Alvaras.IdAlvaraWHERE Faturas.IdCliente = 325A transformação desta sentença a formato ANSI seria a seguinte:SELECTFaturas.*,Alvaras.*FROMFaturas, AlvarasWHEREFaturas.IdAlvara = Alvaras.IdAlvaraANDFaturas.IdCliente = 325Como se pode observar as mudanças realizadas foram as seguintes: 1. Todas as tabelas que intervêm na consulta se especificam na cláusula FROM. 2. As condições que vinculam às tabelas se especificam na cláusula WHERE e se vinculam mediante o operador lógico AND.Referente aos OUTER JOIN, não funcionam em ORACLE e ademais conheço uma sintaxe quefunciona nos três sistemas. A sintaxe em ORACLE é igual à sentença anterior, porémadicionando os caracteres (+) atrás do nome da tabela na qual desejamos aceitar valoresnulos, isto equivale a um LEFT JOIN:SELECT Faturas.*, Alvaras.*FROM Faturas, AlvarasWHERE Faturas.IdAlvara = Alvaras.IdAlvara (+) AND Faturas.IdCliente = 325E isto a um RIGHT JOIN:SELECT Faturas.*, Alvaras.*FROM Faturas, AlvarasWHERE Faturas.IdAlvara (+) = Alvaras.IdAlvara AND Faturas.IdCliente = 325Em SQL-SERVER se pode utilizar uma sintaxe parecida, neste caso não se utiliza os caracteres(+), e sim os caracteres =* para o LEFT JOIN e *= para o RIGHT JOIN.Consultas de Auto-combinaçãoA auto-combinação se utiliza para unir uma tabela consigo mesma, comparando valores deduas colunas com o mesmo tipo de dados. A sintaxe na seguinte:SELECT alias1.coluna, alias2.coluna, ...FROM tabla1 as alias1, tabela2 as alias2WHEREhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 68 of 90 alias1.coluna = alias2.colunaAND outras condicoesPor exemplo, para visualizar o número, nome e posto de cada empregado, junto com o número,nome e posto do supervisor de cada um deles se utilizaria a seguinte sentença:SELECT t.num_emp, t.nome, t.posto, t.num_sup,s.nome, s.postoFROM empregados AS t, empregados AS sWHERE t.num_sup = s.num_empConsultas de Combinações não ComunsA maioria das combinações está baseada na igualdade de valores das colunas que são o critérioda combinação. As não comuns se baseiam em outros operadores de combinação, tais comoNOT, BETWEEN, <>, etc.Por exemplo, para listar o grau salarial, nome, salário e posto de cada empregado ordenando oresultado por grau e salário haveria que executar a seguinte sentença:SELECT graus.grau,empregados.nome, empregados.salario, empregados.postoFROM empregados, grausWHERE empregados.salario BETWEEN grados.salarioinferior And grados.salariosuperiorORDER BY grados.grado, empregados.salarioPara listar o salário médio dentro de cada grau salarial haveria que lançar esta outra sentença:SELECT graus.grau, AVG(empregados.salario)FROM empregados, grausWHERE empregados.salario BETWEEN graus.salarioinferior And graus.salariosuperiorGROUP BY graus.grauCROSS JOIN (SQL-SERVER)Utiliza-se em SQL-SERVER para realizar consultas de união. Suponhamos que temos umatabela com todos os autores e outra com todos os livros. Se desejássemos obter uma listagemcombinando ambas tabelas de tal forma que cada autor aparecesse junto a cada título,utilizaríamos a seguinte sintaxe:SELECT Autores.Nome, Livros.TituloFROM Autores CROSS JOIN LivrosSELF JOINSELF JOIN é uma técnica empregada para conseguir o produto cartesiano de uma tabelaconsigo mesma. Sua utilização não é muito freqüente, mas colocaremos algum exemplo de suautilização.Suponhamos a seguinte tabela (O campo autor é numérico, embora para ilustrar o exemploutilize o nome): Autoreshttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 69 of 90Código (Código do livro) Autor (Nome do Autor)B0012 1. Francisco LópezB0012 2. Javier AlonsoB0012 3. Marta RebolledoC0014 1. Francisco LópezC0014 2. Javier AlonsoD0120 2. Javier AlonsoD0120 3. Marta RebolledoQueremos obter, para cada livro, pares de autores:SELECT A.Codigo, A.Autor, B.AutorFROM Autores A, Autores BWHERE A.Codigo = B.CodigoO resultado é o seguinte:Código Autor AutorB0012 1. Francisco López 1. Francisco LópezB0012 1. Francisco López 2. Javier AlonsoB0012 1. Francisco López 3. Marta RebolledoB0012 2. Javier Alonso 2. Javier AlonsoB0012 2. Javier Alonso 1. Francisco LópezB0012 2. Javier Alonso 3. Marta RebolledoB0012 3. Marta Rebolledo 3. Marta RebolledoB0012 3. Marta Rebolledo 2. Javier AlonsoB0012 3. Marta Rebolledo 1. Francisco LópezC0014 1. Francisco López 1. Francisco LópezC0014 1. Francisco López 2. Javier AlonsoC0014 2. Javier Alonso 2. Javier AlonsoC0014 2. Javier Alonso 1. Francisco LópezD0120 2. Javier Alonso 2. Javier AlonsoD0120 2. Javier Alonso 3. Marta RebolledoD0120 3. Marta Rebolledo 3. Marta RebolledoD0120 3. Marta Rebolledo 2. Javier AlonsoComo podemos observar, os pares de autores se repetem em cada um dos livros, podemosomitir estas repetições da seguinte forma:SELECT A.Codigo, A.Autor, B.AutorFROM Autores A, Autores BWHERE A.Codigo = B.Codigo AND A.Autor < B.AutorO resultado agora é o seguinte:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 70 of 90Código Autor AutorB0012 1. Francisco López 2. Javier AlonsoB0012 1. Francisco López 3. Marta RebolledoC0014 1. Francisco López 2. Javier AlonsoD0120 2. Javier Alonso 3. Marta RebolledoAgora temos um conjunto de resultados em formato Autor - CoAutor.Se na tabela de empregados quiséssemos extrair todos os possíveis pares que podemosrealizar, utilizaríamos a seguinte sentença:SELECT Homens.Nome, Mulheres.NomeFROM Empregados Homem, Empregados MulheresWHERE Homem.Sexo = Homem AND Mulheres.Sexo = Mulher AND Homens.Id <>Mulheres.IdPara concluir suponhamos a seguinte tabela: EmpregadosId Nome SeuChefe1 Marcos 62 Lucas 13 Ana 24 Eva 15 Juan 66 AntonioQueremos obter um conjunto de resultados com o nome do empregado e o nome de seu chefe:SELECT Empre.Nome, Chefes.NomeFROM Empregados Empre, Empregados ChefeWHERE Empre.SeuChefe = Chefes.IdInforme de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Estruturas das tabelas em SQLNa terminologia usada em SQL não se menciona às relações, do mesmo modo que não se usa otermo atributo, porém sim a palavra coluna e linha.Criação de Tabelas NovasCREATE TABLE tabela (campo1 tipo (tamanho) índice1,campo2 tipo (tamanho) índice2,... ,índice multicampo , ... )http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 71 of 90Onde:tabla É o nome da tabela que será criada.campo1 É o nome do campo ou dos campos que serão criados na nova tabela. A novacampo2 tabela deve conter, ao menos, um campo.tipo É o tipo de dados de campo na nova tabela.tamanho É o tamanho do campo, só se aplica para campos de tipo texto.índice1 É uma cláusula CONSTRAINT que define o tipo de índice a criar. Esta cláusulaíndice2 é opcional. É uma cláusula CONSTRAINT que define o tipo de índice multicampos a criar.índice Um índice multicampo é aquele que está indexado pelo conteúdo de váriosmulticampos campos. Esta cláusula é opcional.CREATE TABLE Empregados ( Nome TEXT (25), Sobrenomes TEXT (50) )(Cria uma nova tabela chamada Empregados com dois campos, um chamado Nome de tipotexto e longitud 25 e outro chamado sobrenomes com longitude 50).CREATE TABLE Empregados ( Nome TEXT (10), Sobrenomes TEXT, DataNascimento DATETIME )CONSTRAINT IndiceGeral UNIQUE ( Nome, Sobrenomes, DataNascimento )(Cria uma nova tabela chamada Empregados com um campo Nome de tipo texto e longitude10, outro chamado Sobrenomes de tipo texto e longitude pré-determinada (50) e um maischamado DataNascimento de tipo Data/Hora. Também cria um índice único - não permitevalores repetidos - formado pelos três campos.)CREATE TABLE Empregados ( IdEmpregado INTEGER CONSTRAINT IndicePrimario PRIMARY, Nome TEXT, Sobrenomes TEXT, DataNascimento DATETIME )(Cria uma tabela chamada Empregados com um campo Texto de longitude pré-determinada(50) chamado Nome e outro igual chamado Sobrenomes, cria outro campo chamadoDataNascimento de tipo Data/Hora e o campo IdEmpregado de tipo inteiro o que estabelececomo chave principal.)A cláusula CONSTRAINTUtiliza-se a cláusula CONSTRAINT nas instruções ALTER TABLE e CREATE TABLE para criar oueliminar índices. Existem duas sintaxes para esta cláusula dependendo se deseja Criar ouEliminar um índice de um único campo ou se se trata de um campo multi-índice. Se se utiliza omotor de dados de Microsoft, só poderá utilizar esta cláusula com os bancos de dados própriasde tal motor. Para os índices de campos únicos:CONSTRAINT nome {PRIMARY KEY | UNIQUE | REFERENCES tabela externahttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 72 of 90[(campo externo1, campo externo2)]}Para os índices de campos múltiplos:CONSTRAINT nome {PRIMARY KEY (primario1[, primario2 [,...]]) |UNIQUE (único1[, único2 [, ...]]) |FOREIGN KEY (ref1[, ref2 [,...]]) REFERENCES tabela externa[(campo externo1 ,campo externo2 [,...])]}Onde:nome É o nome do índice que se criará.primarioN É o nome do campo ou dos campos que formam o índice primário.únicoN É o nome do campo ou dos campos que formam o índice de chave única. É o nome do campo ou dos campos que formam o índice externo (fazemrefN referência a campos de outra tabela).tabela externa É o nome da tabela que contém o campo ou os campos referenciados em refNcampos É o nome do campo ou dos campos da tabela externa especificados por ref1,externos ref2,... , refNSe se deseja criar um índice para um campo quando se está utilizando as instruções ALTERTABLE ou CREATE TABLE a cláusula CONTRAINT deve aparecer imediatamente depois daespecificação do campo indexado.Se se deseja criar um índice com múltiples campos quando se está utilizando as instruçõesALTER TABLE ou CREATE TABLE a cláusula CONSTRAINT deve aparecer fora da cláusula decriação de tabela.Indice Descrição Gera um índice de chave única. O que implica que os registros da tabela não podemUNIQUE conter o mesmo valor nos campos indexados. Gera um índice primário o campo ou os campos especificados. Todos os campos daPRIMARY chave principal devem ser únicos e não nulos, cada tabela só pode conter umaKEY única chave principal. Gera um índice externo (toma como valor do índice campos contidos em outras tabelas). Se a chave principal da tabela externa consta de mais de um campo, se deve utilizar uma definição de índice de múltiplos campos, listando todos os campos de referência, o nome da tabela externa, e os nomes dos campos referenciados naFOREIGN tabela externa na mesma ordem que os campos de referência listados. Se osKEY campos referenciados são a chave principal da tabela externa, não tem que especificar os campos referenciados, pré-determinado por valor, o motor Jet se comporta como se a chave principal da tabela externa estivesse formada pelos campos referenciados.Criação de ÍndicesSe se utiliza o motor de dados Jet de Microsoft só se podem criar índices em banco ed dados domesmo motor. A sintaxe para criar um índice em uma tabela já definida na seguinte:CREATE [ UNIQUE ] INDEX índiceON Tabela (campo [ASC|DESC][, campo [ASC|DESC], ...])[WITH { PRIMARY | DISALLOW NULL | IGNORE NULL }]Onde:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 73 of 90índice É o nome do índice a criar.tabla É o nome de uma tabela existente na que se criará o índice.campo É o nome do campo ou lista de campos que constituem o índice. Indica a ordem dos valores dos campos ASC indica uma ordem ascendenteASC|DESC (valor pré-determinado) e DESC uma ordem descendente.UNIQUE Indica que o índice não pode conter valores duplicados.DISALLOW Proíbe valores nulos no índiceNULLIGNORE Exclui do índice os valores nulos incluídos nos campos que o compõem.NULL Atribui ao índice a categoria de chave principal, em cada tabela só pode existirPRIMARY um único índice que seja "Chave Principal". Se um índice é chave principal implica que não pode conter valores nulos nem duplicados.No caso de ACCESS, se pode utilizar CREATE INDEX para criar um pseudo índice sobre umatabela adjunta em uma fonte de dados ODBC tal como SQL Server que não tenha ainda umíndice. Não necessita permissão ou ter acesso a um servidor remoto para criar um pseudoíndice, ademais o banco de dados remoto não é consciente e não é afetado pelo pseudo índice.Utiliza-se a mesma sintaxe para as tabelas adjuntas que para as originais. Isto é especialmenteútil para criar um índice em uma tabela que seria só de leitura devido à falta de um índice.CREATE INDEX MeuIndiceON Empregados (Prefixo, Telefone)(Cria um índice chamado MeuIndice na tabela empregados com os campos Prefixo e Telefone.)CREATE UNIQUE INDEX MeuIndiceON Empregados (IdEmpregado) WITH DISALLOW NULL(Cria um índice na tabela Empregados utilizando o campo IdEmpregado, obrigando que ocampo IdEmpregado não contenha valores nulos nem repetidos.)Modificar o Desenho de uma TabelaModifica o desenho de uma tabela já existente, se podem modificar os campos ou os índicesexistentes. Sua sintaxe é:ALTER TABLE tabela {ADD {COLUMN tipo de campo[(tamanho)][CONSTRAINT índice]CONSTRAINT índice multicampo} |DROP {COLUMN campo I CONSTRAINT nome do índice}}Onde:tabla É o nome da tabela que se deseja modificar.campo É o nome do campo que se adicionará ou eliminará.tipo É o tipo de campo que adicionará.tamanho É o tamanho do campo que se adicionará (só para campos de texto). É o nome do índice do campo (quando se criam campos) ou o nome do índiceíndice da tabela que se deseja eliminar.índice É o nome do índice do campo multicampo (quando se criam campos) ou omulticampo nome do índice da tabela que se deseja eliminar.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 74 of 90Operação DescriçãoADD Utiliza-se para adicionar um novo campo à tabela, indicando o nome, o tipo deCOLUMN campo e opcionalmente o tamanho (para campos de tipo texto).ADD Utiliza-se para agregar um índice de multicampos ou de um único campo.DROP Utiliza-se para apagar um campo. Especifica-se unicamente o nome do campo.COLUMN Utiliza-se para eliminar um índice. Especifica-se unicamente o nome do índice aDROP seguir da palavra reservada CONSTRAINT.ALTER TABLEEmpregadosADD COLUMNSalario CURRENCY(Agrega um campo Salario de tipo Moeda a tabela Empregados.)ALTER TABLE EmpregadosDROP COLUMN Salario(Elimina o campo Salario da tabela Empregados.)ALTER TABLE PedidosADD CONSTRAINT RelacaoPedidosFOREIGN KEY (IdEmpregado)REFERENCES Empregados (IdEmpregado)(Agrega um índice externo à tabela Pedidos. O índice externo se baseia no campo IdEmpregado e se refere ao campoIdEmpregado da tabela Empregados. Neste exemplo, não é necessário indicar o campo junto ao nome da tabela nacláusula REFERENCES, pois ID_Empregado é a chave principal da tabela Empregados.)ALTER TABLE PedidosDROP CONSTRAINT RelacaoPedidos(Elimina o índice da tabela Pedidos.)Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Cursores em SQLEm alguns SGDB é possível a abertura de cursores de dados desde o próprio ambiente detrabalho, para isso se utilizam, normalmente procedimentos armazenados. A sintaxe paradefinir um cursor é a seguinte:DECLAREnome-cursorFORespecificacao-consulta[ORDER BY]Por exemplo:DECLARE Meu_CursorFORhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 75 of 90 SELECT num_emp, nome, posto, salario FROM empregados WHERE num_dept = informaticaEste comando é meramente declarativo, simplesmente especifica as filas e colunas que iremosrecuperar. A consulta se executa quando se abre ou se ativa o cursor. A cláusula [ORDER BY] éopcional e especifica uma ordenação para as filas do cursor; se não se especifica, a ordenaçãodas filas é definida pelo gerenciador de SGBD.Para abrir ou ativar um cursor se utiliza o comando OPEN do SQL, a sintaxe é a seguinte:OPENnome-cursor[USING lista-variaveis]Ao abrir o cursor, avalia-se a consulta que aparece em sua definição, utilizando os valoresatuais de qualquer parâmetro referenciado na consulta, para produzir uma coleção de filas. Oponteiro se posiciona diante da primeira fila de dados (registro atual), esta sentença nãorecupera nenhuma fila.Uma vez aberto o cursor, utiliza-se a cláusula FETCH para recuperar as filas do cursor, a sintaxeé a seguinte:FETCHnome-cursorINTOlista-variaveisLista - variaveis são as variáveis que vão conter os dados recuperados da fila do cursor, nadefinição devem ir separadas por vírgulas. Na lista de variáveis, deve-se definir tantas variáveiscomo colunas quantas tiver a fila a recuperar.Para fechar um cursor, utiliza-se o comando CLOSE, este comando faz desaparecer o ponteirosobre o registro atual. A sintaxe é:CLOSEnome-cursorPor último, e para eliminar o cursor, utiliza-se o comando DROP CURSOR. Sua sintaxe é aseguinte:DROP CURSORnome-cursorExemplo (sobre SQL-SERVER):Abrir um cursor e percorrê-loDECLARE Employee_Cursor CURSOR FORSELECT LastName, FirstNameFROM Northwind.dbo.EmployeesWHERE LastName like B%OPEN Employee_CursorFETCH NEXT FROM Employee_CursorWHILE @@FETCH_STATUS = 0BEGINhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 76 of 90FETCH NEXT FROM Employee_CursorENDCLOSE Employee_CursorDEALLOCATE Employee_CursorAbrir um cursor e imprimir seu conteúdoSET NOCOUNT ONDECLARE@au_id varchar(11),@au_fname varchar(20),@au_lname varchar(40),@message varchar(80),@title varchar(80)PRINT "-------- Utah Authors report --------"DECLARE authors_cursor CURSOR FORSELECT au_id, au_fname, au_lnameFROM authorsWHERE state = "UT"ORDER BY au_idOPEN authors_cursorFETCH NEXT FROM authors_cursorINTO @au_id, @au_fname, @au_lnameWHILE @@FETCH_STATUS = 0BEGINPRINT " "SELECT@message = "----- Books by Author: " +@au_fname + " " + @au_lnamePRINT @messageDECLARE titles_cursor CURSOR FORSELECT t.titleFROM titleauthor ta, titles tWHERE ta.title_id = t.title_id AND ta.au_id = au_idOPEN titles_cursorFETCH NEXT FROM titles_cursor INTO @titleIF @@FETCH_STATUS <> 0PRINT " <<No Books>>"WHILE @@FETCH_STATUS = 0http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 77 of 90BEGINSELECT @message = " " + @titlePRINT @messageFETCH NEXT FROM titles_cursor INTO @titleENDCLOSE titles_cursorDEALLOCATE titles_cursorFETCH NEXT FROM authors_cursorINTO @au_id, @au_fname, @au_lnameENDCLOSE authors_cursorDEALLOCATE authors_cursorGOPercorrer um cursorUSE pubsGODECLARE authors_cursor CURSOR FORSELECT au_lnameFROM authorsWHERE au_lname LIKE "B%"ORDER BY au_lnameOPEN authors_cursorFETCH NEXT FROM authors_cursorWHILE @@FETCH_STATUS = 0BEGINFETCH NEXT FROM authors_cursorENDCLOSE authors_cursorDEALLOCATE authors_cursorPercorrer um cursor salvando os valores em variáveisUSE pubsGODECLARE @au_lname varchar(40)DECLARE @au_fname varchar(20)DECLARE authors_cursor CURSOR FORSELECTau_lname, au_fnameFROM authorsWHERE au_lname LIKE "B%"ORDER BY au_lname, au_fnameOPEN authors_cursorFETCH NEXT FROM authors_cursor INTO @au_lname, @au_fnameWHILE @@FETCH_STATUS = 0http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 78 of 90BEGINPRINT "Author: " + @au_fname + " " + @au_lnameFETCH NEXT FROM authors_cursorINTO @au_lname, @au_fnameENDCLOSE authors_cursorDEALLOCATE authors_cursorInforme de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Referências Cruzadas em SQLUma consulta de referências cruzadas é aquela que nos permite visualizar os dados em filas eem colunas, estilo tabela, por exemplo:Produto / Ano 1996 1997Calças 1.250 3.000Camisas 8.560 1.253Sapatos 4.369 2.563Se tivermos uma tabela de produtos e outra tabela de pedidos, podemos visualizar em total deprodutos pedidos por ano para um artigo determinado, tal e como se visualiza na tabelaanterior. A sintaxe para este tipo de consulta é a seguinte:TRANSFORM função agregada instrução select PIVOT campo pivot[IN (valor1[, valor2[, ...]])]Onde: É uma função SQL agregada que opera sobre osfunção agregada dados selecionados.instrução select É uma instrução SELECT. É o campo ou expressão que deseja utilizar para criarcampo pivot os cabeçalhos da coluna no resultado da consulta.valor1, valor2 São valores fixosutilizados para criar os cabeçalhos dacoluna.Para resumir dados utilizando uma consulta de referência cruzada, se selecionam os valores doscampos ou expressões especificadas como cabeçalhos de colunas de tal forma que podem sever os dados em um formato mais compacto que com uma consulta de seleção.TRANSFORM é opcional, porém se for incluída é a primeira instrução de uma cadeia SQL.Precede à instrução SELECT que especifica os campos utilizados como cabeçalhos de fila e umacláusula GROUP BY que especifica o agrupamento das filas. Opcionalmente pode incluir outrascláusulas como, por exemplo, WHERE, que especifica uma seleção adicional ou um critério deordenação.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 79 of 90Os valores devolvidos em campo pivot se utilizam como cabeçalhos de coluna no resultado daconsulta. Por exemplo, ao utilizar as cifras de vendas no mês da venda como pivot em umaconsulta de referência cruzada se criariam 12 colunas. Pode restringir o campo pivot para criarcabeçalhos a partir dos valores fixos (valor1, valor2) listados na cláusula opcional IN.Também pode incluir valores fixos, para os que não existem dados, para criar colunasadicionais.ExemplosTRANSFORM Sum(Quantidade) AS VendasSELECT Produto, QuantidadeFROM PedidosWHERE Data Between #01-01-1998# And #12-31-1998#GROUP BY ProdutoORDER BY ProdutoPIVOT DatePart("m", Data)(Cria uma consulta de tabela de referências cruzadas que mostra as vendas de produtos por mês para um anoespecífico. Os meses aparecem da esquerda à direita como colunas e os nomes dos produtos aparecem de cima parabaixo como filas.)TRANSFORM Sum(Quantidade) AS VendasSELECT CompanhiaFROM PedidosWHERE Data Between #01-01-1998# And #12-31-1998#GROUP BY CompanhiaORDER BY CompanhiaPIVOT "Trimestre " & DatePart("q", Data) In (Trimestre1, Trimestre2, Trimestre 3, Trimestre 4)(Cria uma consulta de tabela de referências cruzadas que mostra as vendas de produtos por trimestre de cada provedorno ano indicado. Os trimestres aparecem da esquerda à direta como colunas e os nomes dos provedores aparecem decima para baixo como filas.)Um caso prático:Trata-se de resolver o seguinte problema: temos uma tabela de produtos com dois campos, ocódigo e o nome do produto. Temos outra tabela de pedidos na que anotamos o código doproduto, a data do pedido e a quantidade pedida. Desejamos consultar os totais de produto porano, calculando a média anual de vendas.Estrutura e dados das tabelas:http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 80 of 90Para resolver a consulta sondaremos a seguinte consulta:TRANSFORM Sum(Pedidos.Quantidade) AS ResultadoSELECT Nombre AS Produto, Pedidos.Id AS Código, Sum(Pedidos.Quantidade) AS TOTAL, Avg(Pedidos.Quantidade) AS MediaFROM Pedidos, ArtigosWHERE Pedidos.Id = Artigos.IdGROUP BY Pedidos.Id, Artigos.NomePIVOT Year(Data)E obtemos o seguinte resultado:Produto Código Total Media 1996 1997Sapatos 1 348 87 300 48Calças 2 955 238,75 375 580Blusas 3 1940 485 620 1320Comentários à consulta:A cláusula TRANSFORM indica o valor que desejamos visualizar nas colunas que realmentepertencem à consulta, neste caso 1996 e 1997, visto que ademais colunas são opcionais.SELECT especifica o nome das colunas opcionais que desejamos visualizar, neste caso, Produto,Código, Total e Média, indicando o nome do campo que desejamos mostrar em cada coluna ouo valor da mesma. Se incluirmos uma função de cálculo o resultado se fará baseando-se nosdados da fila atual e não ao total dos dados.FROM especifica a origem dos dados. A primeira tabela que deve figurar é aquela de ondedesejamos extrair os dados, esta tabela deve conter ao menos três campos, um para os títulosda fila, outros para os títulos da coluna e outro para calcular o valor das células.Neste caso em concreto se desejava visualizar o nome do produto, como na tabela de pedidossó figurava o código do mesmo se adicionou uma nova coluna na cláusula select chamadaProduto que se corresponda com o campo Nome da tabela de artigos. Para vincular o código doartigo da tabela de pedidos com o nome do mesmo da tabela artigos, foi inserido a cláusulaINNER JOIN.A cláusula GROUP BY especifica o agrupamento dos registros, contrariamente aos manuais deinstrução esta cláusula não é opcional já que deve figurar sempre e devemos agrupar oshttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 81 of 90registros pelo campo do qual extrairemos a informação. Neste caso existem dois campos dosque extraímos a informação: pedidos.quantidade e artigos.nome, por isso, agrupamos peloscampos.Para finalizar, a cláusula PIVOT indica o nome das colunas não opcionais, neste caso 1996 e1997 e como vamos ao dado que aparecerá nas colunas, neste caso empregamos o ano em quese produziu o pedido, extraindo-o do campo pedidos.fecha.Outras possibilidades de data da cláusula pivot são as seguintes: 1. Para agrupamento por Trimestres: PIVOT "Tri " & DatePart("q",[Data]); 2. Para agrupamento por meses (sem ter em conta o ano) PIVOT Format([Data],"mmm") In ("Jan", "Fev", "Mar", "Abr", "Maio", "Jun", "Jul", "Ago", "Set", "Out", "Nov", "Dez"); 3. Para agrupar por dias PIVOT Format([Data],"Short Date");Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Introdução a freetext e contains em SQL-ServerFULL TEXT SEARCHUtiliza-se em campos de texto de grande tamanho utilizando uns índices denominadoscatálogos. Estes catálogos só se podem utilizar com tabelas que contenham que definidaschaves primárias e armazenam todas as palavras do conteúdo das tabelas com execeção dosartigos, preposições, etc.Os catálogos não se atualizam automaticamente nem se salvam junto com o banco de dados ecada tabela pode ter um único catálogo.Para a utilização destes catálogos dentro de uma consulta, podemos utilizar dois métodos, oprimeiro consiste em incluir os critérios dentro de uma cláusula WHERE (CONTAINS ouFREETEXT) e o segundo é utilizando uma tabela temporária que contém o ratio de acerto naconsulta (CONTAINSTABLE ou FREETEXTTABLE).O predicado CONTAINSUtiliza-se este predicado para buscar um texto específico em uma tabela. Seu funcionamento ésimilar ao predicado LIKE, a diferença é que este não pode realizar buscas nos campos grandesde texto. CONTAINS não diferencia entre maiúsculas e minúsculas.Sintaxe:SELECT <Campos> FROM <Tabela>WHERE CONTAINS(<Campo>,<Cadeia>) OR/AND CONTAINS(<Campo>,<Cadeia>)O predicado CONTAINS suporta sintaxe complexas para buscar: Uma ou mais palavras utilizando os operadores lógicos AND/OR. Famílias de palavras Uma palavra ou uma frase que comecem por um determinado texto.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 82 of 90 Palavras ou frases que estejam umas próximas de outras.Para buscar uma palavra em um campo:SELECT title_id, title, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes,business)Para localizar uma frase em um campo:SELECT title_id, titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes, "common business applications" )Para localizar uma frase em todos os campos habilitados:SELECT title_id, titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(*, "common business applications" )Utilizando AND, OR e NOTSELECT title, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes, "favorite recipes" OR "gourmet recipes" )SELECT titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes, cooking AND NOT ("computer*") )SELECT titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes, beer AND ales )SELECT titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(*, ("ice skating" OR hockey) AND NOT olympics)Utilizando caracteres curingasSELECT titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes, "ice*" )SELECT titles, notes FROM titlesWHERE CONTAINS(notes, "light bread*" )Busca de palavras ou frases indicando a importância das palavras:Esta busca permite indicar o peso que terá cada uma das palavras ou frases que se buscamsobre o resultado da busca, o peso oscila entre o valor mais baixo 0.0 e o valor mais alto 1.0.SELECT Cliente, Nome, Endereco FROM ClienteWHERE CONTAINS (Endereco, ISABOUT ( "Rua*", Velazquez WEIGHT(0.5), Serrano(0.9))(Serão encontrados todos aqueles registros que no campo endereço exista a cadeia rua seguidade qualquer valor, ordenando primeiro os de "Rua Serrano", logo os de "Rua Velázquez" edepois o resto.Busca de palavras próximas:Podemos realizar buscas por duas palavras e indicar que se encontrem próximas uma da outra.A ordem das palavras não altera o resultado da busca.SELECT titulo, notas FROM livrosWHERE CONTAINS (notas, "usuario NEAR computador")SELECT titulo, notas FROM livrosWHERE CONTAINS (notas, "usuario ~ computador")Podem-se indicar três palavras, de tal forma que a segunda e a primeira devem estar próximasao igual que a segunda e a terceira.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 83 of 90SELECT titulo, notas FROM livrosWHERE CONTAINS (notas, "usuario ~ principiante ~ computador")Buscas com frases:... WHERE CONTAINS(Descricao, " salsas ~ "mezcl*" ")... WHERE CONTAINS(Descricao, " "carne*" ~ "salsa empanada*" ")O predicado FREETEXTAo utilizar este predicado se analisam todas as palavras das frases e nos devolve comoresultado, aqueles registros que contém a frase completa ou algum fragmento da mesma. Asintaxe é igual que o predicado CONTAINS.... FREETEXT(descricao, "Em um lugar da mancha de cujo nome não quero me lembrar" )O predicado CONTAINSTABLEEste predicado tem igual funcionamento e sintaxe que CONTAINS a diferença que neste casodevolve uma tabela com duas colunas, a primeira chamada [KEY] contem o valor da chaveprimária da tabela que a que buscamos, a segunda chamada RANK devolve um valor indicandoa porcentagem de acerto na busca para cada registro.SELECT Perguntas.Pergunta, Perguntas.Resposta, Resultado.RANKFROM Perguntas, CONTAINSTABLE(Resposta, " SQL Server") AS ResultadoWHERE Perguntas.IdPergunta = Resultado.[KEY]ORDER BY Resultado.RANK DescSELECT Perguntas.Pergunta, Perguntas.Resposta, Resultado.RANKFROM Perguntas INNER JOIN CONTAINSTABLE (Resposta, "SQL Server") AS ResultadoON Perguntas.IdPergunta = Resultados.KEYO predicado FREETEXTTABLEÉ o equivalente a CONTAINSTABLE porém realizando buscas de FREETEXT.Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Acesso ao banco de dados externosPara o acesso a banco de dados externos se utiliza a cláusula IN. Pode-se acessar a banco dedados dBase, Paradox ou Btrieve. Esta cláusula só permite a conexão de um banco de dadosexterna por vez. Um banco de dados externo é um banco de dados que não seja o ativo.Embora para melhorar os rendimentos é melhor anexá-los ao banco de dados atual e trabalharcom eles.Para especificar um banco de dados que não pertence a Access Basic, se agrega um ponto evírgula (;) ao nome e se fecha entre aspas simples. Também pode utilizar a palavra reservadaDATABASE para especificar o banco de dados externo. Por exemplo, as linhas seguintesespecificam a mesma tabela: FROM Tabela IN [dBASE IV; DATABASE=C: DBANCODADOSVENDAS;]; FROM Tabla IN C: DBANCODADOSVENDAS dBASE IV;Acesso a um banco de dados externo de Microsoft Access:SELECT IdClientehttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 84 of 90FROM ClientesIN C:MEUSDADOS.MDBWHERE IDCliente Like A*(Onde MEUSDADOS.MDB é o nome de um banco e dados de Microsoft Access que contém atabela Clientes.)Acesso a um banco de dados externo de dBASE III ou IV:SELECT IdClienteFROM ClientesIN C:DBANCODADOSVENDAS dBASE IV;WHERE IDCliente Like A*(Para recuperar dados de uma tabela de dBASE III+ há que utilizar dBASE III+; em lugar dedBASE IV;.)Acesso a um banco de dados de Paradox 3.x o 4.x:SELECT IdClienteFROM ClientesIN C:PARADOXDADOSVENDAS Paradox 4.x;WHERE IDCliente Like A*(Para recuperar dados de uma tabela de Paradox versão 3.x, há que substituir Paradox 4.x;por Paradox 3.x;.)Acesso a um banco de dados de Btrieve:SELECT IdClienteFROM ClientesIN C:BTRIEVEDADOSVENDASFILE.DDF Btrieve;WHERE IDCliente Like A*(C:BTRIEVEDADOSVENDASFILE.DDF é a rota de acesso e nome de arquivo do arquivo dedefinição de dados de Btrieve.)Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Consultas com parâmetros e omissão de permissõesConsultas com parâmetrosAs consultas com parâmetros são aquelas cujas condições de busca se definem medianteparâmetros. Se se executam diretamente desde o banco de dados onde foram definidasaparecerá uma mensagem solicitando o valor de cada um dos parâmetros. Se desejarmosexecutá-las desde uma aplicação há que atribuir primeiro o valor dos parâmetros e depoisexecutá-las. Sua sintaxe é a seguinte: PARAMETERS nome1 tipo1, nome2 tipo2, ... , nomeN tipoN Consultahttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 85 of 90Onde:nome É o nome do parâmetrotipo É o tipo de dados do parâmetroconsulta Uma consulta SQLPodem-se utilizar nomes, mas não tipos de dados em uma cláusula WHERE ou HAVING.PARAMETERS PrecoMinimo Currency, DataInicio DateTime;SELECT IdPedido, QuantidadeFROM PedidosWHERE Preco = PrecoMinimo AND DataPedido = DataInicioOmitir as permissões de acessoEm ambientes de bancos de dados com permissões de segurança para grupos de trabalho sepode utilizar a cláusula WITH OWNERACCESS OPTION para que o usuário atual adquira osdireitos de proprietário na hora de executar a consulta. Sua sintaxe é:instrução sql WITH OWNERACCESS OPTIONSELECT Sobrenome, Nome, SalarioFROM EmpregadosORDER BY SobrenomeWITH OWNERACCESS OPTIONEsta opção requer que esteja declarado o acesso ao arquivo de grupo de trabalho (geralmentesystem.mda ou system .mdw) do banco de dados atual.Informe de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/Procedures e busca de registros duplicados em SQLCláusula ProcedureEsta cláusula é pouco usual e se utiliza para criar uma consulta ao mesmo tempo que seexecuta, opcionalmente define os parâmetros da mesma. Sua sintaxe é a seguinte:PROCEDURE NomeConsulta ParÂmetro1 tipo1, .... ,ParâmetroN tipon ConsultaSQLOnde:NomeConsulta É o nome com o qual se salvará a consulta no banco de dados.Parâmetro É o nome de parâmetro ou dos parâmetros de tal consulta.Tipo É o tipo de dados do parâmetrohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 86 of 90ConsultaSQL É a consulta que se deseja gravar e executar.PROCEDURE ListaCategorias;SELECT DISTINCTROW NomeCategoria, IdCategoriaFROM CategoriasORDER BY NomeCategoria(Atribui o nome Lista_de_categorias à consulta e a executa.)PROCEDURE Resumo DataInicio DATETIME, DtaaFinal DATETIME;SELECT DISTINCTROW DataEnvio, IdPedido, ImportePedido, Format(DataEnvio, "yyyy") AS AnoFROM PedidosWHERE DataEnvio Between DataInicio And DataFinal(Atribui o nome Resumo à consulta e inclui dois parâmetros.)Busca de Registros DuplicadosPara gerar este tipo de consultas o mais simples é utilizar o assistente de consultas de Access,editar a sentença SQL da consulta e colá-la em nosso código. Não obstante, este tipo deconsulta se consegue da seguinte forma:SELECT DISTINCT Lista de Campos a Visualizar FROM TabelaWHERE CampoDeBusca In(SELECT CampoDeBusca FROM Tabela As pseudônimoGROUP BY CampoDeBusca HAVING Count(*) > 1 )ORDER BY CampoDeBuscaUm caso prático, se desejarmos localizar aqueles empregados com nome igual e visualizar seucódigo correspondente, a consulta seria a seguinte:SELECT DISTINCT Empregados.Nome, Empregados.IdEmpregadoFROM EmpregadosWHERE Empregados.NomeIn ( SELECT Nome FROM Empregados As Tmp GROUP BY Nome HAVING Count(*) > 1)ORDER BY Empregados.NomeInforme de ClaudioMail: claudio@lobocom.esURL: http://personal.lobocom.es/claudio/A função datepart() em AccessHá alguns dias tinha que fazer uma consulta sobre datas em Access: "Obter o nome dasempresas cuja data de inscrição coincidia com "x" ano" e li um artigo publicado em uma webcom o título: "Funções para buscas com datas em Access".Depois de ler este artigo soube da existência da função DatePart(), porém a forma de colocá-laem prática tal como o problema me enfocava, não é nada simples, ou nesse momento, não o viclaro. De fato, fazendo uma busca, tudo era bastante confuso implementando programinhas emVBA (Visual Basic Aplications). (Importante: O formato de data em Access é o formatohttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 87 of 90americano: mm/dd/aaaa, porém neste caso o formato americano e o da tabela quanto ao anoque se referem coincidem.)Se realizamos a seguinte consulta:SELECT DatePart("yyyy",FECHA_ALTA) FROM table1;Obtemos:Até tudo bem, o problema surge quando você quer obter só um tipo de data na qual o anocoincida com um dado. Por exemplo, quero obter todas as empresas inscritas no ano 2003 evocê dispõe de 1000 empresas com 1000 datas de inscrição... Para isso, há que fazer oseguinte:SELECT *FROM Tabela1WHERE DatePart("yyyy",FECHA_ALTA)="2003";Informe de Jonathan Soriano FolchMail: jhonny_83_1@hotmail.comEmular um Cursor SQL com um LoopGraças a este truque de SQL Server 2000 você poderá emular o funcionamento de um cursorhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 88 of 90com um loop.Para isso criaremos uma tabela temporária onde colocaremos os elementos que queremositerar no loop para poder tratá-los.DECLARE@AnunciosTABLE(pk_id numeric(18, 0) NOT NULL IDENTITY (1, 1),Idtruco numeric(18,0),IdUsuario numeric(18,0),Alias nvarchar(255),usuario nvarchar(255))Criamos duas variáveis para poder iterar no loopDECLARE@Rows numeric,@i numeric(18,0)SET @Rows=0SET @i=1Inserimos os dados na tabela temporária @anunciosINSERT INTO@Anuncios(Idtruque,IdUsuario,Alias,Usuario)SELECTa.ARTID,a.ARTUSR,p.Alias,p.LonUsrFROMTABELA_ANUNCIOS aINNER JOINTABELA_USUARIOS pON a.ARTUSR=p.LONIDAtribuímos à variável contadora de filas totais o total da tabela @anunciosSet @Rows=(SELECT TOP 1 PK_ID FROM @Anuncios order BY PK_ID DESC)Iteramos com o while. Desta maneira podemos emular o funcionamento de um cursor sem ser um cursor, podendoexecutá-lo as vezes que quisermos de uma só vez.WHILE @i <;= @RowsBEGINDeclare@Idtruco numeric(18,0),@IdUsuario numeric(18,0),@Alias nvarchar(255),@Usuario nvarchar(255)SELECT@Idtruque=Idtruque,@IdUsuario=IdUsuario,@Alias=Alias,@Usuario=UsuarioFROM@AnunciosWHEREpk_id=@iRealizar todas as ações!SET @i=@i + 1http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 89 of 90ENDInforme de Pol SalvatMail: dynk@telefonica.netURL: http://www.mistrucos.netTipos de instruções SQL e seus componentes sintáticosEm SQL temos bastantes instruções que se podem utilizar para realizar diversas tarefas.Dependendo das tarefas, estas sentenças se podem classificar em três grupos principais (DML,DDL,DCL), embora nos restaria outro grupo que ao meu entender não está dentro dalinguagem SQL, e sim da PLSQL. INSTRUÇÃO DESCRIÇÃO DML Manipulação de dados SELECT Recupera dados do banco de dados. INSERT Adiciona novas filas de dados ao banco de dados. DELETE Suprime filas de dados do banco de dados. UPDATE Modifica dados existentes no banco de dados. DDL Definição de dados CREATE TABLE Adiciona uma nova tabela ao banco de dados. DROP TABLE Suprime uma tabela do banco de dados. ALTER TABLE Modifica a estrutura de uma tabela existente. CREATE VIEW Adiciona uma nova vista ao banco de dados. DROP VIEW Suprime uma vista do banco de dados. CREATE INDEX Constrói um índice para uma coluna. DROP INDEX Suprime o índice para uma coluna. CREATE SYNOYM Define um alias para um nome de tabela. DROP SYNONYM Suprime um alias para um nome de tabela. DCL Controle de acesso GRANT REVOKE Concede privilégios de acesso a usuários. Controle de transações Suprime privilégios de acesso a usuários COMMIT Finaliza a transação atual. ROLLBACK Aborta a transação atual. PLSQL SQL Programático DECLARE Define um cursor para uma consulta. OPEN Abre um cursor para recuperar resultados de consulta. FETCH Recupera uma fila de resultados de consulta. CLOSE Fecha um cursor.Componentes sintáticosA maioria de sentenças SQL tem a mesma estrutura.Todas começam por um verbo (select, insert, update, create), a seguir continua com uma oumais cláusulas que nos dizem dados com os que vamos operar (from, where), algumas destassão opcionais e outras obrigatórias como é o caso do from.http://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008
    • Tutorial de SQL - Manual completo Page 90 of 90Informe de Sara Alvarez LangaMail: sara@desarrolloweb.com Todos los direitos de reprodução e difusão reservados Voltarhttp://www.criarweb.com/manuais/32/print.php 11/07/2008