Cesar Pallares Espm

7,266 views
7,156 views

Published on

Cesar Pallares Espm

  1. 1. Como a evolução do consumo, das mídias e das tecnologias, impactam os planos de marketing e de comunicação. Palestra ESPM – 11/03/2010 Cesar Pallares www.cesarpallares.wordpress.com
  2. 2. “Por Deus, tenham um blog!” Disse o Papa Bento XVI aos padres católicos em 23/01 ... reconheceu que os padres devem aproveitar ao máximo o rico menu de opções oferecido pelas novas tecnologias...
  3. 3. Revolução industrial - Séc. XVIII / XIX Produção em massa para as massas
  4. 4. Capitalismo a busca por novos mercados
  5. 5. 1940 1970 1940 vidro - 1961 cartonadas pirâmide - 1970 saquinho e longa vida - 1990 expansão longa vida
  6. 6. Templo do consumo: 60 mil itens nos hipermercados 10 mil itens na loja virtual (sem sair de casa)
  7. 7. Quem vive em uma grande cidade é exposto a aproximadamente 2.000 mensagens publicitárias por dia.
  8. 8. A síndrome do lugar comum que contribui para o invisível Se você pegasse 90% desses anúncios e embaralhasse as logomarcas de quem os assina, ninguém notaria a diferença.
  9. 9. ONTEM Os consumidores tinham muito mais tempo e muito menos escolhas. Era mais difícil gastar a renda disponível.
  10. 10. HOJE Eles optam por ouvi-lo ou não. eles ignoram você.
  11. 11. Como a evolução digital contribui para essa revolução?
  12. 12. 66,4 milhões br 36,8 milhões ativos 46,8 milhões domésticos e corporativos + ambientes públicos, bibliotecas, LAN houses e telecentros Ibope Nielsen Online.
  13. 13. Celulares: 175 milhões br 10,5 milhões conexões de banda larga móvel - jan/2010 94% celulares 6% modems
  14. 14. WEB TV Portais de Vídeos Colaborativos TV na Internet Corporativas São diversas TVs com transmissão ao vivo ou não, com conteúdos on demand, com interatividade, gratuitas ou pagas e com diversas tecnologias de transmissão
  15. 15. netvibes
  16. 16. Sites institucionais irrelevantes Ninguém tem mais saco pra ficar vendo alguém falar bem da sua própria empresa, em seu site. A busca é por conteúdo - relevância - ambiência. Sites irrelevantes deixam de ser a referência A empresa deixa de controlar a mensagem Telecomunicações - Bancos - Montadoras de automóveis - Fabricantes de celulares
  17. 17. Redes sociais existem há mais de 30 anos
  18. 18. ESTRATÉGICO AMBIENTE DE MARKETING TÁTICO Missão Públicos Propaganda Marca Valores 1 – Interno 3 – Influenciador Institucional Objetivos 2 – Intermediário 4 - Consumidor Venda Informativa Qualificação e quantificação Segmentação Geográfica Merchandising Demográfica Produto Psicográfica PDV Comportamental Comunicação Posicionamento Promoção Quem sou? Vendedor O que faço? Campanha Revenda Para quem? Consumidor Corporate Visão estratégica Interno Influenciador Multiplicador Produto: Conceito Venda pessoal Campo Percepção Apoio Genérica Penetração Comunicação Executiva Tangível Público alvo Ampliada Preço Benefícios Eventos Reason Why Patrocínio Ciclo de vida Praça USP Participação Ponto de venda Portifólio Perfil Feiras Transação
  19. 19. Segmentação geográfica Área de influência primária, secundária
  20. 20. Segmentação geográfica
  21. 21. A nova segmentação geográfica não tem fronteiras
  22. 22. Segmentação demográfica
  23. 23. Segmentação demográfica Carolina Herrera por R$ 129,90
  24. 24. Segmentação demográfica LCD de 30” a 70”
  25. 25. Segmentação comportamental
  26. 26. Propaganda de venda Buscadores
  27. 27. Propaganda de marca Redes
  28. 28. O poder dos buscadores 620 milhões de visitantes / dia, 7,2 bilhões page views / dia. 87,8 bilhões de buscas mensais em todo o mundo.
  29. 29. Push Pull
  30. 30. “A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original.” Albert Einstein “O difícil não é achar a solução, o difícil é armar o problema”.
  31. 31. Novos hábitos de consumo de mídia Rapidez – “quero pra já” O novo consumidor quer tudo mais rápido que antigamente, tudo que não é pra já, é devagar. No mundo digital, quando uma necessidade não é atendida prontamente, gera a frustração.
  32. 32. Comodidade – “quero ficar em casa” Centros urbanos Os consumidores querem total acesso de dentro de suas casas (pizzas, farmácias, bancos, compras, músicas, filmes etc.) no início, tudo por telefone; hoje, quase tudo on-line.
  33. 33. Segurança – “quero o que confio” o novo consumidor quer tudo melhor, maior, mais barato e mais rápido, mas só se tudo isso estiver de acordo com os seus padrões de conforto e segurança. Lojas eletrônicas brasileiras consideradas confiáveis por 86,3% das pessoas que fizeram compras pela Internet durante todo o ano de 2009 - Fonte: e-bit
  34. 34. Individualidade “não sou todo mundo” O novo consumidor não quer ser atendido como mais um, na multidão; quer receber produtos e informações sob medida, que atendam suas necessidades específicas.
  35. 35. Simplicidade “não quero complicações” O novo consumidor busca no ambiente online facilidades para o seu dia-a-dia, qualquer grau de dificuldade é o suficiente para que uma ação seja descartada, em um click.
  36. 36. Como impactar o novo consumidor
  37. 37. Como ser notável, relevante, sair do invisível???
  38. 38. Conteúdo relevante Criação para conquistar a do atenção do consumidor tempo Visão da saturação: Mídia Não é mais tudo para todos. Comportamento social mutante Novos e antigos canais de distribuição de conteúdo. O consumidor está no controle: Planejamento ele escolhe o que e quando (audiência)
  39. 39. Mídia Novos e antigos canais de distribuição de conteúdo. O consumidor está no controle: ele escolhe o que e quando (audiência)
  40. 40. Devemos despertar o interesse e conquistar o tempo de atenção do público.
  41. 41. Engajamento Conteúdo relevante para conquistar a atenção do consumidor
  42. 42. Planejamento Visão da saturação: Não é mais tudo para todos. Comportamento social mutante
  43. 43. Criando produtos e comunicação notáveis para as pessoas certas Difusão da inovação Everett Rogers Em muitos mercados o VALOR de um grupo não está relacionado ao seu tamanho e sim à sua INFLUÊNCIA.
  44. 44. Em determinados mercados Os adotantes prematuros influenciam fortemente o resto da curva, portanto persuadí-los vale muito mais a pena do que gastar dinheiro com a propaganda para convencer qualquer outro grupo.
  45. 45. Case Nike Plus Utilidade, comunidade, informação de produto, venda. Mais que campanha, inovação. Do que os corredores gostam??? - Muda pra sempre a relação do público com a marca
  46. 46. Vetor de consumo Sociocultural Movimentando-se para “além” e “para cima” Estilo de vida saudável VCSC Exemplo: comprar um tênis Contexto socio-cultural como parte do equipamento Tecnologia < impacto físico necessário para uma vida Maior desempenho saudável Grupos e associações SC Sugestão de roteiro VC Troca de experiências Hábitos de vida saudável Tênis Correr Categorias de consumo: Fazer exercícios físicos Visão ampliada - Expansão na categoria - Valorização do pós-venda
  47. 47. Vetor de consumo Sociocultural Em busca de uma academia, ao encontro de uma dieta
  48. 48. Vetor de consumo Sociocultural Buscar, caminhar, camelar!? – hoje é só clicar
  49. 49. ambiência AI Usabilidade Navegabilidade
  50. 50. ambiência
  51. 51. ambiência
  52. 52. conteúdo
  53. 53. atenção
  54. 54. experiência
  55. 55. Planejando sua presença digital 1. presença digital 2. ativação 3. monitoramento 4. ROI
  56. 56. Estratégia “A arte de continuar atirando muito tempo depois que a munição acabou” anônimo
  57. 57. presença digital VCSC escopo da categoria – posicionamento percebido produto – conceito / percepção público alvo / target Monitoramento das mídias consumidas AMBIENTE ON-LINE PORTAIS, BLOGS, REDES / COMUNIDADES MOBILE, SMS, MSN IBOPE / IPSOS ambiente de MKT
  58. 58. meios / mídias - utilizar web-site comunidades hot-site mobile blogs youtube facebook twitter objetivos KPIs planejamento tático
  59. 59. planejamento tático propaganda atendimento promoção visitas conteúdo agendamento vendas data base serviço entretenimento presença digital receptiva ativa
  60. 60. ativação hibrida on/off rp digital e-mail mkt portais comunidades ad-words ofertas mobile bluetooth monitoramento
  61. 61. monitoramento Análise e mensuração do ROI Diversas ferramentas prontas ou sob demanda
  62. 62. online ou off-line Toda mídia é boa, basta saber usar
  63. 63. Sinos e flâmulas As primeiras mídias de massa
  64. 64. Especialidades Regionalização
  65. 65. 1 milhão de PDVs 200 milhões de consumidores
  66. 66. 133,6 milhões estão fora da rede Eles não acessam a Internet, não tem e-mail, nem um perfil no Orkut; nunca ouviram falar de FaceBook, Linkedin ou SlideShare; não usam buscadores, talvez nem saibam o que é o Google.
  67. 67. SP Região metropolitana 18 milhões 17.000.000 - não lêem Veja 17.000.000 - não lêem OESP 15.119.000 - não assistem Novela III * 16 ptos 15.980.000 - não assistem Jornal Nacional *11 ptos 17.353.000 - não assistem Silvio Santos * fonte IBOPE semana 3/fev 17.989.760
  68. 68. Grato pela atenção cesarpallares.wordpress.com Cesar Pallares estratégias & idéias

×