Estudo das Religiões

3,175 views

Published on

Estudo das Religiões

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,175
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
55
Actions
Shares
0
Downloads
85
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estudo das Religiões

  1. 1. Estudo das Religiões 1. Finalidade e Relevância do Estudo 2. Conceito e Origem das Religiões 3. Classificação das Religiões 4. Avaliando o Fenômeno Religioso
  2. 2. 1. Finalidade e Relevância do Estudo  A matéria Estudo das Religiões se propõe a uma análise do fenômeno religioso em seu caráter geral e em suas manifestações particulares, na tentativa de compreendê-las.  A religião esteve sempre presente na vida humana, afetando-a em seus mais diversos relacionamentos, por isso pode ser estudada sob diferentes aspectos ou enfoques (histórico, teológico, comparativo, etc.).  A importância deste estudo está em permitir um conhecimento mais apropriado das características de cada religião (evitando generalizações) e de como influenciaram os povos na formação de diferentes visões do mundo material e espiritual.
  3. 3. 2. Conceito e Origem das Religiões  Etimologicamente, religião (lat. religio) pode significar “fidelidade ao dever”, “o ato de retomar um compromisso”, “religar-se a uma obrigação”.  Em termos gerais, pode-se definir como uma relação estabelecida entre o homem e uma realidade superior, transcendente, suprema (Deus?) através de uma obrigação. “Conjunto de relações teóricas e práticas estabelecidas entre os homens e uma potência superior, à qual se rende culto, individual ou coletivo, por seu caráter divino e sagrado.” (Enciclopédia Britânica)
  4. 4.  Universalidade da Religião  O sentimento religioso é um fenômeno universal, sendo encontrado em todas as sociedades humanas de que há registro na história.  Trata-se de um elemento inerente à consciência humana, que “desperta” e se desenvolve ora pelo convívio com a comunidade, ora por uma experiência pessoal com o sagrado.
  5. 5.  Os Fatos Religiosos  Embora seja um fenômeno universal, a experiência religiosa manifesta-se de formas variadas e específicas, devendo ser estudada em seus próprios termos.  Contudo, podemos identificar certos elementos essenciais comuns a toda religião, chamados de fatos religiosos, os quais resumem a experiência religiosa: Ser Supremo A noção de uma realidade superior, absoluta, transcendente, sagrada, divina Conhecimento O corpo intelectual ou filosófico, constituído de mitos e símbolos Rito Cerimônias, devoções e código de ética, que proporcionam ao fiel, na vida em comunidade ou individual, a experiência ou o contato com o sagrado
  6. 6.  Origem das Religiões  Desde o século XIX, teorias evolucionistas afirmavam que, por meio de um processo longo e gradativo, o homem teria adquirido sua consciência religiosa, a princípio com idéias simples que evoluíram para sistemas religiosos mais complexos. Animismo Mitologia astral Culto ancestral Politeísmo Monoteísmo Animismo: atribui uma realidade espiritual à natureza (animais, plantas, etc.) Mitologia astral: atribui divindade aos astros (sol, lua, estrelas) Culto ancestral: presta homenagem e culto aos antepassados Politeísmo: crê na existência individual de vários deuses Monoteísmo: crê na existência de um único Deus
  7. 7.  Em oposição às teorias evolucionistas sobre a origem das religiões, formulou-se a teoria do monoteísmo primitivo. Entre povos de cultura “primitiva”, existem traços da crença num ser supremo com atributos exclusivos de Criador, Pai, Juiz, Legislador e Soberano, que ouve orações e não pode ser representado visivelmente. Essa crença convive lado a lado com formas religiosas supostamente mais antigas (animismo, etc.). Os dados fornecidos pela antropologia, arqueologia e outras ciências que estudam as culturas primitivas se explicam melhor sob esta visão. Monoteísmo Monoteísmo Animismo Politeísmo
  8. 8.  Essa teoria se conforma com o testemunho bíblico, de que o homem recebeu um conhecimento original sobre o Deus único e verdadeiro, que após a queda se degenerou no animismo, politeísmo, etc. “... vos anunciamos que vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo ... O qual nos tempos passados deixou andar todas as gentes em seus próprios caminhos. E contudo, não se deixou a si mesmo sem testemunho ...” (Atos 14.15-17) “... tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus ... antes em seus discursos se desvaneceram ... e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança de homem corruptível ... Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador” (Rm 1.21-25)
  9. 9. 3. Classificação das Religiões  As religiões podem ser classificadas de acordo com a possibilidade de se comparar suas diferenças de interpretação em torno de um tema comum.  Para o nosso estudo, seguiremos uma classificação histórica (cronológica) e cultural, de acordo com a sua permanência e influência sobre a história humana (a civilização): Primitivas Antigas Vivas/Mundiais
  10. 10.  Religiões Primitivas: tradicionais de povos nativos da África, América, Ásia, ilhas da Oceania (algumas já extintas) restritas a tribos, famílias ou clãs pré-letradas (dependem da tradição oral) animistas (totemismo, xamanismo, magia, etc.)
  11. 11.  Religiões Antigas: cresceram e se extinguiram com os povos em que surgiram: babilônios, egípcios, gregos, romanos, fenícios, cananeus, persas, árabes, etc. assimilavam elementos de outras religiões e culturas (sincretismo), mas não faziam adeptos (proselitismo) exaltavam a nação e a prosperidade de seu povo conhecimento ritual e mitológico cultuavam vários deuses (politeísmo)
  12. 12.  Religiões Vivas ou Mundiais: no contexto da história mundial, contribuíram para o desenvolvimento moral e intelectual da civilização agrupam-se de acordo com uma continuidade histórica e identidade existente entre si: Indianas Orientais Abraâmicas Judaísmo Cristianismo Islamismo Iraniana Surgidas no Oriente Próximo, monoteístas Hinduísmo Budismo Jainismo Têm em comum os conceitos de darma e karma Sikhismo Confucionismo Taoísmo Xintoísmo Nativas do Leste Asiático, fazem uso do conceito de Tao Zoroastrismo Incluem elementos das religiões abraâmicas e indianas Bahaísmo
  13. 13. 4. Avaliando o Fenômeno Religioso  Ante a necessidade de atender ao propósito para o qual foi criado (Gn 1.26; At 17.26), a busca religiosa do homem é legítima.  A diversidade (e até mesmo a incompatibilidade) das religiões se explica pelas circunstâncias históricas, geográficas e culturais específicas, além das limitações humanas naturais em que ocorre a experiência religiosa.  Pode-se dizer, então, que todas as religiões apresentam elementos de verdade, remanescentes de uma revelação original que, devido à condição decaída do homem, foi aos poucos distorcida (Rm 1.21-25).  Portanto, faz-se necessária uma revelação, por ato soberano de Deus, pelo qual Ele se revele e instrua o homem quanto ao modo correto de relacionar-se conSigo (Gn 4.4-7; Hb 11.4).
  14. 14.  O Evangelho constitui a revelação de Deus suficiente e definitiva para atender às demandas religiosas de todo ser humano (Rm 1.16).  Contudo, o conhecimento imparcial das religiões possibilita a abordagem adequada e o levantamento dos problemas que permitirá uma apresentação convincente e compreensível da revelação de Deus em Cristo Jesus (At 17.22-23): “Varões atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse pois que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio.”

×