Slide   port.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Slide port.

on

  • 571 views

 

Statistics

Views

Total Views
571
Views on SlideShare
571
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
5
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Slide   port. Slide port. Presentation Transcript

  • LÍNGUA PORTUGUESA
    • a) homem
    • b) mulher
    • c) adotada
    • d) especial
    • e) futuro homossex  
    • São pessoas pobres ou ricas?
    • qual a cor do quarto?
    Resposta a
  • Resposta E
    • O sentido denotativo das palavras é aquele encontrado nos dicionários, o chamado sentido verdadeiro, real.
    • Já o uso conotativo das palavras é a atribuição de um sentido figurado, fantasioso e que, para sua compreensão, depende do contexto.
    Essa postura equivocada tem raízes claras não faz sentido pedir para os estudantes escreverem só para você ler Mãe é tudo! A vida é dura O trabalho enobrece o homem Conotação – Essa postura equivocada tem justificativas inquestionáveis denotação Conotação – Mãe é algo muito bom Conotação – a vida exige muita firmeza de postura. denotação
    • gênero dissertativo, visto que seu objetivo principal é fomentar reflexões acerca da importância dos diferentes tipos de texto ensinados na escola e, para isso, fundamenta-se com a exposição de vários argumentos.
    • gênero narrativo, uma vez que seu objetivo principal é narrar as várias etapas de desenvolvimento dos gêneros textuais até os dias atuais.
    • gênero descritivo, já que descreve , de forma precisa, os vários passos que o educador deve dar no sentido de melhorar o trabalho com os gêneros textuais.
    • texto informativo, cujo público alvo são os professores de Língua Portuguesa.
    • Nenhuma das alternativas
    DESCRITIVO: todo e qualquer texto cuja estrutura predomine a caracterização NARRATIVO: todo e qualquer escrito cuja estrutura seja a “contação”, o relato de um evento com DILEMA – CLIMAX – DESFECHO (começo, meio e fim) DISSERTATIVO: toda e qualquer estrutura em que predomina o ponto de vista, a opinião
    • REFERENCIAL – textos informativos, instrucionais. Jornais, revistas, reportagens, ensaios. Ênfase no assunto
    • CONATIVA / APELATIVA – publicidades, propagandas; imperativos. Sugestão de comportamento. Ênfase no receptor
    • EMOTIVA / EXPRESSIVA – textos literários em que predomina a 1ª pessoa (eu/nós) – poesias, autobiografias, romances. Ênfase no emissor
    • POÉTICA – textos literários, a exemplo da emotiva. Porém narração de 3ª pessoa (ele/eles) – Ênfase na mensagem (elaboração do texto)
    • FÁTICA – Ênfase no canal de comunicação , ou seja, o meio usado para difundir a mensagem. Sistemática, repetitiva. Também sentenças interrogativas em que se insinua a continuidade do diálogo
    • METALINGUÍSTICA – Ênfase no código . Textos que abordem a Língua Portuguesa; dicionários; símbolos não verbais
    • apresenta linguagem conotativa e função emotiva da linguagem.
    • apresenta linguagem denotativa e função referencial da linguagem.
    • apresenta vários verbos no modo Imperativo e linguagem conotativa
    • apresenta vários verbos no modo Imperativo e por isso é um texto instrucional.
    • apresenta as funções emotiva e referencial da linguagem.
    • 03- Sobre o trecho acima, é correto dizer:
    • a) há cinco verbos no modo Imperativo e um pronome relativo.
    • b) a vírgula usada logo após a palavra “dia” foi empregada de forma indevida, já que não se separa sujeito e predicado por vírgulas.
    • c) há sete orações.
    • d) há seis orações e um pronome relativo.
    • e) Nenhuma das alternativas
    Os verbos do texto não estão no Imperativo ( ordens , sugestões conselhos). A palavra QUE não troca por QUAL (então não é pronome relativo) A vírgula está certa, mas não por separar sujeito e predicado, sim por separar inversão sintática Há sete orações e a palavra QUE é conjunção integrante
    • PRONOME RELATIVO – pode ser substituído por QUAL: este é o técnico de que lhe falei. (do qual)
    • CONJUNÇÃO INTEGRANTE – Marca as subordinadas substantivas (orações introduzidas por QUE ou SE, e completam uma oração anterior) : Você se conscientizou de que não há outra alternativa?
    • COORDENADA EXPLICATIVA – substitui por POIS, PORQUE: Escorregou que o piso estava oleoso
    • SUBORDINADA CONSECUTIVA – substitui por TANTO QUE: Estudou matemática que ficou meio “doido”
    • 04- Sobre o trecho acima é incorreto afirmar:
    • há cinco preposições e três adjetivos.
    • há sete substantivos e seis artigos.
    • há um verbo e três adjetivos.
    • há duas preposições e seis substantivos .
    SUBSTANTIVOS – década, mudança, aulas, língua, chegada, gênero, escola ADJETIVOS – última, grande, portuguesa; de Língua Portuguesa ARTIGOS – na (a) / a / nas (as / a / dos (os) / à (a) PREPOSIÇÕES – na (em) / nas (em) / de / dos (de) / à (a) VERBOS – foi / chegada* forma nominal de particípio (termo substantivado)
    • - SEMPRE OCORRE CRASE
    • Antes de horas (oposto ao meio-dia )
    • Antes de locuções adverbiais femininas
    •  
    • - PROIBIDO CRASE
    • Antes de verbos
    • Antes de masculinos, salvo MODA, ESTILO, TENDÊNCIA
    • Antes de pronomes em geral, salvo demonstrativo (aquele), relativo (que, a qual), tratamento (senhora, senhorita)
    • Preposição (a) + substantivo plural
    • Entre palavras repetidas
    • - FACULTATIVO
    • Nomes próprios
    • Palavra até
    • Pronomes possessivos femininos singulares
    • Locução adverbial feminina de instrumento
    •  
    • - OBSERVAÇÕES
    • Palavras CASA, TERRA e DISTÂNCIA
    • À procura / a procurar
    • 05- A crase utilizada no trecho acima se justifica:
    •  
    • em razão da regência do verbo “chegada”, já que o mesmo pede um complemento com preposição .
    • . em razão da regência nominal do substantivo “chegada” que pede um complemento com preposição
    • em razão da regência do verbo “gêneros”, que é o termo regente.
    • em razão da regência do verbo “foi” que pede complemento com preposição.
    Chegada ao pátio / chegada (aa) à escola
    • 06- O trecho acima, em relação à acentuação gráfica:
    •  
    • apresenta problemas, visto que, com a nova Reforma Ortográfica, não se acentua mais o verbo “ter” para diferenciar singular e plural.
    • o acento gráfico na palavra “próprio” justifica-se por se tratar de uma palavra paroxítona terminada em ditongo crescente.
    • a palavra “possíveis” foi acentuada pela mesma razão que acentuamos “púdico”.
    • a palavra “características” foi acentuada pela mesma razão que acentuamos “fórceps”.
    • MUDANÇAS DO ACORDO
    • Ditongos éu-éi-ói somente acentuados em oxítona. Nas paroxítonas não, como em
    • jiboia, geleia, apoio (eu)
    • I / U tônicos não são acentuados em paroxítonas, se precedidos de ditongos, como
    • em Sauipe, Bocaiuva
    • - Não se usa mais acento diferencial: para (v) / para (p) – por (v) / por (p) – pelo (v) / pelo (s)
    • Pelo (p)
    • - As formas CREEM, LEEM, VEEM, DEEM assim como VOO, ENJOO não são acentuadas na 1ª das vogais “dobradas”
  • SÍLABA TÔNICA: pronúncia mais destacada
    • OXÍTONA
    • Acentuam-se as terminadas em
    • A / E / O (S)
    • EM / ENS
    • ÉU / ÉI / ÓI
    • I / U (s) - hiato
    • PAROXÍTONAS
    • Acentuam-se as terminadas em
    • X / L / R / OS
    • EN – ON / ONS
    • UM / UNS
    • I(S) / US
    • Ditongos / Ã
    • I / U (s) – hiato*
    • Não precedido
    • de ditongo
    PROPAROXÍTONAS - ACENTUAM-SE TODAS MONOSSÍLABO TÔNICO Terminados em A / E / O (S) ÉU / ÉI / ÓI
    • a)sintática
    • b)mórfica
    • c)semântica
    • d)sintática e semântica.
    • - A palavra SINTÁTICA remete à analise da palavra quanto ao aspecto oracional (predicativo do sujeito, adjunto adnominal, predicativo do objeto) ;
    • SEMÂNTICA remete ao sentido da palavra
    • conceito estrutural é o MÓRFICO ou MORFOLÓGICO
    • O 1º verbo é vai dar
    • Os complementos seriam SE (objeto direto ) e AO TRABALHO (objeto indireto)
    • A palavra SE funciona como OBJETO DIRETO:
    • Maria penteou- se (sint.: OBJETO DIRETO / morf.: PRONOME REFLEXIVO);
    • A planta desenvolve- se a olhos vistos (objeto direto / partícula apassivadora*)
    • * a palavra SE junto a elementos não humanos é partícula apassivadora, em boa parte das ocorrências
    • QUISESSE
    • OBSESSÃO
    • OBJEÇÃO
    • BURGUESIA
    • PRIMAZIA
    • FRIAGEM
    • FULIGEM
    • PAJEM
    • RABUGEM
    • LAMBUJEM
    • SOÇOBRAR
    • AVEXADO
    • ACOCHADO
    • GORJETA
    • ENCHARCAR
    • ENXURRADA
    • MEXILHÃO
    • MECHA
    • CACHECOL
    • CAXAMBU
    1 – 10 palavras + de 10 palavras
    • a) mendingos; reivindicar; rebuliço
    • b) mindigos; reinvidicar, rebuliço
    • c) mindigos; reivindicar, reboliço
    • d) mendigos; reivindicar, rebuliço
    • e) mendigos; reivindicar, reboliço
    X
    • USO DO X / J
    • USO DO CH / G
    • Palavras vulgares, não técnicas, coloquiais, chulas, gírias;
    • Ameríndias, africanas, árabes, indígenas;
    • Após ditongos;
    • Após EN ou ME*
    • * encharcar, enchente, enchova; mecha
    • Palavras cultas, técnicas, específicas;
    • Europa e Ásia
    Final GEM* PAJEM, LAMBUJEM
    • a) en.....aguar / pi.....e / mi.....to (x)
    • b) exce.....ão / Suí.....a / ma.....arico (ç)
    • c) mon.....e / su.....estão / re.....eitar (g)
    • d) búss.....la / eng.....lir / ch.....visco (u)
    • e) .....mpecilho / pr.....vilégio / s.....lvícola (i)
    X
    • a) escusas - a fim - mal-entendidos
    • b) excusas – a fim - mal-entendidos
    •   c) excusas - a fim – malentendidos
    • d) excusas - afim – malentendidos
    • e) escusas - afim - mal-entendidos
    X A FIM: com a finalidade de AFIM: em comum, em acordo, em comunhão
    • a) extrangeiro – naturalizar
    • b) estrangeiro – naturalisar
    • c) extranjeiro – naturalizar
    • d) estrangeiro – naturalizar
    • e) estranjeiro - naturalisar
    X E strange iro - anglicismo IZAR: usa-se quando a palavra base não termina em S AR: usa-se quando a palavra base termina em S
    • a) quiseram, essência, impecílio
    • b) pretencioso, aspectos, sossego
    • c) assessores, exceção, incansável
    • d) excessivo, expontâneo, obseção
    • e) obsecado, reinvidicação, repercussão
    X
    • a) eminente, deflagração, incidiram
    • b) iminente, deflagração, reincidiram
    • c) eminente, conflagração, reincidiram
    • d) preste, conflaglação, incidiram
    • e) prestes, flagração, recindiram
    X CONFLAGRAR: estimular, abrasar, incitar, excitar DEFLAGRAR: explodir, combustão, lançar chama
    • SEÇÃO/SECÇÃO. (departamento, divisão, setor).
    • Visitei a seção de presentes.
    • SESSÃO (espetáculo, cerimônia, apresentação).
    • Assistiremos à sessão das dez horas.
    • CESSÃO (verbo ceder, doar, dar ).
    • Jorge Viana procedeu a cessão das casas populares.
    •       a) seção - fragrante - incipiência
    •       b) sessão - flagrante - insipiência
    •       c) sessão - fragrante - incipiência
    •       d) cessão - flagrante - incipiência
    •       e) seção - flagrante - insipiência
    X
    •       a) sessão - cessão - estrangeiros
    •       b) seção - cessão - estrangeiros
    •       c) secção - sessão - extrangeiros
    •       d) sessão - seção - estrangeiros
    •       e) seção - sessão - estrangeiros
    X
  •  
  •  
    • a) Na parte traseira do caminhão lia-se a seguinte inscrição: “prá que essa pressa meu irmão?”
    • b) O mergulhador diante do recife de corais espanta-se com a maravilhosa fauna e com o aviso: cuidado, esses animais são venenosos.
    • c) Durante o período de férias foi uma fuleiragem na minha cabeça. Visitou-me titia e priminhas e fomos à praia; com maravilhosas cangas aquelas e com sumário asa delta esta.
    • d) Minha querida, você não imagina as maravilhas que vi na Alemanha nessa Copa do Mundo. Museus, parques, delicatessens...
    • e) Ah, minha amiga, quanto tempo. Bom, caminho ao canal. E você aonde?
    X
    • POR QUE.
    • - em início de perguntas.
    • Por que você faltou?
    • - substitui por pelo qual / pela qual.
    • O caminho por que vim está tutmultuado.
    • - substitui por por qual motivo.
    • Não sei por que choras.
    • POR QUÊ.
    • - As mesmas regras do POR QUE , sendo usado próximo à pontuação da frase. Exemplos:
    • Você faltou por quê ?
    • Ela não veio nem explicou por quê.
    • PORQUE.
    • - Usado em início de respostas (períodos compostos).
    • - substitui por: pois, por causa de, porquanto.
    • Vim de taxi porque chovia muito.
    • Por que me evita? Não será porque me devia aquele dinheiro.
    • PORQUÊ.
    • - Se vier precedido de um, o, este, algum, qualquer, do (de + o).
    • - sinônimo de motivo.
    • Não entendi o porquê da contenda entre elas.
    • a) Por que você não entregou o trabalho ao professor?
    • b) Você quer mesmo saber o porquê ?
    • c) Claro. A verdade é o princípio por que me oriento.
    • d) Pois, acredite, eu não sei porque fiz isso.
    • e) Você está mentindo. Por quê ?
    X
    • a) Por que, Porque, por que, por quê
    • b) Por que, Porque, por quê, porquê    
    • c) Porque, Por que, porque, por quê
    • d) Por quê, Porque, por que, porquê
    • e) Porque, Porque, por quê, por quê
    X
    • a) Trouxeram-me um ramalhete de flores fragrantes .      
    • b) A justiça infligiu a pena merecida aos desordeiros.
    • c) Promoveram uma festa beneficiente para a creche.      
    • d) Devemos ser fiéis ao cumprimento do dever.
    • e) A cessão de terras compete ao Estado.
    X
    • MAS - Conjunção adversativa que indica oposição,contrario,ad-versidade.
    • Substitui por porém.
    • Ele comeu bastante, mas sentia-se insatisfeito.
    • MAIS - Advérbio de intensidade que indica adição, acréscimo etc.
    • Ainda que houvesse comido bastante, pediu mais comida.
    • a) mau, mal, mais, mas
    • b) mal, mal, mais, mais      
    • c) mal, mau, mas, mais
    • d) mal, mau, mas, mas
    • e) mau, mau, mas, mais
    X
    • A) O trecho: “ Vi uma estrela tão alta, / Vi uma estrela tão fria! / Vi uma estrela luzindo / Na minha vida vazia. ”, de Manuel Bandeira, exemplifica o eufemismo.
    • B) Evidenciamos a antítese no trecho: “ E sob as ondas ritmadas / e sob as nuvens e os ventos / e sob as pontes e sob o sarcasmo / e sob a gosma e o vômito ”, de Carlos Drummond de Andrade.
    • C) Identificamos a aliteração no trecho: “ Vozes veladas, veludosas vozes, / Volúpias dos violões, vozes veladas / Vagam nos velhos vórtices velozes / Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. ”, de Cruz e Souza.
    • D) A figura de linguagem presente no trecho: “ Lá vem o vaqueiro pelos atalhos, tangendo as reses para os currais. Blém... blém... blém... cantam os chocalhos dos tristes bodes patriarcais. ”, de Ascenso Ferreira, é a hipérbole.
    • E) O trecho: “ As casas espiam os homens / que correm atrás de mulheres. / A tarde talvez fosse azul / não houvesse tantos desejos. ”, de Carlos Drummond de Andrade, é um exemplo de polissíndeto.
    X
    • 1. Podemos identificar em sua produção dois grupos de obras. Ao primeiro grupo pertencem R essurreição , Helena , A mão e a luva e Iaiá Garcia , que apresentam características mais gerais do romance do século XIX.
    • 2. Memórias Póstumas de Brás Cubas é sua obra com características mais tipicamente românticas. É a partir dela que Machado se revela um romântico nato, apesar do sucesso de outras obras realistas que escreveu.
    • 3. Além de romancista, Machado escreveu uma grande quantidade de contos. Estreou como contista em pleno Romantismo e seus contos sofreram significativa
    • mudança de perspectiva e de linguagem a partir da coletânea Papéis avulsos .
    • 4. Os textos de Machado são densos, profundos, irônicos, sutis. Frequentemente, o narrador interfere na narrativa, conversa com o leitor ou faz comentários, reflexões e digressões. A introspecção psicológica é a marca de suas personagens.
    • Estão corretas :
    A) 2, 3 e 4, apenas. B) 1, 3 e 4, apenas. C) 1, 2 e 4, apenas. D) 1, 2 e 3, apenas. E) 1, 2, 3 e 4. X
    • A) Os usos em que o autor alude, no texto, já estão todos consagrados no português.
    • B) Já estão comprovados os usos os quais o autor se embasou para defender suas ideias.
    • C) A prolongada pesquisa a que o autor procedeu teve forte repercussão entre os linguistas.
    • D) As normas em que se sujeitam as línguas não são aquelas prescritas pela gramática.
    • E) O texto é interessante, mas expõe ideias às quais os puristas discordam totalmente.
    X
    • A) Os pesquisadores acham que não podem haver regras para limitar as formas linguísticas.
    • B) Já fazem muitos anos que o verbo ‘ assistir ’ é usado com complementação direta.
    • C) É importante que se entenda que, no dia a dia da linguagem, nem tudo são regras.
    • D) Para alcançar os resultados almejados, foi considerado os usos cotidianos do português.
    • E) Deve passar ainda muitos anos até que certos fatos da fala sejam aceitos pelos puristas.
    X
    • APOSTILA DE LÍNGUA PORTUGUESA – CONCURSO EDUCAÇÃO
    • Prof. Emerson Fontinele (ex-professor do Instituto São José). Atualmente é professor do Estado e de outros cursinhos.
    • Pós-graduando em Língua Portuguesa/literatura e Metodologia do ensino de língua portuguesa e estrangeira.
    • INTERPRETACÃO TEXTUAL
    •  
    • Texto I (Carlos Chagas)
    • Ganhamos a guerra, não a paz
    • Página 29
    • a) a pacificação do mundo por meio da ação de governos totalitários.
    • b) a perigosa instabilidade gerada pelo Pacto do Atlântico.
    • c) o novo potencial belicoso da situação de pós-guerra.
    • d) o poder de devastação representado pelo invento de Alfred Nobel.
    • e) o espírito do armistício assinado pelas grandes potências.
    X
    • a) I.
    • b) II.
    • c) III.
    • d) Ie II.
    • e) IIe III.
    X
    • a) numa advertência contra os preocupantes riscos representados pela iminente reorganização dos nazistas.
    • b) na conscientização dos vitoriosos quanto à necessidade de se entenderem e de assumirem suas responsabilidades diante do futuro.
    • c) no cumprimento das exigências feitas pelos cientistas quando se propuseram a elaborar as condições do Pacto do Atlântico.
    • d) na manutenção das auspiciosas condições políticas do pós-guerra, marcadas pela derrota dos nazistas.
    • e) na constituição de um novo tratado que, indo de encontro ao Pacto do Atlântico, represente um esforço de real pacificação.
    X
    • a) um jogo entre alternativas.
    • b) uma relação de causa e efeito.
    • c) a formulação de uma condicionalidade.
    • d) a articulação de uma hipótese.
    • e) a exploração de antíteses.
    X
    • a) numa posição não muito diferente da de Alfred Nobel = em atitude inteiramente similar à de Alfred Nobel.
    • b) para aplacar sua consciência humana = para obliterar seu juízo sobre a humanidade.
    • c) dada a mentalidade dos nazistas = em que pese a consciência dos nazistas.
    • d) vendo neles fiéis depositários = reconhecendo-os como confiáveis guardiões.
    • e) consciência do inominável desastre = concepção inevitável da tragédia.
    X
    • a) poder como auxiliar do verbo criar.
    • b) criar como auxiliar do verbo prevalecer.
    • c) motivar como auxiliar de prevalecer.
    • d) criar como auxiliar do verbo poder.
    • e) poder como auxiliar do verbo prevalecer.
    X
    • Texto II (Carlos Chagas)
    • Ciência e esoterismo
    • a) o emprego das aspas em "poderes" justifica-se do mesmo modo que em "provas".
    • b) a falta de marca pessoal na linguagem garante a objetividade da demonstração.
    • c) as expressões astronomia personalizada e basta repetir o experimento são manifestações da ironia do autor.
    • d) o emprego das aspas em "acreditar" deve-se à ênfase atribuída a uma ação afirmativa dos cientistas.
    • e) o emprego da palavra inspiração, no final do texto, revela que o autor reviu e retificou sua posição contrária ao esoterismo.
    X
    • a) I.
    • b) II.
    • c) III.
    • d) I e II.
    • e) III e IV.
    X
    • a) ao menos oferecer uma conjectura = pleitear, mesmo assim, uma comprovação.
    • b) seu aspecto pessoal, privado = sua verdade íntima, inconfessável.
    • c) arranjo cósmico = pretexto universal.
    • d) sob o escrutínio do cientista = pela análise minuciosa do cientista.
    • e) armado apenas com inspiração e razão = tão-somente com a fé e a perseverança.
    •  
    X
  •  
    • a) a melhoria real do padrão de vida da população brasileira, registrando existência de consumo mesmo entre os mais pobres.
    • b) resultados estatísticos aparentemente otimistas, mas que deixam de mostrar dados pouco animadores da situação econômica e social da população brasileira.
    • c) um equilíbrio final da capacidade de consumo da população nas várias regiões brasileiras, igualando os resultados de cada uma delas.
    • d) o paradoxo que resulta dos dados do último censo, pois eles indicam o consumo de bens duráveis por uma população que não tem poder aquisitivo.
    • e) a falsidade do resultado de certas pesquisas, cujos dados desvirtuam a realidade, especialmente a da classe social mais desfavorecida.
    X
    • a) I e II
    • b) II e III
    • c) I
    • d) II
    • e) III
    X
    • a) acentuadamente irônico, pela constatação que se segue a ela.
    • b) bastante otimista, por ter sido possível constatar melhorias na distribuição de renda.
    • c) de justificado orgulho, pela melhoria da qualidade de vida no Brasil.
    • d) de extremo exagero, considerando-se os dados indicativos do progresso brasileiro.
    • e) pessimista, tendo em vista a impossibilidade de aumento do salário mínimo.
    X
    • a) uma incerteza em relação a um fato hipotético.
    • b) um fato consumado dentro de um tempo determinado.
    • c) a repetição de um fato até o momento da fala.
    • d) uma ação passada anterior a outra, também passada.
    • e) uma ação que acontece habitualmente.
    X
    • a) por tratar-se de uma explicação das afirmações apresentadas de início.
    • b) pela condição imposta no início desse segundo parágrafo, em relação aos dados observados no Censo.
    • c) por ser uma síntese do que vem sendo desenvolvido.
    • d) pela continuidade da mesma idéia, desenvolvida em ambos.
    • e) por uma ressalva, marcada pelo uso da expressão a despeito de.
    X
    • a) retomada do desenvolvimento e elevação da renda do povo.
    • b) a década do "milagre brasileiro" e a persistência da situação de pobreza do povo.
    • c) situação econômica do Brasil no século XX e a que se apresenta no início do século XXI.
    • d) queda dos índices de mortalidade infantil e valor do salário mínimo.
    • e) consumo maior no Sul e no Sudeste e acentuadamente menor no Norte e no Nordeste.
    X
    • a) uma restrição à afirmação do período anterior.
    • b) a ligação entre palavras que formam uma cadeia na frase.
    • c) a inclusão de um segmento explicativo.
    • d) a citação literal do que consta no relatório do IBGE.
    • e) a brusca interrupção da seqüência de idéias.
    X
    • a) Se as taxas de mortalidade infantil entraram em queda maior do que era esperada, a população brasileira continua vivendo na pobreza, apesar das melhorias que o Censo 2000, revelam em seus dados iniciais.
    • b) A população brasileira em boa parte continua vivendo na pobreza, os números iniciais do Censo 2000 revelam as melhorias, onde as taxas de mortalidade infantil em queda, maior do que se esperava.
    • c) Com a queda das taxas de mortalidade infantil, e os números iniciais do Censo 2000 revela que foi maior que o esperado, mas boa parte da população brasileira continua vivendo na pobreza.
    • d) Os números iniciais do Censo 2000 melhoraram, com a queda das taxas de mortalidade infantil, que foi maior do que se esperavam, onde boa parte da população brasileira continua vivendo na pobreza.
    • e) Boa parte da população brasileira continua vivendo na pobreza, conquanto os números iniciais do Censo 2000 revelem melhorias, como a queda das taxas de mortalidade infantil, maior do que o esperado.
    X
    • TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – 2006
    • Exclusão Social
    • A afirmação acima, que abre o segundo parágrafo do texto,
    • a) desmente a afirmação anterior de que estariam ocorrendo avanços técnicos significativos ao longo do século XX.
    • b) expande a afirmação anterior de que muitas vantagens tecnológicas estariam atingindo um número crescente de seres humanos.
    • c) confirma a afirmação anterior de que os homens estão sendo capazes de construir uma utopia acessível a todos.
    • d) desmente a afirmação anterior de que a humanidade vem dominando mais e mais as forças da natureza.
    • e) expande a afirmação anterior de que as mudanças sociais estariam beneficiando um número crescente de seres humanos.
    X
    • a) o acesso de muitos homens aos benefícios práticos da tecnologia.
    • b) uma melhor expectativa de vida, independente do estágio da ciência.
    • c) o desfrute plenamente socializado das conquistas tecnológicas.
    • d) a proposição de uma nova era tecnológica a partir do ano de 2000.
    • e) a confiança presunçosa no domínio absoluto do homem sobre a natureza.
    2. No primeiro par á grafo, a utopia de que trata o autor teria como caracter í stica essencial X
    • a) I.
    • b) II.
    • c) III.
    • d)) I e II.
    • e) II e III.
    X
    • a) é antiga a luta para que a inclusão social dos oprimidos se dê do modo mais abrangente possível.
    • b) vem de longe a idéia de que o progresso tecnológico encaminha a solução das questões sociais.
    • c) aquele escritor, já no século XIX, propunha-se a enfrentar a barbárie do desequilíbrio ecológico do planeta.
    • d) são antigas as lutas pela abolição do trabalho forçado, caracterizadas pela plena confiança nas vantagens da tecnologia.
    • e) vem de longe a idéia de que a exclusão social só ocorre quando o avanço tecnológico é pouco relevante.
    X
  •  
    • a) Receba meus cumprimentos pelo seu aniversário.
    • b) Ele agiu com muita descrição.
    • c) O pião conseguiu o primeiro lugar na competição.
    • d) Ele cantou uma área belíssima.
    • e) Utilizamos as salas com exatidão.
    X Descrição: detalhamento / Discrição: recato, pundonor; Pião: brinquedo giratório / Peão: profissional de rodeio, trabalhador braçal; Área: espaço / Ária: parte introdutória de ópera;
    • a) Nos nomes dos meses quando estiverem nas datas.
    • b) No começo de período, verso ou alguma citação direta.
    • c) Nos substantivos próprios de qualquer espécie
    • d) Nos nomes de fatos históricos dos povos em geral.
    • e) Nos nomes de escolas de qualquer natureza.
    X
    • Em substantivos próprios de qualquer natureza;
    • Em coordenadas geográficas;
    • Em datas cívicas, religiosas ou afins;
    • Em provérbios ou ditos populares
    • nomes de povos, raças, tribos, castas, entidades religiosas e suas crenças;
    • Ex.: Portugueses (Os Portugueses estão preocupados com a situação), Deus, Alá, Buda
    • formas reverenciosas de tratamento
    • Ex.: Dom, Frei, Majestade, Ex. mo Senhor
    • nomes de vias, logradouros e bairros
    • Ex.: Alameda de Afonso Henriques, Cais do Sodré, Bairro Alto
    • título de disciplinas ou conjuntos de disciplinas
    • Ex.: curso de Medicina, secção de Artes, disciplina de Língua Portuguesa
    • ideias personificadas (quando se lhe atribuem características humanas)
    • Ex.: Fraternidade, Inveja, Medo, Esperança
    • a) fanatizar - analizar - frizar.
    • b) fanatisar - paralizar - frisar.
    • c) banalizar - analisar - paralisar.
    • d) realisar - analisar - paralizar.
    • e) utilizar - canalisar - vasamento.
    X
    • IZAR ou AR
    • usa-se IZAR quando a base ou radical não termina em S
    • usa-se AR quando a base ou radical termina em S
    • a) hidrólise - hidrolisar.
    • b) comércio - comercializar.
    • c) ironia - ironizar.
    • d) catequese - catequisar.
    • e) análise - analisar.
    X
    • Diurese
    • Tese
    • Intercinese
    • Aférese
    • Telecinese
    • *REZE (rezar) / PREZE (prezar)
    • Seboso
    • Airoso
    • Meticuloso
    • Andrajoso
    • Airoso
    • *GOZO (gozar)
    • a) A Baía de Guanabara é uma grande obra de arte da Natureza.
    • b) Na idade média, os povos da América do Sul não tinham laços de amizade com a Europa.
    • c) Diz um provérbio árabe: "a agulha veste os outros e vive nua."
    • d) "Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro, incensos e mirra " (Manuel Bandeira).
    • e) A Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte, foi ornamentada na época de natal.
    X
    • USO DO X / J
    • USO DO CH / G
    • Palavras vulgares, não técnicas, coloquiais, chulas, gírias;
    • Ameríndias, africanas, árabes, indígenas;
    • Após ditongos;
    • Após EN ou ME*
    • * encharcar, enchente, enchova; mecha
    • Palavras cultas, técnicas, específicas;
    • Europa e Ásia
    Final GEM* PAJEM, LAMBUJEM
    • a) enxotar - trouxa - chícara.
    • b) berinjela - jiló - gipe.
    • c) passos - discussão - arremesso.
    • d) certeza - empresa - defeza.
    • e) nervoso - desafio - atravez.
    X
    • a) O experto disse que fora óleo em excesso.
    • b) O assessor chegou à exaustão.
    • c) A fartura e a escassez são problemáticas.
    • d) Assintosamente apareceu enxarcado na sala.
    • e) Aceso o fogo, uma labareda ascendeu ao céu.
    X
    • Usa-se EZ / EZA:
    • Em palavras derivadas de ADJETIVOS (características)
    • Usa-se ÊS / ESA
    • Em palavras derivadas de SUBSTANTIVOS (nomes);
    • Em ADJETIVOS PÁTRIOS ou GENTÍLICOS;
    • Em TÍTULOS DE NOBREZA
    • a) duquesa.
    • b) magestade.
    • c) gorjeta.
    • d) francês.
    • e) estupidez.
    X
    • a) vez / reve___ar.
    • b) propôs / pu__ eram.
    • c) atrás / retra __ ado.
    • d) cafezinho/ blu __ inha.
    • e) esvaziar / e___ tender.
    X
    • a) pran__a / en__er / __adrez.
    • b) fei__e / pi__ar / bre__a.
    • c) __utar / frou__o / mo__ila.
    • d) fle__a / en__arcar / li__ar.
    • e) me__erico / en__ame / bru__a.
    X
    • a) dejeto.
    • b) ogeriza.
    • c) vadear.
    • d) iminente.
    • e) vadiar.
    X
    • Derivam de substantivos em TER / TIR, DER / DIR ou MIR.
    • - perde todo o final, acresce SÃO ou SSÃO;
    • - perde parte do final, acresce ÇÃO*
    • * qualquer verbo de 1ª conjugação (ou seja, de final AR)
    • a) fixação - rendição – paralisação.
    • b) exceção - discussão - concessão.
    • c) seção - admissão - distensão.
    • d) presunção - compreensão – submissão.
    • e) cessão - cassação - excurção.
    X
    • a) __irau, __ibóia, __egue
    • b) gor__eio, privilé__io, pa__em
    • c) ma__estoso, __esto, __enipapo
    • d) here__e, tre__eito, berin__ela
    X
    • a) __ícara, __ávena, pi__e, be__iga
    • b) __enófobo, en__erido, en__erto, __epa
    • c) li__ar, ta__ativo, sinta__e, bro__e
    • d) ê__tase, e__torquir, __u__u, __ilrear
    X
    • a) Opções paliativas têm lançado milhões de nordestinos ao êxodo, enxotando-os de seus lares e expulsando-os de seu chão de nascimento.
    • b) A CODEVASF tem atribuído a interrupção de obras à falta de recursos orçamentários, solicitados em tempo hábil, mas não atendidos com imprecindível presteza pelos poderes competentes.
    • c) Os recursos destinados ao Nordeste não podem continuar minguando, por conta de uma burocracia inciente, de administrações ineptas e de cortes orçamentários indiscriminados.
    • d) O Nordeste brasileiro, flajelado por secas cíclicas, ostenta hoje um colossal canteiro de obras inacabadas, abandonadas ou interrompidas.
    • e) Estima-se que quarenta projetos de irrigação estejam paralizados ou semi-paralizados no sertão nordestino
    X X X X X
  •  
    • CONCORDÂNCIA DO VERBO HAVER  
    • Sempre singular se:
    • - com o sentido de EXISTIR, OCORRER, ACONTECER*;
    • * se os verbos forem EXISTIR, OCORRER, ACONTECER concordam com referencial
    • - indica TEMPO PASSADO. (Faz . . .)
    • a) Houve diversas alterações.
    • b) Ainda existem dificuldades.
    • c) Não haveriam, temos certeza, tantas decepções.
    • d) Ainda haverá problemas.
    X
    • a) Poderá haver demissões.
    • b) Não costuma haver reprovações.
    • c) Deve existir ali pessoas sensatas.
    • d) Existe um erro e um acerto.
    X
    • a) Há de haver falhas.
    • b) Hão de existir melhores condições de trabalho.
    • c) Já faz dois dias que não durmo.
    • d) Espero que hajam novas oportunidades.
    X
    • PARTÍCULA APASSIVADORA
    • - associada com VTD (verbo exige complemento não preposicionado);
    • - verbo concorda com referencial;
    • * o referencial não é preposicionado
    • ÍNDICE DE INDETERMINAÇÃO
    • - associado com VTI (complemento preposicionado) ou VI (dispensa complemento)
    • - verbo sempre singular;
    • * o referencial é preposicionado
    O referencial é a resposta à pergunta QUE / QUEM em relação ao VERBO+SE
    • a) Perdeu-se todo o lote.
    • b) Faz-se chaves.
    • c) Acharam-se os documentos.
    • d) Necessita-se de ajudantes.
    X
    • a) Compram-se jornais velhos.
    • b) Já não se lê revistas como antigamente.
    • c) Já não se lê como antigamente.
    • d) Escreviam-se belas cartas.
    X
    • a) Que se coloque os cartazes agora mesmo
    • b) Pede-se explicações.
    • c) Levantar-se-á as paredes.
    • d) Aqui se obedece às leis.
    X
    • Se o relativo for QUE, a preferência é concordar com antecedente
    • Se o relativo for quem , concorda com antecedente ou com 3ª pessoa (ele)
    • a) Sou eu que pergunto.
    • b) Sou eu quem pergunta.
    • c) Fazem cinco anos os garotinhos.
    • d) Inúmeros problemas estão havendo aqui.
    X
    • Se o sujeito do verbo ser ou parecer for constituído pelos pronomes: isto, isso, aquilo, tudo e o predicativo estiver no plural, o verbo irá para o plural:
    • Isto são ossos duros de roer. Aquilo pareciam-me bisbilhotices...
    • Se o sujeito designar pessoa, o verbo concordará com ele:
    • Ela era as alegrias da casa. Jaime foi os terrores de seu bairro.
    • Concorda com partes do corpo
    • Nas orações interrogativas com utilização de quem, o verbo concorda com o substantivo ou pronome que lhe segue:
    • Quem são os profissionais dessa organização? Quem és tu? Quem sós vós?
    • a) Aquilo seriam novidades.
    • b) As esperanças são sempre ele.
    • c) Já são uma hora e cinqüenta minutos.
    • d) Duzentos reais são muito pouco.
    •  
    X Sujeito expresso por horas Se aparecer na frase a palavra relógio como sujeito, o verbo ficará no singular: (o instrumento – verbo singular)* O relógio deu 15 horas. O verbo dar deve concordar regularmente com o sujeito expresso: (no instrumento – verbo concorda com hora/s)* Deram 10 horas no relógio da matriz. Iam dar 18 horas, quando o diretor reuniu todos os gerentes
    • a) Os Corumbas, de Amando Fontes, contam a dor dos retirantes. (O livro Os Corumbas, de Amando Fontes, conta a dor dos retirantes.)
    • b) Existem um fato e uma idéia. (Existe um fato e uma idéia.)
    • c) Soaram oito horas. (Soou oito horas no relógio da praça.)
    • d) Espera-se a maioria dos convidados. (Esperam-se a maioria dos convidados.)
    X
    • a) O Programa Contribuinte do Futuro foi uma ação de educação fiscal desenvolvida entre 1971 e 1980.
    • b) Conscientizava os estudantes do primeiro grau em relação aos fundamentos do exercício da cidadania
    • c) Reforçava a idéia da participação popular como forma de construção de uma nação justa e igualitária.
    • d) O programa contou com ampla divulgação nos meios de comunicação e eram avaliados por meio de concursos de redação e opiniões dos professores coletadas em formulário próprio.
    • e) Nos anos em que atuou, como o programa recebeu amplo apoio do Ministério da Educação, distribuiu 40 milhões de livros e atingiu 50 mil escolas.
    X
  • ESTRUTURA E FORMAÇÃO DA PALAVRA X
    • - NOMINAL
    • MENIN + O + S
    • - VERBAL
    • CANT 1 + A 2 + MOS 3
    • 1 - Radical
    • 2 - Vogal temática
    • 3 - Desinências
    RADICAL DESINÊNCIAS
    • - NOMINAL
    • - As desinências indicam gênero , número e grau
    • - estruturas diversas das indicações acima são ditas AFIXOS
    • EM 1 + PAN + ADO 3
    • 1 - PREFIXO
    • 3 - SUFIXO
    • - VERBAL
    • - A vogal temática indica a conjugação a que o verbo pertence ( a=1ª ; e=2ª ; i=3ª )
    • - O radical acrescido da vogal temática resulta o tema
    • Cant + a + ram
    • Vend + e + rei
    • Part + i + riam
    • - DERIVAÇÃO : Formação de uma palavra nova a partir de uma primitiva.
    • 1) SUFIXAL: Acréscimo de um afixo após o radical.
    • Feliz / mente - cabeç / udo - pest / icida
    • 2) PREFIXAL: Acréscimo de um afixo antes do radical.
    • In / feliz - bin / óculo - im / par
    • - prefixal e sufixal
    • - acréscimo de sufixo e prefixo. Ainda que se elimine um dos afixos não se perde a possibilidade de significado ou compreensão.
    • in + feliz + mente
    • - parassintética
    • - acréscimo de afixos, simultaneamente antes e após o radical; nenhum dos afixos podem ser eliminados.
    • a + noit + ecer
    • REGRESSIVA
    • Ocorre a perda de um fonema da primitiva.
    • - indica ação:
    • dança/dançar
    • luta/lutar
    • - indica objeto;substância
    • âncora/ancorar
    • azeite/azeitar
    • IMPRÓPRIA
    • Mudança na classe gramatical. Mais comum a substantivação.
    • O cantar do pássaro é belo.
    (Substantivação) planta: telefone : Primitiva regressiva
    • AGLUTINAÇÃO
    • Há a corrupção de um dos vocábulos formadores.
    • Plan o + alto = planalto
    • Fidalgo = fi lho d e algo
    • JUSTAPOSIÇÃO
    • Cada um dos vocábulos mantém a individualidade, estrutural ou fonética.
    • Pombo=correio
    • girassol - girar + sol
    (Oito) (Oito)
    • a) ajoelhar / antebraço / assinatura
    • b) atraso / embarque / pesca
    • c) o jota / o sim / o tropeço
    • d) entrega / estupidez / sobreviver
    • e) antepor / exportação / sanguessuga
    X
    • a) hibridismo
    • b) aglutinação
    • c) justaposição
    • d) parassíntese
    • e) derivação regressiva
    X
    • a) desagradável – complemente
    • b) vaga-lume - pé-de-cabra
    • c) encruzilhada - estremeceu
    • d) supersticiosa - valiosas
    • e) desatarraxou - estremeceu
    X
    • a) prefixal
    • b) sufixal
    • c) regressiva
    • d) parassintética
    • e) imprópria
    - indica ação: dança/dançar luta/lutar X
    • a) parassíntese - prefixação
    • b) parassíntese - parassíntese
    • c) prefixação - parassíntese
    • d) sufixação - prefixação e sufixação
    • e) prefixação e sufixação - prefixação
    X
    • a) sufixação; parassíntese; aglutinação; prefixação
    • b) justaposição; prefixação e sufixação; aglutinação; prefixação
    • c) justaposição; prefixação e sufixação; sufixação; parassíntese
    • d) sufixação; parassíntese; derivação regressiva; sufixação
    • e) aglutinação; prefixação; aglutinação; justaposição
    X
  •  
    • Quais mantêm a correção e o significado original do texto?
    • a) Apenas II, III.
    • b) Apenas I e II.
    • c) Apenas I.
    • d) Apenas II.
    • e) I, II, III.
    X
    • a) Estávamos totalmente desligados desse tipo de problema.
    • b) Os alpinistas estavam esgotados ao chegarem ao chalé.
    • c) Tenho estado otimista, quanto à minha aprovação.
    • d) Estivemos conversando tranqüilos acerca de política.
    • e) Relativamente a esse assunto, estou muito preocupado com as conseqüências.
    X
    • SER e ESTAR não são de ligação
    • Nas composições verbais; (principalmente formadoras de voz passiva );
    • quando não apresenta sujeito expresso: (está frio; é noite . . .)
    • Não apresenta predicativo do sujeito, mas adjuntos adverbiais,
    • conforme: Paulo está no hospital
    • a) Fugiu com quantas pernas tinha.
    • b) Disparou como um raio para a toca.
    • c) Difuntina contou ao delegado o ocorrido.
    • d) Observei muita coisa interessante.
    • e) Encontrei o irmão de Carolina.
    X
    • a) V.T.I, V.I, V.T.I.
    • b) V.I, V.I, V.T.D.I.
    • c) V.T.D, V.I, V.T.D.I
    • d) V.I, V.I, V.T.D.
    • e) V.I, V.T.I,V.T.D.
    X
    • Verbos pronominais
    • Somente ocorrem com o
    • pronome: QUEIXAR-SE,
    • ARREPENDER-SE,
    • SUICIDAR-SE,
    • COMPADECER-SE
    • (SE é partícula integrante )
    • Os pronomes O, A, OS, AS (e cujas variações) funcionam como OBJETO DIRETO;
    • Os pronomes LHE, LHES e A ELE(S) funcionam como OBJETO INDIRETO
    • Os pronomes ME, TE, SE, NOS, VOS funcionam como OBJETO DIRETO ou INDIRETO
    • a) Os policiais não quiseram participar da festa, embora o dono lhes tivesse convidado.
    • b) Apesar de vários policiais estarem de guarda, os assaltantes pareciam não lhes ver.
    • c) Os policiais cobraram do Estado as condições de trabalho que este lhes prometera.
    • d) Os cidadãos estão clamando por menos violência, mas a polícia não lhes ouve.
    • e) Os assaltantes conseguiram fugir, e a polícia não lhes encontrou ainda.
    X
    • a) Já passa da hora do recreio.
    • b) Há importantes monumentos em Minas Gerais.
    • c) Devia existir um motivo sério, muito sério.
    • d) Nas discussões choveram desaforos.
    • e) propusemos reformas aos dirigentes.
    X
    • O verbo HAVER (sentido EXISTIR, OCORRER, ACONTECER)
    • Caracteriza ORAÇÃO SEM SUJEITO;
    • O verbo é V.T.D
    • A referência é OBJETO DIRETO
    • a) Apenas os períodos 1 e 4 são corretos
    • b) Todos estão corretos
    • c) Apenas os períodos 2 e 3 são corretos
    • d) Apenas o 1º período é correto
    X ASPIRAR é V.T.D com sentido sorver, cheirar, inalar mas é V.T.I/a com a ideia almejar, objetivar ASSISTIR V.T.D: ajudar, auxiliar, apoiar; V.T.I/a: ver, presenciar V.I/em: morar, residir
    • a) V.T.D – V.T.I – V.L – V.T.D.I
    • b) V.T.D.I – V.T.D – V.T.I – V.L
    • c) V.T.I – V.T.D.I – V.T.D – V.L
    • d) V.T.I – V.T.D – V.T.D.I – V.L
    • e) V.T.I – V.T.D.I – V.L – V.T.D
    X
    • A) O cargo a que todos visavam já foi preenchido.
    • B) Ao chegar a casa, as pessoas podiam simplesmente descansar.
    • C) Prefiro fugir daqui a me submeter a esta situação.
    • D) Lembro da época em que a vida era muito mais tranquila.
    • E) Ele aspirava a uma vida menos estressante.
    X LEMBRAR (VTD) LEMBRR-SE (VTI) *o mesmo se aplica a ESQUECER
  •  
  • SÍLABA TÔNICA: pronúncia mais destacada
    • MUDANÇAS DO ACORDO
    • Ditongos éu-éi-ói somente acentuados em oxítona. Nas paroxítonas não, como em
    • jiboia, geleia, apoio (eu)
    • I / U tônicos não são acentuados em paroxítonas, se precedidos de ditongos, como
    • em Sauipe, Bocaiuva
    • - Não se usa mais acento diferencial: para (v) / para (p) – por (v) / por (p) – pelo (v) / pelo (s)
    • Pelo (p)
    • - As formas CREEM, LEEM, VEEM, DEEM assim como VOO, ENJOO não são acentuadas na 1ª das vogais “dobradas”
    • OXÍTONA
    • Acentuam-se as terminadas em
    • A / E / O (S)
    • EM / ENS
    • ÉU / ÉI / ÓI
    • I / U (s) - hiato
    • PAROXÍTONAS
    • Acentuam-se as terminadas em
    • X / L / R / OS
    • EM – ON / ONS
    • UM / UNS
    • I(S) / US
    • Ditongos / Ã
    PROPAROXÍTONAS - ACENTUAM-SE TODAS MONOSSÍLABO TÔNICO Terminados em A / E / O (S) ÉU / ÉI / ÓI
    • a) “Antônio” e “chácara” são palavras que recebem acentos gráficos pela mesma razão que os justifica nas palavras “chapéu” e “única” respectivamente.
    • b) De acordo com o Novo Acordo Ortográfico em vigor, nenhuma das palavras seguintes sofrerá alteração: “chapéu”, “herói”, “papéis”.
    • c) Segundo o Novo Acordo Ortográfico em vigor, estão grafadas corretamente: “idéia”, “feiura”, “enjôo” e “frequente”.
    • d) “jóia”, e “dói” são palavras que recebem acentos gráficos em obediência à mesma regra.
    X
    • a) A funcionária remeterá os formulários até o início do próximo mês.
    • b) Ninguém poderia prever que a catástrofe traria tamanho ônus para o país.
    • c) Este voo está atrasado; os senhores tem que embarcar pela ponte aerea e fazer conexão no Rio para Florianopolis.
    • d) O pronunciamento feito pelo diretor na assembléia revestia-se de caráter inadiável.
    • e) Segundo o regulamento em vigor, o órgão competente tomará as providências cabíveis.
    X
    • a) E
    • b) C
    • c) B
    • d) D
    • e) A
    X
    • a) É inegável que a mulher pôde, nas últimas décadas, afirmar sua competência profissional.
    • b) Homens e mulheres têm, hipoteticamente, a mesma inteligência.
    • c) De um harmonioso relacionamento homem-mulher, advém vantagens para toda a sociedade.
    • d) Após inúmeras dificuldades, o homem finalmente pára e redefine alguns conceitos ultrapassados.
    • e) Todos concluíram que as conversações tinham fluído satisfatoriamente.
    • a) Inequivocamente, estudos sociológicos mostram que, para ser eficaz, o chicote, anátema da sociedade colonial, não precisava bater sobre as costas de todos os escravos.
    • b) A diferença de ótica entre os díspares movimentos que reivindicam um mesmo amor à natureza se enraízam para além das firulas das discussões político-partidárias.
    • c) No âmago do famoso santuário, erguido sob a égide dos conquistadores, repousam enormes caixas cilíndricas de oração em forma de mantras, onde o novel na fé se purifica.
    • d) O alvo da diatribe, o fenômeno da reprovação escolar, é uma tolice inaceitável, mesmo em um paradígma de educação deficitária em relação aos menos favorecidos.
    • e) Assustada por antigas endemias rurais, a, até então, álacre sociedade brasileira tem, enfim, consciência do horror que seria pôr filhos em um mundo tão inóspito.
    X
    • a) convém, contêm, reveem, proveem
    • b) convém, contém, reveem, proveem
    • c) convém, contém, revêm, provém
    • d) convêm, contém, reveem, proveem
    • e) convêm, contêm, reveem, proveem
    X
  •  
    • a) livro e revista velhos
    • b) aliança e anel bonito
    • c) rio e floresta antiga
    • d) homem, mulher e criança distraídas
    ADJETIVO REFERINDO-SE A MAIS DE UM SUBSTANTIVO SUBSTANTIVOS DE MESMO GÊNERO: ADJETIVO POSPOSTO é obrigatório o plural. Se ADJETIVO ANTEPOSTO, concorda com mais próximo; SUBTANTIVOS DE GÊNEROS DIFERENTES: ADJETIVO ANTEPOSTO concor- da com mais próximo; ADJETIVO POSPOSTO é masculino plural ou concorda com mais próximo X
    • a) Falou bastantes verdades.
    • b) Já estou quites com o colégio.
    • c) Nós continuávamos alerta.
    • d) Haverá menos dificuldades na prova.
    • BASTANTE : MUITO, DEMAIS / BASTANTES : VARIADAS, DIVERSOS;
    • A palavra QUITE concorda com termo ao qual se refere;
    • ALERTA* concorda com termo ao qual se refere (alguns gramáticos
    • preferem a invariabilidade homem / homens alerta )
    • - Não existe a forma MENOS .
    X
    • a) Levou camisa, calça e bermuda velhos.
    • b) As crianças mesmo consertariam tudo.
    • c) Trabalhava esperançoso o rapaz e a moça.
    • d) Preocupadas, a mãe, a filha e o filho resolveram sair.
    MESMO (COM CERTEZA) é invariável, ADVÉRBIO ; MESMO/S – MESMA/S (PROPRIO/S – PRÓPRIA/S) é ADJETIVO X
    • a) Anexas seguirão as fotocópias.
    • b) Em anexo estou mandando dois documentos.
    • c) Estão anexos a certidão e o requerimento.
    • d) Anexo seguiu uma foto.
    X
    • a) Maçã é ótimo para isso.
    • b) É necessário atenção.
    • c) Não será permitida interferência de ninguém.
    • d) Música é sempre bom.
    • As palavras BOM, PROIBIDO, PERMITIDO, OBRIGATÓRIO . . .
    • Se se referirem a substantivo não precedido de determinante
    • ficam no MASCULINO SINGULAR;
    • Se o substantivo precedido por determinante, então “ as palavras ”
    • concordam com substantivo
    X
    • a) Os alunos ficaram sós na sala.
    • b) Já era meio-dia e meio.
    • c) Os alunos ficaram só na sala.
    • d) Márcia está meio vermelha.
    A palavra SÓ invariável significa apenas, somente; A palavras SÓ(S) significa solitário(s) A expressão A SÓS significa em privacidade A palavra MEIO(S) significa modo(s), jeito(s), maneira(s) ; A palavra MEIO-MEIA-MEIOS-MEIAS é numeral, significa metade(s) ; A palavra MEIO é invariável e significa um pouco. X
  •  
    • ordem direta : sujeito+verbo+complemento+necessário
    • 1 2 3 4
    • 1, 2, 3 não se separam por vírgula (independente da ordem);
    • 4 separado por vírgula (s).
    • a) Sem reforma, social, as desigualdades entre as cidades brasileiras, crescerão sempre...
    • b) No Brasil, a diferença social é motivo de constante preocupação.
    • c) O candidato que chegou atrasado fez um ótimo teste no IBGE.
    • d) Tenho esperanças, pois a situação econômica não demora a mudar.
    • e) Ainda não houve tempo, mas, em breve, as providências serão tomadas.
    X
    • a) O sol que é uma estrela, é o centro do nosso sistema planetário.
    • b) Ele, modestamente se retirou.
    • c) Você pretende cursar Medicina; ela, Odontologia.  
    • d) Confessou-lhe tudo; ciúme, ódio, inveja.
    X
    • a) As folhas amarelecidas durante o outono, estão caídas ao pé, da árvore.
    • b) As folhas amarelecidas durante o outono estão caídas ao pé da árvore.
    • c) As folhas, amarelecidas durante o outono estão caídas, ao pé da árvore.
    • d) As folhas amarelecidas durante, o outono estão caídas, ao pé da árvore.
    •   e) As folhas, amarelecidas durante, o outono, estão caídas ao pé da árvore.
    X
    • a) "Interferências demagógicas de governos, levaram o Sistema Brasileiro de Habitação à falência em que hoje se encontra."
    • b) "Mas a disputa pelos direitos do livro - a ser editado no Brasil, evidentemente, pela Marco Zero, da qual Márcio de Souza é diretor - apenas começou."
    • c) "O convite veio de Jofre Rodrigues, sócio principal da produtora J. N. Filmes. Assim que a notícia foi divulgada na Europa, editoras alemãs, francesas e americanas começaram a assediar o agente literário Thomas Colchio, que responde pelo escritor brasileiro na França."
    • d) "Ao lado da disputa pelos direitos de filmagem da vida do líder seringueiro Chico Mendes, arma-se uma outra briga: o alvo, agora, é o argumento do filme, que será escrito pelo romancista amazonense Márcio de Souza."
    • e) "O bom humor voltou à vida de Arraes depois do encontro com Brizola na semana passada. Exatamente o que conversaram os dois políticos ninguém sabe."
    X
    • a) Em todas as culturas, o processo pelo qual a lei geral suplanta a lei particular, faz-se acompanhar de crises mais ou menos graves e prolongadas, que podem afetar, profundamente, a estrutura da sociedade.
    • b) Ninguém exprimiu, com mais intensidade, a oposição e mesmo a incompatibilidade fundamental entre o Estado e a família do que Sófocles.
    • c) Creonte encarna a noção abstrata, impessoal da Cidade em luta contra essa realidade concreta e tangível que é a família.
    • d) Antígona, sepultando Polinice contra as ordenações do Estado, atrai sobre si a cólera do irmão, que não age em nome de sua vontade pessoal, mas da suposta vontade geral dos cidadãos.
    • e) O conflito entre Antígona e Creonte é de todas as épocas, e preserva-se sua veemência ainda em nossos dias.
    X
    • a) Certamente, os homens caçados pelo czar prefeririam que este, como outros caçadores, tomasse como alvo apenas alguma borboleta, ou uma andorinha, ou mesmo um macaco.
    • b) Macacos, borboletas, e andorinhas, são, para muita gente, interessantes alvos de caça, mas não para o índio jivaro, nem tampouco, para o czar naturalista.
    • c) Tanto Rubem Braga em sua crônica, quanto Drummond, em seu poema motivam uma ampla discussão, acerca do que se pode ou não classificar, como uma ação bárbara.
    • d) Nunca ocorreu, ao Sr. Matter, que, um índio jivaro, tivesse qualquer critério para escolher aquele, de quem reduziria a cabeça.
    X
    • (A) Recebi, via Internet, de um amigo que há muito não vejo, uma série de fotografias da Terra, tiradas de um satélite.
    • (B) Tanto os astrônomos antigos como os teólogos, não erravam, na opinião do autor, quando consideravam que, a Terra, essa poeira ínfima, era o centro do universo.
    • (C) Nada mais central na casa para os pais, que o lugar onde está o berço do filhinho, nada tendo a ver esse centro afetivo, com o geométrico da casa edificada.
    • (D) Será que Niezstche interrompia a cada belo crepúsculo, suas leituras e seus escritos, sobretudo estes que, tanto peso tiveram nas idéias de seu tempo?
    • (E) O astronauta russo, Yuri Gagárin, ao ter a visão de nosso planeta a partir de um satélite, enviou para todos nós, esta primeira mensagem de encantamento, “A Terra é azul!”.
    X X X X X
    • SUBORDINAÇÃO: Ocorre se as orações não têm autonomia e sentido, ou se ocorreram conjunções subordinativas (C6TFP);
    • COORDENAÇÃO: as orações são autônomas, independentes. Presença de conjunções coordenativas (A3CE)
    • COORDENATIVAS (A3CE)
    • A DITIVAS
    • A LTERNATIVAS
    • A DVERSATIVAS
    • C ONCLUSIVAS
    • E XPLICATIVAS
    • S UBORDINATIVAS (C6TFP)
    • C AUSAL
    • C ONFORMATIVA
    • C OMPARATIVA
    • C ONCESSIVA
    • C ONFORMATIVA
    • C ONSECUTIVA
    • T EMPORAL
    • F INAL
    • P ROPORCIONAL
    • INTEGRANTES (marcam as substantivas;
    • RELATIVOS (marcam as adjetivas.
    • a) Tenho certeza de que aqui é o meu lugar. (Clarice Lispector)
    • b) Ela não entendeu se ele se referia à hora ou a toda a vida  passada sem compreensão. (Drummond)
    • c) Pareceu-me que o mundo se tinha despovoado. (G. Ramos)
    • d) Karl Marx acreditava em que a barbárie era a ausência de socialismo. (J. da Tarde)
    • f)  Pensei compreender por que os noivos se presenteiam. (C. Lispector)
    • g) Mas até hoje não sei quem matou a irmã Geórgia. ( F. Sabino)
    • h) Não tenho dúvida de quanto fui amado.
    COMPLETIVA NOMINAL – a palavra QUE está precedida de preposição. OBJETIVA DIRETA – a palavra QUE está após VTD. SUBJETIVA – oração introduzida por VERBO DE LIGAÇÃO na 3ª pessoa. OBJETIVA INDIRETA – a palavra que está precedida de preposição / ligada a verbo OBJETIVA INDIRETA – a palavra que está precedida de preposição / ligada a verbo OBJETIVA DIRETA – a palavra QUE está após VTD. COMPLETIVA NOMINAL – a palavra QUE está precedida de preposição.
    • i) Pergunto-lhe quantas horas são. (Drummond)
    • j) Olha para todos os lados para descobrir de onde sai a voz. (L. F. Veríssimo)
    • k) O vizinho Pires de Melo mandou saber se eu queria  barganhar a pele da onça. ( J. C.  Carvalho)
    • l)  A comadre viu que o vento se lhe ia tomando absolutamente contrário. (M. A de Almeida)
    • m) Dizia-se que os feiticeiros iam celebrar ali os seus sortilégios em noite de São João. (F. Távora) 
    •  
    OBJETIVA DIRETA – a palavra QUE está após VTD. OBJETIVA INDIRETA – a palavra que está precedida de preposição / ligada a verbo OBJETIVA DIRETA – a palavra QUE está após VTD. OBJETIVA DIRETA – a palavra QUE está após VTD. SUBJETIVA – oração funciona como sujeito de DIZIA-SE.
    • a)Levantei-me e deixei a sala .
    • b)Quis contestar a decisão, mas fui impedido pelo diretor.
    • c) Não só compareci à reunião, mas também manifestei minhas opiniões.
    • d) “Entro num drama ou saio de uma comédia ?”
    • e) Preste atenção, que eu estou falando !
    • f) É um comprovado corrupto; deve, portanto, ser preso .
    • g) Fale baixo, pois as crianças estão dormindo .
    • h) Pediram-me que falasse baixo ; deve, pois, haver crianças dormindo.
    • i) Paula chegou , portanto você está livre.
    ADITIVA ADVERSATIVA ADITIVA ALTERNATIVA EXPLICATIVA CONCLUSIVA EXPLICATIVA EXPLICATIVA
    • a)compensação, justificativa, contraste.
    • b)compensação, compensação, justificativa.
    • c)não compensação, não compensação, objeção.
    • d)não compensação, compensação, justificativa.
    • e)comparação, objeção, compensação.
    X
    • a) contudo.
    • b) portanto.
    • c) por conseguinte.
    • d) por isso.
    • e) pois.
    X
    • a)apenas em 1.
    • b)apenas em 2.
    • c) apenas em 3.
    • d)em 1, 2 e 3.
    • e)em nenhum deles.
    X
    • A casaca dele estava remendada mas estava limpa.
    • Ambos se amavam, contudo não se falavam.
    • Todo mundo trabalhando: ou varrendo o chão ou lavando as vidraças.
    • Chora, que lágrimas lavam a dor.
    • e) O time ora atacava, ora defendia e no placar aparecia o resultado favorável.
    X
    • a) subordinada substantiva objetiva direta
    • b) subordinada adverbial conformativa
    • c) subordinada substantiva objetiva indireta
    • d) subordinada substantiva predicativa
    • e) subordinada substantiva apositiva
    X
    • a) Substantiva objetiva direta.
    • b) Substantiva subjetiva.
    • c) Substantiva predicativa.
    • d) Substantiva adjetiva.
    • e) Substantiva consecutiva.
    X
    • a)subordinada adverbial temporal.
    • b)subordinada substantiva objetiva direta.
    • c)subordinada substantiva objetiva indireta.
    • d)subordinada substantiva subjetiva.
    • e)subordinada substantiva predicativa.
    a)subordinada adverbial temporal. b)subordinada substantiva objetiva direta. c)subordinada substantiva objetiva indireta. d)subordinada substantiva subjetiva. e)subordinada substantiva predicativa. X
    • a) “ em lugar de nos conduzirem a desejável autonomia.” / em vez de ;
    • b) “eliminando, assim , seus talentos de processo ...” / com isso ;
    • c) “ embora muitos estudiosos defendam que a característica ...” / conquanto ;
    • d) “ pois toda preocupação intelectual do homem não deixa de ser... “ / l o go;
    • e) “ no entanto , por causa da situação de dependência cultural ... “ / todavia .
    X