Guia funcionamento FPIF 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Guia funcionamento FPIF 2012

on

  • 1,848 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,848
Views on SlideShare
1,682
Embed Views
166

Actions

Likes
0
Downloads
44
Comments
0

4 Embeds 166

http://centro-educate.blogspot.pt 159
http://centro-educate.blogspot.com 3
http://centro-educate.blogspot.com.br 3
http://centro-educate.blogspot.mx 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Guia funcionamento FPIF 2012 Guia funcionamento FPIF 2012 Document Transcript

  • 1
  • Índice1. Enquadramento Geral do Curso ....................................................................................3 1.1. Relevância, pertinência e oportunidade ....................................................................... 3 1.2. Objectivos Gerais do curso............................................................................................ 4 1.3. Público-alvo ................................................................................................................... 4 1.4. Competências a Desenvolver ........................................................................................ 42. Condições de acesso .....................................................................................................5 2.1. Situações Gerais ............................................................................................................ 5 2.2. Critérios de Selecção ..................................................................................................... 5 2.3. Prazos de inscrição ........................................................................................................ 63. Conteúdos programáticos.............................................................................................6 3.1. Estrutura Programática Geral........................................................................................ 6 3.2. Estrutura Programática Detalhada................................................................................ 74. Organização e desenvolvimento do curso ................................................................... 13 4.1. Informação Geral......................................................................................................... 13 4.2. Participação dos formandos........................................................................................ 13 4.3. Cronograma tipo do Curso .......................................................................................... 15 4.4. Modelo de desenvolvimento da formação ................................................................. 15 4.5. Modelo da avaliação da aprendizagem ...................................................................... 155. Contactos úteis .......................................................................................................... 22 2
  • 1. Enquadramento Geral do Curso 1.1. Relevância, pertinência e oportunidadeAs alterações técnicas, tecnológicas, económicas e organizacionais, exigem epressupõem uma constante actualização e adaptação dos conhecimentos ecompetências dos recursos humanos das organizações. Assim, este curso foiconcebido não só para satisfazer estas necessidades e colmatar estas falhas, mastambém, apostando na qualidade e eficácia dos conteúdos, métodos e estratégiaspedagógicas e aliando a isso uma forte aposta nas novas tecnologias e nainteractividade e dinamismo que só estas permitem.Este curso tem uma dupla finalidade, por um lado, ir ao encontro das necessidades domercado de trabalho, certificando formadores capazes e competentes para melhorar osistema de formação profissional, e por outro lado, incentivar a utilização das novastecnologias, com recurso ao eLearning. Como tal, a DLC não só aposta na qualidadedos conteúdos e conhecimentos a transmitir, como aproveita as potencialidadestecnológicas existentes para construir um curso mais interactivo, dinâmico e motivantepara os formandos. O sistema de ensino utilizado pela DLC tem sido alvo de muitosestudos e investigações, para além de vastos anos de experimentação, pelo quepermite uma aprendizagem mais flexível e adequada aos ritmos e necessidades decada formando.O curso decorrerá em bLearning, ou seja, as sessões online serão complementadaspor sessões presenciais em que os formandos podem estar em contacto uns com osoutros e com o formador e aplicar na prática os conhecimentos e competências quevão desenvolvendo no decorrer do curso.Para além disso, importa referir, que o curso está inserido na Plataforma NetformadaVinci, que possui inúmeras mais-valias, das quais destacamos as seguintes: • A avaliação e a auto-avaliação do formando através da realização de testes; • A comunicação síncrona e assíncrona entre formandos e tutor; • Acompanhamento e feedback permanentes; • A partilha de ideias e documentação entre formandos e tutor; • Actualização constante do processo formativo de cada formando; 3
  • • Auto-conhecimento do perfil do formando resultante dos resultados da aplicação de questionários de estilos de aprendizagem e inteligência emocional. 1.2. Objectivos Gerais do cursoCom este curso pretende-se: • Melhorar a qualidade da formação profissional, através do desenvolvimento de competências pedagógicas e formativas; • Contribuir para a qualificação dos recursos humanos das organizações; • Incentivar à utilização de novas tecnologias na formação. 1.3. Público-alvoProfissionais que pretendam vir a exercer a sua actividade como formadores nas maisvariadas áreas psicossociais ou técnicas – abrangendo habilitações mínimasobrigatórias e habilitações de nível superior. 1.4. Competências a DesenvolverEntre os indicadores mais preocupantes, que continuam a inibir o desenvolvimentosocioeconómico do país, destaca-se a pouca qualificação dos trabalhadores.Interpretando este facto, torna-se necessário encontrar soluções que permitamsuperar esta dificuldade, o que passa inevitavelmente por proporcionar novas e maisofertas de formação em todo o território nacional. Para atingir este objectivo, énecessário que existam boas equipas pedagógicas, e formadores com osconhecimentos, as competências e as qualificações necessárias para ministrarformação com qualidade. Assim, este curso visa por um lado, transmitir osconhecimentos necessários sobre o contexto formativo, e as práticas e métodospedagógicos, mas também, desenvolver competências que os formandos possam esaibam depois aplicar nas suas práticas como formadores.Neste sentido, no final do curso os formandos devem ser capazes de: 4
  • • Caracterizar os sistemas de formação e o papel do formador; • Distinguir diferentes teorias, processos e factores de aprendizagem; • Aplicar técnicas e métodos pedagógicos em contextos formativos distintos; • Animar um grupo de formação; • Operacionalizar um curso de formação; • Conceber recursos didácticos. 2. Condições de acesso 2.1. Situações Geraisa) Pré-requisitos (perfil de entrada): Podem candidatar-se ao curso os profissionaisque pretendam exercer a actividade de formador nas mais variadas áreaspsicossociais ou técnicas – abrangendo habilitações mínimas obrigatórias ehabilitações de nível superior.b) Competências de utilização ao nível de informática: O curso em bLearning temcomo pressuposto que os formandos detenham competências mínimas, na óptica doutilizador, em processadores de texto e softwares de Internet e Web. O formando deveassegurar e ser responsável pelas suas capacidades no domínio das ferramentasinformáticas.c) Requisitos mínimos tecnológicos: Computador funcional, equipado com placa desom, conjunto de microfone e colunas de som. Acesso Internet, preferencialmente,acesso cabo ou ADSL. Browser: Internet Explorer, Firefox Chrome, etc. 2.2. Critérios de SelecçãoOs critérios de selecção para o presente curso de FPIF terão em consideração osseguintes aspectos: • Experiência profissional; • Domínio de ferramentas informáticas na óptica do utilizador; • Motivação para frequentar o curso; • Percepção sobre o impacto na vida profissional. 5
  • 2.3. Prazos de inscriçãoAs inscrições poderão ser efectuadas até 24 horas antes do início do curso. 3. Conteúdos programáticos 3.1. Estrutura Programática GeralO curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores apresentado pela DLCcontempla os conteúdos programáticos necessários à aquisição das competênciasadequadas ao perfil profissional do futuro formador. Aulas Aulas MÓDULOS DURAÇÃO Presenciais On-line 1 - Formador: sistema, contextos e perfil 10 10 horas 2 - Simulação Pedagógica Inicial 10 10 horas 3 - Comunicação e dinamização de grupos em formação 3 7 10 horas 4 - Metodologias e estratégias pedagógicas 6 4 10 horas 5 - Operacionalização da formação: do plano à ação 10 10 horas 6 - Recursos didáticos e multimédia 3 7 10 horas 7 - Plataformas colaborativas e de aprendizagem 6 4 10 horas 8 - Avaliação da formação e das aprendizagens 4 6 10 horas 9 - Simulação Pedagógica Final 10 10 horas Total 42 48 90 horas:: Metodologia - Serão privilegiados os métodos activos e demonstrativos, quer nassessões presenciais, como online. Nas sessões online, há recurso texto, vídeo, som,imagem, jogos, exercícios e estudos de casos práticos, com vista a desenvolver todosos domínios cognitivos. Nas sessões presenciais, serão utilizadas estratégias etécnicas bastante diversas também, tais como: apresentações multimédia, jogospedagógicos, dramatizações, o estudo de casos práticos e trabalhos de grupo. 6
  • 3.2. Estrutura Programática Detalhada Regime deMódulos Objectivos Conteúdos Duração Formação Distinguir diferentes sistemas de Sessão 1 - Formador: contextos formação; Caracterizar o sistema de intervenção de formação face à sua finalidade, público-alvo e métodos utilizados; • Tópico 1 - O papel da Identificar o enquadramento Formação Profissional no legislativo da formação profissional. contexto actual Identificar o papel, função e • Tópico 2 - Papel, funções competências dos formadores face e competências do a diferentes contextos educativos; Formador 1 - Formador: sistema, contextos e perfil Discriminar as competências pedagógicas necessárias face ao • Tópico 3 - Competências contexto em que intervêm; formativas face a Reconhecer as suas competências diferentes contextos de face ao perfil desejável; Verificar as formação competências exigíveis ao formador no seu desempenho funcional. Online 10 Sessão 2 - Aprendizagem, criatividade e Caracterizar diversas concepções empreendedorismo de aprendizagem; Identificar • Tópico 1 - Conceito e as diferentes tipos e modos de características da aprendizagem. Caracterizar aprendizagem diferentes teorias de • Tópico 2 - Diferentes aprendizagem; Reconhecer os modelos explicativos do processo teorias para explicar o de aprendizagem. Identificar os mesmo fenómeno principais factores e as condições • Tópico 3 - Factores facilitadoras da aprendizagem; condicionantes da Classificar e avaliar os diferentes aprendizagem contextos de aprendizagem. • Tópico 4 – Empreendedorismo 7
  • 2 – Simulação Pedagógica Inicial Descrever as principais - Autoscopia inicial; competências evidenciadas na - Análise e auto-análise dos preparação, desenvolvimento e comportamentos pedagógicos avaliação de uma acção de observados; Presencial 10 formação; Identificar os comportamentos pedagógicos a - Diagnóstico de competências adquirir ou melhorar durante o pedagógicas. decurso da acção.3 - Comunicação e dinamização de grupos em formação Explicar a dinâmica formador- Sessão 1 - Comunicação e formando-objecto de comportamento relacional aprendizagem; Reconhecer os fenómenos psicossociais. • Tópico 1 - O papel da Relação Pedagógica no processo formativo Online 3 Sessão 2 - Diversidade no contexto de formação • Tópico 1- Os grupos e a sua dinâmica Presencial Reconhecer formas de motivas um 7 • Tópico 2- Estilos de grupo de formação; Explicar os liderança e seus efeitos na fenómenos psicossociais, nomeadamente o de liderança, prática pedagógica decorrentes nos grupos em • Tópico 3- Animação de contexto de formação; Identificar grupos com percursos diferentes estilos de liderança. diferenciados de aprendizagem 8
  • Escolher e aplicar as técnicas e os métodos pedagógicos mais Sessão 1 - Métodos e técnicas adequados aos objectivos, ao pedagógicas4 - Metodologias e estratégias pedagógicas público-alvo e ao contexto de • Tópico 1 - Métodos: formação; Distinguir e caracterizar expositivo, interrogativo, os vários métodos pedagógicos demonstrativo e activo activos e não activos: Distinguir os métodos das técnicas pedagógicas; • Tópico 2 - Técnicas: Tipificar os factores que Simulação, jogo de condicionam a escolha dos papéis, exposição, métodos pedagógicos; Relacionar demonstração, estudos de a escolha dos métodos e técnicas casos, tempestade de Online 6 com os conteúdos a transmitir em ideias diferentes públicos-alvo. Presencial 4 Sessão 2 – Pedagogia e Reconhecer a importância da aprendizagem inclusiva e comunicação pedagógica no diferenciada processo formativo; Distinguir diferentes tipos de comunicação; • Tópico 1 - Características Caracterizar uma comunicação da comunicação eficiente; Adequar o tipo de pedagógica comunicação aos métodos pedagógicos utilizados. 9
  • Sessão 1 - Competências e5 - Operacionalização da formação: do plano à acção Identificar e definir objectivos objetivos operacionais pedagógicos; Caracterizar objectivos • Tópico 1 - Identificar e operacionais e áreas do saber; Definir e avaliar objectivos. definir Objectivos Pedagógicos • Tópico 2 - Objectivos operacionais e áreas do saber • Tópico 3 - Como definir e avaliar objectivos • Tópico 4 – Estrutura de um Plano de Formação Online 10 Reconhecer a estrutura de um plano de sessão; Construir um plano de Sessão 2 – Desenho do sessão. Descrever como se constrói um plano de sessão; Identificar processo de formação- princípios orientadores para a aprendizagem concepção e elaboração de planos • Tópico 1 – Etapas de um de unidades de formação; plano Reconhecer diferentes aspectos • Tópico 2 – Planificação pedagógicos importantes no de um módulo de processo de ensino – aprendizagem; Apresentar propostas de melhoria do formação processo de formação.6 - Recursos didáticos e multimédia Identificar as regras de utilização dos principais recursos didácticos, Sessão 1 - Exploração de suas vantagens e limitações; recursos didáticos Seleccionar, conceber e adequar os • Tópico 1 - Selecção, meios pedagógico-didácticos, em elaboração e exploração suporte multimédia, em função da estratégia pedagógica adoptada. de audiovisuais na Online 3 Identificar os meios off-line e on-line formação que dão suporte à Formação pelas • Tópico 2 - Novos modelos TIC; Demonstrar as diferentes Presencial 7 e metodologias de utilizações e aplicações das TIC na formação formação e na educação, a partir • Tópico 3 - As funções do das necessidades diagnosticadas e perante cenários diversos; Aplicar as Formador no contexto da TIC à Educação e à Formação sociedade da formação Profissional. 10
  • Estabelecer a comparação entre um Sistema de Avaliação Presencial e um a Distância; Implementar um Sistema de Avaliação adequado à metodologia de eLearning; Construir instrumentos de avaliar, media e qualificar que possam ser aplicados7 - Plataformas colaborativas e de aprendizagem ao eLearning; Seleccionar os Sessão 1 – Plataformas: métodos e processos de avaliação finalidades e funcionalidades que melhor sirvam ao eLearning e • Tópico 1 - Introdução à bLearning; Implementar um Sistema Avaliação Online de Avaliação adequado à metodologia de bLearning; Construir • Tópico 2 - Avaliação instrumentos de avaliar, medir e aplicada ao eLearning qualificar que possam ser aplicados • Tópico 3 - Avaliação ao bLearning; Elaborar provas de aplicada ao blearning avaliação ajustadas às metodologias de eLearning e bLearning; Aplicar Online 6 instrumentos de análise e de controlo de qualidade da avaliação Presencial 4 do eLearning e bLearning. Sessão 2 - Comunidades virtuais de aprendizagem (presencial) 11
  • Sessão 1 - Avaliação quantitativa e qualitativa • Tópico 1 - Conceito, finalidades, objectivos e Reconhecer diferentes níveis e tipos de avaliação domínios de avaliação; Construir instrumentos de avaliação • Tópico 2 - Critérios de diversificados; Controlar os avaliação e escalas resultados de aprendizagem. • Tópico 3 - Técnicas e instrumentos de avaliação8 - Avaliação da formação e das aprendizagens Online 4 Sessão 2 - Avaliação: da Presencial 6 Aplicar um método sistémico e formação ao contexto de evolutivo de análise de resultados de trabalho formação; avaliar criticamente os • Tópico 1 - Análise sistemas de formação ao nível evolutiva e sistémica dos técnico, pedagógico e/ou organizacional; Distinguir o que é resultados de formação observação Directa e Indirecta; • Tópico 2 - Instrumentos Identificar os instrumentos usados de avaliação da formação na observação; Reconhecer o que • Tópico 3 – Avaliação da são instrumentos de escuta, eficácia e eficiência do questionários entrevistas; construir instrumentos de recolha de processo técnico- informação. pedagógico 12
  • 9 - Simulação Pedagógica Final Ser capaz de reconhecer os aspectos pedagógicos mais importantes no processo de ensino- aprendizagem; Desenvolver a Questionamento/aprofundamento capacidade de auto-análise e de dos aspectos pedagógicos mais análise me grupo; Ser capaz de relevantes; Síntese e avaliação Presencial 10 implementar um plano de sessão; dos processos vivenciados Propor soluções alternativas e Percursos para a auto-formação estratégias pedagógicas diversificadas. 4. Organização e desenvolvimento do curso 4.1. Informação Geral O curso desenrola-se num período compreendido entre 30 a 40 dias, sendo que a componente presencial decorrerá em datas pré-estabelecidas, conforme estabelecido em cronograma. Para cada módulo são definidas metas específicas de avaliação, podendo esta decorrer online ou de forma presencial. O coordenador do curso tem sob a sua responsabilidade transmitir em momentos próprios os resultados obtidos em todos os módulos. 4.2. Participação dos formandos O formando deve cumprir os horários estabelecidos, devendo a assiduidade ser registada em folhas de presença, sendo marcada falta sempre que não esteja presente nas sessões de formação. As faltas poderão ser consideradas justificadas ou injustificadas. • Faltas injustificadas: Se o número de faltas injustificadas for superior a 5% da carga horária presencial (42 horas) prevista para o curso, o formando perde o direito a receber o certificado de formação. 13
  • Assim, o formando pode dar apenas uma falta injustificada em horário pós-laboral, oufaltar a meia sessão em horário laboral ou sábados.Consideram-se faltas injustificadas:a) As faltas sobre as quais não tenham sido apresentada justificação;b) As faltas que correspondam à ordem de saída da sala de aula como medidacautelar;c) As faltas cuja justificação seja apresentada fora do prazo previsto. • Faltas justificadas:Poderão ser justificadas, no prazo de 5 dias, as faltas, entre outras legalmenteprotegidas, dadas pelos seguintes motivos:a) Por doença comprovada documentalmente;b) Por isolamento profiláctico, determinado por doença infecto-contagiosa de pessoaque coabite com o formando, comprovada documentalmente;c) Por falecimento de familiar, durante o período legal de luto;d) Por assistência na doença a membro do agregado familiar, comprovadadocumentalmente;e) Por participação em provas desportivas ou outros eventos nos termos da legislaçãoem vigor;f) Por facto não imputável ao formando, determinado por motivos imperativos ou porcumprimento de obrigações legais. • Sessões online:Relativamente às sessões online, a realização das mesmas é comprovada e verificadapelos resultados obtidos nas avaliações que vão sendo realizadas. 14
  • 4.3. Cronograma tipo do CursoSerá facultado, atempadamente, ao formando um cronograma em que estarãoassinaladas todas as sessões e datas em que decorrerão. Para além disso, na Áreade Trabalho da Plataforma, existirá uma calendarização em que estão assinaladastodas as sessões e momentos avaliativos. 4.4. Modelo de desenvolvimento da formaçãoO curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores em bLearning é compostopor 9 módulos, um momento de avaliação presencial e um momento de avaliaçãoonline.As sessões online, são alternadas pelas sessões presenciais, que visam aprofundar,testar e aplicar na prática os conhecimentos e conteúdos que os formandos adquiriramno seu estudo online.Serão entregues aos formandos os seguintes materiais: a) Um Manual do Formando em pdf que contém instruções de utilização das diversas ferramentas e potencialidades da plataforma; b) Um guia pedagógico online que indicará todas as orientações didácticas, logísticas e de apoio indispensáveis à utilização dos diferentes meios; Em termos de organizado de estudo, é aconselhado no cronograma o número horas diárias de estudo para cada módulo online e estas devem ser estudas, antes das avaliações e das sessões presenciais. 4.5. Modelo da avaliação da aprendizagemO modelo de avaliação utilizado neste curso é muito diversificado, privilegiando autilização de diferentes instrumentos de avaliação, em diversos momentos, queexplicamos seguidamente: a) Teste de Diagnóstico – online – em que são testados os conhecimentos prévios dos formandos. 15
  • b) Simulação Pedagógica Inicial – presencial – em que o formando deve mostrar o conhecimento que tem de práticas pedagógicas. c) Exercícios de reflexão e auto-avaliação dos conhecimentos – online – que são realizados no decorrer das sessões. d) Testes de Sessão – online – permitem a auto-avaliação dos conhecimentos e têm um carácter formativo, na medida em que o formando tem acesso imediato à nota e às respostas correctas. e) Testes de Unidade – online – são avaliados e testados os conhecimentos que os formandos adquiriram sobre determinado módulo. f) Plano de Intervenção Pedagógica – online – que deve ser construído pelos formandos e partilhado entre todos. g) Simulação Pedagógica Final – presencial – em que o formando deve provar os conhecimentos e competências pedagógicas adquiridas ao longo curso. h) Teste Final de Treino – online – semelhante ao Teste Diagnóstico e Teste Final, em que o formando pode testar os conhecimentos adquiridos. i) Teste Final – presencial – serão postos à prova os conhecimentos do formando sobre todos os conteúdos abordados no decorrer do curso. j) Questionário de qualidade – online – os formandos devem avaliar o curso realizado, no que diz respeito a diferentes aspectos: conteúdos, metodologias, técnicas, avaliação, etc.O acompanhamento e avaliação são considerados componentes estruturantes dosprocessos formativos. Neste quadro, configuram-se como processos de intervençãocontínua e sistemática, por forma a promover nos participantes o desenvolvimento deuma capacidade crítica sustentada e a validar progressivamente as competênciasadquiridas e/ou desenvolvidas ao longo e no final da formação.Sendo parte integrante do processo formativo, a avaliação tem como finalidadeprioritária validar os conhecimentos, as capacidades e as aptidões adquiridas e/oudesenvolvidas pelos formandos ao longo da formação. Além deste aspeto, e numaoutra leitura, os resultados obtidos em cada Sub-módulo ou módulo do curso sãointerpretados como elementos de validação das respetivas ações formativas. 16
  • A metodologia de acompanhamento e avaliação da formação baseia-se num conjunto de técnicas que visa identificar as formas, os tipos e os instrumentos disponíveis para realizar a respetiva avaliação, tendo por objetivo obter feedback de todos os participantes, imprimir qualidade em todo o sistema, promover um processo de melhoria contínua e aferir as aprendizagens. A avaliação, como processo sistemático, contínuo e integral deverá ocorrer em três momentos: Avaliação inicial (no início da formação): Avaliação diagnóstica (perfil de entrada dos formandos); Avaliação contínua (ao longo/durante a formação): Avaliação formativa e sumativa (processo/desenvolvimento da formação); e Avaliação final (no final da formação): Avaliação sumativa (perfil de saída). Na definição dos objetivos que lhe estão inerentes pretende-se com a avaliação:• Identificar o perfil de entrada dos formandos (avaliação diagnóstica);• Melhorar o ensino e a aprendizagem (avaliação formativa);• Medir os resultados e a aprendizagem realizada (avaliação sumativa). O primeiro permite identificar quais os conhecimentos e competências que os formandos possuem antes da formação e, o segundo pode ser definido como um processo sistemático e contínuo para determinar em que medida os objetivos pedagógicos foram alcançados pelo formando, permitindo a correção do processo de ensino-aprendizagem nos seus vários aspetos. A avaliação sumativa constitui a finalidade clássica da avaliação e assume uma relevância tanto maior, quando é certo ser ela a responsável pela tomada de decisões 17
  • a vários níveis, decisões essas que influenciam, por vezes, a vida dos formandos edas organizações.Avaliação DiagnósticaA avaliação diagnóstica consiste numa fase essencial para os formadores, já que estaavaliação prévia resultante da simulação pedagógica inicial permite identificar quais osconhecimentos e competências que os formandos possuem e desta forma definir aestratégia formativa mais adequada para que os formandos alcancem um resultadopedagogicamente satisfatório.Avaliação FormativaA Avaliação formativa (contínua) visa introduzir, no decurso do processo de formação-aprendizagem, momentos de avaliação global da atividade desenvolvida. Assim,atendendo aos objetivos específicos delineados no início do módulo, a avaliaçãoformativa permite diagnosticar a forma como o formando vai acompanhando oprocesso de formação-aprendizagem. Este feedback é essencial para o ajustar dasestratégias, que em muitos casos é decisiva para o sucesso do formando.Cabe ao formador de cada módulo orientar o processo de avaliação formativa deforma contínua ao longo de todo o processo de formação-aprendizagem. Nestesentido, durante as explicações e demonstrações o formador deve, constantemente,verificar a compreensão e o progresso dos formandos, fazendo perguntas eobservando as suas reações, salientando o que o formando está a fazer bem e mal,dando-lhe sugestões para melhorar o trabalho, encorajando a autoavaliação efornecendo meios para que o formando possa avaliar o seu próprio trabalho e corrigiros seus erros.A autoavaliação é um processo insubstituível de autorregulação do desenvolvimentodas competências adquiridas ou a adquirir e a explicitação/negociação de critérios deavaliação é necessária para a compreensão da qualidade do desempenho. 18
  • Avaliação SumativaA avaliação sumativa (aprendizagens) visa, ao classificar, traduzir o processo deavaliação contínua num referencial universalmente reconhecido (escala),possibilitando a certificação.É da responsabilidade de cada formador proporcionar as condições ideais para que aavaliação sumativa de cada módulo resulte efetivamente da ponderação de todos oselementos de avaliação definidos.A Avaliação das Aprendizagens pode processar-se através da aplicação de váriosinstrumentos e permite medir o desempenho dos formandos relativamente a: • Domínio dos objetivos específicos a adquirir através da frequência da formação; e • Reforço das competências pedagógicas a adquirir através da frequência da formação.O grau de Domínio dos objetivos pedagógicos (OP) constata-se:I. Através das apreciações realizadas pelos formadores envolvidos na ação, porobservação dos participantes nos módulos individuais, ao nível do domínio dosassuntos, relações interpessoais, entre outras.II. Através da aplicação de instrumentos de Avaliação Intermédia.O Reforço de Competências Pedagógicas (CP) é verificado através da análisecomparativa da Simulação Pedagógica Inicial e Final e Avaliação do Projeto deIntervenção. Neste contexto são avaliados os seguintes parâmetros:I. O plano de sessão, na área de atividade do formador em formação, tendo em contaa sua estrutura e os materiais de apoio.II. Os recursos didáticos tendo em conta o rigor técnico, a estruturação e a criatividadedos meios/documentos concebidos para a sessão simulada. 19
  • III. O desempenho como formador, no domínio pedagógico-didático do desenvolvimento da Formação, pela observação de critérios de análise pré- estabelecidos. IV. Qualidade do módulo de formação tendo em conta os vários elementos que o compõem: designação do módulo, enquadramento, duração do módulo, público-alvo, objetivos gerais, objetivos específicos, conteúdos de aprendizagem, metodologias e estratégias, recursos didáticos e avaliação. A Avaliação Final de cada formando, determina o grau de sucesso da aprendizagem confrontando-se os resultados obtidos na avaliação contínua com os objetivos operacionais definidos a priori. Será o Responsável e/ou Coordenador Pedagógico que, após obtenção das avaliações individuais dos formadores, fará a sua compilação e converterá o somatório quantitativo (1 a 5) das avaliações numa escala. ESCALAS DE AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS (UM NÍVEL NEGATIVO E QUATRO NÍVEIS POSITIVOS) Qualitativa* Aproveitamento Aproveitamento Aproveitamento Aproveitamento Aproveitamento Quantitativa Insuficiente Satisfatório Bom Relevante Excelente Numérica Níveis 1 a 5 1 2 3 4 5 Literal Níveis A a E E D C B APercentual Valores de 0 a 20 0-9 10-13 14-16 17-18 19-20 Percentual 0 a 100% 0% - 49% 50% - 69% 70% - 84% 85% - 94% 95% - 100% * DESIGNAÇÃO QUE DEVE CONSTAR NOS CERTIFICADOS O peso de cada um dos elementos apresentados é distinto para o cálculo da Avaliação Final dos formandos. Assim sendo, a Avaliação Final dos formandos assenta nas seguintes percentagens: (i) Avaliação Diagnóstica (AD): Simulação Pedagógica Inicial - 10% (ii) Avaliação Sumativa (AS): 20
  • Objetivos Pedagógicos (OP) – 30%Competências Pedagógicas (CP) – 30%Projeto de Intervenção (PI) – 30%AVALIAÇÃO FINAL = [(0,10 X AD) + (0,3 X AS/OP)+ (0,30 X AS/CP) + (0,3 X AS/PI)]Desta feita, a aprovação do formando no final do curso será determinada pelosseguintes critérios:a) Considera-se que um formando teve aproveitamento no curso quando a suaclassificação final for igual ou superior ao nível 2, correspondendo em termosqualitativos a “Aproveitamento Satisfatório” e tendo registado uma assiduidade mínimade 95% sobre a duração global do curso.b) Considera-se que um formando não teve aproveitamento no curso quando a suaclassificação final for igual ao nível 1, correspondendo em termos qualitativos a“Aproveitamento Insuficiente” ou não tendo registado uma assiduidade mínima de 95%sobre a duração global do curso, não podendo faltar a um sub-módulo inteiro. 21
  • 5. Contactos úteisDistance Learning Consulting, Lda.Av. Infante D. Henrique, Lote 333 H – 2º piso, Escritório 24 – Urb. Lisboa Oriente –Expo – 1800-280 LisboaTelef./Fax: 218 533 658/218 521 128 | email:dlc@dlc.pt | www.dlc.pt 22