CURSO BÁSICO DE SOCORRISMOENQUADRAMENTO TEÓRICOTodos os dias são bons para salvar uma vida. Existem países nos quais oscon...
CURSO BÁSICO DE SOCORRISMOÁrea de formação:O presente curso está inserido na Área (CIME) 723, Enfermagem e sub-área, 723.0...
Formadora:Ana Marina Carreira LealNº de formandos:Número par, entre 8 e 14Objetivo geral do curso:Pretende-se, com este cu...
MÓDULO 1Introdução ao socorrismoOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Introdução ao Socorrismo consiste na definição e...
METODOLOGIA:Neste módulo, serão utilizados os métodos expositivo, método interrogativo, com autilização da técnica das per...
MÓDULO 2Traumatismos térmicos: QueimadurasOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Traumatismos térmicos: Queimaduras con...
CARGA HORÁRIA:2 horas
MÓDULO 3Lesões cutâneas: FeridasOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Lesões cutâneas: Feridas consiste na identificaç...
CARGA HORÁRIA:4 horas.
MÓDULO 4Traumatismos mecânicos: FraturasOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Traumatismos mecânicos: Fracturas consis...
CARGA HORÁRIA:6 horas.
MÓDULO 5Lesões vasculares: Choque e HemorragiaOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Lesões vasculares: Choque e Hemorr...
Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo e interrogativo com o recurso àtécnica das perguntas.CARGA HORÁRIA:2 h...
MÓDULO 6Envenenamento e intoxicação (2h)OBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Envenenamento e intoxicação consiste na ...
MÓDULO 7Alterações na glicemia capilarOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Alterações na glicemia capilar consiste na...
METODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo, recorrendo àtécnica das perguntas e demons...
MÓDULO 8Crise convulsivaOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Crise Convulsiva consiste em dotar o formando deconhecim...
MÓDULO 9Alterações respiratórias: AsfixiaOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Alterações respiratórias: Asfixia consi...
CARGA HORÁRIA:8 horas
MÓDULO 10Paragem cardiorrespiratória. Cadeia de sobrevivência e SBVOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Paragem cardi...
   SBV no adulto e pediátricoMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo com a técnica...
AVALIAÇÃO DOS FORMANDOSA avaliação das aprendizagens adquiridas durante o Curso de Socorrismo Básicoencontra-se dividida e...
A ponderação de cada um dos elementos apresentados como formas de avaliaçãorealizar-se-á do seguinte modo:   1. Avaliação ...
RECURSOS MATERIAIS/DIDÁTICOSPara cada módulo, o formador necessitará de utilizar alguns recursos materiais edidácticos. De...
RECURSOS BIBLIOGRÁFICOS     Conselho Português de Ressuscitação. Manual de Suporte Básico de Vida.      Edição 2007     ...
Curso básico de socorrismo (formação)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Curso básico de socorrismo (formação)

3,638

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,638
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Curso básico de socorrismo (formação)

  1. 1. CURSO BÁSICO DE SOCORRISMOENQUADRAMENTO TEÓRICOTodos os dias são bons para salvar uma vida. Existem países nos quais osconhecimentos de primeiros socorros são um acto de cidadania, pois todos nóspodemos encontrar alguém um dia, a quem precisamos de prestar primeiros socorros.E deste modo, nalgumas empresas é obrigatória a formação nesta área.O socorrismo, mais concretamente os primeiros socorros, englobam um conjunto deatividades que podem permitir ao cidadão salvar uma vítima de doença aguda oureagudização de uma doença crónica. O socorrista tem por objetivo estabilizar a vítimano local do acidente, reconhecendo a situação, e alertando a ajuda necessária.Existe um conjunto de critérios que um socorrista deve ter. São eles, a tecnicidade,preferentemente uma constituição física forte, deve ter um grande poder deobservação, deve ter algum ‘sangue-frio’, sendo preferível, por vezes, uma postura deautoridade para dar segurança às restantes pessoas que possam estar no local, deveser perseverante, não devendo ser egoísta e sabendo trabalhar em equipa, e deve teruma boa destreza manual, acompanhada de algum bom senso, uma vez que nemsempre pode resolver todas as situações e deve conhecer as suas limitações.O socorrista deve ter como princípios gerais o prevenir, pois deve fazer os possíveispor impedir o agravamento da vítima, o alertar, chamando ajuda médica treinada eespecializada e, por fim, socorrer, pois há situações nas quais os primeiros minutospodem fazer a diferença.A partir daqui, deve proceder ao afastamento da vítima do local de acidente ou doperigo, à avaliação do estado da vítima, à execução dos primeiros socorros, e, por fim,à evacuação das mesmas do local. A estes últimos passos chama-se delinear o planode atuação.É urgente formar a nossa sociedade no sentido da responsabilização. O cidadãocomum pode salvar uma vida se conseguir atuar nos primeiros minutos e muitoscidadãos já o sabem mas não possuem conhecimentos para isso. O curso desocorrismo, com uma grande componente prática e exemplificações adaptadas desituações reais faz falta a toda a sociedade. É obrigatório pensar desta forma: ‘Hojepor ti, amanhã por mim’, para que assim possamos fazer a diferença!
  2. 2. CURSO BÁSICO DE SOCORRISMOÁrea de formação:O presente curso está inserido na Área (CIME) 723, Enfermagem e sub-área, 723.04,Socorrismo e Emergência Médica.Título:O curso intitula-se “Curso Básico de Socorrismo”.Carga horária:O curso tem uma duração total de 54h, dividindo-se em 10 módulos.Horário:Pós-laboral, de 18h30 a 22h30, durante 13 dias úteis, de 2ª a 5ª feiraLocal:O curso irá realizar-se no Centro de Estudos e Formação EDUCATE.Destinatários:Este Curso Básico de Socorrismo, devido aos conhecimentos básicos que transmite eao tempo destinado para cada conteúdo, é destinado a estudantes de áreas de saúde,professores, educadores e profissionais de risco (seguranças, bombeiros, polícias, …).Pré-requisitos:Idade igual ou superior a 18 anos, nível de escolaridade igual ou superior ao 9º ano ebom nível de Português falado e escrito.
  3. 3. Formadora:Ana Marina Carreira LealNº de formandos:Número par, entre 8 e 14Objetivo geral do curso:Pretende-se, com este curso, que o formando aprenda a atuar com segurança emáreas de reconhecimento da emergência básica, adquirindo conhecimentos teóricos epráticos básicos e que o permitam dar resposta a possíveis situações de emergênciacom as quais se pode deparar no dia-a-dia.Objetivos específicos do curso:No final do Curso Básico de Socorrismo, o formando deverá ser capaz de:  Definir situação de emergência e saber em que situações específicas poderá atuar;  Avaliar situações de emergência prioritárias e não prioritárias;  Conhecer o CIAV, e saber as suas indicações para atuar em caso de envenenamento e intoxicação;  Reconhecer sinais e sintomas característicos de uma crise de hipo e hiperglicémia;  Conhecer os passos a realizar a uma vítima em crise convulsiva;  Atuar perante uma vítima com alterações da respiração, conhecendo os procedimentos a realizar em caso de asfixia;  Reconhecer uma paragem cardiorespiratória e técnica de suporte básico de vida no adulto e pediátrico.
  4. 4. MÓDULO 1Introdução ao socorrismoOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Introdução ao Socorrismo consiste na definição ereconhecimento de uma emergência, assim como o conhecimento do SistemaIntegrado de Emergência Médica (SIEM).OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Definir situação de emergência, enunciando, por escrito, três situações de emergência prioritárias, sem recorrer ao manual e sem falhas;  Reconhecer a importância de atuação do cidadão em casos de emergência, identificando por escrito e com uma taxa de sucesso de 100%, de cinco situações propostas, duas situações em que poderá actuar;  Identificar, verbalmente, duas entidades pertencentes ao SIEM, recorrendo aos conhecimentos transmitidos pelo formador;  Citar, por escrito e sem falhas, o os três princípios gerais do socorrismo, recorrendo ao manual do curso;  Identificar, por escrito recorrendo ao quadro, os passos a seguir no exame geral da vítima, sem errar;  Demonstrar, executando o exame geral da vítima, com recurso ao manequim presente na sala, os passos a seguir no caso de encontrar uma vítima sem reacção aparente, podendo recorrer à ajuda dos restantes formandos.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  A situação de emergência  O cidadão perante a emergência  Sistema Integrado de Emergência Médica  Princípios gerais do socorrismo  Exame geral da vítima
  5. 5. METODOLOGIA:Neste módulo, serão utilizados os métodos expositivo, método interrogativo, com autilização da técnica das perguntas e método ativo, com o recurso à técnica debrainstorming e trabalho de grupo.CARGA HORÁRIA:6 horas
  6. 6. MÓDULO 2Traumatismos térmicos: QueimadurasOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Traumatismos térmicos: Queimaduras consiste aquisiçãode conhecimentos sobre a identificação e a avaliação de uma queimadura, assimcomo sobre produtos indicados a usar em cada caso.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Identificar, sem erros, uma queimadura quanto ao grau da mesma, de acordo com os conhecimentos transmitidos pelo formador;  Avaliar extensão de uma queimadura, calculando a percentagem corporal afectada, com uma margem de erro de 20% e sem recorrer à calculadora;  Identificar e enunciar os passos a seguir no caso de uma queimadura de 1º grau, sem recorrer ao manual e sem falhas;  Identificar sinais e sintomas de melanoma provocado por queimadura solar, citando-os verbalmente em 2 minutos e podendo recorrer ao manual.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Grau da queimadura  Extensão da queimadura  Consequências de queimaduras  Neoplasia da peleMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo com a técnica dasperguntas, e ativo, com a realização de trabalhos de grupo.
  7. 7. CARGA HORÁRIA:2 horas
  8. 8. MÓDULO 3Lesões cutâneas: FeridasOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Lesões cutâneas: Feridas consiste na identificaçãoprimária das feridas, assim como na transmissão de conhecimentos acerca dosprodutos indicados.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Indicar, por escrito e sem falhas, em que consiste uma ferida, sem recorrer ao manual;  Descrever verbalmente uma ferida apresentada pelo formador quanto ao seu tipo, sem falhas e em 30 segundos;  Identificar, verbalmente e tendo por base o esquema presente no manual, o tratamento mais indicado para uma ferida não contaminada, com facilidade.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Definição de ferida  Tipos de feridas quanto à profundidade, complexidade, formato e agente causador  Tratamento de feridasMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo e interrogativo com o recurso àtécnica das perguntas.
  9. 9. CARGA HORÁRIA:4 horas.
  10. 10. MÓDULO 4Traumatismos mecânicos: FraturasOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Traumatismos mecânicos: Fracturas consiste naclassificação de fraturas, quanto à causa e lesão envolvente e nos tipos de tratamentopossíveis.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Identificar corretamente uma fratura quanto à causa, sem recorrer ao manual;  Identificar corretamente uma fratura quanto à lesão envolvente, sem recorrer ao manual;  Exemplificar, sem hesitar e com recurso a outro formando voluntário, o correto alinhamento de 2 articulações, sendo uma do membro inferior e outra do membro superior;  Executar, com facilidade e tendo em conta o alinhamento articular, uma imobilização de uma fratura de membro inferior.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Causas das fraturas  Classificação de fraturas quanto à lesão envolvente e quanto à causa  Alinhamento articular  Imobilização articularMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo com o recurso àtécnica das perguntas e demonstrativo, utilizando a técnica da demonstração.
  11. 11. CARGA HORÁRIA:6 horas.
  12. 12. MÓDULO 5Lesões vasculares: Choque e HemorragiaOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Lesões vasculares: Choque e Hemorragia consiste nadistinção entre choque e hemorragia, sabendo como atuar em cada caso.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Distinguir, corretamente e por escrito, hemorragia de choque hipovolémico, tendo por base os conhecimentos transmitidos pelo formador;  Identificar, verbalmente e sem falhas, através da apresentação de uma situação real pelo formador, o grau de hemorragia de uma vítima;  Identificar, por escrito e em 30 segundos, as causas possíveis do choque hipovolémico;  Enunciar, verbalmente e sem hesitar, 3 sinais e 3 sintomas do choque hipovolémico descritos num texto baseado numa situação real, fornecido pelo formador.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Definição de hemorragia e choque hipovolémico  Graus de hemorragia  Causas do choque hipovolémico  Distinção entre hemorragia e choque  Sinais e sintomas da hemorragia e do choque hipovolémicoMETODOLOGIA:
  13. 13. Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo e interrogativo com o recurso àtécnica das perguntas.CARGA HORÁRIA:2 horas.
  14. 14. MÓDULO 6Envenenamento e intoxicação (2h)OBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Envenenamento e intoxicação consiste na identificação deuma vítima de envenenamento, agindo de acordo com as indicações do CIAV.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Identificar corretamente a designação da sigla CIAV, sem recorrer ao manual;  Enumerar, verbalmente e sem erros, os grupos profissionais da equipa que constituem o CIAV, tendo por base os conhecimentos transmitidos na formação;  Enunciar, pela ordem devida, os passos a seguir perante uma vítima de intoxicação, de acordo com as guidelines estabelecidas;  Identificar, por escrito, duas consequências de uma intoxicação por sedativos, sem hesitar.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Definir intoxicação e envenenamento  Conhecer o CIAV  Intoxicações medicamentosasMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo e interrogativo, recorrendo àtécnica das perguntas.CARGA HORÁRIA:2 horas
  15. 15. MÓDULO 7Alterações na glicemia capilarOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Alterações na glicemia capilar consiste na identificação dasprincipais alterações do metabolismo, sabendo actuar perante uma situaçãoemergente de hiper e hipoglicémia.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Definir, corretamente e por escrito, os conceitos de hipoglicémia e hiperglicémia sem recorrer ao manual;  Identificar, por escrito e sem falhas, 2 sinais e sintomas de uma crise hipoglucémica;  Demonstrar, executando a técnica de avaliação da glicemia capilar, recorrendo apenas ao kit do diabético e em 30 segundos;  Identificar, citando correctamente e por escrito, os diferentes tipos de insulina quanto à rapidez de actuação;  Descrever verbalmente os passos para administração de insulina, demonstrando como se manipula uma caneta de insulina, sem recorrer ao formadorCONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Alterações no metabolismo  Sinais e sintomas  Avaliação da glicemia capilar  Tipos de insulina
  16. 16. METODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo, recorrendo àtécnica das perguntas e demonstrativo, realizando uma demonstração da técnicamencionada.CARGA HORÁRIA:4 horas
  17. 17. MÓDULO 8Crise convulsivaOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Crise Convulsiva consiste em dotar o formando deconhecimentos para actuar perante uma vítima em crise convulsiva.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Identificar, verbalmente e sem erros, 4 causas que podem provocar uma crise convulsiva, tendo como referência o manual fornecido  Saber posicionar corretamente a vítima de crise convulsiva, exemplificando com o modelo de formação  Identificar corretamente os passos a seguir perante uma vítima em crise convulsiva, sem recorrer ao manualCONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Definição de crise convulsiva  Causas da crise convulsiva  O que fazer e não fazer perante uma crise convulsiva  Posicionamento da vítimaMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo, recorrendo àtécnica das perguntas e demonstrativo, recorrendo à demonstração.CARGA HORÁRIA:4 horas
  18. 18. MÓDULO 9Alterações respiratórias: AsfixiaOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Alterações respiratórias: Asfixia consiste na obtenção deconhecimentos por parte do formando sobre a principal emergência respiratória, aasfixia.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Identificar alterações respiratórias, citando corretamente dois exemplos destas, sem recorrer ao manual;  Exemplificar, sem erros, a colocação de uma vítima em posição de PLS, com a ajuda de outro formando;  Simular a abertura de via aérea em vítimas sem reacção aparente, exemplificando com um colega de formação e sem ajuda.CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Anatomia do sistema respiratório  Alterações respiratórias. Sinais e sintomas  Posição Lateral de segurança  Desobstrução da via aérea  Manobra de HeimlishMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo com a técnica dasperguntas e demonstrativo, realizando uma demonstração.
  19. 19. CARGA HORÁRIA:8 horas
  20. 20. MÓDULO 10Paragem cardiorrespiratória. Cadeia de sobrevivência e SBVOBJETIVO GERAL:O objetivo geral do módulo Paragem cardiorrespiratória. Cadeia de sobrevivência eSBV consiste em adquirir conhecimentos sobre o sistema cardiorrespiratório, assimcomo reconhecer uma vítima em paragem cardiorrespiratória e atuar corretamente.OBJETIVOS ESPECÍFICOS:O formando deverá ser capaz de:  Conhecer a anatomia do sistema cardiorrespiratório, identificando duas diferenças entre anatomia deste sistema no adulto e na criança, sem erros  Definir verbalmente e sem erros, paragem cardíaca, paragem respiratória e paragem cardiorrespiratória, sem recorrer ao manual  Enunciar corretamente e por escrito, as duas primeiras etapas da cadeia de sobrevivência  Simular um diálogo com o CODU (chamada 112), dizendo com uma taxa de sucesso de 90%, todas as informações relevantes a dar por telefone.  Identificar, por escrito e sem falhas, pelo menos 2 erros numa simulação do algoritmo SBV no adulto.  Realizar, com precisão técnica, as compressões e ventilações inerentes ao algoritmo SBV pediátrico e do adulto, sem recorrer ao auxílio do formador.  Enunciar, verbalmente e sem erros, 2 diferenças entre SBV no adulto e pediátricoCONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:  Anatomia do sistema cardiorrespiratório  Paragem cardíaca e paragem respiratória  Cadeia de sobrevivência  CODU
  21. 21.  SBV no adulto e pediátricoMETODOLOGIA:Neste módulo serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo com a técnica dasperguntas, demonstrativo, recorrendo à demonstração de uma situação prática, emétodo ativo, recorrendo ao brainstorming.CARGA HORÁRIA:14 horas
  22. 22. AVALIAÇÃO DOS FORMANDOSA avaliação das aprendizagens adquiridas durante o Curso de Socorrismo Básicoencontra-se dividida em três fases: uma avaliação diagnóstica, uma avaliaçãoformativa e uma avaliação sumativa.A avaliação diagnóstica, que é realizada no início do curso, contempla um conjunto deinformações acerca dos conhecimentos que o formando já possui. Neste sentido,pretende completar os dados previamente fornecidos pelos formandos durante ainscrição no curso, realizando um exercício escrito inicial que será realizado emgrupos. Este tipo de avaliação tem como finalidade o diagnóstico dos conhecimentos,essencialmente teóricos, dos formandos sobre os temas que serão abordados duranteo curso, havendo uma correcção conjunta que servirá como ponte para a introduçãoao primeiro módulo do curso.A avaliação formativa, consistindo numa avaliação contínua ao longo do período deformação, permite ao formador avaliar a aquisição de conhecimentos e a colocaçãodos mesmos em prática. Desta forma, recorrer-se-á à realização de simulaçõespráticas/demonstrações e posterior reprodução, à formulação de perguntas, assimcomo à formulação de situações reais, para que os formandos procurem a solução.A avaliação sumativa, ou avaliação final, pretende a comparação entre objectivospropostos e resultados atingidos pelos formandos. Pretende avaliar se o formando nofinal desta formação consegue actuar perante uma situação emergente/inesperada,mantendo a calma, e, ao mesmo tempo, exercendo a autoridade necessária para aresolução de problemas. Incidirá, também, na realização de um novo exercício escrito,que será já realizado de forma individual e que engloba os conhecimentos transmitidosdurante o curso, considerados mais importantes. Esse exercício final terá a duração de30 minutos, sendo que haverá novamente uma correcção conjunta.Os módulos serão, também, avaliados individualmente, e será o conjunto que definiráo aproveitamento do formando no curso. O aproveitamento varia numa escalanumérica que varia do nível 1 ao nível 5, sendo que a sua correspondência em termosqualitativos verifica-se do seguinte modo:  Nível 1: Muito Insuficiente  Nível 2: Insuficiente  Nível 3: Suficiente  Nível 4: Bom  Nível 5: Muito Bom.
  23. 23. A ponderação de cada um dos elementos apresentados como formas de avaliaçãorealizar-se-á do seguinte modo: 1. Avaliação das aprendizagens por módulos (50%) 2. Exercício escrito de avaliação final (50%)No final do curso, o aproveitamento do formando será estabelecido da seguinte forma:  Formando com aproveitamento (APTO) se a sua classificação for igual ou superior ao nível 3, correspondendo a “Suficiente”, “Bom” ou “Muito Bom” e tendo registado uma assiduidade de 90% sobre a duração total do curso;  Formando sem aproveitamento (NÃO APTO) se a sua classificação foi igual ou inferior ao nível 2, correspondendo a “Insuficiente” ou “Muito Insuficiente” ou não tendo registado uma assiduidade mínima de 90% sobre a duração total do curso.
  24. 24. RECURSOS MATERIAIS/DIDÁTICOSPara cada módulo, o formador necessitará de utilizar alguns recursos materiais edidácticos. Deste modo, apresentam-se seguidamente os recursos necessários, deacordo com os módulos nos quais serão utilizados.Em todos os módulos:  14 mesas  14 cadeiras  14 kit do curso (manual impresso em papel + caneta + bloco de notas)  Quadro branco  Videoprojector  ComputadorNos módulos 1, 8 e 9:  Manequim cabeça, tronco e membrosNo módulo 4:  14 Toalhas ou lençóis  14 Planos duros (pau, pedaço de madeira,…)No módulo 7:  1 Kit diabético (glucómetro, caneta de insulina e lanceta)  15 lancetas  15 bolinhas de algodão  1 solução alcoólica  3 ampolas de insulina (rápida, mista e lenta)No módulo 10:  Manequim cabeça e tronco  Máscara com válvula unidireccional
  25. 25. RECURSOS BIBLIOGRÁFICOS  Conselho Português de Ressuscitação. Manual de Suporte Básico de Vida. Edição 2007  PHIPPS, Wilma J. et al. Enfermagem Médico-Cirúrgica. 6.ª ed. Loures: LusoCiência, 2003.  European Ressuscitation Council Guidelines 2010  www.inem.pt

×