Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos

31,494 views
31,099 views

Published on

0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
31,494
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
517
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos

  1. 1. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARATRABALHAR OS EIXOS DAALFABETIZAÇÃO
  2. 2. 1º Compreensão e Valorização da Cultura Escrita - Fazer o Baú da Escrita: * cobrir uma caixa ou um caixote de papel ou tecido e enfeitá-lo conforme o gosto do(a) professor(a) e alunos. *Enchê-lo com os diferentes gêneros textuais em diferentes portadores e explicar que aquele será o “tesouro da turma” (aproveitar o material levado pelo aluno). *Todos os dias os textos do baú devem ser analisados pela turma, com enfoques diferenciados: é um documento, é um texto de divulgação à distância de informações em massa (jornais, revistas, etc) , é registro de compromissos (agenda), preservação e socialização dos saberes sociais (Ciências, História, Religião, etc), comunicação entre pessoas (carta, bilhetes, e-mail) etc? *durante a atividade procure explorar o conhecimento prévio dos alunos em relação a cada gênero e portador . *Guia do Alfabetizador – 1º semestre - Práticas pedagógicas: sugestão para a construção dos combinados da turma ( procure focar o uso e funções da escrita da escrita para o objetivo proposto (regras de convivência). * O guia propõe um trabalho com parlendas e contação de histórias. Antes de começar esse trabalho, familiarize os alunos com esses gêneros textuais, apresentando variadas parlendas e livros de história, para serem apenas recitadas e conhecidos pelos alunos. Compare os textos e características das parlendas e as características dos livros de histórias, para que os alunos possam reconhecê-los sempre que depararem com algum.
  3. 3. 2º APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DA ESCRITANoção de frases:conversar com os alunos sobre o que é uma frase. Que umafrase tem que comunicar alguma coisa;dar exemplo de frases utilizando o nome e ações dos alunos;explorar a frase;Laura viu uma borboleta amarela.A frase contou o que? Quem? O que ela viu? Retirar partesda frase e perguntar se ela continua com sentido.Viu uma borboleta amarela.Quem? O que ele fez?Laura viu.Quem? O que ela viu?Apresentar outras frases faltando os sujeitos ou ospredicados e perguntar se são frases.Apresentar outras frases completas e perguntar se são frasesou não. Compará-las com as anteriores.Apresentar a frase: Socorro! Perguntar: quem? O que fez?Por quê?Possibilitar a compreensão, pelos alunos, de que a frasepode ter sentido, independente do número de palavras quepossui.* Repetir a atividade utilizando outros recursos.
  4. 4. Noção de textoApresentar a parlenda, escrita em um cartaz .(ver no finaldeste item, como trabalhar parlendas)A macaca Sofia, reuniu a bicharada.Subiu na pedra mais alta e falou apavorada:__O leão, rei da floresta, parece que enlouqueceu!Raspou toda a sua juba e de saia apareceu.Quem diria, minha gente, que este bicho bravo e forte,iria se tornar , de repente, um gatinho de saiote?Explorar o portador, o gênero, a finalidade e função dotexto.Possibilitar aos alunos compreenderem que o texto éformado por um conjunto de palavras/frases com sentido eque comunicam algo.Explorar o texto da parlenda: quantas frases, como é aformatação do texto, pontuação, o que cada frasecomunica, etcTrabalhar, dessa mesma forma, outras parlendas e outrostextos pequenos.Apresentar vários gêneros para os alunos compará-los:bilhetes, anúncios, histórias infantis, romances com muitase poucas páginas, reportagens, etc.Possibilitar ao aluno a compreensão de que o tamanho dotexto se deve ao número de palavras/frases que possuem.No entanto, o fato de um texto ter poucas palavras/frasesnão prejudica o seu sentido.
  5. 5. RimasContação de história: Varre Vento – Cláudia Pacce ou outra históriarimada- trabalhar o portador ( o livro: nome, características, etc)- trabalhar o tipo (narrativo) e gênero do texto: história(característica, funções, finalidades, como é produzido, onde podeser encontrado, etc)- explorar a capa, ilustrações, dados sobre autor e editora- ler ou contar a história e fazer interpretação oralchamar a atenção para a forma que o autor escolheu para escrever otexto (rimado)identificar as palavras que combinam (rimam) em cada páginaperguntar: por que as palavras combinam? (porque terminam com omesmo som)Qual é o nome que se dá para esta combinação de palavras? (rimas)quando eu escrevo combinando as palavras , o que eu faço? (façorimas)Trabalhar poesias, parlendas, quadrinhas , conforme orientaçãoacima, até que os alunos estejam familiarizados com rimas.(Avaliar o conhecimento prévio do aluno e sua capacidade deidentificar rimas)O professor fala uma palavra e a turma terá que fazer rimas. Quandoa turma não encontrar mais rimas para a palavra ditapelo professor ele muda a palavra. A brincadeira pode ser feita emequipes. Cada rima vale um ponto.Brincar de falar trava-línguas, identificando a sílaba repetida.Brincar de falar aliteração, identificando a sílaba que se repete: Quemcom ferro fere, com ferro será ferido.
  6. 6. Fonema iniciais e finaisFonemas iniciais- rodinha- Brincadeira: “De quem é o nome? “A professora explica aos alunos que irá dizer oprimeiro som do nome de um aluno e que elesdevem tentar adivinhar qualé este nome. O nome é R – R – R – R (fazer osom do R). Se tiver mais de um aluno que temo nome iniciado com omesmo som, o professor deve mostrar que ummesmo fonema pode estar em nomesdiferentes.A brincadeira deve ser repetidas várias vezes,inclusive com nomes de: frutas, animais,objetos escolares, etcFonemas finais:- Repetir a brincadeira acima, porém focando ofonema final das palavras..Repetir as brincadeiras das sílabas iniciais oufinais com fonemas
  7. 7. 3º LEITURACriar, junto com os alunos, o cantinho de leitura nasala de aula, fazendo uma campanha para aquisição delivros, revista,gibis, etc junto `a comunidade escolar.Organizar o cantinho de leitura, se possível, com umtapete e almofadas( que podem ser usados) para queo aluno possa sesentir confortável para ler.Organizar, com os alunos, horários para leitura eempréstimos dos livros da biblioteca da sala edivulgação de livros e gibislidos.Todos os dias fazer a rodinha para leitura de textosdiversos e de interesse dos alunos.Solenidade festiva para a entrega do livro Cantalelê:- contação de histórias; Características de um contadorde histórias (1ª à 9ª) – Guia do alfabetizador – 2º ano– 1º bimestre -Práticas pedagógicas – Hora da História...- sarau musical, utilizando as músicas do Cantalelê
  8. 8. Colocar fichas de identificação nos objetos dasala para que os alunos, ao precisar de algo ouquando for guardar osmateriais no armário eles possam tentardecodificar o que está escrito nas fichas. Ex.ARMÁRIO DE MATERIAISESCOLARES - dentro do armário, no espaçodestinado a colocar os livros escrever umaficha com a palavra LIVROS, noespaço destinado aos lápis de cor, uma fichacom LAPIS DE COR, na caixa destinada àsrevistas escrever uma ficha com apalavra REVISTAS e assim por diante. (nãoetiquetar sem um objetivo claro para osalunos.)Apresentar pequenos textos como parlendas eversos para os alunos decodificarem com aajuda do professor.Se o método de alfabetização for silabação apartir de palavras chaves, a professora podetrabalhar a decodificação dessaspalavras com os alunos.
  9. 9. Ilustrar pequenos textos, lidos peloprofessor;recontar pequenas histórias lidas peloprofessorresponder adivinhasjogo:- dividir a turma em dois grupos;- colocar em um saco textos com o perfildos alunos;- a professora chama um representante decada grupo à frente;- a professora sorteia um perfil para cadaaluno, dizendo que são dicas;- a professora lê o perfil item por itempara o aluno tentar adivinhar qual é ocolega descrito;- o aluno que acertar o colega descritopela texto, com o menor número de digas,ganha um ponto.
  10. 10. PRODUÇÃO DE TEXTOSempre que a escola for enviar bilhetes para os pais, ler emvoz alta para os alunos.Construir os combinados com os alunos e perguntar: comofaremos para evitar que alguém esqueça os combinados?(dirigir a discussão para que os alunos concluam que amelhor opção é escrevê-los em um cartaz que ficará expostona sala, assim a professora poderá realçar o valor e o uso daescrita)No início da aula, combinar e registrar a rotina de atividadesdo dia no quadro. Ao final da aula, avaliar o desenvolvimentoda aula.Ao realizar jogos, combinar com os alunos a forma deregistrar os resultados.Criar situações onde os alunos possam observar o valor, o usoe a função da escrita na sociedade, tais como:- procurar o endereço de alguém (outro uso do catálogotelefônico);- localizar ruas, bairros, cidades, estado e país em mapas dobairro, da cidade, do estado, país, mundo;- ler histórias, parlendas, poesias, etc. para os alunos;-levar jornal e revistas para ler alguma notícia ou reportageminteressante para os alunos;-- registro das conclusões (texto coletivo, escrito em cartaz,pela professora para ficar exposto na sala).
  11. 11. IMPORTANTE: As atividades de introdução desta capacidadedevem partir sempre de gêneros textuais já conhecidos e trabalhadossistematicamente com os alunos, pois não podemos construir umtexto segundo os padrões de composição usuais na sociedade, senão conheço seu gênero, seu texto e nem o seu contexto decirculação.Antes de começar a construção, planeje o texto:- qual o gênero textual que vamos produzir (Explicar aos alunos, quedependendo de quem vai receber e ler, o objetivo ou função socialdo texto que será escrito, é que escolhemos o gênero. Ex. Se queropedir algo ao diretor da SRE, escrevo um ofício. Se voupedir a um amigo, posso escolher uma carta - se o ele está distante -ou um bilhete – se ele está próximo. Se vou pedir aos meus pais,posso escrever um bilhete, mas o jeito de escrever vai ser diferentedo bilhete do amigo).- Para que vamos escrever?- Para quem vamos escrever?- O que vamos escrever?EX. A turma quer fazer uma excursão e falta transporte. Eles poderãoescolher um ofício para fazer o pedido do transporte à SRE.Antes de fazê-lo, eles terão que manusear vários ofícios, conhecer afinalidade do documento (ofício), o que o texto contém, o tipo delinguagem usada em um ofício, etc. Somente depois da construçãodesse conhecimento, é que o professor introduz a construção dotexto coletivo, que é uma atividade de introdução desta capacidade.Utilizar de várias situações reais para promover o conhecimento dogênero e a construção de textual coletiva:Convites, cartazes, reportagens, relatórios, etc.
  12. 12. PARA DESENVOLVER A IMAGINAÇÃO:-Narre, para seus alunos, o final de um filme e peçaque eles imaginem o início.-Selecione gravuras de umahistória completa. Retire uma das cenas para os alunosrecomporem de outras maneiras a históriaapresentada-Peça seus alunos para:•observar o ambiente da sala de aula. Do ambienteele deverá escolher um objeto(enfeites, materiaisescolares, móveis...) e descrever o que ele representa,como ele se sente, qual sua finalidade, etc.;Imaginar eescrever sobre:•Como as pessoas viveriam em casas só de vidro?•Como seria o mundo se todas as coisas fossemvermelhas?•O que aconteceria se as bicicletas fossem os únicosveículos de uma cidade?•Como seria o mundo se os pássaros vivessem só emgaiolas?•Se pudesse morar na lua ou em marte? Qual desseslugares escolheria? Quando mudaria para lá? O que equem levaria?
  13. 13. DESENVOLVIMENTO DA ORALIDADE É necessário que o (a) professor (a) crie, com sua turma, o hábito de ouvir com atenção e compreensão. Para isso ele (ela) pode brincar com os alunos de: - telefone sem fio; - ouvir música e bater palmas em determinada parte dela; - cochicho (a professora fala alguma coisa com a turma, diminuindo cada vez mais o tom de sua voz e a turma tem de repetir o que ela disse); -trabalhar os cálculos orais deixando que um aluno dê as batidas e os outros contem e façam a operação. -- promover disputas dividindo a turma em 2 grupos. Um aluno do grupo adversário dá as batidas e o outro faz a mental. (Combinar o maior total ou o maior minuendo, que deve ser dentro da capacidade de toda a turma) Ganha o ponto, quem responder corretamente. Acostumar os alunos a emitir opiniões, principalmente os mais tímidos: - como organizar a sala - onde colocar um cartaz, os trabalhos que eles fizeram, etc. - como escrever as fichas com os nomes deles; - como estava a merenda e o recreio; - avaliação das atividades da aula no final do dia, dando voz e vez a todos;
  14. 14. Leitura de revista em quadrinhos da Turmada Mônica, chamando atenção para amaneira do Cebolinha (troca o r pelo l) e doChico Bento e seus amigos falarem (caipira) ea maneira de seus amigos tratarem essasdiferenças de formas deexpressão; Roda de conversa sobre as variadasmaneiras das pessoas falarem: crianças,velhos, adultos, jovens, adolescentes, etc. Uso de gírias e expressões regionais Contar pequenas histórias e em seguidadramatizá-la Brincadeiras de ouvir: todos ficam emsilêncio ouvindo os barulhos da sala, daescola, da rua, etc. Celismara Seleguin Gnann

×