• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Artigo cientifico o_planejamento_pedagogico_na_educacao_infantil
 

Artigo cientifico o_planejamento_pedagogico_na_educacao_infantil

on

  • 22,463 views

 

Statistics

Views

Total Views
22,463
Views on SlideShare
22,463
Embed Views
0

Actions

Likes
4
Downloads
207
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • adorei.obrigada.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Artigo cientifico o_planejamento_pedagogico_na_educacao_infantil Artigo cientifico o_planejamento_pedagogico_na_educacao_infantil Document Transcript

    • O PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claucimera Cumerlatto Lovison* Genessi de Fátima Pasquali* Rosemeri Lazaretti Bastos Machado*RESUMOConsiderando os vários fatores que devem ser pensados na elaboração doplanejamento pedagógico na Educação Infantil, surgem questionamentos sobre oque fazer com as crianças bem pequenas e como planejar o trabalho educativo comas crianças de zero a cinco anos. Pesquisas mostram que a Educação Infantil tevepouca preocupação na construção de um desenvolvimento saudável da criançapequena, a partir de uma postura crítica e reflexiva. Contudo, atualmente, muito sediscute sobre essa primeira etapa da educação básica. O planejamento é o primeiropasso da prática pedagógica, facilitando o trabalho educativo do professor epreparando a criança para a sua vida futura. Pretende-se conhecer como deve ser oplanejamento de atividades na Educação Infantil, as principais características dosplanejamentos de atividades para crianças de zero a cinco anos, e analisar como seprocessam as atividades com crianças pequenas, envolvendo o cuidar e o educar.As pesquisas basearam-se no Referencial Curricular Nacional para a EducaçãoInfantil, na LDB 9394/96, em obras de Ostetto (2002), Vasconcellos (1995, 2000),Libâneo (1993) e na observação direta do planejamento e prática pedagógica feitospela professora regente da turma onde foi realizado o Estágio Supervisionado naEducação infantil. Constatou-se que ela tem contato com o ato de planejar e hácoerência entre o que ela relatou sobre o assunto, o que foi observado e a práticaem sala de aula. Verificou-se o registro do planejamento que é feito através detemas e projetos, em conjunto com outras educadoras e sob orientação dainstituição.Palavras-chave: Educação Infantil. Planejamento docente. Prática pedagógica.* Acadêmicas do Curso Convalidação Normal Superior - Pedagogia, Modalidade à Distância, daFaculdade Educacional da Lapa – FAEL, Curitiba – PR... Atuam na educação como Professoras dasSéries Iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Especial.
    • 1. INTRODUÇÃO Planejamento, planejar e planos são traduzidos como sinônimos. No entanto,é relevante repensar os conceitos porque são eles que determinam a opinião e apostura que se deve ter frente aos acontecimentos, pois são concepções eargumentações para justificar as escolhas que se pretende realizar. Objetivamenteplanejar significa tomar decisões. Então surgem os questionamentos: Que decisões?Que escolhas? O que privilegiar e por quê? Essas questões fundamentam aspráticas realizadas, porque assim é que se escolhe aquilo que se sabe e acredita. Éum momento extremamente rico. Porém, é importante destacar que essas escolhasnão são definitivas. Elas poderão ser ampliadas, mudadas, recontextualizadas comleituras, estudos e outras experiências. O planejamento é o pensamento. Quando ainda está se definindocompreensões ou quando se pensa no que realizar para construir uma prática queresponde às intencionalidades pretendidas, é apenas pensamento. Não foram feitasopções, calcula-se a diferença entre uma e outra proposta de ação, trocam-se idéiase chega-se na fase que define a prática de sala de aula. Esse momento é inevitável,e a centralidade dele está em ter, e quando necessário buscar subsídios teóricos epráticos para que o pensamento possa de modo amplo e restrito, dar importância aoque se pretende realizar, tornando-se assim um processo educativo que contribuapara a significação de práticas mais consequentes e solidárias. O exemplo ensina, etrabalhar coletivamente na escola, pesquisar esses subsídios teóricos e práticos ebuscar orientações dos especialistas são formas de adquirir e ensinar o respeito àsidéias dos outros, e ainda promover a convivência, a solidariedade e a socialização. A Educação Infantil ficou muito tempo como uma modalidade com planosinferiores às outras etapas da educação básica. As pesquisas mostram que essamodalidade de ensino contou com pouca preocupação em contribuir para aconstrução de um desenvolvimento saudável do ser humano em crescimento. Porcausa disso, o planejamento do trabalho educativo era visto, na maioria das vezes,como uma atividade sem importância. Os professores eram considerados comotutores, ou seja, eles cumpriam a tarefa de “cuidar” das crianças. As práticaspedagógicas baseadas em planejamentos de atividades com objetivos definidos,conteúdos de qualidade, metodologias contextualizadas e avaliações críticas ereflexivas, não eram consideradas parte importante do processo educacional.
    • Contudo, essa modalidade de ensino amadureceu em muitos aspectos.Atualmente, muito se discute sobre Educação Infantil, e a Lei de Diretrizes e Basesda Educação Nacional nº. 9394/96 a colocou num patamar de igualdade com oEnsino Fundamental e Médio, completando assim a educação básica. É nessa faseque o planejamento deve ser entendido como o primeiro passo do processo ensino-aprendizagem. Portanto, o docente precisa ter em mente que planejar é apossibilidade do professor escrever e ser autor de seu conhecimento, e também deseu pensamento, de sua história e da história de seus alunos. Assim como a maioria das pessoas planeja suas ações, suas decisões, seutrabalho e sua vida, com o educador não pode ser diferente. As boas práticas emsala de aula mostram-se eficientes e eficazes no cenário educacional, justamenteporque são planejadas a partir de uma postura crítica e reflexiva. O planejamentofacilita esse trabalho educativo do professor, possibilitando ao aluno um resultadoeficiente que contribuirá na preparação para a sua vida familiar, social e profissional. Diante destes fatores que devem ser pensados na organização doplanejamento na educação infantil, surgem as ansiedades e dúvidas: O que fazerentão com as crianças, principalmente as bem pequenas? É possível fazeratividades com crianças do berçário, além de dispensar-lhes os cuidados físicos?Como planejar o trabalho educativo com as crianças de zero a cinco anos,principalmente as menores de três anos? A metodologia utilizada para responder a essas questões foi a observação doplanejamento da professora regente e também de sua prática em sala de aula, naEscola Municipal de Educação Infantil Pequeno Príncipe, onde realizou-se o EstágioSupervisionado do Curso Convalidação Normal Superior - Pedagogia. Além disso,foi realizada a revisão da literatura, mediante leitura sistemática, com fichamento decada obra, como também dos artigos e de outras contribuições teóricas, ressaltandoos pontos abordados pelos autores, pertinentes ao assunto em questão.2. A EDUCAÇÃO INFANTIL EM SEU CONTEXTO HISTÓRICO Historicamente, no Brasil, a Educação Infantil tem sido encarada de diversasformas: como função de assistência social, como função sanitária ou higiênica e,mais recentemente, como função pedagógica.
    • As tarefas das crianças pequenas nas creches e pré-escolas são muitas e degrande importância para o seu desenvolvimento cognitivo e emocional, e o principalinstrumento utilizado nessas instituições são as brincadeiras. Elas têm de aprender abrincar com as outras, respeitar limites, controlar a agressividade, relacionar-se comadultos e aprender sobre si mesmas e seus amigos, tarefas estas de naturezaemocional. Segundo as pesquisas, a escola dos pequeninos precisa ser um ambientelivre, onde o princípio pedagógico deve ser o respeito à liberdade e à criatividadedas crianças. Nela, elas devem se locomover e ter atividades criativas, e adesobediência e a agressividade devem ser orientadas, por serem condiçõesnecessárias ao sucesso das pessoas. Entende-se que a organização do trabalho pedagógico na Educação Infantildeve ser orientada pelo princípio básico de procurar proporcionar à criança odesenvolvimento da autonomia, isto é, a capacidade de construir as suas própriasregras e meios de ação, que sejam flexíveis e possam ser negociadas com outraspessoas, sejam elas adultas ou crianças. Obviamente, esta construção não seesgota no período de 0 a 5 anos de idade, devido às próprias características dodesenvolvimento infantil, mas tal construção necessita ser iniciada nessa fase.3. O PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Sabe-se que ao planejar as atividades pedagógicas o professor pensa eorganiza o que vai fazer durante a aula, para que tenha em mente tudo o queacontecerá no decorrer do dia. Sendo assim, o planejamento é a forma do professororganizar uma ação, um pensamento, uma intencionalidade, traçando caminhospara alcançar os objetivos propostos. Sobre isso Vasconcellos (2000, p. 35) nos diz que “Planejar é anteciparmentalmente uma ação a ser realizada e agir de acordo com o previsto; é buscarfazer algo incrível, essencialmente humano: o real ser comandado pelo ideal”. Libâneo (1993, p. 221) manifesta sua contribuição dizendo que “Oplanejamento é uma tarefa docente que inclui tanto a previsão das atividadesdidáticas em termos da sua organização e coordenação em face de objetivospropostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de ensino”. Sendo assim, percebe-se a necessidade de que os professores revisem as
    • atividades que planejaram e realizaram, refletindo se estas foram adequadas aointeresse e à necessidade dos alunos, porque Vasconcellos (2000, p. 80) acrescenta“O planejamento é o processo contínuo e dinâmico de reflexão, de tomada dedecisão, colocação em prática e de acompanhamento”. O RCNEI (Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil) explicitaos seguintes princípios sobre o que seria o planejamento de um trabalho dequalidade:• respeito à dignidade e aos direitos das crianças, consideradas nas suas diferençasindividuais, sociais, econômicas, culturais, étnicas, religiosas etc.;• direito das crianças a brincar, como forma particular de expressão, pensamento,interação e comunicação infantil;• acesso das crianças aos bens socioculturais disponíveis, ampliando odesenvolvimento das capacidades relativas à expressão, à comunicação, àinteração social, ao pensamento, à ética e à estética;• a socialização das crianças por meio de sua participação e inserção nas maisdiversificadas práticas sociais, sem discriminação de espécie alguma;• atendimento aos cuidados essenciais associados à sobrevivência e aodesenvolvimento de sua identidade. (Brasil, 1998, v. 1, p.13) Para que a criança possa participar ativamente desse processo, o trabalhopedagógico na Educação Infantil deve proporcionar-lhe situações em que ela possavivenciar as mais diversas experiências, fazer escolhas, tomar decisões, socializarconquistas e descobertas. Vale ressaltar que não se trata de um trabalho semorganização, onde o educador e os demais adultos oferecem às crianças atividadessem objetividade e só observam e esperam o desenvolvimento dos pequeninos.Trata-se de uma organização do trabalho pedagógico em que o pessoal do apoio, oeducador e as crianças têm papéis ativos. Considerando que o planejamento deve ser uma atitude crítica do educadordiante do seu trabalho docente, este permitirá que ele repense, revise e busquenovos significados para sua prática pedagógica, pois ele precisa ter a clareza dasproposições, princípios e intencionalidades constantes no Projeto-políticopedagógico da escola. Por isso, cabe ao educador pesquisar e conhecer odesenvolvimento infantil, a fim de poder organizar atividades onde a criança possaexperimentar situações das mais diversas, e que garantam uma participação comcriatividade e prazer em cada uma das etapas de sua vida escolar.
    • O ato de planejar requer habilidade para prever uma ação que se realizaráposteriormente. Para isso, é importante o professor ter uma previsão de todos osmeios e recursos necessários nas diferentes etapas do planejamento, do seudesenvolvimento e da sua efetiva execução, para que possa alcançar os objetivosdesejados. É importante ressaltar que planejar é pensar sobre aquilo que existe e sobre oque se quer alcançar. O ato de planejar deve submeter-se a uma constanteavaliação criteriosa durante todo o processo educacional, de forma que possibilite aobservação da concordância ou discordância entre os elementos que o constituem.Sendo assim, pode-se encarar o planejamento como um processo de prevernecessidades, pois o conhecimento da realidade auxilia o professor a estabelecer,com mais precisão, quais as mais importantes urgências e necessidades que devemser enfocadas, analisadas e estudadas durante o ato de planejar. De acordo com Luciana Esmeralda Ostetto, (2002, p. 175), “Tanto crechesquanto pré-escolas, como instituições educativas, têm uma responsabilidade paracom as crianças pequenas, seu desenvolvimento e sua aprendizagem, o que requerum trabalho intencional e de qualidade”. Portanto, o planejamento deve possibilitarum trabalho mais significativo e transformador na sala de aula, na escola e nasociedade. O plano de aula é o produto deste processo de reflexão e decisão. Não deveser feito por uma exigência burocrática, mas sim corresponder a um projeto decompromisso do professor educador. Sobre isso, Vasconcellos nos diz “A finalidadedo plano é criar e organizar o trabalho. Para tanto, deve ser objetivo, verdadeiro,crítico e comprometido” (1995, p. 60). Consta na LDB n. 9394-96 no art. 13, Inciso V, que são funções do professor“ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participarintegralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e aodesenvolvimento profissional”. Percebe-se, portanto que, em lei, o planejamento éuma das funções do professor. De acordo com a Professora Marilene Lima (Psicóloga - CRP n.º 06/68588,Mestre em Educação: História, Política, Sociedade) “Planejar é uma questão deautoria: é a possibilidade do professor escrever e ser autor de seu conhecimento, deseu pensamento, de sua história, da história de seus alunos e de seu destino deaprendiz e ensinante”.
    • A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996, além de ratificaro contido na Constituição e no ECA quanto à obrigatoriedade de oferecimento deeducação infantil em creches e pré-escolas por parte do Estado (art. 4 o, inciso IV),em seu artigo 29, define como finalidade da educação infantil "o desenvolvimentointegral da criança até 6 anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico,intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade". Alémdisso, no artigo 31 afirma que “a avaliação nessa etapa da educação far-se-ámediante acompanhamento e registro de seu desenvolvimento, sem o objetivo depromoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental." Tudo isso demonstrapreocupação com a questão ao propor como objetivo o desenvolvimento integral dacriança e uma avaliação de caráter mais qualitativo. Através da observação direta feita em sala de aula e no planejamento daprofessora regente da turma, na Escola Municipal de Educação Infantil PequenoPríncipe, onde foram realizadas todas as etapas do estágio supervisionado,concluiu-se que as crianças são encaminhadas no processo educacional por meiode planejamentos coletivos realizados em encontros pedagógicos especiais paraesse tipo de atividade. Trabalha-se um tema durante a semana e as atividadescontemplam a interdisciplinaridade por meio de projetos que vão de encontro com arealidade do município. Assim, o planejamento é baseado nos aspectos dedesenvolvimento psicomotor, afetivo, cognitivo e social, observando a criança comoum todo e considerando o contexto histórico e social onde ela se encontra inserida. A professora responsável disse que “esse tipo de planejamento pedagógicovisa o desenvolvimento integral e a construção da autonomia infantil”. Por estarazão, optou-se por projetos de trabalho que possibilitam, ao professor e àscrianças, um papel ativo na construção do conhecimento e na melhoria da qualidadede vida, já que o planejamento abrange também os temas transversais, que sãoessenciais na preparação do ser humano para a vida futura. Entretanto, de acordo com especialistas e experiências já realizadas naeducação infantil, é necessário que os profissionais dessa área considerem que odesenvolvimento de cada criança se dá em ritmos diversos, de acordo com a históriade vida delas e com as possibilidades oferecidas pelo seu meio ambiente. Asvariações nesse ritmo de aprendizagem não podem ser vistas como "atrasos" ou"deficiências". Sendo assim, a avaliação da aprendizagem não deve apenasidentificar tais problemas, mas apontar soluções, caminhos e possibilidades de
    • atuação pedagógica, para que a criança possa vir a superá-los, com o auxílio doseducadores. Essa postura avaliativa mediadora leva a refletir que cada momento da vidada criança representa uma etapa altamente significativa, e ainda precede as suaspróximas conquistas. Por isso, o professor deve buscar estratégias deacompanhamento da história que cada criança vai constituindo ao longo de suadescoberta do mundo. Isto significa que não é esperado que a criança reproduza osconhecimentos que o professor transmitiu, pois ele é o mediador do conhecimentoque surge da relação que a criança estabelece com as outras crianças, com osadultos e com o meio ambiente e a cultura. Quanto aos relatórios de avaliação observados na escola citadaanteriormente, percebeu-se que são elaborados de maneira que registram a históriado processo de construção do conhecimento e também apontam sugestões epossibilidades de ação educativa para pais, educadores e para a própria criança,sob a forma de atividades a serem oportunizadas, materiais a serem oferecidos,jogos, novas alternativas pedagógicas e de relacionamento. Este deve ser o objetivo fundamental de qualquer ação educativa voltada paraas crianças pequenas. A organização do trabalho pedagógico visa alcançar estesobjetivos, respeitando a criança em seu ritmo de desenvolvimento, suas expressões,sua linguagem, também suas idéias, desejos e expectativas, ampliando cada vezmais este mundo infantil.4. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este trabalho propiciou informações sobre a importância do planejamento emeducação infantil, as novas alternativas de conteúdos significativos ocorrida nocenário educacional, o planejamento de atividades, a pedagogia de projetos e aestruturação de um planejamento adequado, a partir do relato da experiênciaobservada numa escola de Educação Infantil durante as etapas do EstágioSupervisionado. Durante a observação e o desenvolvimento desse trabalho, percebeu-se oentusiasmo e a participação efetiva das crianças. Apesar da pouca idade, osobjetivos propostos no planejamento pedagógico estão sendo alcançados pelamaioria delas, iniciando-se assim um senso de responsabilidade para com as coisas
    • naturais, com o próprio corpo, e com a realidade e o contexto social em que estãoinseridas. Os familiares são incentivados a se envolver em todo o processoeducacional, construindo a consciência de que este é o mundo real de que dispõempara viver e que o cuidado de todos é primordial para uma convivência harmoniosa esaudável. Para que as crianças de todas as idades, especialmente as que participam daEducação Infantil, sejam bem atendidas, o professor deve planejar as atividades eempenhar-se ao máximo para tornar a vida de seus alunos agradável, motivadora,estimulante e significativa do ponto de vista educativo. Para isso, ele deve buscarinformações de especialistas e repensar constantemente a sua própria experiênciaprofissional. A criatividade, os recursos presentes no ambiente dentro dos limitesorganizacionais de cada escola, o planejamento coletivo, a elaboração de atividadespor meio de projetos, os espaços disponíveis, os materiais e equipamentos, tambémsão fundamentais no planejamento pedagógico na Educação Infantil. Sendo assim,percebe-se que quando o professor explora bem os espaços e materiaisdisponibilizados pela escola, ele faz com que o tempo que a criança passe namesma se torne mais agradável, descontraído, estimulante, o que proporciona àcriança aprendizagens muito mais significativas. Os educadores devem tomar consciência da importância da busca doconhecimento, da qualificação e de sua formação profissional, além de tomarconsciência do papel de ser educador infantil, pois a criança requer um trabalhointencional e de qualidade, onde cuidar e educar são funções inseparáveis. Nocotidiano, o professor precisa estar inserido num amplo processo de interação, ondeo ensino e a aprendizagem exigem a sua capacidade de planejar e decidir.5. REFERÊNCIASBRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília:MEC,1998. Disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume2.pdf.Acessado em 10 de outubro de 2010.______. Lei n. 9.394/96, de 20 de Dezembro de 1996 - Estabelece as diretrizes ebases da educação nacional. Disponível no site:http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/lei9394. Acessado em 10 de outubro de 2010.
    • LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Coleção magistério – 2º grau. Série formaçãodo professor. São Paulo: Cortez, 1993.LIMA, Marilene. Conteúdos escolares em classes de Educação Infantil - asquestões: conceitual, procedimental e atitudinal. Disponível no site:http://www.pedagobrasil.com.br/formasp.asp. Acessado em 04 de outubro de 2010.OSTETTO, Luciana Esmeralda. Encontros e encantamentos na educaçãoinfantil: partilhando experiências de estágio. Campinas, Papirus, 2002.OSTETTO, Luciana Esmeralda. Planejamento na educação infantil, mais que aatividade: a criança em foco. Disponível no site:www.komarca.com.br/diariodacreche/planejamento. Acessado em 01 de junho de2010.VASCONCELLOS, C. dos S. Planejamento: plano de ensino-aprendizagem eprojeto educativo. São Paulo, Libertad, 1995.VASCONCELLOS, C. dos S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem eprojeto político-pedagógico. São Paulo, Libertad, 2000.