A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

on

  • 125,664 views

 

Statistics

Views

Total Views
125,664
Views on SlideShare
125,482
Embed Views
182

Actions

Likes
17
Downloads
1,146
Comments
7

9 Embeds 182

https://cursosrapidosonline.com.br 60
https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 50
https://www.cursosonlinecursos.com.br 28
http://www.slideshare.net 17
http://mtpcefapro.blogspot.com 10
https://cesbonline.com.br 8
url_unknown 4
http://mtpcefa 3
http://mtpcefapro.blogspot.com.br 2
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

15 of 7 Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Document Transcript

  • 1. A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Genessi de Fátima Pasquali (E-mail – geneoasquali@hotmail.com) Claucimera Curmelatto Lovison (E.mail.mera_lovison@hotmail.com) Rosemeri Lazaretti Bastos Machado (E.mail- rose_lazareti@hotmail.com) ) RESUMOO artigo apresenta uma abordagem sobre a importância dos jogos e brincadeiras na educaçãoinfantil, cuja pesquisa tem objetivo de compreender a importância dos jogos e brincadeirasenquanto opção metodológica no processo de aquisição do conhecimento na Educação Infantil,como também, fazer uma análise reflexiva para entender se realmente os jogos e brincadeiraspodem contribuir no processo ensino/aprendizagem, identificar a história dos jogos para quepudéssemos compreender melhor como chegamos aos conhecimentos atuais. A questão quenorteia o presente trabalho constui-se assim: Será que podemos afirmar que os jogos ebrincadeiras contribuem para que ocorra uma efetiva aprendizagem na educação infantil? Afinalidade deste estudo é enfatizar a importância dos educadores de terem em mente os objetivose os fins dos jogos desenvolvidos, e mais, precisam saber observar as condutas dos educandospara então diagnosticar, avaliar e elaborar estratégias de trabalho; identificando desta forma, asdificuldades e os avanços dos educandos. Este estudo está fundamentado nas pesquisasbibliográficas com autores que abordam a importância dos jogos e brincadeiras em sala de aula ea interação entre os sujeitos envolvidos nesse processo. Como metodologia, primeiramentebuscamos suporte teórico para em seguida trabalharmos os jogos e brincadeiras em sala de aulapara que pudessemos analisar o desempenho dos educandos. Os resultados, depois das análisesfeitas mostram que os educadores estão cientes que os jogos e brincadeiras contribuem para oprocesso de ensino/aprendizagem, que auxilia a evolução da criança, utiliza a análise, aobservação, a atenção, a imaginação, o vocabulário, a linguagem e outras capacidades próprias doser humano. Podemos, então, definir os jogos como experiências e liberdade de criação nas quaisas crianças expressam suas emoções, sensações e pensamentos sobre o mundo e também umespaço de interação consigo e com os outros.PALAVRAS–CHAVE: jogos, brincadeiras, aprendizagem e desenvolvimento.
  • 2. INTRODUÇÃO Neste artigo temos por objetivos compreender o uso dos jogos e brincadeiras na educaçãoinfantil e fazer uma análise reflexiva para entender se realmente os jogos e brincadeiras lúdicasna educação infantil são subsídios eficazes para a construção do conhecimento, como também,desenvolver estudos sobre situações de jogos e brincadeiras que proporcionem às crianças asestimulações necessárias para sua aprendizagem. Este texto inicia-se com a história dos jogos e brincadeiras que passou a ser consideradauma atividade que favorece o desenvolvimento da inteligência e a facilidade para o estudo. Os jogos e brincadeiras na educação infantil são de suma importância para odesenvolvimento da criança no ensino/aprendizagem, uma vez que as crianças desenvolvem oraciocínio e constroem o seu conhecimento de forma descontraída. Ao trabalhar com jogos e brincadeiras, é necessário que haja uma infinidade de meios aserem oferecidos para que a criança possa desenvolver sua capacidade de criar e aprender. Éimportante também que o professor conheça os objetivos do jogo, domine as técnicas, o vivência,discuta de forma crítica a possibilidade de utilizá-lo em suas aulas. Além de se apresentar como espaço para contemplar o raciocínio e a construção doconhecimento pelos alunos, os jogos e as brincadeiras podem ser para o professor, um espaçoprivilegiado de observação de seus alunos. A presente pesquisa foi desenvolvida através de revisão bibliográfica, onde a mesma foirealizada através de leitura sistemática, com fichamento de cada obra, ressaltando os pontosabordados pelos autores pertinentes ao assunto em questão. A pesquisa de campo foidesenvolvida com 25 alunos da Pré-Escola da Escola Municipal de Educação Infantil “PequenoPríncipe”, com a faixa etária de 4 (quatro) anos, onde trabalhamos diversas brincadeiras com osalunos envolvidos.1 VISÃO HISTÓRICA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS Para que possamos compreender o uso de jogos e brincadeiras, precisamos fazer umaretrospectiva histórica, tendo por base estudos bibliográficos, para entendermos a importância dosjogos e brincadeiras desde os séculos passados.
  • 3. Desde tempos remotos, o jogo fazia parte da cultura de um povo. A cultura era educação ea educação representava sobrevivência. O jogo reflete aspectos da sociedade na qual ele surgiu.Entre os gregos, por exemplo, os jogos estão relacionados ao caráter físico, às artes e à lógica,que são elementos marcantes em sua sociedade. Segundo Platão (séc. III), que já dava ao esporteo seu devido valor na formação do caráter e da personalidade, os primeiros anos da criançadeveriam ser ocupados com jogos educativos. Já entre os egípcios, romanos e maias, os jogos ebrincadeiras serviam de meio para a geração jovem aprender com os mais velhos valores econhecimentos, como também normas e padrões da vida social. De acordo com Kishimoto (1992), que faz um apanhado histórico do uso de jogos nocontexto social, o jogo veio ganhar um valor crescente na década de 60, com o aparecimento demuseus, com concepções mais dinâmicas, onde nesses espaços as crianças podiam tocar emanipular brinquedos. Este processo de valorização do jogo chegou ao Brasil no início da décadade 80, com o aumento da produção científica a respeito dos jogos e o aparecimento das“brinquedotecas”.2 OS JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM A prática dos jogos e brincadeiras favorece a intencionalidade do trabalho pedagógico e oenriquecimento dos conteúdos a serem desenvolvidos, nessa situação é importante que o adultoesteja sempre incentivado as atitudes das crianças à medida que lhe é solicitado. Para Kishimoto, o uso do brinquedo/jogo educativo com fins pedagógicos é importanteinstrumento para situações de ensino-aprendizagem e de desenvolvimento infantil. A autoralimita as funções educativas apenas aos brinquedos educativos, principalmente quando osclassifica de acordo com as habilidades que desenvolve nas crianças, citando como relevanteapenas o uso dos mesmos nas tarefas de ensino-aprendizagem e quando considera que adimensão educativa surge apenas no instante em que as situações lúdicas são intencionalmentecriadas pelo adulto com vistas a estimular certos tipos de aprendizagem. Segundo Aranão, A criança, portanto, tem de explorar o mundo que a cerca e tirar dele informações que lhe são necessárias. Nesse processo, o professor deve agir como interventor e proporcionar-lhe o maior número possível de atividades, materiais e oportunidades de situações para que suas experiências sejam enriquecedoras, contribuindo para a construção de seu conhecimento. Sua interação com o meio se faz por intermédio de
  • 4. brincadeiras e jogos, da manipulação de diferentes materiais, utilizando os próprios sentidos na descoberta gradual do mundo (ARANÃO, 2004, p. 16). Os jogos e as brincadeiras permitem ao professor explorar estes momentos de prazer eimaginação junto às crianças, seja atividades diárias desenvolvendo as capacidades de raciocínio,bem como o desenvolvimento físico, afetivo e cognitivo das mesmas. O professor precisa estar atento quando oportunizar um jogo, para direcionar a atividade,respeitando o tempo de cada criança na construção dos conceitos e os objetivos que deseja atingirdurante esta atividade. Uma das formas que podem ser utilizadas pelo professor é usar o cotidiano das crianças, arealidade na qual vivem, associando-os com as diferentes culturas, pois elas precisam deconteúdos que lhe sejam significativos. É fundamental que haja motivação por parte do educadorpara que o mesmo possa despertar, na criança à vontade em participar, criar, desenvolver econstruir, buscando, assim a construção do conhecimento. Segundo o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (BRASIL,1998, p.21): Brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e da autonomia. O fato de a criança, desde muito cedo, poder se comunicar por meio de gestos, sons e mais tarde representar determinado papel na brincadeira faz com que ela desenvolva sua imaginação. Nas brincadeiras, as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como a atenção, a imitação, a memória, a imaginação, Amadurecem também algumas capacidades de socialização, por meio da interação e da utilização e experimentação de regras e papéis sociais. Faz-se necessário envolver os jogos e as brincadeiras nas práticas pedagógicas de sala daaula, não apenas com vistas ao desenvolvimento da ludicidade, mas sim, como meio dedesenvolver e aprimorar o raciocínio lógico, social e cognitivo de maneira prazerosa para acriança. Segundo SILVA, Ensinar por meio de jogos é um caminho para o educador desenvolver aulas mais interessantes, descontraídas e dinâmicas, podendo competir em igualdade de condições com os inúmeros recursos a que o aluno tem acesso fora da escola, despertando ou estimulando sua vontade de freqüentar com assiduidade a sala de aula e incentivando seu envolvimento no processo ensino e aprendizagem, já que aprende e se diverte, simultaneamente. (SILVA 2004, p. 26),
  • 5. O brincar e o jogar são atos indispensáveis à saúde física, emocional e intelectual esempre estiveram presentes em qualquer povo desde os mais remotos tempos. Através deles, ascrianças desenvolvem a linguagem, o pensamento, a socialização, a iniciativa e a autoestima,preparando–se para ser um cidadão capaz de enfrentar desafios e participar na construção de ummundo melhor. Para KISHIMOTO (2004, p. 43), A utilização do jogo potencializa a exploração e a construção do conhecimento, por conta com a motivação interna, típica do lúdico, mas o trabalho pedagógico requer a oferta de estímulos externos e a influencia de parceiros bem como a sistematização de conceitos em outras situações que não jogos. Ao utilizar, de modo, metafórico, a forma lúdica (objeto suporte de brincadeira) para estimular a construção do conhecimento, o brinquedo educativo conquistou um espaço definitivo na educação infantil. O brincar é mais do que uma distração, é uma linguagem na qual a criança revela umaforma de pensamento. Através da brincadeira a criança situa-se no espaço em que vive, constrói aidéia de si e do outro, experimenta, fala, age, interpreta, interage, enfim, desenvolve habilidadesessenciais para uma melhor compreensão do mundo. O trabalho lúdico contribui na formação de cidadãos conscientes e éticos, preparados paraenfrentar os desafios da vida, cientes de sua responsabilidade, priorizando o bom senso erespeitando seus limites, o que reflete na boa convivência e no bom relacionamento. PULAR CORDA A brincadeira de pular corda, tão popular no Brasil, propõe às crianças uma pesquisacorporal intensa, tanto em relação às diferentes qualidades de movimento que sugere (rápidos oulentos; pesados ou leves) como também em relação à percepção espaço-temporal, já que para“entrar” na corda, as crianças devem sentir o ritmo de suas batidas no chão para perceber omomento certo. A corda também pode ser utilizada em outras brincadeiras desafiadoras.(Figura 1) DANÇA DAS CADEIRAS A dança das cadeiras contém regras tradicionais, colocando sempre um participante amais que uma cadeira, ao começar a música todos andam em volta das cadeiras, ao parar a
  • 6. música os mais espertos sentam, eliminando sempre aquele que ficar em pé, até sobrar somente ovencedor, esta brincadeira ajuda na coordenação auditiva, na competição, desenvolvendo aatenção e a noção espacial e matemática. (Figura 2) PULAR DE UM PÉ SÓ A corrida com um só pé é uma brincadeira onde as crianças realizam movimentos de ida evolta enfrentado desafios diversos no percurso, estimulando a concentração e a situação do pontode vista do outro, desenvolvendo a coordenação, enriquecendo o ritmo, a atenção e acompreensão de regras.(Figura 3) CORRE LENÇO Esta brincadeira é ótima não tem número limitado, todos podem participar, ajudadesenvolver a criatividade, malícia... Na área cognitiva desenvolve organização do grupo,integração entre os mesmos. Na área afetiva desenvolve atenção, rapidez, controle emocional,cooperação e espírito competitivo.Figura 43 ANÁLISE DA PESQUISA DE CAMPO Para confrontar o embasamento teórico adquirido através da pesquisa bibliográfica, foirealizada uma pesquisa de campo com jogos e brincadeiras envolvendo 25 alunos da EscolaMunicipal de Educação Infantil “Pequeno Príncipe”, no município de Nova Guarita-MT, com afaixa etária de 4 (quatro) anos, A pesquisa de campo contribuiu muito no desenvolvimento doconhecimento dos alunos no seu cotidiano, as brincadeiras e jogos possibilitaram a transferênciade ideias contribuindo no processo cognitivo, político e social motivando-os no aspectoemocional, despertando então a iniciativa de agilidade e confiança, tornando-os grandesdesafiadores e vencedores de dificuldades. Segundo Porto, A brincadeira pode ser um espaço de experiências bem original, onde o comportamento encontra-se dissociado e protegido de censuras correntemente encontradas na sociedade. Nesse sentido, a brincadeira é uma situação de frivolidade e flexibilidade. A criança pode tentar sem medo a confirmação do real. Algumas condutas de comportamento que,
  • 7. sob pressões funcionais, não seriam tentadas podem ser experimentadas na brincadeira. Nesse universo, a criança pode, sem riscos, inventar, criar, tentar (2003, p.182). Por meio do ato de brincar, à criança percebe o mundo, faz-de-conta, inverte papeis, cria erecria situações diversas. Brincar junto reforça os laços afetivos. Visto que, todas as crianças gostam de brincar comos pais, com a professora, com os avós e com os irmãos. A participação do adulto na brincadeira da criança eleva o nível de interesse, enriquece econtribui para o esclarecimento de dúvidas durante as brincadeiras. Ao mesmo tempo, a criançasente-se prestigiada e desafiada, descobrindo e vivendo experiências que tornam o brinquedo orecurso mais estimulante e mais rico em aprendizado. CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao final de nosso trabalho acreditamos ter conseguido alcançar os objetivos propostos,pois tivemos a oportunidade de aprofundar nossos conhecimentos sobre a importância dos jogos ebrincadeiras na educação infantil. Verificou-se que os jogos e brincadeiras proporcionam à criança a oportunidade derealizar as mais diversas experiências e preparar-se para atingir novas etapas em seudesenvolvimento. Cabe à escola estar atenta ao desenvolvimento e aprendizado do aluno cumprindo afunção integradora, dando oportunidade para a criança desenvolver seu papel na sociedade,contribuindo para um bom desenvolvimento de uma socialização adequada, através de atividadesem grupos, brincadeiras recreativas e jogos de forma que capacite o relacionamento e aparticipação ativa da mesma caracterizando em cada uma o sentimento de sentir-se um ser social. Resgatar e utilizar jogos e brincadeiras como um meio educacional é um avanço para aeducação: temos que tomar consciência, e ao mesmo tempo utilizar como instrumento curricular,descobrindo nele fonte de desenvolvimento e novos caminhos para a aprendizagem. Ao longo deste artigo foi possível destacar, portanto, a importância em propiciar ascrianças situações de jogos e brincadeiras para que se apropriem de forma lúdica deconhecimentos diversos. A educação infantil é o espaço onde a criança recebe estímulos e sedesenvolve nos diferentes aspectos, afetivo, motor, cognitivo, entre outros. Nesta perspectiva
  • 8. podemos destacar a importância do ensino infantil, como uma das etapas mais importante para odesenvolvimento integral da criança. REFERÊNCIASARANÃO, Ivana. D. A Matemática Através de Brincadeiras e Jogos. 5. ed. Campinas:Papirus, 2004.BRASIL,MEC. Referencial Curricular para a Educação Infantil. Volume 2. 1998,BRASILIAKISHIMOTO, citado por LUCENA, Ferreira De. Jogos e Brincadeiras na Educação Infanti.Campinas: Papirus, 2004.__________, Tizuko Morchida, Jogo, Brinquedo, brincadeira e a educação/ Tizuko M. Kishimoto(Org.); -9. ed.- São Paulo: Cortez, 2006.PORTO, C.L. Brinquedo e brincadeira na brinquedoteca. In KRAMER, S. Infância eprodução cultural. Campinas: Papirus, 2003____________, Tizuco M. O Brinquedo na Educação: Considerações Históricas. Revista Ideias,n (7), pp. 39-45. São Paulo. 1992.SILVA, Mônica. Jogos Educativos. Campinas: Papirus, 2004.
  • 9. ANEXOSFigura 1Figura 2 Figura 3
  • 10. Figura 4