Solos

63,855 views
63,400 views

Published on

Aula de geografia 2º bimestre de 2008

Published in: Travel, Technology
2 Comments
14 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
63,855
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1,599
Comments
2
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Solos

  1. 1. ORIGEM E TIPOS DE SOLO Professora Virgínia
  2. 2. A PEDOGÊNESE <ul><li>É O PROCESSO DE FORMAÇÃO DO SOLO E COMO TAL ENGLOBA TODOS OS MECANISMOS QUE TRANSFORMAM UMA ROCHA ALTERADA EM SOLO, UM MATERIAL MAIS EVOLUÍDO DO PONTO DE VISTA ESTRUTURAL. </li></ul>
  3. 3. OS CONCEITOS <ul><li>PEDOLOGIA: </li></ul><ul><ul><li>Material natural constituído de camadas ou horizontes de compostos minerais e ou orgânicos </li></ul></ul><ul><li>EDAFOLOGIA: </li></ul><ul><ul><li>Material terroso capaz de fornecer nutriente para as plantas </li></ul></ul><ul><li>ENGENHARIA CIVIL: </li></ul><ul><ul><li>Material terroso de fácil desagregação pelo manuseio ou ação da água </li></ul></ul><ul><li>GEOLOGIA DE ENGENHARIA: </li></ul><ul><ul><li>Material terroso resultante dos processos de intemperismo e transporte, escavável com lâmina </li></ul></ul>
  4. 4. OUTROS CONCEITOS <ul><li>CONCEITO AMPLO: </li></ul><ul><ul><li>Solo é todo material terroso </li></ul></ul><ul><li>RESTRITO: </li></ul><ul><ul><li>Solo é somente o solo residual, diferente de aluviões e coluviões </li></ul></ul><ul><li>USO DO SOLO: </li></ul><ul><ul><li>É a destinação dada à superfície do terreno </li></ul></ul><ul><li>CAMADA DE SOLO: </li></ul><ul><ul><li>Horizonte com material de propriedades semelhantes </li></ul></ul>
  5. 6. PROCESSOS GEOLÓGICOS DE FORMAÇÃO DOS SOLOS <ul><li>PROCESSOS DE INTEMPERISMO </li></ul><ul><ul><ul><li>Físico Químico Biológico </li></ul></ul></ul><ul><li>PROCESSOS DE EROSÃO, TRANSPORTE E SEDIMENTAÇÃO </li></ul><ul><ul><ul><li>Fluvial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pluvial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Marinho </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Eólico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Gravitacional </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Glacial </li></ul></ul></ul>
  6. 7. ETAPAS DE FORMAÇÃO DO SOLO
  7. 8. O INTEMPERISMO E A FORMAÇÃO DOS SOLOS <ul><li>Enquanto que o intemperismo envolve sobretudo mudanças químicas e mineralógicas, a pedogênese envolve basicamente uma reorganização estrutural do material já intemperizado, com grande participação dos organismos e das substâncias por eles geradas. </li></ul>
  8. 9. TIPOS DE SOLOS <ul><li>RESIDUAIS: </li></ul><ul><ul><li>Provenientes da decomposição e degradação de rocha subjacente. Também chamados de “in situ”. </li></ul></ul><ul><li>TRANSPORTADOS: </li></ul><ul><ul><li>Provenientes de erosão, transporte e deposição de solos pré existentes. </li></ul></ul>
  9. 11. SOLOS RESIDUAIS <ul><ul><li>São solos produzidos pela desagregação das rochas. Recebem o nome de residuais ou </li></ul></ul><ul><ul><li>“ in situ” por terem sido formados no mesmo local onde se encontram </li></ul></ul>
  10. 12. Exemplo de perfil de solo residual Porto Alegre
  11. 13. TIPOS DE SOLOS TRANSPORTADOS <ul><li>ALUVIÃO: é constituído por material erodido, retrabalhado e transportados pelos cursos d' água e depositados nos seus leitos e margens, ou ainda em fundos e margens de lagoas e lagos, sempre associados à ambientes fluviais. </li></ul><ul><li>COLUVIÃO: é constituído por depósitos de material solto, encontrados no sopé de encostas e que foram transportados pela ação da gravidade ou, simplesmente, material decomposto, transportado por gravidade. </li></ul><ul><li>TÁLUS: é formado pelo mesmo processo de transporte por gravidade, em encostas, que produz os coluviões, diferenciando-se pela presença ou predominância de blocos de rocha, resultando em solos pouco espessos na fonte, o que restringe a ocorrência de tálus ao sopé de encostas de forte declividade ou, então, ao pé de escarpas rochosas </li></ul>
  12. 16. EROSÃO POR ÁGUA
  13. 17. EROSÃO ANTRÓPICA <ul><li>Aceleramento da erosão nas camadas superiores do solo em conseqüência de desflorestamentos, construção de estradas etc. </li></ul>
  14. 19. VOSSOROCAS
  15. 20. As enxurradas acontecem quando a quantidade das águas dos rios se elevam muito. O desmatamento influencia essa ação. Mata virgem: absorve 180 mm d’agua/hora Área que tenha mais de 20 anos de cultivo de soja/milho: 8 mm d’agua/hora
  16. 22. OS TIPOS DE SOLOS
  17. 23. OS SOLOS DO DISTRITO FEDERAL <ul><li>No DF ocorrem características de região de clima tropical e úmido (solos zonais) e típicos de vegetação de florestas e cerrados. Possuem cor vermelho-alaranjada ou amarelada, são geologicamente envelhecidos, apresentam grande espessura, quer dizer, muito profundo, os horizontes são pouco diferenciados e pobres em nutrientes. São marcados pela baixa fertilidade natural.. </li></ul>
  18. 24. <ul><li>Uma característica marcante nesse tipo de solo é a presença de aqüíferos, imensos mananciais subterrâneos de água, também conhecidos como lençóis freáticos, que servem como fonte de abastecimentos de água às plantas no decorrer do período crítico. </li></ul>
  19. 25. O CERRADO <ul><li>O DF encontra-se encravado no núcleo do cerrado. </li></ul>
  20. 26. <ul><li>Latossolos : são os solos predominantes no Brasil e, em geral, apresentam relevo suave, grande profundidade, alta permeabilidade </li></ul><ul><li>Dentro da classificação de latossolos, ainda existe uma subdivisão, ou seja, eles podem ser classificados de acordo com sua coloração, a qual reflete maior ou menor riqueza em óxidos de ferro. Assim, predominam no Brasil os seguintes latossolos: Latossolo Roxo, Latossolo Bruno, Latossolo Vermelho-Escuro, Latossolo Vermelho Amarelo e, Latossolo Amarelo. </li></ul>
  21. 27. O Latossolo Roxo é um solo argiloso muito profundo, muito poroso e vermelho escuro. Armazena muita água disponível para as plantas. Ocorrência: Ribeirão Preto - SP
  22. 28. <ul><li>TERRA ROXA: este solo é encontrado no planalto meridional brasileiro e tem sua formação originada na Era Mesozóica, a partir do derramamento de lava vulcânica na crosta terrestre, o que ocorreu através da abertura de fendas. Essa lava, ao ser resfriada instantaneamente, deu origem às rochas BASÁLTICAS e DIABÁSIAS. Este acontecimento é chamado nos vestibulares de “Derrame de Trapp” . A terra roxa é muito fértil e, por isso, extremamente importante para a agricultura. No Brasil, cultiva-se a cana-de-açúcar, a soja, o algodão e o café neste tipo de solo. </li></ul>Paraná
  23. 29. <ul><li>O Litólico é um solo muito raso, cinza escuro, com aproximadamente 30 cm de profundidade, assentado diretamente sobre o basalto íntegro/consolidado ou o parcialmente decomposto. Ele armazena pouca água disponível para as plantas. </li></ul><ul><li>Ocorrência – São Bento - SP </li></ul>
  24. 30. <ul><ul><li>Hidromórficos: são desenvolvidos em condições de excesso d’água, ou seja, sob influência de lençol freático. Estes solos apresentam a cor cinza em virtude da presença de ferro reduzido, ou ausência de ferro trivalente </li></ul></ul><ul><ul><li>Ocorrência: Manguezal de São Gonçalo - RJ </li></ul></ul>
  25. 31. <ul><li>TCHERNOZION: trata-se de um solo altamente sedimentado e negro. É bastante fértil e encontrado, principalmente, nas planícies européias, próximas da Ucrânia. Sua principal importância é a agricultura. </li></ul>
  26. 32. OBRIGADA! Professora Virgínia geografia

×