Your SlideShare is downloading. ×
0
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Croda: Mercado, Tendências e Desafios 2012

1,627

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,627
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. II SEMINÁRIO TÉCNICO CROP CARE AMÉRICA LATINA 13 e 14 de Março de 2012 Defensivos Agrícolas no Brasil MERCADO, TENDÊNCIAS e DESAFIOS“Alimentar o mundo tem sido possível devido à tecnologia agrícola”. Dr. Norman Borlaug , ‘Pai da Revolução Verde’; Ganhador do Prêmio Nobel da Paz. MENTEN, J.O.M. CALAÇA, H. A.
  • 2. Importância do Agronegócio Ranking das Maiores Economias do Mundo em 2011 16 15,06 14 12 10 8 6,99 6 5,85 4 3,63 2 2,81 2,52 0 2,48 Fonte: EXAME, Janeiro de 2012
  • 3. Importância do Agronegócio Brasil 100 90 Participação do 28% 37% 36% Agronegócio 80 70 60 50 40 30 20 10 0 PIB Mão-de-obra Exportações empregada Fonte: EXAME, Janeiro de 2012
  • 4. Importância do Agronegócio Exportações Brasileira e do Agronegócio, 2007/ 2011 (US$ bilhão) Item 2007 2008 2009 2010 2011 A. Exportações Totais 160,649 197,942 152,994 201,915 256,040 B. Exportações do 58,414 69,317 63,116 75,542 92,483 Agronegócio C. Diferença 102,235 128,625 89,878 126,673 163,557 D. Participação B/A 36,40% 35,02% 41,25% 36,92% 36,12% Fonte: CONAB/MAPA, Jan. 2012
  • 5. Importância do Agronegócio Participação do Brasil no Comércio Mundial de Alimentos (em %)¹ Produto: 2009 - 2010 Açúcar 46,5 % Café verde em grão 27,2 % Soja em grão 30,2 % Farelo de soja 22,1 % Óleo de soja 21,1 % Milho 10,1 % Carne bovina 25,0 % Carne de porco 12,4 % Carne de frango 41,4 %(1) Obtida pela relação entre as exportações brasileiras e as exportações mundiais.Fonte: Usda (2010) e AGE – Mapa (Brasil, 2010)
  • 6. Desafios do Agronegócio Brasileiro
  • 7. Produção X Consumo no MundoProdução mundial de grãos
  • 8. Perspectivas futuras População Mundial Energia Alternativa  Aumento da demanda de  Aumento da demanda por  energia e alimento energia renovável e  Decréscimo na renda biocombustíveis  per capita da terra Consumo Mudanças Climáticas  Aumento do consumo de  Perdas na produção alimentos e culturas para o devida a condições suprimento climáticas adversas  Decréscimo nos estoques  Necessidade de diminuir de uso a emissão de gases
  • 9. Crescimento da ProduçãoCrescimento necessáriona produção de grãos até 2020 3,4 bilhões de toneladas 3 2,7 2,4 2,1 2,7 1,9 2,5 2,2 2,3 1,9 2 1995 2000 2005 2010 2015 2020 Produção necessária: +2,4% ao ano Produção estimada: +1,5% ao ano
  • 10. Crescimento do Consumo (1)Índice per capita de consumo de alimentos por região geográfica 2000 -10FONTE: FAO: World food and agriculture in review 2010 -2011.
  • 11. Crescimento do Consumo (2)Índice de produção de alimentos por região geográfica 2000 -10FONTE: FAO: World food and agriculture in review 2010 -2011.
  • 12. Energia Renovável  Biocombustíveis Área de cultivo de culturas destinadas a produção de biocombustíveis (milhões de ha) 90 80 70 (Milhões de ha) 60 + 54 mi 50 40 30 20 10 0 2008 2014
  • 13. Energia Renovável  Cogeração de Energia a partir de Biomassa * Até 2020 a produção de energia a partir do bagaço de cana pode atingir níveis comparáveis aos da Hidroelétrica de Itaipu (85.970.318 MW-h). Fonte: BASF: Um Planeta Faminto e a Agricultura
  • 14. Áreas agricultáveis x agricultadas
  • 15. Mudanças ClimáticasFATORES RESULTANTES DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS QUE IMPACTAM A PRODUÇÃO AGRÍCOLA  Mudanças na aptidão das terras para diferentes  Mudanças na istribuição de água de boa tipos de culturas e pastagens; qualidade criação de gado, aves e peixes e para culturas agrícolas;  Redução da sanidade e produtividade das florestas;  Perda de terra arável devido à aridez e aumento associado da salinidade;  Alteração da incidência e tipos de pragas e vetores de doenças;  Esgotamento dos lençóis freáticos e o aumento do nível do mar;  Perda de biodiversidade e redução de fontes para o melhoramento genético; Suprimento e demanda dos alimentos Preço dos alimentos Crescimento econômico (PIB, exportações, consumo interno)
  • 16. Pragas Agrícolas Agroecossistema --> simplifica o meio ... ...que já teve diversidade -Insetos Controle -Plantas Manejo -Fungos Convivência Monitoramento
  • 17. Pragas Agrícolas As culturas alimentares competem com: • 100.000 espécies de fungos fitopatogênicos • 30.000 espécies de plantas daninhas • 10.000 espécies de insetos herbívoros. • 15.000 espécies de nematóides fitófagos Danos de 40%
  • 18. Pragas Agrícolas  Clima Tropical implica em: EXEMPLOS Maior diversidade PRAGAS  SOJA: ferrugem Maior severidade  MILHO: lagarta-do-cartucho, manchas foliares Maiores  ALGODÃO: ramulose, manchas intervenções foliares, bicudo Medidas de controle MANEJO mais intensas Uso de defensivos agrícolas
  • 19. IMPORTÂNCIA DAS PRAGAS DANOS Países de clima Países de clima temperado tropicalINSETOS 9% 38%DOENÇAS 14% 27%
  • 20. DANOS NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA MUNDIAL POR PRAGAS Danos reais, apesarDanos evitados com Produção sem da proteção deuso dos defensivos proteção do cultivo cultivosagrícolasPlantas daninhas Plantas daninhas16,4% 13,2%Insetos + Ácaros 30,3 Insetos + Ácaros7,1% 27,6 15,6%Doenças 42,14,2% Doenças 13,3%
  • 21. MÉTODOS DE CONTROLE DAS PRAGAS, DOENÇAS E PLANTAS INVASORAS Cultivares resistentes Evitar Introdução Cultivares tolerantes Erradicação Genético LegislativoRotação de culturasMaterial de Propagação SadioLocal e Época de Cultivo Defensivos Agrícolas Cultural Manejo Químico IntegradoCapinaEsmagamento de insetos Mecânico Biológico Parasitismo Físico Antibiose Tratamento térmico Radiações
  • 22. Mercado de Defensivos Agrícolas
  • 23. Importância Econômica do Manejo Químico de Pragas – Brasil 2011 R$ Bi BRASIL MUNDO PIB 2.520 (7º) 100.000 AGRONEGÓCIO 820 (20º) 25.500 10% Antes da Porteira 85 25% Dentro da Porteira 245 65% Depois da Porteira 520 PRODUÇÃO VEGETAL 193 (5º /CHINA: 960 Bi) 6.500 • Valor de Produção vegetal: R$ 193 Bi • Danos evitados pela proteção das culturas com defensivos agrícolas • Produção sem proteção: 30,3% ── 52,3% • Danos evitados: 27,6% ── 47,7% 57,9% ── 100% Se não estivessem sendo utilizados defensivos agrícolas a produção atual seria de 52,3% da obtida Valor da produção sem defensivos agrícolas: R$100,9 Bi
  • 24. Sustentabilidade Econômica da Agricultura Custo < Incremento obtido Tecnologia R$12,0 Bi – Produtos R$ 4,2 Bi – Aplicação (35% do produto) R$ 16,2 Bi R$ 92,1 BiBenefício Econômico pela Utilização de Defensivos Agrícolas = R$ 75,9 Bi
  • 25. Avanços e Tendências • Novos ingredientes ativos • Formulações (adjuvantes e aditivos) • Misturas e associações • Embalagens
  • 26. DESENVOLVIMENTO DE NOVAS MOLÉCULAS 50.000 substâncias sintetizadas/ano. 500 selecionadas como possíveis candidatas 50 ensaios de campo 2 apresentadas para registro 1 mercado Tempo: 10 - 12 anos Custo: 200 a 250 milhões de dólares
  • 27. Investimentos financeiros em pesquisa e desenvolvimento 14 12 10 8 Investimentos (% das Vendas) 6 4 2 0Fonte: Financial Times
  • 28. REGISTRO DE NOVOS DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EMPRESA SOLICITA O REGISTRO DO DEFENSIVO AGRÍCOLA Simultaneamente nos três órgãos regulatórios Dossiê Dossiê Dossiê Toxicologia Eficácia Ambiental ANVISA MAPA IBAMA • Classificação • Avaliação da • Avaliação Ambiental Toxicológica Eficácia • Rótulo e Bula • Monografia Técnica • Rótulo e Bula •Rótulo e Bula CERTIFICADO DE REGISTROS CADASTRO ESTADUAL VENDAS 36 meses
  • 29. Novos ingredientes ativos Décadas 1960-1970 X 1990-2000 (40 anos) Redução das Doses  Herbicidas - 88,4 %  Inseticidas - 93,6 %  Fungicidas - 86,7 % Redução da Toxicidade Aguda 160 VEZES
  • 30. Novos ingredientes ativos
  • 31. Formulações Decreto nº 4.074, de 4 de janeiro de 2002 Regulamenta a Lei no 7.802, de 11 de julho de 1989 Art. 1o Para os efeitos deste Decreto, entende-se por: I - aditivo - substância ou produto adicionado a agrotóxicos, componentes e afins, para melhorar sua ação, função, durabilidade, estabilidade e detecção ou para facilitar o processo de produção; II - adjuvante - produto utilizado em mistura com produtos formulados para melhorar a sua aplicação;
  • 32. Aditivos em formulaçõesFORMULAÇÃO = produto técnico + aditivosProduto Formulado Ingrediente ativo ComponentesProduto Comercial + Coformulantes Impurezas / produtos “Ingredientes inertes” correlatos Outros ingredientes
  • 33. Tendências Solventes baseados em petróleo por solventes a base de água Formulações específicas para tratamento de sementes melhor cobertura = melhor ação biológica liberação controlada de i.a. diferentes Formulações modernas: menor exposição durante preparação da calda; melhor combinação em água = melhor distribuição do produto no alvo menor impacto no ambiente Formulações específicas produtos biológicos e microbiológicosFormulações tem papel importante na inovação dos defensivos agrícolas
  • 34. Misturas e associaçõesMisturas em tanque Misturas prontas  Redução do custo de aplicação  Redução tempo de aplicação  Redução do consumo de água  Redução da exposição do aplicador  Redução do pisoteamento no campo  Aumento do espectro de controle do tratamento aplicado  Ferramenta no Manejo de Resistência
  • 35. Embalagens
  • 36. Desafios1. ESCLARECER A SOCIEDADE QUE É POSSÍVEL PRODUZIR ALIMENTOS SEGUROS USANDO DEFENSIVOS AGRÍCOLAS2. AGILIZAR O PROCESSO DE REGISTRO – (tempo médio 36 meses) -aprimoramento da infra-estrutura3. APRIMORAR REGULAMENTAÇÃO Harmonização MAPA – ANVISA – IBAMA Regulamentação de componentes4. PRIORIZAR REGISTRO DE NOVOS PRODUTOS Exigências países importadores Produção Integrada “Minor Crops” - principal causa de inconformidades em análises de resíduos5. TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO / USO CORRETO E SEGURO Exposição do aplicador Resíduos Impacto Ambiental

×