A Historia Contada Nas Ruas

  • 954 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • achei muito legal a ideia do projeto.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
954
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
17
Comments
1
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PROJETO NOSSA GENTE, NOSSO CHÃO! EM CADA RUA, NOSSA HISTÓRIA!
  • 2. Projeto elaborado pela professora Claudia Coutinho Capilé professora da rede Estadual de Ensino como estratégia de integração e pesquisa sobre a história Fátima do Sul Ms. 1. J U S T I F I C A T I V A O Projeto: NOSSA GENTE, NOSSO CHÃO “! EM CADA RUA, NOSSA HISTÓRIA, objetivando resgatar, através da pesquisa: personalidades fatimassulensse que deixaram um legado histórico, cultural e literário, moldando nossa terra e retratando ideais de nosso povo enfocando na arte, na literatura e na cultura a vida de nossa gente. “Só é possível compor no mesmo rendilhado de hábitos e costumes que moldam uma terra e um povo, através dos tempos” . o Projeto: NOSSA GENTE, NOSSO CHÃO! EM CADA RUA, NOSSA HISTÓRIA, motiva a Comunidade Escolar a conhecer a história de Fátima do sul, de nossa gente, deste chão e enquadrar-se diante de sua construção, utilizando a pesquisa como fonte de conhecimento. Educação e sociedade devem ser vistas como instituições cooperantes, necessitando de uma permanente integração. O Projeto NOSSA TERRA, NOSSO CHÃO! EM CADA RUA, NOSSA HISTÓRIA; objetiva valorizar o contexto regional fatimassulensse focado na história das personalidades que deram nome as nossas ruas. O Projeto tem como referência o livro da autora Claudia Coutinho Capilé “História de Fátima do Sul” que traz a representação biográfica de pessoas que se destacaram em vários campos do saber, bem como anônimos fatimassulensse.
  • 3. 2. OBJETIVOS: 2.1. Geral: Proporcionar ao aluno fatimassulensse vivenciar o mundo da pesquisa sobre a memória iconográfica, biográfica e cultural de personalidades que construíram a nossa história na arte, na literatura, na religiosidade, nos feitos históricos realizados por pessoas cujos nomes estão em ruas, praças, avenidas e logradouros públicos, tem como objetivo principal tornar imperecível a memória de nossos ilustres conterrâneos que contribuíram para o progresso de nossa terra. 2.2. Específicos: • Inserir Comunidade Educativa na leitura e escrita; • Despertar no alunado o gosto pela pesquisa sobre a história de Fátima do sul; • Desenvolver atividades de pesquisa sobre temáticas diferenciadas sobre: autor (a), historiador (a), personalidades que construíram idéias sobre Nossa Gente, Nosso Chão; • Construir um espaço socializador que objetive a participação efetiva da família e da sociedade; • Confeccionar um painel com os nomes dos homenageados das nossas ruas, praças, avenidas e logradouros públicos; • Realizar concursos de pesquisas sobre personalidades históricas; • Destacar, através de um esboço cronológico a história da cidade • Realizar seminários temáticos sobre a memória de nossa cidade. • Realizar uma gincana de pesquisa com legado histórico fatimassulensse, sobretudo das pessoas que deram nome as nossas ruas, praças, avenidas e logradouros públicos; • Apresentar aos alunos o mapa da cidade, com nomes das ruas pertinentes às matrículas da referida escola;
  • 4. • Apresentar painéis históricos sobre as ruas, praças, avenidas e logradouros públicos em pontos estratégicos de nossa cidade. 3. REFERENCIAL TEÓRICO HISTÓRICO DE FÁTIMA DO SUL A elaboração do presente histórico sobre o Município de Fátima do Sul, foi retirado do livro História de Fátima do Sul de autoria da professora Claudia Coutinho Capilé . O atual Município de Fátima do Sul teve sua origem no Decreto-Lei nº 5.941 de 28 de outubro de 1943, do Presidente da República Dr. Getúlio Dornelles Vargas, criando a C.A.N.D. - Colônia Agrícola Nacional de Dourados, subordinada ao Ministério da Agricultura, posteriormente denominada Colônia Federal, com a finalidade de dividir uma extensa área de terra em lotes rurais de 30 hectares, cada um com um fim específico de oferecer um pedaço de chão à pequenos lavradores onde pudessem trabalhar e tirar o sustento de suas famílias. A administração da Colônia Agrícola Nacional de Dourados, dando início aos trabalhos para concretizar os objetivos de sua criação, começaram a abrir “picadas” com enorme sacrifício devido a ausência de equipamento, más assim mesmo com humanização foi interiorizada e alargando os horizontes da colonização. Em 1.953, a primeira zona do núcleo colonial de Dourados estava totalmente colonizada. Apesar de não estar no planejamento da administração do núcleo colonial de Dourados uma imediata expansão, mas devido a constante chegada de enorme quantidade de migrantes a região, tornou-se necessária a abertura de novas “picadas” em direção a Leste, uma das quais é o marco inicial da atual BR-376, que liga Dourados a Fátima do Sul. A permanente interiorização fez com que um aglomerado de famílias instalasse um povoado a margem esquerda do Rio Dourados, atual Vila Nossa Senhora dos Navegantes, com centenas de ranchos de pau-a-pique cobertos de sapé ou tabuinha, os quais além de alojarem as famílias serviram também como instalação dos primeiros armazéns, farmácias e as casas de tecidos.
  • 5. Os moradores ali instalados sentiram necessidade de atravessar o Rio Dourado em direção a sua margem direita, para prosseguir a interiorização da região, construíram uma balsa assentada sobre tambores vazios; Evaristo foi o dono da primeira balsa do porto Vitória, a qual permitiu a travessia dos aventureiros para fazer as marcações dos lotes e construção de ranchos estando prontos para receber seus primeiros habitantes. 3.1 Autora: Claudia Coutinho Capilé, nasceu em Fátima do Sul Ms, em 27 de setembro de 1964, filha de Manoel Pompeo Capilé Neto e de Tereza Alves Coutinho Professora , Historiadora, Licenciada em Pedagogia e Filosofia, pós-graduada em metodologia do ensino superior e Filosofia Clinica. 4. PÚBLICO ALVO Área de Influência: Alunos e pessoas da Comunidade fatimassulensse. 5. METODOLOGIA O Projeto: NOSSA GENTE, NOSSO CHÃO! EM CADA RUA, NOSSA HISTÓRIA! Adotará a metodologia de pesquisa sobre as personalidades históricas, literárias que ficaram registradas nas ruas, avenidas, bairros e logradouros públicos de Fátima do Sul. 6. ESTRATÉGIAS
  • 6. • Exposição de livros, sites, textos e referências teóricas sobre história de Fátima do Sul; • Orientações sobre a pesquisa aos alunos e comunidade interessada; • Premiação das melhores pesquisas; • Apresentação de painéis históricos sobre ruas, praças, avenidas e logradouros públicos em pontos estratégicos de nossa cidade; 8. SUGESTÃO DE PESQUISAS • Administradores de Fátima do Sul; • História de Fátima do Sul • Primeiras Escolas; • Vigários de nossa Paróquia; • Escritores fatimassulensse; • Fatimassulensses Honoráveis; • Artistas Natos; • Tipos Populares; • Causos e curiosidades • Festas Populares; • Primeiras Edificações; • Compositores fatimassulensse; • Artistas da Terra; • Personalidades que representaram a arte, a literatura, o folclore, a política do município. • Origem dos nomes de nossas ruas, praças, avenidas e logradouros públicos. • Realização de um catálogo ilustrativo das regiões ( bairros) urbanas do nosso município.
  • 7. BIBLIOGRAFIA Capilé coutinho claudia - História de Fátima do Sul ÍNDICE Dados de identificação do Projeto Justificativa Objetivos Referencial Teórico Tática Metodologia Critérios Estratégias Sugestões de Pesquisa Referência Bibliográfica Anexo
  • 8. Anexos A história contada nas ruas Rua-Tenente Antonio João Nascido na vila de Poconé, Província de Mato Grosso, em 24 de novembro de 1823, Antônio João ingressou na Força, como soldado voluntário, em 06 de março de 1841. Pelos indiscutíveis méritos evidenciados ao longo da carreira, atingiu o oficialato, sendo promovido a 1º tenente em 02 de dezembro de 1860 e comissionado como comandante da Colônia Militar de Dourados na Guerra do Paraguai à frente da qual viria a falecer quatro anos e 27 dias mais tarde. Esta rua recebeu este nome em homenagem ao herói da Guerra do Paraguai.
  • 9. Rua - Presidente Vargas A rua e a praça de nossa cidade receberam este nome em homenagem ao presidente da Republica do Brasil Getúlio Vargas autor do decreto 5.941 de outubro de 1943 que criou a Colônia Agrícola Nacional de Dourados e doou lotes rurais de 30 ha, colonizando assim a nossa região.
  • 10. Rua Ataulpho de Mattos Recebeu este nome em homenagem ao vereador, funcionário do INCRA ele juntamente com sua irmã Didi de Mattos participou ativamente do processo de emancipação política de Fátima do Sul
  • 11. Avenida nove de julho, recebeu este nome em homenagem aos 450 homens que na madrugada de 9 de julho de 1954(sexta-feira), romperam a barreira que os separava e se alojaram a margem esquerda do rio onde hoje se situa Fátima do Sul.
  • 12. Pe. José Pascoal Bussato Pe. Amadeu Amadori Ruas Padre José Pascoal Bussato e Amadeu Amadori estas ruas receberam este nome em homenagem aos padres Palotinos, que juntamente com os primeiros pioneiros colonizaram este município, ambos ajudaram na construção do hospital da SIAS, INSTITUTO D. PEDRO II, ESCOLA VICENTE PALLOTTI, E CLUBE DE MAES.
  • 13. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1. Nome do Projeto: Nossa Gente, Nosso Chão! Em cada Rua, Nossa História! 2. Elaboradores do Projeto: Claudia Coutinho capilé 3. Período de realização: Período letivo anual 4. Objetivo: Resgatar a cultura das ruas, praças e logradouros 5. Livro de referência: História de Fátima do Sul - autora Claudia C. capilé 6. Clientela envolvida: Alunos da Rede Pública Estadual de Ensino, Comunidade Escolar e alunos.