Reconquista Cristã

144,497 views

Published on

A Reconquista Cristã e a formação de Portugal

2 Comments
73 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
144,497
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
97,775
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
2
Likes
73
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Reconquista Cristã

  1. 2. A ocupação muçulmana e a resistência cristã 711 – início da ocupação muçulmana com a invasão da Península Ibérica pelas tropas lideradas por Tarik. Batalha de Guadalete – ganha pelos muçulmanos, marca a conquista sobre os Visigodos.
  2. 3. A ocupação muçulmana e a resistência cristã 722 – Batalha de Covadonga – um grupo de cristãos refugiados na região das Astúrias e liderado por Pelágio , vence as tropas muçulmanas. Inicia-se a Reconquista Cristã (movimento militar cristão, desenvolvido de Norte para Sul, de recuperação dos territórios conquistados pelos muçulmanos).
  3. 4. A ocupação muçulmana e a resistência cristã 732 – Batalha de Poitiers – os muçulmanos são derrotados pelo exército de Carlos Martel (rei dos Francos). Os muçulmanos desistem da sua progressão pela Europa e fixam-se na Península.
  4. 5. A ocupação muçulmana e a resistência cristã
  5. 6. O AVANÇO CRISTÃO
  6. 7. OS REINOS CRISTÃOS
  7. 8. OS REINOS CRISTÃOS
  8. 9. CONTRASTES CIVILIZACIONAIS E RELACIONAMENTO 1- Cristãos que viviam em território muçulmano, mas que permaneciam fiéis às suas crenças. 2 – Antigos cristãos que abandonaram as suas crenças e aderiram ao Islamismo. Momentos de guerra Momentos de convivência
  9. 10. A HERANÇA MUÇULMANA No tempo em que estiveram na Península, os árabes não se dedicaram apenas ao comércio e à guerra. Desenvolveram as ciências, as artes, a agricultura... Deixaram-nos um legado tão grande e importante, que normalmente se chama a “Herança Muçulmana”. Arquitectura Ciências Agricultura Técnicas * Construção de grandes templos de oração (Mesquitas). * Espalharam o uso dos azulejos na decoração. * Construíram as casas típicas: de um só andar, caiadas de branco, com terraço e um pequeno pátio interior. <ul><li>* Desenvolveram a Matemática, a Física e a Química. </li></ul><ul><li>* Introduziram os algarismos e o zero. </li></ul><ul><li>* Introduziram novas palavras: </li></ul><ul><li>Algarve, </li></ul><ul><li>alcáçova, </li></ul><ul><li>algarismo, </li></ul><ul><li>azeite, </li></ul><ul><li>café, </li></ul><ul><li>olá, </li></ul><ul><li>xadrez… </li></ul>* Introduziram novos sistemas de irrigação, como as noras, azenhas e as picotas ou cegonhas. * Desenvolveram os instrumentos de cultivo, como o arado. * Introduziram novas culturas e plantas como a laranjeira, o arroz, as amendoeiras… * Divulgaram a técnica do fabrico do papel e da pólvora. * Desenvolveram a indústria das armas, dos carros, dos tapetes e dos arreios. * Trouxeram novas formas de trabalhar o vidro ou o barro. * Deram a conhecer a bússola e desenvol-veram a construção naval.
  10. 11. Esquema de uma Mesquita Nora Azulejo hispâno-árabe A amendoeira, uma das árvores de fruto trazidas pelos muçulmanos para a Península
  11. 12. O CONDADO PORTUCALENSE
  12. 13. A FORMAÇÃO DO CONDADO PORTUCALENSE REINO DE LEÃO (D. Afonso VI pede ajuda aos Francos para combater os Almorávidas) CONDADO DA GALIZA (D. Urraca, filha legítima do rei, casa com D. Raimundo) CONDADO PORTUCALENSE (D. Teresa, filha ilegítima do rei, casa com D. Henrique)
  13. 14. A FORMAÇÃO DO CONDADO PORTUCALENSE D. Afonso VI, rei de Leão, deu a D. Henrique a sua filha, D. Teresa, em casamento (...) e fez-lhe doação de todo o Condado Portucalense, com a condição de que o Conde o servisse sempre e participasse nas suas Cortes e respondesse ao seu chamamento. Por fim, incentivou-o a que conquistasse e acrescentasse ao seu Condado outras terras pertencentes aos mouros. da Crónica dos Cinco Reis <ul><li>A doação do Condado era um Feudo . </li></ul><ul><li>D. Henrique tornou-se assim Vassalo do rei de Leão, jurando-lhe: </li></ul><ul><li>fidelidade e lealdade, </li></ul><ul><li>ajuda e conselho, </li></ul><ul><li>assistência na cúria. </li></ul>
  14. 15. A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL Após a morte de D. Henrique, D. Teresa assume o governo do Condado, mas é obrigada a acatar o chamamento da irmã e prestar-lhe homenagem (1121) e ao sobrinho, que entretanto se torna rei de Leão e Castela. Morte de D. Afonso VI O filho de D. Urraca, D. Afonso, torna-se rei de Leão e Castela, com o titulo de AFONSO VII O Conde D. Henrique desliga-se dos vínculos feudais.
  15. 16. A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL Após a morte do pai, D. Afonso Henriques, enfrenta e vence a mãe na Batalha de S. Mamede em 1128. Afonso Henriques procura alargar o seu território, continuando a lutar contra os mouros: * Batalha de Ourique (1139); * a fronteira desce até Alcácer.
  16. 17. A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL D. Afonso Henriques governa o Condado Portucalense. D. Afonso Henriques mantém a luta pela independência do Condado: - rebelião contra D. Afonso VII e Tratado de Tui ; - Batalhas de Cerneja (1137) e Arcos de Valdevez (1140); - Conferência de Zamora ( 1143 ) e reconhecimento do reino de Portugal por D. Afonso VII.
  17. 18. A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL Reconhecimento papal do reino de Portugal em 1179 , através da Bula Manifestis Probatum. Bula Manifestis Probatum.
  18. 19. A EVOLUÇÃO DAS FRONTEIRAS DE PORTUGAL

×