Prenúncios de uma nova ordem

1,212 views
1,056 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,212
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Prenúncios de uma nova ordem

  1. 1. O FIM DA ÉPOCA CLÁSSICA
  2. 2. • Fim da pax romana;• Morte do imperador Marco Aurélio em 180;• Enfraquecimento do poder central;• Aumento da corrupção;• Anarquia militar - os imperadores são aclamados pelos exércitos e sucedem-se a um ritmo rápido;• Instabilidade política e estado de guerra permanente (os bárbaros);• Decadência da agricultura;• Crise monetária;• Regresso a uma economia primitiva.
  3. 3. • As reformas de Diocleciano: • reorganização do exército, • reorganização do sistema monetário, • reorganização do sistema de impostos.• A divisão do Império em 4 partes (tetrarquia do império): na prática continua com o poder absoluto e governa a partir de Nicomédia (“Augustos” - direção do império), mas partilha-o com Maximiano (Milão - defesa do Ocidente, “Augustos”); Galero e Constâncio Cloro, dois “Césares” encarregues da defesa da fronteira do Danúbio e Gália.
  4. 4. • A reunificação do Império com Constantino (inícios do séc. IV). A capital muda para Bizâncio (mais tarde chamada Constantinopla.• Teodósio (finais do séc. IV) divide o império pelos seus dois filhos: • Império Romano do Oriente para Arcádio (sede em Constantinopla, sobrevive até ao séc. XV). • Império Romano do Ocidente para Honório (sede ora em Roma ora em Ravena. Tomado pelos bárbaros em 476).
  5. 5. • Os povos germanos, a que os romanos chamavam de bárbaros por não possuírem a civilização romana, viviam para lá dos limites do império.• Viviam da criação do gado e da agricultura, que era feita coletivamente;• Possuíam um artesanato e um comércio rudimentares, embora fossem ágeis na metalurgia e na ourivesaria,• Desconheciam a vida urbana e politicamente eram independentes uns dos outros.• Entraram nas fronteiras do império, engrossando as fileiras do exército (como mercenários).
  6. 6. • O avanço dos Hunos, vindos da Ásia em 375, faz deslocar os povos ameaçados em direção ao Oeste.• Comandados por Átila, investem em 434 contra as fronteiras do Oriente e em 451 saqueiam todo o norte da Gália. No ano seguinte avançam sobre a Itália, tomando e pilhando todas as cidades da baixa Planície do Pó.• Com a morte do seu rei, os Hunos abandonam as zonas conquistadas e acabam por se dispersar.• É este avanço dos Hunos que provoca a primeira vaga das invasões germânicas.
  7. 7. • 1ª Vaga de Invasões: • Os Visigodos avançam até Roma e continuam a sua marcha pelo Sul da França (Gália) até à Península Ibérica, fixando capital em Toledo. • Os Visigodos convertem-se ao Cristianismo e fundam um reino que irá manter-se até à invasão dos Árabes.
  8. 8. • Os Suevos e os Vândalos atravessam a Gália e fixam-se também na Península Ibérica. Os primeiros no nosso actual Minho, fundando a sua capital em Bracara Augusta. Este reino é depois assimilado pelo dos Visigodos.• Os Vândalos vão para o Norte de África. Os Ostrogodos atacam primeiramente Constantinopla. Daqui são repelidos pelo Imperador bizantino Zenão e vão conquistar a Itália sob o comando do rei Teodorico. Saqueiam Roma, depõe o último imperador, Rómulo Augusto e, em 476 fixam a capital em Ravena, cidade mais a norte de Itália e que é mais tarde reconquistada pelo Império Bizantino.
  9. 9. • 2ª Vaga de Invasões: • Esta segunda invasão inicia-se muito antes da data que marca a chegada de Clóvis, rei dos Francos. Estes povos já há muito tempo se começaram a infiltrar nas fronteiras romanas. Oriundos de colonos militares da Gália, do Império • Clóvis, que se converte Romano ou de soldados do mesmo exército, vão-se aproximando das ao Cristianismo, em 481 terras abandonadas pelas defesas conquistou e reuniu todas romanas. as províncias da Gália do Norte.
  10. 10. • 3ª Vaga de Invasões: • Dá-se o mesmo fenómeno que tinha originado a invasão dos Visigodos. • Os Ávaros, povo que vinha também do Oriente (da mesma origem dos Hunos - povos de raça amarela ou turcos, como eram chamados) obrigam os Lombardos a fugir da Panónia (Hungria) e a fixarem-se no Norte da Itália. Aí organizam uma região ainda hoje conhecida por Lombardia. • Os Anglos e os Saxões, povos do Norte, deslocam-se invadindo a Grã-Bretanha, onde irão fundar o reino de Inglaterra.
  11. 11. • O caos político favoreceu a anarquia e a injustiça;• A autoridade do imperador é substituída pelo poder dos mais fortes: desaparece a instituição do imperador, substituído pelos pequenos reis e chefes bárbaros;• Desorganização da vida económica e retrocesso do comércio;
  12. 12. • Aparecimento de fomes e epidemias;• Diminuição da população;• Retrocesso das cidades;• Ruralização da economia;• Esmorecimento da vida cultural;• Ascensão do poder da Igreja, o único reduto de segurança das populações.• Chega ao fim a era clássica e inicia-se a Idade Média.

×