Homens novos, espaços novos
GEOGRAFIA CULTURAL EUROPEIA DE QUATROCENTOS
E QUINHENTOS
TEMPO HISTÓRICO
CRONOLOGIA
Anos Acontecimentos
1434 Cosme de Médicis, senhor de Florença
1456 Impressão da Bíblia por Gute...
AS CONDIÇÕES DA EXPANSÃO CULTURAL
 Recuperação demográfica, urbana e mercantil;
 Crescimento da burguesia, que enriquece...
Homem Vitruviano
Leonardo da Vinci, 1490 Lápis e tinta sobre papel
34 × 24 cm Gallerie dell'Accademia, Veneza, Itália.
O H...
A IMPRENSA
 A invenção da imprensa, foi atribuída a Gutenberg, que
substituiu as pranchas xilográficas por caracteres móv...
A Imprensa permite a reprodução sistemática das obras escritas. A sua
rápida difusão foi possível devido:
• ao progresso d...
A HERANÇA CULTURAL
 Nos inícios do séc. XV, começo de uma nova época, o homem ainda se
encontrava fortemente apegado aos ...
PRINCIPAIS CENTROS DE DIFUSÃO - ITÁLIA
 Itália, herdeira direta do império Romano, foi o berço do Renascimento.
 Era um ...
PRINCIPAIS CENTROS DE DIFUSÃO NA EUROPA
 Tal como na Itália, na Europa do Renascimento os centros culturais foram
impulsi...
UMA NOVA CONJUNTURA
 Recuperação demográfica,
 Surto urbano,
 Reorganização dos campos,
 Reanimação das rotas terrestr...
A IMPORTÂNCIA DE LISBOA E SEVILHA
MOTIVOS DA EXPANSÃO EUROPEIA DO
SÉCULO XV
 Ultrapassar a crise do século XIV;
 Fazer face à falta de mão de obra;
 Faze...
OBSERVAÇÃO E DESCRIÇÃO DA NATUREZA
 Os Portugueses contrapuseram
assim, ao conhecimento livresco, o
saber baseado na obse...
MATEMATIZAÇÃO DO REAL
 A abertura do mundo facilitou também a abertura de mentalidades e acentuou
uma atitude quantitativ...
MENTALIDADE QUANTITATIVA
 A enumeração e a quantificação aplicam-se até no tempo: surge o relógio
mecânico.
 A quantific...
REVOLUÇÃO DAS CONCEÇÕES RELIGIOSAS
DOGMAS: CULTO LUTERANISMO CALVINISMO ANGLICANISMO CATOLICISMO
Salvação da Alma
Fé Fé e predestinação
absoluta
Fé e predest...
REVOLUÇÃO DAS CONCEÇÕES COSMOLÓGICAS
 Definição da base do método científico;
 Revolução coperniciana – Copérnico
desenv...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Introdução ao módulo 5

644

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
644
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introdução ao módulo 5

  1. 1. Homens novos, espaços novos GEOGRAFIA CULTURAL EUROPEIA DE QUATROCENTOS E QUINHENTOS
  2. 2. TEMPO HISTÓRICO CRONOLOGIA Anos Acontecimentos 1434 Cosme de Médicis, senhor de Florença 1456 Impressão da Bíblia por Gutenberg 1478 Lourenço de Médicis, senhor de Florença 1509 Erasmo publica o “Elogio da Loucura” 1516 Maquiavel publica “ O príncipe”. 1517 Lutero publica “As 95 teses contra as indulgências” 1536 Introdução da Inquisição em Portugal 1543 Vesálio escreve o Tratado de Anatomia 1545 Início do Concílio de Trento 1572 Publicação de Os Lusíadas de Luís de Camões
  3. 3. AS CONDIÇÕES DA EXPANSÃO CULTURAL  Recuperação demográfica, urbana e mercantil;  Crescimento da burguesia, que enriquece;  Centralização do poder político;  Aumento demográfico;  Descoberta de novas rotas e áreas de comércio:  Revolucionam-se as técnicas e os conhecimentos;  Evolui a cartografia e a náutica;  Ligam-se novos continentes por travessia marítima;  Desenvolvem-se novas formas de armamento (pólvora);  Surge a imprensa (Gutenberg) e a divulgação de textos.
  4. 4. Homem Vitruviano Leonardo da Vinci, 1490 Lápis e tinta sobre papel 34 × 24 cm Gallerie dell'Accademia, Veneza, Itália. O Homem Vitruviano de Da Vinci é baseado numa famosa passagem do arquiteto romano Vitruvius na sua série de livros intitulados de De Architectura, um tratado de arquitetura em que, no terceiro livro, ele descreve as proporções do corpo humano masculino. A união dos interesses de Leonardo pela ciência e pela arte da proporção é representada neste famoso desenho.
  5. 5. A IMPRENSA  A invenção da imprensa, foi atribuída a Gutenberg, que substituiu as pranchas xilográficas por caracteres móveis de madeira, depois pelo cobre e, finalmente, pelo aço.  Criou um processo que, gerando uma espécie de molde de letras, as permitia montar numa base de chumbo, tintadas e prensadas. Assim, Gutenberg produziu a primeira Bíblia, impressa em latim, com uma tiragem de cerca de 300 exemplares.
  6. 6. A Imprensa permite a reprodução sistemática das obras escritas. A sua rápida difusão foi possível devido: • ao progresso das universidades medievais, • ao crescente gosto pela leitura, • à divulgação da fórmula de produção do papel. Gutenberg inventa os caracteres móveis o que possibilita: -a instalação de tipografias em todas as grandes cidades europeias, - a multiplicação da circulação das obras clássicas e religiosas, - a rápida difusão de novas ideias e inovações, - a criação de bibliotecas particulares...
  7. 7. A HERANÇA CULTURAL  Nos inícios do séc. XV, começo de uma nova época, o homem ainda se encontrava fortemente apegado aos conhecimentos anteriores.  A herança cultural, fortemente dominada pela Igreja, começa aos poucos a libertar-se da teologia graças a:  Ao impulso do comércio, que rompe barreiras geográficas;  Aos progressos das línguas nacionais, que permitem o desenvolvimento de uma cultura própria;  Ao desenvolvimento e crescimento da imprensa e das universidades.  Eram os tempos modernos… o Homem afirma-se em pleno e redescobrem-se os clássicos greco-romanos. Entra-se assim na fase do Renascimento.
  8. 8. PRINCIPAIS CENTROS DE DIFUSÃO - ITÁLIA  Itália, herdeira direta do império Romano, foi o berço do Renascimento.  Era um país dividido em numerosos estados independentes e rivais entre si. As rivalidades políticas passavam muitas vezes para o campo cultural e pessoal.  Destacava-se Florença, principado dos Médicis, zona de grande florescimento cultural e artístico.  Roma era outro dos grandes centros culturais da Itália renascentista, onde a contratação de prestigiados artistas permitiu a monumentalidade da capital da Cristandade.  Veneza gozava também de grande prosperidade económica e política. Distinguiu-se pela escola de pintura e pelas muitas oficinas tipográficas que aí existiam.
  9. 9. PRINCIPAIS CENTROS DE DIFUSÃO NA EUROPA  Tal como na Itália, na Europa do Renascimento os centros culturais foram impulsionados pelas cortes régias e principescas, círculos aristocráticos e burgueses, pelas oficinas de imprensa, colégios e universidades renovadas.  Países Baixos: (duques de Borgonha) a pintura atingiu um elevado grau de aperfeiçoamento técnico. Erasmo de Roterdão foi um notável filósofo e moralista holandês.  França: Francisco I impulsionou os estudos humanistas e favoreceu a aplicação de uma decoração clássica.  Alemanha: importante polo de estudos matemáticos, astronómicos e cartográficos; os pintores conjugavam nos retratos o pormenor descritivo e a tradição nórdica, com a técnica italiana.
  10. 10. UMA NOVA CONJUNTURA  Recuperação demográfica,  Surto urbano,  Reorganização dos campos,  Reanimação das rotas terrestres e incremento das rotas marítimas,  Desenvolvimento das práticas financeiras,  Ascensão da Burguesia,  Renovação cultural,  Tendência de centralização do poder,  Inovações técnicas e científicas…
  11. 11. A IMPORTÂNCIA DE LISBOA E SEVILHA
  12. 12. MOTIVOS DA EXPANSÃO EUROPEIA DO SÉCULO XV  Ultrapassar a crise do século XIV;  Fazer face à falta de mão de obra;  Fazer face à falta de cereais;  Fazer face à falta de metais preciosos.  Acercar diretamente as riquezas orientais (que chegavam à Europa por intermédio dos muçulmanos pelas rotas caravaneiras).  Os reis procuravam também novas terras para expandir a fé cristã e novas tecnologias que pudessem utilizar para seu proveito.
  13. 13. OBSERVAÇÃO E DESCRIÇÃO DA NATUREZA  Os Portugueses contrapuseram assim, ao conhecimento livresco, o saber baseado na observação in loco. Era a base do experiencialismo.  Todavia, não eram registos resultantes de experiências científicas, mas antes de descrições das observações efetuadas. • Movimento percursor do espírito crítico e do método científico, Leonardo Da Vinci segue a inspiração portuguesa de tudo querer observar e questionar.
  14. 14. MATEMATIZAÇÃO DO REAL  A abertura do mundo facilitou também a abertura de mentalidades e acentuou uma atitude quantitativa do homem:  Substitui-se a numeração romana pela indo-árabe,  Publicam-se vários livros de matemática,  Desenvolve-se a estatística e a matemática: descobrem-se as equações de 3º grau, os logaritmos, o uso de incógnitas e o nónio (Pedro Nunes, 1502- 1578),  Determinam-se as leis reguladoras do mundo físico,  As viagens de descobertas contribuíram para o fim da mentalidade crítica medieval e para o aparecimento do espírito crítico moderno.
  15. 15. MENTALIDADE QUANTITATIVA  A enumeração e a quantificação aplicam-se até no tempo: surge o relógio mecânico.  A quantificação é necessária para o próprio funcionamento do estado: o rei necessita saber os homens que tem disponíveis para a guerra, para cobrar impostos..  Dissolve-se o carácter feudal e surge um aparelho burocrático.  Começa-se a agir com base na valorização do número.  Copérnico inicia uma verdadeira revolução, ao defender, com base em cálculos matemáticos e geométricos, o Heliocentrismo, corte profundo com as teorias aristotélicas e com a visão da Igreja.
  16. 16. REVOLUÇÃO DAS CONCEÇÕES RELIGIOSAS
  17. 17. DOGMAS: CULTO LUTERANISMO CALVINISMO ANGLICANISMO CATOLICISMO Salvação da Alma Fé Fé e predestinação absoluta Fé e predestinação Fé e boas ações Fontes da fé Bíblia Bíblia Bíblia Bíblia, Tradição, Decisões dos Concílios Bíblia -Versão Interpretação Tradução para a língua nacional -Interpretação livre Tradução para a língua nacional -Interpretação de Calvino Tradução para a língua nacional -Interpretação dos bispos -Versão latina -Interpretação do Papa Sacramento Batismo e Eucaristia Batismo e Eucaristia Batismo e Eucaristia Batismo, Crisma, Eucaristia, Matrimónio, Penitência, Ordem, Extrema Unção Comunhão Presença real sem transubstanciação Presença espiritual Presença espiritual Presença real com transubstanciação Culto da Virgem e dos Santos Abolido Abolido Abolido Mantido Organização eclesiástica -Papa Negada a sua autoridade Negada a sua autoridade Negada a sua autoridade Chefe da Igreja Hierarquia sacerdotal Suprimida Suprimida Mantida Mantida Celibato Suprimido Suprimido Suprimido Mantido
  18. 18. REVOLUÇÃO DAS CONCEÇÕES COSMOLÓGICAS  Definição da base do método científico;  Revolução coperniciana – Copérnico desenvolve o Heliocentrismo;  Descobre-se o movimento de rotação da Terra,  Giordano Bruno e Galileu Galilei provam as teorias copernicianas e são presos.  Kepler determina que as órbitas da Terra são elípticas.

×