• Save
A sociedade industrial e urbana   parte 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A sociedade industrial e urbana parte 1

on

  • 7,738 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,738
Views on SlideShare
7,625
Embed Views
113

Actions

Likes
4
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 113

http://stora-hist-historia11h.blogspot.pt 111
http://www.stora-hist-historia11h.blogspot.pt 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A sociedade industrial e urbana   parte 1 A sociedade industrial e urbana parte 1 Presentation Transcript

  • A SOCIEDADEINDUSTRIAL E URBANA LOGO
  • 2.1. A explosão populacional LOGO
  • www.themegallery.comLOGO In http://noseahistoria.files.wordpress.com/2011/05/a-sociedade-industrial-e-urbana.gif
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL A explosão demográfica E URBANA Intenso e rápido crescimento populacional no séc. XIX; Supremacia europeia também no aspeto demográfico (Diáspora); influência da população europeia nos dados do resto do mundo; É nos países industrializados que primeiro se sente o novo regime demográfico; O acentuado crescimento populacional deve-se, fundamentalmente, a: • recuo das fomes, pestes e guerras; • melhores cuidados médicos (difusão das vacinas e prática da desinfeção); • maior abundância de bens alimentares (produzidos em larga escala pela agricultura mecanizada e fornecidos pela revolução dos transportes); • investimento social e afetivo na criança, centro da família burguesa; • progressos na higiene (uso do sabão e do vestuário de algodão; construção de redes de esgotos e de abastecimento de água potável). Pág. 53
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Alterações na Natalidade E URBANA Limitação voluntária das conceções; Propaganda política contrária à natalidade (Stuart Mill e a culpabilização das famíliaspobres); Aparecimento da Liga Malthusiana (o alimento aumenta aritmeticamente, enquanto apopulação aumenta geometricamente); Medidas para a supressão da assistência a famílias com mais do que um filho; Diminuição do poder da Igreja; Maior responsabilidade e expectativas faceà educação dos filhos; Emprego das mulheres; Divulgação das medidas contracetivas.
  • SOCIEDADELOGOINDUSTRIAL E URBANA Recuo da mortalidade (bem como da mortalidade infantil) Aumento da esperança média de vida Fortalecimento fisiológico Novo regime demográfico Aumento da população ativa Envelhecimento da população
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Expansão urbana E URBANA Rápido crescimento das cidades no séc. XIX; Supremacia das zonas urbanas europeias (Inglaterra, França e Alemanha); A taxa de crescimento populacional passa a ser maior nas cidades que no campo; O acentuado crescimento urbano deve-se, fundamentalmente, a: • crescimento natural das populações; • consequência da industrialização - concentração das fábricas e empresas nos locais que se tornariam o centro de vida social e política; • êxodo rural e imigração europeia; • carácter cosmopolita das zonas urbanas; • fascínio da vida moderna nas cidades e crescimento do setor dos serviços… (o crescimento urbano segregou geograficamente a sociedade). Pág. 55
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL O Urbanismo E URBANA O intenso crescimento das cidades revelou um conjunto denovos problemas urbanos: • falta de espaços nos núcleos urbanos centrais e degradação das condições de habitabilidade: superlotação citadina, aumento do lixo, subida dos preços das casas, das rendas e principalmente dos terrenos; • o abastecimento de bens alimentares; • o abastecimento de água e combustíveis; • a ausência de redes de esgoto e de saneamento; • o agravamento de fenómenos como a miséria, delinquência, prostituição, mendicidade…
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL E URBANA Com o objectivo de resolver os problemas citadinos, surge o URBANISMO:- procura-se renovar e recuperar as zonas antigas e degradadas, com a expansão dascidades para além das muralhas medievais- desenvolvem-se os sistemas de saneamento e de iluminação pública;- Criação de espaços de lazer (óperas, teatros, jardins, esplanadas);- constroem-se grandes vias citadinas (ex. Ringstrasse de Viena); Pág. 59
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL E URBANA A indústria aproximou-se das cidades. A consequência imediata é o acentuadocrescimento populacional. É necessário reorganizar as cidades. Surgem :• os subúrbios - bairros dos arredores, circundantes. São bairros de operários, seminfraestruturas, morada das classes mais pobres, que surgem próximo das fábricas oudas vias férreas;• os bairros burgueses: no limite das cidades (periferia);• o centro urbano onde se desenvolve o espaço exclusivo do poder económico e político.
  • SOCIEDADELOGOINDUSTRIAL E URBANA
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Urbanismo E URBANA Surgido desta necessidade de organizar racionalmente os espaços, recursos,transportes e fontes de energia, o urbanismo irá marcar a tendência do séc. XIX. Aparecem os primeiros transportes públicos como o Metro ou o trolley (ou elétrico),em Londres e vulgariza-se em Portugal o Americano (meio de transporte ligeiro coletivode passageiros, que se movia sobre carris, mas com tração animal.
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL E URBANA Acima de tudo, pretendia-se resolver os dois grandes problemas do crescimentodesordenado das cidades:- criar espaço para a Burguesia que se afirmava, entregando a cidade àqueles que acriaram. Ou seja, criar condições políticas que permitam à burguesia governar a cidadeconsoante os seus interesses;- proporcionar condições de vida mais digna para os proletários, cujos filhos (a prole)trabalhavam para aumentar o rendimento doméstico.
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Fluxos migratórios E URBANA Na origem do movimento migratório, terão estado alguns fatores, dos quais se podem destacar: 2.A pressão populacional: os governos e sindicatos apoiavam as políticas migratórias como forma de contornar os problemas decorrentes da explosão populacional europeia (necessidade de mais empregos, contestação social). 2. Os problemas do mundo rural: as regiões menos desenvolvidas estavam sujeitas às fomes causadas por maus anos agrícolas. O caso mais significativo desta época passou- -se na Irlanda em que a “praga da batata” (o principal produto de consumo na ilha) devastou os campos, originando a chamada “Grande Fome”.http://www.youtube.com/watch?v=5ycMhMM2UFs
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL E URBANA3. Desemprego tecnológico: a rapidez do desenvolvimento tecnológico e industrial levou aque, progressivamente, o homem fosse substituído pela máquina. No caso português, aindustrialização lenta não oferecia empregos suficientes. Muitos milhares de portuguesesemigraram para o Brasil e África nesta altura.4. Revolução nos transportes: os transportes tornam-se melhores e mais baratos,facilitando a emigração.5. A fuga a perseguições políticas e religiosas.
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL E URBANAOs principais fluxos de migração são oito:• da Europa para a América;• Da Inglaterra e Irlanda para a África e para a Austrália;• Da África para a América(durante o período da escravatura);• Da Índia para o Este africano, Sudeste da Ásia e Caraíbas;• Da China para o Sudeste Asiático;• Do Este dos EUA para o Oeste;• Do Oeste da Rússia para o Este;• Movimentos internos variados. Pág. 61
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Migrações Internas E URBANA Por migrações internas entendem-se:• As pequenas migrações regionais - sazonais ouperiódicas - relacionadas com as colheitas;• O êxodo rural em direção aos centros urbanos, quesó se generalizou após 1870. A partir deste período amigração para a grande cidade tornou-se, em geral,definitiva. Em Portugal, destaca-se o fenómeno dos ratinhos,gaibéus e caramelos. Pág. 61
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Emigração E URBANAA emigração, de início, ocorre entre os vários países europeus, de uns para os outros. • De leste para oeste (polacos e checos) fogem à miséria e à servidão. • Da Eslovénia, Sérvia e Grécia para o Império Austro-húngaro devido às guerras. • Da Catalunha e País Basco, por razões políticas, saem em direção à França. • Os italianos procuram novos espaços onde possam ultrapassar as difíceis condições económicas. Partem para a Áustria, Alemanha, França, mas também para o Brasil. Pág. 63
  • SOCIEDADE LOGO INDUSTRIAL Emigração E URBANA Posteriormente, os principais destinos da emigração europeia passaram a ser osEstados Unidos, Canadá e Argentina. Os principais destinos da população anglo-saxónicasão a Austrália, a Nova Zelândia e a Índia. A partir de 1880 - a emigração anglo-saxónicadiminui progressivamente, sendo substituída pela francesa e também russa, polaca,austríaca e agora dos países mediterrânicos (Espanha e Portugal). Os Portuguesesemigram sobretudo para o Brasil, os Espanhóis para a Argentina e outros países decriação espanhola na América do Sul. A emigração é tão intensa que acaba por tropeçar com alguns obstáculos legaisem vários países - os emigrantes passam a ter que justificar a posse de certo capital oualgum ofício especializado (ex. Austrália - 1876; Nova Zelândia - 1881). Pág. 63
  • SOCIEDADELOGOINDUSTRIAL E URBANA Nos fins do séc. XIX verifica-se um crescimento da Emigração europeia com destino às colónias, principalmente as africanas. Este novo surto resulta de: • apelos dos governos europeus; • propaganda dos governos em relação aos territórios coloniais e também dos países recentes (E.U.A.); • a atração ou fascínio que o desenvolvimento económico desses países exerce nos europeus (desejo de enriquecimento rápido). Pág. 63
  • LOGO