Fósseis

41,514
-1

Published on

Fósseis e Processos de fossilização

2 Comments
46 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
41,514
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
2
Likes
46
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fósseis

  1. 1. Fósseis
  2. 2. O que são fósseis? <ul><li>do latim fossile < fossu , cavado, retirado do chão cavando </li></ul><ul><li>Os fósseis são restos, marcas ou vestígios da actividade de seres vivos, que ficaram preservados nas rochas ou outros materiais naturais. </li></ul>
  3. 6. <ul><li>Os fósseis inteiros de seres vivos são muito raros, a grande maioria corresponde, apenas, às partes duras esqueléticas, como conchas, dentes, ossos, carapaças ou espículas. </li></ul>
  4. 7. Tipos de fósseis <ul><li>Somatofóssil: Fóssil de restos somáticos (isto é, do corpo) de organismos do passado. Por exemplo, fósseis de dentes, de carapaças, de folhas, de conchas, de troncos, etc. </li></ul><ul><li>Icnofóssil: Fóssil de vestígios de actividade biológica de organismos do passado. Por exemplo, fósseis de pegadas, de marcas de mordidas, de ovos (da casca dos ovos), de excrementos (os coprólitos), de túneis e de galerias de habitação, etc. </li></ul>
  5. 8. Somatofóssil <ul><li>Fóssil de restos somáticos (isto é, de restos corpóreos, integrantes do corpo) de organismos do passado (do Gr. sóma, sómatos , corpo + fóssil). </li></ul><ul><li>Somatofóssil de concha de vieira ( Pecten ). Miocénico do Algarve </li></ul>
  6. 9. Icnofóssil <ul><li>Fóssil de vestígios de actividade vital (isto é, de actividade biológica) de organismos do passado (do grego icnós, traço, vestígio + fóssil). </li></ul><ul><li>Icnofóssil de pegada de dinossáurio carnívoro (Terópode). Jurássico, Serra de Aire </li></ul>
  7. 10. Principais actividades produtoras de icnostruturas <ul><li>  </li></ul><ul><li>Deslocação </li></ul><ul><li>estruturas produzidas: pegadas, pistas, trilhos, etc. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Alimentação </li></ul><ul><li>estruturas: marcas de dentadas, gastrólitos, coprólitos, etc. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Habitação </li></ul><ul><li>estruturas: galerias, tocas, túneis, etc. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Reprodução </li></ul><ul><li>estruturas: ovos, posturas, ninhos, etc. </li></ul>
  8. 12. Em que condições se formam os fósseis?
  9. 16. O isolamento dos cadáveres e restos de seres vivos da erosão atmosférica <ul><li>Os cadáveres ou restos de seres vivos têm de ficar rapidamente isolados dos agentes erosivos, do seu poder oxidante e microbiano que rapidamente os decompõem, inclusive as partes duras mineralizadas. </li></ul>
  10. 17. A presença de esqueleto interno ou externo mineralizado resistente <ul><li>Os organismos que possuem esqueleto interno ou externo, resistente, de natureza mineral, têm mais hipóteses </li></ul>
  11. 18. A natureza dos sedimentos envolventes <ul><li>Se os sedimentos que envolvem e cobrem os cadáveres e restos de organismos são finos, como as argilas e os siltes, a fossilização é melhor sucedida. Nos sedimentos grosseiros, como as areias e os conglomerados, as águas de circulação destroem e decompõem a matéria orgânica. </li></ul>
  12. 19. A geoquímica do meio <ul><li>O meio oxidante não facilita a fossilização, ao contrário do meio redutor ou anaeróbio que propícia a conservação, inclusive das partes moles dos organismos. </li></ul>
  13. 20. As características do meio ambiente <ul><li>Os ambientes em que há abundância de alimentos, com boas condições de segurança e defesa são, em geral, superpovoados aumentando a probabilidade dos organismos fossilizarem. Quando existe um grande número de predadores e necrófagos os organismos são consumidos como alimento de outros seres vivos. </li></ul>
  14. 21. O clima <ul><li>Nos climas tropicais quentes e húmidos a decomposição dos organismos dá-se de forma extremamente rápida, pelo contrário nos climas frios dá-se a preservação dos organismos, uma vez que a baixa temperatura inibe a acção de agentes bacterianos. </li></ul>
  15. 23. Etapas
  16. 24. <ul><li>1- Quando morreram os animais depositaram-se no fundo do mar sendo rapidamente cobertos por sedimentos; </li></ul><ul><li>2- Ao ficarem incorporados nos sedimentos sofreram os mesmos fenómenos de diagénese e metamorfismo, fossilizando; </li></ul><ul><li>3- As rochas onde os fósseis se encontram incorporados sofrem modificações que fazem elevar alguns estratos; </li></ul><ul><li>4- Os fósseis, devido à erosão ou a outros factores aparecem a superfície alguns milhões de anos mais tarde. </li></ul>
  17. 30. Principais processos de fossilização
  18. 31. Conservação <ul><li>Os restos dos organismos mantêm-se quase inalterados, apenas com modificações mínimas. </li></ul><ul><li>Este processo inclui a mumificação , em que o cadáver sofre sobretudo desidratação. É o aprisionamento/ envolvimento de organismos em substâncias fossilizantes, como o âmbar, asfalto, gelo ou sílica, permanecendo aí conservados. </li></ul>
  19. 32. <ul><li>O exemplo mais conhecido de conservação, é a dos mamutes da Sibéria conservados no gelo. </li></ul><ul><li>Os insectos aprisionados e conservados no âmbar (resina), é outro exemplo muito conhecido. </li></ul>
  20. 34. Mineralização <ul><li>A fossilização dá-se por transformações químicas, pelas quais a matéria orgânica é substituída por matéria mineral, como a calcite, a sílica e a pirite, entre outros. </li></ul>
  21. 37. Incarbonização <ul><li>Processo comum de fossilização dos vegetais e animais com esqueletos de natureza quitinosa. Consiste no enriquecimento progressivo em carbono em relação aos outros elementos químicos da matéria orgânica. </li></ul>
  22. 39. Moldagem <ul><li>Este processo consiste na reprodução da morfologia interna ou externa de um resto de organismo pelo sedimento consolidado que o preenche ou envolve, respectivamente. </li></ul><ul><li>Chama-se molde interno quando a reprodução é do interior do organismo, por exemplo, o interior das conchas. </li></ul><ul><li>O molde externo reproduz a morfologia externa do organismo fóssil. </li></ul>
  23. 42. Impressão <ul><li>As impressões são moldes externos de estruturas finas (baixo relevo), como folhas ou penas e rastos deixados por seres vivos. As impressões são conservadas quando os sedimentos moles em que foram deixadas sofrem diagénese, petrificando-as. </li></ul>
  24. 45. Marcas e vestígios de actividade dos seres vivos <ul><li>As marcas ou vestígios de actividades vitais dos seres vivos, também podem ser fossilizadas – conhecidos por icnofósseis – como pistas, tubos, pegadas, ovos, ninhos e fezes. </li></ul><ul><li>Estes últimos, chamados coprólitos , podem fornecer uma ideia do comportamento alimentar do animal. </li></ul>
  25. 47. Importância do estudo dos fósseis
  26. 48. A importância dos fósseis <ul><li>Os fósseis são uma importante ferramenta para os geólogos e biólogos. Através do estudo dos fósseis os geólogos são capazes de identificar o paleoambiente gerador das rochas sedimentares bem como sua idade relativa, o movimento dos continentes, a variação do clima da Terra etc. A indústria do petróleo, em todo o mundo, utiliza-se também das informações oferecidas pelos fósseis para encontrar óleo, gás natural, etc. </li></ul><ul><li>Por outro lado, os biólogos, que procuram entender como surgiu a grande diversidade de organismos, utilizam os fósseis nos seus estudos evolutivos. O entendimento dos processos que controlaram a evolução e dispersão dos organismos por toda Terra são úteis para a compreensão de temas como o surgimento da vida, surgimento de novas espécies, crises biológicas etc. </li></ul>
  27. 49. Fósseis de idade
  28. 51. Fósseis de Fácies
  29. 61. Resumindo… <ul><li>Um fóssil pode ser definido como o resto ou o molde de um organismo, ou ainda, um vestígio da sua actividade, preservado em rochas. </li></ul><ul><li>A fossilização completa raramente ocorre… </li></ul>
  30. 63. Quanto aos Principais métodos de fossilização…
  31. 66. Quanto aos Tipos de fósseis…
  32. 68. Algumas fotografias de fósseis
  33. 75. Fim http://biogeo2.wordpress.com/

×