Argumentos do Evolucionismo

45,908 views
45,385 views

Published on

Breve apresentação sobre os argumentos do evolucionismo pós-Darwin

Published in: Health & Medicine, Technology
1 Comment
8 Likes
Statistics
Notes
  • Although I couldn’t translate most of this presentation, it looks great!:D Some cool pics there.
    http://www.hollandshirt.info
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
45,908
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8,293
Actions
Shares
0
Downloads
999
Comments
1
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Argumentos do Evolucionismo

  1. 1. Argumentos do evolucionismo
  2. 2. <ul><li>Inicialmente, a implantação do evolucionismo foi possível devido aos inúmeros argumentos, a seu favor fornecidos especialmente pela Paleontologia, Anatomia Comparada, Embriologia e Biogeografia. Mais tarde, após os avanços da Biologia Moderna, argumentos citológicos, bioquímicos e genéticos vieram reforçar esta teoria. </li></ul>
  3. 3. Argumentos do Evolucionismo Anatomia Comparada
  4. 5. Argumentos de Anatomia Comparada <ul><li>Os argumentos anatómicos baseiam-se na existência de : </li></ul><ul><li>órgãos análogos (são órgãos que têm origem, estrutura e posição relativa diferentes desempenhando a mesma função); </li></ul><ul><li>órgãos homólogos (são órgãos que têm a mesma origem, a mesma estrutura básica e posição idêntica no organismo, podendo desempenhar funções diferentes); </li></ul><ul><li>órgãos vestigiais (são órgãos que resultam da atrofia de um órgão primitivamente desenvolvido). </li></ul>
  5. 6. Argumentos de Anatomia Comparada: Órgãos Homólogos
  6. 7. Órgãos Homólogos
  7. 8. Órgãos Homólogos
  8. 9. Órgãos Homólogos <ul><li>Surgem por divergência evolutiva. </li></ul><ul><li>Traduzem adaptações de um grupo de organismos com a mesma origem evolutiva a ambientes variados. </li></ul><ul><li>São o resultado de órgãos sujeitos a pressões selectivas diferentes (conjunto de factores que condicionam a vida dos indivíduos e que os obrigam a evoluir em direcções diferentes). </li></ul>
  9. 10. Órgãos Homólogos
  10. 11. Argumentos de Anatomia Comparada: Órgãos Análogos
  11. 12. Órgãos Análogos
  12. 13. Órgãos Análogos <ul><li>Surgem por convergência evolutiva. </li></ul><ul><li>São provas de adaptação de organismos diferentes a um mesmo meio. </li></ul><ul><li>Não devem ser interpretados como sinal de parentesco entre organismos que os possuem, mas sim como o resultado de uma adaptação ao mesmo ambiente (pressões selectivas semelhantes). </li></ul>
  13. 14. Órgãos Homólogos
  14. 15. Argumentos de Anatomia Comparada: Órgãos Vestigiais
  15. 16. Órgãos Vestigiais
  16. 17. Órgãos Vestigiais <ul><li>São órgãos que tiveram significado morfofuncional num antepassado, mas que no presente têm uma função reduzida ou não evidente. </li></ul><ul><li>Nestas situações, o ambiente actuou no sentido regressivo, privilegiando os indivíduos que iam surgindo com esses órgãos cada vez mais reduzidos. </li></ul><ul><li>Ao longo de milhões de anos tornaram-se rudimentares, vestigiais, isto é, não funcionais. </li></ul>
  17. 18. Órgãos Homólogos
  18. 19. Argumentos do Evolucionismo Argumentos Paleontológicos
  19. 20. Argumentos Paleontológicos <ul><li>A Paleontologia é o estudo dos fósseis e estes podem corresponder a formas já extintas ou a formas vivas. </li></ul><ul><li>Consideram-se três tipos de fósseis: </li></ul><ul><li>- fósseis de formas extintas </li></ul><ul><li>- fósseis de transição ou formas sintéticas </li></ul><ul><li>- “fósseis vivos” </li></ul>
  20. 21. Argumentos Paleontológicos Fósseis de formas extintas
  21. 22. Fósseis de formas extintas <ul><li>São fósseis que não têm representantes actuais, contrariando assim a imutabilidade das espécies, na medida em que levam a admitir que a Terra foi habitada, ao longo do tempo, por formas diferentes de seres vivos. </li></ul>
  22. 27. Fósseis de Transição <ul><li>Correspondem a formas que possuíam características intermédias de grupos actualmente existentes. </li></ul><ul><li>São documentos que permitem concluir que as espécies não são independentes quanto à sua origem, contrariando as ideias fixistas. </li></ul>
  23. 29. “Fósseis vivos” <ul><li>Tratam-se de seres vivos que ao longo de milhões de anos permaneceram inalterados, como representantes de um grupo que viveu no seu tempo. </li></ul><ul><li>Na realidade, houve fixistas que usaram este fósseis como argumentos fixistas… </li></ul>
  24. 30. Ex: Ginko biloba
  25. 31. Nautilus
  26. 32. Argumentos do Evolucionismo Argumentos Embriológicos
  27. 33. Argumentos Embriológicos <ul><li>Com base na comparação das diferentes fases do desenvolvimento embrionário de diferentes organismos, podem estabelecer-se relações de parentesco entre os seres vivos. </li></ul><ul><li>Assim, quanto mais semelhantes forem as fases do desenvolvimento embrionário, mais aparentados estes são, isto é, menor a distância filogenética entre eles. </li></ul>
  28. 34. Argumentos Embriológicos
  29. 35. Argumentos do Evolucionismo Outros argumentos…
  30. 36. Argumentos biogeográficos <ul><li>Estes argumentos baseiam-se em dois casos distintos: </li></ul><ul><li>Existência de seres vivos semelhantes em regiões muito afastadas (não houve divergência evolutiva após a sua separação) </li></ul><ul><li>Ocorrência de grande diversidade de seres vivos em zonas geograficamente próximas (houve divergência evolutiva) </li></ul>
  31. 37. Argumentos citológicos <ul><li>Consiste na constatação de que todos os organismos são constituídos pelas mesmas unidades básicas: as células. A uniformidade dos processos e mecanismos celulares pressupõe também uma unidade evolutiva (ex: as semelhanças entre as estrutura das membranas celulares e os processos de divisão celular) </li></ul>
  32. 38. Argumentos bioquímicos <ul><li>Os argumentos bioquímicos são baseados no facto de: </li></ul><ul><li>- todos os seres vivos serem constituídos pelos mesmos tipos de biomoléculas (proteínas, lípidos, glícidos, ácidos nucleícos, aminoácidos, água e sais minerais); </li></ul><ul><li>- os mecanismos básicos serem idênticos em todos os seres vivos, a nível molecular (código genético, síntese proteica, etc.) </li></ul>

×