• Save

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Dinâmica Externa da Terra

on

  • 43,450 views

 

Statistics

Views

Total Views
43,450
Views on SlideShare
37,804
Embed Views
5,646

Actions

Likes
75
Downloads
0
Comments
10

12 Embeds 5,646

http://ciencias8ano.wordpress.com 5367
http://www.slideshare.net 184
http://www.agrupamentoverticalcristelo.edu.pt 59
http://ebivalerosal.net.educom.pt 19
http://mikajojo.webnode.com.br 10
http://translate.googleusercontent.com 1
https://twimg0-a.akamaihd.net 1
http://www.facebook.com 1
http://www.ig.gmodules.com 1
http://webcache.googleusercontent.com 1
http://ig.gmodules.com 1
http://cms.mikajojo.webnode.com.br 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

110 of 10 Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Dinâmica Externa da Terra Dinâmica Externa da Terra Presentation Transcript

    • Dinâmica Externa da Terra
      Minerais e Rochas
      Outubro de 2009
    • Conceitos
      Geologia: ciência que estuda a Terra.
      Rocha: agregado natural de minerais.
      Afloramento: rochas expostas à superfície do solo, directamente observáveis.
      Mineral: substância sólida, natural e inorgânica, cristalina e de composição química bem definida.
    • Classificação das rochas
      Quanto à origem podem ser
    • Rochas Magmáticas – resultam da solidificação do magma.
      Rochas Sedimentares – originam-se a partir da deposição de materiais resultantes da alteração de outras rochas.
      Rochas Metamórficas – resultam da transformação de rochas pré-existentes sob a acção de pressões e temperaturas elevadas.
    • Carta geológica de Portugal
    • Propriedades dos minerais
    • Cor
      Característica dos minerais que deve ser observada à luz natural.
      Minerais idiocromáticosApresentam cor constante.
      Minerais alocromáticosApresentam cor variável.
    • Traço ou risca
      É a cor do pó do mineral.
      Apesar de a cor do mineral poder variar, a risca, normalmente, mantém-se constante, podendo, em certos casos, ser diferente da própria cor do mineral.
      A risca pode ser facilmente determinada friccionando o mineral sobre uma placa de porcelana.
      Hematite: traço vermelho-sangue
    • Brilho
      É o modo como os minerais reflectem a luz natural.
      Brilho metálico
      Semelhante ao brilho dos metais.
      Brilho não metálico
      • Vítreo
      • Nacarado
      • Adamantino
      • Gorduroso
      Quartzo - vítreo
    • Clivagem e fractura
      Estas características estão relacionadas com a resistência que os minerais oferecem após choque mecânico (por exemplo, depois da pancada de um martelo).
      Um mineral apresenta clivagem quando se parte segundo direcções preferenciais, desenvolvendo superfícies planas e brilhantes.
      Um mineral apresenta fractura quando se parte segundo superfícies irregulares.
      Clivagem - calcite
      Fractura - quartzo
    • Dureza
      Resistência que um mineral oferece ao ser riscado por outro mineral ou por determinados objectos com dureza-padrão. A escala de dureza mais conhecida é a escala de Mohs.
      Se o mineral risca e é riscado por determinado termo, a dureza do mineral será correspondente à desse termo;
      Se o mineral risca determinado termo, não sendo riscado por ele, e é riscado pelo termo imediatamente superior, não o riscando, a dureza do mineral expressa-se pela dureza do termo inferior acrescido de 0,5.
    • Reacção ao ácido
      Ao deitar umas gotas de ácido (HCl) em alguns minerais, observa-se o fenómeno de efervescência (formação de bolhas).
      Um exemplo de um mineral que reage com HCl é a calcite, mineral rico em carbonato (carbonato de cálcio), que liberta dióxido de carbono após contacto com o ácido.
      Calcite + HCl = Libertação de CO2
    • Exercícios de aplicação
      Completa a chave dicotómica seguinte com base nos minerais ilustrados.
      Olivina
      Calcite
      Mica branca (moscovite)
      Mica preta (biotite)
      Quartzo
      Ortóclase
    • Exercícios de aplicação
      No campo, para determinar a dureza dos minerais, os geólogos usam objectos mais fáceis de transportar do que a Escala de Mohs. Observa o quadro seguinte.
      Refere um mineral que:
      1 – seja riscado pelo diamante;
      2 – seja riscado pela unha;
      3 – risque o vidro e seja riscado por uma lima de aço;
      4 – seja riscado por uma lima de aço e que não risque o vidro.
    • Rochas Magmáticas ou Ígneas
      As rochas magmáticas formam-se por solidificação do magma.
      São as rochas mais abundantes na Natureza.
      Rochas magmáticas vulcânicas Quando o magma solidifica à superfície.
      Rochas magmáticas plutónicas Quando o magma solidifica em profundidade.
    • Granito – rocha magmática plutónica
      Basalto – rocha magmática vulcânica
    • Constituição do granito e do basalto
    • Textura das rochas magmáticas
      O tamanho, a forma e o arranjo dos minerais define a Textura de uma rocha.
    • Textura fanerítica - Cristais bem desenvolvidos, visíveis à “vista desarmada”.
      Granito
      Textura afanítica - Cristais pequenos, pouco visíveis à “vista desarmada”.
      Basalto
    • Utilização das rochas magmáticas
      Granito
      Basalto
      Habitações
      Habitações
      Ornamento de passeios
      Esculturas
    • Exercícios de aplicação
      Completa o seguinte texto, de modo a obteres afirmações correctas:
      magmáticas
      plutónica
      em profundidade
      lento
      o quartzo
      bem
      visíveis
      as micas
      o felsdpato
      à superfície
      vulcânica
      pouco
      rápido
      as piroxenas
      as olivinas
      vítrea
      plagioclases
    • Rochas Sedimentares
      As rochas sedimentares formam-se a partir da deposição de sedimentos provenientes de rochas pré-existentes.
      Geralmente dispõem-se em estratos nos quais, frequentemente, se encontram fósseis.
      Praia da Rocha
    • Formação das rochas sedimentares
    • Meteorização
      Conjunto de processos físicos e químicos que provocam a alteração das rochas (acção do gelo, dos seres vivos,…).
      Quando a água congela, aumenta de volume, provocando e/ou aumentando as fracturas das rochas.
      As raízes das plantas, ao penetrarem nas fendas das rochas, favorecem a sua alteração.
    • Erosão
      Remoção dos materiais resultantes da meteorização. É realizada pelos agentes erosivos: chuva, rios, mar, vento, …
      Erosão provocada pelo vento
      Erosão provocada pelas ondas
      Erosão provocada pelo rio
    • Transporte
      Movimento/deslocação dos sedimentos. Os principais agentes de transporte são a gravidade, a água, o vento, os glaciares, …
      Erosão e transporte realizados pela água de um rio
      Erosão e transporte por acção de um glaciar
    • A duração do transporte depende do peso dos sedimentos e da velocidade do agente transportador. Durante este processo, os materiais continuam a ser desgastados, tornando-se cada vez mais arredondados e pequenos.
    • Sedimentação
      Deposição dos sedimentos, geralmente em camadas – os estratos. A maioria dos sedimentos é depositada no fundo de lagos, rios, mares – bacias sedimentares.
    • Diagénese
      A diagénese engloba duas sub-etapas: a compactação e a cimentação.
      Compactação – consiste na diminuição de volume devido ao peso (pressão) dos sedimentos sobre os que estão por baixo; há redução dos espaços vazios e perda de água.
      Cimentação – resulta da existência de substâncias dissolvidas na água que formam um cimento que une os sedimentos.
    • Tipos de rochas sedimentares
      Quanto à natureza dos sedimentos
    • Rochas Sedimentares Detríticas
      As rochas sedimentares detríticas formam-se por acumulação de detritos resultantes da alteração e desagregação de rochas pré-existentes.
      Rochas sedimentares detríticas não consolidadas
      Formadas por detritos soltos.
      Rochas sedimentares detríticas consolidadas
      Formadas por detritos que estão ligados entre si.
    • Rochas Sedimentares Detríticas Não Consolidadas
      Fendas de dessecação na argila
      Argila
      Areia
      Cascalho
    • Rochas Sedimentares Detríticas Consolidadas
      Conglomerado
      Arenito
      Brecha
      Argilito
    • Rochas Sedimentares Quimiogénicas
      As rochas sedimentares quimiogénicas resultam da precipitação de substâncias que se encontram dissolvidas na água.
      O Sal-gema é uma rocha sedimentar que se forma por evaporação natural da água do mar, essencialmente constituída por halite (mineral que resulta da precipitação de sais de cloreto de sódio).
      Sal-gema
      Halite
    • O calcário é constituído por apenas um mineral, a calcite, fazendo, por isso, efervescência com os ácidos. Esta rocha sedimentar resulta da precipitação de carbonato de cálcio em ambientes aquáticos.
      As águas ricas em dióxido de carbono, em contacto com o calcário, removem a calcite, ficando o carbonato de cálcio dissolvido na água. Se essa água perder o dióxido de carbono, originar-se-á novamente calcite que, ao depositar-se, pode formar um novo calcário.
      Modelado Cársico
    • Modelado Cársico
    • Lapiás
      Dolina
      Algar
      Gruta
      Estalactite
      Coluna
      Terra rossa
      Estalagmite
    • Rochas Sedimentares Biogénicas
      As rochas sedimentares biogénicas resultam da acumulação de materiais provenientes de seres vivos.
      Calcário conquífero – formado, essencialmente, pela acumulação de conchas de animais marinhos.
      Carvão – resulta da transformação lenta de restos de vegetais acumulados em ambientes aquáticos pouco profundos e pouco oxigenados como, por exemplo, os pântanos.
      Calcário coralígeno – formado, essencialmente, pela deposição de estruturas provenientes de corais.
    • Rochas Metamórficas
      As rochas metamórficas formam-se no interior da Terra a partir de rochas pré-existentes, devido à acção de temperaturas e pressões elevadas.
      Metamorfismo
      Rochas Magmáticas
      Rochas Metamórficas
      Rochas Sedimentares
      Temperatura e pressão elevadas
      Rochas Metamórficas
    • Tipos de metamorfismo
      Metamorfismo regional
      Metamorfismo de contacto
    • Metamorfismo de contacto
      Ocorre, geralmente, a baixas profundidades, associado a intrusões magmáticas: o contacto do magma quente com as rochas encaixantes, provoca alterações texturais e mineralógicas nessas mesmas rochas.
      Principal agente de metamorfismo
      Calor(temperatura)
    • Metamorfismo
      Mármore
      Calcário
      Metamorfismo
      Quartzito
      Arenito
    • Metamorfismo regional
      Está associado a zonas de subducção e à formação de cadeias montanhosas, onde a pressão e a temperatura são elevadas.
      Principais agentes de metamorfismo
      Pressão e temperatura
    • Argilito
      Xisto
      Micaxisto
      Ardósia
      Metamorfismo
      Granito
      Gnaisse
    • Foliação: textura característica das rochas metamórficas, onde os minerais ficam orientados segundo determinados planos, resultantes das elevadas pressões a que estão sujeitos.
      Antes da compressão
      Após a compressão
    • Rochas foliadas
      Gnaisse
      Xisto
      Rochas não foliadas
      Mármore
      Quartzito
    • Ciclo das Rochas
    • Paisagens Geológicas
      Paisagens magmáticas graníticas
      Caos de blocos
      Localização das rochas magmáticas plutónicas
    • Paisagens magmáticas basálticas
      Paisagens basálticas
      Localização das rochas magmáticas vulcânicas
    • Paisagens sedimentares
      Dunas
      Localização das rochas sedimentares
    • Paisagens sedimentares
      Chaminés-de-fada
      Modelado cársico
    • Paisagens metamórficas
      Localização das rochas metamórficas