Claudia Alexandra de Souza PintoKamil GiglioK    il Gi liKelly Cristina BenettiRoseli Maria de Souza Oliveira
Convergência como mudança         cultural            Convergence culture:            where the old and new media         ...
Sobre o autor  Co-diretor do Programa de Estudos de Mídia Comparadado MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ondel...
Sobre o autor• B.A. em Ciências Políticas e em Jornalismo pela GeorgiaState University Mestrado em Estudos de Comunicação ...
Introdução               “Venere no altar da                  convergência”                        g                Slogan...
Como uma colagem dePhotoshop de um alunosecundarista publicada em seusite pessoal na web poderiadesencadear uma controvérs...
Mas e se...   O inocente personagem de Vila Sésamo  fosse visto em outras fotos? Por exemplo:     Como membro da Klu Klux ...
E ainda se...  Após 11 de setembro, um editor de Bangladesh  buscasse na rede uma imagem de Bin Laden  para i       imprim...
Where is Bert?
http://www.infoguerra.com.br/infonews/talk/1002843293,53397,.shtml
Como criar uma controvérsiamundial de sua própria casa  As imagens de Ignacio cruzaram o mundo, algumas vezes  por meios c...
“BEM-VINDOS“BEM VINDOS A CULTURA DACONVERGÊNCIA ( )”              (...)•   (...)    ( ) onde as velhas e as novas mídias c...
Convergência é            (para Jenkins)   O fluxo de conteúdos através d múltiplas plataformas     fl    d     t úd    t ...
Convergência é          (para Jenkins)  Uma palavra que consegue descrever  transformações tecnológicas, mercadológicas,  ...
Pressupostos do autor  A circulação de conteúdos depende fortemente da  participação ativa dos consumidores  Sua b d  S ab...
Cultura Participativa   Ele pensa a convergência como uma mudança cultural                                             cul...
Inteligência Coletiva(expressão cunhada por Pierre Lévy)                              Lévy)    “Convergência ocorre d t d ...
Paradigma Atual(convivência de diversas mídias)    A mudança dos meios está em c rso os      m dança                   cur...
Como os consumidores devemagir?  Devemos procurar as habilidades e as p          p                            práticas q n...
Como os produtores devem        pagir?  Os meios irão convergir e divergir por algum tempo.  Mudança de paradigma, um movi...
E o que vai acontecer?   As mudanças das indústrias midiáticas estão sendo   dirigidas por cálculos econômicos, e não por ...
As dicas de Jenkins:  1. A convergência está chegando e é bom você    se preparar.  2. A convergência é mais difícil do qu...
Cap. 1 – D           C        Desvendando os                          d d             segredos de Survivor●   Principais t...
Cap. 2 – Entrando no jogo de  p                  j g ● Reality TV “ O que houve foi o deslocamento da interação em tempo r...
Cap. 2 - FC        Franquia t               i transmidiática                       idiáti Programa de TV    g Disco Livro ...
Cap. 2- M            C    2 Merchandising                       h di i                                                    ...
Cap. 2 - Economia afetiva“[...] refere-se a uma nova configuração da teoria de  marketing, ainda incipiente mas ganhando t...
Cap. 2 - E  C        Economia afetiva                 i   f tiMoldar os desejos dos consumidores para direcionaras decisõe...
Cap. 2- Economia afetiva“Eis o paradoxo: ser desejado pelas redes é ter seus desejos  transformados em mercadorias.”  Visi...
Cap. 2- Economia afetiva“ [ ] possibilita que os anunciantes utilizem a força  [...]   da inteligência coletiva, direciona...
Banners internet – PTC – Pay to ClickBuckstoMy bucksPTR – Pay to readPEER – acessar sites (remoto)
http://www.supergrana.com
Cap. 2 - Fofoca a favor da      p         convergência!Garante assuntoG    t       tBlogsSentimento de fazer parte - voto
Cap. 3 – E b              C        Em busca d                                do              Unicórnio de Origami●   Tema ...
Cap. 4 – Star Wars e os games- Interatividade x Participação.- Cultura Tradicional / Cultura de Massa / Cultura da Converg...
Cap. 4 – Star Wars e os games- JOGOS   (Games)        - Cultura participativa         - Novas versões produzidas para usuá...
Cap.Cap 5 – Por que Heather tem       q       que escrever    Letramento Midiático e as     Guerras de Harry Potter
Cap.Cap 5 – Por que Heather tem       q       que escreverNos capítulos anteriores vimos que as mídias corporativasreconhe...
Cap.Cap 5 – Letramento MidiáticoOs consumidores estão utilizando as novas tecnologiasmidiáticas para se envolver com o con...
Cap.Cap 5 – As guerras de PotterQuando a Warner Bros comprou os direitos para filmagem                Bros.dos livros de R...
Cap. Cap 5 – As guerras de PotterEmpenho das mídias corporativas em q  p                   p            querer darlições s...
Quando a fantasia se Q    d f t itorna sim realidade
Cap. 6 – Photoshop pela                      Democracia- Nova relação entre p           ç         política e cultura p p  ...
Cap. 6 – Photoshop pela                Democracia- Poder das redes sociais na WEB.            - TV x WEB              - TV...
O último parágrafo do livroevidencia que estamos diante demuitas possibilidades...
“Bem-vindo a cultura da convergência, onde asvelhas e novas mídias colidem, onde o público eas corporações d mídia cruzam-...
“(...) A cultura da convergência é o futuro, masestá sendo moldada no presente. C  tá    d    ld d           t Consumidore...
Cultura da Interface       C lt    d I t fComportamento da novas tecnologiasInserção delas no mercadoDesktop - “Escrivanin...
BibliografiaJENKINS, HenryJENKINS Henry. Cultura da convergência. São                          convergência  Paulo: Aleph,...
Cultura da Convergencia - Henry Jenkins
Cultura da Convergencia - Henry Jenkins
Cultura da Convergencia - Henry Jenkins
Cultura da Convergencia - Henry Jenkins
Cultura da Convergencia - Henry Jenkins
Cultura da Convergencia - Henry Jenkins
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Cultura da Convergencia - Henry Jenkins

8,068

Published on

Apresentação sobre o livro do Jenkins para disciplina História e Teoria da Mídia no PPPEGC

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
8,068
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
233
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cultura da Convergencia - Henry Jenkins

  1. 1. Claudia Alexandra de Souza PintoKamil GiglioK il Gi liKelly Cristina BenettiRoseli Maria de Souza Oliveira
  2. 2. Convergência como mudança cultural Convergence culture: where the old and new media collide. New York: New York University Press, 2006, 308 p. y , , p No Brasil foi lançado em 2008 pela Ed. Aleph
  3. 3. Sobre o autor Co-diretor do Programa de Estudos de Mídia Comparadado MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ondelecionou por mais de 16 anos Co-autor Co autor de uma coluna sobre games na revista ComputerGames Um dos principais pesquisadores na The EducationArcade, um consórcio de educadores e líderes empresariais , pque trabalham para promover a utilização pedagógica docomputador e vídeo games
  4. 4. Sobre o autor• B.A. em Ciências Políticas e em Jornalismo pela GeorgiaState University Mestrado em Estudos de Comunicação pela Universidadede Iowa PhD em Comunicação e Artes da Universidade deWisconsin-Madison
  5. 5. Introdução “Venere no altar da convergência” g Slogan do The New Orleans Media Experience (2003) E iBert i Evil! is il
  6. 6. Como uma colagem dePhotoshop de um alunosecundarista publicada em seusite pessoal na web poderiadesencadear uma controvérsiainternacional?
  7. 7. Mas e se... O inocente personagem de Vila Sésamo fosse visto em outras fotos? Por exemplo: Como membro da Klu Klux Klan Ao lado de Hitler Transando com a Pamela Anderson Com O. J. Simpson entre outras... Tem até abraçado a Michael Jackson quando criança, criança tentando explicar as origens para as acusações de pedofilia sofridas pelo astro pop
  8. 8. E ainda se... Após 11 de setembro, um editor de Bangladesh buscasse na rede uma imagem de Bin Laden para i imprimir cartazes, pôsteres e camisetas i i t ô t i t antiamericanas e pegasse uma “inocente” foto inocente para colocar em sua campanha? A foto fosse impressa em milhares de pôsteres e distribuída em todo o Oriente Médio?
  9. 9. Where is Bert?
  10. 10. http://www.infoguerra.com.br/infonews/talk/1002843293,53397,.shtml
  11. 11. Como criar uma controvérsiamundial de sua própria casa As imagens de Ignacio cruzaram o mundo, algumas vezes por meios comerciais, outras, por meios alternativos. Inspiraram seu próprio culto culto. Ignacio decidiu tirar o seu site na web: “Acho q tudo isso g que chegou perto demais da realidade... ‘Bert is Evil!’ e seus seguidores sempre estiveram controlados, longe dos g grandes meios de comunicação. Esta q ç questão os trouxe ao conhecimento público”.
  12. 12. “BEM-VINDOS“BEM VINDOS A CULTURA DACONVERGÊNCIA ( )” (...)• (...) ( ) onde as velhas e as novas mídias colidem onde colidem, mídia corporativa e mídia alternativa se cruzam, onde o poder do produtor e o poder do consumidor interagem de maneiras imprevisíveis”. (JENKINS, p. 27)• Três conceitos a serem trabalhados no livro: convergência midiática cultura participativa inteligência coletiva
  13. 13. Convergência é (para Jenkins) O fluxo de conteúdos através d múltiplas plataformas fl d t úd t é de últi l l t f midiáticas, a cooperação entre múltiplas indústrias , p ç p midiáticas e ao comportamento migratório dos públicos dos meios de comunicação, dispostos a ir quase a qualquer parte em busca do tipo desejado de experiências de entretenimento.
  14. 14. Convergência é (para Jenkins) Uma palavra que consegue descrever transformações tecnológicas, mercadológicas, culturais e sociais d lt i i i dependendo d quem está d d de tá falando e do que imaginam estar falando. Com a convergência toda história é contada, toda g marca é vendida e todo o consumidor é cortejado por múltiplos suportes midiáticos midiáticos.
  15. 15. Pressupostos do autor A circulação de conteúdos depende fortemente da participação ativa dos consumidores Sua b d S abordagem não evoluiu pelo d t ã l i l destaque d idéi d da idéia de convergência como um p g processo tecnológico p g pelo q qual teremos múltiplas funções das mídias em um mesmo aparelho
  16. 16. Cultura Participativa Ele pensa a convergência como uma mudança cultural cultural, em que os consumidores migram de um comportamento de espectadores, mais passivos, para uma cultura mais participativa. É transformação cultural porque os consumidores são incentivados a procurar novas i f i ti d informações e f õ fazer conexões em meio a conteúdos midiáticos dispersos.
  17. 17. Inteligência Coletiva(expressão cunhada por Pierre Lévy) Lévy) “Convergência ocorre d t d mentes d “C ê i dentro das t dos consumidores individuais e através de suas interações sociais com os outros” (p. 28) O consumo tornou-se um processo coletivo. Associação de recursos e união de habilidades e conhecimentos forma a inteligência coletiva (nem todos sabemos tudo sozinhos, mas juntos....) sozinhos juntos )
  18. 18. Paradigma Atual(convivência de diversas mídias) A mudança dos meios está em c rso os m dança curso, relacionamentos entre mídias estão sendo constantemente reconfigurados, e cada nova tecnologia vai desestabilizando as anteriores.
  19. 19. Como os consumidores devemagir? Devemos procurar as habilidades e as p p práticas q nos que permitirão interagir em larga escala por meios diferentes Mudança da lógica com que os meios operam e inter- operam, operam bem como as práticas dos consumidores de notícias e bens simbólicos Por isso processo social e cultural.
  20. 20. Como os produtores devem pagir? Os meios irão convergir e divergir por algum tempo. Mudança de paradigma, um movimento de conteúdos específicos que fluem através de múltiplos meios, com ífi fl t é d últi l i um crescente aumento da interdependência dos p sistemas de comunicação. Tornará mais complexa a relação entre as corporações da mídia top do n com a c lt ra participati a bottom mídia, top-down, cultura participativa, bottom- up.
  21. 21. E o que vai acontecer? As mudanças das indústrias midiáticas estão sendo dirigidas por cálculos econômicos, e não por uma grande tentativa de fortalecer o público (será que eles vencerão?) Como saber se as pessoas estão dispostas ou prontas para participar ativamente ou se preferirão o estabelecimento das mesmas relações da mídia de massa?
  22. 22. As dicas de Jenkins: 1. A convergência está chegando e é bom você se preparar. 2. A convergência é mais difícil do que parece. 3. Todos b 3 T d sobreviverão se todos trabalharem i ã t d t b lh juntos.
  23. 23. Cap. 1 – D C Desvendando os d d segredos de Survivor● Principais temas: Inteligência coletiva e comunidades de conhecimento.● “A inteligência Coletiva refere-se a capacidade das comunidades virtuais de alavancar a expertise combinada de seus membros. O que não podemos ou não sabemos fazer sozinhos, agora podemos fazer coletivamente” ( 54) l ti t ” (p● Análise da atuação de comunidades de “Spoilers” (Survivor) , como um ç p ( ) exemplo particular de comunidade de conhecimento.● O foco é, a partir dos exemplos das comunidades spoilers, analisar a ética e processo de resolução de problemas dentro de uma comunidade on-line.● Principais referências: Pierre Lévy e Peter Walsh.
  24. 24. Cap. 2 – Entrando no jogo de p j g ● Reality TV “ O que houve foi o deslocamento da interação em tempo real para a participação assíncrona”. ti i ã í ” ● Lucratividade L ti id d
  25. 25. Cap. 2 - FC Franquia t i transmidiática idiáti Programa de TV g Disco Livro Li Shows Cinema
  26. 26. Cap. 2- M C 2 Merchandising h di i “Foi moldado, em todos os níveis, por ostensivos cálculos comerciais”.• CContexto em que opera a televisão q p• MMarketing• CComportamento do consumidor =Economia afetiva.
  27. 27. Cap. 2 - Economia afetiva“[...] refere-se a uma nova configuração da teoria de marketing, ainda incipiente mas ganhando terreno g, p g dentro da indústria das mídias, que procura entender os fundamentos emocionais da tomada de decisão do consumidor como uma força motriz por trás das decisões de diê i t á d d i õ d audiência e d compra.” de ”
  28. 28. Cap. 2 - E C Economia afetiva i f tiMoldar os desejos dos consumidores para direcionaras decisões de compra; RETORNO FINANCEIRO
  29. 29. Cap. 2- Economia afetiva“Eis o paradoxo: ser desejado pelas redes é ter seus desejos transformados em mercadorias.” Visibilidade cultural do grupo vs. exploração Construir uma relação com a marca - Defensores da marca ç
  30. 30. Cap. 2- Economia afetiva“ [ ] possibilita que os anunciantes utilizem a força [...] da inteligência coletiva, direcionando-a a seus próprios fins, mas ao mesmo tempo, permite que os consumidores formem seu próprio tipo de estrutura coletiva de barganha, que podem usar para d desafiar as d i õ corporativas. fi decisões ti Capacidade d editar e evitar a publicidade; C id d de dit it bli id d Customização e personalização em massa.
  31. 31. Banners internet – PTC – Pay to ClickBuckstoMy bucksPTR – Pay to readPEER – acessar sites (remoto)
  32. 32. http://www.supergrana.com
  33. 33. Cap. 2 - Fofoca a favor da p convergência!Garante assuntoG t tBlogsSentimento de fazer parte - voto
  34. 34. Cap. 3 – E b C Em busca d do Unicórnio de Origami● Tema : narrativa transmidiática: historia que se desenrola em múltiplos suportes midiáticos (cinema, televisao, game, HQ). Cada suporte contribui de forma diferenciada para compreensão do todo.● Cada ponto de acesso a franquia deve ser autônomo (não é preciso ler o livro para gostar do filme ou do game), mas ao mesmo tempo é preciso criar uma interconexão entre eles eles.● Principal exemplo: Matrix● Transmídia p/ Jenkins: transforma os consumidores em coletores da informacaoe proporciona uma experiência mais rica de entretenimento.● Lógica econômica: indústria horizontalizada, que projeta o conteúdo para fluir em diferentes mídias, para atingir diferentes nichos e ampliar o público e alavancar vendas.
  35. 35. Cap. 4 – Star Wars e os games- Interatividade x Participação.- Cultura Tradicional / Cultura de Massa / Cultura da Convergência.- Fãs x Indústria – Formação de nova cultura;Criação de comunidades e novos conteúdos; Propriedade intelectual – contra racionalidade econômica;- Cultura dos fãs em contraponto a cultura de massa. - Cultura participativa (bottom up) x Corporações de Mídia (top down) (top-down)
  36. 36. Cap. 4 – Star Wars e os games- JOGOS (Games) - Cultura participativa - Novas versões produzidas para usuários se tornam extensãoda brincadeira. - Exemplos: The Sims Second Life Sims, Life. - Outro exemplo convergente:XBOX 360 é um video-game que funcionará como set-top box de IPTV(serviço disponibilizado somente no Reino Unido por enquanto).
  37. 37. Cap.Cap 5 – Por que Heather tem q que escrever Letramento Midiático e as Guerras de Harry Potter
  38. 38. Cap.Cap 5 – Por que Heather tem q que escreverNos capítulos anteriores vimos que as mídias corporativasreconhecem cada vez mais o valor, (e a ameaça) daparticipação dos fãs.Se fala muito em capital emocional e lovemarks, sobre aimportância do envolvimento e da participação do público emconteúdos midiáticos.Roteiristas e publicitários pensam na narrativa em termos decriação de oportunidades para a participação do consumidor.
  39. 39. Cap.Cap 5 – Letramento MidiáticoOs consumidores estão utilizando as novas tecnologiasmidiáticas para se envolver com o conteúdo dos velhosmeios de comunicaçãoPedagogia informal que surgiu das comunidades de fãsde HPTentativas de atrair o interesse pela leitura em aula ena biblioteca
  40. 40. Cap.Cap 5 – As guerras de PotterQuando a Warner Bros comprou os direitos para filmagem Bros.dos livros de Rowling e passou a querer controlar asapropriações dos fãs dos livros de Harry Potter, sob alegaçãoded que eles i f i i l infringiam a propriedade i t l t l d estúdio i d d intelectual do túdiExiste uma ação – e tensão – recíproca entre a força de cima ç p çpara baixo da convergência corporativa e a força de baixopara cima da convergência alternativa que estáimpulsionando muitas da s mudanças que observamos napaisagem midiática
  41. 41. Cap. Cap 5 – As guerras de PotterEmpenho das mídias corporativas em q p p querer darlições sobre tratamento responsável de suapropriedade intelectualConfronto da cultura participativa com duasgrandes forças que moldam a vida das crianças:educação e religião
  42. 42. Quando a fantasia se Q d f t itorna sim realidade
  43. 43. Cap. 6 – Photoshop pela Democracia- Nova relação entre p ç política e cultura p p ; popular; - Da cultura popular para a cultura pública (Do consumo para cidadania)- Maior participação de cidadãos e consumidores; - M k ti Vi l utilizado na campanha d eleições d 2004 nos EUA O Marketing Viral tili d h das l i õ de EUA.aumento exponencial da WEB promoveu mobilização e recorde de participação doseleitores. - Uso do Photoshop para criar montagens satíricas sobre política e cultura. cultura
  44. 44. Cap. 6 – Photoshop pela Democracia- Poder das redes sociais na WEB. - TV x WEB - TV: Cria cultura comum; - WEB: Reage a essa cultura;- O poder da WEB se expande, porém sem diminuir o poderda mídia de radiodifusão. Cultura da Convergência
  45. 45. O último parágrafo do livroevidencia que estamos diante demuitas possibilidades...
  46. 46. “Bem-vindo a cultura da convergência, onde asvelhas e novas mídias colidem, onde o público eas corporações d mídia cruzam-se, onde o poder õ da ídi d ddos produtores e dos consumidores da mídiainteragem em um caminho imprevisível ( ) g (...)”.(p.328)Mas já não vimos esta frase antes?
  47. 47. “(...) A cultura da convergência é o futuro, masestá sendo moldada no presente. C tá d ld d t Consumidores id serão mais poderosos em uma cultura daconvergência, mas somente se reconhecerem eusarem seu poder tanto como consumidores quanto como cidadãos como participantes cidadãos, plenos de nossa cultura (p.328). cultura” THE END ou seria o The Start?
  48. 48. Cultura da Interface C lt d I t fComportamento da novas tecnologiasInserção delas no mercadoDesktop - “Escrivaninha digital” - mouseJa e asJanelas – links sTexto – permanece inalterado (1997) - WikiAgentesUsabilidade
  49. 49. BibliografiaJENKINS, HenryJENKINS Henry. Cultura da convergência. São convergência Paulo: Aleph, 2008.JOHNSON, Steven. Cultura da Interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar.
  1. ¿Le ha llamado la atención una diapositiva en particular?

    Recortar diapositivas es una manera útil de recopilar información importante para consultarla más tarde.

×