O Centro Latino-Americano de Física: quase 50 anos de história
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O Centro Latino-Americano de Física: quase 50 anos de história

on

  • 938 views

Tópicos da história do CLAF a partir das conexões sócio-políticas e científicas dos seus fundadores.

Tópicos da história do CLAF a partir das conexões sócio-políticas e científicas dos seus fundadores.

Statistics

Views

Total Views
938
Views on SlideShare
937
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

1 Embed 1

http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O Centro Latino-Americano de Física: quase 50 anos de história O Centro Latino-Americano de Física: quase 50 anos de história Presentation Transcript

  • Carlos Alberto dos SantosProfessor Visitante SêniorIMEA - UNILAcarlos.santos@unila.edu.br
  • Conexõespessoais
  • ² Objetivos da palestra² Por que só Argentina e Brasil?² Cenários antes de 1950² CBPF, ELAF e CLAF² Giambiagi, Moshinsky, Leite Lopes² Conexões com Porto Alegre
  • Argentina Brasil² 1870: Observatório ² Poucos, USP e RJAstronômico de Córdoba ² 1947: Lattes(Gaviola, anos 1940) ² 1949: Betatron² 1940: 15 físicos ² 1949: CBPF² 1943: Perón; BernardoHoussay destituído daAAPC² 1943: Guido Beck² 1944: AFA² 1947: Nobel de Houssay² 1948: Ronald Richter
  • Em 1959, Marcos Moshinsky, que havíamos conhecidono Brasil no ano anterior, organizou a primeira EscolaLatino-americana de Física, na Cidade do México.Lá soubemos, através de um dos participantes dosEstados Unidos, que Theo Maris, físico nuclear teóricoda Universidade da Flórida, desejava trabalhar poralgum tempo na América do Sul.
  • http://www.claffisica.org/index.php?r=site/historia_do_claf
  • http://www.if.ufrgs.br/historia/if50anos/
  • v 1903: Liberecv 1921-1925: Vienav 1928-1932: Leipzig (Heisenberg)v 1933-1943: Praga, Kansas City, Odessa, Copenhague, Paris, Lyon, Lisboa, Porto, Coimbrav 1943: Córdoba (Enrique Gaviola)v 1951: CBPF e USPv 1962: Bariloche (Jose A. Balseiro)v 1975: CBPF (1988)
  • Escola de Verão do Instituto de Física de San Carlos de BarilocheAtualmente Oscar Sala Darcy Dillenburg
  • Maris Gerhard Antonio Balseiro
  • Graves problemas financeiros no CBPF . . .
  • ² 815 trabalhos publicados.² 74 dissertações de mestrado orientadas.² 60 teses de doutorado orientadas.
  • Miriani Griselda Pastoriza (Membro da ABC) ² Um dos maiores telescópios do hemisfério sul, com 1,60 m. ² No Brasil, o maior telescópio tinha 60 cm. ² Ao tentar sair da Argentina em 1976 (golpe de Jorge Rafael Videla), dificuldade em conseguiremprego porque seu ex-orientador, partidário dos militares,informava que era guerrilheira e assaltava quartéis.² Juan Jose Olmedo Clariá (Córdoba) fez a ponte para MGPchegar ao IF-UFRGS.² Se não fizeres política, receberás tudo que precisares paratrabalhar no Brasil.² Já no Chile, na ESO (European Organization for AstronomicalResearch in the Soutrhen Hemisphere) . . .
  • Pensou em voltar para a Univ. de Córdoba, já depois de serProfessora Titular do IF-UFRGS. Disseram que poderia voltarpara ser Chefe de Trabalhos Práticos, um cargo similar aode Professor Substituto no Brasil!
  • Alba Graciela Rivas de Theumann Walter Karl Theumann Professores TitularesEm 1966, quando terminamos o doutorado nos Estados Unidos,era a hora de voltarmos para a Argentina, mas ocorreu aditadura militar, que continuou até 1982. Não havia possibilidadede trabalho e existia uma perseguição ideológica difícil deimaginar no Brasil. Lá foi muito mais forte. Tínhamos muitosamigos e colegas desaparecidos, mortos por tortura. Se você forà UBA e entrar no corredor de ciências exatas, verá uma grandeparede onde estão escritos os nomes das pessoasdesaparecidas.
  • Horacio Oscar Girotti Professor Titular Vai para os Estados Unidos, fazer pós- graduação, depois do golpe de Juan Carlos Ongania, em 1966.² Em 1968 volta para concluir o doutorado na Universidade Nacional de La Plata, sob orientação de Carlos Guido Bollini e co-orientação de J.J. Giambiagi.² Em 1972, Giambiagi foi demitido e ficou desaparecido por dois ou três dias.² Giambiagi conseguiu que a PUC o contratasse, com a ajuda de Jaime Tiomno e Jorge Andrea Swieca. Estava tudo acertado, contrato redigido, mas de repente, sem ninguém “saber” a razão, tudo foi cancelado!² Por intermédio de Maris, Giambiagi conseguiu que o IF- UFRGS o contratasse.
  • Moni Behar Professor Titular Depois da queda de Juan Domingo Peron, em 1955, a UBA se transformou numa das mais importantes universidades da América Latina.² Em 1966, com o golpe de Onganía, 95% dos professores de física decidiram emigrar em bloco. Dos titulares não ficou ninguém.² Em 1976, foi o golpe definitivo. A universidade entrou em colapso.² Para o governo Videla a física era um bloco comunista. Atingiram até a Comissão Nacional de Energia Atômica.² Quando eu cheguei aqui, vindo de um centro de excelência que era a CNEA, fiquei muito impressionado com a biblioteca.
  • Jose Roberto Iglesias Professor Titular Em 1975, Professor na Universidade Nacional del Sur, saiu para fazer doutorado em Orsay.² Em 1976, com o golpe de Videla a universidade foi interditada e ele demitido.² Foi contratado em 1977 com $$ da Finep.² O CPD daqui era muito parecido com o da França.² O que me surpreendeu aqui foi o espaço físico da biblioteca. O acervo de periódicos era comparável ao da França, mas o espaço era muito pequeno e faltava muitos livros.² Uma coisa que me chocou quando cheguei era que os alunos vinham para a aula de chinelo de dedo. A informalidade daqui me chocava.
  • Horacio Alberto Dottori Professor Associado Entre 1976 e 1977, esteve sequestrado por órgãos militares durante 684 dias. Casado com Pastoriza, chega ao Brasil em 1978.² Concluiu o doutorado no IF-UFRGS.² O IF tinha recursos para pesquisa; receber um milhão de dólares da Finep era coisa normal. Eu acho que tive tudo que foi necessário para a minha pesquisa.² Sempre tivemos uma biblioteca bem atualizada.
  • GIAMBIAGI, M. Para una historia de la Asociacion FisicaBERNAOLA, O.A. Enrique Argentina dentro del contextoGaviola and the Astronomical Politico-social. http://biblioteca.Observatory of Córdoba. cat.cbpf.br/apub/cs/cs-lista_http://adsabs.harvard.edu/abs/ completa.html.2004Ap%26SS.290..457B GIAMBIAGI, M., GIAMBIAGI, M.CANAL CIÊNCIA. Juan Jose M.S. Algumas comparacionesGiambiagi. http://testecanal. Entre Argentina y Brasil sobreibict.br/opencms/notaveis/ Emigracion de cientificos yjuan_jose_giambiagi.html Persecuciones politicas. http: //biblioteca.cat.cbpf.br/apub/cs/FERREIRA, R. Mario Giambiagi cs-lista_completa.html.(1928-2002). http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ IF-UFRGS. http://www.if.ufrgs.arttext&pid=S0100- br/historia/if50anos/40422002000300028
  • LEITE LOPES, J. As origens NAIDORF, J., FERRERO, R.O.da Escola Latino Americana de La militancia con compromiso.Física. http://biblioteca.cat. La Universidad Nacional entrecbpf.br/apub/cs/cs-1998.html 1966 y 1976. fundamentos.unsl. edu.ar/pdf/articulo-16-27.pdfMENDOZA, D.H., VARA, A.M.Winding roads to Big Science: NUSSENZVEIG, H.M. GuidoExperimental physics in Beck: 1903-1988. cbpfindex.Argentina and Brazil. http://sts. cbpf.br/publication_pdfs/sagepub.com/content/ Cs00289.2010_09_06_12_36_12/1/27.abstract 58.Pdf VIDEIRA, A.A.P. Guido Beck e a noite dos bastöes largos: algumas observações sobre a relação entre física e política no contexto argentino. http://scielo.iec.pa.gov.br/