FitoterapiaVerdades e Mentiras       Prof. Sérgio Franceschini         casadaterra@msn.com
�”Nosso problema, como cientistas dehoje, é que não estudamos história e, porisso, achamos que os gênios de hoje sãomais i...
O descobrimento das propriedades curativas dasplantas foi, no início, meramente intuitivo ou,observando os animais que, qu...
“O único animal que questiona afitoterapia é o ser humano, todos os     outros já nascem sabendo...”                      ...
Fitoterapia no Ocidente
Em 1873, o egiptólogo alemão Georg Ebers encontrou um rolo de papiro que dizia:"Aqui começa o livro relativo à preparação ...
O longo período que se seguiu, no Ocidente, designado por Idade Média,não foi exatamente uma época caracterizada por rápid...
Fitoterapia no Brasil
Tradição PopularIndígenas                  Colonizadores      Portugueses, Espanhóis, Holandeses e Franceses.           ...
GABRIEL SOARES DE SOUSA (1540-1591):Observações sobre a experiência de portugueses, índios e negros no Brasilcolônia. Hoeh...
MANUEL ARRUDA DA CÂMARA (1752-1811):Médico e botânico pernambucano, formado em medicina em Montpellier na França,publicou ...
VELLOZO (1742-1811):Filósofo e teólogo brasileiro que ocupa um lugar de destaque pela sua obramonumental intitulada “Flora...
MARTIUS (1794-1868):- Médico, zoólogo e botânico alemão, que dedicou a maior parte de sua vida ao estudoda flora brasileir...
LANGGAARD (1813-1883): Médico dinamarquês, formado em Copenhague e em 1848 adquiriunacionalidade brasileira, escreveu um l...
Enquanto no Brasil existe a  polêmica em relação afitoterapia, no mundo......
Pau Brasilroubaram dos povos indígenas daregião o segredo de como extrairum pigmento vermelho do PauBrasil. A árvore que d...
AndirobaA árvore (Carapa guianensis) é comum nasvárzeas da Amazônia. O óleo e extrato deseus frutos foram registrados pela...
CupuaçuFruto da árvore (TheobromaGrandiflorum), que pertence à mesmafamília do cacaueiro. Existem váriaspatentes sobre a e...
JaborandiPlanta (Pilocarpus pennatifolius) sóencontrada no Brasil, o jaborandi temsua patente registrada pela indústriafar...
Veneno da jararacaA jararaca (Bothrops jararaca) é uma espécie nativa de cobra da Mata Atlântica. Olaboratório Squibb usou...
SeringueiraOutro caso de biopirataria, foi o contrabando de 70.000 sementes da árvore deseringueira, Hevea brasiliensis, d...
A Fitoterapia na Tradição         Popular BrasileiraUso popular: Farmacopéia popular brasileira.“Fitoterápico tradicional...
Somatória de tradições:             Indígena + Européia + Nordestina + AfricanaAlém das plantas regionais existe também o ...
Plantas + Partes de animais + Minerais + Material disponível. As receitas básicas são comuns em várias regiões, sempre en...
A Fitoterapia na Ciência- Uso científico:Resoluções Anvisa +Programa Nacional de Plantas Medicinais +Pesquisas Brasilei...
Políticas Públicas na Área de Plantas Medicinais e Fitoterápicos                OMS – Organização Mundial de Saúde (1970)...
A grande verdade:1- Não existe planta milagrosa ou que cure todos os males.2- As plantas devem ser utilizadas estudando-se...
A história dos medicamentos                            2.000 AC:                     agora, coma esta raiz                ...
Tupi guarani  acaiú  noz que se produzUsos populares:-folhas: diarréia, cicatrizante e anestésico-fruto: reumatismo e ec...
Usos populares:Folhas: febre e diarréias.Casca: diarréia e disenteriaAlimento:Sementes: cruas (principal produto de export...
Usos populares:Óleo extraído diretamente da planta.Cicatrizante, anti-séptico, analgésico, expectorante, cistos,furúnculos...
Antibacteriana, Anticancerígena, Antiparasitas, Antitumor,Antiespasmódica, Adstringente, Citotóxica, Antitérmica,Hipotensi...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Fitoterapia verdades e_mentiras

4,289
-1

Published on

A realidade da fitoterapia no Brasil

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,289
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
168
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fitoterapia verdades e_mentiras

  1. 1. FitoterapiaVerdades e Mentiras Prof. Sérgio Franceschini casadaterra@msn.com
  2. 2. �”Nosso problema, como cientistas dehoje, é que não estudamos história e, porisso, achamos que os gênios de hoje sãomais inteligentes do que qualquer pessoaque viveu no passado.� D. Suzuki, 1998
  3. 3. O descobrimento das propriedades curativas dasplantas foi, no início, meramente intuitivo ou,observando os animais que, quando doentes,buscavam nas ervas cura para suas afecções. muito ativos ao ingerir grãos de café (Coffea arabica), melhoravam a digestão ao ingerir o boldo do Chile (Peumus boldus), ficavam muito calmos ao ingerir as folhas do maracujá (Passiflora sp.),o lagarto, ao ser picado pela cobra se protege com o sumo da raiz daguaçatonga (Casearea sylvestris); a águia ao ser picada por uma serpente venenosa, voa a procura do guaco(Mikania sp.) a fim de comer suas folhas, que contém vedelolactonas,substância que age como antídoto de veneno de cobra, os chimpanzés africanos que costumam colocar na boca folhas de ummalmequer do gênero Aspilia, que contém tiarubina A, substância que atuasobre bactérias, fungos e vermes, e deve ser absorvida através das mucosas,pois é inativada pelo suco gástrico. Os chimpanzés não engolem as folhas,apenas ficam comprimindo-as contra as mucosas.
  4. 4. “O único animal que questiona afitoterapia é o ser humano, todos os outros já nascem sabendo...” Sérgio Franceschini
  5. 5. Fitoterapia no Ocidente
  6. 6. Em 1873, o egiptólogo alemão Georg Ebers encontrou um rolo de papiro que dizia:"Aqui começa o livro relativo à preparação dos remédios para todas as partes docorpo humano“, considerado o primeiro tratado médico egípcio, onde contavam ozimbro, a semente de linho, o funcho, o alho, a folha de sene e o lírio .Em 1924, na Inglaterra, os técnicos do Museu Britânico conseguiram identificar 250vegetais, minerais e substâncias diversas cujas virtudes terapêuticas eram conhecidaspelo babilônios. Nos pergaminhos da época são citadas ervas como o cânhamoindiano, utilizado como analgésico, nos casos de reumatismo.Hipócrates reuniu a totalidade dos conhecimentos médicos de seu tempo noconjunto de tratados conhecidos pelo nome de Corpus Hipocraticum, onde, para cadaenfermidade, descreve um remédio vegetal e o tratamento correspondente.Dioscórides inventariou, no seu tratado De Matéria Medica, mais de 500 drogas deorigem vegetal, mineral ou animal.Galeno, ligou o seu nome ao que se denomina "farmácia galênica", onde as plantasnão são mais usadas na forma de pó e sim em preparações, nas quais são usadossolventes como álcool, água ou vinagre, e servem para conservar e concentrar oscomponentes ativos das plantas, sendo utilizadas para prepararungüentos, emplastros e outras formas.
  7. 7. O longo período que se seguiu, no Ocidente, designado por Idade Média,não foi exatamente uma época caracterizada por rápidos progressoscientíficos.Foi, no entanto, no Renascimento, com a valorização da experimentação eda observação direta, com as grandes viagens para as Índias e a América,que se deu origem a um novo período de progresso no conhecimento dasplantas e suas aplicações.Paracelso (início do século XVI ), tentou relacionar as virtudes das plantascom as suas propriedades morfológicas, sua forma e sua cor. Conhecidacomo a "teoria dos sinais" ou "teoria da similitude". Considerava que umadoença podia se curar com aquilo que com ela tivesse semelhança.A partir de século XV houve uma preocupação em catalogar um grandenúmero de vegetais, identificando-os e classificando-os de acordo com aprocedência, e características dos princípios ativos.Finalmente, os esforços de classificação culminam, em 1735, com apublicação do Systema Naturae, de Lineu.
  8. 8. Fitoterapia no Brasil
  9. 9. Tradição PopularIndígenas Colonizadores Portugueses, Espanhóis, Holandeses e Franceses.  Escravos Africanos Migrações intra regionais: *Transmitidas por oralidade (avós, pais, filhos...)
  10. 10. GABRIEL SOARES DE SOUSA (1540-1591):Observações sobre a experiência de portugueses, índios e negros no Brasilcolônia. Hoehne, baseado em suas informações, pode determinarcientificamente a maioria das 210 espécies vegetais citadas no texto.JOSÉ DE ANCHIETA (1533-1597):Foi também médico e enfermeiro dos indígenas, conhecendo e aplicandoinúmeras plantas utilizadas pelos povos tupi, durante o processo decatequização. PISO (1611-1678); MARCGRAVE (1610-1643): As obras de Marcgrave (médico, desenhista e botânico) e de Piso (médico ezoólogo) no que se refere ao clima, água, solo, moléstias tropicais e suaetiologia, botânica e zoologia, são efetivamente importantíssimas porqueanteciparam em mais de 100 anos o surgimento da botânica na Europa.Identificaram 132 espécies vegetais utilizadas no Brasil. SIMÃO PINHEIRO MORÃO (1620-1686):Historicamente é o primeiro livro, escrito por um português no Brasil,versando exclusivamente sobre matéria médica. A finalidade do livro eradifundir no seio da população os meios práticos de preservação e combate aosarampo e às bexigas (varíola). Utilizava plantas européias, mas tambémnativas no tratamento das doenças.
  11. 11. MANUEL ARRUDA DA CÂMARA (1752-1811):Médico e botânico pernambucano, formado em medicina em Montpellier na França,publicou vários estudos botânicos sobre a flora brasileira. Pesquisador pioneiro daflora, fauna e recursos naturais de toda uma região que vai do rio São Francisco aossertões do Piauí. Publicou vários livros entre eles, “A Almécega e a Carnaúba” (1809).BERNARDINO ANTONIO GOMES (1768-1823):Médico português que em 1810, inicia os estudos sobre as cascas da quina,descobrindo uma substância cristalizável, mais tarde reconhecida como um alcalóide, eque denominou “cinchonina”, ocorrência publicada em novembro de 1811. Graças aessa descoberta e à sua divulgação, Caventou e Pelletier descobriram em 1818 aquinina, responsável pela ação antimalárica. Viveu no Rio de Janeiro de 1797 a 1801,tendo assim a oportunidade de estudar não somente a ipecacuanha e a canela, masainda redigir observações botânico médicas sobre plantas brasileiras, algumas delasdescritas por ele, pela primeira vez, na literatura científica. Identificou e estudou 15plantas medicinais brasileiras. FRANCISCO ANTONIO SAMPAIO: Médico português, exerceu a profissão na Vila da Cachoeira (BA) desde 1758. Omanuscrito de sua única obra, somente no século XX foi encontrada e ainda assimincompleta, faltando o terceiro tomo referente ao reino mineral. Apesar disso é umaobra importante e autêntica sobre a prática terapêutica popular da época. Estudou edesenhou 83 plantas medicinais brasileiras utilizadas no Brasil.
  12. 12. VELLOZO (1742-1811):Filósofo e teólogo brasileiro que ocupa um lugar de destaque pela sua obramonumental intitulada “Flora Fluminensis”, terminada em 1790 mas só foipublicada em 1825 (60 fascículos, formando 11 volumes ), sob encomenda dogoverno imperial, traz as descrições e ilustrações de 1640 vegetais brasileiros,incluindo também inúmeras indicações ecológicas, muitos nomes indígenas epráticas terapêuticas populares e indígenas.SAINT-HILAIRE (1779-1853):Naturalista francês que veio ao Brasil em 1816 e percorreu diversas províncias,estudando a flora brasileira. Publicou inúmeros diários de viagem e obrasbotânicas sobre a flora brasileira. Registrou práticas médicas populares daépoca e propriedades medicinais de diversas plantas brasileiras.CAMINHOÁ (1835-1896):- Médico e professor de botânica, formado no Rio de Janeiro. Autor de obradidática que resume a botânica do século XIX. Em sua tese de concurso para acadeira de Botânica Médica, estudou as plantas tóxicas do Brasil. Registrainúmeras práticas medicinais populares em seu livro.
  13. 13. MARTIUS (1794-1868):- Médico, zoólogo e botânico alemão, que dedicou a maior parte de sua vida ao estudoda flora brasileira. Coordenou uma equipe de botânicos para escrever a maior obra debotânica sobre o Brasil, a “Flora Brasiliensis”, terminada em 1906, após a sua morte.Das 10.000 descrições de espécies, pelo menos 5.939 eram novas para a ciência. Alémdisso estudou também as plantas medicinais, inclusive, as espécies utilizadas pelastribos indígenas. Observou e experimentou inúmeras práticas médicas populares nasregiões por onde percorreu.MELLO MORAES (1816-1882):- Médico formado na Bahia. Organizou, em formato de dicionário, obra em que reúneinformações sobre práticas medicinais populares recolhidas pessoalmente e também deoutros autores contemporâneos. CHERNOVIZ (1812-1881):- Médico polonês, diplomado em Montpellier em 1837, e depois naturalizado brasileiro.Escreveu o “Chernoviz”, como ficou conhecido no Brasil, onde registrava os tratamentosalopáticos reconhecidos, mas também incluía receituário de plantas medicinaisbrasileiras, e de outros países, assim como, alcalóides e produtos químicos. A principalcausa do sucesso das sucessivas edições do “Chernoviz” prendia-se à maneira comoChernoviz conseguia retratar a concepção artesanal, leiga e mágica da medicina,listando de forma abundante, fórmulas para a fabricação caseira de medicamentos oupara a encomenda em boticas.
  14. 14. LANGGAARD (1813-1883): Médico dinamarquês, formado em Copenhague e em 1848 adquiriunacionalidade brasileira, escreveu um livro que foi considerado ummemorial terapêutico ,com a indicação abreviada dos meios empregadosno tratamento das moléstias e um formulário com a descrição de plantasindígenas e européias, com suas respectivas ilustrações e produtos denatureza química, com suas respectivas indicações terapêuticas.BARBOSA RODRIGUES (1842-1909): - Botânico e antropólogo brasileiro. Publicou diversos livros sobreetnografia indígena e sobre lendas e línguas indígenas. Explorou aAmazônia, recolhendo material botânico e etnográfico. Analisa a botânicaindígena e reconhece a unidade e racionalidade da nomenclaturaindígena. Estuda em profundidade o curare e desvenda os mistérios de suamanipulação e seus antídotos, definindo os diversos tipos de curare,produzidos de acordo com sua utilidade e com as sutis gradações de seusefeitos, colocando em evidência que a cultura indígena era bem maisprofunda do que se imaginava até então.
  15. 15. Enquanto no Brasil existe a polêmica em relação afitoterapia, no mundo......
  16. 16. Pau Brasilroubaram dos povos indígenas daregião o segredo de como extrairum pigmento vermelho do PauBrasil. A árvore que deu ao Brasilseu nome, está sendo preservadaapenas em alguns jardinsbotânicos.AçaíFruto da palmeira Euterpe oleraceada região amazônica que teve seunome registrado no Japão, em2003. Por causa de pressão deorganizações não-governamentaisda Amazônia, o governo japonêscancelou esta patente.
  17. 17. AndirobaA árvore (Carapa guianensis) é comum nasvárzeas da Amazônia. O óleo e extrato deseus frutos foram registrados pela empresafrancesa Yves Roches, no Japão, França,União Européia e Estados Unidos, em 1999.E pela empresa japonesa Masaru Morita,em 1999.CopaíbaA copaíba (Copaifera sp), teve sua patenteregistrada pela empresa francesa Technico-flor, em 1993, e no ano seguinte naOrganização Mundial de PropriedadeIntelectual. A empresa norte-americanaAveda tem uma patente de Copaíba,registrada em 1999.
  18. 18. CupuaçuFruto da árvore (TheobromaGrandiflorum), que pertence à mesmafamília do cacaueiro. Existem váriaspatentes sobre a extração do óleo dasemente do cupuaçu e a produção dochocolate da fruta. Quase todas aspatentes registradas pela empresa AsahiFoods, do Japão, entre 2001 e 2002. Aempresa inglesa de cosméticos Body Shoptambém tem uma patente do cupuaçu,registrada em 1998.Espinheira SantaA espinheira santa (Maytenus ilicifolia) énativa de muitas partes da América do Sule sudeste do Brasil. A empresa japonesaNippon Mektron detém uma patente deum remédio que se utiliza do extrato daespinheira santa, desde 1996.
  19. 19. JaborandiPlanta (Pilocarpus pennatifolius) sóencontrada no Brasil, o jaborandi temsua patente registrada pela indústriafarmacêutica alemã Merk, em 1991.BiribiriNo Canadá, a empresa Biolink,patenteou rupununine, uma substânciaextraída das sementes do bibiri(Octotea radioei), planta da Amazônia.O povo Wapixana de Roraima usa estasubstância como um anticoncepcional.MandiocaA Biolink quer patentear cumaniol, umasubstância extraída de um veneno feitoda mandioca selvagem, usado parapesca na Amazônia. O novo produto, deacordo com a companhia Canadense,pode ser usado para parar o coraçãodurante cirurgias delicadas.
  20. 20. Veneno da jararacaA jararaca (Bothrops jararaca) é uma espécie nativa de cobra da Mata Atlântica. Olaboratório Squibb usou uma pesquisa que havia sido desenvolvida no Brasil epatenteou a droga Captopril, contra hipertensão, nos anos 70.CurareUma mistura tóxica de várias plantas, usada tradicionalmente por algumas etniasindígenas da Amazônia, para envenenar as pontas de suas flechas cuja fórmula foimantida em segredo pelos índios durante séculos, Alexander von Humboldt foi oprimeiro Europeu, em 1800, a testemunhar e descrever como os ingredientes erampreparados. O curare começaria a ser utilizado como um anestésico em 1943, quatroanos depois que seu ingrediente ativo, o d-tubocurarine foi isolado.QuininaOs povos indígenas usavam a planta para tratamento de febre. Derivado da árvore decinchona (Cinchona officinalis), ela foi usada na década 20 nos Estados Unidos para otratamento de malária. O produto ficou conhecido como "casca de febre dos Índios"(Indian fever bark) e foi usado na Europa desde o inicio do século 16. A demanda pelacinchona desencadeou um processo de exploração que quase a fez extinta.Contrabandeando a planta da América do Sul para Java, em 1865, o inglês CharlesLedger, na verdade, contribuiu com sua preservação. E apenas sessenta anos maistarde, mais que 95% do quinina do mundo vinha de Java.
  21. 21. SeringueiraOutro caso de biopirataria, foi o contrabando de 70.000 sementes da árvore deseringueira, Hevea brasiliensis, da região de Santarém no Pará no ano de 1876, peloinglês Henry Wickham. As sementes foram contrabandeadas para o Royal BotanicGarden, em Londres e daí, após seleção genética, levadas para a Malásia, África eoutras destinações tropicais. Após algumas décadas a Malásia passou a ser o principalexportador mundial de látex, prejudicando economicamente o Brasil.Pau RosaÓleo vendido para a França, utilizado na elaboração do Chanel nº5.Biopirataria de vegetais:O transporte é bastante simples, podendo esconder sementes, gêmulas ou culturasem bolsos, canetas, frascos de cosméticos, dobras e costuras das roupas, entre outrasformas.Além disso, o comércio legalizado de plantas medicinais e a indústria de fitoterápicosdisponibilizam livremente fragmentos e extratos vegetais que podem ser adquiridosnos mercados e feiras e levados sem nenhuma restrição.
  22. 22. A Fitoterapia na Tradição Popular BrasileiraUso popular: Farmacopéia popular brasileira.“Fitoterápico tradicional é aquele elaborado a partir de plantamedicinal de uso alicerçado na tradição popular, semevidências, conhecidos ou informados de risco à saúde dousuário, cuja eficácia é validada através de levantamentosetnofarmacológicos, de utilização, documentaçãotecnocientífica ou publicações indexadas”.
  23. 23. Somatória de tradições: Indígena + Européia + Nordestina + AfricanaAlém das plantas regionais existe também o uso de plantas aclimatadas. Saúde: Estar bem disposto para trabalhar e alimentar-se bem. Não existe prevenção, somente tratamento Gravidade da doença: 1- Tempo de permanência dos sintomas. 2- Comportamento fora do normal. Tipos de doenças: 1- Doenças do corpo  doenças de remédios. 2- Doenças do espírito  doenças de reza. 3- Doenças do alimento  carnes e peixes “ramosos”. Tratamentos: 1- Plantas (receitas aprendidas com parentes) 2- Rezas e benzimentos. 3- “Comida plantada melhor que comida comprada”.
  24. 24. Plantas + Partes de animais + Minerais + Material disponível. As receitas básicas são comuns em várias regiões, sempre ensinadas poravós, pais, etc..., mas percebe-se sempre a incorporação de algum produto porfacilidade de encontrar na região ou por intuição. Quanto mais grave a doença maior o número de plantas, animais ouminerais. Existem adaptações conforme a necessidade ou a facilidade na obtenção dasplantas. As fórmulas tem sempre efeito curativo e nunca preventivo.Exemplos:Malária: Carapanaúba ou Quina.Diarréia: folha Goiaba ou casca de Macaé em forma de chá.Diarréia prolongada: casca de Mirí para lavagem.Infecções e inflamações: óleo de Copaíba.Bronquite: Mel + Copaíba + Azeite doce + Limão.Pneumonia: Copaíba + Leite + Presa de queixada.Gripe: Mangaratiá (gengibre) + Malvarisco + Limão.Cansaço: casca de Castanheira + ovo de Tracaja
  25. 25. A Fitoterapia na Ciência- Uso científico:Resoluções Anvisa +Programa Nacional de Plantas Medicinais +Pesquisas Brasileiras e de outros países.
  26. 26. Políticas Públicas na Área de Plantas Medicinais e Fitoterápicos  OMS – Organização Mundial de Saúde (1970) 80% população  práticas tradicionais  85% plantas  Portaria 971 (maio/2006) Implanta no SUS acupuntura, fitoterapia, homeopatia, termalismo. Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, (dezembro de 2008) Portaria 2960/2008Objetivo de inserir, com segurança, eficácia e qualidade, plantas medicinais,fitoterápicos e serviços relacionados à Fitoterapia no SUS. O programa buscatambém promover e reconhecer as práticas populares e tradicionais de uso deplantas medicinais e remédios caseiros. Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (Renisus) - (fevereiro de 2009)Orientar estudos que possam subsidiar a elaboração da relação de fitoterápicosdisponíveis para uso da população, com segurança e eficácia para o tratamento dedeterminadas doenças
  27. 27. A grande verdade:1- Não existe planta milagrosa ou que cure todos os males.2- As plantas devem ser utilizadas estudando-se cada caso.3- Uma planta terapêutica funciona tão bem e tão rápido como qualquermedicamento.4- A maior parte das pessoas que usa a fitoterapia obtém informações comamigos e/ou parentes.5- Estudos demonstram que a maior parte das plantas são obtidas emquintais, terrenos, com vizinhos e em mercados6- As regras básicas devem ser seguidas a risca:Padrões primários – Plantio, cultivo, colheita, secagem, conservação. Padrões secundários – Utilização: infusão, decocção, tintura, pomada. Objetivo: Qualidade e Quantidade
  28. 28. A história dos medicamentos 2.000 AC: agora, coma esta raiz 1.000 AC: aquela raiz é pagã. Agora, reze esta prece. 1.850 DC: aquela prece é superstição. Agora, beba esta poção 1.920 DC: aquela poção é óleo de serpente. Agora, tome esta pílula 1.945 DC: aquela pílula é ineficaz. Agora, leve esta penicilina 1955 DC:“oops”... Os micróbios mudaram! Agora, leve esta tetraciclina. 1960 - 1999: mais 39 “oops”... Agora, leve este antibiótico mais poderoso. 2.000 DC: os micróbios venceram! Agora, coma esta raiz.
  29. 29. Tupi guarani  acaiú  noz que se produzUsos populares:-folhas: diarréia, cicatrizante e anestésico-fruto: reumatismo e eczemas-casca: inflamação-Óleo da castanha: anti-séptico, vermífugo.-Óleo da castanha: lamparinasAlimento:Tumbança: castanha torrada moída e adoçada.Cajuada: suco do pseudofruto com água ou leite e adoçado.Cajuína: suco do pseudofruto filtrado, engarrafado e cozido em banho maria.Jeropiga: cajuína misturada com álcool.Mocororó: suco do pseudofruto cru ou cozido.Pesquisas científicas:UnB (Universidade Católica de Brasília) e UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) Óleo da Castanha  Bloqueio de UVA e UVB  Protetor solar.
  30. 30. Usos populares:Folhas: febre e diarréias.Casca: diarréia e disenteriaAlimento:Sementes: cruas (principal produto de exportação)Sementes: farinha e óleoUtilidade:Madeira: assoalhosOuriços: copos, cuiasPesquisas científicas:Universidade de Illinois (Estados Unidos)  Selênio
  31. 31. Usos populares:Óleo extraído diretamente da planta.Cicatrizante, anti-séptico, analgésico, expectorante, cistos,furúnculos, gripes, resfriados, erisipela, problemas de pele, etc...O óleo de copaíba têm um uso terapêutico fundamentalpara o ribeirinho amazônico, é o fitoterápico, que segundoa tradição popular, tem “efeito para todos os tipos dedoença”. Tanto que ele é incorporado a várias fórmulas populares.
  32. 32. Antibacteriana, Anticancerígena, Antiparasitas, Antitumor,Antiespasmódica, Adstringente, Citotóxica, Antitérmica,Hipotensiva, Inseticida, Controla o Sistema Nervoso,Expectorante, Sedativa, Medicamento Estomacal, Vasodilatador e Vermífugo- Fruta e suco: vermes, parasitas e febres; para aumentar o leite no período de lactação, ecomo um adstringente para diarréia e disenteria.- Sementes esmagadas: vermífugo contra parasitas internos, externos e vermes.- Casca, folhas e Polpa: sedativas, antiespasmódicas, hipotensivas e relaxantes.- Raiz profunda e as folhas: diabetesDesde 1940 Vários estudos realizados por diferentespesquisadores demonstraram que a raiz e também as folhaspossuem ação hipotensiva, antiespasmódica, vasodilatadora,relaxante do músculo liso e em atividades de cardio-depressão em animais.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×